Cartas - 14/12/2010

GOVERNO DILMA

, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2010 | 00h00

A nau ministerial

Não me interessa saber quem indica os nomes do próximo governo, mas gostaria de entender se a proposta deles é a de formar um Ministério ou montar um elenco para refilmar Frederico Fellini. Só sei que, dia após dia, uma nova personagem, mais bizarra que a da véspera, vai engatando nesse trenzinho e o PT, Lula à frente, segue sua nau.

STANISLAW CORDEIRO

ratles2@hotmail.com

São Paulo

_______________________

IMPOSTO DE RENDA

Maldade

Esse congelamento da tabela do Imposto de Renda em 2011 é uma última maldade que o governo Lula quer fazer antes de desencarnar. Talvez para se vingar da classe média, que preteriu sua candidata na última eleição. Com a inflação sendo repassada aos salários, isso vai tirar um monte de gente da isenção, além de promover a mudança de faixa de outro tanto. Merecia ser questionado na Justiça, por ser injusto e ilegal.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

_______________________

Reajuste dos descontos

Quando é para arrecadar (tungar o bolso do contribuinte, pessoa física ou jurídica), os órgãos da Receita Federal têm uma agilidade fora do comum. Mas sobre o reajuste dos descontos ninguém fala nada, e a classe média cada vez mais vai afundando para a categoria dos pobres.

WALTER SIMÕES

waltersimoesdx@hotmail.com

Santos

_______________________

CONTROLE ESTATAL

Contradições

O Estado de domingo nos brindou com dois artigos - Papel sem pé não corre, de Gaudêncio Torquato, e Riscos das atividades econômicas online, de Oliver Fontana (A2) - que nos permitem notar certa dissonância em relação comparativa do conteúdo de ambos. Gaudêncio constata que o desenvolvimento do País não se dá de maneira célere porque o Brasil de ontem não deixa. A precariedade do serviço público e as deficiências dos fatores humanos colaboram para o atraso, até com a contenção do PIB. Propõe um programa de capacitação dos quadros, ao lado de redução da burocracia, a exemplo de outros países. Já Oliver preconiza um controle legal sobre a internet (que se vem expandindo e progredindo de modo exemplar), pelo poder público, o que, na sua opinião, já se faz tarde. O controle estatal estrito por meio de leis e regulamentos seria essencial para proteger e dar segurança ao cidadão. Eu me surpreendo com essas visões opostas da realidade brasileira desses brilhantes articulistas, mas tendo a acreditar que devemos retirar, e não promover controles puramente formais, principalmente nas atividades que comprovadamente vêm funcionando muito bem sem eles.

ADEMIR VALEZI

valezi@uol.com.br

São Paulo

_______________________

Stecks e tomadas

Parabéns a Denis Rosenfield pelo artigo Liberdade e doença (6/12, A2). Estes dias passei grave constrangimento ao comprar, com receita, Amoxicilin para preparo pré-cirúrgico. Tive de fornecer todos os meus dados, assinar um documento em que garantia o uso pessoal do medicamento e sua não devolução(?). Na receita havia também Decadron e Alivium (que já possuía). "Ou compra agora, ou não compra mais." Que terror! Que documento é esse? E se eu não estivesse presente, por dificuldade? O mesmo terror está ocorrendo com as novas tomadas brasileiras. É sério, a bomba vai estourar logo. Todo ano, nesta época, reformo o meu estúdio de gravação. São mais de 30 aparelhos com tomadas de todos os tipos. "Está proibido! Só com a tomada brasileira" - o japonês que por anos me atendeu está proibido por lei de vender tomadas e stecks nos formatos (antes e internacionalmente) usuais. Pergunto: é lei? Deveria ser norma. Não há no mercado stecks com a nova tomada e tal modificação custará um salário de deputado, pois grande parte dos equipamentos usa fontes exclusivas e blindadas. Estão loucos, e o povo (hoje propriedade exclusiva) que se dane.

