Cartas - 21/01/2011

 

, O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2011 | 00h00

 

ANATEL

Tempos de chumbo?!

A Anatel quer ter acesso a todos os dados telefônicos, ou seja, quebrar o sigilo e bisbilhotar as conversas de todos brasileiros. Já imaginaram, por exemplo, como vai ficar a vida dos jornalistas, dos políticos da oposição, de empresários que não dão verbas para campanhas da sigla dos vermelhos? Ou melhor, a minha privacidade? Isso é inconstitucional! Confiar na seriedade do petismo é dar cegamente um cheque em branco ou ser otário... Lembram-se do Francenildo, da quebra de sigilo dos contribuintes pela Receita Federal? Pois é, não poderemos mais falar livremente ao telefone, porque haverá alguém nos vigiando. Esses pretensos donos da Nação querem acabar com o direito constitucional à privacidade. Há oito anos o que a Anatel menos faz é cuidar dos direitos dos usuários, dados os péssimos serviços prestados pelas empresas de telefonia. O certo é que em nenhuma das ditaduras tupiniquins houve tal excrescência!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

 

 

_______________

 

 

 

 

 

 

 

 

Garantias individuais

O monitoramento das ligações telefônicas que a Anatel anunciou é totalmente ilegal e anticonstitucional. Os consumidores de telefonia não podem ter seu sigilo quebrado por um órgão governamental. Sugiro que a OAB se pronuncie. Ou ficamos todos à mercê dos burocratas oficiais ligados a partidos nem um pouco confiáveis? Onde estão as garantias individuais dos cidadãos e a responsabilidade dos governantes?

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

_______________

 

 

 

 

 

 

CHUVAS E TRAGÉDIAS

Vamos aprender?

Todo ano no verão chegam as chuvas, causando enchentes, deslizamentos, enxurradas e tragédias. Este ano superou todas as expectativas e só no Estado do Rio temos mais de 750 corpos achados e mais de mil mortes estimadas, incluindo os desaparecidos. Será que finalmente vamos aprender com tais desgraças? No artigo O marketing cínico do dilúvio anunciado (19/1, A2), José Nêumanne aponta para o fato de que na Região Serrana do Rio quase não existe terreno sem risco para abrigar a população, só montanhas e vales. Por razões diversas, cerca de 5 milhões de brasileiros vivem em áreas de risco - estimativa do ministro Mercadante. Todas essas pessoas correm risco de vida. Temos um monumental problema, em especial considerando que muitos dos atingidos são crianças, que não conseguem se defender da força de enxurradas. Gostaria de sugerir o seguinte projeto: reunir especialistas para elaborarem sistemas de contenção da força das águas. Todas as áreas de risco seriam mapeadas e acima delas, ou nas margens de rios e córregos, sistemas para reduzir os efeitos de temporais seriam construídos, como barreiras, muros de arrimo, diques, amarração de rochas ou pedras, blocos de concreto cravados com estacas em posição estratégica, plantas que absorvem umidade e têm raízes resistentes colocadas nos caminhos, tudo para dificultar o deslocamento de água e detritos recolhidos na passagem, etc. Só depois tais áreas seriam liberadas para construção e habitação, e o poder público deveria ainda orientar o cidadão a tomar precauções extras. Finalmente, deveríamos ter um planejamento sério com pessoas treinadas para lidarmos com desastres não previstos. O atual plano de alerta, sozinho, não vai funcionar, pois apitos, sirenes e avisos por celulares não levarão pessoas a abandonar seus lares e pertences sem prévio planejamento urbano sério, com o confiável apoio das autoridades. A vida de cada cidadão e os pesados impostos que já pagamos nos permitem exigir um tratamento sério e definitivo. Chega de omissão ou quebra-galhos dos que muito ganham para nos governar!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_______________

 

 

 

 

 

 

 

Desinteresse

Excelente o artigo 700 mortos e 8 passaportes (20/1, A2), de Demétrio Magnoli, que compara dois assuntos que a princípio não se relacionam entre si, porém, como exposto no texto, ambos se explicam pela total falta de interesse pela coisa pública.

JOSÉ HENRIQUE FARBER

jhfarber@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

_______________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abismo

Com lucidez e seriedade, o dr. Magnoli deu voz ao pensamento do brasileiro honesto, sensível, trabalhador e cumpridor de seus deveres. Entre a estupidez da maioria política e as necessidades do povo existe um abismo tão grande quanto o tamanho da tragédia na Região Serrana.

