Cartas

Cartas

MULTA DO TSE

, O Estado de S.Paulo

28 Março 2010 | 00h00

Campanha antes da hora

Se o PT faz campanha antes da hora e é multado pela Justiça Eleitoral por isso, uma pergunta: que nome tem a propaganda de rádio e TV do governo José Serra? "Governo de São Paulo: um Estado cada vez melhor." Serra vem fazendo campanha duplamente: para o governo do Estado e para a Presidência da República.

RENATA RODRIGUES

huppertt@ibest.com.br

São Paulo

_____________________________________________________

Fé na Justiça

Parabéns ao sr. Ayres Britto e aos demais ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que impuseram mais uma multa ao sr. Lula. Agora começo a acreditar na Justiça brasileira.

MARIA JOSÉ DA FONSECA

fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

_____________________________________________________

Quem paga a conta?

O presidente Lulla, além de não cumprir o que determina a lei eleitoral, faz gozação do fato de ter sido multado. E, se não bastasse, perguntou do alto do palanque quem iria pagar essa conta. Os ministros do TSE devem estar constrangidos, e não é para menos: o próprio presidente da República tira sarro deles, e sem nenhuma cerimônia. É com o PT que vamos moralizar o País?

JOSÉ CARLOS COSTA

policaio@gmail.com

São Paulo

_____________________________________________________

Respeito às instituições

Lula faz troça do TSE, que o multou... Que respeito o Poder Judiciário merece do comum dos mortais? Ou há mortais mais e menos comuns?

ALEXANDRU SOLOMON

asolo@alexandru.com.br

São Paulo

Piada de salão

Lula, a turma do mensalão e todos os aloprados continuam livres para fazer o que bem entendem, as multas só os fazem gargalhar. O "nosso" Delúbio bem que avisou: tudo vira piada de salão. Com a palavra o nosso STF.

ALBERTO B. C. DE CARVALHO

albcc@ig.com.br

São Paulo

_____________________________________________________

O delito compensa

As magnânimas multas aplicadas pela Justiça Eleitoral ao presidente Lula, por antecipação ilegal da campanha eleitoral, têm um custo-benefício semelhante ao que usualmente se verifica nas condenações aplicadas pela Justiça Cível às pessoas jurídicas pela prática de lesão ao direito do consumidor. No primeiro caso, os ganhos eleitorais para a candidata são infinitamente maiores que o prejuízo pecuniário, sendo altamente vantajoso continuar desrespeitando a lei. Tanto que a primeira condenação não serviu de desestímulo ao presidente Lula. No segundo caso, como o custo da implementação das medidas necessárias ao bom atendimento dos consumidores de produtos e serviços é muito alto, é mais vantajoso para as empresas pagar as multas, geralmente diminutas, e continuar transgredindo a lei.

FAUSTO RODRIGUES CHAVES

faustochaves@uol.com.br

São Paulo

_____________________________________________________

Propaganda enganosa

O "cara" é multado de novo por fazer propaganda política em favor de Dilma. E o Conar não se pronuncia? Trata-se de propaganda enganosa, no mínimo.

MANOEL MENDES DE BRITO

brito.voni@terra.com.br

Bertioga

_____________________________________________________

GREVE DE PROFESSORES

Protesto

Spray de pimenta, cassetetes e gravatas em professores e professoras, e a campanha nem começou. Aposentados civis ou militares, professores, funcionários públicos e credores de precatórios, pensem bem na hora de votar!

