Cartas - 22/07/2010

COPA 2014

, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2010 | 00h00

Fim da LRF

Uma das leis de maior valor para o crescimento da economia brasileira foi promulgada pelo presidente anterior, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em oito anos de governo, o presidente Lula vem tentando acabar com ela e agora parece que conseguiu. Com uma medida provisória, como emergência por causa da Copa 2014, ele liberou os governos estaduais e municipais que sediarão jogos de cumprir essa tão importante lei. É o início do fim de uma iniciativa que, ao lado do combate à inflação e do câmbio flutuante, permitiu o crescimento atual de nossa economia. Ele nunca declarou real interesse em acabar com o que de bom recebeu, ainda que o tenha tachado de "herança maldita". E vem mais por aí. Esperem só a Dilma Rousseff tomar posse...

PLÍNIO ZABEU pzabeu@uol.com.br

Americana

__________

PT x FARC

Dize-me com quem andas...

Ricardo Alarcón, fidelista histórico desde 1959, que considera os dissidentes cubanos recentemente libertados "culpados por crimes" de lesa-pátria, assim como Lula considerou os prisioneiros políticos cubanos criminosos comuns em março passado, apoia Dilma. O "necrófilo" Hugo Chávez (nova faceta do ditador venezuelano recentemente revelada, após a exumação dos restos mortais de Simón Bolívar, por ele determinada) também apoia Dilma, conforme já declarou mais de uma vez. Ambos, por sua vez, apoiam as Farc, que consideram um instrumento da revolução comunista na América Latina. Donde é lícito concluir por afinidades ideológicas que as Farc também devem apoiar a eleição de Dilma, mesmo porque elas participaram, com o PT, da criação do Foro de São Paulo, em 1990. Sabendo-se que as Farc são mantidas já há bastante tempo pelo narcotráfico, isso explica o furor do PT com a declaração do candidato a vice de Serra a respeito da conexão Dilma-Farc, que tanta indignação causou ao PT. Afinal, diz o velho provérbio, dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

PAULO A. DE SAMPAIO AMARAL drpaulo@uol.com.br

São Paulo

__________

PRESOS POLÍTICOS

Sangue nas mãos

O presidente da Assembleia cubana disse, na sede da ONU, que Cuba prometeu libertar todos os presos que não tiverem "sangue nas mãos". É bom lembrar ao sr. Ricardo Alarcón que o cubano que tem mais "sangue nas mãos" é o próprio sr. Fidel Castro. Esse ditador sanguinário mandou executar no paredão milhares de compatriotas pelo simples fato de não concordar com os seus ideais. E o cara continua solto.

ADOLFO ZATZ dolfizatz@terra.com.br

São Paulo

__________

GUERRA FISCAL

Distorções concorrenciais

Cumprimentos pelo editorial Guerra fiscal contra a indústria (20/7, A3). Esse é um dos grandes problemas que afligem a indústria química, causando imensas distorções concorrenciais. No Pacto Nacional da Indústria Química, documento recentemente entregue ao presidente do BNDES, há um capítulo específico sobre as necessidades da indústria química para retomada de seus investimentos, no qual citamos "solução das distorções do sistema tributário, desoneração da cadeia, isonomia tributária com sucedâneos e defesa contra a concorrência desleal". O cenário mostrado no editorial é prejudicial a toda a indústria brasileira. Parabéns pelo alerta.

NELSON PEREIRA DOS REIS, presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) Npreis@abiquim.org.br

São Paulo

__________

FLANELINHAS

Extorsão

O que os chamados flanelinhas fazem é alugar espaço público. Isso é inconcebível e deveria ser combatido vigorosamente pelas autoridades públicas, porque se trata de extorsão, já que o que é "vendido" é apenas a garantia de que o próprio "vendedor do serviço" não vai vandalizar o carro ali estacionado. Qualquer proposta de legalização dessa atividade é sinal de capitulação do governo ao crime que ele é incapaz de coibir. Um absurdo e uma vergonha.

RENATO GENTILE ROCHA rerocha65@gmail.com

São Paulo

__________

ESCLARECIMENTOS

Audiência

Não está correta a comparação feita pela coluna Sem Intervalo, do Caderno2, na nota Luciano Huck? (20/7). Os programas Caldeirão do Huck, da Rede Globo, e O Melhor do Brasil, da Rede Record, não são exibidos no mesmo horário e, portanto, não podem, obviamente, ter sua audiência confrontada. Para tal seria necessário avaliar apenas os últimos 12 minutos do Caldeirão do Huck, período em que os dois programas coincidiram. Nesse intervalo, a audiência do Caldeirão do Huck no sábado foi de 13 pontos com 29% de participação; a do SBT, de 9 pontos com 20% de participação; e a de O Melhor do Brasil, exibido pela Record, de 8 pontos com 17% de participação.

