Cartas

Fim da linhaAssistir à briga entre os "nobres" senadores foi cômico, para não dizer trágico. Estamos, de fato, presenciando a falência total da administração política brasileira, em que a vergonha, a honestidade, a competência não existem na prática. A recente censura imposta ao Estadão (por um juiz cupincha de Sir Ney) foi a prova final disso, mostrando que o coronelismo, o jogo de interesses, enfim, o banditismo é que realmente controla este país. E cadê "o cara"? Que piada! Eu, particularmente, desisti do Brasil. Já planejo exercer minha profissão no exterior futuramente. Digo isso com real tristeza, mas não quero mais trabalhar aqui, ajudando a sustentar (com os meus pesados impostos) essa enorme corja de pilantras. E eles são vorazes, muito vorazes!ADRIANO PIOTTO, professorpiotto1@hotmail.comCampinasLexotanSenadores de dedo em riste, gritando palavras de baixo calão fora do microfone, ameaçando-se em público, aos gritos... Que horror! A que ponto chegamos, senhores! Talvez devessem oferecer Lexotan à entrada do Senado. Se for preciso, eu até pago. Fernando Collor tem direito a dois. Quem sabe se, estando mais calmos, esses senhores conseguem se ocupar dos assuntos que interessam à Nação.LUCIANA PUECH LEÃOlupech@speedmax.com.brSão PauloA guerra de poderEnquanto nosso povo vai rebolando para sobreviver, nossos políticos só pensam em guerra para abocanhar o poder.VIRGÍLIO MELHADO PASSONImmpassoni@gmail.comOsascoO mundo dá voltasHoje, por tudo o que tenho visto lá na casa-da-mãe-joana, estou com vergonha de ser brasileira. E talvez seja exatamente isso que elles queriam... Peço a Deus que me dê paciência para esperar o dia em que o sr. Renan Calheiros vai abrir a boca no plenário para contar o que sabe sobre Lulla e o PT.ANGELA CARACIKangelacaracik@terra.com.brSão PauloCoisas de ?coronel?Esse sr. Tasso Jereissati não tem compostura mesmo. Chamar em plenário, em plena sessão, um senador da República de "cangaceiro de quinta categoria" é absolutamente inadmissível. Está caracterizada a falta de decoro! A sociedade brasileira exige a punição devida: perda de mandato.SÉRGIO PAULO TEIXEIRA POMBOsp.pombo@estadao.com.brCampinasTasso definiu muito bem o que Renan é. Meus cumprimentos.CARLOS ED. BARROS RODRIGUEScarlosedleiloes@terra.com.brSão PauloRepública de AlagoasO que representa Alagoas para receber tanto destaque na nossa vida? Os srs. Renan Calheiros e Fernando Collor são dois dos responsáveis pelo atraso desse Estado, onde 90% do povo vive na miséria, ainda como escravo, preso a uma vida sem educação, saúde e alimentação, enquanto os 10% restantes vivem em apartamentos milionários na orla de Maceió, à custa dos pobres. Quem já conheceu Maceió sabe do que estou falando. Pobreza e abandono são a política de trabalho de políticos como Collor e Renan - aprenderam com Sarney, que faz a mesma coisa em seu Estado. Mas na tribuna eles vão dizer que é tudo mentira, que ajudam o povo em atos secretos para que ninguém saiba o "bem" que fazem...TIAGO HOMEM DE MELO DE C. E SILVAtihmcs@ig.com.brCampinasCada vez mais sinto vontade de cobrar a ex-senadora Heloisa Helena. Se ela não se tivesse candidatado a presidente, sabendo não ter a menor chance, teria concorrido à reeleição e certamente teria sobrado apenas o senador Renan, sem companheiro para baixarias e proteções à corrupção. Agora, como vereadora, fica assistindo, como nós, a esse espetáculo de baixaria no Senado.MANOEL MENDES DE BRITObrito.voni@terra.com.brBertiogaO videnteTeria sido Rui Barbosa um vidente? "Mas, em suma, senhores, nada pode admirar a ninguém num país, cujos destinos se trincham à mesa de sete felizardos, como um peru de recheio, em dia de bródio, entre amigos da boa xira. Esses sete camafeus do regímen, os donos da situação e da República, andam por aí rodando apostas sobre quem sejam. Mas o melhor está em que no próprio círculo deles é que parece correr mais acesa a curiosidade. Eles mesmos são os que se vivem a nomear uns aos outros, e empurrar uns para os outros os papéis da mascarada. O público não lhes erra a identidade; porque as caras e as impressões digitais não deixam que ninguém se engane. Seria mister que eu lhes declinasse os nomes? Tanta não há de ser neste auditório a malignidade. Se já os conhecem, por que obrigarem-me a pôr o nome aos bois? Mas, se insistis, vá como quiserdes: não briguemos" (A Questão Social e Política no Brasil - em 20 de março de 1919 - Obras Completas de Rui Barbosa, "A Imprensa", vol. XXVI, tomo IV, 1889, páginas 185-191).ATALIBA MONTEIRO DE MORAES FILHOataliba@hotmail.comMaríliaPoesia satíricaMuito feliz é o povo brasileiro,/ que tem no Senado grandes vestais:/ na corrupção eles são profissionais, /são mais sujos que pau de galinheiro!ITALO POLI JUNIORpolijau@terra.com.brJaú?Estado? sob censuraMinha total e irrestrita solidariedade neste momento em que, novamente, as forças do arbítrio e da corrupção tentam calar a voz desse jornal, que escreveu e continua escrevendo as mais belas e corajosas páginas da história da imprensa brasileira. Honro-me por ter vivido e enfrentado ao lado de Ruy e Fernão Mesquita momentos semelhantes desencadeados pela ditadura militar. O arbítrio não venceu ontem e não vencerá hoje. Parabéns pela resistência. E parabéns por, uma vez mais, estarem honrando a memória do nosso mestre comum, dr. Julio de Mesquita Filho.WALDO CLAROwaldoclaro@uol.com.brJaúÉ grande a semelhança ou mera coincidência? O caudilho Hugo Chávez censura na Venezuela e a turminha do Lula - Sarney, Renan, Collor - censura aqui.JOSÉ ANTÔNIO GARBINOgarbino.blv@terra.com.brBauruA censura prévia ao Estadão é um roubo, é tirar do povo o direito de saber a verdade. ALERTA DE SOUZA CARVALHOaym2701@hotmail.comItu Lei antifumoComeçou a guerra sem sentido promovida pelo governo estadual. Ignorando solenemente lei federal que trata de uso e consumo de produtos fumígenos, fumantes, que também são cidadãos, têm o seu direito cancelado por desejo do governador José Serra, hipocritamente substanciado em proteger a saúde dos que não fumam. É inconcebível que o Ministério Público Estadual ainda não tenha tomado uma atitude contra esta escancarada transgressão do mais elementar direito, dado não haver interesse regional que justifique a lei antifumo estadual.BOB SHARPbobsharp@uol.com.brSão PauloMerenda escolarSegundo o Ministério Público, um contrato de merenda que foi feito sob medida em 2001 pelos petistas que ocupavam a Prefeitura de São Paulo para auferirem vantagens financeiras agora é culpa do ex-prefeito Serra e do atual, Gilberto Kassab. Se o dito partiu de uma licitação cheia da maracutaias e ninguém contou, como é que eles iam saber? Se combinaram com os russos, esqueceram de combinar com a nova direção.KLAUS BENVENUTOklausbenvenuto@gmail.comSanto André

, O Estadao de S.Paulo

08 de agosto de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.