Cartas - 26/02/2011

ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO

, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2011 | 00h00

ONU em ação

O que ocorreu no Egito e o que ocorre na Líbia e em outros países árabes e muçulmanos deve servir de alerta para o mundo. Não se pode mais admitir que líderes aventureiros que não passam de ditadores sanguinários se perpetuem no poder e dominem nações pela violência. É hora de as grandes potências, por meio da ONU, tomarem providências, ainda que seja pela força.

ADOLFO ZATZ

dolfizatz@gmail.com

São Paulo

_______________________________________

Petróleo em risco

Muita gente acha estranho que até agora a ONU não tenha tomado a iniciativa de intervir militarmente na Líbia para tirar o ditador Muamar Kadafi do poder, garantindo proteção àquele povo. Já são milhares de mortos desde o início dos protestos. Quantas pessoas mais terão de morrer até a saída de Kadafi? Ou será que o risco de perder o petróleo interfere nessa decisão?

REGINALDO DE PAULA

reg.paula@hotmail.com

Campinas

_______________________________________

A fatura chegou

Estados Unidos e países ricos da Europa congelaram o atraso nos países árabes por décadas, para explorarem seu petróleo. Apoiaram ditaduras, fecharam os olhos para o analfabetismo, o desemprego e a miséria para manterem no poder quem lhes garantisse energia barata. Agora a fatura chegou. Difícil é saber o seu valor e a forma de pagamento.

ANTONIO NEGRÃO DE SÁ

negraosa1@uol.com.br

Rio de Janeiro

_______________________________________

SAÚDE

Novo imposto?

Declaração de Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do partido na Câmara, feita na segunda-feira após a reunião da presidente Dilma com governadores do Nordeste: "A CPMF não voltará, não com este nome, mas poderá ser discutida, no âmbito da reforma tributária, por exemplo, a criação de um novo imposto com destinação exclusiva para a saúde". Outro nome? E o nome importa? Nem vem, PT!

MARIA CRISTINA R. AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

_______________________________________

Falta criatividade

A população já não tem meios de cuidar da saúde e vêm governadores, sem nenhuma criatividade, pleitear a volta do imposto do cheque. É uma lástima.

OSCAR ROLIM JÚNIOR

rolimadvogado@ibest.com.br

Itapeva

_______________________________________

Problema de gestão

É preciso que a imprensa chame a atenção para o absurdo de uma nova CPMF, um tributo que já não cumpria sua proposta original. O problema do Brasil é de gestão, é saber administrar, saber conduzir com transparência e eficiência a máquina pública. Não dá pra asfixiar o brasileiro com mais impostos.

CRISTIANA CARDOSO CRUZ

ccardosoc@yahoo.com

São Paulo

_______________________________________

Dilma sabe

Essa história da CPMF já foi contada anteriormente e o resultado todo o Brasil conhece. Se houver interesse em reduzir os custos da saúde nacional, de Estados e municípios, sem ferir de morte o sistema, basta lançar mão da ciência chamada Gestão e Economia da Saúde, com suas notáveis ferramentas. Fora isso, é tentar vender um produto que nunca será entregue. A presidente Dilma sabe disso e se declara contra a CPMF.

DAVID NETO

drdavidneto@uol.com.br

São Paulo

_______________________________________

E se?

Será que se a presidente acrescentasse a letra H, ao encaminhar para o Congresso um projeto de reativação do imposto sobre a emissão de cheques com a sigla CPMFH, os tucanos votariam a favor? Algo para pensar...

JAMIL ARCANJO DOS SANTOS

guilher4012@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

_______________________________________

AGRICULTURA

Fraudes

Lamentavelmente o Estadão informa que o Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), que deveria melhorar as condições de preço para o produtor rural, está servindo para engordar os bolsos de intermediários (Agricultura dá subsídio para fraude, 25/2, B1). É a velha história de que quem trabalha e produz acaba descaradamente explorado. Fazemos fé de que o Ministério da Agricultura tome com urgência as medidas necessárias para punir quem promove e se beneficia dos desvios, divulgando com clareza quem são os envolvidos. E que se pronunciem também a polícia e o Ministério Público.