LUIS ERLANGER, Central Globo de Comunicação andrea.doti@tvglobo.com.br

Rio de Janeiro

__________

ESTUDO EQUIVOCADO

Com relação ao artigo Fazendas lá, ambientalistas aqui (19/7, A2), em que o sr. Denis Rosenfield reincide em acusações levianas às ONGs que atuam no Brasil, temos a esclarecer o seguinte: as próprias organizações citadas, que colaboraram com os autores do documento Fazendas aqui, florestas lá, publicaram nota pela qual rejeitaram a hipótese de que a conservação da floresta tropical possa constituir uma vantagem competitiva para a agricultura norte-americana ante a concorrência dos países em desenvolvimento no mercado de commodities agrícolas. As organizações citadas afirmam que não se associam e não endossam as conclusões do relatório, que são de inteira responsabilidade da organização Parceiros para o Desmatamento Evitado. Do mesmo modo, organizações brasileiras como o Instituto Socioambiental (ISA) apontaram o estudo como profundamente equivocado, denunciando seu uso de forma mal-intencionada no Brasil com o objetivo de enfraquecer a proteção de nossas florestas. Por fim, o ISA nunca defendeu a constituição de "nações indígenas" no Brasil, e sim o cumprimento dos direitos indígenas consagrados no artigo 231 da Constituição promulgada em 1988.

ADRIANA RAMOS, secretária executiva adjunta do ISA adriana@socioambiental.org

Brasília

__________

"O castrista Ricardo Alarcón acha bom que o Brasil venha a ter sua primeira mulher presidente. E eu acho bom que o presidente e os demais dirigentes de Cuba sejam eleitos livremente pelo povo"

EUCLIDES ROSSIGNOLI / ITATINGA, SOBRE ELEIÇÕES

euros@ig.com.br

"Quem diria, os caciques estão com medo do Índio"

G. RUAS / SANTOS, SOBRE AS RELAÇÕES PT-FARC gilruas@uol.com.br

"120 dias! Será esse o tempo que a laranjeira precisa para dar frutos?"

JORGE MANUEL DE OLIVEIRA / GUARULHOS, SOBRE A QUEBRA DE SIGILO FISCAL

jmoliv11@hotmail.com

__________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL:2.143

TEMA DO DIA

SP ganhará réplica do Templo de Salomão

Ao custo de R$ 200 mi, obra da Igreja Universal terá prédio com altura equivalente a 18 andares

"Se a construção respeita a lei e a procedência do dinheiro não é questionada, que se erga o Templo de Salomão."

HAL PO

"A Constituição assegura a liberdade de credo. O que não é direito é o método da obtenção do dízimo."

TETSUO SHIMURA

"As igrejas engordam seus patrimônios absurdamente! Sem controle algum do dinheiro arrecadado em nome da fé!"

MARCOS MELHADO

__________

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o estadão.com.br

ESTÁ TUDO ERRADO!

Jovens que vão praticar skate dentro de um túnel e de madrugada.

Outros que furam bloqueios para fazer racha dentro do mesmo túnel.

Será que para se divertirem nossos jovens só têm essas alternativas?

Odair Picciolli pedraseartes@suednet.com.br

Extrema (MG)

__________

REVISÃO

É preciso, com urgência, atualizar seu Código Penal, dando prioridade sempre às vítimas dos crimes, ao contrário do vem acontecendo atualmente.

Não adianta decretar prisão preventiva ou provisória de nenhum suspeito se a Justiça concede a possibilidade de o preso se manter calado.

Então, para que prender, se o indivíduo, lastreado por advogados que sobrevivem das falhas das leis, se mantém de bico fechado?

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

__________

LÁ E CÁ

Pelo que se percebe, nos Estados Unidos da América o povo é esclarecido, sabe de seus direitos de cidadãos. Por isso nos EUA a democracia é cada vez mais aprimorada. Bandidos - pobres ou ricos - são tratados como bandidos, pagam por crime cometido. Os presidiários são tratados como seres humanos e os presídios são seguros e decentes. No nosso amado Brasil o povo é muito ignorante e muito pobre. Os criminosos que não têm dinheiro para contratar bons advogados são amontoados em pequenos espaços, sem nenhuma chance de recuperação. Quando são soltos, voltam a roubar e/ou matar, porque não têm condições de trabalhar, de conseguir dinheiro para sobreviver. A nossa democracia é uma farra! Os poderosos abusam do poder e não são punidos, lamentavelmente!

Fraterno Maria Nunes fraternomarianunes@gmail.com

Campo Mourão (PR)

__________

MAIS VAGAS NAS CADEIAS

Por que Lula não segue o exemplo de seu ídolo cubano Fidel Castro e negocia com a Espanha a transferência dos presos das penitenciárias paulistas para aquele pais, já que, de acordo com o nosso estadista de Garanhuns, os presos comuns daqui não têm nenhuma diferença dos presos políticos de lá?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

__________

PRESOS POLÍTICOS CUBANOS

Além dos 52 já anunciados, Cuba agora se diz disposta a libertar mais presos políticos.

