Cartas

CORRIDA PRESIDENCIAL

, O Estado de S.Paulo

30 Abril 2010 | 00h00

O coração de Chávez

Sobre a eleição presidencial brasileira, Hugo Chávez disse que seu "coração está com Dilma". Como diria Nelson Rodrigues, não falou mais do que o óbvio ululante. Ele sabe muito bem que num eventual governo Serra seu trânsito por estas plagas será bem diferente: nada de Foro de São Paulo e outras traquitanas que Lula preparou com Fidel, Morales, etc.CARLOS E. BARROS RODRIGUES

cebr2403@gmail.com

São Paulo

EM RITMO DE TANGO

Dilma Rousseff pode finalmente dar a sua grande largada. Com o apoio irrestrito do grande democrata, hábil administrador e gestor de finanças, além, é claro, de defensor de direitos como amplo acesso à informação, alternância de poder e eleições limpas: Hugo Chávez. Os grandes estadistas irmãos Castro, que ensinaram a Chávez tudo o que ele sabe, também estão prontos para transferir sua personalíssima tecnologia de controle de massas à candidata. Não vamos nos esquecer do bravo Ahmadinejad, que luta, contra um planeta ressentido, pelo direito de exterminar os judeus. Mas nisso ele tem o apoio do presidente Lula e de seus sábios conselheiros. E nós, com este róseo horizonte à vista, podemos cantar: Dilma lá, brilha a esperança... Em ritmo de tango, o favorito da candidata.

LIZETE GALVES MATURANA lizete.galves@terra.com.br

Jundiaí

________________________

PSDB grato

O tema principal (ou pelo menos o que veria a ser) do encontro entre Chávez e Lula em Brasília consistiria em como honrar, o mais brevemente possível, os compromissos econômicos assumidos pela Venezuela com empresas brasileiras, de porte médio, que não receberam seus créditos e cujo calote pode fazê-las até mesmo a sucumbir. No entanto, o cavaleiro andante bolivariano preferiu elogiar Dilma e criticar Fernando Henrique. O PSDB deve ter ficado grato.

AMADEU ROBERTO G. DE PAULA amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

________________________

SENADO

Velhos hábitos

R$ 26 mil é a conta que o Senado recebeu para pagar o tratamento dentário da esposa de Lobão Filho, suplente de Edison Lobão no Senado. Paula Lobão é apresentadora numa TV de propriedade da família no Maranhão. Acho que emissora de TV no Nordeste é muito pobre, não é mesmo?

VERA OGUMA vera.oguma@uol.com.br

São Paulo

________________________

Enquanto milhões de brasileiros vivem desdentados por falta de amparo do governo, a esposa de um senador tem o direito de embelezar a dentadura com o dinheiro do povo. Muda, Brasil...

JOSÉ NOEL TERRA jnt@pocos-net.com.br

Poços de Caldas (MG)

________________________

Num Brasil onde a maioria das pessoas ainda extrai dentes cariados ou nem sequer vai a um dentista na vida, é de estarrecer que o Senado tenha de pagar R$ 26 mil pelo tratamento dentário da sra. Lobão. Mesmo que agora ela decline de tal pagamento, continua sendo vergonhoso.

MARIA DO CARMO ZAFFALON mdokrmo@hotmail.com

Bauru

________________________

SARNEY E ARRUDA

Caixa 2

Não deveria causar nenhum espanto o aparecimento do nome de políticos famosos em anotações não muito republicanas, como o nome "Sarney" na lista do caixa 2 da campanha do ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda. Isso é prática entre a maioria deles. Todo o mundo sabe disso...

MÁRIO ISSA drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

________________________

Haja Justiça

Se, a cada matéria publicada sobre o envolvimento de algum membro da família Sarney em operações suspeitas, a Justiça for acionada para calar o jornal...