LOURENÇO INNOCENTINI NETO, vice-presidente do Sindicato Rural de São Carlos

lorencoinnocentini@gmail.com

São Carlos

_______________________________________

Sem punição...

Segundo a reportagem publicada pelo Estado, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sabia das irregularidades e mesmo assim autorizou o pagamento do PEP, cujo valor chega a R$ 236 milhões. O Ministério da Agricultura, por sua vez, alega que não tem como provar a fraude. Como parece que não haverá punição nem apuração dos desvios, pergunto: o que se deve fazer para entrar nessa boquinha?

MARIO ERTEL

locacao2@locatec.com.br

São Paulo

_______________________________________

GESTÃO PORTOS

Esperemos as reformas

Contrariando a solução do consultor sr. Geert J. Prange para a gestão dos portos no Brasil (Fórum dos Leitores, 23/2), registro que o problema dos nossos portos é de carência política - essa é a evidência trazida dos grandes sistemas portuários internacionais. Esses modelos, da União Europeia, Ásia e América do Norte, garantem, com uma política regional estendida ao porto, gestores que, além da competência, retidão e celeridade, assumem metas e têm liberdade administrativa e financeira para cumpri-las. As diretrizes de Roterdã, por exemplo, citam que os gestores não podem sofrer influência externa para cumprir suas obrigações. O Brasil, que tem problemas para entender que porto é um grande terminal de transportes multimodal - vide que não tem nem convoca esses especialistas em seus concursos públicos -, deve demorar muito a ter uma política de gestão. Esperamos, então, pelas reformas.

ALUISIO DE SOUZA MOREIRA

aluisiosmoreira@hotmail.com

Santos

_______________________________________

"Agora ele fica, pela vontade do povo, por mais 50 anos!"

BEATRIZ CAMPOS / SÃO PAULO, SOBRE KADAFI PROMETER DAR US$ 400 A CADA FAMÍLIA LÍBIA E AUMENTO DE 150% A SERVIDORES

beatriz.campos@uol.com.br

"Sugestão para ditadores: Bolsa-Família custa pouco e aplaca a ira do povo"

PAULO DE SOUZA CAVALCANTI / SÃO PAULO, IDEM

paulo_souza_cavalcanti@ig.com.br

"Vai dobrar o salário... do funcionalismo, na Líbia"

JOSE MENDES / VOTORANTIM, IDEM

josemendesca@ig.com.br

_______________________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL:2.039

TEMA DO DIA

Tiririca na Comissão de Educação e Cultura

O próprio deputado quis participar destas áreas. Oficialização deve sair na próxima terça-feira

"Nada de errado. Faz mais sentido do que uns e outros serem da Comissão de Ética."

ALESSANDRO MARTINS

"Tenhamos cuidado com o preconceito. Quem sabe ele não tem boas ideias?"

FABIANO CRUZ

"Como é que eu vou explicar para minha filha que ela tem de estudar e se formar?"

ROGERIO RODRIGUES

_______________________________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

Floriceno Paixão

Morreu dia 24/02/2011, aos 91 anos, doutor Floriceno Paixão, autor do projeto de lei do 13º salário em 1962, perde o Brasil e os trabalhadores.

