Cartas - 18/12/2010

TREM DA ALEGRIA

, O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2010 | 00h00

Assalto

Indecente, hediondo, vergonhoso, repugnante, triste. É o que penso do reajuste dos vencimentos que nossos congressistas se deram - muito acima da inflação, dos aumentos salariais da classe trabalhadora e do salário mínimo. É um roubo dos cofres públicos. Resultará, como projetam os economistas, em aumento de despesa anual ao redor de R$ 2 bilhões. Nosso Congresso vale esse investimento? Tudo isso para custear tráfico de influência, nepotismo e corrupção? Acorda, Brasil!

JOÃO MARCOS FERNANDES

jmf.dentista@bol.com.br

Jandira

Ninguém é de ferro

Com a costumeira ligeireza e sem-vergonhice que lhes é peculiar quando o assunto é discutir proveitos próprios, nossos congressistas nos brindam com mais um indecoroso aumento dos próprios salários, de ministros, presidente e vice. Não importa que a inflação não tenha chegado a 20% desde o último aumento. A ordem é lascar, logo de cara, reajustes entre 62% e mais de 130%! Claro que sem abrir mão das verbas indenizatórias, moradia, carro e combustível de graça, uma penca de funcionários, passagens aéreas para esposas, namoradas e amigos, serviço de saúde, etc., etc. Afinal, ninguém é de ferro. Trabalhar sério que é bom, nada!

PAULO RIBEIRO DE CARVALHO JR.

paulorcc@uol.com.br

São Paulo

O responsável

O povo brasileiro não tem do que reclamar, ele é o único responsável pelo vergonhoso aumento de 61,83% que os parlamentares, em Brasília, decidiram em causa própria. Quanto aos 133,96% para a chefia, nem falar, nosso povo reelegeu o grupo. Sem esquecermos o silêncio dos inocentes diante de tudo o que aconteceu neste país.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@terra.com.br

São Paulo

Indicados e indicadores

Sortuda a nossa presidente eleita, pois, além de receber um Ministério prontinho, já tem a base de cálculo do novo salário mínimo, o qual será de R$ 1.193,20, que é o resultado do salário atual depois de receber aumento de 133,96%, o mesmo índice aplicado ao salário da presidente da República. Que bom!

DECIO FRANCO DE ALMEIDA FILHO

bdfpartners@uol.com.br

São Paulo

Piada sem graça

Em sua primeira exibição na Câmara, o deputado Tiririca não deixou de lado suas palhaçadas e foi logo dizendo: "Cheguei com sorte. Graças a Deus, foi aprovado, acho justo." Piada de péssimo gosto, não dá para rir nem um pouco, mas dá para chorar, e muito. Acorda, Brasil!

VANDERLEI ZANETTI

vanzanetti@uol.com.br

São Paulo

Abestados

Pois é, Tiririca, essa corja de que você agora faz parte, e na qual já se enquadrou, achando "justo" o pequeno reajuste de 62%, consegue fazer o que aí está ficar ainda pior. Consegue transformar em abestados todos os milhões de eleitores sérios desta Nação.

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Estou envergonhado!

Eu não queria que meu país fosse assim, todos os congressistas se igualam ao Tiririca e gritam em uníssono: pior do que tá não vai ficar. Mas se concedem aumentos que humilham o povo que trabalha. Um país cujo Congresso não respeita o povo nunca será uma nação do Primeiro Mundo.

TOSHIO ICIZUCA

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

ÁREAS DE RISCO

Prefeitura contesta

Sobre a matéria SP tem 420 áreas de risco. Escapam só 5 subprefeituras (10/12), a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras esclarece que o desmoronamento citado, na Estrada do Jararaú, em 2009, ocorreu no município de Itapecerica da Serra, não no de São Paulo, como afirma a reportagem. A área está sob responsabilidade de Itapecerica, assim como, claro, todas as ações para desocupação do local. O mapeamento do IPT na cidade de São Paulo ainda não está finalizado, o que impede a conclusão de que há 420 áreas de risco na cidade. Sobre a informação de que a secretaria não prestou esclarecimentos à Promotoria sobre as obras realizadas em áreas de risco, cabe dizer que a coordenadora do Programa de Intervenções em Áreas de Risco Geológico da capital esteve pessoalmente no Ministério Público em 8/10, onde fez apresentação de 45 minutos sobre o tema, depois participou de debate, passando quase cinco horas no local discutindo informações sobre as obras em diversas regiões da capital. Por fim, importa frisar que a área que desmoronou no Jardim Maringá, na zona leste, não estava no mapeamento de áreas de risco de 2003-2004.

