Cartas

UNASULO chanceler brasileiro, Celso Amorim, solicita à Colômbia que dê aos seus vizinhos "garantias jurídicas" de que os militares americanos não atuarão fora do território colombiano. Muito justo, mas o ministro deveria solicitar aos vizinhos da Colômbia que, em contrapartida, dessem as seguintes garantias jurídicas aos colombianos: 1) Que seus territórios não abrigarão bases das Farc; 2) que não farão doações financeiras nem venderão armas às Farc; 3) que não permitirão que dirigentes das Farc circulem por seus territórios impunemente.Hamilton Carvalho hamilton.carvalho@terra.com.brBarueriAcostumado aos atos secretos do Senado, Lula e toda a patota bolivariana - Chávez, Morales, Correa - criticaram a cobertura da mídia no encontro da Unasul, sentiram-se incomodados por não poderem discutir livremente o sonho de Chávez de transformar a América Latina numa grande nação bolivariana, diante dos holofotes. Exceto por Álvaro Uribe, que por suas tendências mais democráticas se tornou alvo predileto do complô bolivariano-esquerdista, a Unasul foi um fracasso, pois, em vez de criar soluções para integrar o continente, está-se tornando ferramenta para desintegrar a democracia na América Latina, comandada por Chávez e seguida por seus admiradores.Amâncio Lobo amancio lobo@uol.com.br São PauloFESTANÇAO pré-sal ainda está no embrião, mas, como o presidente Lula não perde tempo, oferece a Dilma Rousseff uma grande festa para comemorar o petróleo que, supostamente, daqui a mais alguns anos vai jorrar. Será que está sobrando grana ou o presidente tem excesso de otimismo? Na minha terra isso se chama gastar por conta...Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.comOsascoAS BALELAS DE SEMPREE não é que Lulla está em plena campanha eleitoral? Ao apresentar o marco regulatório do pré-sal, não deixou de falar das mazelas que teria encontrado no País quando tomou posse. Nunca antes neste país fomos tão abençoados como quando o povão o elegeu! Pena que o comparecimento de seu novo grande amigo (antes inimigo) Sarney não tenha sido para lhe agradecer... Sarney, quando presidente da República, quebrou o País de tal forma que hoje não crescemos nem a metade do que o Brasil crescia à época da famigerada ditadura militar! Sem Sarney seu discurso pareceria vazio. Mesmo assim, Lulla disse as balelas de sempre, menosprezando o governo anterior, de FHC (nunca vi dor de cotovelo igual), o FMI, dívidas, etc. E como não poderia deixar de ser, deu a palavra, em ritmo de campanha, a "Dilma paz e amor", já que o PAC emPACou! Só quero ver se ela vai viajar por todo o Brasil com verba pública, em campanha, discursando sobre o "petróleo é nosso" - o mar deveria ser o seu destino, de preferência em alguma plataforma da PeTrobrás, a 200 milhas de distância...Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.brSão PauloO presidente Lula novamente se aproveita de um evento de governo para armar seu palanque eleitoral e abusa da verborragia para autoelogios e críticas, muitas delas indevidas, a alguns de seus antecessores, esquecendo-se de que muitos destes hoje fazem parte da sua claque de apoio. Defende com veemência a "Petobrais", fervor que não teve quando a Petrobrás foi invadida na Bolívia. Fala do orgulho do brasileiro de poder andar de cabeça erguida, orgulho que não foi demonstrado quando da subserviência em negociações com Chávez e Lugo, para ficar só nos vizinhos. E com toda essa "abundância" de petróleo, continuamos a pagar uma das mais caras gasolinas do mundo, de qualidade questionável, e o óleo diesel altamente poluente. Dá para entender?Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.brSão PauloEFEITO ESTUFATanto oba-oba sobre o pré-sal, mas por que não explicar que se trata de um petróleo muito caro, cujos destilados virão emitir carbono novo na atmosfera? E o efeito estufa, desta vez, foi esquecido?Fernando Penteado Cardoso agrolida@uol.com.brSão PauloO OVO E A GALINHASegundo dom Lula, o dia da independência do Brasil mudou para 31 de agosto, ao anunciar o marco regulatório do pré-sal. Por enquanto, o que se ouve é que o País vai produzir cerca de xis barris... O governo está contando com ovo antes de a galinha o botar, ou seja, está apostando no pintinho. Por conta do tal anúncio, as ações da Petrobrás caíram fortemente. Quem será que ganha com isso? Os acionistas é que não são.Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.brSão PauloE o marco regulatório da impunidade sai quando?José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.brAvanhandava''Sucessão - o presidente Lula só pensa naquilo..."Mirel Gonçalves Souza mirelgsouza@yahoo.com.brSantosDÁDIVA DE DEUSO pré-sal é uma dádiva, sim, como disse Lula. É pena que esteja sendo regulamentado por um governo mais interessado no Brasil do próximo ano do que num Brasil dos próximos 50... Gilberto Dib gilberto@dib.com.brSão PauloASSUNTO SÉRIO50 bilhões de barris é a estimativa oficial da reserva de petróleo da camada pré-sal em mares brasileiros. Depois da pizza de Sarney, da absolvição de Palocci, da renúncia de Mercadante e da reunião Dilma/Lina, não seria melhor que esse assunto fosse discutido por gente mais séria?Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.brSão PauloDepois do "acordão" feito no Senado Federal, como a oposição pode criticar o pré-sal, ou o Bolsa-Família, ou qualquer outra coisa. Fala sério. Alguém vai acreditar? Marina pra presidente!Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.brSão PauloSEGURANÇA PÚBLICAA propósito da reportagem Polícias brigam antes de conferência (27/8, C4), àqueles que, por desconhecimento, vaidade ou algum vício moral - e não por interesse social ou coletivo -, falam sobre segurança e polícia, peço licença para fazer três indagações: 1) Já leram o que escreveu o ex-ministro do STF e professor João Mendes Jr., em seu livro O Processo Criminal Brasileiro, quanto à grande divisão da polícia, pela Revolução Francesa, em dois ramos: polícia preventiva (para evitar os crimes) e polícia judiciária (para investigar os crimes não evitados)? 2) Pode alguém falar em diminuir a violência, o crime e o medo sem investir, por todos os meios possíveis e imagináveis, na prevenção criminal diuturna? 3) Não parece estranho que a "Constituição cidadã" do Brasil não exija dos Estados que os crimes sejam prevenidos, para evitar prejuízos humanos e materiais, além de gastos fabulosos, prodigalizando o "combate" e a repressão, o aumento das penas e a redução da idade penal? Cabrito não deve cuidar de horta e pensar não ofende!Bismael B. Moraes bismoraes@uol.com.brmestre em Direito Processual (USP), ex-presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, autor de ?Estado e Segurança diante do Direito? (RT/SP, 2008)Guarulhos?LINK?A chamada de primeira página de ontem foi equivocadamente ilustrada com a foto do empresário Maurício Silva. O tema principal da reportagem - e da chamada - é o acesso a filmes pela internet. Silva, dono da Notoriuns Filmes, é personagem de um texto complementar sobre locadoras que têm sobrevivido à concorrência da web.FÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX:(11) 3856 2920E-MAIL:forum@grupoestado.com.br

, O Estadao de S.Paulo

01 de setembro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.