Cartas

O FIM DE UMA DINASTIAO falecimento do senador Edward Kennedy encerra um capítulo na história da política americana. Membro de uma família icônica, cujo sobrenome representa um marco na política dos EUA, Ted fundamentou sua vida pública nos esforços para criação de políticas progressistas, ações de inclusão e ideais de coexistência, que trouxeram os EUA para dias melhores e mais justos. É de uma geração que, embalada pelo ego do pós-guerra, sonhou com uma América dourada e se esforçou ao máximo para construí-la. Aliás, a contribuição dos Kennedys para os EUA é inestimável. São, de fato, a realeza da política americana.Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.brPorto FelizLamentavelmente, o povo norte-americano perdeu o senador Ted Kennedy, um "leão" na política dos EUA. Já nós, brasileiros, não teríamos nada a lamentar pelos nossos senadores.Henrique Massarelli hermassa@uol.com.brSão PauloEnquanto o Senado americano perdeu seu "leão democrata", aqui somos obrigados a conviver com as peripécias das ratazanas do PT e do PMDB.Eduardo Spinola e Castro spinola.castro@uol.com.brSão PauloELES E NÓSOs EUA perderam um senador que honrou todas as votaçõesque obteve em todos os anos em que se manteve no Senado americano. Têm ainda um presidente do porte de Barack Obama. Parabéns ao povo americano por suas escolhas. Em contrapartida, aqui, no Hemisfério Sul, nós ficamos com lula, sarney, jader, renan, collor, jucá, duque (minúsculas, por favor), etc., etc.Antonio Fernando Ferreira rdseg@terra.com.brSão PauloPergunto: como se devem sentir alguns senadores brasileiros ao lerem a declaração de Gordon Brown, premiê britânico, de que o sr. Ted Kennedy era "admirado em todo o mundo como o senador dos senadores"? E ainda outra declaração, esta do ex-presidente Jimmy Carter: "Ele foi leal, honesto e aberto."Ariovaldo J. Geraissate ari.bebidas@terra.com.brSão PauloDE BIOGRAFIASLendo a vida e a biografia do senador Ted Kennedy, percebo que perdi o verdadeiro significado desta palavra. Melhor dizendo, nós, brasileiros, perdemos o real significado da palavra biografia. Mas com certeza posso dizer: Sarney, você não tem biografia! Collor, Renan, Mercadante, vocês também não têm! E isso serve para todos os insignificantes sem biografia que comandam nossa política. Triste América Latina...Armando Favoretto Junior malhamania@dglnet.com.brSão José do Rio Pardo?VISÃO DESFOCADA?Magnífico o artigo do general Rocha Paiva (27/8, A2). Falta ao governo Lula a perspectiva de defesa dos interesses nacionais, neste complexo mundo multipolar. Tudo foi ideologizado pelo atual governo, relegando o nosso país ao secundário papel de acólito das fanfarronices do presidente Hugo Chávez. Alertas como o que faz o general são muito importantes para corrigir o errático rumo da nossa política externa. Como ele diz, devem ser escutados, nesse terreno, os chefes militares, que ainda possuem, felizmente, o sentido de amor à Pátria, perspectiva que, para desgraça do Brasil, está ausente em não poucos políticos.Ricardo Vélez Rodríguez rive2001@gmail.comprofessor emérito da EcemeJuiz de Fora (MG)No artigo Visão desfocada, o general Rocha Paiva não vê motivo de preocupação com a soberania na Amazônia por causa da instalação de bases americanas na Colômbia. Discordamos do ilustre militar, lembrando que a última intervenção dos EUA na América do Sul, a Operação Condor, de triste memória, nos custou 20 anos de ditadura. Que o nosso governo reaja a essa nova ameaça à segurança nacional. Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.brSão PauloITAMAR FRANCOConcordo plenamente com Itamar Franco quando diz que Lula "é menos democrata que os militares". Não bastasse a conhecida dificuldade do presidente de aceitar críticas - daí ter classificado de "imbecis" os críticos do Bolsa-Família -, é bom lembrar que a vergonhosa absolvição de Sarney só foi possível graças à interferência pessoal do presidente da República. Ora, se o chefe de Estado brasileiro passa a exercer tal controle sobre o Senado, a ponto de impedi-lo de investigar denúncias de irregularidades envolvendo alguns de seus membros, é sinal de que as instituições democráticas estão perdendo sua essência.Inoã Pierre Carvalho Urbinati inoacarvalho@yahoo.comRio de Janeiro''Sarney criou uma nova especialidade técnica: engenharia ética..."Carlos José Benatticjbenatti@globo.comSão PauloSAPOSPobre PT, obrigado por Sarney e Lula a engolir um monstruoso sapo.Celanira GaiaSão PauloLulla, marionete do PMDB.Bruno Dalpubel bruno.apiario@yahoo.com.brLençóis PaulistaPT, o partido de um homem só que não respeita as instituições, os companheiros, a ética nem a moral.Sebastião Hetem sebahetem@ig.com.brTaiúvaLula deu novo significado ao PT: Perdeu-se Tudo. Perderam-se a dignidade, a honra, a ética, a moral e a vergonha.Edson Funabashi edson@acteon.com.brSão PauloPT COBRA, MAS NÃO PAGABerzoini cobra do probo Flávio Arns R$ 66 mil que supostamente deve ao partido. E o Brasil exige do PT do Lula os milhões de reais desviados das nossas estatais, como, por exemplo, os R$ 10 milhões depositados, numa ilha fiscal, na conta do Duda Mendonça! E ainda assim o Lula, continua no poder...Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.comSão CarlosESCLARECIMENTOO Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) tem como rotina gerar e expor trabalhos de cunho técnico. Há dois meses o Ipea iniciou a elaboração da nota técnica intitulada "O que explica a queda da receita tributária federal?". No dia 26/8, apresentou publicamente os resultados encontrados nesse estudo em coletiva. Durante a coletiva, tanto o diretor de Estudos Macroeconômicos, João Sicsú, quanto os técnicos Sérgio Gobetti e Rodrigo Orair apresentaram números e métodos estatísticos que permitiram concluir que as receitas administradas federais caíram no primeiro semestre deste ano em relação a igual período do ano anterior devido, essencialmente, à desaceleração econômica e à política de desoneração anticíclica adotada pelo governo. Portanto, qualquer ilação de ordem política que tenha buscado relacionar o referido estudo técnico com eventos administrativos adotados por outros órgãos do governo federal é de responsabilidade do jornal O Estado de S. Paulo, que publicou ontem a reportagem Ipea entra na guerra da Receita com dados a favor de Lina e contra Mantega, cuja chamada de capa foi Ipea defende Lina contra Mantega. O Ipea reafirma que continuará mantendo as mais elevadas relações técnico-profissionais com o Ministério da Fazenda e as demais instituições.Marcio Pochmannpresidente do IpeaBrasíliaCARTÃO VERMELHOO Senado tem muitos dedos em riste, acusações, panos quentes, água fria, mimese da honestidade e seriedade, muito sangue quente, palavras de ofensas, e o povo brasileiro é que sai ofendido por quem deveria representá-lo. Enquanto os senadores brincam de exibir cartão vermelho uns aos outros, quem está "suspenso do jogo" é o Estado.Vandecio Carvalho vandao_musico@hotmail.comCastilhoFÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX:(11) 3856 2920E-MAIL:forum@grupoestado.com.br

, O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.