Cartas

   

, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2010 | 00h00

 

ELEIÇÃO 2010

Dito e não dito

O presidente Lula disse em alto e bom som: "Não podemos ficar subordinados ao que um juiz diz que podemos fazer ou não", referindo-se às regras eleitorais. No dia seguinte se arrependeu e, em vez de pedir desculpas, fez o que é de seu feitio: disse que nada falou contra o Poder Judiciário, mas contra os partidos políticos. Ter um homem com esse caráter na Presidência da República já cansou. Que vá para a ONU, para o Banco Mundial ou qualquer outro lugar, mas não fique no Brasil, sr. Lula da Silva.

PAULO SERODIO

pserodio@uol.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

Elle vai continuar a desrespeitar as leis e a tirar sarro do Tribunal Superior Eleitoral. As multas recebidas por campanha antecipada, de tão irrisórias, são incentivadoras. Então, fica combinado: o "cara" inventa qualquer festinha, dentro ou fora do expediente, põe a marionete no palanque e depois já manda um motoboy levar R$ 10 mil "pros home".

AGNI ARIEL LÍBERA

agni@vivax.com.br

Bragança Paulista

_______________________________________________________________

Respeito

Para os 20% que não aprovam o governo Lulla, foi de lavar a alma o discurso limpo, correto e coerente de José Serra ao se lançar candidato à Presidência nas eleições 2010. Depois de oito anos ouvindo bravatas, contradições e assistindo à falta de respeito às leis, podemos dizer que o Brasil ainda tem jeito. Tenho esperança de que o País cresça dentro dos princípios básicos que fizeram com que outros países se tornassem hoje grandes potências mundiais. Entre os pilares desse crescimento estão as leis, que devem ser cumpridas para que haja respeito entre a população.

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

Histórias da carochinha

Quase oito anos de metáforas do presidente Lula foram mais do que suficientes para encher nosso cérebro de fantasias. Essa de "lobo mau em pele de cordeiro" de Dilma Rousseff nos faz lembrar a história de Chapeuzinho Vermelho. Na minha modesta opinião, tanto Dilma quanto Serra já passaram da idade para representar esses papéis. O que esperamos dos candidatos são discussões e debates sérios sobre ética e reforma política, segurança, educação, saúde, saneamento, combate às drogas, eficiência e competência na administração pública, reforma tributária, transporte público e sobre tantas outras questões que nos afligem. E que deixem as histórias da carochinha para ninar seus netos.

EDUARDO JOSÉ DAROS

daros@transporte.org.br

São Paulo

_______________________________________________________________

Distantes

Discordo da semelhança entre PT e PSDB apontada por Gaudêncio Torquato em PSDB e PT, olhos da mesma cara? (11/4, A2). Penso que as diferenças já não são tão grandes como no passado, mas, entre outras diferenças, patrocinar o MST, a falta de infraestrutura e as seguidas tentativas de limitar a liberdade de imprensa no Brasil tornam os dois partidos bem distantes.

CARLITO SAMPAIO GÓES

carlitosg@estadao.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

BELO MONTE

Fundos de pensão

Mais uma vez a Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil e feudo do PT, está sendo convocada para se associar a um arriscado empreendimento do governo federal: a construção da Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. E será posta no meio de uma brigalhada entre as construtoras e o Ibama. Tudo em razão de o seu rico patrimônio exercer um enorme fascínio sobre gregos e troianos. Basta ver o apetite do Banco do Brasil, intitulado patrocinador, que, ao arrepio da lei e para engordar o seu balanço, se apossou de parcela do superávit do fundo, que beirou quase R$ 3 bilhões neste exercício. É para preocupar os seus assistidos...

WALTER GONÇALVES

waltergoncalves@skydome.com.br

Rio de Janeiro

_______________________________________________________________

É bom lembrar que a Previdência Social está falida por ter financiado Itaipu, Transamazônica, etc. Se os fundos de pensão das estatais forem usados em Belo Monte, nem é bom pensar no futuro dos aposentados e pensionistas.

