Cartas - 26/08/2010

MEXICANIZAÇÃO

, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2010 | 00h00

Brasil 2011...

O editorial O risco de um PRI brasileiro (A3) e o artigo de Bolívar Lamounier A "mexicanização" em marcha (A2), de terça-feira, soam como sinal de tsunami à vista no sismógrafo político brasileiro. A já anunciada "terceira vitória de Lula", por meio de sua candidata a presidente(a?), prenuncia um alerta de intensidade máxima ao Estado de Direito e à consolidação das práticas democráticas tão duramente conquistadas no País. Por via das dúvidas, tenham o passaporte com visto americano renovado à mão...

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

_______________________

Esse editorial e esse artigo são, na melhor das hipóteses, assustadores. Brasil, o que fizeram com você? E Cumbica está saturado...

Guto Pacheco

daniguto@uol.com.br

São Paulo

_______________________

O editorial O risco de um PRI brasileiro toca num ponto que devia merecer atenção dos eleitores. Esse Partido Revolucionário Institucional (PRI) governou o México por décadas porque a oposição era frouxa, como vem ocorrendo no Brasil. Lamounier também enfoca essa preocupação. Ou seja, se Dilma Rousseff vencer esta eleição, com a cumplicidade do partidão sempre oportunista, como é o PMDB, este e o PT devem formar as maiores bancadas no Congresso e manipular nossas instituições de forma mais virulenta e degradante do que está ocorrendo nesta era Lula. A oposição, já há muito omissa, vai se enfraquecer ainda mais, e se fala até na formação de um novo partido com dissidentes do PSDB, do DEM, etc., para dar sustentação a uma indesejável continuação do governo petista. Seria uma máfia politizada a serviço da minoria. E sabe Deus o seu curso... Se vencer uma eleição nas urnas é o exercício da democracia, mais importante e democrático para o País seria impedir que grupos que jamais deixaram bons legados à Nação se perpetuem no poder! Isso é sério demais para ser desprezado...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

_______________________

Com efeito, não é do interesse do regime democrático um domínio partidário hegemônico, como ocorreu com o paradoxal PRI no México. O poder cristaliza-se nas mãos dos mesmos agentes políticos, a corrupção tem campo solto e as exacerbações ideológicas, até com ameaça às liberdades, crescem sobre a fragilidade de oposições impotentes. O Estado passa a ter proprietário. Assim, ainda que improfícuo, o voto na oposição conserva necessário significado para o equilíbrio de representação popular. E as oposições precisam ser qualificadas para que reinados modernos não se instaurem, em geral por meio de políticas paternalistas e populistas.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

_______________________

De mau gosto, mau jornalismo ou más intenções o editorial O risco de um PRI brasileiro, que decreta que a eleição presidencial já estaria decidida. Será que o editorialista não sabe de inúmeras viradas que já ocorreram em eleições em 40 dias ou é torcida indisfarçada pela candidata do governo?

Moacir Salzstein

moacirsalzstein@gmail.com

São Paulo

_______________________

Diante do editorial, do brilhante artigo do professor Lamounier e da inexorabilidade dos tempos autoritários que Lula e o PT reservam ao País, aproveitando-se da incompetência oposicionista e da ingenuidade do povo mais pobre, gostaria de me solidarizar com o Estado, cuja tradição de enfrentar o autoritarismo data, se não me engano, dos tempos de Artur Bernardes. Mais uma vez, é bem provável, havemos de ler, perplexos, os gloriosos versos de Os Lusíadas nas audaciosas colunas desse matutino. Ao menos a nós, cidadãos brasileiros e paulistas, resta o consolo de saber que contamos com um órgão de imprensa de tamanha dignidade, que há de enfrentar o "chavismo branco" e configurar a vanguarda da oposição, como fez outrora, no tempo de Getúlio e do regime de 68.

Tibiriçá Ramaglio tibiramaglio@gmail.com

São Paulo

_______________________

O editorial e o artigo demonstram muito claramente o que nos espera se vier a ocorrer o que parece iminente. Lamounier especifica, com fartos detalhes, os principais fatos que culminam na dominação total da política brasileira nas mãos de um único partido, por vários anos. O aniquilamento das oposições, a cooptação de sindicatos e entidades civis, o enfraquecimento do Judiciário (ora preocupado com seu salário) e o cerceamento da liberdade de imprensa, de nada mais precisamos para ter um regime sem alternância democrática. Francamente, nosso país não merece isso! Mas todos estão inertes, subjugados a seus interesses pessoais e corporativos. E assim perdemos a oportunidade, mais uma vez, de ver este país grande e democrático.