SHIRLEY NARA PINHO DE ARAUJO

snparaujo@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. - O desmoronamento citado ocorreu na divisa de São Paulo com Itapecerica da Serra e há, sim, moradias localizadas na capital, conforme o repórter que lá esteve pôde constatar. A reportagem deixa claro que o mapeamento das áreas de risco não está pronto - isso está dito expressamente no segundo parágrafo do texto. Mas é possível, sim, concluir que o número deve girar em torno de 420, uma vez que o trabalho de campo já está concluído. Da data da publicação da matéria até o dia 16, com o relatório já integralmente nas mãos da Prefeitura, nenhuma outra área foi vistoriada pelos técnicos. Não se visitou nenhuma área que não fosse considerada de risco. Logo, se há a informação de quantas áreas foram visitadas ao longo de um ano, pode-se afirmar que elas são a totalidade das de risco mapeadas na cidade, como diz a reportagem. Apesar da apresentação de 45 minutos e do debate de cinco horas, o promotor de Justiça José Carlos de Freitas, da Promotoria de Habitação e Urbanismo da Capital, reafirma que não recebeu da Prefeitura as informações por ele solicitadas. A reportagem apenas retratou a posição dele.

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi), AirFrance e KLM, Aldinete Ferreira da Silva Brás, Alex Manente, Alfredo Rizkallah, Amadeu R. Garrido de Paula, Angelo Tonelli, Antonio Brandileone, Asciudeme Joubert, Avec Mitsubishi, Avianca, dom Eugenio de Araujo Sales, Cargill e Fraterno Maria Nunes.

"Será que os ministros do STF se conformarão em receber o mesmo salário que o Tiririca? Para que estudar, como afirma nosso maior representante?"

GLALCO ÍTALO PIERI / SÃO PAULO, SOBRE A FARRA DOS AUMENTOS SALARIAIS DOS PARLAMENTARES

colyacpieri@uol.com.br

"Pobre Tiririca, o salário é café pequeno. Mas ele vai aprender..."

RUBENS TARCISIO DA LUZ STELMACHUK / CURITIBA, IDEM

rtls@bol.com.br

"Tiririca, pior do que tá não fica? Já ficou!!!"

VICTOR GERMANO PEREIRA / SÃO PAULO, IDEM

victorgermano@uol.com.br

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL:1.271

Deputado federal mais votado do País, o humorista foi o primeiro a receber diploma em cerimônia

TEMA DO DIA

Tiririca é diplomado e ovacionado em SP

"Mais uma vergonha nacional, diplomar como deputado um palhaço, e dos ruins. Quando seremos um país sério?"

EDUARDO MARQUES

"Precisamos ter bom senso e inteligência nesse caso. Ele foi sincero. Não prometeu nada e não devemos crucificá-lo."

MIRELA SANTIAGO

"Tiririca é o retrato do Brasil contemporâneo. Durante a campanha, zombou do Congresso. Depois de eleito, zomba do povo."

EZIO SPARDA

________________________________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

SALÁRIO DE SALAFRÁRIO

Se levarmos em consideração que o custo de uma campanha para eleição de um congressista no Brasil é infinitamente superior à soma dos vencimentos recebidos ao longo de um mandato, concluiremos forçosamente que a atual polêmica em torno do exorbitante aumento de 61,8% desses vencimentos interessa sobremaneira aos numerosos congressistas corruptos, pois coloca em segundo plano os lucrativos e escusos negócios engendrados rotineiramente por eles nos subterrâneos do Congresso Nacional.