MARCO ANTÔNIO R. NUNES

nunesmarcelao@ig.com.br

Pindamonhangaba

_____________________________________________________

Radicalismo político

O governo do Estado nunca se negou a negociar com sindicalistas. Ainda ontem, mesmo sem solicitação prévia, uma reunião foi realizada no Palácio dos Bandeirantes. A Secretaria da Educação fez várias rodadas de reuniões com todas as entidades do magistério, três com a própria Apeoesp. Várias das reivindicações foram atendidas, como a incorporação da Gratificação por Atividade de Magistério (cujo parcelamento foi uma proposta dos próprios sindicalistas), a consideração do tempo de serviço com peso de 20% na Prova dos Temporários e a maior amplitude salarial da carreira docente, entre outras. O fato é que os sindicatos insistem num movimento esvaziado, com adesão em torno de 1%, com objetivos políticos e eleitorais. Para isso abusam de atitudes violentas, como fechar a Av. Paulista e provocar badernas até mesmo dentro de um hospital psiquiátrico, em atitudes truculentas e antidemocráticas. Foram os sindicalistas que no tumulto de sexta-feira no Morumbi agrediram policiais, inclusive arremessando grandes pedras, como mostraram as imagens das TVs. O Estadão traz a declaração da presidente do sindicato, que, após posar em fotos com Dilma Rousseff, diz que o objetivo do movimento é "quebrar a espinha do PSDB, há 16 anos no governo do Estado". O radicalismo, a intransigência e o desrespeito às regras da convivência democrática partem exclusivamente dos sindicatos.

ROGER FERREIRA, assessor da Secretaria de Estado da Educação

roger.ferreira@terra.com.br

São Paulo

___________________________________________________

COMPARAR GOVERNOS

Realizações cumulativas

Essa ideia de comparar o que um governo fez com o que o outro realizou é índice de infantilidade e presunção. É o mesmo que discutir sobre quem é mais importante na construção de um prédio: quem construiu os alicerces ou quem levantou as paredes, etc. As realizações dos governos de um país ao longo da História são cumulativas, embora cada um tenha suas características próprias. No conjunto, porém, eles se complementam. Daí a importância e a necessidade de alternância de poder e de visão administrativa. Certa vez, o grande cientista inglês Isaac Newton, ao ser elogiado por alguns de seus admiradores, observou: "Não tenho nenhuma vantagem sobre outros cientistas que foram antes de mim. Se consegui ver um pouco além no horizonte da ciência, foi porque subi em ombros de gigantes." Belo exemplo para os homens públicos de hoje, que vivem se autoelogiando o tempo todo, olvidando as boas realizações dos que vieram antes.

TERCIO SARLI

certezaeditorial@terra.com.br

Campinas

_______________________________________

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o Estadão.com.br

CONDENAÇÃO DO CASAL NARDONI

Existem muitas especulações sobre a eficiência do Poder Judiciário no Brasil. Mas, na madrugada deste sábado, uma esperança de um país mais justo, foi gerada no seio da sociedade. Nós brasileiros, a partir deste caso, podemos tomar como lema, sem temor, a seguinte frase: Justiça, ainda que tardia.

Renan William Candido, estudante renan_william_15@yahoo.com.br

São Paulo

__________________________________

JUSTIÇA

Finalmente chegou ao fim a angústia de um nação. O julgamento dos assassinos da criança Isabella trazia muitas dores e preocupação sobre se realmente se iria fazer justiça. Palavra esta cada vez mais difícil de ouvir numa sociedade cheia de corruptos, em que o povo clama cada vez mais por justiça plena, sem protecionismo de cargo ou classe social. O casal Nardoni teve sua pena merecida. Esperamos que não tenha mais um episódio de outro julgamento e que eles realmente cumpram a sentença até o final. É uma pena que a lei brasileira dê o direito ao réu de cumprir um terço e ganhar a liberdade. É uma falha da lei, esperamos que mude, a sociedade tem esperança, principalmente com o novo Código Penal.

REGINALDO DE PAULA, motorista reg.paula@hotmail.com

Campinas

__________________________________

CASO ISABElLA

Parabéns, Brasil, pela primeira vez se fez justiça num caso tão monstruoso como esse em que perdemos a menina Isabella, que eu não tive o prazer de conhecer pessoalmente, mas jamais saiu da minha mente... Embora seja pouco, muito pouco a condenação do pai - se é que se pode chamar um monstro como esse de pai, porque pai é quem cria, e não quem mata - e da madrasta... A morte seria pouco para esses dois. Pela primeira vez eu vi este país fazer justiça, sinal de que nem tudo está perdido. Mas tenho que tirar o chapéu para o advogado que defendeu o casal, porque não é fácil tentar convencer e transformar assassinos em pessoas de bem, e ainda injustiçadas, ou seja, transformar lobo em cordeiro. Mas Deus existe, tanto que colocou no júri pessoas inteligentes, sábias e honestas, assim como o advogado que abandonou a defesa dos Nardonis, e eles foram devidamente condenados. Parabéns, juiz e promotor deste caso.