Jose Noel Terra jnt@pocos-net.com.br

São Paulo

_________________________________________

Salário mínimo

O senador Paulo Pain (PT-RS) que já havia percorrido o país todo ''brigando'' por um salário mínimo mais justo, agora votou a favor dos de R$ 545. Talvez ele tenha votado para o mínimo do mínimo, por que,alem de parlamentares ter um bom salário,no momento que ele for reinvidicar sua aposentadoria, a dele não estará ''atrelada'' ao fator previdênciário.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

______________________________________

Dilma e a imprensa livre

Na página A3 do dia 23 deste mês, com o titulo ''Dilma e a imprensa livre'', o ''estadão'' colocou o que pensa à respeito dos primeiros momentos da presidente Criatura. Não creio que o ''estadão'' leva a sério esse comportamento da presidente, apenas porque ela faz genero para diferenciar-se de seu criador que fazia tudo para aparecer e servia de motivo para o sarcasmo da midia. Seu truque está dando certo, porque a midia com raras exceções, parece embarcar nessa conversa baseada apenas em promessas. E na pratica ? É igualzinha ao antecessor, basta ver duas medidas mais recentes suas: a criação de mais um ministério, apelidado de ''Micro e Pequenas Empresas'', não bastasse a absurda quantidade existente. Além disso ''recria'' a Sudeco, uma superintendência que estava congelada e ela reaquecerá. Por que criar mais dois ralos para escoar dinheiro publico ? Ora pois como diria o Manuel da padaria, onde ''acomodaire'' toda a cambada supimpa do Cambalacho Nacional comprada por ela, se a estrutura herdada do antecessor está com pilantras saindo pelo ladrão ? Fácil, criar novas estruturas ! As duas novas tetas federais poderá alojar centenas senão milhares de mamadores, filhotes de políticos. E o PT, hein ? Assina embaixo tudo que a Criatura faz ! E a oposição ? Um bando de covardes vivendo com o rabo entre as pernas por medo do Lula !

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

Garça

________________________________________________

Governo Dilma

Se Dilma seguir, como prometeu, seguir os passsos de seu Chefe Lula da Silva, continuaremos com o Estadão censurado - quem sabe outros virão?- mensalões, cuecões- que outras partes do corpo? enfim, mais 8 anos de corrupção. Ou dona Dilma devolve o cargo em 4 anos? Quem viver, verá. Cada povo tem o governo que merece.

Carlos Yoshikazu Takaoka cy.takaoka@hotmail.com

São Paulo

____________________________________________

Comissão do atraso

Comissão do Senado atrasa reforma política.Essa é uma Comissão do atraso na vida pública brasileira,com Sarney,Collor e Itamar,o que podemos esperar.

Só se for para inventar novas formas de corrupção,apadrinhamentos,desvios.etc...

Coitados de nós pobres brasileiros,o que podemos esperar para nossos filhos e netos com esses exemplos.

Luiz Miguel luizmiguel.carol@hotmail.com

Itaberá

____________________________________________________________

Reforma eleitoral

A única maneira de se fazer uma profilática depuração na qualidade dos votos eleitorais, é substituindo-se na tão desejada e esperada reforma política, o voto obrigatório pelo voto facultativo, isto é, só votará quem quiser cumprir este dever cívico. Civismo ''É dedicação pelo interesse público ou pela causa da Pátria''-(Michaelis-2000-Mod.Dic.da Língua Portuguesa). Civismo é o eleitor comparecer livremente numa mesa eleitoral para cumprir seu dever de cidadão.Estas patrióticas qualidades o populacho não tem, portanto, não se daria ao trabalho de votar e os Tiriricas não vicejavam,O difícil é conseguir esta reforma política pelos atuais parlamentares,com honrosas exceções,só pensam em ''venha a nós o vosso reino''!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

___________________________________________

Abuso de autoridade

Em um estado democrático de direito, que prima pela liberdade de expressão, não há instituição, órgão ou poder de Estado que não esteja sujeito à crítica. Somente pessoas norteadas por ideias anacrônicas e, com o DNA de déspotas como esses Delegados para justificar as suas atitudes contra a ex-escrivã de polícia, que foi despida de forma violenta para uma revista. As cenas das atrocidades contra a policial causaram repugnância que beira a satisfação de marginalizar e humilhar a Agente policial, algo completamente abominável sob todos os aspectos. Um ato cruel e desumano contra a mulher que infelizmente eu achei que só era praticado no Afeganistão, onde o direito da mulher é não ter direito. Que bom que a imprensa não tem mais mordaça e cabresto, possibilitando a população tomar conhecimento das falhas cometidas por certos Agentes da lei.