A concessão do tal aumento, analisada em suas entrelinhas, pode ser vista como parte de uma estratégia maquiavélica de disfarce da realidade, já que esses congressistas não precisam nem querem saber realmente dos valores lícitos que recebem dos cofres públicos. O que interessa a esses larápios de colarinho branco é o recebimento dos vultosos valores ilícitos que saem do erário através de procedimentos corruptos (especialmente emendas parlamentares espúrias), que quase sempre beneficiam também os financiadores das suas milionárias campanhas.

Que o eleitor deixe a ingenuidade de lado, pois político salafrário ''não está nem aí'' para salário.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

________________________________________

IMPOSTÔMETRO

Infelizmente, no dia 26/10, às 12h17, tive a oportunidade de passar diante do Impostômetro instalado pela Associação Comercial de São Paulo quando ele cravava R$ 1 trilhão. E ontem, ao serem diplomados a presidente, os deputados e senadores, com um salário acima de qualquer expectativa, observo que os impostos no Brasil sobem em progressão geométrica em função da corrupção. O aumento dos impostos serve apenas para pagar corruptos e tapar o buraco provocado pelas grandes empresas inadimplentes. Mais fácil não seria cobrar os bilhões que as empresas devem ao INSS do que arrochar os aposentados?

Jatiacy Francisco da Silva www.lettersofjatiacy.wordpress.com

Gaurulhos

________________________________________

FELIZ NATAL...

''Feliz Natal e que no ano que vem seus sonhos se tornem realidade'' é o que estava escrito numa correspondência que recebi de um parlamentar. Sim, vou ter um feliz Natal. Mas será que todos os cidadãos que receberam tal mensagem terão um Natal feliz? Um aposentado que trabalhou anos a fio e recebe um mísero salário mínimo realmente o terá, assim como o incapacitado que almeja a sua aposentadoria por invalidez? O professor, o médico e o policial, profissionais que constroem e dão estabilidade à sociedade, terão um feliz Natal? Até podem ter, sim, dependendo da valorização que cada um dá ao espírito natalino e ao desapego material. Mas com certeza teriam um Natal mais feliz se os nossos governantes os honrassem com uma remuneração mais digna e justa. Quanto ao tal parlamentar, obviamente terá um Natal felicíssimo, já que legisla em causa própria e não hesitou em aprovar o seu belo reajuste salarial. Portanto, embora seja redundante desejar-lhe um feliz Natal, ainda assim o faço, por educação, com a esperança de que em 2011 pelo menos um sonho se torne realidade: que o Brasil evolua, pelo menos um pouquinho, para se tornar um país mais justo...

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br

Marília

________________________________________

DEMOCRACIA

Se alguém não me convencer, salvo os beneficiários da podridão, de que ser democrata é aceitar e ainda ter de pagar pela manutenção de um Congresso repleto de bandidos, vou repensar meu conceito de democracia.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

________________________________________

INFESTAÇÃO DE CARRAPATOS

Fora a consequência prejudicial do efeito cascata sobre a folha de pagamentos do funcionalismo, esse reajuste mostra como os parlamentares se arrogam a se conceder um aumento absurdo de 61,8% quando a inflação deu apenas 20,9%. Meros officeboys que levam às esferas legislativas as demandas regionais, deveriam contentar-se com as verbas indenizatórias, visto que quando ascendem na classe social, nem sempre por competência ou por mérito, esquecem a realidade dos seus locais de origem. Tornam-se apenas vermes que sugam a sociedade, não trazendo nenhum retorno, em sua grande maioria. Precisam de consultores?! Ora vejam! Não conseguem analisar nada! Custo da democracia? Parlamentar de uma biboca precisa viver acima dos padrões de custo de vida do local de origem? Isso deixa aflorar a própria incompetência, ou uma grande esperteza, que é usufruir o capital alheio sem mérito. E quando ultrapassa o limite do bom senso, é salafrário! A Constituição já nasceu capenga, fruto dela é essa infestação de carrapatos.

Fernando Makoto Fucamizu fernandofucamizu@hotmail.com

Marília

________________________________________

LUTA LIVRE

Ontem assisti pela TV à luta livre no Parlamento pela ambição do poder, e não pelo interesse do povo. A diplomação dos novos e das ''velhas raposas'' na Câmara dos Deputados. Uma vergonha que amedronta o nosso eleitorado. É pena que tenhamos de esperar por mais quatro anos.