J. S. DECOL decoljs@globo.com

São Paulo

________________________

Eles negam

Para manter a praxe, o senador José Sarney nega envolvimento com a política do DF. Grande coisa: Ahmadinejad nega o holocausto; Lula nega o mensalão; Arruda e Toninho malvadeza negavam a violação do painel de votação do Congresso; os Sarneys negavam que a montanha de dinheiro descoberta no escritório de Roseana, em São Luís, fosse de sua propriedade; e por aí vai. Dilma Rousseff diz que o Rodoanel de São Paulo é obra do PAC, da mesma forma que se dizia, em tom de gozação, que o Oceano Atlântico é obra de Maluf. E la nave va. JOÃO GUILHERME ORTOLAN

guiortolan@gmail.com

________________________

Bauru

Será que alguém imaginou que a família Sarney admitiria ter algum relacionamento político com Arruda?

JOÃO MENON joaomenon@terra.com.br

São Paulo

________________________

CONGRESSO

Base aliada

Continuando sua prestação de maus serviços aos brasileiros, a base aliada do governo Lula no Congresso torpedeia duas propostas: votam contra o projeto "ficha limpa" e, não satisfeitos, continuam enrolando a votação do reajuste dos aposentados - que contribuíram por muitos anos sobre até 20 salários mínimos - em 7%, quando a Selic já foi para 9,5% ao ano.

MÁRIO A. DENTE dente28@gmail.com

São Paulo

________________________

SOCIEDADE

Audiência na calçada

Cumprimento o jornalista Diego Zanchetta pela matéria Deficientes não passam do térreo em juizado (29/4, C9). Sou cadeirante e tive de comparecer a uma audiência num juizado de pequenas causas, mas as escadas do órgão eram tão estreitas que o juiz me atendeu na calçada da rua. Com dignidade e respeito solicitei o atendimento nessas circunstâncias, porque não poderia perder a causa. A reportagem vem em boa hora, pois no dia 1.º de maio comemora-se o Dia do Trabalhador. Infelizmente, as pessoas com deficiência não têm absolutamente nada que comemorar, ao contrário. Faltam autoridades atentas às nossas necessidades. Bastaria cumprir a Constituição.

IRACEMA ALVES iraalves2010@gmail.com

São Paulo

________________________

"O apoio de Hugo Chávez a Dilma Rousseff só favorece José Serra"

ELAINE NAVARRO / SÃO PAULO, SOBRE CHÁVEZ E AS ELEIÇÕES

elainenavarro.pa@hotmail.com

"Com tantos equívocos e deslizes, o abril de Dilma Rousseff foi bem mais vermelho que o do MST"

AGNES ECKERMANN / PORTO FELIZ, SOBRE A CAMPANHA ELEITORAL

agneseck@yahoo.com.br

""Sarney" virou sinônimo de corrupção, não é novidade"

JOSÉ FRANCISCO PERES FRANÇA / ESPÍRITO SANTO DO PINHAL, SOBRE O NOME NA LISTA DO CAIXA 2 DA CAMPANHA NO DF

josefranciscof@uol.com.br

________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 4.003

Time põe Lula entre os líderes mais influentes

Em eleição dos 100 mais, revista dos EUA afirma que Lula quer o "sonho americano" para o Brasil

"Gostaria de um presidente que fosse eleito o mais competente do mundo. Não o maior marqueteiro."

MAURICIO SILVA

"Se não gosta da Time, leia o El País ou o Le Monde. Ou pode olhar o Ibope, Vox Populi ou Datafolha: 85% de aprovação."

NICOLAU BUARQUE

"Temos que nos sentir orgulhosos por termos um grande líder. Amanhã, quem sabe, não é o José Serra na capa da Time?"