VALTER GUERRA HADAD

valter.guerra@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em São Sebastião

Não concordo com o chefe da fiscalização da prefeitura, que declarou ao Estado (19/1) que 15 agentes são poucos para fiscalizar 110 km de extensão. Conheço bem a região, pois fui secretária de Meio Ambiente na gestão de Luiz Alberto de Faria, o Luizinho. A área crítica - costa sul de São Sebastião - tem cerca de 60 km e é fácil verificar a invasão e a construção de casas e/ou barracos. Basta ver areia, pedras e blocos às margens da Rio-Santos para saber que alguém ali está construindo irregularmente. Só que os agentes passam e nada veem. Não há vontade política do prefeito Ernane Primazzi de acabar com as invasões, os agentes ambientais são desmotivados, ganham pouco, são mal treinados e mal comandados. Resultado: nada! E os barracos e até casas de alvenaria estão aumentando, subindo morros, derrubando a mata atlântica e criando novas áreas de risco. Um trecho da Rio-Santos perto de Juqueí, que o IPT- no meu tempo de secretária - deu como área de intenso risco, tanto que "escorregava" para o asfalto continuamente, está cheio de barracos. Tenho medo de pensar no que poderá acontecer na costa sul se vier uma chuva forte como a do Rio. Deus proteja as pessoas que o poder público da cidade não tem competência para proteger! E proteger significa, no caso, não deixar que construam em áreas de risco potencial.

REGINA HELENA DE PAIVA RAMOS

reginahpaiva@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pesquisa

Gostaria que fosse feita e conhecer o resultado de uma pesquisa de aprovação, ou não, do nosso prefeito após as últimas enchentes. Tal pesquisa deve ser feita também entre os moradores que sofreram com as inundações na cidade de São Paulo.

CARLOS ALBERTO DUARTE

carlosalberto@ibg.com.br

São Paulo

   

_______________

"É lama descendo, rompendo, rasgando, tomando... Não dá mais para endireitar. Explode, população!"

SERGIO S. DE OLIVEIRA / MONTE SANTO DE MINAS (MG), SOBRE OS 5 MILHÕES EM ÁREAS DE RISCO

ssoliveira@netsite.com.br

"É muito dinheiro para pouca vergonha"

WALTER MENEZES / SÃO ROQUE, SOBRE AUMENTO E O CUSTO DOS VEREADORES DE SÃO PAULO

wm-menezes@uol.com.br

"Até tu, tchê?"

JOSÉ PIACSEK NETO / AVANHANDAVA, SOBRE O PEDIDO DE APOSENTADORIA COMO EX-GOVERNADOR FEITO PELO SENADOR GAÚCHO PEDRO SIMON

bubapiacsek@yahoo.com.br

_______________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 1.964

TEMA DO DIA

Parlamento Europeu quer Battisti de volta

Com 83 votos a favor e 1 contra, deputados pedem ao Brasil para rever decisão de não extraditá-lo

"Não se trata de decisão soberana. O que está em jogo é a condenação de um assassino. Deixem a Itália resolver isso."

ALEJANDRA HIDALGO

"Os dois lados da moeda. A Itália tem de aceitar uma decisão soberana. Mas já temos bandidos aqui, para que importar?."

RONALDO LIMA

"Pouco importa o que farão os italianos em represália à decisão brasileira. Soberania não se barganha. Terão de engolir."

ELÍSIO HASHIMOTO

_______________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEGREDO DE ESTADO

 

 

O governo bateu recorde de gastos com os cartões corporativos em 2010, de acordo com levantamento da Contas Abertas, feito com dados coletados no Portal da Transparência (?!).

Adivinhem quem mais gastou? Sim, a Presidência da Re(s)pública. E a gente tem como saber em que os R$ 105,5 milhões foram gastos? Não, é claro que não: 93% desse total é considerado como "informações protegidas por sigilo, para garantia da segurança da sociedade e do Estado". Pois é, a rapinagem correu solta a título de segredo de Estado. Estaria esse segredo, ou parte dele, contido em 11 carretas com certa mudança?

 

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

PRÊMIO PELA INCOMPETÊNCIA

Devassasse agora a farra das aposentadorias dos ex-governadores, como foi a concessão de Roseana Sarney o Jackson Lago, afastado por irregularidades e que, por lhe ceder o lugar, recebeu o prêmio por maus serviços prestados. E assim são os "grandes ex-governadores" do Estado do Rio de Janeiro também premiados por suas péssimas administrações, que culminaram com essa tragédia na Região Serrana. Da mesma forma é em outras categorias, como juízes afastados por corrupção que são beneficiados com tais aposentadorias Quando será que nossas leis serão moralizadas? Quando será que nossos homens públicos criarão um mínimo de pudor e vergonha para minimizarem tantos descalabros com o erário? Até quando o povo permanecerá inerte acreditando em ídolos de barro por ignorância ou descaso e onde estão os "ditos" rebeldes de 64, que se propunham a criar uma "suposta democracia" moralizadora no Estado? Bazófias, oportunismo, esperteza e falta de caráter, apoiados numa competência que todos julgam possuir por serem "supostamente" polivalentes, entendidos em todos os segmentos, mas incompetentes por falta de conhecimento ou má-fé. Estes são os que aí estão no governo, bajulando e "bostejando" suas falácias - tudo carimbado com a grife da esperteza de cada um e a marca da incompetência generalizada.