ALAN KARDEC DE A. CARVALHO

akjatai@yahoo.com.br

Uberlândia (MG)

_______________________________________________________________

Tendência mundial

Pelo mesmo preço de Belo Monte, ou até por menos, dá para construir usinas nucleares de última geração, atendendo a todas as exigências ambientais, absolutamente seguras, não poluentes, mais próximas dos centros consumidores e com possibilidade de queima de grande parte do lixo atômico remanescente.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

_______________________________________________________________

JUSTIÇA

O furor da turba

O artigo Clamor popular faz justiça?, da professora Flávia Nascimento (8/4, A2), é merecedor da maior e mais profunda reflexão quando, de um lado, aponta a gravidade do comportamento da massa ensandecida reunida em frente ao Fórum de Santana por ocasião do julgamento dos Nardonis e, de outro, a omissão das autoridades em proteger os familiares do casal e seu advogado das agressões cometidas. O mau agouro para o futuro da sociedade é prever que um padrão de justiça sumária possa ser institucionalizado em nome da luta contra a impunidade, celeridade na aplicação das penas, etc. Mas a articulista se equivoca quando confunde os traços fascistas que identifica no comportamento de certas pessoas com a instituição do júri popular, cujas raízes não estão, ao contrário do que afirma, na revolução burguesa de 1789, e sim na Inglaterra medieval, de João sem Terra, na ideia do julgamento do cidadão pelos seus pares. De fato, há controvérsias em torno da instituição. Todavia, entre erros e acertos - que a Justiça togada, dita técnica, também ostenta -, ainda não se inventou uma instituição mais democrática que o júri. Capaz de absolver reconhecendo avant la lettre a inexigibilidade de conduta diversa, como no caso do pai que mata o estuprador da filha, ou de condenar, como no caso do coronel que comandou a chacina do Carandiru, mas foi absolvido pelo Tribunal de Justiça. Enfim, prós e contras que as diferentes instituições da Justiça apresentam, mas que nem de longe podem ser confundidas com o furor da turba.

ALBERTO ZACHARIAS TORON, advogado criminalista

aztoron@terra.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

     

Você no estadao.com.br

Total de comentários no portal: 2.602

Tema do dia

Serra prega união e lança candidatura

Serra não deixou de lado ataques indiretos ao presidente Lula e a sua adversária, Dilma Rousseff

"A mídia conservadora bateu bumbo na tentativa de tornar o lançamento oficial da candidatura de José Serra um fato político novo no cenário"

GUSTAVO COUBERT

"Chega desse discurso falido de pobre contra rico, de nordestino contra paulista, de elite contra trabalhador. Isso não cola."

JOÃO TORRES

"O discurso do Serra fala da capacidade e da história de alguém que tem potencial."

VANDERLEY PAULINO

 

 

_______________________________________________________________

 

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o Estadão.com.br

TRAGÉDIA ANUNCIADA

De quem será a culpa de tantas morte no Rio de Janeiro, a de se perguntar com tanto dinheiro que receberam durante décadas do royalties do petróleo, além dos impostos , daria para ter acabado com todas as favelas, só para ter uma comparação o Rio ganhava 78 vezes a maior mega sena acumulada do Brasil por ano.Eu tenho a impressão que daria para terminar com todas as favelas e ainda sobrar para fazer o carnaval.Porém não fizeram nada para mudar o quadro de miséria, invasão e desmoronamentos mais de 200 mortos quanta dor que poderia ter sido evitada. Para onde foram todos estes milhões? Agora aparecem os políticos para se mostrarem preocupados.Mas durante tantas décadas eles não fizeram nada, e mesmo hoje ninguém vai assumir sua cota de culpa.

