Cartas - 09/08/2010

ELEIÇÕES

, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2010 | 00h00

Beco sem saída

Nada define melhor essa equivocada opção pela esquerda feita por nossos políticos que a anedota chinesa a que Carlos Alberto Sardenberg se refere em seu livro Neoliberal, Não. Liberal: "O presidente Jiang Zemin ia de motorista, conduzindo o grande líder Deng Xiaoping, autor da modernização chinesa, quando, subitamente, topa com uma bifurcação perfeita, abrindo-se para cada lado, à esquerda e à direita, uma estrada igualzinha à outra; Zemin hesita, breca e pergunta a Deng qual o caminho a tomar; Deng não vacila: Dê seta para a esquerda, mas vire à direita." Já Serra, que quando necessário não titubeou em tomar o caminho à esquerda, não precisaria usar desse artifício chinês, pois certamente jamais relutaria em virar à direita toda vez que vislumbrasse nele o melhor destino para nosso país. Tão importante quanto mostrar sua competência nos debates eleitorais, esse é o grande argumento que certamente faria a diferença a favor de Serra, pois qualquer cidadão bem informado pode ver que essa insistência cega e retrógrada de virar à esquerda a qualquer custo pode, a exemplo de nossos vizinhos sul-americanos, levar o País a um beco sem saída.

Ricardo D. De Campos Salles dauntsalles@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

_________

OS 10 MANDAMENTOS

Para reassumir a liderança na corrida presidencial: 1) A CPMF não será recriada. 2) A FAB vai escolher os caças. 3) Battisti vai para a Itália. 4) Sou contra a PEC do Calote. 5) Prometo rever os preços dos pedágios paulistas. 6) Incentivarei a energia solar, a eólica e a hidrelétrica. 7) Investirei em educação, saúde, saneamento e segurança. 8) Prometo restabelecer a ética e a moralidade no País. 9) Juro usar parte dos royalties do pré-sal para tirar aposentados e pensionistas do INSS da indigência. 10) Não convidarei Chávez, Morales, Ahmadinejad, Lugo, Fidel e Correa para a minha posse. E, finalmente, para ganhar no primeiro turno e ser reeleito daqui a quatro anos, o mandamento único: Prometo fazer as reformas tributária, política e judiciária.

Gustavo Guimarães da Veiga gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

_________

DEPENDÊNCIA

No debate da Band pudemos ter a certeza: a candidata Dilma fica desorientada sem o presidente ao lado e o teleprompter à frente.

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

_________

MEIO AMBIENTE

Código Floresta

O Decreto 2079, de novembro de 2009, assinado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), propõe a regularização dos proprietários multados por infrações ambientais que aderirem ao Programa Mais Ambiente. O substitutivo que apresentei, mais do que propor a mesma coisa, copia o decreto, modificando prazos e facilitando a regularização. É inaceitável que a ministra do Meio Ambiente e seus auxiliares ligados às ONGs qualifiquem de "anistia" o que o próprio governo se propõe a fazer, a não ser que não haja seriedade no propósito do MMA. Quanto à ideia de enviar proposta ao Congresso, retoma o hábito do Executivo de legislar em lugar do Legislativo, com a atenuante de que, desta vez, não será por medida provisória, decreto ou portaria. Enquanto isso, é preciso denunciar que a legislação atual continua a pôr na ilegalidade 90% das pequenas propriedades rurais do País, milhares delas impedidas de receber crédito da agricultura familiar pela insensatez dos legisladores de gabinete.

Aldo Rebelo, deputado federal dep.aldorebelo@camara.gov.br

Brasília

_________

TRANSPORTE DE CARGAS

Burocracia aduaneira

Parabéns pelo editorial Terminais congestionados (5/8, A3). Só acrescentaria que os portos secos seriam utilizados pelas empresas importadoras se a alfândega no Porto de Santos não fosse tão burocrática na liberação do documento DTA-Pátio, o que possibilitaria a descarga dos volumes diretamente do navio para o caminhão, evitando pagamento duplo de armazenagem - uma no porto e outra no porto seco.

ALVAREZ AGUILAR alvarez.atib@hotmail.com

São Paulo

_________

PORTOS SECOS

Cumprimentos pelo editorial Terminais congestionados, que aponta questão crucial para o desenvolvimento brasileiro atual, particularmente em relação à dificuldade da Infraero de administrar e atender ao crescente movimento de cargas aéreas internacionais. Quanto aos portos secos, citados no texto como alvo de reclamações do mercado, destacamos que funcionam no País, administrados pela iniciativa privada, 63 unidades - 27 no Estado de São Paulo. Somam cerca de 6 milhões de m2 de área alfandegada destinada à armazenagem de mercadorias ainda por nacionalizar, estão instalados em 14 Estados e geram mais de 12 mil empregos diretos e indiretos. Trabalham, porém, com índice de ociosidade de 40%. Apesar dessa ociosidade, é reconhecida a existência de áreas que demandam a abertura de exigidas licitações públicas para a instalação de novas unidades. Trata-se de locais de enorme potencial de importação e exportação, onde os portos secos podem desempenhar relevante papel como prestadores de serviços públicos. No último ano, incorporado aos benefícios do Reporto, o setor investiu cerca de R$ 100 milhões em equipamentos para operação nos terminais e em sistemas de informática para gestão e controle das cargas, proporcionando mais eficiência ao exercício da fiscalização aduaneira, que envolve também Anvisa, Ministério da Agricultura e outros órgãos do Estado. A iniciativa privada, que administra 99% dos portos secos em funcionamento, tem dado respostas positivas às demandas do mercado e vem se tornando importante parceira da indústria nacional, em particular a exportadora, via prestação de serviços conexos, que vão além da liberação e armazenagem de cargas alfandegadas. As reclamações eventualmente apontadas servem ao setor como referência para tornar a operação ainda mais eficiente e segura. Afinal, quem vive de prestar serviços tem sempre como objetivo principal suprir as necessidades e as demandas do mercado.