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APOSENTADORIA ESPECIAL

O funcionalismo público é regido pela Lei da Probidade Administrativa, que engloba três princípios básicos: legalidade, impessoalidade e moralidade. Considerando a moralidade, eu pergunto a esses ex-governadores, a exemplo de um ex-governador de Mato Grosso que governou por apenas dez dias e recebe R$ 15 mil mensais de forma vitalícia, se não tem um pingo de vergonha na cara, não.

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos prof.tenorio@uol.com.br

Monte Alto

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SINECURAS

Como aceitar que ex-governadores de alguns Estados brasileiros recebam o que se poderia identificar como um prêmio ao fim do mandato? Essa é uma situação inusitada. E mais, constatar que em alguns casos o cargo foi exercido por algumas semanas agrava ainda mais a situação. Por que essa facilidade? Qual a justificativa? Como aceitar que Assembleias Legislativas criem essas sinecuras? Não seria mais decente que o tempo de mandato fosse acrescentado ao tempo de serviço e a aposentadoria então seria concedida conforme a

atividade dessas pessoas na vida privada ou em algum cargo público? São essas situações que diminuem ainda mais a credibilidade de determinado segmento social, se assim podemos identificar a classe política. Estamos torcendo pelo resultado positivo da ação que a OAB está promovendo.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PENSÃO ANTECIPADA

 

É inconstitucional, é imoral, furto aos cofres públicos, mensalão antecipado, milionário, isso é crime: fornecer aposentadoria/pensão antecipada aos políticos do Poder Executivo que ficaram à frente do governo por pouco tempo. Chega de impunidade, chega de

privilégios absurdos dos Poderes. A sociedade eleitora não aceita e pede a grana de volta aos cofres públicos, corrigida monetariamente, imediatamente, devendo os beneficiários ser processados criminalmente.

 

 

 

Antonio de Souza D'Agrella antoniodagrella@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VIL METAL

 

Devemos louvar o jornalismo sério e isento, que não se esconde diante dos fatos. Que seja sempre assim, quando um parlamentar transige deve ser denunciado, seja qual for seu partido. O senador Pedro Simon (PMDB-RS), talvez a última reserva moral de seu partido, não resistiu à tentação do vil metal e também pediu aposentadoria como ex-governador, mas não abriu mão de seu salário de senador. Uma decepção para quem acreditava no discurso inflamado do experiente senador. Por baixo dos panos, os ratos continuam agindo! Já passava da hora de a OAB ingressar com ações para cassar essas pensões aviltantes, que já somam dez "espertos beneficiários" onerando o bolso do contribuinte.

 

 

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TÁ DIFÍCIL

O senador Pedro Simon (PMDB -RS) pediu aposentadoria que é concedida a ex-governadores alegando que "a situação está difícil". E eu pergunto: se como senador, que a partir de fevereiro passará a ter salário passará R$27,7 mil, sua situação está difícil, o que dizer dos milhões de brasileiros que, com o aumento concedido pelo governo em fevereiro, passarão a receber R$ 545?

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEGAL É, SERÁ ÉTICO?

 

"Uma das reservas morais do Parlamento", diz o Diap a respeito do senador Pedro Simon. Em 2000 ingressou na Ordem Terceira de São Francisco e fez voto de pobreza - (http://www.senado.gov.br/senadores/senador/psimon/entrevistas1.asp?entrevista=6). E agora vai receber aposentadoria especial como ex-governador, cargo que exerceu de 1987 a 1990. Pelo visto, no final, acaba pesando mesmo é o bolso.

