Cartas

UNE chapa-brancaCom patrocínio de R$ 100 mil da Petrobrás e aos gritos de "Dilma presidente" e "Lula, guerreiro do povo brasileiro", os cerca de 3 mil estudantes reunidos na abertura do 51.º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE) mostraram a adesão inquestionável ao governo delle. Será que fica difícil entender por que Lulla e seu bando pretendem mellar a CPI da Petrobrás? Depois ainda tem o descaramento de chamar os senadores oposicionistas de pizzaiolos!MARIA ELOIZA ROCHA SAEZm.eloiza@gmail.comCuritibaO sonho acabouJá houve um tempo em que estudantes universitários eram vistos como o nosso futuro. Até existia um certo glamour em suas farras, "pinduras" e ideologias políticas desencontradas pelas muitas contradições - principalmente "no que eu falo e no que realmente faço" -, mas havia honestidade no ar. Hoje causa tristeza e indignação assistirmos aos líderes estudantis, em especial os ligados ao seu órgão representativo maior, a UNE, de braços dados com tudo aquilo que muitos dos pais desses meninos foram contra! Estão aparelhados por um governo que só nos causa vergonha "por tudo isso nunca antes ocorrido", em troca de dinheiro? Viraram tropa de choque daquele que já comprou com o mensalão a vergonha (se é que algum dia tiveram) da maioria dos políticos brasileiros? Aplaudem freneticamente um homem que dia sim e outro também abraça e elogia os corruptos que desmoralizam e envergonham o nosso país, tendo um deles sido posto para fora da Presidência pela "velha" UNE, com a participação de muitos de seus familiares? Ser político ladrão é mais importante e compensador que ser um bom médico, engenheiro, advogado ou outra profissão digna qualquer? Quando começarão as dissidências: UNE da CUT, UNE do PT, UNE do MST? Criem juízo, meninos! Precisaremos de vocês futuramente, mas como bons profissionais.ROGÉRIO AMIR RIZZOrizzomoreno@superig.com.brSão PauloA grande diferença de ontem e hoje é que nós, estudantes, ainda não conhecíamos os Zés Dirceus, Franklins Martins... Mas hoje eles já conhecem bem. Pobre estudantes, também estão sendo iludidos.JOSÉ LUCIO MARADEIluciomaradei@intermachinery.com.brSão PauloLágrimas de crocodiloEm sua recente visita à UNE, o "cara" debulhou-se em lágrimas, não sem motivos. Diante dele se aglomerava uma juventude representando uma geração perdida. Desprovidos de ideais mais nobres, confraternizando com o grande responsável pela devassidão política hoje no Brasil, eles levariam qualquer um ao pranto.CAIO AUGUSTO BASTOS LUCCHESIcblucchesi@yahoo.com.brSão Paulo Nunca antes...Nunca antes neste país tivemos presidentes tão assíncronos com a moral, a ética e o respeito às instituições. Nunca antes neste país tivemos presidentes tão identificados com o deboche explícito, a ironia e a esperteza política sem limites. Nunca antes neste país tivemos um Parlamento tão frouxo, sem honradez, mesquinho e pequeno, que se curva à humilhação pública de poderosos. Nunca antes senti tanto a falta dos caras-pintadas, do espírito cívico, do protesto aberto e das palavras de ordem contra tudo e todos que envergonham o nosso país. Se não fosse a imprensa responsável e idônea, particularmente o Estadão, muito da democracia brasileira se teria perdido. Parabéns! Tenho orgulho desse jornal. Faz-me sonhar com um Brasil melhor.JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIASzambonelias@estadao.com.brMaríliaToda casa ou palácio podre um dia cai sobre os seus usuários. Quero estar vivo quando isso acontecer. E ajudar a construir um Brasil digno. Somos minoria, mas um dia o povo acorda com o barulho do desmoronamento.JOSÉ ROBERTO BORSARIjrborsari@terra.com.brBaririÉticaUm dia, Lulla afirmou que não se deve brincar com a democracia. Sábias palavras, pena que não faz o que diz. PaTético.EDSON FUNABASHIedson@acteon.com.brSão PauloNão se pode esperar do "mestre pizzaiolo" a compostura que o presidente da República deveria ter. Ainda mais agora que ele acaba de lançar um novo sabor: pizza da CPI Petrobrás com cobertura do pré-sal.ARY SIMONETTO PEREIRAritasimonetto@hotmail.comSão PauloPelo andar da carruagem, com Lula e aliados dominando o Congresso e confrontando decisões da Justiça, logo ele vai mudar o nome de Praça dos Três Poderes para A Praça é Nossa.VIDAL DOS SANTOSvidal.santos@yahoo.com.brVinhedoReforma política jáQual a diferença entre as nomeações biônicas praticadas durante o regime militar e as nomeações atuais de senadores feitas pelos seus pares (leia-se cupinchas)? Nem umas nem outras receberam um voto sequer da população. As do regime militar pelo menos não eram secretas...HERMÍNIO SILVA JÚNIORhsilvajr@terra.com.brSão PauloTemos o Estatuto do Idoso, o Estatuto da Criança e do Adolescente e está faltando o Estatuto do Político. Para nele constar que eles são proibidos de roubar, que respeitem a opinião pública, honrem a palavra dada, cumpram as suas promessas de campanha e tenham vergonha na cara!JOSÉ CARLOS COSTApolicaio@gmail.comSão PauloHistórico tenebrosoTem a presente o objetivo de responder ao exmo. sr. Francisco Mendonça Filho, secretário de Imprensa do presidente do Senado, subalterno do iminente sr. Sarney, quando pretende defender o indefensável e ainda acusa o Estado de campanha difamatória (Fundação Sarney, 15/7), o que configura algo surrealista e impossível, pela tradição centenária desse jornal. Fica claro que se trata de mais um do time, juntamente com Renan, Barbalho, Cafeteira, Lulla, Collor, Temer, Jucá, Mercadante e toda a confraria chamada base governista, que tenta isentá-lo, quando, na verdade, sabe-se que Sarney, com mais tempo de cargos públicos que Fidel em sua mísera ilha cubana, tem lá muitos bons e fiéis amigos. Aliás, que amigos! Lamentavelmente, não deveríamos expor estas tristes manifestações sobre um fraco ex-presidente, mas convenhamos que S. Exa. tem um histórico tenebroso e ainda estrutura uma fundação com o nosso dinheiro, fora a distribuição de cargos e privilégios a seus iguais, que estamos enojados de saber. Talvez alguém (do time) venha dizer que o saque a poucas horas da quebra do Banco Santos tenha sido obra da grande sensibilidade e conhecimento de economia do ex-presidente, como fez com a economia brasileira, que em sua saída atingira uma inflação de quase 90% ao mês. Portanto, sr. Francisco, gaste sua tinta em mensagens fundamentadas na verdade ou talvez com seus pedidos de desculpas, pois o povo brasileiro desculpa tudo mesmo, e sua manifestação se torne mais um ato secreto. Despeço-me para tomar mais uma medicação para o estômago.JOÃO BATISTA PAZINATO NETOpazinato@competence.cnt.brBarueriSarney parou de pintar cabelos e bigode (17/7, A4). Adianta?JOSÉ ABDALA jabdall@hotmail.comSão PauloQueima de arquivoEm fins de julho, uma nuvem de fumaça nunca antes vista neste país encobrirá o Sol. Os senadores estarão em casa, queimando arquivos.CARLOS PACHECO FERNANDES FILHOc-pacheco-filho@uol.com.brSão Paulo

, O Estadao de S.Paulo

18 de julho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.