Sheila Aparecida Ferreira Gonçalves sheilaaparecidaferreiragoncal@gmail.com

São Paulo

__________________________________

AVANÇOS NA JUSTIÇA

Recentemente, foram notados dois grandes marcos históricos na Justiça brasileira: a prisão de um governador acusado por corrupção e a condenação do casal Nardoni por homicídio hediondo, com base apenas em provas periciais, sem testemunhas. Apesar da lentidão do aparelho policial e judiciário, tais avanços decorrem da indignação lenta, porém constante da sociedade contra a impunidade, não obstante vozes se terem levantado contra o direito de opinião e de informação, creditando a punição à imprensa, e não à Justiça. São as mesmas vozes que calaram as informações sobre operações policiais envolvendo parentes do presidente do Senado e ainda buscam a manutenção perpétua do poder e dos benefícios da obscuridade e da ''censura prévia'' contra a luz da publicidade, principio básico da sociedade verdadeiramente democrática.

Edenilson Meira merojudas@uol.com.br

Itapetininga

__________________________________

CASAL NARDONI

Enfim, condenados. Pena que no Brasil não exista prisão perpétua, ou até mesmo pena de morte. Aí, sim, o brasileiro ia ver a justiça ser feita.

Hans Misfeldt hans.misfeldt@gmail.com

São Paulo

__________________________________

E SE FEZ JUSTIÇA

Os réus foram condenados a 27 anos e 31 anos de cadeia. Todos nós já sabíamos. O único que não acreditava na condenação era o advogado de defesa, que de forma oportunista e visando os holofotes da imprensa aceitou assumir um júri perdido, como ele mesmo admitiu. Como advogado, não aprovo nem concordo com essa postura de pouca ética.

Carlos Alberto Ramos Soares de Queiroz soares.queiroz@terra.com.br

São Paulo

__________________________________

ALMA LAVADA

Até que enfim o casal Nardoni foi condenado. O povo brasileiro lavou a alma. Que Isabella, um anjinho, esteja descansando em paz. Viveu pouco neste mundo. A tristeza é muito grande.

Paulo Dias Neme profpaulo@terra.com.br

São Paulo

__________________________________

CASO NARDONI

A partir de agora, o casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, nas silenciosas e solitárias noites dos próximos oito a dez anos em que terão apenas os travesseiros como seus fiéis interlocutores, deve reconhecer o estúpido crime cometido contra a menina Isabella e tentar se transformar em seres humanos, de modo que lhes reste um fiapo de esperança de conviver com a sociedade brasileira e, principalmente, com os dois filhos que lhes restaram, após o cumprimento de sua pena.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

COMPETÊNCIA E DIGNIDADE

Numa época em que assistimos com frequencia a demonstrações explícitas de exibicionismo, protagonizadas por notáveis membros de nossos tribunais superiores, merece elogios o comportamento discreto adotado pelo juiz Maurício Fossen durante o rumoroso julgamento do casal Nardoni. Sua Excelência conduziu os trabalhos com competência e dignidade, sem precisar pavonear-se diante dos holofotes. Oxalá seu procedimento sirva de paradigma para toda a magistratura, que está precisando restaurar o salutar princípio segundo o qual juiz só fala nos autos.

Cláudia Fernandes claufer2004@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

ALÍVIO

Imagino que o dr. Roberto Podval, advogado de defesa do casal Nardoni, quando viu que as provas não deixavam dúvidas, deve ter-se sentido aliviado com a sentença final.Com certeza os outros filhos estarão mais seguros com esse casal preso.

