Cartas - 01/09/2010

INADIMPLÊNCIA

, O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2010 | 00h00

E agora, presidente?

Em plena crise econômica mundial de 2008, às vésperas do Natal, Lulla, levado pelo tamanho de seu ego, foi à TV pedir ao povo que comprasse, pois a crise não passava de uma marolinha. Hoje temos 52% dos brasileiros inadimplentes! A responsabilidade é de quem comprou ou de quem pediu que fossem às compras? Mais um dos inúmeros exemplos de incompetência e irresponsabilidade do "grande" presidente e de sua sofrível equipe de governo. Acorda, Brasil!

José Luiz de Andrade Figueira jlafigueira@hotmail.com

São Paulo

_____________________

CAMPANHA ELEITORAL

Ai, ai, ai...

Bolsa caindo, mercado "andando de lado"... Já vimos esse filme em 2002! Virá por aí alguma carta "amolecendo" os prognósticos?

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

_____________________

REFORMA TRIBUTÁRIA

Numa das chamadas na TV, Dilma Rousseff diz que uma das prioridades máximas de seu governo será a reforma tributária. Por que não foi feita nos oito anos de governo de Lula, já que ele é o modelo para ela? E, ainda, por que o PSDB não explora esse item, tão alardeado e, com certeza, tão difícil de ser cumprido?

M. Do Carmo Z. Leme Cardosomdokrmo@hotmail.com

Bauru

_____________________

NOVA CPMF

O futuro governo Dilma estuda a volta de um tributo para ampliar as receitas da saúde. Já existe a ideia de criar a Contribuição Social para a Saúde (CSS), com apoio de Lula. Assim, a volta da CPMF, disfarçada de CSS, faz parte do seu programa. Então, é bom lembrar aos eleitores: vote em Dilma e ganhe uma nova CPMF!

Ana Maria Gmachl amaeleitora@hotmail.com

São Paulo

_____________________

"QUEDA DE BRAÇO A TRÊS"

Palocci, Dilma e Dirceu (Sinais Particulares, 31/8, A2). Meu Deus, quem vai sair machucado? O povo brasileiro, é claro.

Elza Maria Campos Pieri colyacpieri@uol.com.br

São Paulo

_____________________

FICHA LIMPA

Concordo em gênero, número e grau com o dr. José Roberto Batochio (Eleições democráticas e Estado de Direito, 31/8, A2), discordo apenas da sua opinião sobre a Lei da Ficha Limpa. E discordo porque é de iniciativa popular e está arribada em outros dispositivos constitucionais que devem ser levados em consideração: "Art. 14 - A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante: (...) § 9.º - Lei Complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa, a moralidade para o exercício do mandato, considerada a vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta."Ademais, a moralidade não é favor, é obrigação.

Luiz de Almeida luizalmeida@vialavras.com.br

Lavras (MG)

_____________________

VENEZUELA

Chávez e Geisel

A propósito do editorial A nova cena venezuelana (30/8, A3), em cujas linhas se faz clara a derrocada da aventura bolivariana na Venezuela, chamou-me a atenção a parte do texto em que se expressa a "esperteza" do coronel Hugo Chávez, que fez em seus domínios algo muito semelhante ao que fez, no Brasil, o general Ernesto Geisel, em 1978, com a edição do famigerado Pacote de Abril. Em seu tempo, vendo a sustentação política ao regime perder força - exatamente como ocorre na Venezuela chavista -, o presidente Geisel transformou a "derrota" (certa) em "vitória" eleitoral, dando um peso relativo maior aos votos do Norte-Nordeste, em detrimento dos havidos nos centros mais bem informados do País, que passaram a eleger um número relativamente menor de parlamentares. O regime militar, acuado por um eleitor que aspirava por mudanças, também emancipou antigos territórios, como Rondônia, Roraima e Amapá, que eram mais dependentes do poder central, além de ter criado os tais "senadores biônicos" (indicados). Tudo com o objetivo de assegurar a sustentação política do regime no Parlamento. O coronel Chávez, grande "democrata", segundo Lulla, age igual ou pior do que faziam aqui nos idos do ciclo militar, sem tirar nem pôr. Aliás, Chávez também é militar - e ditador. Só que ditador "de esquerda". Na cabeça dos atuais mandachuvas tupiniquins, ditadura "de esquerda" pode!

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

_____________________

BNDES

"Perdas e ganhos"

O artigo Perdas e ganhos (29/8, B2), da jornalista Suely Caldas, é enganoso metodologicamente e faz julgamentos ligeiros. O número que, por um lapso, constou no portal do BNDES refere-se aos custos dos R$ 180 bilhões - e não só para o primeiro empréstimo de R$ 100 bilhões. Essa estimativa não foi considerada porque foi tida como imprecisa em razão das hipóteses acerca da convergência da Selic com a TJLP. As premissas conservadoras com as quais se trabalhou geraram resultados que não obtiveram consenso entre os economistas do BNDES que participaram das análises. O banco sustenta e defende os valores estimados para os benefícios, pois estes são mensuráveis com mais consistência técnica por estarem concentrados no curto prazo. Já os custos incorrem ao longo do período do empréstimo (20 a 40 anos). Ressalta-se que, mesmo no exercício a que a jornalista teve acesso, os benefícios gerados pelo empréstimo do Tesouro Nacional ao banco são significativamente superiores aos seus custos. Essas explicações já foram dadas a outro veículo que teve acesso aos dados, mas diferentemente da colunista observou um preceito básico do jornalismo: ouvir o outro lado.