MARCOS FICARELLI

ficareli@terra.com.br

São Paulo

_______________________

CUMPRIMENTOS

Caboré e credibilidade

Como presidente da Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano (Aelo), cumprimento o Estado pela conquista do Prêmio Caboré e pela eleição desse jornal como o de maior credibilidade na mídia brasileira. Com mais de um século de tradição democrática, o Estado é um patrimônio do País.

FLAVIO AMARY

presidente@aelo.com.br

São Paulo

_______________________

Humberto Werneck

Além dos outros motivos, tantos, tenho agora mais um para abrir, entusiasmado, o Estadão de domingo. Parabéns pela contratação do Humberto Werneck. Com tantos ensaístas fazendo "crônicas", sinto uma alegria imensa por poder ler o Werneck, cronista mesmo, como os maiores, que fizeram a crônica ser um fenômeno quase especificamente brasileiro. Duvido que haja em qualquer outro jornal ou revista alguém tão cronista e tão bom quanto ele. A primeira leitura que farei a partir de agora, aos domingos, será o HW.

RAUL DREWNICK

drewnick@sti.com.br

São Paulo

_______________________

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Abel Holtz, A. F. Figueiredo, Alfasol e Centro Ruth Cardoso, Ana Luisa Ariolli, Cacilda Amaral Melo, Canil Hotel VBA, Carlos Nunes Rezende Neto - presidente da União de Defesa da Propriedade Rural (UDPR), Carlos Vogt, Cecilia Milklos Dale e dr. Josef Levente Miklos, Claudinho de Souza, Devarley Mastro, Equipe do Atelier da Ideia, Equipe Bassin Gestão e Negócios, Equipe Drummond Comunicação, Equipe Maxpress, Equipe Mercatel, Equipe da Platinum Viagens e Eventos, Equipe Wak Editora, Gilberto Primamera, Granadeiro Guimarães Advogados, Grupo Proteção Ambiental Litoral Paulista, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia, Irene Maria Dell"Avanzi, Jorge Solla - secretário da Saúde do Estado da Bahia, José Barbosa Coelho, José Piacsek Neto, Lody Brais - Associação Cultural Brasil-Líbano, Marcelo Malizia Cabral - Foro da Comarca de Pelotas (RS), Miguel Reale Júnior, Natura - Alessandro Carlucci, Guilherme Leal e Luiz Seabra.

_______________________

"Ciro Gomes está mais para a Integração ou para a Desintegração?"

JOSÉ JORGE RIBEIRO DA SILVA / CAMPINAS, SOBRE A INDICAÇÃO PARA O MINISTÉRIO DE DILMA

jjribeiros@yahoo.com.br

"... e o Collor sofreu impeachment por apenas uma Fiat Elba"

VAGNER RICCIARDI / SÃO PAULO, SOBRE OS R$ 4,7 MILHÕES PARA INSTITUTO DE ASSESSORA DE

SERYS SLHESSARENKO (PT-MT)

vbricci@estadao.com.br

"Os caras são profissionais"

MAURÍCIO LIMA / SÃO PAULO, SOBRE O VETO DE LULA QUE FACILITOU DESVIO DE RECURSOS PARA ENTIDADES FANTASMAS

mapeli@uol.com.br

_______________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 601

TEMA DO DIA

Pesquisa: crack está em 98% das cidades

Levantamento revela que apenas 14,78% de 3.950 municípios têm atendimento a usuários de drogas

"Delegacias ficam perto das bocas de fumo e nada fazem."

EDIVELTON TADEU MENDES

"O governo tem de cumprir a lei: menores não podem ficar nas ruas sem rumo e sem assistência dos responsáveis - aqui, eles não podem trabalhar, mas vadiar e se drogar podem."

VIVIANE MOTTIN

"Queria saber quais as cidades que representam os 2% onde não há drogas para ver se consigo me mudar para uma delas."

