Cartas - 13/02/2011

GOVERNO DILMA

, O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2011 | 00h00

Sucesso

"O sucesso de Dilma é o meu sucesso", disse Lula na festa de aniversário do PT. Sucesso onde, ô "cara"? Se houver sucesso, será dela. Desencarna, poxa!

JOSÉ JORGE RIBEIRO DA SILVA

jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

________________________________________

Lula e a mídia

Os meios de comunicação têm observado o que parecem ser divergências de estilo entre Dilma e Lula. Não é que o ex-presidente interpreta o noticiário como sucesso, e como um sucesso seu? O pior de tudo é que a mídia, reduto dos "formadores de opinião", dá-se ao trabalho de divulgar...

LEONARDO GIANNINI

leogann930@terra.com.br

São Paulo

________________________________________

Ciumeira

Dilma não deve ficar constrangida com a ciumeira de Lula. Mesmo com inflação, apagão e o "auxílio" de Mantega na Fazenda e de mais três dúzias de bananas na Esplanada dos Ministérios, ela não conseguiu ser pior do que seu padrinho.

STANISLAW CORDEIRO

ratles2@hotmail.com

São Paulo

________________________________________

Herança maldita

Uma série de apagões inexplicáveis, inflação crescente, ter de suportar incompetentes da coligação política partidária e sofrer calada sem poder criticar o governo anterior. Isso, sim, é uma herança maldita.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

ENERGIA

Bomba

Apagão no Nordeste, blecaute em São Paulo, interrupções frequentes em Ribeirão Preto. "Não há no mundo nada mais moderno do que o sistema brasileiro", palavras do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Dá para acreditar? O que temos é um sistema que não condiz com a demanda crescente? É falta de investimentos, de manutenção adequada, de capacidade técnica e gerencial? Não há dúvida de que esta é mais uma das bombas de efeito retardado explodindo, mais uma "herança maldita". Preparemo-nos, porque haverá outras... Chega de desculpas! Que se restabeleça a "verdade como regra das ações", como dizia o filósofo Raimundo de Farias Brito.

JORGE DE AZEVEDO PIRES

jorpires@uol.com.br

Ribeirão Preto

________________________________________

Conversa fiada

Dilma não aceitou as explicações de Lobão sobre o apagão no Nordeste. Consequentemente, deveria substituí-lo por alguém competente e mais bem preparado. Apagão é fato gravíssimo e não deve ser tratado como assunto político, com conversa fiada e acomodações.

FLÁVIO J. RODRIGUES DE AGUIAR

rsd100936@terra.com.br

Resende (RJ)

________________________________________

CONTAS PÚBLICAS

Tempestade

O corte de R$ 50 bilhões no Orçamento-Geral da União (OGU) para 2011 representa só 2,7% do projeto de lei aprovado no Congresso, transformado na Lei n.º 12.381, de 9/2/2011. É apenas 2,7% de uma estimativa legal. Portanto, estão fazendo tempestade em copo d"água.

EDIVAN BATISTA CARVALHO

edivanbatista@yahoo.com.br

Fortaleza

________________________________________

INFLAÇÃO

Desalento

A inflação de janeiro foi a maior registrada no mês desde 2005. Logo os economistas e até os analistas dos jornais se apressam em falar em aumento de juros, corte no crédito, arrocho e tudo o mais que paralisa o mercado, trazendo desalento para quem realmente produz e trabalha neste país. Mas não vejo ninguém condenar, por exemplo, a atitude incompreensível da Prefeitura de São Paulo de aumentar o IPTU em mais de 50% em dois anos, além de reajustar as tarifas do transporte público acima da inflação. Governos estaduais e federal falam em aumento de impostos e arrocho no salário mínimo. São todos agentes da inflação, porque ninguém fala em cortar os privilégios do funcionalismo. Deveríamos fazer como os egípcios: sair às ruas e exigir mudanças.