Antonio Rochael Jr.antoniorochael@gmail.com

Iguape

________________________________________

61,8% PARA TODOS!

"O povo necessitado precisa um salário novo; mais baixo pro deputado, mais alto pro nosso povo." Assim diz a música "Dona Maria Teresa", de 1963, na qual Juca Chaves pedia à primeira-dama do País que desse alguns recados ao então presidente da República. Há quase meio século sua reclamação já era de que o deputado ganhava muito e o povo ganhava muito pouco. O tema continua atualíssimo. Especialmente depois do grande trem da alegria que reajusta os salários dos deputados de R$ 16,5 mil para R$ 26,7 mil mensais, e também do presidente da República, seu vice e ministros, equiparando-os aos dos ministros dos tribunais superiores.

Isso reflete sobre todos os deputados estaduais das 27 unidades federadas (credores de até 75% do que recebem os federais) e os vereadores dos 5.566 municípios brasileiros, cujos salários podem variar de 20% a 75% do que ganham os deputados estaduais. Será um grande rombo nos cofres públicos que comerão boa parte do dinheiro que poderia ser aplicado em serviços para a população.

Seria muito bom que todo eleitor nunca se esquecesse do nome daqueles em quem votou em todas as eleições para, num momento como este, cobrá-los e exigir, pelo menos, tratamento igual para o trabalhador, o aposentado e o povo em geral, reajustado em apenas 5% da inflação.

Até o Juca Chaves - que nas últimas eleições tentou, mas não conseguiu eleger-se deputado federal - poderia recuperar sua pregação de 1963 e continuar cobrando salário "mais baixo pro deputado, mais alto pro nosso povo". Questão de dignidade e até de humanidade...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves, dirigente da Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

________________________________________

FURTO

Esse reajuste muito acima da inflação dos subsídios de congressistas pode se caracterizar como furto! Estão furtando o povo brasileiro pelo abuso do aumento não correspondente à inflação do período. Quem são esses caras? Estão lá para furtar o povo brasileiro!

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

________________________________________

O POVO? ORA, O POVO...

''O povo que se lixe.'' Não foi assim que um nobre deputado se expressou? Pois bem, a prova maior de que é esse o pensamento da grande maioria dos deputados e senadores é aprovação indecorosa, em tempo recorde, de 62% de aumento para seus vencimentos.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

DESPERDÍCIO

Sem levar em conta os inúmeros benefícios não divulgados ou de difícil mensuração a que deputados e senadores têm direito em Brasília, cada congressista custará, no mínimo, R$ 128 mil mensais aos cofres públicos. São 15 salários anuais, fora toda série de "extras". Estudos mostram que o custo de um congressista brasileiro é muito superior ao de um congressista britânico, espanhol, alemão, canadense ou norte-americano. Isso sem falar no efeito cascata, acarretando aumentos de salários para os deputados estaduais e vereadores em todo o País. Por aí se vê um pequeno exemplo do desperdício do dinheiro público e aonde vão parar os bilhões de reais de impostos arrecadados à nossa custa. Não há dinheiro para educação, saúde, estradas, segurança, saneamento básico e para a melhoria da vida da população, mas há dinheiro de sobra para mordomias e para o bem-estar e enriquecimento pessoal daqueles que usam o Estado em causa própria.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

DÚVIDA

Com um salário de mais de R$ 26.700 por mês, além das verbas de gabinete, vai parar a roubalheira?

Se parar, tá barato pra caramba!

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

________________________________________

CÂMARA DOS DEPUTADOS

São 15 salários anuais (13.º mais duas ajudas de custo); auxílio-moradia de R$ 3 mil; R$ 60 mil para a contratação de funcionários; ressarcimento ilimitado de despesas médicas; fornecimento de quatro jornais e uma revista para cada gabinete; líderes, vice-líderes, presidentes e vice-presidentes de comissões recebem um auxílio extra de R$ 1,2 mil;

E têm ainda as famosas passagens aéreas, trabalho de terça a quinta-feira, aposentadoria... Que outro brasileiro tem tanta mordomia para fazer tão pouco?

