Cartas 02/12/2010

FIM DE GOVERNO

, O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2010 | 00h00

Amargura

Nosso presidente vive horas de desespero, amargurado por ter de deixar o poder. "Eu sou a encarnação do povo." Essa afirmação egocêntrica é uma evidência de que seu desejo era continuar no poder ad perpetum. Deve estar arrependido por não ter proposto emenda à Constituição conferindo-lhe o direito de disputar vários mandatos, a exemplo de seu colega Hugo Chávez. O poder subiu-lhe à cabeça mesmo!

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

O "SANTO"

Depois de Lulla ter mais uma vez se vangloriado, dizendo ser "a encarnação do povo", a pergunta é: para que data foram marcadas pelo Vaticano a beatificação do "cara" e sua posterior santificação?

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@estadao.com.br

Cunha

_________________________________

AMÉM, PRESIDENTE

A "encarnação do povo", também conhecida como a "metamorfose ambulante", quer desencarnar da Presidência, fazer uma limpeza do cargo. Seja feita a sua vontade, assim em Brasília como em todo o Brasil.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

ESTRELA SEM BRILHO

O que está acontecendo com o presidente de saída? Devia estar feliz, ficar na "reserva" e continuar determinando os ministros do futuro governo, e muito mais. Reclama de quê? Quem vai precisar de um psicólogo é o próprio, depois de dizer que o sr. Sarney (e qualquer eleito) que toma posse passa a ser uma "instituição". Será que é pelo que ganha ou pelo que gasta? Falta pouco para Tiririca tomar posse e passar a ser uma "instituição", que bom! É, quando uma estrela perde o brilho, a falta de visibilidade incomoda... Ou é o fim que irrita?

LUIZ DIAS

lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

REAÇÃO

O presidente Lula, homem público da maior máquina de propaganda como nunca antes existiu neste país, anda agora preocupado em manter relações muito próximas com os oligarcas, especialmente os do Nordeste, como bem mostra a matéria Lula reage a pergunta sobre oligarquia Sarney (1.º/12, A8). Ao que tudo indica, Lula agora pertence àquela outra categoria que sempre se beneficiou da miséria nordestina.

JOSÉ ELIAS LAIER

joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

_________________________________

NOVOS TEMPOS

Quem te viu e quem te vê... Lula defendendo os Sarneys.

JORGE ZAVEN KURKDJIAN

zavida@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

COMPADRES

Quem diria, hein, "painho" Lula defendendo o "sinhozinho" Sarney?! O grotão regional, em perfeito genuflexo diante de uma bolsa-esmola qualquer, penhoradamente agradece a manifestação explícita de compadrio...

PAULO BOCCATO

pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

_________________________________

CENSURA

É, o "cara" ficou bravo e se transformou quando o repórter do Estadão lhe perguntou se estava ali para agradecer o apoio da "oligarquia Sarney". Ou seja, é provável que esse estreito relacionamento de ambos possa ter tido alguma interferência para manter a censura ao jornal.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

_________________________________

OLIGARQUIA

A respeito do comentário do quase ex-presidente sobre a oligarquia, será que ele acha que o povo é trouxa ou ingênuo? Assim não dá, né, presidente?!

ISAEL COLEONE

isael.coleone@itelefonica.com.br

Indaiatuba

_________________________________

DESTEMPEROS FASCISTAS

Lula demonstrou-se um democrata no governo. Mas, às vezes, manifesta pendores fascistas em seus destemperos verbais. Desta vez foi demais. Associar política a tratamento mental é de gelar a espinha. Puro raciocínio fascista. Stalin é que encaminhava desafetos e adversários para definitivos tratamentos psiquiátricos nos gulags. Mais prático, Hitler, por sua vez, ministrava a "solução final" sem tratamento algum. Com base em sua repentina sabedoria clínica, caberia a Lula emitir um laudo sobre as condições mentais daquele polêmico senhor italiano a quem ele deu asilo no Brasil. Aquele, sim, parece alimentar preconceitos contra algumas instituições republicanas.

JOSÉ ROBERTO SANT"ANA

jrsantana10@gmail.com

Rio Claro

_________________________________

DE PRECONCEITOS

Dona Roseana Sarney, não é preconceito contra a mulher, não, é horror à pouca-vergonha mesmo!

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

BRASIL-ARGENTINA

Passividade ou sensatez?

O editorial Maus modos, velhas práticas (27/11, A3) comenta as grosseiras ameaças que supostamente teriam sido feitas pelo secretário de Comércio Interior da Argentina, Guillermo Moreno, ao embaixador brasileiro em Buenos Aires, sr. Ênio Cordeiro. Embora ambas as chancelarias tenham vindo a público desmentir tal incidente, podemos até supor que ele realmente tenha existido. Chama a atenção que o Estadão critique a política do governo Lula para com o país vizinho, ao dizer que "as agressões argentinas (...) sempre foram toleradas". O mesmo editorial afirma que, apesar das desvantagens provocadas pela valorização do real e do aumento das exportações argentinas em 30%, o Brasil obteve saldo favorável de US$ 2,9 bilhões no comércio binacional de janeiro até outubro. Pareceria que a diplomacia do governo Lula está indo muito bem, apesar da manifestação de brios feridos feita pelo jornal! Mas, dada a tradicional política do Estadão em relação aos atuais governos argentino e brasileiro, não resulta estranho que qualifique como passividade a sensatez manifestada mais uma vez pelo governo Lula.

RAMÓN GARCÍA FERNÁNDEZ, professor da FGV/EESP

ramon.garcia.fernandez@gmail.com

São Paulo

_________________________________

"Quantos ministros faltam ainda para Lula nomear?"

