Cartas

Cobiça e desesperoHá quase quatro meses Ciro Gomes aventou a hipótese de se lançar candidato à Presidência. Pensou em concorrer com dona Dilma Rousseff para depois, humildemente, vir a ser por ela pisado, pois concordou em ser só um degrau para a eventual ascensão da postulante ao Planalto. Agora é a vez de Aécio Neves: o mesmo Ciro, de público, propõe dar-lhe apoio e retirar sua própria candidatura ao cobiçado posto. E o menino do vovô Tancredo, embora constrangido, lança aos quatro ventos um oxímoro: esse acordo será uma "utopia realizável"! Vovô, certamente, revirou-se no túmulo, pois ideia semelhante nunca passou por sua determinada cabeça. A atitude de Ciro, parece-me, é a de uma pessoa desesperada! Para não sair da crista da onda, faz qualquer coisa. Que negociações não terá feito com Luiz Inácio, de quem descolou um Ministério?PEDRO LUÍS DE CAMPOS VERGUEIRO pedrover@matrix.com.brSão PauloChance zeroO governador de Minas, Aécio Neves, declarou que o "mercurial" Ciro Gomes tem todas as condições de ser candidato a governador de São Paulo. É um blefe? Ou Aécio está jogando para o PT, o seu partido de coração, e desconhece a força do eleitorado paulista, que mostrou aos petralhas o lugar deles quando sua candidata amargou derrota acachapante na última eleição? Ciro sabe que candidatar-se em São Paulo é um tiro no pé: suas chances são zero!!!AGNES ECKERMANN agneseck@yahoo.com.brSão Bernardo do CampoAlguém poderia explicar o que Ciro tem que ver com São Paulo?ANA PRUDENTE ana_prudente@uol.com.brSão PauloCiro Gomes deixou de ser paulista há muito tempo. Filho de cearense que aqui pouco ficou, foi para o Ceará com 5 anos e nunca mais voltou. Lá viveu e ao Ceará pertence. Querer agora transformar São Paulo, o mais rico Estado brasileiro, em sua capitania, com todas as benesses que isso representa, já é demais. Os paulistas jamais o admitirão.WALDO ADALBERTO DA SILVEIRA JR. waldojr@netsite.com.brRibeirão PretoMalmequerCiro Gomes, que sempre menosprezou - e publicamente - São Paulo, empreendeu maratona pelos sindicatos paulistas para sondar a chance de ser nosso governador ou, quiçá, vice-presidente da República. Enquanto o PSDB não termina de desfolhar a margarida, os aventureiros afluem.MARIA CECÍLIA NACLÉRIO HOMEM mcecilianjh@gmail.comSão PauloSão Paulo liberta!Se já não bastasse Lulla e Collor se abraçando, agora é a vez de o mauricinho Aécio e o antipaulista Ciro se unirem contra Serra.A nós, paulistas, que geramos 35% do PIB nacional, só resta uma saída: dar um basta a essa gente e declarar nossa independência. Quero ver de onde vai sair dinheiro para sustentar as bolsas-demagogia do Lulla e para contratar parentes do Sarney.FERNANDO FENERICH ffenerich@gmail.comSão PauloObstinadosDois brasileiros obstinados: José Alencar e José Sarney. Um para o bem e o outro para o mal.JORGE ZAVEN KURKDJIAN zavida@uol.com.brSão PauloAdivinhaçãoAdivinhem quem tem mais privilégios: a família real britânica ou a família real maranhense?HUMBERTO DE LUNA FREIRE FILHO hlffilho@gmail.comSão PauloSobre o caso SarneySou petista e moro no interior do Maranhão. Gostaria que o Brasil soubesse o que está acontecendo neste Estado em meio a essa grande contradição entre Sarney, PT, crise do Senado, oligarquia e esquerda. Na verdade, no Maranhão o PT, em sua ampla maioria, aparenta não apoiar a aproximação entre o presidente Lula e Sarney por uma questão local. É fato que tal aproximação se deve à questão da governabilidade. As contradições internas do Estado, contudo, caminham para o abandono de todo um