João M. Ventura joaomv@terra.com.br

São Paulo

_______________________

O processo de mexicanização já está em curso e, embora possa trazer enormes prejuízos à nossa democracia, terá duração limitada. É provável que a hegemonia do PT persista só enquanto Lulla estiver ativo na política, já que não há e dificilmente surgirão nas hostes petistas outros líderes com luz própria e carisma suficiente para levar adiante um projeto de poder mais duradouro. Felizmente, o próprio Lulla sempre se esmerou em impedir que surgissem no partido líderes que pudessem fazer sombra a seu projeto pessoal de poder (a escolha de Dilma é um bom exemplo). A meu ver, o PT começa e termina com ele, que é o pai, a mãe, a alma e o garoto-propaganda do partido, ao mesmo tempo sua força e sua fraqueza. Agora, se nos próximos anos houver dificuldades econômicas sérias, prováveis sobretudo em decorrência da anunciada redução do crescimento da China e de possível colapso na nossa infraestrutura de produção e exportação (já em gestação), o império lulo-petista acabará bem mais cedo do que se pode imaginar pelo atual sucesso nas pesquisas eleitorais e aniquilação da oposição.

Jorge Manuel de Oliveira jmoliv11@hotmail.com

Guarulhos

_______________________

CORREÇÃO

No artigo Comércio exterior e o futuro governo (24/8, A2), de Rubens Barbosa, onde se lê que o Brasil "concluiu acordos com Israel e com o Egito, ainda não ratificados", o correto é "concluiu um acordo com Israel e com o Egito, ainda não ratificado".

_______________________

"Pelo andar da carruagem que leva Serra, conduzida pelo PSDB, vai trombar com um poste logo mais à frente"

ULYSSES FERNANDES NUNES JUNIOR / SÃO PAULO, SOBRE A CAMPANHA PARA PRESIDENTE

ulyssesfn@terra.com.br

_______________________

"É, seu Zé, perder para um poste, tendo a eleição ganha nas mãos, não é mesmo para qualquer um... Parabéns, coisa de gênio!"

PAULO BOCCATO / SÃO CARLOS, IDEM

pofboccato@yahoo.com.br

_______________________

"A única coisa real até agora na campanha de Dilma foi o cachorro de José Dirceu..."

GILBERTO DIB / SÃO PAULO, IDEM

gilberto@dib.com.br

_______________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL:2.539

TEMA DO DIA

Enquete aponta vitória de Alckmin no debate

Confronto organizado por Estadão e TV Gazeta contou ainda com bom desempenho de Skaf (PSB)

"O que importa é a competência do candidato e não como ele foi no debate. Alckmin será o nosso governador de novo."

WALTER EDUARDO SATAS

"Sem sombra de dúvida, o vencedor foi Mercadante. Não respondeu tudo com clareza, mas a situação da capital fala por si."

ELIZEU GONZAGA

"Skaf foi muito mais firme e propositivo que os demais. São Paulo está longe de ser uma maravilha. Quero algo novo."

CIRO BUENO

_______________________

cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

DEBATE GAZETA/ESTADÃO

No debate da TV Gazeta/Estadão, anteontem, conheci o Paulo Skaf, empresário da Fiesp. Não sabia que ele era candidato, mas gostei do que ele falou sobre a insegurança das pessoas. Os outros todos eu já conheço, até porque falam sempre as mesmas coisas. O empresário Skaf é novo na política e, por isso, não deve ter ainda os vícios dos demais. Por isso, voto nele. Só espero que consiga se manter ético e focado em fazer uma gestão eficiente, como disse no debate.

Luciane F. Seixas lu.fseixas@hotmail.com

São Paulo

_______________________

VOTO DECIDIDO

O debate entre os candidatos a governador na TV Gazeta me ajudou a decidir meu voto. Paulo Skaf foi quem apresentou suas propostas com mais clareza e a questão dos pedágios é o maior problema do nosso Estado.