BASÍLIO JOSÉ BERNAL

bernal@roloflex.com.br

São Paulo

________________________________________

JUROS

O dono da carroça

Para o País, seriam muito mais úteis as críticas aos juros altos se elas não soassem tão pueris e tão desvinculadas das causas que levam a essa política de elevação de taxas como alternativa única para conter o consumo e a inflação. Pegar no pé do Meirelles, do Tombini ou do Banco Central, como se eles fossem os vilões autores dessa receita que faz a alegria dos especuladores nacionais e estrangeiros, é uma atitude extremamente contraproducente, que ajuda a esconder as verdadeiras causas do problema: a permanência de uma máquina pública inchada, pouco eficiente e corrupta até o último fio de cabelo. Com esse nível de gastança e corrupção entranhado no funcionamento do setor público brasileiro, não existe outro meio de manter as coisas minimamente sob controle, a não ser com essa política de juros estratosféricos. Ela seria o que poderia ser chamado de "o preço a ser pago pelo fato de o brasileiro ser tão cordial e complacente com a indecência institucionalizada". Um bom exemplo, entre milhares que estão a inflacionar o custo da máquina pública, seria o das emendas parlamentares. Será que alguém acha que nossos congressistas se engalfinham para manter as emendas que apresentam (invariavelmente chantageando o Executivo) só para garantir obras "importantes" para suas bases eleitorais? É óbvio que não. De cada emenda parlamentar, pelo menos 10% (podendo chegar a 20% ou mais) do valor volta para o parlamentar em propinas acertadas com as prefeituras que receberão as verbas ou com as empresas que vão "vencer as concorrências" e executar as obras. Imaginem o custo disso para a sociedade. E o que é ainda pior: a essa rapinagem explícita se adiciona o custo de manutenção de um Poder Legislativo que é o mais caro do mundo, o custo da ineficiência do Executivo e, finalmente, o duplamente penoso custo da inexistência efetiva de um Judiciário. Portanto, não há mágica: ou se fabrica dinheiro ou se paga juro alto. Assim, meus caros e indignados críticos, se tiverem de continuar malhando a política de juros, por favor, mirem no dono da carroça, e não nos carroceiros que tentam não deixar que ela despenque no buraco.

JOSÉ B. NAPOLEONE SILVEIRA

nenosilveira@aim.com

Campinas

________________________________________

"O blecaute é elétrico; o apagão, político"

ANGELO ANTONIO MAGLIO / COTIA, SOBRE A GESTÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DO PAÍS

angelo@rancholarimoveis.com.br

"Edison, o Thomas, americano, aperfeiçoou a lâmpada incandescente. Edison, o Lobão, brasileiro, o apagão indecente"

FLAVIO MARCUS JULIANO/ SÃO PAULO, IDEM

opegapulhas@terra.com.br

"Chamem o Henrique Meirelles!"

SERGIO S. DE OLIVEIRA/ MONTE SANTO DE MINAS (MG), SOBRE A AMEAÇA DA INFLAÇÃO

ssoliveiramsm@hotmail.com

________________________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL:873

TEMA DO DIA

TCU vê problemas em obras no Maracanã

Falta de projetos torna incerto o custo final. Estádio deve ser palco da decisão da Copa de 2014

"Começou a farra com o dinheiro recolhido por meio de altos impostos. Imaginem como será com as obras da Olimpíada."

CLAUDIO MARIN

"Deveria ser lei: obra pública só poderia ser licitada com projeto executivo e a preço global."

MARCO VALVERDE

"Essa Copa de 2014 ficará na história como o maior assalto aos cofres públicos de uma nação."

FERNANDO AUGUSTO RODRIGUES DA COSTA

________________________________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

Tragédia anunciada

"Prioridade é ganhar em 2014, não agora". Palavras proferidas por Mano Menezes. Igual ao que falaram seus antecessores. Conversa mole para boi dormir. Se a prioridade é 2014, por que a CBF mantém um técnico durante quatro anos, pagando- lhe um salário de marajá? O treinador só deveria ser contratado no ano da Copa. Seis meses é tempo suficiente para formar uma boa Seleção. Nas duas últimas Copas do Mundo, o Brasil manteve técnicos durante quatro anos e deu no que deu. Desastre fatal.