JORGE LUIZ TOCAFUNDO

_______________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

 

 

 

 

 

RECURSOS PARA A SAÚDE

 

Esse senhor que ainda está presidente - por pouquíssimo tempo, graças a Deus - vem a público soltar sua verborragia a respeito da situação em que se encontra a saúde neste sofrido Brasil. Como era de esperar, ele culpa a derrubada da CPMF, a qual foi classificada como um ato de "insanidade, ódio, rancor e maldade"! Segundo ele, foram tirados R$ 40 bilhões por ano e será preciso encontrar outra forma de arrecadar recursos para a área. Ora, a solução sempre esteve em suas mãos: acabar com os ministérios inúteis que foram criados por ele para acolher seus apaniguados; eliminar os milhares de empregos que também foram por ele criados para acomodar seus asseclas e cabos eleitorais; colocar na cadeia os mensaleiros e sequestrar seus bens e contas no exterior, retornando para os cofres públicos; fechar a torneira dos cartões corporativos e das farras com o dinheiro público e devolver a fortuna que ele gastou com as propagandas eleitoreiras para sua eleita, afrontando a lei e toda a Nação. É simples, mas ele nada fez a respeito, pois sempre foi parte da mesma matula.

Claudio D. Spilla Claudio.Spilla@CSpilla.org

São Caetano do Sul

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

MAIS DEMAGOGIA

O presidente Lula fala apenas meia verdade ao afirmar que o governo deixou de arrecadar R$ 150 bilhões por conta da suspensão da CPMF. Todos sabem que em seguida à suspensão o IOF foi reajustado de tal forma que a arrecadação aumentou substancialmente. O presidente novamente usa de apelos demagógicos para tentar convencer a opinião pública da procedência de um imposto que foi por anos a fio impopular e mal utilizado.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

CPMF

Lulla não se conforma com a derrubada da CPMF, todo dia a mesma ladainha, foi a oposição... Oposição?! Ele comprou 400 deputados, teve maioria para tudo, e a oposição, com 120 deputados e 40 senadores, foi a culpada? De onde vieram os votos restantes? Durante cinco anos ele teve a CPMF e a saúde só piorou, a falta foi para continuar o mensalão, mandar dinheiro para a UNE fazer experiências (lembram-se dos R$ 20 milhões?), comprar os pelegos das centrais sindicais (todas), enviar dinheiro para os "cumpanheros" (Chávez, os Castros, Morales, etc.). Já é hora de parar de falar besteira, estamos cansados. Graças a Deus faltam poucos dias para termos um pouco de paz. Fora, Lulla!!!

Delcio da Silva delcio@ess.ind.br

Taubaté

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

DO BOLSO DOS CORRUPTOS

 

 

 

De fato, em recente declaração, o presidente Lula disse que a melhoria da saúde dependeria de novos recursos e reclamou a queda da infrutífera CPMF, de onde se desviaram muitas verbas, sem a contrapartida a que se destinou. O Brasil já é o país onde se paga a maior quantidade de impostos e agora só se fala em criar mais algum para custear esse esquecido setor. Trabalha-se quatro meses por ano só para pagar impostos. Tem de tirar de outro lugar, sem tocar no dinheiro da sofrida população. Que tal do bolso dos corruptos? Mensalões, caixas de Pandora, dentre outros vultosos roubos de nossas autoridades dos três Poderes. O Judiciário tem de, pelo menos, recuperar esses valores para os seus legítimos donos: o povo. Toda a população agradeceria!

João Coelho Vítola jvitola@globo.com

Brasília

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

FARRA

Caro Lula, o povo brasileiro não quer pagar CPMF. Tenho uma ideia para resolver esse problema: parem de desviar verba pública. Façam reformas estruturais, sejam sérios. Povo brasileiro, até quando vamos ficar indiferentes à farra com o nosso dinheiro?

Celia Mendes Di Martino cmendes_18@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CORRUPÇÃO E PICARETAGEM

Querem ressuscitar a tal da CPMF, agora com o nome de CSS. Vai onerar mais o contribuinte consciente que movimentam conta bancária. E o dinheiro que circula na informalidade? Não gera receita nenhuma. Há discursos de todo tipo com relação a direitos: direito a educação, direito a saúde, direitos humanos... Ninguém tem obrigação de nada!

"É dando que se recebe"? Não dá mais! A gente dá uma mão e tem o braço arrancado! Combatem-se a corrupção e a picaretagem nas várias esferas do governo que dá para gerar bilhões para financiar a saúde.