Luiz Henrique Vaz Oliva vazoliva@gmail.com

Barra do Ribeiro (RS)

__________________________________________

Se colar... colou!

Só depois que foi denunciada a nomeação de Maria Lenir Ávila Zimler (esposa do presidente do TCU Benjamim Zimler) como assessora do PR no Senado...partido do Ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, é que ela resolveu não tomar posse. E ainda que seu marido diga que sua nomeação era legal, não era não, pois se encaixa perfeitamente na prática de nepotismo. A peculiaridade a ser destacada neste fato é que justamente o Ministério dos Transportes é o órgão com o maior número de irregularidades graves apontadas pelo TCU... Por motivos como esse é que a imprensa - e também nós, simples cidadãos - não podemos deixar de ficar de olho nos políticos....porque com essa gente é assim: se colar, colou!

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

_________________________________________

Operação cala a boca

Maria Lenir Ávila Zymler, mulher do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) ganha cargo de assessora do PR. Partido, ou melhor dizendo, quadrilha que alberga o sr. Alfredo Nascimento, que dirige o Ministério dos Transportes, diga-se de passagem, o maior antro de corrupção da Esplanada. Essa nomeação não passa de uma verdadeira operação ''cala a boca''. Fará contraponto a imoral operação tapa-buracos. Esse país está totalmente desmoralizado, a podridão se insitucionalizou.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

__________________________________________

Exclusão de Professores Temporários

Achei um absurdo a discriminação de Professores Temporários da rede Pública do Estado de São Paulo, que ao passarem na prova do concurso, foram reprovados por apresentarem Depressão. Sou Psicólogo Clínico, e sei que a Doença Depressão tem inúmeras causas, alguns tipos de depressão tem cura e outros tipos não. (Conforme dados da Associação Médica Americana), o que me faz discordar da colega de Saúde Mental, que informou a este jornal que não havia cura. Além disso conforme a própria Associação Médica Americana a Depressão ainda é chamada de ''resfriado da doença mental'' por não saber ao certo quantas pessoas ao certo têm ou terão depressão. Agora reprovar um profissional, porque o mesmo tem ou teve depressão, seria o mesmo que reprovar alguém por estar resfriado, e ainda retirar todas as chances de ajudá-lo a ter melhorias, aí neste caso a Rede Estadual de Ensino De São Paulo é Excludente !