FÁBIO KERCHE, assessor da presidência do BNDES fkerche@bndes.gov.br

Brasília

_____________________

A jornalista Suely Caldas responde: Novamente o BNDES incorre em erro primário ao tentar quantificar os ganhos ignorando as perdas. E se havia dúvidas do banco em relação à convergência da Selic com a TJLP em 2018, por que motivo essa hipótese foi mantida no cálculo dos ganhos, como consta no site do BNDES?

_____________________

"Se virou em Minas, por que não pode virar em todo o Brasil? Acorda, Serra! Acorda, PSDB!"

HÉLIO JOSÉ CURY / SÃO PAULO, SOBRE A "HORA DA VIRADA"

heliocury@datasesmt.com.br

_____________________

"Alckmin não menciona Serra no horário na TV. FHC tornou-se o sujeito oculto da oração. Nunca antes neste país foi tão

fácil ganhar uma eleição"

FRANCISCO ZARDETTO / SÃO PAULO, SOBRE A CAMPANHA TUCANA, DE BANDEJA PARA DILMA

fzardetto@uol.com.br

_____________________

"Democracia hipócrita ou estelionato eleitoral?"

JOSÉ G. OLIVEIRA / PRAIA GRANDE, DÚVIDAS SOBRE O DISCURSO DA CANDIDATA DO PT

mandarino-oliveira@uol.com.br

_____________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 3.168

TEMA DO DIA

Juca Ferreira ataca campanha de Tiririca

Para ministro da Cultura, atuação do humorista, candidato à Câmara por SP, é "deboche" à democracia

"Ele é a cara, a voz e o pensamento do povo, sem máscara. Já os políticos querem fazer dessa palhaçada uma coisa séria."

RENATO BARBOZA

"Se Tiririca comete um deboche à democracia, o que dizer, então, da candidatura de Netinho ao Senado?"

NELSON CARNEIRO JR.

"Na verdade, sem querer, Tiririca tem a utilidade de nos alertar para o nível em que as coisas vêm caindo há muito tempo."

SANTIAGO WESSNER

_____________________

cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

SALVE O CORINTHIANS

Parabéns ao Corinthians Paulista pelos cem anos de vida e pelo lindo presente que recebeu. Difícil é saber o que seus dirigentes fizeram com o dinheiro que o clube rendeu nos 99 anos anteriores. Como diz o velho ditado, antes tarde do que nunca.

Virgìlio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

_____________________

PRESENTÃO

Parabéns ao Corinthians, cem anos depois conseguir um estádio e ganhá-lo de presente?

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

_____________________

CEM ANOS!

A nação corintiana está feliz! Com tantos problemas nesse tempo, ainda assim

é gostoso ser corintiano. Tenho 61 anos, mas consigo lembrar alguns nomes mais antigos, como Luizinho, Baltazar, Heitor, Oreco, Ditão, Galhardo, Clovis, Lidu, Eduardo, Flavio, Tales, Luis Carlos, um dos melhores marcadores de Pelé, e tantos outros mais antigos.

Lembro-me também daquele time: Marcial, Osvaldo Cunha, Ditão, Clóvis e Maciel,

Dino Sani e Rivelino, Marcos, Flavio, Tales e Gilson Porto. Foi muito bom!

Nestes cem anos, quantas glórias conquistadas, quanta alegria ao assistir, entre tantos

outros, à semifinal em 77, no domingo, contra a Ponte Preta. Lá estava eu no meio de

mais de 142 mil pagantes. Hoje não se permite mais esse público, não importa, pois o que

vale mesmo é o nosso glorioso CORINTHIANS, que nos presenteou com craques como

Geraldão, Palhinha, Sócrates, Biro-Biro, Wladimir, Zé Maria, Jairo, Zenon, Edu, Romeu

Cambalhota, Russo, Ataliba, Vaguinho, mais os acima citados, e, mais recentemente,

Ronaldo goleiro, Ronaldo Fenômeno, Roberto Carlos, Dida, Ado, Rafael e mais tantos

outros que é impossível relembrar os nomes, mas nem por isso deixarão de estar em minha memória.

CORINTHIANS, cem anosQue alegria poder comemorar com a nação corintiana essa data maravilhosa, acreditando

que essa meninada de hoje, como Elias, Bruno Cesar, Alessandro, Dentinho, Jucelei, Julio Cesar,

Simão, Yarlei e os demais continuem a nos dar as alegrias e vitórias, engrandecendo mais e mais o

grande e vitorioso CORINTHIANS!

Parabéns, SPORT CLUBE CORINTHIANS PAULISTA!

Campeão dos campeões, eternamente dentro dos nossos corações!

JOEL SANCHES CARRILHO telenett@terra.com.br

Penápolis

_____________________

"CEMPRE" CORINTHIANS

É difícil entender o Corinthians. É complicado escrever o Corinthians. É impossível traduzir o Corinthians.

Não é um clube, não é um time, não é uma camisa. O Corinthians "É". Nunca um verbo esteve tão bem acompanhado, mesmo estando solitário. A mesma solidão que acompanhou o coração do corintiano por longos e humilhantes 23 anos. Anos de chumbo, anos em que não se podia "falar", "pensar", "gritar". O grito engasgado parecia perpétuo. As "nações" pareciam que jamais teriam de volta a alegria, o dia de sol, a possibilidade de andar orgulhosas.