E agora a farra vem para os Estados e municípios. Vergonha!!!

Marcelo de Moura mdemoura@globo.com

São Paulo

________________________________________

DIGNIDADE JÁ!

Nós, brasileiros que trabalhamos para o progresso de nossa nação ou que já o fizemos e agora estamos em merecido descanso, temos nossos reajustes salariais

ou de aposentadoria estudados e discutidos por meses ou até anos e, quando nos chega, vem com não mais de 7%, enquanto nossos representantes (pelo menos deveriam ser) políticos votam seus suculentos aumentos em tempo recorde.

Quando é que seremos respeitados como deveríamos ser?

O governo sempre afirma que a classe média brasileira aumentou, que o consumo na classe pobre cresceu, que a pobreza estrema está sendo banida.

Eu me pergunto todos os dias onde é que eles pesquisam isso.

A cúpula do governo sempre afirma que aumento acima da inlação (real) para os aposentados provocaria rombo na Previdência, mas não vê o rombo que é causado no Tesouro com seus altos salários e mordomias.

Onde está o Brasil dos brasileiros?

Nos bolsos de nossos dirigentes?

E a dignidade dos trabalhadores e aposentados onde está?

Olavo Roberto Pereira da Silva orps13@hotmail.com

Sertãozinho

________________________________________

A CASTA POLÍTICA

O festival de bondades desmedidas com que os parlamentares brasileiros se agraciaram carrega, além dos aspectos diretos, um sentido antirrepublicano e antidemocrático, ao criar uma casta social correspondente à classe política e tornar cada vez mais impossível a renovação dos quadros de nossos representantes. Como competir um cidadão comum com alguém que vive e é sustentado diuturnamente para a política, por exemplo, com diárias, utilização de telefone celular, serviço médico gratuito e vitalício, inclusive para os familiares, e carro oficial com motorista e 25 litros de gasolina diários, suficientes para rodar 250 quilômetros? No campo da representação política, somos a Índia das castas imóveis.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

CONTRA O CRIME ORGANIZADO

Eu me lembro, naqueles tempos só havia dois partidos:o MDB, que abrigava partidários da ultraesquerda à direita, e a Arena, que abrigava militantes da direita à ultradireita.

Naquela época não se podia ''falar muito, escrever muito'', entretanto, a comunicação era moral/eticamente suficiente. Eu me lembro, havia empregos (trabalho) para todos, o maior caderno nos jornais era o classificados. Havia transporte digno a preço justo, nas escolas públicas os professores podiam ensinar e os alunos aprendiam, a assistência médica pública era um exemplo. Já a classe política era semelhante à dos nossos dias, porém mantida a rédea curta; a corrupção, embora impublicável, era devidamente controlada e o crime quando organizado acabava em cemitérios. A população que tinha tudo para ser feliz, foi envolta num discurso libertário, falsamente ético e de baixa moral. O Brasil (meu amado país) tornou-se''democrático'' só no discurso (recebeu de volta até exilados), a liberdade tornou-se libertinagem, a corrupção e a exorbitação de poder campearam. A impunidade? Ah, essa despontou brilhante! O crime organizado virou empresa social, protegida e patrocinada inclusive por ONGs, onde seus membros posavam de ''coitadinhos'', com a desculpa de assim se portarem por falta de ''oportunidades'', etc. No decorrer desses anos assistimos calados às maiores barbaridades, mas nenhuma delas se compara ao aumento salarial da corja política que assola as Casas congressuais, que deveriam zelar pela Pátria e pelo povo. Pela Pátria só praticam atos corruptos, agem ladinamente com a coisa pública, procuram levar vantagem em tudo e sobre todos; pelo povo assemelham-se aos antigos césares romanos, dão migalhas de pão, futebol e cachaça. Fecham os olhos para não ver e mantêm-se em salas protegidas para não ouvir o clamor

popular. Enfim, comportam-se tal e qual os líderes do crime organizado. Vivem em ''ilhas''

com suposta segurança.

Daí a reflexão e um sonho - afinal, sonhar não é proibido! No meu sonho, as Forças Armadas invadiam o "Morro" Planalto Central e promoviam a devida e verdadeira justiça, aquela sonhada pelos brasileiros de bem.