Mauricio Avellar de Azevedo Marques mzlmauricio@yahoo.com.br

São Paulo

_____________________________________________________________

Aumento de vereadores - uma imoralidade

Está sendo discutido à revelia da sociedade civil um debate nos subterrâneos sinuosos da política nacional para voltar à carga a questão do aumento obsceno dos vereadores nos municípios brasileiros. Sou contra por princípio e pela questão simples que os que já existem trabalham aquém do que deveriam. Por exemplo, na maioria absoluta das cidades brasileiras o cargo de Vereador exige uma reunião por semana, quinzena ou até mensal. Se quiserem aumentar os coleguinhas de bancada, por que não aumentam a ridícula carga horária e dão exemplo? Na cidade de Bauru com trezentos e cinqüenta mil habitantes e centenas de problemas a serem resolvidos, com a necessidade iminente de mais fiscalização ao Poder Público os vereadores são dezesseis. Querem com certeza que este número suba para vinte e um e vinte e três. Simples, trabalhem mais do que uma vez por semana. Sejam úteis! Claro que, existem aqueles que se dedicam integralmente ao ofício de servir a municipalidade com sua representação, mas são exceções a regra, são minoria infelizmente. A maioria tem empregos ou atividades informais, são profissionais liberais, etc. A vereança é um mero trampolim para saltos mais altos no futuro. Estes antes de discutir aumento de vereadores deveriam discutir éticas e se inteirar um pouco mais das agruras dos trabalhadores para sustentar suas famílias enquanto eles brincam de representar o munícipe. Esta discussão deveria ser feita no sentido contrário, o Brasil precisa diminuir o número de Vereadores, Deputados Estaduais, Federais e até o número de Senadores. Em minha opinião, dois senadores por Estado estariam de bom tamanho. Um Estado rico como SP não deveria ter mais do que sessenta deputados estaduais. O número de deputados federais deveria ser reduzido para 300 em todo território nacional, com a alteração de definição por Estado para sua representatividade. Além do mais temos o parlamento mais caro do mundo, um custo exorbitante para manter mordomias e uma estrutura nababesca de milhares de pessoas à serviço deles. É ignóbil que SP, MG, RJ tenham proporcionalmente menos representantes que estados como Piauí, Maranhão, Acre, etc. O certo seria levar em conta a força de arrecadação de impostos, percentual do PIB, ou qualquer outro índice que não fizesse como que Estados menores pudessem ter representatividade maior do SP, MG, RJ, etc. Aumentar o número de políticos depois de tantos escândalos e corrupções é ir contra o povo, a ética e a inteligência da nossa sociedade que paga impostos elevados sem receber nada em troca.

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

_____________________________________________________

Desarmamento

Em 2010, no Brasil, tivemos 253 homicídios por cada milhão de habitante. Nos EUA, onde reina um espírito muito mais belicoso que o nosso, ocorreram apenas 85 por milhão. Nos EUA quase todo mundo tem arma. Aqui, a proibição é exageradamente restritiva. Donde podemos concluir que: não é o número de armas que determina o número de mortes. A quem serve desarmar então? Só serve aos bandidos, que conseguem armas com a maior facilidade, e não dependem de licença.

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

_________________________________________________________

Saidinha de banco

Antigamente bancos eram assaltados. Hoje, os clientes é que são espoliados ou

assassinados diariamente por motoqueiros bandidos. Por trás desses crimes está

a ganância dos banqueiros. Para ganhar espaço nas agências, organizam as

costumeiras filas em cercas passando a menos de um metro dos caixas. Não há

privacidade para quem está sendo atendido. Bastariam biombos ou algo parecido

para que o atendimento fosse isolado do público como em muitos países. Ou é

preciso uma lei? - Tiriricas acordem!

Suely Jung ant_borges@yahoo.com.br

São Paulo

___________________________________________________

Mapa da Violência

Duas coisas que saltam à vista num exame superficial do Mapa da Violência divulgado pelo Ministério da Justiça:

1) acontecem 50 mil homicídios por ano, mas a inexistência da Pena de Morte no país continua como cláusula pétrea da Constituição. Que bom, né?

2) São Paulo foi o Estado que mais reduziu o número de homicídios, mas a campanha presidencial petista centrou fogo na questão da segurança por aqui. Que sordidez, hein? E ainda anunciam que querem tomar de assalto o Estado, certamente para nivelar por baixo. Abram o olho, paulistas!

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com

Campinas

_______________________________________

"Amigo e irmão"

O editorial "Da água para o vinho" (24/02) reforça a certeza de que o período do "ex", em termos de política externa, foi uma calamidade sem precedentes "na história da política externa deste país". As ações truculentas da ditadura líbia, de que ora temos notícia, chegam mesmo a evocar a lembrança de Guernica, cidade bombardeada na guerra civil espanhola, deixando Lulla em situação embaraçosa por dar, em seu tempo, o aval brasileiro àquela ditadura sanguinária - aliás assim como fez em relação a outros tiranos mundo afora. Pelo que a TV nos mostra, não é de se estranhar que o verborrágico "ex" - que não é de perder oportunidade para opinar sobre tudo e todos - até agora esteja na "miúda", fazendo-se de morto e sem soltar um pio sobre as atitudes genocidas de seu grande "amigo e irmão" Muamar Kadafi, com quem esteve confraternizando em quatro oportunidades, enchendo-nos da mais profunda vergonha. Pena que nosso povo, em termos gerais tão desinformado, não se aperceba da fraude que venera e do Olimpo em que indevidamente põe um "amigo e irmão" das mais odiosas e desprezíveis tiranias.