As maiores façanhas do Corinthians? A invasão! A faixa com os dizeres "ANISTIA AMPLA, GERAL E IRRESTRITA", de 1979 (em plena ditadura militar), o crescimento astronômico durante o jejum, Adoniran, Elis, Toquinho, Juca, Jeca, Senna, Lula, FHC, Hortência, eu, você, malditos, ladrões, heróis, célebres, maloqueiros, malucos, loucos. Essa é a façanha do Corinthians! Estar enfiado no âmago de todas as camadas, mesmo vindo de uma esquina. Sim! Fundado numa esquina, nasceu essa paixão "prostituta"! Paixão prostituta porque você a ama, ainda que te faça sofrer, ainda que não dê o amor que você dá a ela. Uma prostituta sem casa, humilhada, velha, centenária. Aquela a quem chamamos carinhosamente de "velha de guerra". Guerra. Eis que me surge na mente a imagem da camisa ensanguentada do Zé Maria, o gol em que a bola explode na cara do Palhinha, em 1977, os socos do Marcelinho na bandeira de escanteio contra "eles" em 1996, o Dinei saindo das drogas para nos dar os brasileiros e o mundial no fim dos anos 90, Casão, Magrão e Wladimir comprando briga com todo mundo pela democracia. Isso é o Corinthians! Uma guerra! A guerra nossa de cada dia. A luta pelo direito de gritar, de amar, de sentir, ainda que seja um grito solitário.

Mas como ser solitário em meio a 30 milhões de pessoas? Cada corintiano sabe o prazer e a dor de ser corintiano. Ninguém o entende, senão o seu semelhante e o seu travesseiro.

Não trocaria jamais o que tu és por um estádio, por títulos maravilhosos, por dinheiro em caixa, por jogadores galácticos.

És uma doença que não cessa, algo que incomoda, és odiado quase proporcionalmente ao amor que despertas. Por que esse ódio? Simples! És a pichação no muro, o sorriso sem dentes, és o pôster no boteco cheio de bêbados na esquina, és a bandeira dentro da cela, és a tatuagem no peito do ladrão esticado na rua da favela, és o choro pelo sofrimento, és a marcha de carnaval, és o filme do Mazzaropi, o ódio vem por seres tudo aquilo que o brasileiro é, mas insiste em não assumir. Não és nada mais do que o espelho de quem o concebeu. És o Brasil que o Brasil insiste em esconder. De aristocrático tens apenas o nome, herdado dos ingleses que aqui vieram jogar em 1910. Mas, mesmo vindo da pobreza, merecias um nome da nobreza. Sport Club Corinthians Paulista!

Ronaldo, Neto, Rivellino, Marcelinho, Sócrates, Casagrande, Basílio, Neco, Baltazar, Luizinho, Wladimir, Carbone, Biro-Biro, Dinei, Vampeta, Tevez, Zenon, Zé Maria e tantos outros. Jamais vocês foram o Corinthians. O Corinthians é uma cruz que todos nós, com a ajuda de vocês, carregamos. E, tal como nas Escrituras, está determinado que nela morreremos de braços abertos. Abertos para poder abraçar a todos os que, assim como eu, carregarão esse amor até o fim de seus dias e, no momento de seu último suspiro, lembrar que, dentre tudo aquilo que fui neste mundo, a única coisa que "CEMPRE" fui é CORINTIANO.

João Paulo de Oliveira Pimenta joaopaulo.pimenta@hotmail.com

Presidente Prudente

_____________________

MERECEU, CORINGÃO

Cumprimentos ao Sport Club Corinthians pelo centenário e pela beleza de estádio que deverá erguer em Itaquera. Uma solução arquitetônica inovadora, de encher os olhos, com seu formato retangular, em vez do tradicional e consagrado ovalado ou circular (31/8,E1).O Coringão já fazia por merecer ter seu próprio estádio há muito. Como torcedor do Santos F.C., envio saudações alvinegras e votos de felicidades.

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

_____________________

AMOR À PRIMEIRA VISTA

É claro que todas as frases são exageradas sobre o Corinthians, ainda mais quando o personagem tem que ver com o clube, soam clichê. Algumas, de fato, são. Mas é pela impressão de quem não é corintiano que talvez se faça a melhor descrição do clube, da torcida, da nação que completa cem anos. "Doutor, eu não me engano, mesmo que meu coração seja o oposto do corintiano, não há nada que bata tanto e por tantos como esse que se diz maloqueiro e sofredor, graças a Deus! O Corinthians não é a vida de um corintiano? Antes de ser gente, ele é corintiano." Em cem anos de história e glórias, o Corinthians colecionou títulos, listou fracassos, explodiu corações, formou ídolos: mas nada supera essa fascinação criada pela sinergia entre a torcida e o clube. O Corinthians não tem torcida. A torcida é quem tem o Corinthians como amor à primeira vista. Simples? Não. Mas é assim mesmo. Corintianamente assim. Parabéns, Timão, parabéns Corinthians pelos cem anos, você é a constelação de uma nação de um bando de loucos, da Fiel.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

_____________________

COPA 2014

O leitor sr. Percival Bento Rangel (31/8) fala em ''parceria romântica'' entre Lula, CBF e Corinthians. Pelo andar da carruagem, aí tem ''DOR DE COTOVELO'' enrustida de algum torcedor mal informado e, pelo cheiro (como ele diz), já dá para perceber de onde...

Reinor Caetano Perez reinorcaetano@uol.com.br

Lins

_____________________

ESTÁDIO ELEITORAL

Que o Corinthians, que completa seu centenário, já deveria ter e há muito um estádio à altura de sua grande história e torcida, isso é um fato.

Que o populoso Bairro de Itaquera merece essa obra, nada contra!

O que se estranha é que essa decisão de que o estádio do Timão será o palco da abertura da Copa de 2014 tem ao fundo dessa negociata o presidente Lula, um fervoroso corintiano, e um cúmplice e serviçal dirigente da CBF, Ricardo Teixeira, que, atendendo ao Planalto, veta o Morumbi, mesmo com toda a infraestrutura de hotelaria, metrôs, centros comerciais, alta gastronomia ao seu redor, etc.