 

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INCOERÊNCIA

 

Uma das respostas do ilustre senador Pedro Simon ao repórter do Estadão Elder Ogliari, quando questionado se R$ 10 mil é pouco para viver: "Não posso viver vendo minha mulher e meus filhos olhando os vizinhos viajando pelo mundo e nós não tendo como nos sustentarmos". Pergunto ao senador: e os aposentados e a população em geral, que ganham um miserável salário mínimo e não têm como pagar uma passagem de ônibus para ir ao trabalho, o senhor pode ver?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PEDRO SIMON

Num país onde a grande maioria da população sobrevive com pouco mais de R$ 500, dizer que um salário de R$ 10 mil é insuficiente é, no mínimo, ofensivo.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com,

Bauru

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BURLA

Quero fazer minhas as palavras dos missivistas do Fórum dos Leitores do dia 18/1. Depois de todos os comentários, com os quais concordo plenamente, acompanhando os noticiários dos dias seguintes, nas diversas mídias, sobre corrupção, falta de amor ao Brasil dos nossos políticos e prisões de prefeitos e ex-prefeitos de vários Estados, e agora a aposentadoria de ex-governadores que não trabalharam, como mandam a lei e a Constituição, vereadores de são Paulo que estão burlando a Constituição, etc., só tenho uma pergunta a fazer: nossa Constituição é igual para todos?! Trabalho desde os 12 anos e agora, aos 62 anos, estou me aposentando. Deveria receber quanto, então?!

 

 

Adilson José de Lima adilsonbirdlima@ig.com.br

Rio Claro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GAFANHOTOS

Políticos que cumprem mandatos relâmpago, alguns com a duração de poucos dias, e que por isso passam a receber pensão especial para a vida toda, onerando sobremaneira os cofres públicos, são como tenebrosas nuvens de ávidos e famintos gafanhotos numa lavoura.

A aparição dos políticos e dos gafanhotos é rápida, mas a devastação que eles deixam é permanente.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O GRANDE "SEGREDO" DESVENDADO

Mais um segredo de Polichinelo foi desvendado: a reforma agrária eficiente no Brasil é uma máquina de produzir miséria.

Só agora o Incra descobriu o que todos nós sabemos: a maioria das famílias não consegue obter com seu trabalho nem um salário mínimo.

Em 2009 a senadora Kátia Abreu, presidente da CNA, encomendou uma pesquisa que revelou números ainda piores do que os que o Incra produziu, mas o governo desprezou essas informações.

O que todos sabemos, mas eles não querem admitir, é que os seguidores de Stédile ou Rainha não são trabalhadores da terra e, portanto, não sabem como trabalhá-la, vivem da cesta básica paga pelos contribuintes e são pagos por ONGs para fazerem baderna.

E segundo essa pesquisa 46% dos assentados compraram essas terras ilegalmente de terceiros, coisa bem escandalosa, mas que ninguém no governo teve vontade de verificar.

É um modelo esgotado para seu fim e não há mais razão de sustentarmos esses baderneiros.

Terá a presidente Dilma coragem de enfrentar esses líderes que vivem à nossa custa?

Mais uma tarefa para ser observada a sua competência. Ou vai tudo continuar do mesmo jeito?

 

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFORMA AGRÁRIA

Conversa fiada não paga imposto. Dar terra a um sem-terra e deixá-lo à deriva é o mesmo que dar um terreno na cidade a um sem-teto e falar para ele: o terreno está aí, construa a sua casa, "se vire!"

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br

Ribeirão Preto

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FIASCO

Precisaram passar 20 anos para que as autoridades enxergassem o fiasco da reforma agrária no Brasil? Todos sabem que o MST é uma organização criada pelo PT para o bolso de poucos e que os assentados mudaram de favelas urbanas para rurais e, não satisfeitos, ainda querem acabar com o Estado de São Paulo. Existem mais de 34 fazendas invadidas no Estado hoje. Imaginem o que nos espera se o PT ganhar eleição por aqui. Só falta agora transformar o Estado, cujas fazendas são todas produtivas, num favelão para que se sintam realizados. Querem porque querem nos transformar no grande Nordeste, cujas famílias, por falta de opção, vivem de marmita nas mãos pedindo aos políticos um prato de sopa. O Estado de São Paulo precisa cair aos pés dos velhos e conhecidos vendilhões da Pátria! Quanto mais favelas rurais, mais Bolsa-Família, mais dependência do Estado, mais domínio... Mais voto.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROMESSAS DE ENRIQUECIMENTO

 

Em relação à reportagem publicada em 20/1 referente à reforma agrária na região de Araçatuba, gostaríamos de tecer alguns comentários. Como se sabe, da parte do MST há mais interesse político do que vontade de resolver questões relacionadas à posse das terras.

Muitos, para não dizer a maioria, dos acampados não são sem-terra, mas pessoas que se iludem diante das promessas de enriquecimento, uma vez que teriam direito a R$ 35 mil na posse da terra, além de 5,5 alqueires, que valem, no mínimo, R$ 25 mil o alqueire. Tanto é que é possível observar nos acampamentos pessoas com carros, motos e até carros de empresas.

O Incra exige das propriedades um índice de produtividade altíssimo. Porém, uma vez desapropriadas e ocupadas pelo MST, as mesmas terras não obtêm nem a décima parte da produtividade exigida dos proprietários originais.