Wanyo Vieira de Mello

São Paulo

_______________________

EDUCAÇÃO

Essa discussão sobre aprovação automática x repetência, levantada no último debate entre candidatos ao governo do Estado de São Paulo, na TV Gazeta, deixa claras as origens do PT e do PSDB. Ao governo do PSDB, focado em princípios neoliberais, nunca interessou promover a qualidade na educação. Pelo contrário. O objetivo é deseducar para manipular. No discurso neoliberal, a educação funciona à imagem e semelhança do mercado, perdendo sua real função social. O estudante precisa ser útil à produção mercadológica, e nada mais além disso. A política de aprovação automática tucana tem como objetivo adequar a escola à ideologia dominante, do empresariado. Perante essa lógica, o aluno não precisa aprender, precisa só entender como as coisas funcionam e ser bem obediente. Quanto mais ele ficar reprovado, mais vai demorar a virar mão de obra barata.

Márcio Dias marciooliveiradias@ig.com.br

São Paulo

_______________________

DEMAGOGIA CHULÉ

O sr. Mercadante, num arroubo de populismo chinfrim, perguntou ao sr. Alckmin, no debate Gazeta/Estadão, se seus filhos estudaram em escolas públicas. Ouvindo a resposta do sr. Alckmin de que seus filhos estudaram em Brasília boa parte do tempo, Mercadante não se acanhou: disse que os filhos dele, devido à péssima qualidade das escolas públicas (paulistas, supõe-se), estudaram em escolas particulares. O que o PT fez para melhorar o ensino em São Paulo? O sr. Mercadante fez alguma coisa, além de colocar seus filhos para estudar bem longe das escolas públicas? E no restante do Brasil? O PT, há oito anos no poder, tem números consistentes para apresentar? Desafio-o a apresentar os números do Acre, por exemplo, onde o PT governa há 12 anos. Demagogia é ruim. Demagogia chulé é péssimo!

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

_______________________

RESOLVIDO

O problema da educação em São Paulo está resolvido. O Geraldo Alckmim vai colocar, de novo, o Paulo Renato como secretário. Agora vai!

Romilda Denise Belém Barbosa romildabarbosa@ig.com.br

São Paulo

_______________________

CURRÍCULO ESCOLAR

Instigada pelo conteúdo do comentário do professor da USP Amaury Cesar Moraes publicado no Forum dos Leitores (24/8), ouso comentar. Se os editoriais, como disse ele com sarcasmo, se socorrem da opinião de ''autoridades'' para falar com tanta ''desenvoltura'' sobre tema tão complexo como currículo escolar, eu, como simples cidadã e leiga no assunto, posso dizer com tranquilidade que é pelos resultados de uma receita que se reconhece sua qualidade na prática. E de alguns anos para cá, quando se resolveu ideologizar os métodos pedagógicos e de conteúdo curricular, os resultados são simplesmente catastróficos. Como avó, surpreendi-me ao ver meu neto de 7 anos e cursando o terceiro ano do ensino fundamental, estudando para a avaliação na escola: tentava guardar os nomes de alguns povos da Guiné-Bissau, tais como bijagós, mandingas e balantas. Sem dúvida, o professor Amaury considera tais informações para uma criança de 7 anos fundamentais para o seu futuro... Ah! Concordo que jornais não servem mesmo só para informar. Ajudar a formar opiniões também é util num mundo em que, por décadas, educadores introduziram - com firme determinação - pensamentos tão monolíticos quanto neolíticos nas cabeças agora irrecuperáveis de seus, então, estudantes... Ler jornal de qualidade e editoriais que exprimam um livre pensamento é , portanto, um tipo de vacina contra esse mal.

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

_______________________

ALCKMIN X MERCADANTE

O senador Aloizio Mercadante é, de longe, infinitamente superior ao seu adversário Geraldo Alckmin. Mercadante demonstra clareza, objetividade e um conhecimento bastante acentuado da nossa realidade econômica. Alckmin, por sua vez, só pode se calar diante de tudo o que representa: um atraso político incomensurável.

Infelizmente, no Estado de São Paulo nunca prevaleceu o bom senso, vide as pesquisas para o Senado, onde aponta provável vitória de Orestes Quércia. Vejamos, outrossim, o malufismo, ainda bastante presente em nosso meio.

São Paulo é, em termos eleitorais, o maior colégio do País, porém, em termos de eleitores, os mais atrasados do mundo.