O provável custo dessa obra, com capacidade para 65 mil torcedores, será inicialmente de R$ 535 milhões. Ou seja, quase quatro vezes o faturamento anual do clube, que também tem uma divida monumental.

E a parceria anunciada com uma construtora que tem contratos gigantescos com este governo petista, e que esta arcaria com boa parte desses custos, coloca em estado de atenção a sociedade, porque o contribuinte poderá ser lesado mais uma vez com os superfaturamentos de obras públicas.

Tudo isso milimetricamente organizado para que o anúncio dessa façanha corintiana fosse feito no dia de seu centenário, e em plena campanha eleitoral majoritária, tendo como mestre de cerimônias o Lula, que faz tudo e a qualquer preço para beneficiar e eleger Dilma Rousseff.

Palmeirenses, santistas, são-paulinos e outros, dia 3 de outubro está aí, para que se faça justiça com o nosso país...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

_____________________

NEM NOS TEMPOS DOS MILITARES

Estou felicíssimo com o centenário do meu time do coração, com o estádio, finalmente, há mais de 45 anos só escuto sobre sua construção, o Itaquerão. Mas, como cidadão, estou estarrecido ao ver que uma pessoa de conduta duvidosa, presidente de uma associação de futebol particular, coloque o prefeito de São Paulo e o governador do nosso Estado de quatro, dando ordens, determinando como nossos mandatários devem agir e se comportar, como se os dois fossem lacaios do presidente vitalício da CBF. Mandar tanto assim, nem nos tempos dos militares. Uma vergonha.

Roberto Aranha rcao@globo.com

São Paulo

_____________________

PALANQUE NO PARQUE SÃO JORGE

Diariamente lemos e assistimos aos diferentes movimentos desse atual governo. Um verdadeiro teatro com encenações dos mais diversos personagens da vida pública nacional. A mais recente foi a ''indignação'' do presidente brasileiro com a exclusão do estádio do Morumbi para o início da Copa e o consequente anúncio do novo estádio para o Corinthians, com a ida do nosso governador e do nosso prefeito ao Rio para serem informados da decisão pela CBF. Pacote fechado, com projeto aprovado, construtora e grana definida e, dizem, a custo zero para o clube, tudo tratado pelo nosso mandatário-mor. Como diziam os antigos, quem tem amigo não morre pagão. E pensar que o Palmeiras, coitado, luta há anos para aprovar seu projeto junto aos mais diferentes orgãos da administração municipal, para poder iniciar a reforma de seu estádio, localizado há 96 anos no mesmo local. Mas o importante é que o palanque para a eleição presidencial já foi armado no Parque São Jorge.

Adilson Mencarini adilsonmencarini@uol.com.br

Guarulhos

_____________________

AGORA PODE....

A Fifa fez mil e uma exigências e vistorias em vários estádios do Brasil.

De repente, o Corinthians tem seu estádio aprovado e já festejado para abertura sem nem mesmo o pessoal ter visto o projeto, conforme informação do sr. András Sánchez à Folha de S.Paulo.

- Não podia ter arquibancada provisória, mas agora pode.

- As exigências em torno da região do Morumbi, como estacionamento, hotéis, etc., eram grandes, mas agora dá (lembrando que o Morumbi vai ter metrô na mesma distância que o estádio em Paris - Copa da França). O mais importante: Itaquera, na zona leste, assim como outros bairros e outras regiões merecem tanto quanto melhores condições que hoje não têm, infelizmente, e independentemente de Copa.

- A empresa responsável por levantar o estádio, por coincidência a maior construtora de obras públicas do País, enquanto todos reclamam que o custo de manutenção de um estádio é alto e dificil, e que renda/propaganda e os camarotes não são suficientes, vai apenas explorar o nome, mas agora dá...

- Engraçado que a obra dessa mesma empresa em outros Estados é mais que o dobro do valor estimado em São Paulo, mas agora dá...

- O Palmeiras, que já tem estádio há não sei quanto tempo, só vai reformar para continuar fazendo o que hoje já faz, agora não consegue nem alvará para a reforma; em Itaquera já estão em obras.

O Corinthians merece um estádio, e já faz tempo, mas desse jeito fica muito feio; com até o presidente se envolvendo é demais; pior: virou palanque político.

Parabéns, salvaram a Copa em São Paulo, como disse o ministro dos Esportes (que nunca vestiu um short), o responsável pelo abuso do Pan-Americano juntamente com outros grandes artistas políticos.

O assunto é chato e parece até dor de cotovelo de torcedor, mas não, a coisa está feia pra todo mundo, para quem levou e para quem não levou.

Marcelo de Moura mdemoura@globo.com

São Paulo

_____________________

PT X ELITE

Esse estilo petista de ser e fazer as coisas já é realidade que permeia a sociedade. No caso da feliz "coincidência" de fatores que trazem um estádio ao clube do presidente, com pagamento até pela Fifa, o estilo toma forma e ilustra até o palavreado do dirigente, que esculhamba o inimigo-mor, o SPFC, com o mesmo rito do acusador que culpa as elites do Estado mais rico da Nação. Parece mesmo que o discurso e a bravata, assegurados pela verba pública, toda ela possível e disponível, garantirão, por mais tempo ainda, a imposição do modo raivoso de afrontar todos aqueles que não se coadunam com a forma nem se submetem à ideologia, muito menos se conformam em permanecer palhaços, ou sustentados pela mutretona que virou a festa política e o carnaval de vantagens oferecido pelo empreguismo público, muito menos, ainda, deixarão de falar e escrever sua opinião, sob a alegada majoritária aprovação veiculada insistentemente pelas agências de publicidade tão bem pagas .