Ricardo Vega, Associação Brasileira dos Portos Secos (Abepra) joaorusso@abepra.org.br

São Paulo

_________

PARCERIA

Vai dar azia

Parabéns ao Estadão e à revista Piauí, essa pareceria vai dar azia.

Adriana Irigoyen, assinante do jornal e da revista adrianairigoyen@terra.com.br

São Paulo

_________

"Ficha-suja tem de ir para a cadeia, e não para o Congresso"

SIDNEI ALZIDIO PINTO / ADAMANTINA, SOBRE A LEI DA FICHA LIMPA

advocacia.sidnei@uol.com.br

"Joaquim Roriz alegava não saber o que era a Lei da Ficha Limpa, porque provavelmente a dele nunca o foi. Agora ele sabe"

ALBERT HENRY HORNETT / SÃO PAULO, IDEM

hornettalbert@hotmail.com

"Pena que a perspicácia do sr. Plínio de Arruda

Sampaio não esteja a serviço da livre-iniciativa"

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS / MARÍLIA, AINDA SOBRE O DEBATE

zambonelias@estadao.com.br

_________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 2.360

TEMA DO DIA

Joaquim Barbosa vai a festa de amigos e a bar

Ministro do STF está afastado do trabalho desde abril, por causa de licença médica

"Não questionamos o saber jurídico do ministro, mas seu comportamento é muito aquém do que se espera."

ANTONIO SANTOS AQUINO

"A questão é que o Brasil depende de seus ministros julgando. Se um não pode julgar, o Brasil fica esperando?"

SILVIO SOUZA

"Licença para tratamento de saúde não é prisão domiciliar. Não significa que a pessoa não possa sair, ver amigos."

ANA TEIXEIRA

_________

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o estadão.com.br

SISTEMA ELEITORAL

Ultimamente tenho analisado com muito cuidado as pesquisas eleitorais no Brasil. É fato que Estados mais importantes, mais desenvolvidos e que participam de forma mais direta no desenvolvimento do País elegeriam o candidato do PSDB ao Planalto.

Sendo assim, pergunto: qual sistema eleitoral é mais honesto e coerente, o brasileiro ou o americano?

Se no Brasil o sistema fosse igual ao americano, certamente, e com grande maioria, o sr. José Serra estaria eleito, pois os Estados mais representativos fariam mais delegados e facilmente o elegeriam. O José Serra vence em São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e outros. Desta forma, qual sistema eleitoral reflete de melhor forma a vontade dos eleitores que efetivamente colaboram mais para o desenvolvimento do País?

Temos dois ''Brasis'', um que alavanca a economia, o desenvolvimento e possibilita ao governo federal ter arrecadação para seus ''programas sociais'' e outro que, em grande parte, se beneficia deste sistema. Qual deveria eleger o seu próximo governo?

Mais uma vez os EUA nos mostram o que é realmente democracia e como ela deve ser aplicada para o bem comum do país como um todo.

Carlos Roberto Barreto Barsotti cbarsotti@hotmail.com

São Paulo

_________

PESQUISA SENSUS

Diante dos resultados da pesquisa Sensus, a CNT deve se perguntar:

''Espelho, espelho meu, existe pesquisa eleitoral com mais bom senso do que eu?''

Porém, comparando com as demais pesquisas, parece que o Sensus pesquisa os anseios da CNT!

Rogerio Belda rbelda@terra.com.br

São Paulo

_________

ELEIÇÕES

Duras pesquisas. Dura realidade. Difícil explicação.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

_________

MINISTÉRIO

O Estadão publicou a pesquisa Sensus para presidente da República. No primeiro turno, Dilma (PT) está com 42% e Serra (PSDB ), com 32%. Para o segundo turno o resultado foi: Dilma 48% e Serra 37%. O governo já está escolhendo os ministros...

Olympio F.A.Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

_________

MANIETADOS E ACORRENTADOS

Faltam pouco mais de dois meses para as eleições gerais no Brasil e os eleitores brasileiros têm poucas chances de escolher os candidatos da sua preferência. Estamos vivendo um momento difícil, em que um único grupo de poderosos impõe as regras para se escolher, através do voto, este ou aquele candidato, porém todos do mesmo naipe.