Reginaldo de Paula reg.paula@hotmail.com

Campinas

_______________________________________________________________

UM PAÍS EXPOSTO

Hoje o mundo está encantado com nosso pais,o Brasil está na moda,onde tudo acontece,sem crises,que nos próximos anos será a terceira economia do planeta ,membro da Opep,onde jorram investimentos estrangeiros e nacionais,a riqueza aumenta,o consumo cresce e até já emprestamos dinheiro para o FMI... Mas nesta semana assistindo os noticiários pela TV mostrando que na região mais rica do pais,ex Capital Federal,batizada e louvada como a Cidade Maravilhosa,uma profunda tristeza e decepção me abate. A tragédia exibida escancarou e desvendou um continuo e insensível desprezo com o nosso povo ,o que me leva a responsabilizar todos governantes que após a redemocratização do pais somente souberam manobrar e festejar a pobreza e a miséria para atingir seus objetivos eleitorais. Urbanizaram favelas,implantaram favela bairro,construíram em grotões encostas e em áreas de proteção a mananciais,nas margens de córregos que são verdadeiros esgotos a céu aberto,jogando comunidades inteiras em cima até de aterros sanitários. Nas tomadas de vista aérea a paisagem das favelas debruçadas e encravadas nos morros tornaram se também cartões postais do Rio de Janeiro,desbancando ate o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar mas quando vemos de perto a vida de seus moradores nas ruas e barracos constatamos que uma politicalha irresponsável e descabida construiu sim um grande lixão humano e hoje assistimos um cenário dantesco,com mortos,feridos e cicatrizes expostas de humildes famílias desassistidas dizimadas por esta chacina deflagrada pela incompetência e descaso de Prefeitos,Governadores e Presidentes...

Sergio D"Ávila samvilar@uol.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

O CAOS SE REPETE

Um dos jornais do Rio de Janeiro divulgou a tragédia com o título de ''tempestade assassina''; o governador disse que a culpa é das pessoas que ocupam as áreas de risco, enfim, cada um se justifica como pode para o caos que se repete. A tempestade não é assassina, assassinos são os políticos do poder público que não fiscalizam e nem removem famílias das áreas de risco por medo de perder votos. Em Niterói, a prefeitura até pavimentou o Morro do Bumba, local em que já morreram mais de trinta pessoas em três dias de desabamentos. As enchentes nos grandes centros, onde milhares de pessoas sofrem prejuízos com a invasão das águas, são consequências da falta de manutenção (limpeza) nas tubulações e nos ralos, que entupidos provocam as enchentes. Esta história se repete a cada ano! Afinal, pra onde vai o dinheiro dos impostos (uma das maiores taxas tributárias do mundo) e dos royalties? Para o caixa 2 da campanha política ou para os bolsos dos corruptos? Estes são os verdadeiros assassinos dos pobres que morreram na tragédia.

Abílio Teixeira abilioteixeira@bol.com.br

Brasília

_______________________________________________________________

TRAGÉDIAS E CUSTO BRASIL

Muito se discute no momento as tragédias que vem ocorrendo em função das chuvas. Mas as tragédias que não circulam pela mídia são diárias. Quantos morrem em hospitais públicos pela ineficiência de tratamento? Quantos morrem em acidentes nas ruas e estradas diariamente? Quantos são assassinados cruelmente todos os dias pelos bandidos? O País é um ''rico pobre'', pois arrecada uma barbaridade, mas a máquina pública devora os recursos de maneira impiedosa pela folha salarial, excesso de municípios, vereadores, deputados estaduais e federais, senadores, gabinetes super lotados de pessoas que nada fazem pela nação. E a corrupção? E as obras públicas com preços exorbitantes e mal elaboradas? Como nem o projeto de ''ficha limpa'' passa pelo Congresso, é inimaginável acreditar que as reformas realmente necessárias e que colocaria o País rumo ao primeiro mundo sejam aprovadas. É uma pena que uma Nação com tantas chances de ter toda a população inclusa socialmente, viva em solavancos permanentes, e o crescimento contínuo nunca ocorra. Infelizmente para a maioria dos brasileiros, a cidadania tem como significado torcer pela Seleção Brasileira em época de copa do mundo, quando na verdade ela deveria ser exercida com responsabilidade nas eleições. Por isso é que as ''tragédias'' continuarão acontecendo sempre, e o clima será o eterno responsável.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

_______________________________________________________________

JUIZES BONZINHOS

Quando Lula disse que esta seria uma eleição fácil ''com o time que está em campo'', talvez estivesse e referindo aos juízes eleitorais bonzinhos e dóceis a ele, que aplicam multas de R$ 5 mil para flagrantes ilegalidades. Convenhamos que R$ 5 mil para o PT é dinheirinho de pinga, e os sindicatos já se comprometeram a pagar esta e outras multas que o TSE possa aplicar a Lula ou a Dilma. Multas ''baratinhas'' não chegam a ser uma punição, de fato. Não por acaso, Lula da Silva reincidiu e continua reincidindo na mesma falta, muito à vontade, debochando daqueles juízes. .