Cecília Centurion ceciliacenturion@globo.com

São Paulo

__________________________________

CPJ

Comissão de Constituição e Justiça no Congresso Nacional é uma farsa. Para julgar parlamentares deveria ser instituída uma CPJ, Comissão Popular de Jurados, sob a batuta do promotor Francisco Cembranelli e do juiz Maurício Fossen. Nenhum vigarista ficaria impune.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

__________________________________

MOTIVAÇÃO

Srs. membros da Justiça, desculpem uma perguntinha: qual teria sido a motivação para o casal matar uma criança inocente de apenas 5 anos de idade? Existe crime sem motivação? Isabella, o anjo de aparência tão meiga que comoveu todos até às lágrimas, teria provocado tanto ódio, inclusive do pai, a ponto de decidirem espancá-la, esganá-la, defenestrá-la? Não vale responder que foi um acidente, coisa que os senhores não abordaram durante o julgamento e que teria ensejado outro tipo de punição, não é mesmo?

Antonio do Vale adevale@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

PAÍS DA IMPUNIDADE

Com a condenação dos assassinos no caso Isabella e mais uma multa presidencial, a Justiça mostra que o País da impunidade pode, finalmente, estar ficando para trás. Enquanto isso, Lula continua debochadamente a promover sua cria antes da hora, mostrando que prefere o País da impunidade do jeito como era antes, ou até pior. O eleitor que decida!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

__________________________________

CONDUTA DO PROMOTOR

Lamentável a comemoração lúdica do ilustre promotor de Justiça Francisco Cembranelli, como se vê de foto estampada na primeira página do Estadão de sábado (edição de 1h30), ao sair do Fórum, com as pessoas sedentas por remeter às galés brasileiras o casal Nardoni, em razão da condenação em segregação social por tempo, inclusive, superior ao parâmetro máximo previsto no Código Penal brasileiro. A Justiça, ainda que em sede de Tribunal Popular, não se compadece com os atos públicos de fruição dos frutos das vitórias. Juízes, advogados e promotores devem pautar comportamento o mais discreto possível depois do encerramento de seus nobres misteres. Vitória ou derrota judicial não se comemora ou lamenta: absorve-se, como dizia o inesquecível processualista uruguaio Eduardo Couture, até porque, como advertiu o genial Carnelutti, o processo, em geral, está destinado ao fracasso, considerada a natural falibilidade humana e a impossibilidade de certeza absoluta na transposição da verdade real para a verdade formal dos autos e dos atos judiciários. Esperemos que eventual fato superveniente não transforme esse triste episódio em mais um "caso dos irmãos Naves" ou erros judiciários, tão férteis no relato das literaturas jurídicas dos povos cultos.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarrido@aasp.org.br

São Paulo

__________________________________

RESPEITO À LEI

A justiça venceu. Estão de parabéns a equipe de jurados, por entender as razões nas provas dos autos e da belíssima explanação do ilustre e inteligente promotor Francisco Cembranelli, o juiz na formulação dos quesitos, na ordem no tribunal, e toda a sociedade brasileira, que souberam dentro da lei, respeitar e cumprir a lei,.

Antonio Rochael Jr. antoniorochael@gmail.com

Iguape

__________________________________

NOVA ERA

Mais uma vez o nosso Judiciário, que parecia desacreditado, deu mostras de estarmos iniciando uma nova era, voltando aos velhos tempos, quando os seus representantes eram as autoridades mais respeitadas da Nação. Precisamos moralizar o nosso país, voltar às nossas origens, do Estado Democrático de Direito. Parabéns ao juiz dr. Maurício Fossen e ao promotor dr. Francisco Cembranelli, que conduziram com imparcialidade e serenidade um julgamento que chegou até a nos parecer que a arrogância, a petulância iriam sobrepor a lógica e a verdade. Foi feita a justiça! Nós, humanos e adultos, temos por obrigação oferecer às crianças o que há de melhor, com exemplos, educação e respeito àqueles que serão o futuro do nosso país. É preciso acabar com a impunidade, em todos os níveis, que assola a nossa sociedade.