O modo petista faz sucesso entre os seus, cai como uma luva sobre seus pares, é a forra que lhes é possível. De qualquer forma, todo um universo mais rico e completo permanece ao alcance de tantos outros que possuem diferentes recursos, da mesma forma que o Itaquerão, ou Lullão, ou Dilmão, conquistado no jeito, ainda permanece pequeno e distante, quando comparado ao incomparável estádio do Morumbi.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

_____________________

NOVA ARENA EM SÃO PAULO

A construção do estádio do Corinthians nas condições divulgadas pelo Estadão desde 28/8 pressupõe ingredientes e indícios de provável escândalo político-financeiro. As preliminares até então vindas a público deixam patente que o trio Lula-Ricardo Teixeira-Andrés Sánchez concebeu essa armação antes da Copa da África do Sul, camuflando-a, porém, com declarações de despistes os mais inverossímeis. Obviamente, os corintianos têm todo o direito de sonhar com um estádio próprio. Se até então vinham apenas apreciando uma maquete após outra, devem-no à incompetência dos sucessivos dirigentes do Timão. Andrés Sánchez tampouco teria conseguido realizar esse sonho dos torcedores corintianos. Se vai consegui-lo, será graças a manobras executadas com seus parceiros de empreitada: o presidente da República, que se permite, apesar da isenção inerente ao cargo, mas que nunca a exerceu, pilotar esse tipo de operação de apadrinhamento e, ainda por cima, vestindo a camisa de torcedor; também o semivitalício presidente da CBF, cartola tarimbado nesse tipo de manobra, que assim se vinga dos seus oponentes declarados. Somente a um ingênuo se poderia atribuir a crença de que os R$ 300 milhões a serem bancados pela Construtora Odebrecht teriam o esperado retorno tão só em troca da receita da alienação do nome da nova arena, receita de montante, fluxo e maturação incertos. Parece-me cabível supor que a Odebrecht será ressarcida desses altos gastos com benesses a cargo da União, isto é, do erário, ou seja, de todos nós, brasileiros. Quanto aos orçados R$ 262 milhões, supostamente a expensas da Fifa, esta certamente não os aplicará a fundo perdido, sendo razoável presumir que de alguma forma será recompensada por outras vias abertas tanto pela CBF como novamente pelo governo federal, à frente do qual Lula conta seguramente que estará sua afilhada política. Quem viver verá! Como reza o velho chavão, ''não existe almoço de graça.'' Os corintianos honestos vão um dia, se não já hoje, envergonhar-se desse presente de aniversário com pecha de origem.

José Bezerra Cavalcante, economista aposentado cavalcantejb2@gmail.com

São Paulo

_____________________

NINHO DOS RATOS

A julgar pelas pessoas que estão tomando parte na decisão sobre o estádio do Corinthians, sugiro alguns nomes, como Teixeira"s Arena, Lula"s Stadium, BNDES Arena ou, talvez o mais apropriado, Ninho dos Ratos.

Luiz Henrique Penchiari Jr. luiz.penchiari@bericap.com

Vinhedo

_____________________

SUGESTÃO

Faço uma sugestão para o problema do financiamento da construção do novo estádio para a Copa, onde quer que ele seja: a venda de participações aos aficionados do futebol - como se fossem ações num IPO ­(Oferta Pública Inicial de Ações ou Initial Public Offering, em inglês). Os compradores ficariam com as ações - ou outros comprovantes -, que seriam trocados por xis número de ingressos para serem usados quando os torcedores desejassem. E haveria participações nos lucros das vendas de ingressos aos que não participassem do IPO.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

_____________________

RELAXA...

Na condição de corintiano, fico feliz com as notícias da construção do estádio do Corinthians, apesar da participação do Lula. Assumo a filosofia de dona Marta (ex-Suplicy), para quem, se o estupro é inevitável, relaxe e aproveite.

Epaminondas Parreira Duarte epadu@linkway.com.br

Rio Claro

_____________________

VIOLÊNCIA E IMPUNIDADE

Excelente o artigo "Desordem pandêmica", do almirante Mario Cesar Flores, no qual aborda a impunidade que assola o País, desde o desrespeito às regras de trânsito até a corrupção pública. Aproveito para lembrar ocorrências presenciadas por milhões de brasileiros, principalmente jovens, que veem seus líderes e, consequentemente, formadores de opinião praticarem a violência gratuita, sem punição adequada, e com frequência sem punição alguma. Ao jogador de futebol se dá o direito, e à vista de milhões, de cuspir no adversário, esmurrá-lo, dar cabeçadas, quebrar pernas, etc... Ao final, será suspenso, quando muito, pela próxima partida, e assim mesmo se for do mesmo campeonato, caso contrário estará liberado para de novo agredir, o que acontece com frequência. Quando muito, é "punido" com uma multinha simbólica, que para quem ganha milhões ao mês nada significa. Como nossas autoridades pretendem evitar as constantes brigas fora do campo entre torcedores, se a violência e a impunidade começam dentro do campo?

Frederico Fontoura Leinz fleinz@terra.com.br

São Paulo

_____________________

CAOS DE VALORES

O excelente artigo "Desordem Pandêmica", do sr. Mario Cesar Flores (31/8, A2) é uma fotografia do caos de valores morais, éticos, democráticos, legais, etc. Tudo, enfim, que compromete de forma acelerada a cidadania e o objetivo do Brasil de se transformar em nação do Primeiro Mundo. Esse artigo deveria ser de leitura obrigatória por todos os políticos e por todos os estudantes em todos os níveis. E deveria, principalmente, ser lido (e entendido) pelo nosso presidente, porque "nunca na história deste país houve um governo tão conivente com a desordem generalizada".