Feliz Natal a todos. Paz e bem.

Carlos Nelson Horrocks carloshorrocks@yahoo.com.br

São Paulo

________________________________________

SERVENTIA DE UM DEPUTADO

Dos numerosos cânceres que corroem as entranhas do país, dois deles são particularmente danosos, ONGs e políticos, que de certa maneira vivem em perfeita simbiose. Fiquei abismado, pensei que existisse pouco mais de um milhar de ONGs. Na década de 80 elas já eram mais de 2 mil, em 2002 atingiram mais de 22 mil, em 2008 ultrapassaram 300 mil organizações não-governamentais, dessas, 45 mil ligadas a direitos humanos, mais de 1.600 ao meio ambiente, sem que tenhamos notado avanços significativos em direitos humanos, muito menos melhoria substancial nas condições ambientais. Desconfio que para eles nós não sejamos considerados humanos, pois não temos nem a metade de seus direitos, só temos algum valor no dia da eleição. Em 2006 foram destinados R$ 3 bilhões às ''entidades do terceiro setor''. Todo mundo mama, até o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem ONG. Teoricamente, ONG é uma organização privada sem fins lucrativos, mas eu gostaria de saber se existe uma que não vise o lucro, apreciaria saber qual foi o aumento patrimonial de seus diretores. Quanto aos políticos, cada deputado federal tem direito a prever no Orçamento da União R$ 13 milhões em emendas, muitas delas beneficiando organizações, instituições de familiares, amigos. O mais recente é o caso de Gim Argello, um senador sem votos que era suplente de Joaquim Roriz. Gim era relator do Orçamento da União de 2011, foi afastado em razão de ter beneficiado entidade ligada à sua esposa. Foi substituído na função pela senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que há muito tempo sabia que sua assessora Liane Muhlenberg é diretora de uma ONG beneficiada com emendas de aliados. Emblemático. O interessante é que em horas aparece a ficha suja de qualquer deputado quando ele ousa assumir um cargo no Orçamento, numa evidência de avidez por recursos públicos, do mar de lama que envolve nosso parlamento, e o pior é que nada acontece, pois tais casos são extremamente comuns no meio político, o que nos leva a questionar: para que serve um deputado? A minha sugestão, nunca reeleja um político.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

É O FUNDO DO POÇO

Isto é Brasil. País onde deputados e senadores, sem a menor cachimônia, aprovaram um aumento astronômico nos seus próprios salários e ainda contaram com o apoio do presidente da República para, em tom sarcástico e debochador, perguntar: "E pro Lulinha nada?" Nesse momento senti que a ignobilidade tomou conta dos Poderes Legislativo e Executivo da República. O recado foi dado. Daqui para a frente serão sempre elles, elles e elles. Se não acordarmos a tempo, vamos todos para o fundo do poço. Precisamos gritar juntos: acorda, Brasil!

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

________________________________________

BODE EXPIATÓRIO

É interessante como os três Poderes fazem uma festa geral no País, não dando a mínima para a opinião pública, rasgando conceitos de ética, já bastante esfacelados, cobrando caro (impostos), atuando lentamente para atendimento ao mínimo de quem paga (saúde, educação e segurança) e o povo elege rapidamente um culpado: Tiririca! Ele nem assumiu, legislou (se é que consegue) ou sentou-se em plenário e já é o culpado! Assim o restante da corja (dos três Poderes) pode ''sacanear'' à vontade.

Vamos cair na real? Já elegemos mal faz tempo, e cuidem-se, pois o turco está de volta graças ao mesmo que deixou o banqueiro fugir.

Manoel Mendes de Brito voni.brito@itelefonica.com.br

Bertioga

________________________________________

''SEM VEGONHA. SOMOS UM PAÍS SEM VERGONHA!''