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

_______________________________________________________________

LULETAS E QI

Quando uma grande empresa, focada em resultados e satisfação dos clientes, vai trocar o Presidente, analisa profundamente os currículos, a experiência e cargos ocupados anteriormente, folha corrida, ficha limpa, consulta as empresas em que já trabalhou e pede sua avaliação de desempenho de cada um dos candidatos antes de se decidir. Os despreparados e mal avaliados só são escolhidos pelo famoso QI (Quem Indica). Quem depender de Luletas (QI) para se movimentar, tomar iniciativas e resolver os problemas para a empresa progredir , obviamente não está capacitado porque, sem as Luletas ficará imóvel.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

_______________________________________________________________

ATO FALHO?

A pré-candidata à Presidência, sempre afeita a atos reprováveis, tentou roubar o apoio do governo mineiro ao pré-candidato Serra. Ao propor, de uma forma tão vergonhosa, a chapa ''Dilmasia'', e já que é uma dependente física e mental de seu chefe, deveria sugerir ''Dilmazia''. Tomou a resposta, mineiramente elegante, dobradinha para presente, que mereceu. (A8 -09/04).

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

POLÍTICA DEBOCHADA

A meta dos políticos de hoje é debochar de suas próprias figuras ridículas e acafajestadas, No executivo, Lula debocha das leis e do judiciário, dando mau exemplo aos cidadãos de bem, cônscio de suas responsabilidades perante as leis; no legislativo, debocham do eleitor desviando e protelando projetos, como o da "ficha limpa", invocado por 1milhão e 600 mil assinaturas de eleitores. O que os integrantes desses dois poderes esperam, como resposta, do povo, se não um voto negativo em outubro? É a desfaçatez de um regime de anarquia rasgada, de despudor e de amoralidade, fantasiado de "democracia" - este sim, "lobo com pele de cordeiro", como tanto se rejubilou Da. Dilma Rousseff.

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

_______________________________________________________________

ATITUDE DE PRESIDENTE

Na festa de lançamento da pré-candidatura do ex-governador José Serra (PMDB), a presidência da República em Brasília, na ocasião da palestra Serra disse: O Brasil não tem dono e afirmou: "Não aceito o nós contra eles", em seguida Lula ironizou o slogan de Serra e diz fazer mais. Veja a comparação dos discursos de ambos. Isso não é novidade, Lula sempre não dizia publicamente que o pobre é pobre por culpa das elites? Onde já se viu um presidente jogar uma classe de encontro à outra. É justo?

Aquino Junior aquino.junior@ig.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

ENFIM...

Até que enfim o ex-governador José Serra se definiu. Será um dos candidatos a sucessão do desgoverno Lula. Porém, ainda não foi possível os brasileiros chegarem a uma conclusão que somente o próprio candidato poderá esclarecer, se José Serra será candidato da oposição ou da situação? Se responder afirmando ser da oposição, é evidente que não assumirá os erros do governo anterior. Afirmando esta possibilidade, o seu possível governo fará uma grande auditoria do ex-governo Lula, sem perseguições, dos seus atos lesivos a Nação, como: Entrega da Refinaria da Petrobrás à Bolívia, dívida do Equador com o BNDS, quebra do contrato de Itaipu com o Paraguai, empréstimo a Venezuela e também a Cuba sem nenhuma perspectiva de retorno e muitos outros atos? Todas essas medidas tomadas como se o Brasil fosse dele e do Partido dos trabalhadores (PT), tudo isto em detrimento do país e da sociedade brasileira que se vê preterida pelo governo Lula nas suas necessidade prementes, como: Socorro as diversas catástrofes no Brasil, Saúde, educação, segurança, transporte e etc. e, evidentemente uma postura de críticas aos erros cometidos neste governo que pensa ser dono do Brasil. Se nada disto acontecer na campanha ou num possível governo, caso vença, fica claro seu vínculo com os atuais administradores públicos na União que pensam serem os donos do Brasil.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

DISCURSOS DE CAMPANHA

É inevitável que se faça a comparação entre os discursos de Dilma e Serra. O tucano desconstruiu o tal debate plebiscitário imposto por Lula com uma frase:''quanto mais mentiras os adversários disserem sobre nós, mais verdades diremos sobre eles''. Dilma , por sua vez entendeu que aceitar o debate sobre ética é simplesmente garantir aos seus ouvintes que '' não vai usar de meios desonestos para obter votos''. Isso dito por quem mentiu até sobre dados de seu diploma...tenha dó! Para quem gosta de ouvir ''abobrinhas'' e sonecar ao som de uma voz quase monocórdica, o discurso de Dilma ontem no ABC foi servido num prato fundo e cheio até a borda.