Na região de Bilac as fazendas vistoriadas foram dadas como produtivas e as citadas na reportagem são os maiores contribuintes do ICMS do município de Gabriel Monteiro.

 

 

Rosana G. Lopes Camargo rosana@ilhaazul.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NOVOS HORIZONTES

Novos horizontes? Estava na hora. Depois de oito anos usando viseira, parece que, finalmente, o novo governo olha para o Primeiro Mundo. No âmbito da política internacional, começou limpando a sujeira que imperou no Itamatary, isso para desespero dos ditadores do Terceiro Mundo. É bem verdade que ainda restou um carcinóide, metástase do Foro de São Paulo, que por questões ideologias, erroneamente, foi agregado à política externa por Luiz Inácio Lula da Silva. Internamente, os cargos de segundo escalão deverão ser ocupados por técnicos. Já chega de sindicalistas incompetentes e políticos corruptos. Agora surge mais uma notícia que reforça as boas expectativas: a quadrilha do MST poderá ser extinta. Antes tarde do que nunca, a sociedade está cansada de subsidiar bandidos, já chega os do Congresso Nacional, que, segundo dizem, faz parte da "democracia".

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APOIO

É, parece que o governo inicia o desmonte de dois cancros da sociedade: MST e sindicatos. Pode ter certeza que tal atitude tem o apoio de todos os brasileiros de bem.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DESTINO DO BRASIL

 

Uma análise nem muito profunda das balança comercial dos últimos anos indica com clareza que o destino do Brasil é no uso do seu solo, ou seja, a agroindústria e agropecuária. Isso torna realidade o que o Cabral disse na época do Descobrimento: tudo o que se planta dá.

Agora é preciso que nossos políticos ajudem os fazendeiros e agropecuaristas modernos a produzirem cada vez mais e mais barato.

Tem de se eliminar por completo o pessoal do MST, que nada produz e causa tanta apreensão e stress no pessoal que realmente produz , os fazendeiros e agropecuaristas.

 

Renzo Orlando renzoorlando@netpartners.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O ‘CARA’ SÓ NO BRASIL...

A forçada de barra dos puxa-sacos não deu certo. Cineastas fascinados, ou alucinados por verbas federais, e que estranhamente indicaram o filme "Lula, o Filho do Brasil" para concorrer ao Oscar amargam a decisão do comitê julgador de eliminar essa película.

Esse filme, que foi um fracasso de bilheteria, recebeu a maior verba da história do cinema nacional para sua produção. Até aí, tudo bem! Mas outros filmes que tiveram até 10 milhões de espectadores, ou seja, um recorde, foram desprezados com o intuito de atender ao populismo e à demagogia do ex-presidente.

Esses relapsos do Ministério da Cultura & Cia. achavam que os 83% de aprovação do Lula fosse internacional. Nem no Irã, em Cuba e na Venezuela...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ONDE O JABACULÊ NÃO TEM VEZ

 

"O Filho do Brasil", aquele filme que ninguém viu, não saiu nem na foto dos pré-selecionados para o Oscar de melhor filme estrangeiro. E é bom lembrar que a "nossa academia" indicou o filme que conta a história do Lula por unanimidade...

-tá rindo de quê, Nelson Rodrigues? Parece que o favorito na outra academia é um filme mexicano estrelado por Javier Bardem, que conta a história de um homem que tenta fazer o certo na maior parte do tempo. É, faz sentido.

 

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FILHO ESCORRAÇADO...

 

Até que enfim uma decisão inteligente: "Lula, o Filho do Brasil" fora do Oscar. Ainda há vida inteligente em Hollywood. Quem sabe outro filme seja lançado com o título "Lula, o Cara de Pau", e esse será indicado ao Oscar, certamente.

José Jorge Ribeiro da Silva jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ABACAXI

Nada adiantou "indicação diplomática": o filho do Brasil foi barrado nos EUA.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FORA DO OSCAR

 

Alguém, além do próprio Lula, tinha alguma dúvida?

 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OPORTUNIDADE DE FICAR CALADO

 

 

 

Brilhante e oportuna a opinião de José Pastore publicada em 18/1 (B2) sob o título "Oportunidade (perdida) de ficar calado". Lamentável que o atabalhoado ex-presidente Lula tenha dito que foi "gostoso", que teve prazer em ver EUA, Europa e Japão em crise, enfrentando sérios problemas econômicos, o que confirma que a inteligência humana tem limites, mas a insensatez não os tem.