Diante desse indecente aumento de salário com que nossos deputados federais se presentearam, proporcionando, pelo efeito cascata, uma avalanche de aumentos exorbitantes para outros tantos parlamentares (senadores, deputados estaduais e vereadores), além de alguns outros marajás do Executivo e do Judiciário, sou obrigado a recorrer ao poeta popular Arlindo Cruz, parafraseando-o num dos seus mais conhecidos sambas, e afirmando, com a alma inundada de nojo: "Sem vergonha! Somos um país sem vergonha.'' Só mesmo num país onde o povo é irresponsável o suficiente para só se preocupar com o próprio umbigo, abrindo mão da sua capacidade de indignação, resolve, de forma cínica, endeusar sabichões, aplaudir ignorantes, votar em corruptos, bajular ladrões de dinheiro público, desde que sejam minimamente aquinhoados com alguma ''boquinha'', mesmo que seja em forma de esmola, tal como essas míseras Bolsas-Família, descaradamente usadas para a compra de votos. O aumento dos deputados federais em cerca de 60% é um crime lesa-pátria, principalmente quando vemos que esses mesmos ''cabras safados'', na hora de aumentar o salário mínimo ou o ganho dos aposentados, ficam fazendo jogo de cena e acabam por aprovar aumentos irrisórios, na faixa de 5%, sob a ridícula justificativa de que o Brasil não tem dinheiro para aumentos maiores. É claro! Sob a ótica dessa rafameia, o dinheiro dos cofres públicos deve ser prioritariamente usado para garantir seus milionários salários e suas indignas mordomias.

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

________________________________________

ESCÂNDALO DOS TIRIRICAS

Apressaram-se em justificar esse inusitado aumento alegando que a Constituição prevê salários iguais aos dos ministros do STF. Não obstante o artigo 37, inciso XI, da Constituição federal se preocupar mais com um limite aos subsídios, os deputados acharam uma brecha para invocar a igualdade remuneratória.

De qualquer forma, quem fez a Constituição e quem maquinou esse dispositivo? Foi, por acaso, o povo?

Não. Quem fez a Constituição e aprovou aquele dispositivo foram os próprios políticos. Logo, não existe literalmente base moral e democrática.

Tal como ensina a Democracia Pura, somente os cidadãos podem estabelecer as leis soberanas. Se o povo não as instituiu, perdem-se quaisquer argumentos para fundamentar isso ou aquilo. Ainda mais uma agravante: as remunerações dos membros do STF são validadas pelos parlamentares, conforme o artigo 48, inciso XV, da Constituição. Logicamente, uma coisa vai puxar a outra e quem sofrerá as consequências serão os cidadãos e a sociedade.

Por outro lado, a maneira como providenciaram esse aumento já nos deixa estupefatos. De um minuto para outro, apresentaram o projeto, aprovaram-no, levaram-no ao Senado e na velocidade da luz tudo estava finalizado, durando apenas em torno de 35 minutos. Todo mundo foi pego de supetão.

O total que os parlamentares ganhavam antes desse vergonhoso aumento já representava valores em torno de mais de cem vezes o salário mínimo do País. Ademais, recentes dados fornecidos ao TSE, têm demonstrado que o patrimônio de mais da metade dos congressistas fica entre a classe rica e milionária, logo, não há respaldo para toda essa emergência e o elevado índice do aumento.

Outra agravante é que esse escabroso aumento foi aprovado por 94,2% dos parlamentares, deputados e senadores, logo, todos estão envolvidos nesse triste procedimento. Por consequência, todos os partidos são cúmplices.

J. Vasconcelos prof.vasconcelos@terra.com.br

São Paulo

________________________________________

A BANDALHA ESTÁ MAIOR AINDA

Passei boa parte da minha vida na década de 70 como membro de uma Comunidade Eclesial de Base (CEB) discutindo a ditadura. Hoje me arrependo, porque eu e aqueles outros contribuímos com nossa cota para eleger a canalha política que está aí, porque, após se livrarem dos militares, julgam ter passe livre para fazer que bem entendem. Agem assim apoiados por um povo ignorante sem escolas, hospitais, segurança, moradia, saneamento básico e outras necessidades, mas adorando pão e circo, e por isso aplaudem e elegem os Lulas, Sarneys, Malufs e Tiriricas. Decepção maior é ver toda essa bandalha ocorrendo e nem sequer ouvir um pio dos militares, já que por muito menos fecharam o bordel em 64. Esse mutismo deve ser uma resposta a todos nós que no passado os enxovalhamos tanto, então nos mandam um recado: ''... vocês não queriam liberdade de escolha? Vocês a têm e se usam para escolher toda essa m... que está aí, não reclamem! Virem-se e não contem conosco!''