ROBERT HALLER / SÃO PAULO, SOBRE O GOVERNO DILMA

robelisa@click21.com.br

"Da série perguntar não ofende: se era para fazer só uma ligeira

reforma ministerial, para que eleição?"

ANGELA CARACIK / SÃO PAULO, IDEM

angelacaracik@terra.com.br

"Falando com franqueza, alguém acredita que o tráfico de drogas esteja interrompido no Rio?"

FLÁVIO JOSÉ RODRIGUES DE AGUIAR / RESENDE (RJ), SOBRE O COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

flavio.daguiar@gmail.com

_________________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 2.926

TEMA DO DIA

Ação no Rio não vai acabar com o tráfico

No Twitter, José Beltrame, titular da Segurança no Rio, afirmou que foco é eliminar as facções

"O dever do Estado é lutar para acabar com o crime. Se ele não dá conta do recado, que outra pessoa entre em seu lugar."

ROLANDO SILVA

"Esclarecido que o tráfico não irá acabar, os criminosos se sentirão mais seguros e a normalidade voltará em breve."

FLAVIO ANDRADE

"Beltrame achava mesmo que pensávamos que ele acabaria com o tráfico, uma vez que parte da polícia está envolvida?"

JOSÉ MARIA DE JESUS

_________________________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

VAZAMENTO DE POLICHINELO

Poderão ser constrangedores para muitos os documentos que o WikiLeak divulgou, porém há tempos seu teor vinha sendo pressentido e objeto de comentários na imprensa. Quanto à posição de nossa política externa, como se tornou notório, bem diverso rumo tomou a Casa de Rio Branco nos oito anos do atual governo. Antes, na nossa representação em Washington, desde Joaquim Nabuco até os embaixadores que antecederam a era Lula, como Moreira Salles ou Flecha de Lima, se jamais antiamericana a sua conduta, nunca foi subalterna, mas altaneira. Mudaram as rotas e nem sequer alcançados os novos objetivos, bastando que se lembre a atuação do Brasil por vezes até em confronto com as Nações Unidas. Mas se, até agora, pouco de surpreendente ou inesperado vazou, esperemos que haja novidades nas centenas de outros documentos de publicação anunciada.

Jairo P. Gusman jairogusman@gmail.com

São Paulo

_________________________________

WIKICERTEZAS

Lula tem certeza do comportamento de Nelson Jobim e tem certeza do comportamento de Samuel Pinheiro Guimarães. "Eles são amigos e um não falaria mal do outro", conforme afirmou.

Lula também tem certeza de que o mensalão nunca existiu.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

_________________________________

WIKILEAKS

Pelas mensagens ''sigilosas'' trocadas pelo embaixador americano no Brasil e o Departamento de Estado, mostrando a percepção que a diplomacia americana tinha sobre o governo Lula, este embaixador só pode ser assinante do Estadão.

Rubens Vilcek vilcek.rubens@gmail.com,

Bertioga

_________________________________

BISBILHOTAGEM

Bisbilhotar é o que as autoridades fazem quando acompanham todos os movimentos do cidadão comum. A partir da bisbilhotagem contábil, tributária e bancária que cerca o contribuinte brasileiro, até as câmeras instaladas em elevadores, corredores, ruas, praias, campos de futebol, condominios de luxo, favelas e centenas de outros locais públicos e privados, somos um povo bisbilhotado 24 horas por dia. E ainda colocam uma placa dizendo: "Sorria, você está sendo filmado". A cada dia que passa surge um novo tipo de bisbilhotagem na vida do cidadão. Apesar de tudo isso, para fazer qualquer negócio ainda temos de provar, autenticar, pagar e jurar que nós somos nós mesmos. Mas quando aparece algum tipo de bisbilhotice que possa incomodar os poderosos, sempre surge um movimento para que tal coisa tenha um ponto final. É o que está acontecendo com um sujeito chamado Julian Assange, fundador da WikiLeaks, que desde 2008 já ganhou vários prêmios para novas mídias, ou seja, bisbilhotagem, e agora passou a ser procurado pela polícia do mundo todo. E não é bisbilhotagem irresponsável que o cara faz, não. É tudo lastreado por documentos, videos e fotos, que estão escondidas nos arquivos dos fofoqueiros oficiais. Parece que agora os caras resolveram botar para quebrar e a turma que estava tentando abafar os assuntos divulgados pelo WikiLeaks percebeu que a divulgação dos segredos se transformou numa bola de neve. E a bisbilhotagem chegou ao Brasil, envolvendo autoridades e corruptos brasileiros. Como somos uma nação abarrotada de oportunistas, o Brasil poderia ser o primeiro país a resolver esse problema, criando uma lei que determine a colocação de câmeras com som em todos os órgãos públicos, gabinetes, ante-salas, em todos os lugares, e dentro de todos os aposentos do Congresso Nacional, em todas as Assembleias Legislativas, no Judiciário, nas dependências do Palácio do Planalto e nas sedes dos governos estaduais e municipais, onde todos deveriam andar com um microfone na lapela. Todas as conversas telefônicas seriam ouvidas. Tudo seria filmado, gravado e visto por todo mundo. Nada seria secreto. O Brasil seria enaltecido no mundo inteiro. Seria o fim da WikiLeaks.