Na prateleira dos produtos políticos só existe uma mercadoria exposta. O eleitor deseja pelo menos um que tenha a cor amarela, mas a escolha é uma só, todos da cor vermelha. O Brasil agora tem um grupo de caudilhos que deseja se eternizar no poder através de um expediente sobejamente manjado, usar a democracia como massa de manobra, oferecendo ao votante apenas candidatos com o carimbo de sua lavra, todos com a ideologia do socialismo progressista, mas que não tem nada de social nem de progresso. É apenas a ideologia do dinheiro fácil para eles, os donos do poder, e trabalho e algemas para os demais.

O Brasil é um vagão de estrada de ferro rodando sobre trilhos numa mesma direção. Tudo foi planejado para o eleitor não ter a mínima opção de escolha. Só votará em quem o senhor El-Rei mandar. Com o voto obrigatório, alardeando sanções em todas as direções, o coitado do eleitor vai acorrentado ao vagão sendo levado na direção contrária ao seu desejo. Francamente, isso não é democracia!

José Batista Pinheiro batistapinheiro30@yahoo.com.br

Fortaleza

_________

A ''PESQUISA'' INDICA O FUTURO

A realidade brasileira nas ruas é totalmente distinta da retratada nas páginas oficiais. De fato, pode-se chamar de realidade o insistir de crimes rotineiros que, de anos para cá, tornaram-se hediondos, frequentes e inconcebíveis.

São a primeira e a segunda parte dos telejornais que se prestam a avisar aos cidadãos a dureza que se tornou sobreviver neste país. A outra "realidade" é aquela que se informa nas páginas seguintes, embora pertençam, ainda, ao escopo da polícia e da Justiça: são as notícias políticas, estas novas aventuras de megalomaníacos e de fraudadores da ordem, da justiça e da moral. São os crimes mais complexos pela dificuldade de punir, são os crimes mais chulos pela precariedade de sua obviedade e de seus autores, precários seres tão, ou mais, despreparados para a vida quanto os horrendos da primeira página. No afã de galgar outros postos de poder e vantagens, os alucinados fichas-sujas de carreira avançam por meio de milhões em propagandas para convencer os incautos, despreparados e desatentos eleitores, e alçam sucesso.

A rotina brasileira se acomodou a ver espantalhos eternos, com direito a sucessores, mandando no dinheiro e no espaço público, sem satisfação a dar à Justiça, que nesta gestão fechou de vez os olhos, os ouvidos, mas deixou algumas brechas interessantes abertas. A comicidade que o processo eleitoral arremeda nem atinge o mais hilário show profissional, supera de longe a ousadia do ator cômico, supera, sem limite, a capacidade do cidadão de supor que tal disparate seja a verdade dita por esses desqualificados oficiais. No vale-tudo do ilusionismo, bem pago, cabem doenças a comover, repaginação física e oral, discursos ao inverso, golpes, desculpados como falhas, achaques e ameaças, como convites sociais, mentiras e devaneios, repetidos e redivulgados como verdade absurda.

Às vésperas de outra happy hour eleitoral, posto que os resultados não duram tanto quanto dois chopes, virá à tona a eficiente manobra comprada e paga de antemão que impõe o terceiro mandato petista, sendo que este será , de fato, a voz da mente doentia do partido da traição. Aos que perceberam o golpe, a tramoia alinhavada por sobre as instituições, avaliaram o tamanho do desfalque escondido, ainda, sentiram na voz hesitante, porém amarga e ditatorial da princesa de ferro, não restará apoio, eis que, por força da cordialidade, da tolerância, da covardia e da infindável vocação de subdesenvolvimento moral, sem falar na receptiva atávica pela verba furtiva, caiu ao fosso a Nação, ou o que se imaginada sê-lo.

Ao Brasil faltam muitos anos e agruras, sofrimento e privação, para chegar aos pés de nação. Seus transeuntes fáceis - projeto de cidadãos - ainda correm pela melhor oferta da propaganda, submetem-se aos ditos e palavras mais veementes, sujeitam-se aos asnos como se fossem válidos. Faltou melhor historiador ou psicólogo a catalogar esta espécie doentia de fracasso autoconvencido, que ainda pensa ser campeão de alguma coisa, ou que Deus seja brasileiro. A miséria cultural deve responder a este extravio da veracidade, verdadeiros suicidas que moram nas entranhas dos safados que aceitam e se desculpam pela precariedade moral. Acho, mesmo que o Stallone, bruto, chucro e radical, compreendeu e resumiu com acerto a fleuma da imbecilidade que move este povo , mal formado, mal alimentado e mal estudado, mas , ainda assim, arrogante e voltado para o suicídio pela idiotia que se alimenta dos piores .