Festa beneficente da dona Dilma que começou com Lula. Não dá para participar, vai ser uma lambança, uma muvuca! Só tem penetras!

 

 

Fernando Makoto Fucamizu fernandofucamizu@hotmail.com

Marília

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

A SAÚDE EM SÃO PAULO

Como demonstra a matéria do Estadão sobre a saúde (13/12, A4), cada vez mais dinheiro é gasto e cada vez menos a qualidade do atendimento melhora. Quase tudo já está nas mãos das Organizações Sociais (OS), que aparentemente não têm o controle estatal que deveriam. Cada vez fica mais difícil conseguir uma consulta até com clínico geral. E não há com quem reclamar, porque o Estado abdicou de suas funções em favor das tais OS.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

DESPERDÍCIO

Entre os recentes gastos excessivos e mal feitos da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo está a compra de um luxuoso prédio no Morumbi para uma unidade da Rede de Reabilitação Lucy Montoro. Nesse prédio, adquirido por mais de R$ 50 milhões, fui informado de que existem 85 leitos, dos quais somente cerca de 30 estão sendo usados. Pelo que o governo estadual gastou para implantar essa unidade, organizações particulares de assistência aos deficientes poderiam implantar estruturas mais práticas e menos luxuosas, que beneficiariam muito mais pessoas, principalmente crianças, nessa situação. Vamos esperar que o governo Geraldo Alckmin, seu novo secretário da Saúde, e a sra. Lindamara, reconduzida na chefia da Secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, consigam logo compensar os enormes desperdícios do governo anterior e que os muitos necessitados não sofram suas consequências. Que o coração de todos os paulistas se abra para esses irmãos que vivem vida limitada pela deficiência e contam com a ajuda de entidades meritórias como a Rede Lucy Montoro. Não podemos decepcioná-los!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

GESTÃO E INVESTIMENTO

Uma boa e uma má notícia. Primeiro a boa: gastos na área da saúde em São Paulo aumentam, devido entre outros motivos a 15 novos hospitais, 37 AMEs, e com equipamentos e artigos de uso médico, odontológico e hospitalar, por isso São Paulo oferece a medicina mais qualificada do Brasil. Agora a má: gastos na área de saúde em São Paulo aumentam, mesmo sem o devido repasse do governo federal nestes últimos oito anos. Apesar disso, São Paulo oferece a medicina mais qualificada do Brasil. Enquanto isso, a capitania hereditária da oligarquia Sarney, também conhecida como Estado do Maranhão, está em último lugar no gasto per capita em saúde.

 

 

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTOURO NAS CONTAS

Sobre o estouro nas contas no sistema de saúde do Estado de São Paulo, o governador eleito, Geraldo Alckmin, deveria exigir do governo federal que pague a conta. Além de SP ser o Estado mais populoso da Nação, é também o mais lucrativo para os cofres federais e deveria ser ressarcido por isso. Além de São Paulo ser a porta de entrada a todos os doentes do País, cujos sistemas de saúde são precários e ineficientes. Apenas eu conheço quatro pessoas que chegaram de vários lugares do Brasil para se tratarem no Sistema Único de Saúde estadual. São Paulo, por ser referência em saúde no País, paga a conta sozinho? E tem mais. Já está faltando leito em hospitais particulares também, cujos pacientes pagam mensalidades altíssimas em convênios particulares. Se mesmo com todo o investimento feito falta leito, o que acontecerá em época de Copa do Mundo? Que o governo federal abra os cofres para o sistema de saúde de São Paulo, senão daqui a pouco nem presidente, vice-presidente, congressistas conseguirão vaga por aqui, já que é para São Paulo que todos correm à primeira dor de barriga!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