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

_________________________________

DIPLOMACIA DOS EUA

A divulgação de milhares de documentos, informações e dados sigilosos pelo WikiLeaks revelou que a diplomacia dos EUA não passa de uma grande patifaria. O WikiLeaks presta um grande serviço de utilidade pública a todo o planeta ao desnudar o jogo de poder e a deslealdade dos EUA no cenário mundial. Mentiras, intrigas, subornos, tortura, guerra, na mais completa falta de ética ou moral, num verdadeiro vale-tudo praticado pelos EUA. Graças ao WikiLeaks, agora temos transparência e acesso a informações sigilosas, até então desconhecidas pelos cidadãos. A máscara caiu e ficou claro que, ao invés de terem uma diplomacia pautada por valores éticos e democráticos, os EUA têm, isso sim, é uma grande rede de intrigas, espionagem e banditismo a serviço de seus interesses mesquinhos e inconfessáveis.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

NOVAS DEFESAS

Interessado em atingir a hegemonia americana, o criador do WikiLeaks acabou atingindo mais os outros países, inclusive o Brasil, do que os próprios EUA, revelando algumas das suas opiniões e estratégias sobre esses países. Desse modo, o que poderia expor fraquezas pode acabar dando aos EUA uma oportunidade para desenvolver novas defesas e conhecer melhor a opinião mundial sobre os outros.

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

_________________________________

O "DESSERVIÇO" DO WIKILEAKS

Falamos e demonstramos apenas 10% do que somos. Já ouvi dizer que, se falássemos os outros 90% do que pensamos ou demonstrássemos o que realmente somos, com certeza provocaríamos uma hecatombe mundial. Também já ouvi dizer que, se soubéssemos o que se passa numa fábrica de salsichas, jamais comeríamos salsichas. Assim também, não sabemos o que se passa por nos bastidores do palco de uma bela peça. Ainda ninguém pode imaginar o que verdadeiramente se passa no seio de uma família ou uma empresa, aparentemente linda e maravilhosa, e por aí vai. O mundo já está conturbado que não precisa mais de intrigas.

Sebastião Pereira jardins@oadministrador.com.br

São Paulo

_________________________________

PONTA DO ICEBERG

A corrupção do governo Lula que soubemos pela nossa mídia foi tão grande que aquela mostrada pelo site WikiLeaks, além de defasada, foi só a ponta do iceberg. Melhor chamá-lo ''like a weak information''...

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br

Marília

_________________________________

DESIMPORTANTE

O vazamento sobre ocorrências interna corporis nos meios governamentais não auxilia o processo democrático, apenas satisfaz a curiosidade mórbida sobre acontecimentos intramuros, aos quais os comuns dos mortais não têm acesso. Assim como tudo o que se passa por nossas cogitações é irrelevante para o direito, o que os governos não exteriorizam e oficializam é nada. Seria o máximo de ingenuidade supor que as administrações prescindem de informações privilegiadas para adotar suas posições oficiais, e apenas estas é que importam. O resto é fofoca e material para ''best sellers'' que tanto agradam ao público. O site WikiLeaks tem um papel absolutamente secundário na vida política. A pudica Europa ficou indignada, porquanto não foi devassado seu telhado de vidro.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

NOS BASTIDORES

O site WikiLeaks, pertencente a um grupo ativista especializado na publicação de documentos confidenciais, vazou para a imprensa 250 mil documentos sigilosos, 1.947 dos quais refrentes ao Brasil. Porém até o momento poucos deles foram publicados e um diz que "nem o Brasil aguenta mais Hugo Chávez". Estou curioso para saber o que se comenta sobre o ''cara'' nos bastidores da política internacional, pois é lá que se dizem as verdades. Acredito que ele seja ridicularizado juntamente com o grande Celso Amorim e, de quebra, o assessor Top Top. Prece qua a máscara vai cair antes do previsto.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

_________________________________

TERRORISTAS NO BRASIL

Documentos diplomáticos secretos divulgados num site americano mostram que no Brasil terrorista do Hezbollah e extremista sunitas são presos como traficantes, escondendo suas reais tendências para não chamar a atenção da mídia. É estarrecedora essa informação, apesar de nada improvável, porque os nossos antigos terroristas fazem parte hoje da cúpula governamental, tendo inclusive uma das guerrilheiras mais influentes sido eleita presidente! Para confirmar o fato, Dillma, presidente eleita, na definição de seu gabinete confirma a presença de Marco Aurélio Garcia, notório participante do Foro de São Paulo e antigo amigo dos narcoguerrilheiros das Farc. Portanto, tudo em família! Alguns latino-americanos, outros asiáticos, muçulmanos, mas a roupagem continua a mesma: ser conivente com o terrorismo pelo mundo afora! A forma mais cruel e covarde de fazer política!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

DO PRÓPRIO VENENO

Sobre a reportagem de ontem no Estadão "Esquadrão matou físico, acusa Irã", esse país, com seu presidente fraudulento e apedrejador de mulheres, está provando do próprio veneno, sempre financiou grupos terroristas, como Hamas e Hezbolah, que atacam civis inocentes indiscriminadamente, e hoje é atacado por supostos grupos terroristas, supostamente financiados por países ocidentais, e agora vem dar de vítima, ou seja, faça o que eu falo não o que eu faço. Ora, sr. Ahmadinejad, tenha vergonha nesta sua cara mal lavada.

Ariel Krok arielkrok@gmail.com

São Paulo

_________________________________

PÉSSIMA ESCOLHA

Com tanta gente democrática para ocupar uma pasta que representa o Brasil perante o mundo, olha quem escolheram. Marco Aurélio Garcia não foi só um dos principais articuladores da aproximação do Brasil com países de pouca tradição democrática, como a Venezuela, uma exportadora de instabilidade política, onde afirmou haver excesso de liberdade, como foi um dos que trabalharam decisivamente para o esfriamento de relações diplomáticas com os EUA e outros países democráticos A notícia de que Garcia continuará exalando seu aroma

pró-esquerda nos próximos quatro anos me faz indagar: de quem foi a decisão de mantê-lo no cargo e com que objetivo? Exibir ao mundo as novas tendências de esquerda no Brasil? Como não me sinto representado por essa corrente vermelha, a quem devo enviar meu protesto de indignação por essa escolha, a Dilma, Lula? Ou ambos?