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

_________

RETROCESSO

Nos anos 1970, quando era jovem, ao verificar o aumento da violência no País, eu pensava que se esse estado de coisas continuasse a progredir chegaria a hora em que o nosso meio viraria um faroeste. Porém, como otimista nato, logo desfazia tal pensamento, achando que, por certo, a sociedade reagiria e jamais chegaríamos a tal ponto. Hoje, com 61 anos de idade, apesar de continuar otimista sobre os destinos do País, sou forçado a cair na real e verificar que falta pouco para se instalar o faroeste brasileiro. Para se protegerem da violência as pessoas (que podem) andam em carros blindados e moram em condomínios fechados onde, em breve, haverá fossos iguais aos da Idade Média. Autoridades que deveriam nos proteger usam de suas prerrogativas para nos atacar, como é o caso de juízes que vendem sentenças, representantes do Ministério Público que, por motivos políticos, perseguem cidadãos de bem ou policiais que simplesmente usam sua posição, e até suas armas, para praticar crimes. Afora funcionários públicos que lançam mão de informações sigilosas para extorquir contribuintes, também por motivos políticos ou simplesmente por dinheiro, fiscais do meio ambiente que se vendem às madeireiras, etc., etc. Tudo isso em franco progresso, graças à omissão dos nossos dirigentes, à perda da capacidade do nosso povo de se indignar e à impunidade que grassa no País. As arma que nos restam são a palavra e o voto. Pena que alguns não sabem ou não querem usá-las e acabam contribuindo para o retrocesso.

Luiz Norberto Collazzi Loureiro loureiroefabiana@gmail.com

São José dos Campos

_________

A JÁ TANGÍVEL E INSANA POSSIBILIDADE

Pela facilidade com que Lula seduz, engana e ludibria os que compõem a maioria inculta e sem instrução do nosso colégio eleitoral; pelas constantes agressões praticadas pelo núcleo duro do ''pudê'' à nossa Constituição; pela conivência explícita e interesseira do Congresso Nacional, afiançada e avalizada pelo STF, que terá, agora, 90% de seus pares indicados pelo atual governo... Por tudo isso, e acrescentando ainda a cumplicidade explícita da oposição incapaz e conivente -consequência óbvia do ''mensalão''-, considero que uma eventual vitória da candidata Dilma Vana Rousseff (PT) no próximo pleito eleitoral seria uma chocante protofonia de um réquiem da democracia, principalmente se a infeliz vitória fosse acompanhada, também, do brinde da maioria da situação nas duas Casas do Poder Legislativo, hoje mera extensão do Executivo. Aí, então, maravilha! Não haveria necessidade de bisar o ''mensalão''. Tampouco de Zé Dirceu, dos Marcos Valérios da vida, de Genoino, Delúbio, de Silvinho do Land Rover nem de Berzoini e companheirada.

Perguntariam os leitores: e o que teria o presidente de honra do PT com isso, se ele não mais seria o feliz ocupante do Palácio do Planalto? E eu, parodiando Ulysses Guimarães (saudade!), respondo: Lula seria ''a voz rouca'' de um novo período de arbítrio, a soprar nos ouvidos de Rousseff as diretrizes de seu plano tenebroso! Só que então lastreado no tal ''socialismo bolivariano'', arquitetado por Hugo Chávez et caterva. Até quando? Diga quem souber...

Dizem que Deus é brasileiro! Mas será que ainda é? Ou se mudou para a Venezuela ou o Equador? Ou será que foi para o Irã? Pensando bem, talvez para a Líbia ou para a África ''ditatorial''...

Ora, deixemos de falsos pudores! Ou será que não percebem que a preferência de nosso presidente por ditadores - desde a Ásia, passando pela África e vindo até a nossa América Latina - é, claramente, prova de sua admiração por regimes de governo exercidos por aqueles a quem ele dedica tanta amizade?

Por analogia, nunca é demais lembrarmos aqui o dito popular: ''quem ama o feio bonito lhe parece''... Convenhamos que não há nada mais tenebroso e feio que os regimes de excessão.

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

_________

COMEÇOU O FOGO AMIGO

Entrou em irupção precoce o vulcão que é o Partido dos Trabalhadores, cujas larvas destruidoras do passado bem conhecemos. Bastaram algumas pesquisas favoráveis a Dilma Rousseff para que José Dirceu entrasse em rota de colisão frontal com Antônio Palocci. Considerando que ambos exercem funções estratégicas na campanha da candidata situacionista, resta saber se Dilma, caso eleita, terá a necessária perícia de exercício de poder para superar conflitos contundentes em sua base principal de sustentação. Esse aspecto é uma incógnita, uma vez que a candidata é de primeira viajem. Assim, não é inverossímil a hipótese de vir a ser atropelada, no curso de seu eventual governo, por uma insaciável manada de búfalos.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

_________

DENÚNCIA SOBRE AS F A R C

Há muita polêmica envolvendo a denúncia sobre o envolvimento do PT com os narcotraficantes das Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc). O deputado Índio da Costa (DEM-RJ) não foi o autor da denúncia, mas sim um deputado federal do PMDB, o qual declarou que outros parlamentares haviam assinado o pedido de abertura de CPI. Subentende-se que os que assinaram eram também do PMDB.

Ao tomar conhecimento, na época, solicitei a publicação da denúncia nos jornais e enviei uma carta datada de 30/5/2006 ao presidente regional do então PFL e outra ao próprio presidente Lula, ambas solicitando esclarecimentos sobre os US$ 5 milhões doados pelas Farc para a campanha política do PT. Como não tive resposta, enviei outra recentemente, datada de 28/5/2010, ao presidente da República.