Adolfo Zatz dolfizatz@terra.com.br

São Paulo

________________________________________

Safra pobre

Jogadores como Pato e Robinho não têm lugar no time titular da Seleção Brasileira, pois não jogam nada. Robinho sempre foi badalado pela imprensa paulista, mas a bola é murcha. Pato só tem velocidade, mas não possui técnica nem habilidade. A atual geração de jogadores brasileiros é a pior das últimas décadas, ao contrário da Argentina. Não há mais craques. O último foi Ronaldinho Gaúcho. A única possibilidade é Neymar, mas ainda precisa ganhar muito físico.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

________________________________________

Reis da cocada

Acho que está na hora do Mano Menezes começar a cortar certos jogadores da seleção brasileira que acham que são os reis da cocada preta. O Robinho é um deles. Está se achando o máximo e não tem jogado nada há muito tempo. Acha que é o tal. Aquele puxão na camisa do árbirtro é caso de expulsão. Onde ele acha que está? Ou quem pensa que é? E o Hulk? De onde apareceu isso. O Dunga morria de amores por um tal de Afonso e parece que o Mano por esse Hulk. É bom tomar providências, voltar ao seu norte, pois está saindo da rota, sob pena de ser mais um igual aos outros. E não foi esse o discurso quando assumiu a seleção.

Panayotis Poulis ppoulis@ig.com.br

Rio de Janeiro

________________________________________

Brasil x França

Dunga? Que Dunga?

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

________________________________________

Fora, Mano!

Depois das seguidas derrotas da Seleção Brasileira para Argentina e França - dois clássicos do futebol mundial - o técnico Mano Menezes já demostrou que não tem estrela, nem carisma e não possui a menor condição de comandar a equipe. Mano nem sequer deveria ter sido chamado para treinar o Brasil. Deveria ter permanecido no Corinthians. Com Mano no comando, o próximo passo do Brasil será perder para Itália, Alemanha, Uruguai e Espanha. O povo brasileiro ama a Seleção Brasileira e não merece tamanhos desgosto e frustração no futebol. Fora, Mano Menezes!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

França e Argentina

A seleção brasileira de futebol perdeu para a França por 1 x 0 em jogo amistoso! Em copas ou amistosos já faz 20 anos que não vencemos os franceses! A nossa seleção sub 20 que disputa o hexagonal da América do sul com direito a duas vagas para o mundial da categoria "estava" dando show, ate que encontraram os Argentinos pela frente e o show acabou! Enfim, não acredito em tabus, e sim na eficácia do adversário (o gol). E nisso os Franceses e Argentinos estão melhores há muito tempo!

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

São Paulo

________________________________________

FH do Brasil

O presidente Fernando Henrique diz que é tempo de muda para a oposição. Eu digo que essa oposiçao é muda mesmo e dela não espero nada. Serra, que perdeu uma eleição ganha sem enrubrescer, é pouca-pena demais para cultivar penacho novo. E a única muda exequível para o Aécio é a de pele, que é característica das cobras. FH continua a ser o único líder desse PSDB perdido, ele é o mais lúcido, o mais jovem e ainda o mais corajoso oposicionista a defender a mãe gentil. Volta, FH, nem que seja de bengala, que estamos sem representante por aqui. Ninguém é insubstituível, diz a máxima, mas FH está para o Senna, como os seus substitutos estão para o Barrichello. É de chorar.

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

________________________________________

Sucesso de um...

Na festa do PT, Lulla disse: "Sucesso de Dilma é o meu sucesso"! Pois eu digo que o "sucesso de Lulla é o sucesso de FHC"! E vamos que vamos, sem egos exacerbados e méritos roubados, pelo bem do Brasil!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

Aniversário do PT

Aos 31 anos da fundação do Partido dos Trabalhadores, PT, ainda mantém um grupo de políticos completamente imaturos no que diz respeito aos valores republicados, ou seja, sempre estão a usar o Estado como coisa própria sem nunca atender aos interesses dos cidadãos; esquecem que o povo é soberano e agem como se estivessem acima das leis. Basta observar o exemplo despojado de decoro de Genuíno usando o carro oficial para ir à festa de seu Partido e de Lula afirmando mais uma vez que o ''mensalão" não existiu, e ameaçando a Imprensa como sempre,dentre tantas outras amostras.