SUGESTÃO AO GOVERNADOR ALCKMIN

Incrível a facilidade de alguns PETISTAS para angariar recursos, bastando apenas "prestar contas". Parece que se as contas prestam ou não, não vem ao caso. Por isso, eis uma maneira de o governador Alckmin resolver facilmente os problemas de "estouro" nas verbas programadas para a saúde do Estado "locomotiva" do País. Um assessor ou uma assessora do governo cria uma entidade do tipo IPAM - Instituto Precocemente Autorizado Maquiavelicamente -, que com emendas parlamentares poderá conseguir verbas para "eventos culturais e turísticos", as quais, se bem boladas, podem ultrapassar R$ 4,7 milhões. Mas precisa-se de justificativas para que tais verbas possam atingir seus objetivos na saúde (para cidadãos que pagam tributos... E como pagam!). Basta um parlamentar do Estado de São Paulo, com facilidade de expressão e razoável poder de convencimento, esclarecer aos outros parlamentares que "eventos turísticos e culturais" só podem ser levados à população que tenha "saúde" física e financeira, para os usufruírem. Creio que assim o governador eleito, com a ajuda do deputado petista Jilmar Tatto (SP) ou substituto à altura, e com as bênçãos do próximo governo federal, que prometeu governar suprapartidariamente em seu mandato, terá seu problema resolvido. "Saúde é o que interessa, shows... sem muita pressa!!!" Mesmo porque a pressa só auxilia os espertos de plantão, que por pressa nem lêm o que deveriam ler antes de assinar. Tenho dito.

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

A COBRA QUE ENGOLE O PRÓPRIO RABO

Sempre leio assuntos que tratam dos problemas com os planos de saúde. Ontem (13/12), na página B3, o assunto é tratado por um advogado especialista no tema. Em geral, ele defende aumentos das mensalidades dos planos de saúde e nessa matéria cita valores ínfimos que o consumidor paga para ter um. Nem todos pagam tais valores, como em meu caso, que custará cerca de R$ 15 mil neste ano para atender a mim e à minha esposa. Não sou especialista, e sim apenas consumidor há 18 anos de um plano derivado de empresa estatal, que custa menos que outros. E se não é perfeito, está muito longe de ser comparado com muitas daquelas porcarias criadas apenas para extorquir os jovens saudáveis e excluir doentes idosos. Concordo que os planos de saúde remuneram mal os médicos, hospitais, laboratórios e tudo aquilo que pertence à cadeia de atendimento à saúde. O problema é como esses sobreviverão sem os pagadores de planos de saúde. A maior parte não larga nem o osso governamental, que remunera pior ainda. A quantidade de brasileiros em condições de pagar os valores citados como baixos, em geral, e consultas de, digamos, apenas R$ 100 seria tão pequena que fecharia clínicas, hospitais, laboratórios e faria mudar de profissão muito dos profissionais do ramo da saúde.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CORRUPÇÃO DESLAVADA NA ÁREA DA CULTURA (E OUTRAS)

Os episódios revelados em que emendas no Orçamento e as verbas da Cultura beneficiam empresas fantasmas ou criadas com o único fim de espoliar o erário estão entre os piores exemplos de corrupção revelados recentemente.

É inadmissível que processos de credenciamento e de pagamento sejam forjados em série, com o mesmo teor (e os mesmos erros de português), e registrados em sequência (minutos após os outros), quase todos em nome de laranjas, desviando milhões de reais.

Somente pessoas desprovidas de qualquer senso público e sem nenhum caráter podem se envolver com situações desse tipo.

Enquanto o governo federal foi responsável pelo fechamento de mais de 11 mil leitos hospitalares que atendiam às classes menos privilegiadas, milhões de reais eram desviados para encher o bolso de poucos, logo ali, no Ministério da Cultura, e com interferência de parlamentares.

Não há necessidade de CPMF para a saúde, há, sim, a necessidade de fechamento das inúmeras torneiras e os drenos do dinheiro público, que se fossem ao menos drasticamente reduzidos permitiriam que tivéssemos mais leitos e assistência médica adequada para a população carente. Além disso, teríamos recursos para melhorar o nível educacional do País e nos tirar da vergonhosa 56.ª colocação entre 65 países no Pisa.

Enquanto boa parte dos demais países do mundo vem tomando ações efetivas para a educação e para a redução da corrupção, estamos caminhando muito lentamente nesses quesitos, em que também ocupamos outro vergonhoso lugar no ranking da corrupção.