JEFFERSON DIOGO

________________________

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o Estadão.com.br

VACINA CONTRA ''APAGÕES''

Muito importante o artigo do sociólogo Demétrio Magnoli (A2, 29/4). Contudo, acho que seria importante que o público soubesse que contrariamente às generalizações que ele faz, existem formas de se construir uma usina com a complexidade técnica e econômica de Belo Monte com dinheiro público, sem que isso sigifique corrupção, ''distribuição de poder e benesses financeiras'' e ''capitalismo do Estado''. Nem todas as obras necessárias a um país têm que necessariamente interessar à iniciativa privada. Os países capitalistas convivem naturalmente com essa situação sem nenhum trauma. O que a população não aceita é, diante de um problema tão sério como o déficit de energia elétrica num futuro próximo, ficar-se discutindo filigranas dogmáticas. No útimo apagão de grande repercussão que atingiu o sistema elétrico interligado, ficou claro que ele ocorreu por uma conjugação de fatores meteorológicos e uma grande dose de deficiências técnico-gerenciais. Já no apagão ocorrido no governo FHC, este ocorreu por razões muito mais difíceis de se resolver no curto e médio prazo porque no fundo havia razões estruturais, que acabaram por provocar um grave desequilíbrio entre a oferta e a demanda de energia elétrica. Naquela oportunidade ninguém investia em geração: nem as estatais (proibidas) e nem a iniciativa privada por carência de uma regulação confiável. Em vista da polêmica atual envolvendo a construção de Belo Monte, não se pode deixar de correlacionar os dois episódios. Há de se reconhecer que - apesar dos erros ditados pelo lançamento açodado do leilão da hidrelétrica com nítida motivação política -, está mais do que claro para a sociedade que essa obra é absolutamente necessária e que no seu projeto o governo cuidou de atenuar os impactos ambientais comuns em obras desse porte. Ninguém tem dúvida também de que o ideal seria que a sua realização se desse através do capital privado. Entretanto existem situações, como é o caso, em que as incertezas construtivas da obra geram estimativas tão divergentes e discrepantes que naturalmente afastam da concorrência as empresas privadas responsáveis, não dispostas a submeter as economias dos seus acionistas à ''riscos patrióticos''. Isso é mais do que natural e comum no mundo inteiro. Quando isso ocorre não adiantam as iluminadas ''engenharias financeiras'', com um número sem fim de privilégios, sem isonomia nos demais empreendimentos setoriais. Os próprios beneficiados se sentem inseguros de investir pesado numa obra dessa dimensão cuja legalidade dos incentivos possam ser questionados mais pra frente. Nestes casos como agir? Fazer o que todo o mundo civilizado faz: cria-se uma empresa genuinamente pública para tocá-la como as muitas existentes nos EUA, Canadá e Europa. Faltam recursos? Que se venda outras estatais desejadas pelo iniciativa privada! Uma empresa assim constituida seria - pelos princípios do Código de Águas ainda prevalentes - a depositária natural das concessões vencidas e a vencer no País. O mix tarifário desta verdadeira Estatal - estruturada nos moldes das empresas públicas do Primeiro Mundo, sob o comando do Estado e não do Governo - tornaria viável a realização de obras com tal grau de complexidade e maturação econômica. Uma solução nessa linha, clara, transparente e sem artifícios não teria nenhuma conotação ideológica pois o capital público só estaria entrando supletivamente ao capital privado que, embora consultado (nos leilões) se absteve de participar.