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

_______________________________________________________________

FICHA IMUNDA

O arquivamento do ''Ficha Limpa'', é a prova cabal de que estamos nas mãos do crime organizado, da súcia, do bando de malfeitores que não são patriotas, não querem o aperfeiçoamento democrático, são falsos brasileiros, nada querem para o bem do Brasil, mas somente para suas quadrilhas organizadas que vivem à custa da pobreza do povo brasileiro. Oh! grande Deus, mande-nos equações políticas justas e homens ideológicos e patriotas de grande caráter para suplantarmos esse problema para que possamos fazer ablação desse câncer incrustado no congresso nacional e demais instituições para darmos às gerações vindouras um país desenvolvido e livre de tanta indignidade, safadeza, hipocrisia, mentiras e traição ao povo brasileiro e, consequentemente, comprometendo o futuro do País, pois, diante de outras nações de primeiro mundo, estamos rastejando, uma vez que nem mesmo temos uma Internet rápida de banda larga que tivesse condições de baixar um filme de 2 horas em 12 segundos., como tem hoje a Coreia. Por quê? Por que aqui se arquiva projeto de Ficha Limpa para continuar-se elegendo fichas imundas, ou seja: criminosos. Aonde vamos parar?

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

_______________________________________________________________

VESTIU A CARAPUÇA

Quando o deputado do PT José Genoino critica o projeto Ficha Limpa,veste a carapuça,pois é o maior interessado que o mesmo naufrague, haja vista,sua ficha não ser nada limpa,com os escândalos protagonizados pelo PT,seu partido! Que moral tem os deputados José Genoino (PT) e Silvio Costa (PTB) para criticar o projeto Ficha Limpa? Nenhuma!,pois Jose Genoino é suspeito de envolvimento no Escândalo do Mensalão Petista e o filho de Silvio Costa,Silvio Costa Filho é suspeito de superfaturamento e de indícios de shows fantasmas quando Secretário de Turismo de Pernambuco! Se os nobres parlamentares tivessem tanta certeza de sua integridade moral e honestidade,com certeza seriam os primeiros á defenderem este projeto,não à criticarem.

Lauro Fujihara laurofujihara@terra.com.br

Carapicuíba

_______________________________________________________________

CAOS NA MORALIDADE

Eu, cidadão brasileiro, aposentado por tempo de serviço - recebendo menos do que 5 salários mínimos, mesmo tendo contribuído durante os últimos 25 anos com o teto máximo estabelecido pelo INSS, ainda contribuinte do Imposto de Renda na Fonte (não sabia que aposentadoria do trabalhador é renda - a dos senhores deputados, senadores, e outros políticos que ganham mais de uma aposentadoria deve ser renda mesmo), considerando que: 1) O dinheiro da minha contribuição, e a de milhares de trabalhadores e empresários, é usado para fins eleitoreiros, para o enriquecimento ilícito de todo os políticos, enquanto a população sofre com as recentes tragédias, sem o devido repasse das verbas para este fim ; 2) O senhor que está presidente e sua família, incluindo seus "ministros" fazem uso do cartão corporativo de forma voraz e sem comprovação, dilapidando o erário, buscando, apenas e tão somente, a sua satisfação pessoal e financeira, em detrimento da população; 3) A falta de política séria para a mudança do quadro atual de desemprego, para o investimento nas áreas da saúde, educação, segurança e infraestrutura; 4) A falta de políticos que realmente se interessem pelos problemas das pessoas que os elegeram; 5) A quantidade de pessoas públicas que se locupletam com os mensalões, dólares nas cuecas, nas meias, e outras falcatruas já denunciadas, comprovadas, mas sempre desmentidas e não punidas, inclusive pelo senhor que está presidente; e 6) O senhor que está presidente, deslumbrado pelo poder, continua a fazer troça das leis, quando pratica propaganda eleitoral ilegal, buscando a eleição de sua predileta, cujo passado não é diferente de qualquer delinquente comum, incluindo troca de nome, assaltos, assassinatos, com o objetivo de transformar o Brasil em uma "democracia cubana". Chego à conclusão de que Arnaldo Jabor está definitivamente correto, quando escreveu: "A democracia no Brasil é uma ditadura de picaretas". É uma pena que não posso pedir todo o meu dinheiro que foi surrupiado pelo desgoverno atual durante estes quase 8 anos. Eu, certamente, faria melhor uso para minha família. Também lamento que as próximas eleições não permitam o descarte dos "fichas sujas" de todos os partidos, dos mensaleiros e companheiros sindicalistas, dos PeTralhas e seus comparsas. Pobre Brasil.