Um bom passo para isso seria desistirmos da realização da Olimpíada de 2016, que também será um prato cheio de oportunidades para a corrupção. Infelizmente, já está tarde para desistirmos da Copa de 2014, a qual não terá trem-bala, teremos aeroportos com "remendos" para atenuar a crise e estádios construídos à pressa e a um custo astronômico e sem concorrência, devido à "urgência" provocada pelo péssimo planejamento e pela voracidade de interessados em que isso venha a ocorrer.

Esse é um grande desafio para a presidente Dilma, para o resgate da moralidade pública e do melhor emprego dos recursos, que estão se tornando cada vez mais escassos. Se isso não for feito, de nada adiantarão PACs e outras iniciativas, estaremos apenas nos enganando quanto ao futuro do País.

Edison Roberto Morais ermorais@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

SUJEIRA

Mais sujeira brota do governo lulo-petista, agora envolvendo a senadora Serys e gente a ela ligada. Isso, ao que parece, não vai acabar nunca. Agora só está faltando Lula dar asilo a Battisti. Lula também disse, ontem, que ainda não perdoa o Congresso por ter vetado a

continuação do CPMF. Uma total incoerência, dele e de seu partido, que sempre combateram

essa medida quando foi lançada por FHC, este, sim, um grande presidente.

 

 

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ÉTICA

Esse é um conceito descartado pelo Brasil. É uma questão de educação: os pais ensinam aos filhos que a lei mais importante é aquela a que Gerson deu o nome, mas que existe no País desde os primórdios. Tirar vantagem em tudo é um principio que corrompe, e corrompe tudo. "Dinheiro público não tem dono, é só pôr a mão ao em cima!"

E este "princípio" prevalece em todas as camadas das administrações públicas, em todos os níveis, com o Congresso levando a faixa de campeão. Quantas vezes o relator do Orçamento de 2011 deverá ainda ser trocado? Ser ético é ser trouxa!

João U. Steinberg justeinberg@terra.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

O VETO DA LDO

O veto do presidente que facilita a derrama de dinheiro público para as ONGs me deixa convicto de que "ordem e progresso" neste país só valem mesmo para corruptos e apaniguados de quadrilhas organizadas. Povo, ora, o povo é apenas um detalhe de descamisados e desdentados analfabetos e famintos de Bolsa-Família, daqueles que dão "risadas da própria sorte".

 

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

FALTA DE RESPEITO

A senadora Serys Slhessarenko, de triste memória, interpelada pela imprensa a respeito da conduta de sua funcionária envolvida em roubo, declarou que não assinou nenhuma emenda parlamentar, já demitiu a funcionária e "ponto". E "ponto" uma ova. Eu sou contribuinte e quero saber duas coisas: quanto coube a ela do butim e se ela vai continuar relatora do Orçamento. Apesar de estar no Brasil, país que nos últimos oito anos se transformou numa republiqueta sindicalista, paraíso de bandidos, espero que o desfecho de mais essa roubalheira não termine no "e ponto" Não dá para depois de uma jornada de dez horas de trabalho ouvir calado e aceitar calado o pronunciamento descarado dessa mulher. Um total desrespeito ao cidadão brasileiro que entende o que ouve e não faz parte da quadrilha dominante.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

FONTE INESGOTÁVEL

Se algumas igrejas em troca de dízimo prometem prosperidade e o mundo da fantasia aos seus fiéis, o lulismo, com a chave do erário, garante aos seus, por meios inescrupulosos, facilidades para desvios de recursos.

Recentemente assim foi denunciado pelo Estadão, o Gim Argello, e agora uma assessora da senadora do PT Serys Slhessarenko, que desviou R$ 4,7 milhões para entidade com seu nome.

Estas fatídicas emendas parlamentares, que tinham como finalidade de angariar recursos para ajudar hospitais, orfanatos, asilos, etc., nesta gestão de Lula, descobriram marotamente que o povo melhoraria de vida se shows fossem promovidos em suas cidades...

E agora, se não é mais na base do mensalão a malandragem, encontraram esta brecha cultural para surrupiar verbas.