Nilson Otávio de Oliveira - noo@uol.com.br

São Paulo

__________________

A SELIC E A BOLHA PÚBLICA

No auge da crise do petróleo os governos militares combatiam o processo inflacionário com o rebaixamento artificial dos preços das tarifas públicas. Assim é que o processo de privatização das empresas públicas, sob a Nova República, foi motivado e orquestrado em cima da dívida das mesmas, oriunda deste processo anterior que as descapitalizou totalmente. O resultado foi a venda e a privatização dos ativos públicos da chamada Administração Indireta, regulada pelo Decreto 200/67. Hoje, de forma análoga a situação anterior, a Nova República, no governo Lula, não ameaça o que restou da Administração Indireta, como fazia o governo FHC, ameaçando vender o Banco do Brasil e a Petrobrás. Hoje, o governo Lula, títere da ditadura entronada no Banco Central, que coloca Henrique Meireles, já há 18 anos no poder, em razão da governabilidade oferecida pelo PMDB, ameaça a própria existência do ESTADO NACIONAL BRASILEIRO. A Nova República recebeu dos governos militares uma dívida pública orçada em 60 bilhões de dólares. No governo FHC, a dívida pública, foi catapultada pelo Plano Real para 750 bilhões de reais sendo que no governo Lula, a dívida internalizada, orça a quantia astronômica de 1 trilhão e 400 bilhões de reais, o equivalente a mais ou menos 750 bilhões de dólares. Apesar do pagamento incontinente do serviço da dívida, o equivalente ao PIB do Rio Grande do Sul, anualmente, esta segue crescendo pois não é quitado o principal. Para compararar: Os Estados Unidos em 5 anos de guerra do Vietnã gastaram o equivalente a 250 bilhões de dólares e quase foram a falência. O Brasil, só com os juros da dívida interna, gasta meio Vietnã por ano e ainda segue se esvaindo em sangue frente às sanguessugas usurárias. O aumento da taxa Selic, que protege os ativos de crédito das multinacionais, que vivem num paraíso creditício em Pindorama, faculta que sejam feitas vendas a longo prazo, 5, 6 e agora até 7 anos de prazo, protegendo estes ativos e facultando, a contra mercado, a percepção de risco à conta do Estado Nacional que segue se endividando a longo prazo, chegando as raias de sua inviabilização futura. Nesta semana constatamos o fenômeno do estouro dos PIIGS (sigla que na UE identifica Portugal, Itália, Irlanda e Espanha). Hoje em época eleitoral a Partidocracia, que governa o país, é muda e cega ao fenômeno, amanhã, longe das urnas, achará um responsável distante de seus dividendos eleitorais financiados pela demagogia do dia a dia. Não é só a União que sofre este processo de aluição criminosa. Também os Estados da Federação estão exauridos sob este tipo de endividamento usurário, determinado pela política do Banco Central. Agora mesmo estava o Supremo Tribunal Federal a decidir da intervenção ou não em alguns estados por conta deste motivo. O Rio Grande do Sul, em 97, federalizou uma dívida orçada em 7 bilhões, hoje, apesar de pagar diuturnamente o percentual a que está obrigado com a União, a dívida sepulta a capacidade de investimento pois já ultrapassou a quantia de 40 bilhões. Este é o real tema para ser discutido nas atuais eleições. Até quando a Partidocracia vigente manterá o povo cego iludindo-o com seus malabarismos ilusionistas? Estamos na verdade, com a política de meta de inflação, sepultando o resto de civilização que temos pois no futuro o Estado Nacional, não será viável, nem mesmo em termos de estado mínimo Liberal.

Sérgio Borja borja@pro.via-rs.com.br

Porto Alegre

__________________

UM CARA QUE INFLUENCIA

O ano de 2010 nem chegou na sua metade, e a revista Time já fez uma

lista das 100 pessoas que tem mais influência na Terra. E o Lula está lá

na cabeça, na companhia do Clinton, da modelo Liya Kebede, do Obama, e

outras figuras populares. No fim do ano passado, o vespertino francês

Le Monde elegeu o Lula como o ?Homem do Ano?. Muitos pensaram que nessa

lista do Time o Lula estaria em primeiro lugar, mas a direção da

revista explicou que a foto do Lula estava na frente apenas por

questões técnicas, e que não existe ranking. Dizem que foi o general

Golbery do Couto e Silva, o criador do Instituto de Pesquisas e Estudos

Sociais (IPES), em 1962, orgão criado para acabar com o comunismo no

Brasil e dar o golpe de 1964, quem teve a idéia de proporcionar

liberdade política ao Lula, nos anos 80, para que ele e o PT

enfrentassem o grande inimigo dos militares que era o Leonel Brizola. A

idéia era abrir um racha na esquerda brasileira. Golbery, que morreu em

1987, deve estar muito orgulhoso de ter sido o ''incentivador'' de um dos

homems mais influentes do mundo em 2009 e 2010. Enquanto isso, o

Brizola deve estar morrendo rir.