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

PRESSÃO POPULAR

Nunca um julgamento paralisou tanto a Nação quanto este do casal Nardoni. Aonde se ia, o assunto era o mesmo. E as opiniões também eram idênticas: o casal era culpado e deveria ser punido. E a condenação deixou todos satisfeitos e sossegados, pois havia sempre a preocupação da impunidade dos réus. Acho até que não havia espaço para outro resultado que não fosse esse. A pressão popular foi intensa e decisiva no resultado. De parabéns o juiz que conduziu os trabalhos pela eficiência, determinação e imparcialidade.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

__________________________________

ESTRELAS DE TV

Inicialmente, gostaria de registrar a qualidade das reportagens e a costumeira imparcialidade, como de costume, do Estadão. Por outro lado, o que pudemos acompanhar do julgamento foi lamentável, o comportamento dos envolvidos como se fossem estrelas de TV, um querendo aparecer mais do que o outro. A estrela-mor foi o promotor dr. Cembranelli, posando e falando como se tivesse feito algo de extraordinário num caso em que os acusados já estavam condenados desde o início e quase acabaram sendo inocentados em razão do "espetáculo" que se tornou. O mesmo podemos dizer da polícia técnica, que teve uma postura um tanto sensacionalista e quase acaba descredenciando o bom trabalho. Do dr. Padvol nem se comenta, assumiu um caso perdido e não poderia esperar algo diferente, além de tudo, tentando mudar a possibilidade de uma terceira pessoa, acabou enterrando qualquer chance, mesmo que remota, de um resultado diferente. Muitos juristas dando declarações bombásticas, até apelando, numa atitude inadmissível para esses profissionais. A comunidade comportando-se como se estivesse num espetáculo, num jogo de futebol, fazendo de tudo para aparecer, desrespeitando a situação, que merece de todos o respeito. Não entendo o porquê de tanto sensacionalismo, o absurdo a que se chegou, enfim, quem pôde ''apareceu'' de uma forma ou outra. O único com postura digna foi o juiz dr. Maurício Fossen, em todas as suas interferências e num pronunciamento na decisão para ir para a História. Queira Deus que, mesmo nessa situação, o resultado tenha sido justo.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

__________________________________

CIRCO BIZARRO

Julgamento de assassinos não é final de campeonato. Mais uma vez, viu-se a montagem de um circo bizarro: famílias ''popstar'' (vítimas e criminosos), algazarras, fogos de artifício, ''t-shirts'' comemorativas... tudo a indicar o nível ético dos envolvidos. Como se estivessem vivendo dentro de uma novela de grande audiência, servindo-se de tragédias reais públicas (e muito publicadas) para promoção pessoal, todos almejam algum ''papel'' na trama, pode ser principal, pode ser coadjuvante (a preferência é pela vaga de ''mocinho'', mas ''vilão'' já é melhor que ''ficar de fora''). Agora, estão faltando convites da "Playboy". Pode ser que o pai de Isabella tenha mesmo atirado, covardemente, seu pequeno corpo pela janela, mas a sociedade em geral, na ''era Big Brother'', certamente jogou a sua memória no lixo.

Jorge João Burunzuzian burunlegal@hotmail.com

São Paulo

__________________________________

A CONDENAÇÃO

As provas de caráter circunstancial que foram suficientes para a condenação do casal Nardoni apresentam todos os requisitos legais, mas não possuem nenhum suporte lógico e não explicam o motivo do delito. Por isso acho possível imaginar o acontecimento como a seqüência de um ato inconsulto com desfecho trágico e uma tentativa de justificá-lo com uma encenação cruel. O ato que causou a tragédia pode ter sido uma reação desproporcional à sua causa. A culpa pode também ter sido de somente de um dos dois acusados e ter provocado no outro um estado de confusão mental capaz de gerar a trágica encenação que conhecemos e que uma confissão esclarecedora poderia tornar compreensível. Esta visão dos fatos não tornaria o casal inocente, mas esclareceria os acontecimentos, amenizaria o horror de um pai que mata a filha, determinando também conseqüências penais menos graves. Sempre dentro de um contexto baseado na lógica, tenho a impressão de que os argumentos escolhidos pela defesa não tinham nenhuma possibilidade de sustentação e foram prejudicias aos acusados. A Promotoria justificou suas acusações com uma sequência de provas técnicas que poderiam ser derrubadas somente com a confissão daquilo que realmente aconteceu.