Deste nosso lado, dada a similaridade tão óbvia para Lulla entre aqueles e nossos presos comuns, vamos esperar que nosso estadista não vá abrir os portões de Bangu I e II, para não ficar para trás no cenário internacional.

João Athayde de Oliveira Neto jathayde@globo.com

São Paulo

_________

PROFISSÃO FLANELINHA?

Nada mais surreal do que querer legalizar a profissão de flanelinha. Flanelinhas, quando não bandidos, são pedintes de esmola que têm a pretensão de oferecer um serviço de segurança a veículos. Todos sabem que não existe segurança alguma, pois flanelinhas não coibem ladrões de carros, armados ou não. Essa proposta não faz sentido algum. A Prefeitura deveria preocupar-se é em regularizar o preço dos estacionamentos, estes, sim, escandalosamente elevados.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

___________

PÉSSIMA IDEIA

Acho péssima a ideia de cadastrar os guardadores de carro. Isso seria equivalente

a legalizar a extorsão que eles praticam. Esses cidadãos não são donos das ruas.

Só quem pode cobrar estacionamento em área pública é o poder público.

Severino Toscano do Rego Melo toscanomelo@gmail.com

São Paulo

__________

DENTRO DA LEI?

Cerca de dois anos atrás (10/5/2008), o Estadão publicou carta minha na seção São Paulo Reclama sobre o constrangimento que flanelinhas, prepotentes e acintosos, exercem sobre motoristas. O simples ato de ir a uma padaria já causa a ''obrigatoriedade'' de uma caixinha ao dono da rua e, caso não seja dada, ouvem-se xingamentos e ameaças à integridade do veículo e, como ocorreu comigo, tudo acontecendo a 50 metros de um posto policial. Entenda-se: são fora da lei que, com o polegar levantado e o sorrisinho cara de pau, acham que podem ganhar sem trabalhar. A polícia deveria ter tolerância zero com esses vagabundos, e não exigir que quem se sinta ameaçado registre um B.O. O cidadão cumpridor de suas obrigações é que é o verdadeiro dono da rua.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

__________

DISTÂNCIA

Cada vez que nossos tecnocratas inventam e regularizam uma atividade, como agora a dos flanelinhas, a gente percebe a distância que existe entre o Brasil em que eles vivem e aquele onde o povo mora.

Angelo Antonio Maglio angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

__________

TRABALHO DA POLÍCIA

Em qualquer rua de São Paulo onde se tente estacionar um carro, logo se

apresenta um bandido, com um pano na mão, exigindo dinheiro para ''tomar conta'' do veículo''. É privatização do espaço público e crime de

extorsão, até porque a vigilância dos automóveis cabe à polícia. Para

isso pagamos impostos.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

__________

ASSALTÓDROMOS

Depois dos sambódromos e bumbódromos, os assaltódromos:

na regulamentação dos flanelinhas, a legalização do achaque.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

__________

SOLUÇÃO PALIATIVA

Até entendo a preocupação da Promotoria em querer regularizar os flanelinhas através da exigência de cadastramento, uso de uniforme e ficha limpa. Afinal, eles se multiplicaram e se adonaram dos espaços públicos, cobrando o que bem entendem e coagindo os motoristas a pagar seus preços, sob o risco de encontrarem seus carros danificados. Isso sem falar dos roubos e furtos que repetidamente são registrados pelas câmeras de segurança. Entretanto, em assim fazendo, a Promotoria estará buscando uma solução rápida, paliativa, porém insatisfatória para o problema. E pior, legitimando a existência de uma função que não deveria existir numa metrópole onde a solução para o estacionamento dos veículos deveria ser buscada naquelas encontradas em capitais da Europa, como Barcelona, por exemplo, que buscou espaço para os automóveis em subterrâneos espalhados por diferentes locais da cidade. Uma solução mais cara, concordo, e se não é rápida, pelo menos é definitiva.

O trabalho dos flanelinhas, assim como o dos camelôs, não combina com a vida de uma metrópole, pois para solucionar os problemas de uns poucos se prejudicam milhões de pessoas que nela vivem.

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

__________

DESEMPREGO

Regulamentar a profissão de flanelinha significa que as autoridades reconheceram a triste situação da realidade brasileira, ou seja, a existência de milhares de desempregados sem nenhuma qualificação profissional. Será a solução ou tapar o sol com a peneira?