Antônio P. Serra apserra@uol.com.br

Santana de Parnaíba

_____________________

ACORDA, BRASIL

O artigo de Mario Cesar Flores "Desordem pandêmica" é a descrição real e profunda de um Brasil que precisa acordar e que deveria ouvir e ponderar, em horário eleitoral, o panorama apresentado e as propostas para a reconstrução de um País mais virtuoso.

Angela Du Mont Lacombe angela@dmlacombe.com.br

Santana do Parnaíba

_____________________

MANIFESTO

Parabéns ao almirante Mario Cesar Flores. Seu artigo ''Desordem pandêmica'' deveria ser transformado em manifesto, assinado por todos os brasileiros ainda lúcidos, lido em todas as escolas e publicado em todos os órgãos de imprensa do País.

Euclides Rossignoli euros@ig.com.br

Itatinga

_____________________

MERA COINCIDÊNCIA

Qualquer leitor menos avisado, pela leitura do texto abaixo, poderia julgar tratar-se apenas de mais uma das inúmeras perorações do "noço" guia dos povos da floresta (obviamente, ditado por um de seus inúmeros ghost writters): "Toda propaganda deve ser popular e seu nível intelectual deve ser ajustado à inteligência mais limitada dentre aquelas a que se dirige. Por consequência, quanto maior a massa que se pretende atingir, mais baixo seu nível puramente intelectual terá que ser... A receptividade das grandes massas é muito limitada, sua inteligência é pequena, mas seu poder de esquecimento é imenso."

Embora nos possa parecer a base teórica da campanha política que no momento nos adormece após o jantar, acreditem, o texto acima é da autoria de Adolf Hitler, o criador da ditadura nazista, que conduziu ao Shoá, à 2.ª Guerra Mundial e a um regime de partido único com três características principais: a violência, a mentira e o roubo.

Qualquer semelhança com nossos tristes tempos, evidentemente, é mera coincidência...

Sydney F. Rebello sydneyfr@uol.com.br

São Paulo

_____________________

UM MÊS SEM UMA PALAVRA SOBRE YVES HUBLET

Passou um mês sem nenhum pronunciamento das autoridades ou da grande imprensa, que tem sido questionada em diversas cartas sobre a misteriosa morte e cremação do escritor paranaense Yves Hublet, o velhinho das bengaladas em Dirceu. Não houve sequer uma nota de falecimento nos grandes jornais, nem menção na Flip ou na Bienal do Livro de São Paulo. Aterrorizante esse silêncio hegemônico, absoluto. Muito pior do que na época da ditadura militar, quando o ''suicídio'' de Vladimir Herzog foi noticiado, teve repercussão nacional e internacional, e o presidente não ignorou o fato e exonerou o comandante do 2.º Exército, iniciando um processo de distensão. Quando o Brasil iniciará novo processo de redemocratização, ou seremos eternos reféns de urnas fraudáveis, pesquisas e formadores de opinião comprados ou silenciados?

Roland Correa rolandfc@uol.com.br

São Paulo

_____________________

PAÍS SUJO

Após acompanhar tudo o que foi informado pelo governo, pela direção do PT e publicado na imprensa sobre a quebra do sigilo fiscal dos membros do PSDB, cheguei à seguinte conclusão: para a direção da Receita Federal, não houve crime. O pau-mandado Otacílo Cartaxo resolveu assumir a desmoralização do órgão quando diz que foi quebrado o sigilo fiscal de mais de uma centena de contribuintes por duas funcionárias a troco de propina, fato que, se verdadeiro, transformaria a Receita num balcão de negócios sujos. A verdade é outra, tudo não passou de uma manobra diversionista para descaracterizar fatos reais. Pergunto: a esta altura, onde está o sindicato da categoria? Não vai defender seus associados? Acredito que, no mínimo, as acusadas agiram cumprindo ordens superiores, a exemplo do que já aconteceu por ocasião do caso Sarney envolvendo a servidora Lina Vieira.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

_____________________

A DEVASSA FISCAL

O desrespeito da Receita Federal à garantia constitucional do sigilo fiscal e, a ele acoplado, do sigilo das movimentações bancárias dos cidadãos brasileiros veio à balha neste momento eleitoral; entretanto, é endêmico. O leão, há tempos, ataca a todos, indiscriminadamente, como rei da selva em que se transformou a sociedade brasileira, sujeita à sua voracidade fiscal incriteriosa e indiscriminada. Não obstante os pronunciamentos iterativos do Supremo Tribunal Federal, no sentido de que os dados bancários são reservados por tutela de natureza constitucional, a Receita, não raro, encontra apoio na magistratura das instâncias inferiores para capturar extratos bancários de pessoas físicas e jurídicas. Lembremo-nos de que a Inconfidência Mineira foi um ato de heroísmo contra a devassa fiscal perpetrada pelo Coroa portuguesa e que muitos movimentos revolucionários da história mundial foram de resistência aos achaques confiscatórios de reis e dos dominadores do Estado.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

_____________________

RECEITA FEDERAL NO CRIME

Banditismo em política não acaba indiciando-se só os executores, mas principalmente prendendo os mandantes. Foram vários dossiês encomendados pelo PT. Fosse o primeiro ''aloprados 2006'' punido exemplarmente, não haveria outros. Em 2008 foram FHC e dona Ruth Cardoso, com seus dados pessoais vazados para a imprensa com o conhecimento da então chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, hoje candidata à Presidência. O atual dossiê, versão 2010, já foi providenciado com a ajuda do leão, "aquele que nos tira um quarto de tudo o que ganhamos honestamente", contra o vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e parentes do candidato Serra. Existem indícios suficientes para punir não só os que executaram o ilícito, como também seus mandantes, mas a lei não se cumpre. Qual o motivo, época de eleições? A quem interessa retardar a apuração de um crime dessa natureza? Por muito menos a Polícia Federal já prendeu muita gente. Por que demora tanto? Ao invés de se afirmar - como dizem alguns - que o resultado das investigações poderia ser usado como arma política, melhor seria se toda a sociedade soubesse com antecedência, ''hoje", quem são os autores desse crime contra nossa Constituição, para nas urnas não cometerem outro erro ainda maior. Melhor do que ver os marqueteiros exaltando qualidades seria se todos os partidos e candidatos tivessem a máxima urgência na apuração dos responsáveis por essa violação constitucional, não depois das eleições, como querem os prováveis responsáveis, mas antes, como deseja toda a sociedade.