Franco Magrini framagr@ig.com.br

Cachoeira Paulista

__________________________________

DÚVIDA

A justiça foi feita. Afinal, não restaram dúvidas quanto à autoria do crime. Mas algo preocupa o brasleiro comum, como nós. No caso Isabella, foram anos de pesquisa, busca de provas e mais provas e, afinal, a conclusão foi obtida sempre como probabilidade, já que não existiu nenhuma testemunha ocular. Tudo foi deduzido à custa de perícias muito complicadas, custosas, difíceis. E a sentença, então, foi justa. Tudo indica que não existiu mesmo uma terceira pessoa no local do crime. Tudo dedução, mas a pena é justa e legal, os criminosos devem permanecer presos , mesmo tendo direito a recursos. Mas uma dúvida fica: por que em outro conhecido caso, quando não faltaram testemunhas, o criminoso foi condenado, mas nunca esteve preso? Quem já se esqueceu do caso Pimenta Neves? A justiça é feita num caso e não em outro? Quem explica?

Plínio Zabeu pzabeu@uol.com.br

Americana

__________________________________

BENEFÍCIOS PARA OS CONDENADOS

Assim que o juiz deu o veredicto condenando os culpados pela morte da menina Isabella, a defesa do casal Nardoni já falava em benefício para eles na prisão. Quando eu era criança e morava na fazenda, quando chovia eu fazia uma espécie de caixote de barro e dentro dele colocava escorpiões, lacraias, aranhas e lagartas-de-fogo. Depois de algumas horas, quando abria o caixote, só um deles estava vivo. Não entendo por que a Justiça insiste nessa questão de separação de assassinos na prisão ou de celas especiais para alguns. Se colocassem todos num cercado e deixassem lá por um tempo, aposto que esses bichos inspirados na idéia de matar iam pensar duas vezes antes de tirar a vida de uma criança. Esses desafeiçoados às leis morais e sociais logo iriam saber quanto vale uma vida. Se fosse assim, esses monstros iam pensar duas vezes antes de praticar um atentado brutal, com requinte de perversidade, como este que tirou a vida dessa menina.

Francisco Ribeiro Mendes frmendes@correioweb.com.br

Brasília

__________________________________

CENSURA AO ESTADÃO

A repercussão do julgamento do casal Nardoni foi imensa, já que a subtração da vida de uma criança indefesa pela violência de seus guardiães, algo hediondo, realmente choca a população. Mas é lamentável que, quando a vítima é a nossa democracia e nos tribunais seus opressores são protegidos, não haja, por parte desta mesma população e da mídia, manifestações de repúdio de intensidade semelhante às do assassinato de Isabella. Vide o caso do Estadão.

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br

Marília

__________________________________

CAMPANHA ELEITORAL ANTECIPADA

O presidente Lula persiste em fazer campanha eleitoral antecipada, juntamente com sua candidata Dilma, para o Planalto, desafiando e provocando o Tribunal Superior Eleitoral, com o seu comportamento irresponsável e debochado diante das plateias nas cerimônias de inaugurações de obras, a maioria inacabadas. Dá a entender que o nosso presidente está acima de tudo e da lei. Mas o que está faltando é que um partido de oposição dê um basta nessa ilegalidade, fazendo uma acusação formal contra o presidente e sua candidata por abuso de poder político, a fim de puni-los com a inelegibilidade e a cassação do registro da ministra candidata à Presidente da República. Será uma medida moralizadora.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

__________________________________

PESQUISA CAI NA REAL

Nove pontos de diferença marcam liderança incontestável de Serra (pesquisa Datafolha - 27/3). Foi só o governador de São Paulo confirmar sua candidatura para o eleitorado brasileiro demonstrar sua real intenção de voto.

Essa pesquisa ainda não reflete o mal-estar petista com as multas recebidas por Lula do TSE. E tampouco da apatia nos discursos de Dilma Rousseff.

Pior ainda para as pretensões dos alojados no Palácio do Planalto é que José Serra está inaugurando as mais importantes obras da sua gestão. Como a nova Marginal do Tietê, o Rodoanel Sul, a interligação da Avenida Jacu-Pêssego com a Carvalho Pinto - Zona Leste - e estações do Metrô, entre outras.