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

ÚLTIMAS DE AMORIM

Em sua entrevista "Precisamos repensar nossa relação com a China" (Estadão 27/11), Celso Amorim faz um balanço de sua gestão, oportunidade em que rebateu críticas por omissão do País em temas polêmicos internacionais. Quando questionado sobre o Itamaraty não criticar condenações públicas de violações a direitos humanos para manter o canal de comunicação aberto e influenciar, ele simplesmente respondeu que não dá certo fazer as duas coisas, pois se ficarmos condenando nos descredenciamos como interlocutor. Precisamos ter uma atitude que propicie o diálogo. Trocando em miúdos, se der para levar alguma vantagem dialogando na relação política, que se lixe a jovem iraniana que foi condenada à morte por apedrejamento. Mais à frente, perguntado se seria positivo a presidente eleita, Dilma Rousseff, se encontrar com o presidente americano, Barack Obama, em Washington antes de sua posse, ele foi enfático: "Na minha opinião, é mais importante ela ir à Argentina, porque simboliza as realizações com a América do Sul." Faltou mencionar quais relações foram vantajosas com "los hermanos", pois perdemos uma refinaria para o Equador, vamos continuar a perder na Bolívia, onde Evo Morales não vai só vender gás para o Brasil, exige investimentos locais, como refinaria, infraestrutura. A presidente Dilma ratificou que a Petrobrás prevê ampliar seus investimentos na Bolívia para aumentar a produção de gás natural nos campos em que opera, além da ampliação da capacidade do gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol). Aí perguntamos: realizações vantajosas para quem? Ele lembrou também que, em termos de relações, faltou uma estratégia mais clara para lidar com a China, como se a China estivesse muito preocupada com a estratégia brasileira. Grande Amorim, ser coerente nunca foi seu forte, durante o governo Lula foi um esforçado semeador de abobrinhas, só faltou dizer que sua política Sul-Sul foi um estrondoso sucesso. Esqueceu de frisar que o verdadeiro chanceler de Lula se chama Marco Aurélio Garcia, que recentemente esteve em a La Paz tratando, além do tema do gás natural, de temas como modernização agrícola, projetos de mineração e a construção de infrainstrutora elétrica e viária, que Dilma elogiou muito, mas nós já antevemos que todas terão o mesmo fim abaixo da linha do Equador.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

CARREFOUR NUMA ENCRUZILHADA

Uma revisão das contas do Carrefour identificou perda de R$ 1,2 bilhão. Má notícia para seus acionistas. Péssima notícia para os fornecedores cuja condição de "parceiros" poderá ser invocada para diversas contribuições ''espontâneas'' adicionais a fim de comemorar abertura de lojas, o aniversário da rede, sem deixar de lado a concessão de bonificações diversas e propaganda cooperada, naturalmente, sem reflexo no custo de aquisição das mercadorias, tudo isso com a elegância da qual apenas o mais forte é capaz.

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

_________________________________

ROMBO

Não é à toa que o Carrefour tomou prejuízo. São anos a fio de mau atendimento, má organização, mercadorias sem preço, um preço na gôndola e outro no caixa, falta de autonomia dos caixas, funcionários mal-educados, aos berros nos corredores pronunciando palavrões na frente dos clientes, mercadorias comuns em falta, falta de gestão na reposição de mercadorias e por aí afora.

Virginia A. Bock Sion vickybock@hotmail.com

São Paulo

_________________________________

DILÚVIO SOBRE O ABC

Como já era esperado, bastou chover forte aproximadamente um hora para que cidades do ABC - e da Região Metropolitana de São Paulo - virassem um caos. As imagens mostradas pela TV, de avenidas alagadas, carros submersos, trens e ônibus esperando a água baixar para trafegar, dão apenas uma pequena amostra do que será das cidades do ABC e da capital paulista no período de chuvas que está por vir, no início do ano. É ainda pior quando um momento da chuva coincide com horário de pico e pega as pessoas cansadas e estressadas depois de um dia de calor escaldante e agitado. Ao menos sete vias ficaram debaixo d"água em São Caetano durante a chuva na tarde de terça-feira. Em Santo André, várias ruas entorno da Avenida do Estado ficaram alagadas, impedindo o trânsito de veículos e de pedestres, como também a circulação de trens da linha

10-Turquesa da CPTM foi interrompida entre Utinga e Mauá. Desesperadas, pessoas arriscaram-se, dirigindo veículos pela contramão, andando pelos trilhos do trem, caminhando com água pelos joelhos, arriscando-se a cair em bueiros ou contrair doenças infecciosas. Por mais que as autoridades digam que estão tomando providências, como é o caso de São Caetano, que vem nos últimos anos investindo maciçamente em obras contra enchentes para resolver a situação, ano após ano a cena teima em se repetir. Somente quem vive de perto essa realidade para saber o quanto dói perder todos os bens materiais, quando não a vida. Imagino o sofrimento da mãe que perdeu dois filhos num córrego, dias atrás. Quantas vidas ainda terão de ser perdidas para que efetivamente cenários como esse de terça-feira deixem de ocorrer? As eleições já passaram, agora é a hora de meterem a mão na massa para acabar com esse flagelo que ano após ano insiste em castigar as cidades do ABC e a região metropolitana. Esperamos que nossos governantes tenham vontade política para que outras vidas não sejam ceifadas e não tenhamos de viver em estado de alerta permanente. Afinal, vivemos numa região das mais ricas do País. Podemos fazer mais e melhor para nossa população, não é mesmo, excelências? É só querer!!!