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

__________________

CRAZY HISTORY

Todos os anos a Revista Times escolhe o lider mais influente do ano numa lista de varios outros. Todos os anos se respeita o Ranking de classificaçao. Se mem lembro bem no passado foi Obama o escolhido e antes tinha sido Putine. No ano seguinte à invasao do Iraque, a revista escolheu o ex presidente Bush. Todos esses escolhidos me lembro também apareciam na capa e em primeiro na lista de classificaçao. Sempre foi assim. Esse ano o presidente do Brasil apareceu na Capa e em primeiro lugar na lista, que nao se apresenta por ordem alfabética. Por alguma ordem ela é feita, simples assim. A imprensa brasileira de oposiçao ao presidente nao aguentou o golpe. Justo agora que estava se tentando desqualificar a politica externa do governo Lula o Time vem com essa. O Time o pai de todos. Não deu outra: inventaram, ja no incio da tarde que era so por questao de ediçao que o presidente brasileiro aparecia na capa da Times. O presidente na verdade era um dos 25 mais influentes. Pior, disseram que era pelo texto do cineasta americano que a foto do presidente apareceu na capa. A classificação em primeiro da lista também disseram que era so um acaso como sempre acontece na midia em geral. Tudo é acaso ainda mais quando se trata da tao esperada, e mundialmente comentada, classificaçao anual feita pela revista Times dos principais lideres mundiais. Justo esse ano que o presidente brasileiro esta classificado o primeiro da lista e figura na capa o Times decidiu que nao tem ranking. Parece dificil de acreditar. Melhor acompanhar a noticia pela imprensa internacional a nacional esta muito comprometida com interesses setoriais para aceitar a grandeza do nosso presidente e através dela do nosso pais. Que pena. Fica uma duvida. Sera que forças ocultas, como se dizia na época da ditadura militar, entraram em contato com a revista para se divulgar tal versao da classificaçao do Times. Nao acredito que a respeitada revista iria aceitar uma coisa dessas. Mais facil acrditar que simplesmente inventaram tudo por aqui num acordo tacito. Culpa da propria imprensa se hoje ela nao goza de total confiança do leitor.

Dalva Teodorescu teosilvasp@gmail.com

São Paulo

__________________

LULA X GAGA

A revista Times revela o poder da propaganda, mormente daquela que é enganosa. Viu as capas, confiou na maciça exposição bancada pela Petrobrás e outros gigantes nacionais que investiram milhões para favorecer o ex-metalurgico que encanta as mentes dos que não sabem do que se trata, do que faz trás os panos e principalmente do que diz não saber . Se receber as informações reais do que pratica o guru do neo petismo corrupto e corruptor, Times devera publicar capa em preto, por luto do vexame cometido . Fico com a transparência e modernidade da Lady Gaga, esta sim renovando o ambiente com poder de influencia invejável .

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

__________________

SANTO DE CASA

Onde se baseou a revista americana ''Times'' para eleger Lula como o homem mais influente do mundo, nós não sabemos, o que nos ocorre é que se realmente pôde exercer essa influencia mundial deveria te-la usado em seu País para acabar com a corrupção e a falta de moral e ética que estão assolando o Brasil de forma incessante nesses últimos 8 anos.Será que realmente santo de casa não faz milagre?

Leila E. Leitão

São Paulo

__________________

''THE MAN''

Talvez tenha sido a empresa de assessoria internacional contratada a peso de ouro pela Presidência da Republica, que conseguio a façanha.

Talvez tenha sido uma tardia recaída, o fato é que, a revista TIME elegeu Lula como o homen do ano no mundo, 72 anos após de ter feito o mesmo com Hitler. Pelo visto, desde 1938 muita coisa mudou , menos o TIME.