discurso histórico do partido contra a oligarquia maranhense. A crise do Senado não é por acaso. O PT e Lula encontram-se como que encurralados entre a força que Sarney tem no Senado e a manutenção de um quadro de desvios administrativos. A crise, na verdade, está servindo mesmo é para enfraquecer a maior força política dentro daquela Casa e, assim, torná-la vulnerável e mansa às deliberações do Executivo, como ocorreu em 2005 com a crise do mensalão (quem mais se beneficiou foi o PT, que tornou a Câmara dos Deputados pacata às deliberações do Executivo). Quanto mais se atacar Sarney, mais se enfraquecerá a imagem do Senado e com isso se possibilitará um nível mais elevado de renovação da Casa e, ainda, se promoverá uma maior abertura à aprovação dos projetos do Executivo. A oposição está, de certa forma, fazendo o jogo do PT ao atacar Sarney. Mas será que a oposição tem outra opção?JÂNIO ROCHA AYRES TELES ayres7001@hotmail.comChapadinha (MA)''Pela evolução dos acontecimentos, a profecia está prestes a se confirmar: banana vai comer macaco!"J. Perin Garcia jperin@uol.com.brSanto André Escândalos no SenadoA base constitucional de justificação da existência do Senado é de que representa igualmente os Estados, daí caracterizar-se como a "Casa federalista". Essa alegação não convence, de vez que a Câmara dos Deputados agrupa representantes de todas as unidades federativas. Essa é a razão por que muitas nações abolem esse órgão. A Costa Rica é um exemplo brilhante onde sua ausência até hoje nada alterou. Por outro lado, os países que adotam a unicâmera resolvem o caso de representatividade federativa com os "deputados gerais", que são eleitos nacionalmente. Perguntamos, então, se não seria o caso de o Brasil adotar o sistema unicameral, podendo assim economizar milhões de reais que seriam investidos na educação e na saúde.J. VASCONCELOS prof.vasconcelos@terra.com.brSão PauloLei das adoçõesA respeito da notícia Senado aprova nova lei de adoção de crianças (16/7, A18), gostaria de manifestar meu contentamento pelo final feliz (ou quase feliz) dos tormentosos dias por que passou Jundiaí, quando discutíamos em praça pública a questão das adoções no município. O movimento que ficou conhecido como Mães da Praça do Fórum de Jundiaí tinha como argumento a necessidade de as crianças permanecerem no seio da família, que os irmãos não deviam ser separados e que as adoções internacionais deveriam ser a última opção. A nova lei abraça todas as nossas teses de defesa por ocasião dos acontecimentos em Jundiaí. O assunto continua tabu no município, mas a aprovação da nova lei nos conforta e, principalmente, vem demonstrar que estávamos no caminho da ética, do direito e, certamente, munidos da indestrutível moral de nossa atitude. A lei nova, com certeza, traz melhorias para a adoção de crianças, mas traz também a marca indelével das lágrimas e do sofrimento das Mães da Praça do Fórum, que são coautoras desse estatuto legal.MARCO ANTONIO COLAGROSSI macolagrossi1@hotmail.comJundiaí Trem-balaLi com tristeza sobre o custo da passagem do trem-bala entre Rio e Campinas, que deverá ficar entre R$ 150 e R$ 325. Viajei pelo Eurostar entre Veneza e Nápoles e paguei algo próximo de 30. O preço máximo de R$ 325 do trem-bala deverá ficar bem próximo do de uma passagem de avião. Que vantagem Maria leva?FRANCISCO SANTAMARIA São PauloFÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX:(11) 3856 2920E-MAIL:forum@grupoestado.com.br

, O Estadao de S.Paulo

20 de julho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.