Turíbio Liberatto www.turibioliberatto.nafoto.net

São Caetano do Sul

_________________________________

E AS ÁGUAS CHEGARAM...

A estação das águas nem bem chegou e já dá para se ter ideia do que nos espera: alagamentos, inundações, transtorno no trânsito, interrupção de transportes e... mortes. São muitas as causas que, em conjunto, causam tragédias. Há que haver perfeita sintonia entre o poder público e o povo para minimizar os problemas, porque resolvê-los, no atual contexto, acredito ser impossível.

Nas inundações desta terça-feira, mostradas pela TV, vimos o acúmulo de lixo sendo arrastado pelos rios e riachos do ABC: o povo continua desprezando os alertas, ao despejar seu lixo nas ruas. Em São Caetano, embora a coleta de lixo seja diária, inclusive aos domingos e feriados, com horário certo, não raro observamos as pessoas colocarem seus sacos de lixos na rua, nem bem o caminhão coletor acabou de passar. E esse lixo é carregado pelas águas quando a chuva é forte, como ocorre nesta época do ano. Por outro lado, os funcionários da limpeza pública muitas vezes usam os bueiros como depósito de lixo, talvez por falta de conhecimento ou mesmo orientação.

Além disso, as galerias não comportam mais o crescimento vertical das cidades e essa é uma longa história, cuja síntese é a ganância arrecadatória, pura e simples!

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Caetano do Sul

_________________________________

PARCERIA PAULISTA

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, acenou, sabiamente, com a continuidade das parcerias entre a administração estadual e a Prefeitura da capital. Afinal, em time que está vencendo não se mexe e no caso do governo e da capital só um neófito político agiria de outra forma.

Macmiller José Ribeiro macmilleribeiro@gmail.com

São Paulo

_________________________________

MEXIDA NO TABULEIRO

Em sã consciência, algum político de verdade crê na ruptura entre o prefeito Gilberto Kassab e o vice-governador eleito, Afif Domingos, com o DEM, o PMDB e o PSDB paulista? Há, sem dúvida, muita especulação e disse-me-disse, porque muita gente ainda não entendeu a mexida das peças no tabuleiro.

Klaus Benvenuto klausbenvenuto@gmail.com

Santo André

_________________________________

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Primeiro se anunciou, depois se falou que ainda não estava escolhido, mas a verdade é que se o secretário estadual de saúde do Estado do Rio, Sérgio Cortes, vier a ser escolhido como ministro da Saúde do futuro governo Dilma, farão uma péssima escolha. Não fez nada durante a gestão, desperdiçaram-se remédios, compraram material hospitalar a preços três, quatro vezes mais caros que o preço no balcão, os hospitais estaduais estão abandonados, sem manutenção, sem equipamentos, as UPAs são apenas uma fachada para enganar trouxa, e ainda tem o processo por contratação irregular de uma empresa para manutenção das ambulâncias. Nomear alguém assim é começar o governo muito mal e arranhando sua imagem.

Panayotis Poulis ppoulis@ig.com.br

Rio de Janeieo

_________________________________

METAMORFOSE AMBULANTE

O presidente Lula vem escolhendo os ministros do governo Dilma Rousseff a cada dia. Uma coisa todo brasileiro aprendeu: quando Lula diz "não vou dar palpite", é porque ele palpita em tudo. Cada vez que surge a oportunidade para Dilma escolher um ministro ou ministra, lá vem Lula dizendo que tal pessoa deve ficar no governo. Ou seja, Dilma foi eleita, mas quem governará será Lula. Esta é uma forma de terceiro mandato camuflado, que se encaixa perfeitamente na pele da metamorfose ambulante Lula da Silva. Quem viver verá.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

_________________________________

O TEMPO DIRÁ

Lula finalmente reconhece que só pôde fazer o que fez graças aos que o antecederam, em especial Itamar e FHC. Não fez mais, e o Brasil não cresceu tanto como o restante do mundo, porque sempre esteve preocupado em "jogar para a galera". Cumpriu sua meta de amparar os "cumpanhero" pelo loteamento de cargos. O próximo passo será reconhecer que a verdadeira herança maldita é o que está deixando para Dilma.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

POSTOS NO GOVERNO

Na ciranda de distribuição dos Ministérios, quem esperava novidades se iludiu amargamente, pois continuam os mesmos nomes da época do ''cara'', com algumas alterações de pastas. Até Levy Fidelix, candidato a presidente com quase seu 0,5% de votos, pleiteia a Dilma um ''espaço no governo''.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

_________________________________

COMPETÊNCIA

Dona Dilma Rousseff foi eleita para exercer o cargo de presidente deste país, com direito a ser auxiliada pelos ministros de Estado que vier a nomear. Se lhe vai competir nomear, é claro que lhe competiria também escolher. O que ultimamente se tem visto é a reincidência da escolha, embora com uma troca de cadeiras. E essa escolha, como sempre, é ditada por interesses político-partidários, ou de grupos que atuam nos bastidores. Todavia está claro que a regra vigente é respeitar as exigências preferenciais do presidente cujo mandato está em extinção. Dá ele aval à escolha, aconselha a escolha, enfim, escolhe mesmo por ser sua exigência que os fios de comando que manipulam os escolhidos permaneçam em suas mãos. Assim, na realidade, tal qual milhões de brasileiros, a presidente eleita está sentada na plateia como mera espectadora de um espetáculo grotesco que é a manutenção de nomes de um "Ministério gasto", na feliz expressão de Eça de Queiroz.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

_________________________________

SUBMISSÃO

Nem o inexpressivo Ministério da Pesca escapou de um ministro que não esteja com sua ''ficha'' recomendável - Ideli Salvatti, a mão direita de Lulla no Senado. Até aqui Dilma Rousseff mostrou a que veio, e não poderia ser diferente, é uma questão de sujeição, ela só ouve, vê e obedece àquilo que seu mestre mandar. Realmente, ela será a reencarnação de Lula e dele não se livrará até 2014, ou, macabramente falando, até que a morte os separe!