 

 

Evaristo Ribeiro Filho evaldib@uol.com.br

Barueri

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O HAITI É AQUI

 

O Haiti e Baby Doc, o Brasil e Lula. Muito parecidos. Não elegemos Lula depois do mensalão? Não elegemos a "muié do Lula", apesar da fila infinita de escândalos de desvio de dinheiro público, da ameaça de censura, da presença constante dos "tonton macoutes" petistas, que vivem ameaçando e ofendendo quem deles discorda? O Brasil não é nada diferente do Haiti. Só é maior e não tem terremotos. Da mesma forma que a comunidade internacional não interferiu na vontade dos brasileiros de elegerem Lula e Dilma, não tem o direito de interferirem na vontade dos haitianos. Como fica a propalada "soberania do povo"?

 

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANGU À MODA DO LULA

 

Li que Lula, tendo sido flagrado pelo Estadão ao visitar José Alencar no hospital, afirmou que, mesmo em férias, se comunica com Dilma para se inteirar dos acontecimentos na Região Serrana do Rio. Diz também que só vai comentar o caso dos passaportes dos filhos e netos quando voltar das férias. Sim, quando voltar das férias... depois que ele e família já tiverem gozado férias em algum lugar aprazível e chique deste mundo de meu Deus é que ele vai comentar sobre os passaportes. Sobre as vítimas das enchentes e dos deslizamentos, nem uma palavra! É como se esse assunto não lhe dissesse respeito! Pois eu afirmo que o que aconteceu não foi mais do que uma evidente intoxicação seguida de ressaca depois de uma longa noite de esbórnia! Consequência lógica e previsível, pois, se pelo resultado final de um prato se pode avaliar uma receita, a receita dobrada do angu à moda do Lula não só azedou, como levou à morte quase um milhar de pessoas que, compulsoriamente, tiveram de se alimentar do menu lulo-petista! E o silêncio do "pai do povo" retumba em nossos ouvidos! Será que ele conseguirá gozar férias enquanto tantos brasileiros ainda nem conseguiram enterrar seus mortos? Fiquemos atentos ao roteiro familiar. Se elle for prudente, é bem capaz de convencer sua família a desistir de viajar.

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HUMAN RIGHTS YES, DIREITOS HUMANOS NÃO

Acho muito engraçado ver os EUA discutindo direitos humanos na China e no Irã e, ao mesmo tempo, ignorando o desrespeito aos direitos humanos... no Brasil! Ou será que o que aconteceu com aquele pai que vi na TV, desesperado porque tinha perdido seus quatro filhos no desastre da serra fluminense, não é consequência única e exclusivamente do completo descaso dos governantes com a situação dos moradores de áreas de risco? E isso, para mim, é um flagrantíssimo ato de desrespeito aos direitos humanos, praticado por prefeitos, governadores, ministros e presidentes da república. Para Obama, deveria ser também.

Sergio Lopes blackfeet@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ALTA DA SELIC

 

Sobrou para Dilma e Tombini o aumento da Selic logo na primeira reunião do Copom sob o novo governo, após as controversas decisões tomadas pelo Banco Central de postergar o aperto monetário, em meio ao cenário eleitoral de 2010. É bem possível que as últimas reuniões do Copom sob Meirelles tenham sido contaminadas pelo acirramento dos debates em meio à eleição presidencial, o que teria constrangido os dirigentes da autoridade monetária a pisar no freio à época. Agora, com expectativas altistas já formadas com relação à inflação de 2011, Tombini terá de se virar para recuperar o terreno perdido pelo Banco Central no ano passado e garantir uma variação do nível de preços inferior a 5% no ano corrente. Mais um capítulo da série "heranças malditas de Lula"...

 

 

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

O anterior presidente não gostava da verdade que a fábula da cigarra e da formiga encerra.

Gastou e gastou. Entupiu a máquina pública. Pensou que tudo eram flores e que a gastança seria o normal de seu processo sonhado. Claro que não. Além de mais elevações nos juros, deveremos ter outras medidas de ajustes, para que as adaptações e correções possam disciplinar a nossa já crescente inflação, com mais de dois dígitos, segundo o IGPM.

Em economia, os rasgos de bondade não funcionam. Sempre chega a hora de pagar a conta. E quem a paga é sempre o povo e, em especial, os trabalhadores, que vão ver, no teatro da demagogia, cair o pano que escondia a peça verdadeira: mentira tem perna curta!

 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro@claretianas.com.br

Rio Claro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

 

O ministro Fernando Pimentel, em seu pronunciamento, não tocou num ponto crucial para o nosso desenvolvimento industrial: a "densidade tecnológica" de que deve estar recheada a nossa indústria! Trata-se do domínio do conhecimento que está represado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi)! Em resumo, mais importante do que importar máquinas é saber fazer máquinas, e esta capacidade está retida naquele instituto, que demora mais de dez anos para examinar uma patente, enquanto os EUA demoram dois!