Amâncio Lobo amanciolobo@uol.com.br

São Paulo

_____________________

DILMA E A BISBILHOTICE

Na entrevista que concedeu para o Jornal da Globo dia 30/8, a candidata do PT, Dillma Rousseff, disse que cabe aos seus adversários apresentar as provas que ligam a sua campanha às quebras criminosas de sigilo fiscal na Receita Federal. Ora, basta nos lembrarmos de 2006, quando foram presos pela Polícia Federal alguns integrantes do PT, inclusive o churrasqueiro e compadre de Lula, o ''aloprado'' Lorenzetti, com mais de R$ 1,5 milhão em espécie num hotel de São Paulo, dinheiro que serviria para comprar dossiês contra José Serra. Tudo foi provado e mostrado por todos os veículos de comunicação, mas, por incrível que pareça, absolutamente ninguém foi punido pela ''Justiça'' deste país. Uma grande vergonha nacional.

Agora a candidata ainda vem dizer cinicamente que isso é desespero da oposição, sendo que, quando os petistas cometeram esse crime, ela estava bem atrás nas pesquisas, portanto, é evidente que somente a eles e à Dilma interessaria bisbilhotar ilegalmente a vida fiscal de adversários políticos.

Quem deve explicações à Nação é o presidente e a sua candidata pré-fabricada.

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa - PR

_____________________

NÓ EM PINGO D"ÁGUA

É muito engraçado Dilma Rousseff acusar o PSDB de ''fazer uso eleitoral'' dos vazamentos da Receita Federal. Ao que se saiba, era o PT, no comitê central de campanha em Brasília, que planejava ''fazer uso eleitoral'' do material. Essa gente do PT sempre tenta ''dar nó até em pingo d´água''.

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis,

_____________________

SEM CONVENCER

Nos poucos minutos da entrevista que deu ao Jornal da Globo nesta segunda-feira, Dilma Rousseff demonstrou mais uma vez o seu despreparo político. Ao ser questionada sobre sua transformação física para a disputa das eleições presidenciais, a candidata afirmou que quando foi ministra da Casa Civil trabalhava muito e não tinha tempo para se produzir. Isso quer dizer que como candidata, viajando para todos os cantos do País no mesmo dia, tem mais tempo para cirurgias, botox, implantes, etc. Ora, dona Dilma... Em outra resposta, a candidata conseguiu indicar Lula como um dos responsáveis pela soltura dos presos políticos de Cuba, quando todo mundo sabe da vergonha que o País passou com as declarações de Lula em apoio aos assassinos Castros, no dia seguinte da morte do preso político Orlando Zapata, depois de 85 dias de greve de fome nas masmorras cubanas. Ao contrário de Lula, que mente naturalmente, Dilma, para quem está atento aos fatos políticos, não convence, mesmo!

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

_____________________

GRANDE MENTIRA

Vivemos uma verdadeira onda de mentiras proferida pelos petistas. Mas essa de que a libertação de prisioneiros cubanos foi influência de Lula sobre os irmãos Castro é de arrepiar. A candidata Dilma é a maior cara de pau que já conheci nos meus 60 anos, é de um cinismo acima de qualquer medida. Há de se imaginar como será o governo dessa senhora, viveremos, sem dúvida, numa ''Mentirópolis'' sem limites. Que Deus, que já foi generoso conosco, nos permita pedir agora mais do que nunca a sua proteção.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

_____________________

DESCRENÇA TOTAL

De tanto escutar mentiras ditas com pompa e circunstância, nós, os brasileiros de bem, não acreditamos mais em nada que venha deste governo e de seus asseclas, mesmo que tenham uma ponta de verdade. Vivemos, no Brasil de hoje, acontecimentos inexplicáveis, e todos sabem que são falseados os fatos, mas a verdade não se impõe mais como valor primeiro. O mau-caratismo ficou sendo cartão de visita, principalmente nesta época de eleições, em que tudo parece valer para se manter o "poder" O único recurso com que poderemos contar é o nosso voto para voltarmos a acreditar que ainda vivemos numa democracia.

Leila E. Leitão

São Paulo

_____________________

O FUTURO DA DEMOCRACIA

Será que a liberdade e a democracia que nos esperam no futuro, caso a sra. Dilma ganhe as eleições, terá como base a montagem de dossiês, o patrulhamento daqueles que não se alinham com as ideias do governo, a quebra de sigilos e a censura à livre expressão e aos meios de comunicação? Isso sem falar nas inverdades, na politicagem, na impunidade e na corrupção. O cenário vislumbrado, pelo menos para quem raciocina, é assustador. Ainda há tempo de reverter!

David Neto drdavidneto@drdavidneto.com.br

São Paulo

_____________________

KGB BRASIL

Segundo Dilma, José Dirceu não participaria do seu governo. Ninguém acreditou. Numa eventual vitória petista, seria instalado um Planaltinho, um comando paralelo, com Lula, Dirceu e outros mensaleiros.