Rubens R. Leite rureleite@ul.com.br

São Paulo

__________________

INFLUENTE

Para a Times, Lula é o líder mais influente do mundo. Ingenuamente pergunto: "Quem influenciou a grande maioria da atual classe política brasileira a ser uma das mais corruptas do mundo?"

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

SãoPaulo

__________________

HÁ CONTROVÉRSIAS

O Lula considerado o político mais influente do mundo pela Revista Times é coisa para psiquiatra! Será que estar em conchavos com figuras desprezíveis tal qual, Chaves, Fidel, e Ahmadinejad, é motivo para esta honraria? Na realidade as mais significativas influencias do presidente nestes quase oito anos de mandato, recaíram sobre o aumento da corrupção, e consequente apoio aos camaradas e aliados que tiveram participação nos inúmeros escândalos em seu governo. A cumplicidade com o MST, grupo este que pratica terrorismo no campo. E a péssima atuação da diplomacia brasileira, esculhambando de vez o outrora eficiente Itamaraty. Tudo sem mencionar que, jamais existiu um Chefe de Estado tupiniquim rico em promessas, e raquítico em realizações... À não ser as citadas acima!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

__________________

INFLUÊNCIA E RESPONSABILIDADE

A revista americana Times pode até citar Lula como o homem mais influente do mundo, e o ego de nosso presidente , já ébrio de soberba, periga entrar em surto.... Concordo num ponto: Lula realmente pode ser responsabilizado pelos futuros historiadores, como aquele que mais influiu para o descalabro político que marca este período de nossa História, quando a corrupção foi institucionalizada atraves do aparelhamento político do Estado e da compra de consciência dos partidos aliados. O mensalão do PT bem o demonstrou. Desta forma implantou-se a corrupção como norma de conduta e a impunidade como sistema de segurança para todos os envolvidos.

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

__________________

A CEGUEIRA DA REVISTA

Os países em desenvolvimento estão caminhando a passos largos, o Brasil ficou para trás, pois Lula desde o mensalão aprendeu que se aliar aos podres do poder ( Sarney, Renan, e outros) seu mandato não correria riscos. Além do país não ter crescido o esperado, pagamos os juros mais caros do mundo, sem contar que os serviços de banda larga estão 800% mais caros em relação aos países ricos. Os aposentados estão morrendo à míngua, mas Lula defende o aumento dos impostos. E o que falar dos serviços essenciais tais como saúde, educação e segurança? Gostaria de saber quanto a Revista Time recebeu para dar a Lula o título de a pessoa mais influente do mundo. Só se for a pessoa mais influente negativamente, pois defender o governo autoritário de Cuba e Venezuela, dar apoio ao presidente do Irã e confessar que sente azia ao ler,então Lula merece o troféu abacaxi. A Revista Time revela total desconhecimento da realidade do Brasil.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

__________________

QUEM SABE, SABE

Em 20 dias de pré-candidatura, Serra já disse que o Mercosul é uma farsa, que criará o ministério da segurança e que acabará com os de portos e de assuntos estratégicos. Quem sabe, sabe. Já estou pressentindo um governo para o País...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

__________________

VOTO IMPORTANTE E VALIOSO

Os deputados estão fazendo manobras para evitar que o projeto Ficha Limpa de iniciativa do povo brasileiro, vingue para a próxima eleição, e, com esta atitude, estão praticando um ato contra a Constituição ao desconsiderar a vontade popular e ao mesmo tempo desdenham da Democracia vigente no país, fazendo valer seus interesses e não os da Nação. Ao povo cabe fazer sua parte na próxima eleição, expurgando os candidatos ficha suja e não reelegendo nenhum deputado e senador. Nunca antes neste país, o voto consciente é tão importante e valioso.

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

__________________

MAIS UMA VEZ

O caixa 2 de Arruda cita "Sarney" como recebedor de suposta propina. Pelo menos uma vez estou com Arruda e não abro.