TOSHIO ICIZUCA toshioicizuca@terra.com.br

Piraciacaba

__________

A INVASÃO DE NOSSO MERCADO DE TRABALHO

Os editoriais do Estadão concernentes à qualificação dos trabalhadores brasileiros demonstram a imperiosidade de retomada urgente dos programas de qualificação dos trabalhadores brasileiros, à luz de dados emitidos pelo Ministério do Trabalho e Emprego. É significativo que as verbas do FAT destinadas a tal finalidade tenham sido reduzidas nos últimos anos. Antes qualificávamos e não tínhamos espaços no mercado de trabalho. Hoje enfrentamos o desafio de concorrer com mão de obra estrangeira, que ocupa crescentemente os postos de trabalho que temos disponíveis, em detrimento dos brasileiros, menos educados. Corremos o risco da família faminta que, no entanto, alimenta a vizinha. ''Amparar'' o trabalhador não é dar-lhe a verba de pescar, e não o peixe?

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

__________

VORACIDADE POR DINHEIRO

Dizem que não passa de implicância, que não é verdade que os fiscais do trânsito são orientados para multar, que é uma falácia dizer que esses fiscais têm "metas" na arte de multar. Apesar disso, a realidade é outra e esta é encontrada na manchete "Radar chega antes que luz na nova Marginal". Melhores que os amarelinhos ou marronzinhos, os radares são aptos a multar no escuro... Prioridade é isso, prioridade é arrecadar. E que se rale a segurança dos cidadãos.

Pedro Luís de Campos Vergueiro - pedrover@matrix.com.br

São Paulo

__________

LAVANDERIA SALOMÃO

Edir Macedo, o maior explorador de brasileiros ignorantes, agora vai lavar mais dinheiro, construindo um megatemplo. Já está na hora de começar a cobrar pesados impostos de todas as igrejas, fundações, sindicatos, etc.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

__________

TRAGÉDIA ARQUITETÔNICA

Se não for bazófia do sr. Edir Macedo, será uma tragédia arquitetônica: uma réplica do Templo de Salomão, no Brás dos operários e da velha rapaziada?! Sr. prefeito, antes de conceder alvará, pense menos nos votos pentecostais e

mais na sofrida capital.

Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br

São Paulo

__________

DESMATAMENTO

Redução de 47% no desmate da Amazônia

Quando não houver mais árvores, o desmate na Amazônia cairá para zero...

Luigi Vercesi luver44@terra.com.br

Botucatu

__________

COINCIDÊNCIA?

Impressionante como o desmatamento na Amazônia vem caindo desde que a sra. Marina Silva deixou o Ministério do Meio Ambiente!!!

Carlos Augusto Pereira Lima guto@fazendamutuca.com.br

Mococa

__________

A MALDIÇÃO DO VÔO AF 447

Comunicado da Air France (Estadão de ontem, página A12) justificando os quatro incidentes ocorridos em 37 dias deixou de fazer referência a uma possível "maldição do voo AF 447", quando, em 31 de junho de 2009, um Airbus A330 desapareceu no Atlântico com 216 passageiros e 12 tripulantes. Enquanto a caixa-preta do avião não for localizada para esclarecer os motivos do acidente, os incidentes poderão continuar ocorrendo.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

__________

FROTA AÉREA

Prezado leitor sr. José Aparecido Ribeiro, com referencia ao seu comentário no Fórum dos Leitores do Estadão, tenho algo a acrescentar: não é só a Air France que oferece serviços medíocres quando voa para a América do Sul.

Sou assíduo passageiro da American Airlines, tanto Brasil-EUA quanto EUA-Europa, tendo já conquistado mais de 800 mil milhas nestes últimos dez anos ou mais de voo com ela.

A diferença de equipamento (mesmo sendo o famoso 777) que eles põem em serviço para a América do Sul, em comparação com os mesmos aviões usados entre EUA e Europa, bem como a qualidade dos serviços de bordo entre os dois destinos são marcadamente diferenciados: O LIXO DO LIXO TANTO EM AVIÕES COMO EM PESSOAL DE BORDO É SEMPRE DESTINADO À AMÉRICA DO SUL.

Já reclamei, sem resultados.

Alberto J. K. Yazbek

São Paulo

__________

ESTRADAS RURAIS VICINAIS

Estou em Cunha desde 1986 e tenho uma propriedade rural na Estrada da Capivara, bairro Cachoeira dos Rodrigues, ponto final de uma importante linha de leite. Recentemente, a Codasp recuperou e reformou toda a estrada, evidentemente, com dinheiro público, o nosso dinheiro. A estrada está muito boa. Porém se aproxima o período de chuvas e o grande vilão da estrada é o caminhão de coleta do leite. A tonelagem é excessiva, danifica a estrada e, quando chove, coloca correntes e destrói o que restou. A minha sugestão é que se usem caminhões de tonelagem total baixa, até 5 toneladas - foi o sistema adotado em São Paulo para entregas urbanas, com sucesso. Evidentemente, no primeiro momento, o administrador do transporte fica enfurecido, porque aumentam os custos, mas no evoluir do verão verá que as estradas mais bem conservadas não impedem a coleta do leite, reduzindo a manutenção e baixando os custos. Afinal, a cooperativa não pode ser agente, ao mesmo tempo, de progresso e retrocesso, é melhor atuar preventivamente e recolher os louros da iniciativa do que ter de responder a uma legislação específica.