Leila E. leitão

São Paulo

_________________________________

CARÊNCIA

A propósito da composição do Ministério de Dilma, lembra-me o velho brocardo mineiro: "Em casa de poucos móveis, caixote também serve pra sentar". Como o PT está carente de "gente" à altura, aconselha-se indicar o velho e fanático jornaleiro petista...

L. Dutra l.dutradvogado@uol.com.br

Avaré

_________________________________

DESCIDA DA RAMPA

Mais 30 dias e o populismo vai descer a rampa, ações pop de curto prazo deverão parar, pelo menos diminuir, espero que para o bem do Brasil sejam tomadas efetivamente ações de médio e longo prazo, planejadas e estudadas. Ficaremos livre no dia a dia do ''cara''. Nos novos Ministérios só estão ficando os médios, por que será? Será que a nova "presidenta" é o limite? Contaremos os dias.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

_________________________________

CONTAGEM REGRESSIVA

Ontem se iniciou a contagem regressiva para o final da era Lula, pode ser que fique igual, pois, como diz o grande apedeuta Tiririca, pior do que está não fica, mesmo porque desta vez o PMDB deverá sair da sua letargia de coadjuvante e postular os seus direitos como o maior partido da oposição na ditadura, principalmente agora que o vice tem saúde e poderá governar realmente. Esperamos que "rei morto, rei posto" não seja somente da boca pra fora, como tudo o que foi dito até agora, e seja mesmo definitivo.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

_________________________________

PMDB

O PMDB está para o PT como filho bastardo. Só serve para fazer serviços sujos e subalternos. Bem feito.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

_________________________________

MANOBRAS CONTÁBEIS

Este desgoverno é imbatível no quesito enganação. Como se não bastassem as manobras para abafar o mensalão, para esvaziar CPIs comprometedoras, para segurar o imperador Sir Ney no congresso - em letra minúscula mesmo, pois eles não representam o povo, mas a si mesmos e seus aliados -, para iludir o eleitor nas últimas eleições, para acobertar as mazelas dos parentes e aliados, agora somos surpreendidos, mais uma vez, com o jeitinho para maquiar o resultado das contas públicas, cujo resultado negativo está galopante. A substituta do ufanista e apedeuta que está presidente não poderá se queixar da herança recebida, pois apenas estará dando continuidade ao engodo. Salve-se quem puder, porque em 2011 teremos um aprimoramento do processo de rapinagem nos bolsos dos brasileiros comuns, nós, contribuintes.

Claudio D. Spilla Claudio.Spilla@CSpilla.org

São Caetano do Sul

_________________________________

FREUD EXPLICA

O presidente Lula, que reagiu com irritação a uma pergunta da reportagem do Estadão sobre as suas relações com a oligarquia Sarney, que domina o Maranhão há quase meio século, recomendando ao repórter que a formulou que fizesse psicanálise para resolver o seu preconceito contra o presidente do Senado, talvez, sem querer, tenha encontrado a solução para os problemas que assolam o segundo Estado mais pobre do Brasil.

Doravante, no Maranhão, que aqueles que vivem em situação de miserabilidade (27,2% da população), que os pais dos milhares de crianças mortas anualmente (segunda maior taxa de mortalidade infantil do País), que os milhares de crianças em idade escolar analfabetas (38% das crianças entre 8 e 9 anos de idade), enfim, que os maranhenses em geral, que têm a segunda menor expectativa de vida entre os brasileiros, passem a fazer psicanálise para resolver os seus problemas, pois, segundo o que se infere da fala irritadiça do presidente Lula, a solução para as mazelas do Maranhão está nas teorias de Sigmund Freud, e não no fim do domínio da perversa e insensível oligarquia capitaneada pelo estimado aliado de Lula (quem diria!), o senador José Sarney.

O Maranhão? Freud explica!

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

_________________________________

PSICANALISTAS, APRESENTEM-SE

Vai ser preciso muito psicanalista neste país para fazer com que o povo entenda e se cale, enquanto uma verdadeira quadrilha o divida e saqueie impunemente.

Luiz Carlos Cunha luiz.cunha@terra.com.br

São Paulo

_________________________________

OLIGARQUIA

Perdi meu moral nos discursos para os meus filhos, quando na escola, sobre a necessidade de leitura e estudos. Desfilava um lote de ocupações que eles poderiam exercer caso não estudassem e não se interessassem por livros. Os mais velhos agora me recordam que poderia ter incluído a Presidência. O ''cara'' está confundindo preconceito com conceito. Se alguém disser que sou baixo, não é preconceito, pois tenho apenas 1,65 m. Posso até me irritar, como o "cara", pois a verdade é dolorida.

Manoel Mendes de Brito voni.brito@itelefonica.com.br

Bertioga

_________________________________

GUERRA, NÃO!

Parabéns ao jornalista João Paulo Charleaux pela esclarecedora reportagem que mostra que o que ocorre no Rio não é uma guerra, na edição de ontem. Um dos poucos textos equilibrados, críticos e realmente informativos que li, vi ou ouvi sobre o assunto. O Estadão precisa mais disso: informação precisa e aprofundada, fugindo do

lugar-comum e do oba-oba uníssono da assim chamada opinião pública.