Eugênio José Alati eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GESTÃO COMPETITIVA

Muito oportuna a missão de dar um banho de eficácia na administração pública, tão carente de uma "refundação’’, para usar o termo da moda. Cabe uma pergunta: já que se trata de uma atividade de consultoria - remunerada, obviamente - por qual razão essa tarefa há de caber ao Grupo Gerdau - não que pairem dúvidas quanto à sua competência -, e não à Vale, à FGV, ao Bradesco, para ficar apenas em alguns exemplos?

 

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MODELO DE SUCESSO

 

Reporto-me à matéria no Estadão de 19/1 (B10), noticiando ter a Vale ultrapassado a Petrobrás e se constituído na maior geradora de recursos financeiros, com produtos exportados - minério. Atribui a matéria em apreço a elevação da quantidade de minério exportado à sua elevação de preço. Com o devido respeito, permito-me discordar daqueles fatores apontados, para dizer que tal aconteceu porque a Vale, ex-estatal, é um modelo de atividade e atuação em todos os sentidos, é um verdadeiro " relógio suíço". Em nossa visão, o que contribui sobremodo para seu sucesso absoluto é a sua logística sem gargalos. Uma empresa que transporta por ferrovia própria 35 mil toneladas de minério de sua jazida em Parauapebas, no Pará, até o porto maranhense, em 320 a 350 por viagem, num país onde o modal ferroviário disponível é o pior do mundo, faz toda a diferença. Enquanto essa empresa realiza tal prodígio, há pouco lemos no Estadão, na seção de editais, um do Dnitt, Sistema Ferroviário, sobre uma licitação para adquirir dormentes de madeira - isso mesmo, dormentes de madeira! - para serem aplicados no contorno ferroviário das cidades de Três Lagoas (MT) e Araraquara (SP).Pergunto, então: onde tem o produto? E o Ibama permitiria? Por que nossa presidente não solicita à Ferrovia Carajás, da Valle, o modelo do sucesso a ser implantado em todo o País?

 

 

Renato Junqueira Meirelles rjmeirelles@uol.com.br

Presidente Prudente

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VALE PRIVATIZADA

 

 

Ainda hoje, setores à esquerda do espectro político verberam contra a privatização da Cia. Vale do Rio Doce, repetindo - quase como num mantra - ter sido a mineradora "vendida a preço de banana". Os fatos, todavia, mostram o acerto de FHC. Em 2006 a Vale já investia dez vezes mais que em 1997, ano de sua privatização. Livre das amarras burocráticas de nosso Estado balofo, a empresa aumentou seu valor de mercado de R$ 8,7 bilhões para R$ 282 bilhões. Seu lucro líquido no terceiro trimestre de 2010 foi de US$ 6 bilhões. Entre o terceiro trimestre de 2009 e o de 2010, a receita líquida da companhia cresceu 110% (US$ 14 bilhões) e a geração de caixa subiu 192% - o melhor resultado da história da mineradora. Assim, sistematicamente recordes e mais recordes vão sendo quebrados pela empresa a cada ano que passa. A Vale, privatizada, transformou-se na maior produtora de minério de ferro do planeta, com atividades em mais de 35 países, adquirindo mineradoras estrangeiras e firmando-se como a segunda maior mineradora do mundo. Agora mesmo lavrou novo tento: passou a gigante Petrobrás (que atua no ultra lucrativo setor petrolífero) como a maior exportadora do País, respondendo por 11,91% de todas as vendas brasileiras em 2010. As vendas da Vale totalizaram em 2010 a cifra de US$ 24 bilhões, ante US$ 18,1 bilhões da Petrobrás - o "orgulho da Nação". Com a privatização, o quadro funcional da mineradora foi multiplicado por seis (de 11 mil em 1997 para mais de 60 mil hoje), assim como cresceram, em semelhante proporção, os empregos indiretos relacionados às suas atividades. Ganhou o Estado brasileiro, que hoje vê a mineradora recolher de impostos e contribuições valores infinitamente superiores aos modestos dividendos que auferia da então estatal. Se o seu controle acionário ainda estivesse nas mãos de nosso Estado incompetente, a Vale estaria sendo, neste exato momento, loteada pelo governo, no escambo político de sempre, atendendo à "cota" do PT ou do PMDB, pessoal mais interessado em se valer da Vale que fazer a Vale valer. Sei que é "desagradável" e lamento expor esses números de forma assim tão indelicada, mas alguém tem de dizer aos defensores da estatização que o verdadeiro cego é aquele que não quer ver.

 

 

 

Silvio Natal snatal49@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OBRA DE FHC

A Vale tornou-se a maior exportadora brasileira, superando a Petrobrás.