Neste momento o céu não é de brigadeiro para Lula e Dilma. E com todos estes fatos é possível até que o Aécio declare seu interesse em ser vice de Serra! E por que não?!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

__________________________________

TRATO PÚBLICO

A maneira como o sr. José Serra tem tratado aqueles que tratam e cuidam do povo bandeirante remete-nos a uma dúvida interessante e a uma indagação pertinente: será que esse governante deseja de fato tornar-se presidente da República Federativa do Brasil? Será mesmo?

AURÉLIO DA SILVA BRAGA branco.braga033@gmail.com

Bauru

__________________________________

JÁ VAI TARDE!

Vai, José ''Nosferatu'' Serra... Vai e já vai tarde mesmo! Para quem não paga precatórios devidos e disso se orgulha, e ainda por cima escorraça seus próprios policiais civis, já vai tarde mesmo e tomara que não volte nunca mais!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

__________________________________

ALIANÇA PSDB-DEM

Excelente a chapa Alckmin-Afif para disputar o Palácio dos Bandeirantes! Ambos são homens públicos exemplares que terminam por se completar nesta aliança PSDB-DEM.

Agora resta ao PSDB e ao DEM fechar o vice de José Serra, caso não consigam demover Aécio Neves da idéia de concorrer ao Senado, pensando em três nomes em potencial e um quarto a ser sacrificado na corrida estadual. São os três primeiros nomes os senadores Heráclito Fortes (DEM-PI), Tasso Jereissati (PSDB-CE) e José Agripino Maia (DEM-RN). Por último, a sacrificar a disputa pelo Palácio de Ondina, seria o ex-governador da Bahia Paulo Souto (DEM-BA).

Frederico d''Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

__________________________________

TRÊS PONTOS

Na pesquisa Datafolha, Serra abre 9 pontos sobre Dilma! Podem esperar que os ''professores'' em greve vão recrudescer e tentar que o Serra leve pelo menos três pontos na cabeça. Lembram do Covas?

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

__________________________________

ESTRANHO

O PT tem uma história marcada pelo desrespeito à lei. A manchete da edição de sábado (26/3) do Estadão denuncia: ''Lula ignora TSE e usa tom eleitoral ao lado de Dilma''. Não acontecerá nada? Quem ganha com esse deboche à magistratura brasileira? Quanto ele custa? Ao perguntarmos ''que país é este?'', a resposta estará clara para outras duas perguntas: ''Que polícia é essa?'' e ''que Justiça é essa?''.

Mocyr Castro jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

__________________________________

SERRA X DILMA

Foi com enorme satisafação que soube que pela última pesquisa de intenção de voto do Datafolha, realizada entre os dias 25 e 26 de março, Serra abriu novamente boa vantagem sobre a nefasta e terrorista Dilma. Agora, sim, as coisas vão entrar nos eixos com a lógica funcionando e uma terrorista sendo alijada do poder e com ela o partido mais corrupto que até hoje governou o País.

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

VACA VOADORA

Acho que, com a nova pesquisa eleitoral efetuada pelo Datafolha, a ''pressão arterial'' do presidente Lula deve estar por volta de 36 x 27, o que demonstra que a vaca já está

tossindo, só falta voar.

Álvaro Cavalcante Bezerra alvarobezerra@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

PESQUISAS E CANDIDATOS

Nove pontos de vantagem para Serra na pesquisa Datafolha, mesmo sem fazer propaganda antecipada, como faz o inventor da outra candidata, já multado duas vezes, por enquanto. O currículo do Serra é muito melhor: nos cargos executivos que ocupou não tem mensalões, nem outras acusações na sua ficha, foi o criador dos genéricos, não troca a obrigação por viagens de propagandas eleitorais e, principalmente, já provou ser administrador competente. E a adversária o que provou até hoje? Qual o seu currículo? O script do PT é muito blablablá, muita politicalha, pouco trabalho, muitos gastos com a máquina pública, beneficiar companheiros e sindicalistas. Do emPACado-1 só 11% foram realizados, mas vem aí o emPACado- 2, o Minha Casa, Minha Vida-2, o pré sal-2? Como ela não tem a oratória do "cara" para enganar os desinformados, esperar o quê?