Luiz Fernando Chierighini Bueno

Santos

__________________

POPULAR

Não há como negar. Sarney é um nome popular no "submundo" político brasileiro.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

__________________

"BOM COMPORTAMENTO"

Excelente,como sempre os artigos de Luiza Nagib Eluf (Por trás do "bom comportamento", 28/4, A2),diria brilhante,até p/q a conheci pessoalmente num curso no Imesc.Faltou apenas lembrar que FHC ,Alckimin e Serra batalharam p/diminuir a lotação dos presidios.Presidio não da votos,tanto que demoliram o Carandiru,de maneira a mais demagogica possivel.Outra coisa que fizeram foi acabar com o exame crimilogico,para economia de alfinetes.Mas tal exame é essencial p/cuidar de casos como de maniacos,crimes hediondos.O artigo é perfeito merece parabens a Doutora Luiza Nagib Eluf!Traça todo historico.E os manicomios judiciarios? Tambem não dão votos,mas necessarios p/psicopatas e pedofilos! São doentes incuraveis,perigosos p/a Sociedade.

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

__________________

E AGORA, JOSÉ ?

Há anos a população sofre com os chamados ''falsos sequestros'', que já causaram até mortes e traumas psicológicos nas pessoas

vitimadas por esses bandidos que, de dentro das penitenciárias comandam essas ações. Será que agora, que nosso vice-presidente foi alvo, nossas autoridades vão investigar e punir os responsáveis pela entrada de celulares nas prisões? Porque não ficou nenhuma dúvida, a própria marginal presa confessou que o golpe foi armado por comparsas seus de dentro do presídio. E isso nós já sabemos há muito tempo, só falta serem tomadas providências e serem punidos os responsáveis por facilitarem esse tipo de crime. E agora, José ?

Marina R. B. Malufi mmalufi@terra.com.br

Olímpia

__________________

ATUALIDADE DE MARX E ENGELS

A influência dos dois intelectuais Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895) nos séculos 19 e 20 parece resistir ao tempo, estendendo-se à época atual, malgrado a complexidade de seu raciocínio, acrescida do difícil entendimento da lingua alemã, em que conceberam suas idéias.

Na obra "Russland Drang nach Westen" , que integra a Biblioteca Manesse de História Mundial, há, porém, uma linguagem accessível de Marx/Engels, ao tempo em que serviram como jornalistas do "Reinische Zeitung", relatando especialmente a questão turca e a expansão russa, bem como o diálogo trocado em Londres em junho de 1835 com o Lord Palmerton a respeito da política da Inglaterra e da França em relação ao Egito.

Muitas outras observações de Marx/Engels constam da obra, a revelar a inteligência e perspicácia de ambos. Hoje vemos Rússia e Estados Unidos juntos na pressão contra o Irã nuclear, porque há uma preocupação comum com o futuro da humanidade. Resta esperar que o bom senso, sustentado pelo Governo Brasileiro, venha a prevalecer.

Francisco Florence ff@florenceboltz.com.br

São Paulo

__________________

21.240 ARMAS ROUBADAS!

Em apenas 6 anos, 21.240 armas foram parar nas mãos dos bandidos. Armas que foram roubadas de empresas de segurança. Se somarmos com o que entra no país contrabandeado imagine como a bandidagem está armada. E a presidenciável Dillma ainda tenta menosprezar o Ministério da Segurança Pública defendido pelo também presidenciável Serra em um programa de TV. Para quem vive nas alturas, viajando pra lá e pra cá de jatinho particular longe das ruas de todo o país, só pode ser contra mesmo! Nem parece ter sido Ministra da Casa Civil do atual governo. É uma alienada no meio da pior falta de Segurança Pública que o país já enfrentou. A prova da sua falta de preparo para nos governar está em não saber que o país vive uma guerra com traficantes e bandidos armados até os dentes e a população desarmada urge por Segurança!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.