ABÍLIO TEIXEIRA abilioteixeira@bol.com.br

Brasília

_________

SLOGAN DE CAMPANHA

Um slogan é a verbalização de um desejo engasgado no inconsciente coletivo, é o que liberta o pensamento e lhe dá forma e vira um grito de afirmação, de incentivo e de protesto. Não se cria um slogan, ele nasce, transborda e se materializa. Se um marqueteiro, atento e sensível, capta uma sensação aprisionada e facilita seu aparecimento, antecipa-se, cria uma marca que pode vir a ser um sucesso. Um slogan nascido de um desejo coletivo somente vira sucesso quando aqueles que o gritam se identificam uns com os outros. Na campanha de Barack Obama, uma frase deu vazão a sentimentos engasgados, sobretudo na juventude americana. Uma juventude abalada com o terror que os americanos sofreram, com a consciência de que os desmandos políticos foram cúmplices desse terror, que a politicagem atrasada representada por Bush havia atingido o limite, que a nova sociedade americana não podia mais conviver com o atraso humano do racismo e, após amargar a desesperança, recobraram a confiança e gritaram: sim, nós podemos. Nós podemos mudar, nós podemos voltar a ser felizes, nós podemos ser melhores, nós podemos ao menos tentar com todas as forças. E Obama, que gritou surdamente exatamente isso, por tanto tempo, como tantos outros, identificou-se e foi identificado como representante desse slogan.

Porém, quando marqueteiros espertalhões, mas insensíveis, tentam criar do nada um slogan, tentam firmar um frase de efeito e pedem que seus candidatos a repitam constantemente na tentativa de firmar e criar uma identidade, essa frase e esse candidato se tornam um corpo sem alma, completamente vazio de sentimentos. E o slogan vira um grito patético que enfatiza o despreparo, a imaturidade, a falta de sensibilidade e de sinceridade e a não-integração. Campanhas, políticos e marqueteiros fazem então um jogo à parte da sociedade, não estão inseridos nela, a sociedade não os reconhece com parte do todo. É isso o que ocorre hoje no Brasil, na campanha presidencial mais insossa, mais sem identificação com a sociedade, mais desprovida de inteligência e sentimento. Candidatos repetem frases prontas, decoradas, sem interiorização, sem se colocar no lugar do outro, sem sentir verdadeiramente. O gesto é vazio, a fala é vazia, é um faz de conta que não representa nada.

Julio César Caldas Alvim de Oliveira alvim.oliveira@uol.com.br

Curitiba

_________

TRÊS ANOS DO "CANSEI"

Há três anos, um grupo de pessoas escolheu um dia em agosto (17 às 13 horas) para uma manifestação do movimento ''Cansei''.

O movimento foi atacado por jornalistas, petistas e outros afins, principalmente por conta da vestimenta de dois de seus dirigentes.

Os motivos do movimento continuam, na verdade, só pioraram.

Em 3 de outubro temos a oportunidade de calar a boca dos opositores do movimento.

Bom voto e até a volta, se a turma que está lá continuar.

Ronaldo José Neves de Carvalho: rone@roneadm.com.br

São Paulo

_________

ELEIÇÕES

O PSDB já perdeu diversas oportunidades para defenestrar o PT e seu bando, instalados em todas as esferas de governo, por omissão ou covardia. Esqueçam que o chefe do bando é superpopular e mostrem sem meias palavras quem são o PT, o Lula e principalmente dona Dilma Rousseff. As pesquisas, queiram ou não, mostram que a mentira repetida está fazendo efeito e o poste se transformando num monumento ao patriotismo, honestidade e competência! Tomara que algum iluminado da equipe entenda isso e convença o candidato José Serra a bater muito, mas muito firme em todos os escândalos, um por um, e ver o que acontece. O PT e o Lula mentem e ninguém retruca em alto e bom som. Por que temos de ficar assistindo a isso e quietos? O povo acha tudo farinha do mesmo saco, mas prefere não mexer com quem fala grosso e está por cima. Pensem rápido nisso, senão Serra perde, e de maneira melancólica.

Eduardo Augusto de Campos Pires eacpires@terra.com.br

São Paulo

_________

REAGE, BRASIL

A cada reunião, a cada pronunciamento, a cada acordo interesseiro, só aumenta a enorme vergonha que sinto da grande maioria dos políticos do Brasil.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

_________

O DEBATE

Mais ou menos uma reunião de ''compadres''.

Dilma, apenas ''garota-propaganda do governo'', não disse nada de novo nem de velho.

Serra parece que tem vergonha do passado, exceto o seu, e olha para o futuro como continuação do presente, que nem sequer explica.

Marina não está a favor nem contra, muito longe do contrário, a impressão é que ela mesma não sabe o que fazer.

Arruda foi o único que tentou esquentar a discussão com ranço rancoroso de comunista arcaico.

De comum, TODOS SOCIALISTAS COMUNISTAS DE DIVERSAS CORES, até mesmo da vergonha de ser!