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

__________________________________

PRECISAMOS DE ESTADISTAS!

Os pré-candidatos a presidente da República nas eleições de 2010 - Serra, Ciro, Marina, Dilma - são insossos, não nos dão esperança de dias melhores. O nosso Brasil está no mato sem cachorro. Precisamos de estadistas!

Fraterno Maria Nunes fraternomarianunes@gmail.com

Campo Mourão (PR)

__________________________________

NO PASSADO

O ESTADO DE SÃO PAULO - ESPAÇO ABERTO - Terça-feira, 29 agosto de 2006

Custo crescente de energia

Mantidas as atuais condições legais com respeito às restrições ambientais para construção de usinas hidrelétricas, o Brasil poderá verificar mais adiante que perdeu de vez o bonde do desenvolvimento econômico. Os custos de energia elétrica serão restritivos ao referido crescimento. Hoje, somente a Aneel e a Eletrobrás são capazes de avaliar que mudanças de legislação devem ser pleiteadas para solucionar o possível futuro sombrio para o País sem energia suficiente para crescer e, assim, preservar o bem-estar dos brasileiros.

ATUALMENTE:

Preço máximo no leilão de Belo Monte

A matéria ''Belo Monte pode ter tarifa mais alta'' à pagina B3 da edição de sábaso (27/3) confirmam preocupações antigas deste leitor. Minhas preocupações antigas com respeito à completa desorganização a que o ''Setor Elétrico do Brasil'' vem sendo submetido, em função de politização de sua direção e da legislação vigente sobre Meio Ambiente e ainda resultado do desinteresse de seus dirigente em lutar por mudanças, trará ainda grandes prejuízos ao povo brasileiro. Deveriam tanto dirigentes como ambientalistas buscarem informações no Canadá, onde os indígenas se convenceram de que é melhor sair da ''idade da pedra'', como querem varias ONGs e o SIMI que os mesmos permaneçam, mas sim participar dos lucros da exploração de usinas hidrelétricas instaladas em suas terras (que não são bem deles, são da República Federativa do Brasil) e mudar de vida para muito melhor participando efetivamente da sociedade brasileira onde vivem.

Walter Coronado Antunes, ex-secretário de Estado de Obras e do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (incluindo Energia e Saneamento) w-coronado@uol.com.br

São Paulo

__________________________________

PADRES PEDÓFILOS E O PAPA

Não é de se extranhar a posição do papa Bento XVI frente aos padres pedófilos desde os tempos em que era arcebispo de Munique. Veja-se que mesmo agora, como papa, apresenta grande resistência a punir severamente os membros do clero que cometem esse tipo de crime, prestando tão somente pedidos de desculpas às vítimas. Deve ser levado que nunca passará desses pedidos de desculpas enquanto subsistir na Igreja Católica o absurdo, o nefasto instituto da INDULGÊNCIA, concedido a todos os católicos e, com maior razão, aos padres, mediante simples arrependimento, confissão e cumprimento da pena imposta, normalmente rezas. E isso mesmo no caso de crimes hediondos como o estupro, pedofilia, etc.

Ruy Rodrigues Nolf ruynolf@yahoo.com.br

Santa Branca

__________________________________

COMO ENTENDER?

Fiquei abismado vendo pela TV o bispo de Santo Amaro e o padre Marcelo, numa alegria incontida, abençoando uma casa de jogos que já arruinou muitos pais de família (Jockey Club de São Paulo) e, para arrematar a bobagem, promovendo a terrorista e guerrilheira que pretende ser presidente da República. Vou consultar uma sinagoga ou uma mesquita para saber se me aceitam lá. Ao menos me parecem mais sérios

Alexandre Nacca Netto a.nacca@ig.com.br

São Paulo

__________________________________

ELENCO GRANDE DO CORINTHIANS

Ou o presidente do Corinthians nada entende de futebol ou, então, pensa enganar a torcida quando declara que o clube tem um elenco grande. O problema é ele não saber a diferença entre quantidade e qualidade.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

__________________________________

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.