Irapuã Teixeira irapuateixeira@gmail.com

Cunha

___________

AINDA O TREM-BALA

Na França, país "muito mais pobre" que o Brasil, a viagem de TGV entre Paris e Avignon - em primeira classe - (800 km) custa (ida e volta) ? 40 (R$ 93). Agora, no Brasil (um país muito rico) a passagem mais barata (só de ida), para rodar 400 km, vai custar R$ 199.

E o projeto, que começou em R$ 12 bilhões, já está na casa dos R$ 33 bilhões - tudo isso financiado (75%) pelos cofres públicos a juros subsidiados.

Está na hora de a população se engajar numa batalha contra mais esta esperteza das empreiteiras e dos "cumpanheiros" do nosso guia.

Obs.: os valores do TGV foram obtidos no site da empresa.

Geraldo Roberto Banaskiwitz grbanas@unimarket.com.br

São Paulo

___________

TRANSPORTE PÚBLICO E TREM-BALA

Parabenizo não somente o Caderno Metrópole do Estadão pela matéria ''Transporte público", publicada no dia 20/7, mas também o programa ''A Liga'' desse mesmo dia, da Rede Bandeirantes de Televisão, sobre o mesmo assunto. E ainda, como usuário de transporte público neste país, fico extremamente indignado com a omissão e falta de sensibilidade de nossos governantes.

Querem trem-bala! Enquanto sofremos diariamente para ir ao trabalho, alguns mais de três horas pulando de um ônibus, van ou trem para outro! Será que eles esqueceram que transporte público é serviço essencial? Será que nosso presidente (minúsculo mesmo!) esqueceu suas origens ''de companheiro e de pessoa simples que foi'', ou será que já se acostumou ao ''pudê'' e por isso devemos, mais uma vez, assistir à decadência do transporte público durante mais um século?

Mauricio A. de Azevedo Marques mzlmauricio@yahoo.com.br

São Paulo

___________

DELÍRIOS INFANTIS

Acho incrível que a população brasileira não esteja reagindo contra a ideia do trem-bala, mas, dada a baixa escolaridade geral, também não espanta muito. Mesmo assim, é inacreditável que não consigam entender o que é prioridade e ver o tamanho da encrenca que queimar R$ 50 bilhões irá representar para o futuro de cada um e de todos. É pegar o cartão de crédito nacional para realizar uma fantasia infantil e assim esquecer o tamanho dos problemas que temos na área de transporte de pessoas e mercadorias. Mas faz sentido. Perdemos completamente a noção do que é a base de nossa vida, do que é uma cidade decente, do que é um bairro agradável, do que é ter crianças nas ruas brincando, do que é mobilidade, ir e vir sem ter de gastar horas inúteis. Infelizmente, a má qualidade de vida socializou-se com incrível eficiência. Brasil, o país do futuro, virou a utopia de uma sociedade alienada tentando circular em carros de vidros pretos que ofuscam olhar a paisagem e o próximo. Dentro de um desses carros o mundo de fora não existe. O contrário também é válido, porque se o individuo do lado de fora não existe, o coletivo de indivíduos é impossível se ser realizado. Mas o trem-bala é notícia, boa notícia, sinal de progresso. Quem se pergunta: "Qual progresso vale a pena?" Ouvissem um pouco de rádio ou lessem com cuidado jornal, talvez soubessem que o que dizem especialistas. Há outras prioridades, inúmeras outras prioridades, muitas, tantas que é difícil contar. Inclusive e principalmente fazer funcionar o transporte aéreo e ferroviário existente. Parece que não sabem fazer contas, nem sequer a divisão destes R$ 50 bilhões pelo número de passageiros transportados para chegar ao custo unitário e daí fazer uma comparação com o custo da passagem aérea. Quem se acha formado parece estar deslumbrado com a possibilidade de um dia passear como na Europa. É impressionante estar num trem a 269 km/h. Mas, e daí? Tão emocionante quanto sair de Ferrari domingo pela manhã nas ruas esburacadas da cidade. Vai ser interessante ver a expressão desses mesmos que não reagem hoje contra o trem-bala quando chegarem ao destino e descobrirem que na estação do moderno trem não há conexão de qualidade para o transporte de massa e que inevitavelmente irão gastar horas de carro num congestionamento. O investimento acabou no trem-bala. Cansado eles irã chegar em casa e tentar entrar em contato com o mundo, a família, o trabalho, e descobrirão que não houve investimento para ter comunicações dignas. A internet será lenta, o sinal do celular cairá, tudo insuficiente para as necessidades individuais e para o porte econômico de uma pretensa potência. Lá fora a cidade, bairro, rua e a própria casa continuarão com as deficiências de organização e espaço que perpetuam a violência, a barbárie. Os gargalos são fato comum hoje, continuarão iguais depois do trem-bala. Mas passear nele será uma beleza, pelo menos para os que conseguirem e durante a curta viagem; e só entre as principais capitais do País. Desculpem, e até Campinas, o início da Califórnia brasileira. Todos terão orgulho do trem-bala. Sobre nossas mazelas não se falará porque estraga a cervejinha. Quando esta população, ricos, classe média e os esquecidos, se dará conta de que o preço de um trem-bala, mais a Copa, mais Jogos Olímpicos, mais outras coisinhas aqui e ali, fazem uma conta que dificilmente será paga? Nem tanto pelo dinheiro, mas pelo abismo social que agora se aquieta com TV de plasma. Os que não têm acesso à qualidade e aos delírios hoje já percebem que onde e como vivem é muito degradante. Trem-bala é lindo - lá!