Como eleitores, ficamos naquela de que se correr o bicho pega, se ficar o bicho come!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

_________

NEURÔNIO SOLITÁRIO

O debate entre os presidenciáveis (por que mudei de canal, hein?), apresentado numa TV, mostrou, claramente, que um deles, que detém boas intenções de voto - a Neurônio Solitário -, chuta, mente, exagera, gagueja, agride faltosamente, vacila no ataque e na defesa e ''franga'' nas bolas fáceis, ou seja, não está preparado para a modalidade. Até a partida decisiva em outubro, só vai ouvir ''olé'' da arquibancada, para desespero de seu medíocre técnico. Aposte!

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

_________

MORALIDADE PÚBLICA

Em recente entrevista ao Estadão, o ex-ministro Eros Grau disse que a Lei da Ficha Limpa é inconstitucional porque há vários tipos de moral e, nesse caso, cada um deveria sair por aí com um porrete. Eu também acho o porrete necessário, mas pelo motivo oposto: neste país não há mais moralidade alguma!

Anna Carolina Meirelles Dias de Carvalho annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

_________

FICHA LIMPA

A Justiça não consegue condenar políticos corruptos, pela sua morosidade em julgar

processos, mas é rápida para aceitar políticos com ficha suja nestas eleições, contra a vontade da própria Lei da FICHA LIMPA e de toda a sociedade brasileira.

Antonio de Souza D''Agrella antoniodagrella@yahoo.com.br

São Paulo

_________

O BRASIL E OS JUROS ALTOS

Todas as vezes que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decide elevar a taxa Selic, a dívida do governo também aumenta, porque ela está atrelada ao juro básico da economia brasileira. Recentemente iniciou-se um ciclo de alta após a taxa ter ficado estável em 8,75% desde julho de 2009 e, mês passado (21/7) chegou a 10,75%, um aumento de 2% no decorrer deste período.

O presidente Lula, ao terminar os seus oito anos de governo, deverá ter pago por volta de R$ 1,2 trilhão de juros do serviço das dívidas. Porque os juros praticados no nosso país estão entre os mais elevados do mundo. A propósito, se o governo estivesse reduzindo os juros pela metade, ele teria ao término dos seus dois mandatos pelo menos mais uns R$ 600 bilhões para investir. Isto significaria aproximadamente a equivalência de dez PACs. Mas este governo gasta muito e mal. Aliás, não tem o comprometimento com o saneamento financeiro da Nação.

Além disso, ele recebeu uma dívida interna por volta de R$ 800 bilhões e vai entregá-la por volta de R$ 1,6 trilhão. Sobretudo, a preferência deste governo é controlar a inflação com aumento de juros, em vez de cortar despesas, ajustar a máquina burocrática e evitar desperdício. Ele precisa fazer melhor a lição de casa, mas, pelo visto, não faz nenhum esforço.

Todavia, para capitalizar o BNDES o governo emprestou ao banco R$ 180 bilhões, sendo R$ 100 bilhões em 2009 e R$ 80 bilhões este ano, a juros subsidiados, menores do que os praticados no mercado financeiro (6%). Por outro lado, o governo capta recursos no mercado financeiro a preço de mercado, ou seja, à taxa Selic de 10,75% (hoje) ao ano. Decisão esta que acarreta prejuízo e aumento da dívida pública.

Enquanto isso, no nosso Brasil 35% da população passa fome. O País precisa de política coesa de ajuda, no lugar de projetos isolados. As pessoas não têm suas principais necessidades básicas atendidas. Mas o governo, para aparecer perante as comunidades estrangeiras, está sempre ajudando outros países. Veja-se, por exemplo, a doação para a reconstrução de Gaza, conforme a Lei n.º 12.292, de 20 de julho de 2010. Entretanto, o povo atingido pelas chuvas no Nordeste e em Santa Catarina fica a esperar. Se não fosse a solidariedade da população de outras regiões, que às vezes manda até coisas já usadas, a situação seria muito pior.

No entanto, esses recursos que se deixou de economizar, com a prática de juros altos, bem que poderiam ter sido utilizados em investimentos na infraestrutura do País. Como custo Brasil: graduação e qualificação da mão de obra do trabalhador, atendimento às pessoas mais necessitadas, transportes de carga, transportes público, melhoria das estradas, no setor portuário, setor aéreo, na saúde púbica, na segurança, na educação e outros.

Enfim, a redução dos juros pelo governo proporcionaria a criação de projetos que trariam grandes benefícios à população brasileira. Criaria milhões de empregos diretos e indiretos, geraria renda e traria qualidade de vida para as pessoas. Este governo desperdiça oportunidades. Deixa de transformar o País numa nação mais competitiva. Está claro, transparente, que os juros altos só beneficiam o sistema financeiro e penalizam as pessoas mais pobres. A impressão que se tem é que a opção deste governo é a transferência de recursos financeiros do setor público para o setor privado. Os bancos estão com os bolsos cheios. Exemplo: o Itaú, que teve um lucro no primeiro semestre de 2010 de R$ 9 bilhões, consequência da prática dos juros altos. E à população resta trabalhar mais (até 5 meses por ano) para pagar os impostos e continuar bancando os lucros dos bancos. Com o Serra há esperança e o "Brasil pode mais".