Anselmo Fernando Grecco fer.grecco@yahoo.com.br

Votorantim

_______________________

DESESPERO DOS TUCANOS

No desespero, a tucanada começou a bater no PT. Enquanto o candidato Alckmin posa de anjinho, a baixaria corre solta. O pessoal manda cartas para os jornais, xinga por e-mail e Twitter. Será o medo de uma derrota dupla? Serra está mal nas pesquisas (vai ter de pular muito de bung jump se quiser subir). E é bom lembrar, tucanada: o Alckmin já foi gongado pelo eleitor mais de uma vez. Admitam: os dias de mandos e desmandos em São Paulo estão com os dias contados. O povo agradece!!!

Elizeu Gonzaga eggonzaga@uol.com.br

São Paulo

_______________________

LULA QUER ELEGER MERCADANTE

Com a eleição de seu poste garantida, o presidente Burla agora quer derrubar o Alckmin e eleger Mercadante para governar São Paulo. Não duvido que consiga, nosso Estado mostrou ter mais analfabetos e migrantes de outros Estados do que imaginávamos. As pesquisas eleitorais feitas aqui já mostram a dupla Martaxa e Dilma liderando para o Senado e a Presidência. Falta só governador, uma situação jamais pensada pelos ''iluminados'' do PSDB...

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

São Paulo

_______________________

TALHADO

Sóbrio, competente, sério, direto, elegante, afiado. Geraldo Alckmin é o cara, Deo gratias!

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

_______________________

O IRREVERSÍVEL QUE NÃO FOI IRREVERSÍVEL

O melhor para São Paulo é o sr. Geraldo Alckmin: governa com seriedade, age com coerência. O sr. Mercadante me passa uma impressão diferente, principalmente a partir de quando votou na sustentação da continuidade do sr. José Sarney na presidência do Senado, no auge dos escândalos no Senado Federal. É um político que não cumpriu com a palavra: quando disse que deixaria a liderança do governo no Senado, e seria irreversível. O irreversível que não foi irreversível.

Além disso, a política equivocada de investimentos do governo federal e do PT, que acham que os investimentos devem ser estatais. Tomemos como exemplo a capitalização do BNDES. O governo emprestou ao banco R$ 180 bilhões, sendo R$ 100 bilhões em 2009 e R$ 80 bilhões este ano, a juros subsidiados, menores do que os praticados no mercado financeiro (6%). Por outro lado, o governo capta recursos no mercado financeiro a preço de mercado, ou seja, a taxa Selic de 10,75% ao ano. Decisão esta que acarretou, lamentavelmente, o aumento da dívida pública e, consequentemente, aumentou também os seus custos. Dívida esta que, no final do mês de julho, atingiu por volta de R$ 1,6 trilhão. Enquanto isso, o governo federal deixa de investir no setor público: saúde, educação. Só para se ter uma idéia, segundo o IBGE, metade dos municípios brasileiros, em 2008, ainda usavam lixões a céu aberto como destino para os resíduos sólidos. Aliás, são atitudes como esta que tornam o Brasil um dos países com menor índice de investimentos públicos da América do Sul.

Francisco Aureny Braz franbraz55@estadao.com.br

Barueri

_______________________

RECONHECIMENTO

Parabéns, governador Geraldo Alckmin! O senhor está tendo o reconhecimento do eleitorado paulista pelo seu ótimo governo no Estado. Se a eleição fosse hoje, teria 50% dos votos!

Cléa M. Corrêa cleacorrea@uol.com.br

São Paulo

_______________________

ALCKMIN QUER CORRIGIR...

Existem três hipóteses na fala do político: propositadamente omite a verdade; desconhece aquilo que diz; alimenta-se de pesquisas erradas.

O candidato Alckmin insiste, desde o tempo em que era governado de São Paulo, em dar conotações erradas a quanto ganha o delegado de Polícia do Estado.

Aposentado com 37 anos de serviços prestados à polícia na qualidade de delegado, o meu salário bruto não chega a R$ 9 mil reais. Portanto, absolutamente fora dos parâmetros manifestados por Sua Excelência. Jamais um delegado de Polícia em início de carreira ganha mais de três e mil e poucos reais. A Associação dos Delegados de Polícia,querendo, tem absolutas condições de desdizê-lo.

