Cartas

Acordo sobre ItaipuTenho uma pergunta para o presidente: esse acordo com o Paraguai é bom para os brasileiros ou é igual aos já negociados com outros países da América Latina?RENATO INDIO DA COSTA LEMOSreiclemos@uol.com.brFlorianópolisLesa-pátriaÉ realmente fantástico! Lugo, lá no Paraguai, enrolou-se todo com seus rebentos de várias mães e nós pagamos a conta da reconstrução da sua popularidade. Pois o nosso (meu, não!) Luiz Inácio Lula da Silva correu em seu socorro, revisando o Acordo de Itaipu, com o seu, o meu, o nosso dinheirinho. Luiz Inácio simplesmente triplicou o pagamento de taxas e deu de presente linhas de transmissão de US$ 450 milhões a Assunção. É o fim da picada! Lula doa, empresta, dá de presente o que não lhe pertence, põe e dispõe do patrimônio brasileiro como se fosse dele. É mais um caso de lesa-pátria cometido pelo presidente do Brasil, sob o olhar bovino de um povo acorrentado ao Bolsa-Família e o silêncio cúmplice daqueles que teriam por obrigação falar por nós.MARIA CRISTINA ROCHA AZEVEDOcrisrochazevedo@hotmail.comFlorianópolisRendição ao ParaguaiO presidente lula (com minúscula mesmo) continua a render-se às reivindicações políticas retrógradas dos nossos vizinhos populistas, com prejuízo de todos nós, brasileiros. A última foram as concessões feitas ao Paraguai (24/7, B1 e B3). Além dos investimentos feitos por instituições públicas brasileiras naquele país, quando aqui muitas de nossas empresas precisam de crédito e não têm, o presidente lula triplicou o valor pago pela energia de Itaipu, construída com recursos do povo do Brasil. A consequência disso é mais aumento para os consumidores brasileiros. Talvez lula esteja pensando em se candidatar a presidente do Paraguai nas próximas eleições, já que o presidente de lá tem os seus índices de aprovação diminuídos em função de graves acusações...JOSÉ VALTER MARTINS DE ALMEIDAvalter@globo.comSão PauloGripe suínaÉ compreensível que o Ministério da Saúde se preocupe em dificultar a automedicação com os antivirais que podem ser usados no tratamento da chamada gripe suína. Mas é preciso que os médicos de todo o País tenham a possibilidade de recorrer a eles se e quando julgarem necessário. Isso significa que mesmo os menores e mais distantes municípios precisam tê-los à mão, uma vez que eles só dão resultado quando ministrados logo que a doença se manifesta. Não dá para ficar na dependência da burocracia. EUCLIDES ROSSIGNOLIeuros@ig.com.brItatingaEstá-se tornando trágica a endemia da gripe suína no País, já com mais de 30 óbitos. Sabemos que as precauções propagadas tardiamente pelo governo são paliativas; 90% da população, em especial a carente, não assimila tais recomendações. E o vírus pode-se instalar no organismo mesmo com máscaras, cuidados ao espirrar e mãos lavadas com toda a assepsia. Mas não estamos e nunca estivemos preparados. Nosso falido sistema de saúde não está aparelhado para atender sequer uma dor de barriga. Soube do caso de um senhor aposentado, sem ter o vergonhoso plano de saúde particular, portador de pneumonia, que foi levado para o Hospital da USP, onde ficou três dias deitado numa maca, no chão frio de um corredor. De lá foi transferido para um hospital público. Se o surto da gripe assumir as proporções das mortes ocorridas durante a gripe espanhola, no final de 1918 e início de 1919, quando a população paulistana era de cerca de 570 mil habitantes, só na maior cidade do País poderemos ter mais de 10 mil mortes, porque não temos leitos hospitalares nem recursos, que