Francisco Aureny Braz franbraz55@estadao.com.br

Barueri

_________

MACROECONOMIA E NÓS

A polêmica entre especialistas sobre a capitalização do BNDES como agente de fomento no Brasil é emblemática. Nos EUA a divergência é sobre como as elites financeiras dão os ombros para a problemática do desemprego que atinge um de cada seis americanos, conforme informa Paul Krugman, Nobel de Economia e colunista do jornal The New York Times. Enquanto os doutos da macroeconomia divergem, ficamos nós, simples mortais, à espera que disso tudo não se deteriore nossa cotidiana existência aqui, neste canto de mundo.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

_________

Canção do Enem

Provas são roubadas,

Redações são mal corrigidas,

Notas são questionadas,

Alunos são prejudicados,

Colégios são subavaliados,

E nem assim eles acertam,

E nem assim eles respondem,

E nem assim eles corrigem,

E nem assim eles assumem,

Enem assim vale nada

Sheila Regina Sarra sheila_sarra@uol.com.br

São Paulo

_________

MULTA PARA INGLÊS VER

O Estadão de 6/10 informa que a Anac poderá multar a GOL em cerca de R$ 5 milhões pelos últimos transtornos causados. Ora, dias antes, no próprio Estadão, foi noticiado que boa parte das multas aplicadas contra a mesma GOL pelo chamado apagão aéreo havia sido cancelada pela mesma Anac! Isto quer dizer que a Anac usa a imprensa para divulgar ou mesmo dizer que aplicou multa, como querendo dizer que tomou alguma providência, e logo depois essa mesma multa é cancelada pela própria Anac. Seria interessante saber as razões jurídicas para o cancelamento, pois está aparecendo propaganda enganosa e fiscalização de fachada, visto que o fim pedagógico da multa não surte efeito algum se as empresas aéreas sabem que a multa é de brincadeirinha. Gostaria que o Ministério Público Federal requisitasse o procedimento administrativo que levou ao cancelamento das multas a fim de ser verificada a regularidade da decisão, pois os problemas persistem e quem de direito não toma providência para que a situação seja regularizada. E a esta inércia se chama improbidade administrativa.

Mauricio Ferreira da Silva mauricio.ferreira.adv@hotmail.com

São Paulo

_________

RELAXA E GOZA

É fácil deduzir por que o caos aéreo. Basta desembarcar em qualquer aeroportozinho norte-americano ou europeu e voltar para o nosso Brasil. Lá você transporta suas malas por corredores com dez ou mais metros de largura ou por esteiras rolantes e até por trens internos. Nossos corredores não permitem duas mãos de viajantes. Depois do caos de 2007 e da brilhante sugestão de dona Marta Suplicy, tudo continua como dantes no quartel de Abrantes.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

_________

CONVERSA MOLE

Era de esperar de uma nação onde escorrem petrodólares para os bolsos de seu ditador Hugo Chavez. O país está em crise financeira, como podemos bem nos informar na matéria, que segue a manchete de 6/8 do Estadão: "Chávez da calote em empresas do Brasil." Prova cabível de que, além de esbanjador do dinheiro público, o presidente Lula lambe as botas de Chávez, Evo, irmãos Castros e outros ditadores mundo afora. No momento o nosso presidente está embrulhado em outra pixotada. O financiamento do projeto, através do nosso BNDES, de um possível túnel ligando a Argentina ao Chile, sob a Cordilheira dos Andes, orçado prematuramente em US$ 800 milhões. Geograficamente, essa obra não tem nada a nos dizer. E essa balela de desconversar falando que os nossos caminhões e carretas poderão usar o sonhado túnel para facilitar a exportações para a Ásia através de um porto no Pacífico é conversa mole para boi dormir. Estamos bem arruinados se o PT der sequência ao governo com a Dilma. Decerto ela vai querer financiar uma ponte sobre o Atlântico e o Mar do Caribe ligando o Brasil e Cuba. Nos dias de hoje, tudo pode acontecer!

Roberto Stavale bobstal@dglnet.com.br

São Paulo

_________

PÕE NA CONTA DO ABREU

A Venezuela atrasa pagamentos e complica a vida das empresas brasileiras que lá investiram. Ora, o empresariado brasileiro aprova 100% o governo Lula, que o incentivou a fazer aqueles investimentos. Portanto, não há sinal algum de que o calote tenha desagradado a alguém. E já que é assim, ''põe na conta do Abreu'', Chávez!

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

_________

SALVE SAKINEH

Presidente Lula, mostre que o senhor está arrependido de ter negado asilo político aos boxeadores cubados. Agora, empenhe todos os seus esforços junto ao seu amigo Ahmadinejad para salvar Sakineh Mohammadi Ashtiani dessa monstruosidade que o Irã pretende impor desumanamente a essa mulher iraniana. Não espere mais, socorra-a. Isto, sim, é defesa dos direitos humanos.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

_________

LULLA,O EMOTIVO

Senhor presidente Lulla,agora que a iraniana não

pode vir a morar com o senhor e sua família, seja

educado e vá ao funeral da moça. Na volta, passe

em Cuba para visitar o moribundo de saúde e de

sistema de governo (não podemos ter dó desse

barbudo, mesmo como cristãos, ele não tem dó de

ninguém!) e pergunte sobre os dois boxeadores

caçados nos Jogos Pan-Americanos no Rio de

Janeiro e deportados sem dó nem chance de

defesa. Como pessoa emotiva, procure também saber

da situação do caseiro daquele caso Palocci.