O sr. Alckmin nutre pela polícia (como se fora ela a culpada pelo exílio suntuoso de muitos, que hoje ocupam cargos políticos neste país, tiveram) o desdém de administradores que teimam em sucatear a segurança pública do País.

Vendeta errada!

Mauro Evaldy de Souza, delegado de polícia aposentado mauroevaldy@terra.com.br

Paulínia

_______________________

RECLAMAÇÃO

Sr. candidato Alckmin, o senhor está sabendo que a Secretaria da Fazenda e alguns desembargadores do TJ-SP estão negando aposentadoria complementar a muitos aposentados da Cesp (Lei 4819/58)? A lei foi editada para ser cumprida INTEGRALMENTE. Em tempo: tenho o número do processo comprovando a improcedência da ação.

Lineu Garbi Gouvêa lineu.garbi@itelefonica.com.br

São Paulo

_______________________

''FORA DA LEI''

O salário do Lula sai dos impostos que eu e outros milhões de brasileiros pagamos. Ele não é pago para ser cabo eleitoral do Mercadante, num profundo desrespeito ao povo paulista, que é quem mais paga impostos neste país e as pesquisas demonstram que não querem esse candidato, aliás, já o conhecemos bem.

Porém o mais grave nisto tudo é o silêncio da Justiça.

Carlos Eduardo Stamato dadostamato@mdbrasil.com.br

Bebedouro

_______________________

BNDES PAULISTA

O sr. Mercadante propõe a criação de um BNDES paulista. Muito boa ideia, principalmente para quem ficou mamando em Brasília este tempo todo no Senado. Por que não propôs isso antes, se sabia que é necessário? O sr. Mercadante foi aquele que recriminou Sarney e, depois de um puxão de orelha do Lulla (como moleque arrependido), voltou atrás na defesa de José Sarney, no episódio dos atos secretos (ainda nada resolvido) no Senado. Será que o Lulla deixaria você governar sozinho?

Mauricio Villela mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

_______________________

O vice de Mercadante

Não bastasse o governo Lula e o PT apoiarem as Farc, que apoiam o narcotráfico... Mas daí a escolher para candidato a vice-governador na chapa de Aloísio Mercadante um cidadão chamado COCA FERRAZ parece provocação.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

_______________________

MERCADANTE NÃO LUTOU POR NÓS

Meu caro Aloizio, você sempre foi meu candidato, em face da minha amizade com seu pai. Mas por que só agora o amigo está pensando em São Paulo? Querendo criar um BNDS para nosso Estado? Por que, como senador por São Paulo, o senhor não pensou nisso antes? Será que foi porque poderia ajudar o partido que estava no poder? Neste caso, V. Sa. colocou os seus interesses partidários acima do povo de nosso Estado! Aconselho-o, como seu eleitor, a listar quais foram seus projetos e ações que beneficiaram o Estado de São Paulo, ao invés de só agora pensar em nós. O governo federal nos últimos anos financiou estradas, portos, refinarias e outras benesses a Cuba, Bolívia, Equador e vários países pelo mundo. Mas sempre que São Paulo precisava de dinheiro para o Rodoanel, Metrô, estradas, saúde, segurança, portos, etc., V.Sa. não lutou por nós. Por que só agora, conforme constou, sexta-feira 20/8 no Estadão (que está sob censura) na primeira página?

Claudio Szulcsewski Email-claudio@trainnet.com.br

São Paulo

_______________________

ESTRADAS E PEDÁGIOS

Mercadante & Cia. batem doído no PSDB paulista sobre o valor cobrado nos pedágios. A resposta a eles é dada mostrando a diferença entre os tipos de concessões das estradas pedagiadas. Aqui a empresa concessionária tem de aplicar dinheiro para real manutenção das vias e construções de outras. Resultado disso é que, das 10 melhores estradas do Brasil, 10 estão em São Paulo! O dinheiro do Estado vai para outras obras de infraestrutura, saúde, educação e segurança. Quanto aos ''pedágios baratos'' em rodovias federais, basta a leitura em dois artigos de um grande jornal de 23/8: ''Investimentos atrasam em rodovias concedidas por Lula'' - só 25% do previsto foi aplicado até junho. Ou: ''Artifício infla desconto de pedágio em estradas federais''. Nos mesmos artigos pode ser verificado que em alguns trechos as Rodovias Régis Bittencourt e Fernão Dias estão um desastre, chegando ao cúmulo de, num trecho da Fernão Dias, ter de se interromper o tráfego de caminmhões entre 14 e 22 horas de domingos e feriados. A fonte foi a ANTT, que informa também que o governo usou dados defasados ''para não atrapalhar o andamento do PAC, coordenado pela então ministra Dilma Roussef''. Lembremos que a Rodovia Presidente Dutra é federal e cobra R$ 9,20 em praças de pedágio no Vale do Paraíba! Enquanto isso, a cria do chefe sobe nas pesquisas!