deveriam ter vindo da famigerada CPMF, mas foram para o bolso ou para as causas eleitoreiras de nossos desumanos e incapazes políticos. O senador Sarney que o diga!ROBERTO STAVALE bobstal@dglnet.com.brSão PauloA História se repeteO povo francês decapitou Maria Antonieta porque ela dizia: "Se o povo não tem pão, que coma brioches." Essa rainha era uma alienada e o povo, na miséria. Hoje não é diferente. A família Sarney, seus agregados e até namorados vivem no fausto e nem se dignam a pensar no que o povo almeja. No Maranhão, quando um individuo fica doente, até mesmo com unha encravada, pode vir a morrer sem assistência médica, ao passo que a uma leve dor de barriga, um ombro quebrado, os Sarneys correm para São Paulo. Que família boa é essa para representar o povo! Os céus clamam por justiça (é bíblico).M. MERCEDES P. VERGUEIRO DA SILVAmercedesvergueiro@hotmail.comSão PauloUma coisa não podemos negar: a família Sarney é unida.ALEXANDRE TAMBURRINOSão PauloEm boca fechada...... não entra mosca. Bem que o namorado da neta de Sarney deveria ter ficado com o bico calado. Como se não bastasse toda a celeuma com relação ao emprego que conseguiu pelo único motivo de ser namorado, ainda vem dizer que devemos ter orgulho de tê-lo como funcionário do Congresso. Como ele se acha qualificadíssimo, deveria propor-se imediatamente a fazer um concurso público. Essa atitude seria ética, honesta. Dizer que chega na hora e que trabalha o dia inteiro, ora, isso é o mínimo, né? Afinal, não é o que fazemos todos para mantermos os nossos empregos, nós que pagamos o salário dele?MARIA TEREZA MURRAYterezamurray@hotmail.comSão PauloPreciso urgentemente de um emprego. Alguém poderia informar o telefone da família Sarney?BRUNO CONFORTObrunoconforto@uol.com.brSão PauloSó mais umLula, peço uma "forcinha" junto ao Sarney para arrumar emprego, por enquanto, para o meu filho. Mais adiante pedirei para os meus netos. Prometo não matar nem roubar e nunca fazer comentários sobre o mensalão e outras maracutaias que rondam o Palácio do Planalto e o Senado. Conte comigo para ajudar a tropa do cheque. Aguardo telefonema do Agaciel. Um abraço.VIDAL DOS SANTOSvidal.santos@yahoo.com.brVinhedoMinha neta vai nascer no ano que vem, mas já estou providenciando um emprego para ela. Seu nome: Nina Sir Ney! Peço a Deus que ela não nasça no Maranhão...MARIA DE MELLOnina.7mello@uol.com.brSão PauloVagas roubadasAtenção, eleitor: quem defende Sarney porque arruma empregos para a família sabe que essas vagas são roubadas da sociedade. Como fazer para acabar com essa mordomia? Aprendendo a votar.IZABEL AVALLONEizabelavallone@yahoo.com.brSão PauloAbraham Lincoln acabara de nomear um novo coletor de impostos e foi imediatamente advertido por sua mulher. "Você usa a presidência dos EUA para isso?" Respondeu o ex-lenhador: "Ora, mulher, esse é o único prazer de um governante, no exercício do poder." O fato foi lembrado pelo amigo Antonio Leon Filho, diante do massacre do noticiário, por Sarney ter atendido ao pedido de uma neta. Emenda constitucional urgente: todo político fica proibido de atender a pedidos de netos.LÉO CHRISTIANOwww.leochristiano.com.brRio de JaneiroDesempregoSegundo o IBGE, o desemprego recuou para 8,1% (24/7, B4). E na mesma página: Gasto com auxílio a desempregado subiu 41%. Curioso: diminui o desemprego e os desempregados passam a custar mais. Cheira a maracutaia.MARIO HELVIO MIOTTOmhmiotto@ig.com.brPiracicaba

, O Estadao de S.Paulo

25 de julho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.