Aliás, o líder dos mensaleiros, a eminência parda José Dirceu, tem um complexo, o de não ser reconhecido na mídia como o Golbery do Couto e Silva da esquerda, durante sua permanência na Casa Civil do governo Lula. Agora vai tentar novamente num eventual tsunami Dilma.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

_____________________

PATERNIDADE

Dilma Rousseff foi a ''mãe'' do PAC e quer ser ''mãe'' do Brasil, com a bênção e o aval de seu mentor, presidente Lula. Lula quer ser conhecido como o ''pai dos pobres''. O único que está destoando é o vice-presidente José Alencar: ele não quer ser reconhecido como o pai da Rosemary. Enquanto isso, em nossa política, sofremos com muitos padrastos e poucos pais de verdade. Teste de DNA neles para decidir bem no próximo outubro!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

_____________________

LULA E EIKE

Deus os fez, o diabo juntou-os. Para nossa desgraça.

Daqui a alguns anos teremos repeteco com o filhote.

Diva Pedrosa diva.rodrigues@terra.com.br

São Paulo

_____________________

SOMOS MACACOS?

Bastante curiosa a propaganda da Justiça Eleitoral nestas eleições. Diz que a urna é confiável, que devemos votar ''para construir o destino que queremos para o Brasil'' e que ''você pode escolher o destino que quer para você''. Ora, como poderemos construir o destino que queremos para o Brasil ou que queremos para nós se a própria Justiça Eleitoral dá condições nas liminares aos fichas-sujas de concorrer aos mandatos? É o paradoxo absurdo que impõem à cidadania. Imaginam que somos macacos e não percebemos isso?

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

_____________________

IMPOSTÔMETRO

Muito estranho o sr. Serra querer posar ao lado do Impostômetro ("Impostômetro falha na hora H"). Sugiro à Associação Comercial de São Paulo que coloque ao lado do número total arrecadado o quanto estamos pagando por cada tipo de imposto, inclusive ICMS, IPVA, ITBI, IPTU, pedágios, etc.

Aí, quero ver o sr. José Serra posar para fotos...

Vanderlei Nunes luciana@lulubrasil.com.br

São Paulo

_____________________

BANDA LARGA A PREÇO ABSURDO

Li no Estadão de 27/8 que o plano de integração do Brasil na banda larga (PNBL) vai ser oferecido a R$ 35 por 512 kbps. Isso significa que para 4 mega o valor extrapolado seria de R$ 280. Pago por esta conexão R$ 112 pela Telefônica e R$ 41 pela Ajato. Em outros países isso custaria três ou quatro vezes menos. É assim que o governo quer integrar o País na internet, ou seria uma justificativa para criação da Telebrás?

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

_____________________

A MAIOR DE TODAS AS PRIVATIZAÇÕES

A propósito da crônica ''A volta do bode preto da velha esquerda'', do Jabor (31/8), que, como sempre, nos brinda

com sua inteligência e lucidez, quem acompanhou os oito anos do governo

anterior pode se dar conta de que Lula foi responsável pela maior

privatização já efetuada neste país: as realizações do governo FHC,

que ele vende aos incautos como ''herança maldita''. Quem não se lembra

de que o PT foi radicalmente contra o Plano Real, o Proer, a Lei de Responsabilidade Fiscal e as

privatizações de empresas públicas emperradas? Lembram quanto

pagávamos por uma linha telefônica, pela qual tínhamos de esperar

durante anos? E por aí vai...

E agora, para completar, Lula afronta a classe política e a

inteligência geral ao impor ao País uma candidata que nunca enfrentou

uma eleição. Isso, sim, pode ser chamado de ''herança maldita''. A partir

de 1º de janeiro, ele não terá mais poder e vamos ver quem segura os

radicais de esquerda, MST, etc.

A oposição, calejada e acuada, poderá até tentar reagir, mas a luta,

vejam quanta ironia, vai ser semelhante à do MDB contra a famigerada

Arena.

Francamente, o Brasil pode e merece mais!

Ivacy Furtado de Oliveira

Tatuí

_____________________

ARNALDO JABOR

Arnaldo Jabor disse em sua crônica tudo o que penso e gostaria de dizer. Mais ainda, de esclarecer para todo o nosso Brasil, tão pouco esclarecido: roubalheira desenfreada, oposição inexistente (telhado de vidro?), bolsas para incentivar a miséria - miséria e pouca cultura rendem -, e anulando o melhor governo que tivemos, que foi de 1994 a 2002 (FHC). Pena que essas informações não chegam aos 80% da população que votam e admiram "Lula e sua gangue".

Márcia Rossi Soares marciarossisoares@yahoo.com.br

São Paulo

_____________________

CADEIRINHA DISCRIMINADA

É incompreensível e inexplicável que legisladores míopes exponham a Justiça ao ridículo de decisões iníquas, parciais e que deságuam uma polêmica que nos leva a desacreditar de quem legisla, de quem governa e de quem julga Haja vista o fato das discutidas cadeirinhas. Exige-se, sob ameaça de multa e sete pontos na CNH, o uso da mesma. Mas, ao mesmo tempo, como se essa lei não fosse pra todos, lá vem a exceção de que em vans escolares não é necessário esse implemento, que, pretensamente, garante a segurança das nossas crianças. Igualmente os ônibus estão isentos. Até onde, neste país, o lobby, a pressão das empresas e dos sindicatos vão ditar normas para todo o povo? Ora, essa é uma medida esdrúxula. Ou vale para todos ou não vale para ninguém.

Geraldo Peres Generoso geraldo156@itelefonica.com.br

Iapussu

_____________________

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.