Julio Cruz Neto www.doisagirar.wordpress.com

São Paulo

_________________________________

PRESENÇA DO ESTADO

Tudo indica que nessa ofensiva de forças mistas de segurança nos morros do Rio, pelos contatos que são mantidos com a presidente Dilma, ela deve ter influenciado em muito tais medidas. Dilma Roussef está mostrando a que veio, e com um bom começo, antes mesmo de sentar-se na cadeira presidencial. Que isto confirme o provérbio que ''pelo dedo se conhece o gigante''.

Geraldo Peres Generoso geraldo156@itelefonica.com.br

Ipaussu

_________________________________

POR QUE NÃO ANTES?

Li neste espaço, na edição do último dia 30, uma indagação das mais pertinentes, da leitora sra. Célia Henriques Guercio Rodrigues, de Avaré, que peço licença para reproduzir: ''Será que entendi? Se os bandidos não tivessem começado a bagunça, tudo estaria igual, como nos tempos de Cabral? Cabral?!'' As favelas do Rio de Janeiro nem de longe podem ser comparadas às montanhas e grutas do Afeganistão, onde há tempo soldados americanos caçam Bin Laden. Os complexos de favelas do Rio estão concentrados nas encostas dos morros e seus labirintos e conexões são sobejamente conheciodos pelas forças de segurança do Rio, razão pela qual acho perfeitamente cabível perguntar ao governador Cabral: por que não se articulou antes essa operação conjunta com as Forças Armadas, para levar aos bandidos o caráter surpresa de uma derrota talvez com resultados ainda mais efetivos, como a que parece estar sendo alcançada agora? Que sirva de alerta a outras cidades, para que tenham estratégias de ações preventivas para atacar pesadamente o crime organizado onde se mostrar arraigado e dominante, sem deixar que chegue a situação assustadora como a da maravilhosa Rio de Janeiro. O governo federal deve também vigiar melhor nossas fronteiras para que não passem por elas as drogas e armas que alimentam o crime e a violência nos grandes centros do País.

Rubens Muniz Ferraz rferraz4@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

RIO PARASITA

O Rio, devido à incompetência e indolência de seus governantes, transformou-se num horrível ninho de marginais. O Estado do Rio de Janeiro, ausente e somente interessado em carnaval, agarra-se como parasita aos demais Estados, sugando todos os recursos deles. Qual o custo total desta operação militar para os cofres dos outros Estados? Vai faltar dinheiro para tudo! O Brasil não é uma Federação? E quando os bandidos voltarem?

Lotar Kaestner kaestnerlotar@hotmail.com

Curitiba

_________________________________

ESQUECIMENTO

Tentando cortar a energia do tráfico, as autoridades

esqueceram-se de desligar a usina dos usuários.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

_________________________________

O CIRCO EM CENA NOVAMENTE

O Sérgio Cabral e o Lulla montaram o circo no Morro do Alemão e na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, e os palhaços fomos, mais uma vez, nós, brasileiros.

Paulo Francisco Siqueira dos Santos paulosiqueirasantos@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

_________________________________

Polícias

Já que as ações no Rio demonstraram que a união das polícias se mostrou eficaz, como nos dizem as notícias divulgadas, não seria o momento de discutir uma mudança das mesmas, já que convivemos com esta anomalia no País de duas polícias, a Civil e a Militar, herança absurda da ditadura, que nem o popularíssimo governo Lula ousou mexer? Por que não criar uma nova polícia, mais eficaz e, como já foi no passado, com forte prestígio entre a população?

Francisco da Costa Oliveira fco.paco@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

OS "LEÃO"

Olelâ, olalá,

Qui bão, qui bão,

o Rio tomou o Alemão

correu com os traficante

derrubou os ''avião''

Olelê, olalá,

Foi um ''pega prá capá''

os ''Rambo'' do Bope em ação

nos ''brindado'' da Marinha

''resorveram'' a situação

Olelê, olalá,

Os ''pilantra'' deram no pé

com medo de ''encará''

Cabralzão, Jobinzão e Lulão,

os ''leão'' qui libertô o povão

Olelê, olalá,

No alto do morro o seu ''finar''

fincaram bandeira tremulante

com a derrota dos traficante

agora é ''sambá'' prá festejar...

Olelê, olalá,

O ''Lulão'' sai campião

Sem o ''curingão'' ganhá

A Dirma esquenta a cadeira

Até em 14 ele ''vortá''...

Olelê, olalá,

em 14 o Lulão vai ''vortá''

Leitor, desculpe o esculacho

o problema é Brasília

a morada do cambalacho

de onde o político o povão espolia

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

RIO EM CHAMAS

Tu queres a paz? Prepare se para a guerra!

Pedro Pinto da Silva

São Bernardo do Campo

_________________________________

A BALA PERDIDA

A bala perdida, desiludida, encontrou seu caminho, dividido entre dois polos: polo norte, a morte, polo sul, a favela, sem ela.

A esperança que dança leva em seu bojo, apreendida, a droga esquecida, a munição sem ação, a bomba caseira sem viseira, a arma mortal, letal, todas, todas, abandonadas na pressa expressa de melhor devir daqueles que expressaram o terror, espalhando o horror. Pingos, respingos de sangue mancham a paisagem, visagem evanescente de uma bela cidade. E seu povo, ansioso, esperançoso, aguarda o retorno da paz...

Cacilda Amara Melo cacilda09@uol.com.br

São Paulo

_________________________________

BRIZOLA

Brizola, o eterno bode expiatório! Deixem a alma do trabalhista descansar em paz!

O nosso problema é a plutocracia situada acima do poder formalmente constítuido, que manda e desmanda! Brizola foi o líder que tirou do anonimato políticos, dando-lhes expressão, e foi traído por todos eles!