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

CONGRESSO NACIONAL

''Brasilia é a área do País com mais ladrões''. E a maioria com imunidade parlamentar.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

________________________________________

É BRASIL!!!

Com Sarney e Tiririca no Congresso Nacional, pior não fica, mas fica igual!

E o Ministério da Dilma mais parece a ala geriátrica do Hospital das Clínicas.

Aquilo não é um Ministério! Aquilo é um geriatristério!

E se os milicos não tivessem feito o 31 de março, o companheiríssimo Lula o faria! Com o apoio do neocompanheiro Sarney! E o único que lamenta o perecimento do ACM é o Lula! Só faltou o ACM no Ministério da Dilma. Ra Ra rá!

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

________________________________________

PENDURICALHOS

Será que, além do aumento de 61,8%, deputados e senadores continuarão recebendo aqueles penduricalhos, do tipo correspondência, gasolina, almoço e botina engraxada?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

________________________________________

PRECISO DE AJUDA

Sou uma mulher sexagenária, doente e endividada. Há dois anos comprei um computador, paguei-o com meu salário de dezembro, mais meu 13.º salário. Era um troféu para mim e me ajudou a melhorar muito minha saúde, pois eu me sentia muito só. Um ano depois, ladrões invadiram a minha casa e roubaram meu computador, entre outras coisas.

Estou muito doente e só. Moro com uma filha que estuda à noite e é estagiária, o que ganha só dá para pagar a faculdade. Ela não pode me ajudar. O meu salário não dá para as despesas, pago as prestações da casa onde moro e fico devendo ao mercado todo mês, mais o limite de R$ 400. Mas não é disso que me queixo. É a falta do computador, por onde eu podia conversar com as pessoas, e a falta dele agrava minha saúde por causa de minha depressão e solidão.

Estou pedindo por misericórdia um computador, mesmo que usado. Alguém pode me ajudar?

Telefone para contato (19) 9264-1619

Maria N. dos Santos marianormelia2010@live.com

São Paulo

________________________________________

NINGUÉM NOS OUVE

Acorda, Brasil! Eles, os deputados, estão nos assaltando À luz do dia e nada podemos fazer. Gritamos SOCORRO e ninguém nos ouve! Apareça, pelo amor de Deus, um herói, que pode estar no meio deles, e diga em alto e bom som a maus brasileiros - mostrem que nos arrependemos de tanta ganância e falta de patriotismo e pedimos desculpas pelo mau exemplo que temos dado à Nação!

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

QUADRO TEMERÁRIO

A saúde não está mal somente pela falta de hospitais, leitos, tomógrafos, materiais hospitalares, remédios e pessoal qualificado. O último exame do Conselho Regional de Medicina de São Paulo revelou seu pior resultado desde a criação da prova. Dos 533 médicos diplomados, apenas 16% foram aprovados. Para piorar, a média geral em áreas básicas, como Clínica Médica e Obstetrícia, ficou abaixo da nota de corte (60%). Apesar de o exame não ser obrigatório (deveria ser), essa pequena amostra preocupa o cidadão que depende de uma avaliação médica quando procura um hospital, posto de saúde ou ambulatório. A educação, mola mestra de todo processo de formação do cidadão, comprova o quanto vamos mal. Há deficiências na formação de professores, médicos, advogados, enfermeiros, policiais, etc. Algo precisa ser feito, expor os problemas simplesmente não resolve a situação. É preciso conter a disseminação de faculdades espalhadas pelo País, impedindo dessa forma que pessoas incompetentes brinquem com a vida do ser humano. Se em São Paulo o quadro é temerário, o que esperar do restante do Brasil? Com a palavra o ministro da Educação, Fernando Haddad.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

________________________________________

FEITO

O Hospital Sorocabano, situado na maior cidade da América Latina e sustentado pelo SUS, quebrou e fechou suas portas. Será que o Lula registrou esse fato em cartório, como mais um dos feitos de seu governo?

Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo

________________________________________

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.