Leila E. Leitão

São Paulo

________________________________________

Guerra dos biquínis

Andam dizendo que há uma ''guerra de biquínis'' entre Brasil e China. Será nossa presidente vai ter de fazer dieta e malhar para melhor negociar com eles?

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

Mínimo para aposentados

Dilma, não são somente o vale-saúde, o vale-educação, o vale-pobreza e outros vales que Lula e você implantarem que compram votos. O salário mínimo, para os aposentados, também tem valor na hora do voto, portanto, muito cuidado.

Clovis Jose Ribeiro Leal cj.leal@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

Salario mínimo

O Planalto quer só $545,00 de salario mínimo - não dá para alimentação, moradia vestuário, condução , etc. (embutidos quase 40% de impostos) e a inflação do período anda por 12% - com a desculpa de que produzirá déficit n o INSS. Mas não se preocupa com os elevados salários dos servidores públicos - aumen to de 40% além da inflação, no governo Lula - e conseqüente déficit das aposentadorias dos servidores , que é maior do que o do INSS, com 10 vezes mais aposentados. Para acabar com o tal déficit é muito fácil: o INSS só pagar aposentadoria aos que contribuíram; para os demais, o governo cria a bolsa aposentado, ou os inclua no Bolsa-Família.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

________________________________________

Quem deixou herança maldita?

Com o anúncio do corte de 50 bilhões no orçamento de 2011, fica configurado o estelionato eleitora.Herança maldita foi luLLa que deixou. Sorte teve o Serra, que não pegou este abacaxi estragado. Quero ver agora a cara dos petralhas, que compraram o peixe podre que luLLa vendeu. Vão ter uma enorme indigestão. Se Dilma quiser espantar o encosto, que faça um pronunciamento em rede nacional e explique ao povo que a situação do País não estava toda aquela maravilha que aquele mentiroso vomitou durante todos estes anos para enganar um eleitorado desinformado e ignorante.

Maria Eloiza Rocha Saez m.eloiza@gmail.com

Curitiba (PR)

________________________________________

Ponta do iceberg

Extremamente pertinente o editorial "herança maldita", (11/02;A3), entretanto cabe alertar que a herança não fica apenas no campo monetário e fiscal, a infraestrutura está aos frangalhos e apagões são apenas a ponta do iceberg. As pessoas que deram sustentação a alta popularidade de Lula, figuraram como verdadeiros anões de jardim, assistindo um presidente ufanista e irresponsável que abandonou as políticas públicas em prol da sua imagem

Francisco José Sidoti fransidoti@terra.com.br

São Paulo

________________________________________

Cobertura jornalística

Parabéns à brilhante cobertura do Estadão em relação aos conflitos e manifestações populares no Egito.A forma completa dos registros em artigos conceituais,fotos ilustrativas, e reportagens com uma enorme e vasta riqueza de informação,coloca os leitores deste jornal ao maximo do conhecimento das ocorrências e desenrolares deste doloroso e importante processo democrático.

Filipe Luiz Ribeiro Sousa filipelrsousa@yahoo.com.br

São Carlos

________________________________________

Réplica na América

Aviso ao Hugo (Mubarak) Chávez: A sua hora também irá chegar.

Jose Roberto Palma palmapai@ig.com.br

São Paulo

________________________________________

Egito

Desembalsamada a ditadura egípcia.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

