Cartas

A CRISE DOS PODERESNa construção de Brasília, para cada Poder foi erguido um palácio, o que deu origem à chamada Praça dos Três Poderes. Mas essa praça está prestes a virar um gueto. Os palácios continuam lá, mas não é seguro dizer que existam três Poderes nessa praça. Na atual conjuntura, diante dos desmandos da classe política, os três tendem a se transformar num só, a serviço de um governo de camaradas. A crise do Legislativo, que começou na Câmara e hoje ronda o Senado, não é mera coincidência. Ela tem um patrocinador: um governo que usa suas armas para enfraquecer os outros Poderes e se sentir livre enquanto constrói o ninho do totalitarismo e da ditadura. Um governo que promove escândalos no seu palácio e manda espalhá-los nas sedes dos outros Poderes - nunca poderemos esquecer o mensalão de José Dirceu nem o dossiê dos amigos de Lula, forjados na Casa Civil e mandados para o Congresso. Um governo que aprova emendas de parlamentares sabendo que vão ser usadas para pagar pensão alimentícia e salários de parentes dos aliados. E, por fim, um governo que, por medida provisória, destina verbas para que um movimento ilegal invada terras alheias e faça arruaças. É certo que, de uns tempos para cá, a maioria dos nossos políticos se transformou num bando de gananciosos. Mas se temos hoje um Poder Legislativo enfraquecido, é porque seus membros foram seduzidos por um governo que deseja ver todos caídos na miséria da desonra. A crise do Legislativo, portanto, não é uma mera coincidência.Francisco Ribeiro Mendes frmendes@correioweb.com.brBrasíliaPOLÍTICA NACIONALA política brasileira tem sido um mecanismo alheio à sociedade, perturbador da sua ordem e contrário ao seu progresso.Aurélio da Silva Braga branco.braga033@gmail.comBauruARENÃOA base aliada lembra a Arena: é um enorme açucareiro, formigas e formiguinhas se lambuzando nas doçuras do poder! E a oposição? Essa toma café frio com sal amargo! É a caricatura da democracia: a democratura! É o bipartidarismo travestido. "Salto alto" é quem manda!Fernando D?Ávila Rio de JaneiroDESABAFOVotei no Lula e me decepcionei com as maracutaias inerentes ao Poder Executivo. Voltei-me para o Legislativo e fiquei estarrecido ao não encontrar exceções à regra geral que por lá impera. Busquei o Judiciário e não vi nenhuma diferença, afinal, somos todos humanos... Então, refugiei-me na religião e caí na Igreja Universal. Oh, vida ingrata!Fernando Blank drblank@ig.com.brIndaiatubaJOANA D''ARCComemorando o Ano Brasil-França, os brasileiros terão também a sua mártir, como Joana d?Arc: a senadora Marina Silva, que, após campanha heroica, arderá na fogueira acesa pelos políticos.Viviano Ferrantini engferrantini@ig.com.brSão PauloMARINA 2010?Marina Silva pertence ao PT. O PT de Delúbio, do mensalão, dos dólares na cueca, de Celso Daniel, do Toninho do PT, do caseiro Francenildo, dos recursos não-contabilizados, dos aloprados, dos dossiês, de José Dirceu, de Genoino, de Lulla, de Ideli, de Mercadante e de Dilma. Marina Silva estava no PT em todos esses momentos. E continua agora, quando o partido apoia e defende Sarney, fazendo companhia a Renan e Collor, os novos superamigos do presidente Lulla. E em nenhum desses momentos ela resolveu se indignar. A falta de memória do povo brasileiro, manifestada em algumas cartas publicadas neste Fórum, é impressionante! Em que, digam-me, ela pode ser considerada uma terceira via? Marina é farinha do mesmo saco. Pode ser farinha orgânica, integral, mas continua farinha.Rodrigo Arantes do Amaral rodrigoamaral@terra.com.brMairiporãO MST E A LEIO MST, movimento ilegal, sem personalidade jurídica, retoma suas ações criminosas, desrespeitando a Constituição e