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

__________________________________________________

Tunísia, segundo Sérgio Telles

É com inegável proveito e prazer intelectual que leio o texto do embaixador Sérgio Telles, a propósito da Tunísia (Tunísia, modernidade islâmica). Foi publicado nesta data. É trazida, em poucas linhas, visão geral, abrangente, daquele país. Sobressaem, no trabalho, os aspectos históricos; sociológicos e econômicos, além de outros. Menciona ainda a inserção geo-política no contexto geral dos árabes e do islamismo. Está elaborado em vernáculo castiço, com estilo claro e direto. Facilita amplamente a leitura e compreensão. Faz gosto apreciá-lo. Ressalto a visão do autor, verdadeiro estadista, quando indica que "é prematuro imaginar a súbita conversão democrática de paises tradicionalmente autocráticos, onde a hierarquia de lealdades privilegia chefes de clãs e seculariza o Estado". Caso integrasse qualquer órgão do governo, máxime da área educacional, certamente obrigaria a leitura e meditação. Lembro do quanto li sobre Habib Bourghiba nas páginas desse poderoso rotativo, por ocasião da derrota da França, em Bizerta. E continuo na aprendizagem, com trabalhos tão ricos, em todos os sentidos. O Itamaraty é a "ilha de excelência" - como escreveu Rubens Ricupero - no serviço público brasileiro. Ainda ... Parabéns ainda ao jornal.

Carlos Francisco Berardo carlos@berardo.com.br

São Paulo

_________________________________________________

A psicose do poder

É em casos como o da Líbia que se identifica a psicose do poder, em que um tirano teima em ficar mesmo sendo odiado. O conformismo do povo tem limites e, num dia histórico, explode.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

____________________________________________

Kadafi

Esse negócio do Kadafi não poder renunciar porque não tem nenhum cargo no governo, sendo apenas o ''grande lider'',não lembra certo partido daqui, que tem um ''presidente de honra''? Afinal para que serve um presidente de honra quando existe um presidente efetivo? É aquela velha história do culto à personalidade, que não passa de marketing barato.

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

___________________________________

Os companheiros

Já que, com a permanência de Battisti, o Brasil será o paraiso dos que não querem pagar pelos seus delitos, Lula poderá indicar à sua pupila um cômodo asilo aos seus ''amigos e irmãos'' Kadafi, Mubarak e Ahmadinejad.

Jairo P. Gusman jairogusman@gmail.com

São Paulo

______________________________________________________________________________

Autoritarismos e corrupção

Se o efeito dominó tiver continuidade na derrubada dos regimes autoritários no Oriente Médio e arredores, a economia globalizada será outra neste início de terceiro milênio.Quanto a nós devemos nos preparar para tais mudanças, derrubando igualmente as vulnerabilidades que nos aprisionam, como a corrupção endêmica que atinge setores da gestão pública e privada entre nós, para artingirmos patamares civilizatórios que tanto necessitamos.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

________________________________________

A praga linguística

Muamar Kadafi, ditador de setenta bilhões de dólares, cuja crise abala a economia mundial: ''Kadafi é história, resistência, liberdade, glória, revolução.'' ''Os (dissidentes) são todos bêbados e drogados''. Ludwig Wittgenstein, ''Investigações filosóficas'': '' A filosofia é uma batalha contra o enfeitiçamento de nossa inteligência por meio da linguagem.''

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.