E o show continua... Mas só para os gatunos do Congresso!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POLÍTICOS

 

 

Quando aparece a palavra "político", imediatamente aparece o adjetivo "corrupto".

Vale a pena votar? Claro que não!

 

Alejandro Botto Correa alebotto@globo.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

BRASÍLIA NA MIRA!

 

 

E agora, sr. Lula, vai continuar defendendo o WikiLeaks? A especialidade de criticar os que não foram a favor do sr. Julian Assange é fácil, não é mesmo? Como fica a defesa da nossa capital, Brasília? Atentados podem acontecer, há alguns que sugerem que sejam feitos às terças e quintas-feiras, e acham bom demais, há outros que nem ficariam tristes e ainda outros dizem que não muda nada, Brasília já é um "terror". Incrível o que os nossos políticos conseguiram fazer com o patriotismo dos cidadãos brasileiros. Alerta, cuidado, Brasília na mira!

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

O QUARTO PODER

 

 

 

O título de Quarto Poder dado à imprensa foi conquistado justamente porque, além de informar, sempre agiu como instituição fiscalizadora das ações dos três principais Poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário).

No Brasil, desde a época Collor, a imprensa brasileira vem denunciando escândalos envolvendo, principalmente, a classe política. E, na grande maioria dos casos, o faz com fatos e provas incontestáveis.

Infelizmente, as denúncias acabam virando apenas blá, blá, blá. Só nestes últimos oito anos de governo petista, quantos escândalos foram denunciados? Quantas pessoas foram presas?

A imprensa fornece o material acusatório. Cabe a quem de direito, ou seja, ao Poder Judiciário, apurar os fatos, comprová-los e punir os denunciados. O que acontece todo mundo já sabe. Impunidade!

Acredito que a imprensa deve cobrar essa omissão - ou negligência - do Judiciário. Deve continuar denunciando, mas que exija, em nome da opinião pública, uma ação mais efetiva do Judiciário, o que não está acontecendo.

José Luiz Carbone jlcjor@yahoo.com.br

Santos

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

ESCÂNDALO DAS EMENDAS PARLAMENTARES

 

 

 

Uma vez mais - graças às oportunas reportagens de nosso Estadão - ficamos sabendo de outra, imponente e criminosa engrenagem de desvio de verbas publicas. A banalidade dessas crescentes ocorrências envolvendo altas personagens das esferas governamentais e políticas é assustadora e revoltante! A causa? Mais que nada, a celebre impunidade no Brasil. Na maioria dos outros países esses atos dariam lugar a processos criminais dos acusados - sem discriminação de ricos, pobres, cor ou status pessoal -, com longas penas de prisão, se o acusado não se suicida antes por vergonha, como usual em alguns países asiáticos. Solução? Não deve ser difícil repetir as tão bem-sucedidas iniciativas de um apreciável número de patriotas para forçar a aprovação da recente Lei da Ficha Limpa, obrigando a votação de uma jurisprudência que imponha a merecida punição de atos ilegítimos, sem exceção.

 

 

 

Pablo L. Mainzer plmainzer@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

ORÇAMENTO

Será que todos os desmandos estampados pelo Estadão sobre os repasses de verbas não são crimes?

Como andam as apurações? Aguardemos.

 

 

 

Iracema M. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

SERYS, RELATORA DO ORÇAMENTO

 

Enfim a raposa foi posta em seu devido lugar!

Pobres brasileiros...

 

 

José G. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

O DIA DEPOIS DE AMANHÃ

O pior dos legados deste governo que se encerra é, sem dúvida, a falência da moralidade, a descrença na verdade e a certeza e que toda a classe política do País se submeteu, ajoelhou-se, a par com o Poder Judiciário, a rezar a cartilha da corrupção , da conivência e da traição dos princípios legais, da Constituição, e a falta de vergonha na cara.

Arrasta-se este país por sobre a lama implantada pela ganância ignorante, mas extremamente lucrativa para todos da patota. Os resultados, medidos extramuros, são os piores que pudéssemos imaginar.