Claudio D. Spilla Claudio.Spilla@CSpilla.org

São Caetano do Sul

_______________________________________________________________

REAJUSTE DOS APOSENTADOS (7,71%)

No dia 6/4/2010, TCU aponta fraude R$ 65 milhões em salários do TJ - DF. Mensalão, Arruda, Sarney e família, etc. e o nosso ''queridíssimo'' Exmo. presidente alega não haver verba para este reajuste e pede que indiquem como e de onde tirar esse dinheiro... O sr. tem memória curta, presidente ( lógico, quando lhe convém).

Mário Márcio Gonçalves Granero mariogranero@gmail.com

São Paulo

_______________________________________________________________

LULA E O IRÃ

O sempre equivocado e mal assessorado em política internacional, Lula da Silva, enquanto afirma sem vergonha nenhuma na cara, dizendo que ''conversará com o Irã até o ultimo minuto'' (sic!) sobre questões nucleares, está na verdade levando até o ultimo minuto talvez a maior ameaça a paz mundial entre as nações do planeta desde o advento do facínora genocida Adolf Hitler. De Garanhuns para o mundo, passando pelo sindicato em São Bernardo, a verdade é que faltou e ainda falta escola, experiência, honestidade e humildade onde sobeja o pior oportunismo ideológico já visto na Presidência da República do Brasil. Essa nação e os brasileiros, infelizmente é que pagarão em ultima analise por terem votado e votarem ainda hoje tão mal...

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

_______________________________________________________________

O ASSESSOR E O MINISTRO

Justamente considerado o operador do direito mais importante no último ano, o Ministro Gilmar Mendes, Presidente do Supremo Tribunal Federal, acumulou amplos méritos que justificam o título, veiculado pelo periódico especializado ''Consultor Jurídico'', cuja seriedade e independência ninguém põe em dúvida. Notibilou-se pela defesa intransigente dos direitos dos processados, segundo os parâmetros traçados pela Constituição da República, que lhe cabe defender, juntamente com seus dez colegas da Suprema Corte, ainda que a custos elevados, junto à opinião pública, e sob ônus de conflito lamentável no âmbito interno do próprio Tribunal. Tendo cumulado seu cargo ao de Presidente do bravo Conselho Nacional de Justiça, não ficou na mídia, mas visitou os judiciários de quase todos os Estados Brasileiros, numa tarefa que, à primeira vista, pareceu quixotesca ou, no reino da mitologia, à interminável e impossível jornada de Sísifo. Resultado: a montanha pedregosa de um judiciário dos mais lentos do mundo se moveu, segundo afirmou a mencionada publicação, em seu anuário de 2010, embora vertendo sangue, suor, lágrimas e larvas vulcânicas ameaçadoras. Mas, ao obturar a indesmentível campanha eleitoral intempestiva e inconstitucional do Presidente Lula, recebeu do ilustre assessor da Presidência, Marco Aurélio Garcia, a censura descabida de que ao juiz somente cabe falar nos autos. Essa restrição é pertinente aos juízes em geral, porém não pode inibir a ação de um dos Chefes dos Três Poderes da República, sob pena de desequilíbrio no sistema de pesos e contrapesos, sistema de governo controlado e compartilhado, desenvolvido por Montesquieu, com raízes em Locke, certamente o mais espraiado, sólido e duradouro princípio das repúblicas democráticas de todo o Mundo. Fala - e como - o Chefe do Executivo e o do Legislativo. Não pode falar, entretanto, o Chefe do judiciário, não enquanto juiz a prolatar um despacho ou sentença, mas como o representante de um dos Poderes. O assessor, já notabilizado por suas joias, deveria, antes de falar, refletir, como dizia o mesmo Montesquieu, que também acrescento a seus profícuos pensamentos: ''A sutileza do pensamento consiste em descobrir a semelhança das coisas diferentes e a diferença das coisas semelhantes''.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