Arturo Alcorta arturoalcorta@uol.com.br

São Paulo

__________

COPA 2014

Será que eu estou errado? Será que eu é que não vejo corretamente?

Quanto o País vai gastar na Copa de 2014? R$ 20 bilhões? Considerando que o PAN custou R$ 4 bilhões, ante a previsão inicial de R$ 400 milhões, não é mais provável que o número esteja mais para 30 bilhões, ou mais? Não é uma caixa-preta?

Meu Deus, o Brasil tem tanto dinheiro assim?

Será que não seria melhor fazer 1000 km de metrô distribuídos em várias cidades, diminuindo, digamos, como exemplo, de três horas para uma hora o tempo de deslocamento de um pobre cidadão de São Miguel Paulista para o centro de São Paulo?

Ou, então, investir em obras para evitar enchentes, como as recentes em Pernambuco e Alagoas?

Será que não seria mais razoável investir maciçamente em educação e saúde para colher dividendos de qualidade de vida no futuro?

Em outras palavras, já que dispomos de tanto dinheiro, não seria mais inteligente eleger prioridades de muito melhor custo-benefício econômico, social e bem-estar para a população?

Quem disse que concordamos que o índice de endividamento dos governos municipais e estaduais que sediarão jogos seja aumentado para 120% das receitas? E que o dinheiro público do BNDES seja usado (a juros subsidiados) para obras desse tipo?

O que fazer com as pobres cidades que não serão sede? Não receberão qualquer benefício?

Vamos construir grandes arenas com baixo, ou nenhum, aproveitamento futuro (como as construídas no PAN)? Aliás, valeu a pena o investimento de R$ 4 bilhões no PAN? Houve, de alguma forma, retorno desses gastos para a população do Rio, ou alternativas teriam sido muito mais profícuas?

Da mesma forma, será que valeu a pena para a África do Sul?

A Fifa tem o direito de interferir tão imperialmente nos nossos investimentos, mesmo que estes não venham a ter utilidade futura?

Se sim, não seria melhor declinar e deixar para outro país ser a sede da Copa 2014?

Enfim, será que estou enxergando mal? Só eu?

José Roberto Teixeira Pinto jr@tpaempreendimentos.com.br

São Paulo

__________

PAÍS DO MARKETING

Fico imaginando o marketing que os representantes esportivos do Brasil apresentaram nas candidaturas para Copa 2014 e a Olimpíada 2016. E nesta imaginação percebo que somos os melhores. Aqui deveria ser chamado de ''país do marketing'' e não de ''país do samba e futebol''. Este poder do marketing elegeu e reelegeu o Lula. Conquistou o direito de sediar uma Copa e uma Olimpíada na sequência. A imagem deste marketing enraizado na figura do presidente mundo afora e adentro camufla tudo e todos. Pena que São Paulo vai pagar o ''pato'' disso tudo. São Paulo não precisa da Copa, a Copa precisa de São Paulo. Um alerta: o Rio de Janeiro vai quebrar com a Copa e Olimpíada. Mas tudo bem, o carnaval vem aí...

Aléxis Penariol penariol@ig.com.br

São Paulo

___________

PRENÚNCIO DE DESASTRE

O Brasil está para a Copa 2014 assim como a Argentina esteve para a Guerra das Malvinas, há tempos idos...

José Ruy Veloso Campos jruyveloso@hotmail.com

São Paulo

__________

GOLDMAN X TEIXEIRA

Li ontem no Estadão, no caderno de Esportes, que o governador, o prefeito, o presidente do Comitê Paulista para a Copa do Mundo vão pôr novamente na mesa o estádio do São Paulo como principal opção para o evento. Abaixo, lemos: ''Teixeira nem sequer vai dar ouvidos a essa proposta, disseram ao Estado pessoas próximas do dirigente." Governador, como é possivel que um dirigente esportivo venha à sua casa e o desrespeite, como se o senhor não fosse o maior mandatário do Estado de São Paulo, não considerasse o sr. prefeito e simplesmente impusesse a sua vontade soberana como se ele fosse um ditador e todos devessem obedecer-lhe cegamente? Como paulista não aceito essa ingerência em assuntos do nosso Estado, fique ele com sua Copa do Mundo, pois nosso Estado não precisa dele nem da CBF, mas o contrário é verdadeiro. Acho que o sr. governador deve dar uma lição muito severa a esse senhor, que pode mandar na casa dele, mas não na nossa.