Aos que estão dentro não faltam certeza e convicção de que a vaca vai rumo ao brejo.

O escárnio que pautou a farsa que se encerra se renova com novas fantasias, o desfile promete continuar, porém o custo de 12 anos de aventuras e saque não será contido, posto que, ao saber popular, não há saco que aguente, nem há mal que perdure, nem mesmo se pode enganar tantos, ou todos, o tempo inteiro.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

SEGURANÇA

É vergonhoso saber, conforme denúncia do Estadão, que o governo do Estado de São Paulo mantém 657 policiais na Casa Militar (tá mais pra casa de mãe Joana). Garanto que nem no palácio presidencial de Bagdá existe tanta "proteção". Enquanto a maioria dos PMs, ganhando um salário de fome, enfrenta a morte em cada esquina, uma minoria privilegiada está encastelada no poder. Como é feita a convocação para trabalhar na Casa Militar? Deve ser por QI (quem indica). Por isso é que faltam policiais nas ruas da capital e nas cidades do interior. Moro no município de Eldorado, que tem 1751 quilômetros quadrados e apenas seis PMs, que se revezam em duas viaturas velhas. Parabéns, tucanos, já conseguiram destruir a educação no Estado e estão fazendo o mesmo com a Segurança Pública!

 

 

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A NOVA POLÍCIA NACIONAL

Em oportuno e objetivo artigo publicado ontem (A2), o general da reserva Luiz Eduardo Rocha Paiva ressalta aspecto até agora não abordado publicamente: "Não basta apenas agir contra o braço armado (do tráfico), poupando fontes de recursos da criminalidade situadas em altas esferas da sociedade e com impunidade garantida." Esse nível "superior", como o general o denomina, é o dos empresários das drogas, os quais fizeram do país o segundo maior consumidor de cocaína do mundo. Esses grandes senhores não residem nas favelas.

 

 

 

Flávio José Rodrigues de Aguiar rsd100936@terra.com.br

Resende (RJ)

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FORÇAS ARMADAS E O RESGATE DA PAZ

Qual o real valor do questionamento sociopolítico-militar brilhantemente exposto no artigo do general Rocha Paiva? Coincidência ou não, a resposta explícita, da realidade carioca e brasileira, está inserida na mesma página, com clareza de ideias e verdades, em artigo do de Carlos Alberto Di Franco. Quiçá nossas autoridades, como presente natalino, ponham em prática essas asserções.

 

 

Aloísio Arruda De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

COMPLEXO DO ALEMÃO

 

 

Com referência à participação das Forças Armadas na tomada do Complexo do Alemão, não consigo entender aqueles que se mostram contrários ao fato de as Forças Armadas saírem a campo para responder à bala, sem estarmos em guerra. Afinal, será que só os traficantes é que têm o direito de atirar, sobretudo mais bem armados, com AK-47 e AR-15? E enfrentar os traficantes é muito diferente de uma guerra civil? É simplesmente inexplicável que o Brasil faça vista grossa à entrada de armas e drogas pelas fronteiras que temos com os maiores produtores e traficantes de drogas da América do Sul.

 

 

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

 

 

 

 

 

 

 

_______________________

 

 

 

 

 

 

 

CONTROLE DA MÍDIA

 

 

 

 

Li no Fórum deste domingo várias manifestações no "tribunal" que o Estado disponibiliza para todos os que odeiam o presidente Lula. Tenho a Impressão de que esses leitores não vivem no Brasil. A avaliação que fazem do País, por causa do presidente Lula, é horrível. Mas o que mais me chateia é a contradição. Falam que Lula defende o WikiLeaks se baseando em declarações do presidente, ao mesmo tempo cobram de Lula uma atitude que deveria ser do Judiciário brasileiro. Ele é um democrata. Se o Estadão está sob censura, o caminho é o Judiciário brasileiro. Ninguém está censurando o direito do Estado de recorrer de uma decisão judicial. Ou queriam que o Lula fechasse o Poder Judiciário?

 

 

 

 

Luiz Carlos de Oliveira lcoluiggi@gmail.com

Sumaré

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.