_______________________________________________________________

"MUITO MAIS QUE PEDOFILIA"

Venho cumprimentar o ESTADO pela publicação de excelentes artigos sobre casos de pedofilia na Igreja Católica. Tanto o artigo de Carlos Alberto Di Franco - Igreja, informação versus campanha -, de 05/04/2010, quanto o de Dom Odilo P. Scherer - Muito mais que pedofilia -, de 10/04/2010, mostram opiniões abalizadas, profundas e construtivas. Permitiram aos leitores adquirir uma visão do problema, que, evidentemente, não pertence somente a Igreja mas a toda a humanidade. Pedofilia não é somente uma deformação de alguns padres mas, como comprovam dados estatísticos, aparece em todos os estratos sociais. Dom Odilo, de maneira lúcida e realista, reconhece a culpa da Igreja e declara que as notícias a ajudarão a se purificar e ficar mais atenta a formação de seus sacerdotes. Enfatiza profeticamente que é preciso ir além da própria pedofilia, valorizando novamente os mandamentos da Lei de Deus, mormente os relativos a castidade. Ele termina seu artigo mostrando ser inaceitável e injusto que se pretenda agora responsabilizar pessoalmente o Papa pelo que acontece. Além de ser ridículo e fora da realidade, diz ele, é uma forma oportunista de jogar no descrédito toda a Igreja Católica. .A seu ver, esta permanece fiel a sua missão evangelizadora, exercendo ativamente a caridade e defendendo a dignidade do ser humano contra toda forma de desrespeito e agressão. Mas, destaca ele, ela o fará com toda a humildade, falando em primeiro lugar para si mesma, pois ela sabe que é santa pelo Santo que a habita e pecadora em cada um de seus membros.

José Luiz Caruso Ronca jlcronca@usp.br

São Paulo

_______________________________________________________________

DOM ODILO P. SCHERER

Tive a agradável surpresa de perceber nas palavras de Dom Odilo a clareza e a pertinência de juízo frente a questões tão importantes como a pedofilia e o celibato na igreja católica. Lúcido, nesse sentido, Dom Odilo não apresenta soluções simples, reducionistas, e propõe uma análise que amplie o campo da discussão para o momento social que vivemos. Uma pena que sua lucidez nessa área seja ofuscada quando se trata de analisar os mecanismos de controle e de resolução de problemas adotados e praticados dentro da igreja católica, entendida como instituição política e social. É óbvio, como afirma, que "deve responder pelos seus atos perante Deus e a sociedade quem os praticou"; e não se deve utilizar o mesmo preceito para avaliar a conduta daqueles a quem cabe avaliar, julgar, determinar e coibir práticas abusivas? Não se deve refletir e considerar a pertinência da conduta de pessoas que, fisicamente distantes dos fatos, necessitam deles aproximar-se com um outro olhar, isento de paixões humanas e de preocupações político-institucionais viciadas e tendenciosas? Talvez seja necessário ampliar ainda mais esta discussão, do que pretende Dom Odilo.

Yara Monachesi ymonachesi@uol.com.br

São José do Rio Preto

_______________________________________________________________

ARTIGO DE NEI LOPES

Magnífico o artigo de estreia de Nei Lopes no C2. Discordo de boa parte das opiniões dele, mas e daí? Opinião boa é opinião polêmica! Desde que exposta com originalidade e bem defendida. Que venham todas as vertentes! Mas concordo com entusiasmo quando ele diz que "música tem de envolver o ouvinte pelo ritmo". É isso mesmo! O resto é firula. Estendo o conceito à poesia.

Betty Vidigal bettyvh@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.