Sr. governador, queremos que defenda a sua e a nossa honra. NON DUCOR DUCO.

Luiz Carlos Castanheira lccastanheira1@gmail.com

São Paulo

__________

CHEIRO DE PROPINA

Isso está cheirando a propina em jogo. Ricardo Teixeira, presidente da CBF, disse a interlocutores em Brasília que vetou Caio Luiz de Carvalho, coordenador do Comitê Paulista para a Copa de 2014, na reunião em que discutiria com o governador Alberto Goldman (PSDB-SP), de São Paulo, ontem, sobre o estádio que abrigará os jogos do Mundial. Carvalho foi quem mais bateu na decisão da Fifa de vetar o Morumbi como sede das partidas. A assessoria da CBF não foi localizada para comentar...

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

___________

NOVELA MORUMBI

Prezado presidente do SPFC, sr. Juvenal Juvêncio, faça publicar nos meios de comunicação que o Estádio Cícero Pompeu de Toledo não estará disponível para qualquer jogo da Copa de 2014.

Engrandeceria a instituição tricolor e mais ainda o nosso Estado, pois temos mais com que nos preocupar.

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br

São Paulo

__________

FELIPÃO X CBF

A verdadeira razão do esfriamento do interesse da CBF pelo Felipão foram as suas declarações, quando de sua chegada, centradas e objetivas, acentuando que só poderia responder sobre o Palmeiras, já que da CBF não ouvira nada ou recebera um convite. Isso os fez lembrar o "osso duro" de 2002. É melhor contar com "lambe-botas". Já imaginaram o Felipão tendo um coordenador do tipo do Parreira? Para quem não se lembra quem era o "coordenador" em 2002, aguço a memória. Era o Antônio Lopes, que ficou rouco de ficar calado. Mas são bons amigos. Pena que deu de quatro no amigão.

Manoel Mendes de Brito voni@terra.com.br

Bertioga

__________

VALORES COLONIZADOS

Não há motivo para estranheza quanto ao comportamento arrogante e desdenhoso de Felipão. Afinal, quando dirigiu a seleção portuguesa ele disse, diante de microfones e câmeras do mundo todo, que aquela era ''a maior honra de sua vida''. Vai ver tem sonhos de reaver essa honra, a mesma que não externou ao ser técnico da seleção brasileira.

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

__________

SEGUNDA DIVISÃO

Triste futuro espera o técnico Mano Menezes se deixar o Corinthians e cair na ratoeira do Ricardo Teixeira. Pois daqui a quatro anos passarão outros treinadores, e na certa em 2014 Mano estará dirigindo algum clube da Segunda Divisão, com ânsia de voltar à elite do futebol brasileiro. Quem viver verá!

Roberto Stavale bobstal@dglnet.com.br

São Paulo

__________

LÓGICA NECESSÁRIA

Se não for o Mano Menenzes, na certa é cariocada.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

__________

ADEUS, RICARDO DUNGA GOMES

O SPFC teria duas razões para contratar o técnico Ricardo Gomes. Uma, por investir em talento mais jovem, já com experiência, inclusive internacional, na carreira. Outra, por ser genro de Ricardo Teixeira, poucos anos antes da preparação dos estádios para a Copa de 2014. Na sequência inversa, primeiro viu ruir o sonho pela atuação conivente do sogrão, a facilitar a criação de um estádio lulo-corintiano, mais a condecoração do marechal da derrota Sánchez no último fracasso da seleçãozinha lulo-dunguista. Em segundo lugar, pós férias pagas para treinos, descanso e aprendizado, assistindo a jogos das melhores seleções do mundo, viu seu timinho infame ser derrotado como cão sem dono. A suposta melhor defesa, de nível de seleção, deu lugar aos baixinhos que se lançam ao cabeceio, o eleito versátil, complicado, filho de Richarly, a correr e prejudicar, viu seus astros bem pagos correrem atrás dos melhores desconhecidos de Avaí e Vitória, demonstrando que esta diretoria comprou mal, na Europa, quando ali, tão perto, acham-se muito melhores e valorosos espécimes, sem falar dos técnicos. O tricampeão mundial merecia sorte melhor, contratações melhores e melhores satisfações a seus torcedores. A prática do "dunguismo", associada ao impertinente desvario da arbitragem que insiste em copiar o presidente, só pode trazer maus resultados. E a degola do Morumbi fica, mais ainda, indigesta, ao se verem alimentados os votos da rivalidade, ácida e maligna, que entra num jogo contra o campeão como quem vai à luta pela sobrevivência. A diretoria deveria acordar, antes que tarde demais, assim como se recomenda ao eleitor. A coisa está feia.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

__________

REI DOS ANIMAIS

Parabéns ao técnico Leão. Um goleiro medíocre no

Palmeiras,viveu da fama, nada fez na seleção

quando convocado. Gente com resquicios de

autoritarismo, agrediu repórter, fala o que bem

entende e ainda acha que tem razão. Um verdadeiro Leão!