Mauricio Villela mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

_________

APEDREJAMENTO

Segundo manchete do Estadão (6/8), no Irã existem mais 25 condenados ao apedrejamento. Será que nosso bondoso presidente vai oferecer asilo a todos? Afinal, ele tem sido de uma humanidade fora do comum com certas pessoas. Menos com os presos políticos de Cuba.

Carlos Montagnoli carlosmontagnoli@uol.com.br

Jundiaí

_________

PATO MANCO

Uribe deplorou sua afirmação, o Irã disse que é um desinformado e o silêncio dos EUA diz tudo. No final de seu mandato, Lula é um pato manco diplomático.

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br

Marília

_________

PENA DE MORTE

O maior problema do Irã não é a pena de morte por apedrejamento, mesmo porque em algumas regiões dos EUA também existe a sentença capital, mas com outros métodos.

O que nesse país amigo do PT e do Lula indigna o universo é o da falta de liberdade de expressão. Ou seja, é uma verdadeira ditadura e financiadora do terrorismo internacional.

E ainda assim o nosso Itamaraty fica de cócoras para esses déspotas...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

_________

FORÇA NUCLEAR

Lula é covarde e oportunista quando se mafiesta sobre o Irã. Esconde a tragédia humanitária vivida pelo país e os interesses nucleares que compartilha com Ahmadinejad.

Fernando Gaio fernandogaio74@gmail.com

São Paulo

_________

TELHADO DE VIDRO

Presidente nenhum devia mexer com esse povo que gosta de jogar pedras nos outros, principalmente em mulheres.

Lá não tem apedrejamento de homens e tampouco picam as mulheres e dão para cachorros.

Presidente de um país com violência contra as mulheres que deixam países muçulmanos estarrecidos não devia se preocupar com as mulheres dos

outros, e sim com as nossas mulheres.

João Braulio Junqueira emaeng@terra.com.br

São Paulo

_________

ADEUS, SAKINEH!

Sakiheh será mesmo imolada segundo manda a Lei de Maomé.

Que Deus a receba... e que possa perdoar as suas hediondas criaturas.

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

_________

AINDA SAKINEH ASHTIANI

A aloprada (sic) interferência do nosso sagaz presidente pode ter constrangido e acelerado o processo de decisão do destino de Sakinei Ashtiani.

Quanto ao Irã, está tendo muita dificuldade em conseguir definir um crime, para forçar uma execução.

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

_________

EXECUÇÃO A QUALQUER PREÇO

O destino da infeliz iraniana Sakineh já estava selado. Em preliminar lhe imputaram o delito de adultério, pelo qual deveria ser morta pela via macabra do apredejamento. A reação internacional manifestou-se e, para que a sanha de levá-la à morte fosse concretizada, imputaram-lhe o delito de assassinato. O mundo, estarrecido, assiste a mais essa manobra sinistra da Justiça de um país cujas instituições medievais classificam a mulher como um ser inferior, um mero objeto exposto ao convívio de uma sociedade extremamente machista e discriminadora. É esse tipo de sociedade que o mundo civilizado abomina, mas que tem o apreço de nosso presidente. Não é demais?

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

_________

LOST II

Entre a moça iraniana ou Ahmadinejad, quem está para Cristo e quem está para Judas na política internacional de Lulla?

O mico a gente já sabe.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

_________

ITAMARATY

Com a proposta de ''evitar censurar publicamente regimes autoritários'' o Itamaraty tornou-se a vergonha nacional!

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

_________

EU, HEIN...?!

Como alguém que acredita que "as pessoas têm leis" e que representantes de outras nações não devem interferir para não virar "avacalhação" pode pleitear um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU?

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

_________

POLÍTICA EXTERNA

O governo brasileiro se alinha a Cuba, Irã e outros países cujo corolário de transgressões contra os direitos humanos é de extensão inominável.

Isso preocupa, pois transmite uma postura que não é comungada pelo nosso povo. Acredito que quando se tratar de política externa o assunto deve ser submetido ao parecer do Congresso Nacional, que é, apesar de tudo, o representante do povo.

João Menon joaomenon42@gmail.com

São Paulo

_________

FRONTEIRA ISRAEL-LÍBANO

Vamos lá. Passados alguns dias do incidente no qual soldados libaneses abriram fogo contra soldados israelenses (matando um) por causa da poda de uma árvore, quase ninguém mais menciona o assunto. Por quê? Porque ficou constatado que a árvore estava totalmente dentro de território israelense, e não libanês, como afirmavam. Mas como a culpa não foi imputada a Israel, e sim ao Líbano, então vamos deixar tudo em panos quentes e esqueçamos essa história. Hipocrisia.

Leandro Spett spett@hotmail.com

São Paulo

_________

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.