Dia D

Caiu Hosni Mubarak pelas mãos de um povo ordeiro e cansado dos 30 anos de ditadura e humilhação. Oxalá os próximos passos consagrem a instalação de um governo democrático. E que esta sofrida sociedade tenha o gozo da liberdade de ir e vir, de imprensa, e um poder judiciário condigno. O povo egípcio usou como arma apenas sua voz para derrubar o déspota do Mubarak. Mesmo com mais de 100 mortes, o sacrifício de 18 dias em que milhares de cidadãos ficaram acampados na Praça Tahrir foi compensado pela queda do ditador. Este ato vitorioso da sociedade egípcia é um exemplo não somente para as nações ainda ditatoriais, mas também para aquelas como a nossa, em que políticos sem vocação de servir o País, e que legislam em causa própria devam ser extirpados das nossas instituições. Fica aqui esta grande lição que vem lá do oriente! E quem sabe agora, nós brasileiros abandonamos o silêncio político improdutivo próprio da nossa inércia, e vamos sem radicalizar defender nossa Pátria destes vândalos do poder... Parabéns ao povo egípcio! Este dia 11 de fevereiro, é tão importante quanto a derrubada do Muro de Berlim!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

________________________________________

Que sirva de exemplo

Após 18 dias e 300 vidas perdidas, finalmente cai o ditador. Caiu, fugiu e deixa a nação nas mãos das forças armadas. Que tenham toda lucidez para oferecer ao povo, que demonstrou que a união de idéias e princípios pode ser superior a um exército poderoso, um regime plenamente democrático.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

A data da vitória

O povo egípcio escreveu sua história antiga em hieróglifos e conquistou sua liberdade nesta sexta-feira, uma data que forma o palíndromo 11022011 podendo ser lido nos dois sentidos. É um povo cheio de simbolismos, cuja vitória contra a ditadura certamente servirá de inspiração a todos os povos ainda subjugados não só por tiranos, mas também por corruptos e incompetentes. Viva a liberdade. Viva a democracia!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

________________________________________

As pragas do Egito

Desde a queda do Muro de Berlim eu não me emocionava tanto com uma manifestação popular como a do Egito. O levante que uniu muçulmanos e cristãos é um recado para os ditadores. Se todo povo que vive oprimido se der conta do poder que tem quando são ''um só '', os ventos de mudança soprarão em todo canto.Cuidado, Chávez! Cuidado, ditadores! Vocês podem dormir presidentes a acordar fugitivos.

Denise Martins denisedesen@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

O Egito próximo

O imenso sacrifício do povo egípcio teve caráter épico e revolucionário, considerando-se revolução como uma ruptura para, de um ponto inicial, retomar-se o destino de um povo, que só faz sentido, neste momento da história da humanidade, em direção à democracia plena. Pela primeira vez em sua história, o povo do Egito libertou-se das amarras sociais e psicológicas, do natural medo individual, da consideração dos interesses particulares e familiares, para ganhar as ruas a fim de erradicar um regime opressivo ossificado há trinta anos. Não é novidade histórica, porém, que grupos não representativos da sociedade global que se lançou ao desafio e deu vidas em holocausto para atingir seus nobres objetivos, grupos principalmente militares, com as forças de que dispõem, se apropriem indevidamente do resultado de um levante legítimo para assumir o poder e fazer valer seus interesses pa rciais, conduzindo à frustração e rompendo a legítima utopia que alimentou a mobilização invulgar de toda uma nação. À falta de líderes, orientação programática e organização, os militares já assumiram os postos de comando. Certamente se faz necessário um período transitório para que se implante a ordem democrática e justa que constituiram o ideal da população heróica, que, em muitos momentos, tinha simples pedras para enfrentar armamentos das forças da (des) ordem. No entanto, é indispensável que esse período seja efetivamente transitório e nele se se processe um poder nacional constituinte, que represente todas as forças vivas da Nação para elaborar um documento jurídico fundamental, embasador de um Estado de Direito Democrático, em suas diversas dimensões. Aos governos democráticos do mundo, a exemplo do Brasil, cumpre pressionar no sentido de que o movimento heróico do povo do Egito tenha esse epílogo legítimo, sob pena de, mais uma vez, ficar frustrada a caminhada em busca de uma nova história, de uma nova existência coletiva.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

Povo unido

O povo unido jamais será vencido. Essa afirmativa ficou comprovada com a vitória do povo Egípcio que, numa ação invejável, mandou para o espaço a ditadura de Hosni Mubarak. Que isso sirva de exemplo para o resto do mundo, principalmente para os povos da América do Sul.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.