Brizola dizia: "Meter o pé nos barracos é fácil, quero é ver arrombar as portas das coberturas da Vieira Souto ou das mansões dos Jardins!"

Por isso, culpam-no pelo banditissmo no Rio, mas quem são os cidadãos acima de qualquer suspeita, que são os verdadeiros donos do narcotráfico? Quem é que sabe? A inteligência não sabe? Os governantes do mundo não sabem? Ah, o culpado brasileiro foi o Brizola...

Luiz Fernando D"ávila lfd_avila@hotmail.com

Rio de Janeiro

_________________________________

BRASILEIROS ANTES DE TUDO

O impasse muitas vezes nos leva a um entendimento mútuo quando soubermos conduzi-lo de forma racional, inteligente e objetiva.

Enquanto mantivermos posições adversas, estaremos dispersos e criando o ambiente propício para que os mal-intencionados se instalem e se aproveitem para tirar vantagens.

Enquanto muitos preferem defender sua cidade, seu Estado, eu prefiro defender o País.

Fatos citados pelo leitor sr. Sandro Ferreira com relação à falta de limites dos jovens cariocas, isso ocorre em todo o País. Assistimos a isso na TV, lemos nos jornais diariamente. Numa mesma semana tivemos professores agredidos no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais e São Paulo.

Ele ainda citou o caso do filho da atriz Cissa Guimarães, mas os "pegas" inconseqüentes ocorrem em todo o País, propinas a policiais, idem. Este caso teve maior repercussão por se tratar de uma atriz global.

É isso que muitos precisam entender neste país. Se matarem o meu filho, ninguém fica sabendo, mas se derem um cascudo num filho de um câmera da Globo, até no Japão vai ser notícia.

Consomem-se drogas de norte a sul neste País. Os traficantes estão presentes em todos os Estados e cidades brasileiras. Temos políticos desonestos desde o Arroio ao Chuí.

Senhores, antes de mais nada, somos brasileiros. Todos nós pagamos impostos, professores brasileiros são mal remunerados, o atendimento na área da saúde é precário no Paraná, como o é em São Paulo, Pernambuco ou Maranhão.

Engana-se Suzy Q., em seu comentário (Estadão de 30/11) ao acreditar que é a "generosidade do paulista/paulistano em pagar impostos que sustenta o País". Pagam-se impostos em todo território nacional, mas não é por generosidade, é por imposição de leis, e com certeza a maior arrecadação converge para os cofres públicos paulistas por ser o maior produtor de bens de consumo e de serviços do País. Então lhe pergunto, sra. Suzy Q: esses recursos estão sendo bem empregados em São Paulo?

Para finalizar, vou reproduzir um trecho de uma carta de um leitor paulista, o Sr. José Amiltom Oliveira, do Estadão, em solidariedade à minha posição:

"Só prá ilustrar mais um pouco a respeito do meu Estado-SP, lembro-lhe, que uma Organização(?) Criminosa, colocou este Estado dois dias em toque de recolher. Ou seja, minha empresa ficou os dois dias FECHADA. E eu vou criticar o Estado dos meus queridos FLUMINENSES? Tenho espelho em casa, e bem grande."

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

São Paulo

_________________________________

COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

Nos últimos 10/15 dias, observei atentamente o ocorrido no Rio de Janeiro. Assisti repetidas vezes aos atos de vandalismo e terrorismo que levaram as Forças Armadas a unir-se com outras polícias no sentido de combater e debelar os narcotraficantes. Notei as apreensões de drogas, armas, dinheiro e as prisões efetuadas durante essas operações até o momento. Chamou muito a minha atenção o modo de vida desses marginais e o clima de medo e terror imposto por eles à população. Certamente, ''as forças do bem'' venceram essa etapa e darão esperança de dias melhores àquela gente.

Entretanto, dando asas ao transcendente, percebi que o causador de todo''mal'' nem sequer foi

citado. Falo do ''maldito usuário'', do consumidor dessas drogas, do causador das inúmeras desgraças familiares, sociais, crimes (furto, roubo, acidentes de tráfego, assassinatos),

que de ''coitadinho'' e ''vítima'' nada tem, pois é o ''agente financiador'' dessa guerra.

Assim sendo, permito-me questionar as autoridades competentes: por que não é dada ao proscrito usuário pena dobrada à dada ao narcotraficante?

Não precisam responder nem explicar. PRECISAM AGIR.

Carlos Nelson Horrocks carloshorrocks@yahoo.com.br

São Paulo

_________________________________

O STF E O DIREITO DO PRESO

O Comando Vermelho encomendou fuzis de dentro da penitenciária através de uma advogada, cuja entrevista era monitorada pela Penitenciária Federal de Catanduvas (PR). A OAB adotou medidas no Conselho Nacional de Justiça contra filmagens nas entrevistas de presos. Segundo o presidente da OAB-RJ, a lei assegura ao preso entrevista com seu advogado de forma reservada, de vez que o STF entende ser fundamental o respeito à privacidade e à liberdade individual ''dos cidadãos''.

Não é possível ou crível que representantes da OAB e a maioria do STF, no ''país das maravilhas'', acreditem que presos perigosos sejam ''cidadãos'' comuns.

Minimizar o crime e nivelar presos perigosos à qualidade de ''cidadãos'' é um acinte que afronta a dignidade daqueles que trabalham e respeitam as leis.

A elite jurídica ''garantista'' e os teóricos do ''mundo encantado'' deveriam sair de seus confortáveis escritórios e ir às ruas, onde os cidadãos comuns vivem. E este é o abismo que os separa.

Edenilson Meira merojudas@uol.com.br

Itapetininga

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.