Em compensação, a Petrobrás é a maior empresa importadora brasileira, responsável por mais de 10% de nossas importações e a Vale é a 31.ª nesse setor. Realmente valeu a pena

privatizar essa empresa e todas as outras de outros setores. O Brasil cresceu muito, e essas privatizações colaboraram demais para isso. Novamente desejo cumprimentar FHC por essa iniciativa, sem falar no Plano Real e no resto que criou. Devemos o sucesso do Brasil de hoje, sem a menor dúvida, ao governo FHC.

 

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM CONCORRÊNCIA

Na iniciativa privada, a Vale passa a Petrobrás - estatal especializada em acomodações de altos empregos de políticos e apadrinhados - e fecha o ano de 2010 como a maior exportadora do País. Com a sua administração na iniciativa privada está mostrando grande eficiência nos resultados da produção e faturamento com as exportações, mesmo não sendo um monopólio estatal, como sua maior concorrente. A Petrobrás, sempre protegida pelos governos, mas ao mesmo tempo sugada de grande parte dos seus recursos, fica impossibilitada de fazer uma concorrência livre com sua maior concorrente, a Vale, que não sofre com o sangramento de recursos para cabides de empregos e sua equipe de operários tem uma eficiência inquestionável.

 

 

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RETROCESSO

 

 

Quero cumprimentar a presidente Dilma por sua atitude quando disse que a Vale não é do governo, que tem muita gente querendo pegar o lugar do sr. Agnelo, presidente da empresa. Vimos nessas últimas semanas o tamanho dessa empresa, maior ainda que a Petrobrás em números de exportação. Isso só conseguimos privatizando-a. Tenho percebido também

a vontade do sr. Lula da Silva dispondo do potencial que é o BNDES (dinheiro nosso) para emprestar dinheiro a grandes empresas camufladamente em via de estatização, o que é um retrocesso. Não entre nessa linha, presidente Dilma, pois voltaremos ao passado, que é deixar o País no patamar das ditaduras.

 

 

 

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRIVATIZAR

 

 

A estatal Petrobrás é a segunda maior empresa exportadora do país, enquanto a antiga estatal Vale do Rio Doce, cuja privatização foi tão criticada pelo último desgoverno, é a maior empresa de minério de ferro do mundo e a primeira empresa brasileira em exportação.

Além do plano econômico, a privatização da Vale foi uma das heranças chamadas de "malditas" que fizeram a maior parte de algum sucesso do ex-desgoverno. E não nos esqueçamos das privatizações das teles e elétricas, que eram deficitárias e cabides de emprego. A Petrobrás só não é deficitária por cobrar o mais elevado preço dos combustíveis do mundo, que é calculado em dólar - e, como sabemos, o dólar está derretendo em relação ao real, mas é a maior cabide de empregos. Assim fica mais fácil de explicar, a Petrobrás é a única estatal que ainda está entre as dez maiores empresas exportadoras do Brasil. Melhor esquecermos os últimos oito anos, que só não foram piores graças à competência do antecessor. Foi bom privatizar?

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IDEOLOGIAS

 

Significativa a entrevista concedida ao Estadão por Tristram Hunt, em que fala de seu recente livro "Comunista de Casaca" (19/1, D1). Trata-se de uma biografia de Friedrich Engels (1820-1895), que, embora focada em sua vibrante vida pessoal, como "radical chic", ensejou fosse seu autor questionado sobre um "lento revival do marxismos a que assistimos". Na realidade, se no Brasil não tem florescido uma ideológica bipolaridade, na Europa é a direita que mais se vem desenvolvendo, com Berlusconi, Sarkozy e escândalos em seu rastro, merecendo nota triste a recente sobrevida dos Le Pen. Nesse cenário, que já se prenunciava, Bobbio por várias vezes comparou esquerda e direita nos seus adotados métodos, que, sobretudo dos mais extremados simpatizantes, não têm como finalidade um regime democrático. A propósito de Engels, omitem sempre os adeptos de sua dupla com Marx a carta de Friedrich a J. Bloch, de setembro de 1890, em que refuta seja o fato econômico o único determinante da História. Vale conferir.

 

 

Jairo P. Gusman jairogusman@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MODELO CHINÊS

 

 

O encontro histórico Obama-Hu poderá levar ambos os países a reconsiderarem seus sistemas políticos. Tudo indica que a democracia representativa pura, modelo americano, só prospera em condições monoculturais, o que não é mais o caso nos EUA e na maioria dos países ocidentais, hoje bastante miscigenados. Por outro lado, o modelo chinês atual mostra que o capitalismo com um poder centralizado tem vantagens pela agilidade das decisões, impossível na democracia. Quem sabe um modelo chinês americanizado seja o melhor dos mundos?

 

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.