Mauricio Villela mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

__________

EXEMPLO

A bela cidade de Indaiatuba foi palco de um jogo de futebol beneficente, no qual craques do futebol mundial estavam presentes! Entre eles, Ronaldo Fenômeno (Corinthians) e Leonel Messi (Barcelona). O jogo terminou empatado em 3 x 3. Mas o que me chamou a atenção foi que muitos torcedores foram ao estádio com a camisa da Argentina, prestigiando o jogador Messi, melhor do mundo na atualidade. Que exemplo lindo! Parabéns a todos os torcedores que torceram e vestiram a camisa da pátria vizinha! Samba e tango (Pelé e Maradona) podem e devem caminhar juntos, sem preconceitos! Nota zero a uma parte da imprensa esportiva que tenta impor revanchismo e ódio por causa de futebol!

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

__________

E NINGUÉM MAIS SE IMPORTA...

Ah, que saudades do Brasil de antigamente, onde havia menos interesses comerciais e financeiros e mais patriotismo e civismo!

Menos desleixo com nosso país e até menos políticos... Que bom! Hoje esses políticos, em sua maioria, só praticam a politicagem corrupta, enchendo seus bolsos de dinheiro. E ninguém mais se importa...

Esses senhores conseguiram meter até a cor vermelha (do PT) no nosso verde, amarelo azul e branco, só ver os logotipos atuais do governo, inclusive o da Copa do Mundo de 2014, que se realizará no Brasil. E ninguém mais se importa...

Até o Poder Judiciário, do qual esperamos mais justiça, com suas decisões corporativas e às vezes sem efeitos (vejam as punições eleitorais), e sua celeridade, deixa todos na saudades. E ninguém mais se importa...

No Brasil de antigamente havia educação, as escolas do governo eram infinitamentes melhores que as privadas e existia necessidade de prestarmos exame (de admissão) para poder frequentá-las. E os professores bem remunerados eram nossos segundos pais, e sábios. Hoje os professores despreparados até apanham dos alunos. E ninguém mais se importa...

Nessas escolas tínhamos aulas de Educação Moral e Cívica, hoje desaparecida dos currículos escolares; entre outras lições de moral e civismo, aprendíamos a cantar o HINO NACIONAL (letra e música). Não erro a letra até hoje, pois sei quando cantamos ''Brasil, um sonho intenso'' e ''Brasil, de amor eterno seja símbolo'' ou ''em teu seio'' e ''no teu seio''.

Hoje as pessoas, quando tentam cantar o HINO NACIONAL, cantam palavras e frases que não existem, de tal forma que Joaquim Osório Duque Estrada e Francisco Manoel da Silva se reviram em seus túmulos. E ninguém mais se importa...

Com essa boa educação aprendíamos a respeitar nossos símbolos nacionais, a respeitar as pessoas e dar valor à vida! Hoje ninguém dá valor a quase nada, não se respeitam nossos símbolos, não se respeitam as pessoas - nossos idosos e portadores de deficiência que o digam. A vida, então, hoje não vale nada, mata-se por qualquer motivo. E ninguém mais se importa...

Por falar em não respeitar símbolos, vejam a nossa seleção brasileira de futebol. Devido a interesses pessoais, financeiros e de patrocinadores, conseguiram transformar a seleção canarinho em seleção de urubus, com aquelas roupas pretas tiraram a alegria do futebol VERDE E AMARELO. E ninguém mais se importa...

Aliás, seleção brasileira, que de 23 jogadores só três atuam no Brasil, deveria ser chamada de seleção europeia. Talvez por isso o fracasso. Que saudades do MARECHAL DA VITÓRIA!

As drogas ilícitas hoje são fonte de renda nas comunidades... Os impostos, em sua arrecadação voraz, acabam com a renda da pessoa física e destroem a pessoa jurídica, e cada vez mais nos tornamos imcompetentes no mercado internacional. Retorno eficiente dos impostos em educação, saúde e segurança, não podemos nem pensar, pois quando existe se perde pelo caminho. E ninguém mais se importa...

A SAÚDE e a SEGURANÇA brasileiras... sem comentários. Basta assistirmos aos noticiários para pensarmos que estamos na Etiópia, e no meio de uma guerra civil. E ninguém mais se importa...

Olhem que quando me refiro ao passado não faz muito tempo, pois sou da década de 60, época da ditadura militar, quando tudo funcionava... Será coincidência?!

Desculpem o desabafo, mais eu me importo!

Fabio Cardoso fabiocardosofutebol10@uol.com.br

São Paulo

__________

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.