a lei, fazendo protestos em 14 Estados. E depois da ocupação de sedes do Incra em vários Estados, de instalações do Ministério da Fazenda em Brasília, Curitiba e Belém, causando danos ao patrimônio público, vem um de seus líderes, João Pedro Stédile, cobrar respeito à lei... Além disso, os funcionários são impedidos de trabalhar, de prestar serviço ao público, numa violação do direito constitucional de ir e vir. É urgente que o Ministério Público Federal tome uma atitude severa contra o MST, impondo a obediência ao ordenamento jurídico, como já cobrava o saudoso jurisfilósofo dr. Miguel Reale, ou teremos a anarquia instalada, o fim do Estado Democrático de Direito, uma terra sem lei. Em último caso, só resta à sociedade levar a questão ao Tribunal Penal Internacional, na Holanda, de acordo com o Tratado de Roma, assinado pelo Brasil. O Estado poderia liderar esse tipo de ação.Cleiton Rezende de Almeida cleiton_rezende @uol.com.brAraraquaraSe já não bastasse invadir e arrasar propriedades privadas e pesquisas científicas, se ainda não bastasse a invasão de prédios públicos, com ameaças e intimidação de funcionários e destruição de bens da coletividade, agora esses arruaceiros do MST vêm atazanar a vida dos que moram e trabalham em várias capitais, com suas caminhadas irresponsáveis. E pior, financiados com nossos impostos. Até quando a Justiça ficará inerte?Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.brSão Paulo''Aos políticos em geral: ?Mendacem oportet esse memorem?, ou seja, quem mente precisa de boa memória (Publio Siro)"Helvio Rossignolli hrossignolli@gmail.comCaieirasMOVIMENTO PARTIDÁRIODe quem é a maior responsabilidade na questão fundiária? Do governo federal, claro. Todavia o MST não faz passeatas e bloqueios na frente do Palácio da Alvorada, em Brasília, só se manifesta em Estados governados pela oposição. Aliás, chamar essa turma de "sem-terra" é de doer: rapazes com tatuagens, rabo de cavalo, bem vestidos, outros usando bonés com a bandeira de Cuba, moças bem apessoadas, esse pessoal nunca viu uma enxada na vida... E quem paga tantas bandeiras, bonés, quentinhas, etc.?Marco C. Cruz mm.cruz@terra.com.brSão PauloARRUAÇA NA PAULISTAComo paulistano, quero registrar minha indignação com a posição inoportuna e demagógica do nosso prefeito, Gilberto Kassab, eleito por nós, contribuintes de impostos e taxas para nossa querida São Paulo. Segundo notícia veiculada por conceituada emissora da capital, o prefeito dos paulistanos manifestou-se elogiando esse bando de arruaceiros, quadrilha que age sob a sigla MST, que, em plena sexta-feira, interditou a Avenida Paulista, uma das mais importantes vias da cidade, desrespeitando o direito de milhares de cidadãos trabalhadores que fazem esse caminho. Qual o motivo? Ora, convencer o amigo de Brasília a lhes liberar a modesta quantia de R$ 800 milhões! E o sr. Kassab se diz a favor dessa gente... Tomara que o simpatizante não resolva contribuir também com o nosso dinheiro, além do apoio moral. A propósito, os milhares de cidadãos prejudicados nesse dia teriam alguma esperança de ser reembolsados pela Prefeitura, sr. Kassab?Armando Augusto da Cruz adv.cruz@terra.com.brSão PauloTRÂNSITO LIVREExiste uma maneira muito simples de os fretados poderem circular e também estacionar onde e quando quiserem. Basta pendurar do lado de fora uma faixa com a sigla MST. Não só terão livre trânsito em toda a capital, como contarão com o apoio das autoridades para sua movimentação.Mario Silvio Nusbaum mario_silvio@hotmail.comSão PauloFÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX:(11) 3856 2920E-MAIL:forum@grupoestado.com.br

, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.