Éllis A. Oliveira elliscnh@estadao.com.br

Cunha

_______________________

PEDÁGIOS E GASOLINA

Mercadante e Lula têm criticado o valor dos pedágios das estradas de São Paulo, que, a bem da verdade, são as melhores do Brasil. É claro, eles estão fazendo de tudo para penetrar no nosso Estado, mas, certamente, não o conseguirão, novamente. Agora pergunto: como eles podem explicar o valor cobrado pela gasolina que usamos, uma das mais caras do mundo, de qualidade duvidosa, sobre a qual incide um imposto de 42%? Os pedágios de nossas estradas podem ser até elevados, mas o preço da gasolina, alto como é, influi nos altos preços de tudo, pois como o governo não fez estradas de ferro para escoar a nossa produção, tudo vem por estradas de rodagem (as federais são lamentáveis), em veículos movidos a gasolina ou diesel. E mais, um senador que nada fez por seu Estado, nunca foi convidado por Lula para sequer um Ministério, o que pode fazer por aqui? Perder novamente essa eleição e perder o cargo no Senado Federal... Ainda bem.

Carlos E. Barros Rodrigues cebr2403@gmail.com

São Paulo

_______________________

CARA DE PAU

O sr. Lula, num de seus intermináveis discursos, lembrando seus dias de sindicalista, afirmou: "Isto é roubo" - ao se referir, o preço dos pedágios nas estradas paulistas. Gostaria de informar ao sr. Lula, que, como paulista, prefiro ser ''roubado" e andar em estradas de Primeiro Mundo e bem conservadas, que, em última análise, ajudam a economizar em combustível e peças, a transitar pelas estradas federais, de responsabilidade de seu governo, na maioria esburacadas, sem conservação e, o que é pior, servindo para desvio de recursos. Portanto, na ânsia de alavancar a candidatura da sua criatura à Presidência, e do seu fiel servidor Mercadante, ele e o PT saem atirando para todos os lados, com a maior cara de pau. É bom o sr. Lula e companheiros saberem que nós, paulistas, não vamos cair nesse conto, pois a maioria já escolheu o caminho a seguir, que estabelece ética, administração eficiente, não-aparelhamento do Estado, trato correto com o dinheiro público, a não-enganação com os PAC 1, PAC 2, trens-bala e outros projetos que servem para ludibriar a população carente de informação.

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_fortes@hotmail.com

São Paulo

_______________________

TIROCÍNIO X LATROCÍNIO

O governador de São Paulo, Alberto Goldman, reagindo às vergonhosas críticas do presidente aos preços dos pedágios no Estado: ''Se aqui é um roubo, na área federal os pedágios são latrocínios, ou seja, assalto seguido de morte. Nas rodovias federais há pedágios, mas nenhuma segurança. Cobra-se pedágio para absolutamente nenhuma obra ser feita.'' Seria prudente que o eleitor paulista se lembrasse dessa verdade cristalina na hora de votar e se orgulhasse das estradas estaduais paulistas, tão invejadas por outros Estados.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

_______________________

ESTRADAS PAULISTAS X FEDERAIS

Ao contrário do que disse Lulla em comício, os pedágios das estradas paulistas não são um roubo, pois há retorno aos usuários em excelente qualidade de serviços e segurança. Já a situação das estradas federais é um entrave à economia do País e um verdadeiro homicídio cometido contra os usuários.

Jorge Manuel de Oliveira jmoliv11@hotmail.com

Guarulhos

_______________________

ESTELIONATO

O presidente Lula disse que os pedágios cobrados nas rodovias de São Paulo são um roubo. Quero aproveitar a oportunidade e dizer de outro furto diário mais grave do que os pedágios. Se pegarmos um extrato bancário mensal de um aposentado, aí, sim, vocês vão ver como furtivos são os banqueiros. Minha sogra entrou no crédito consignado e a atendente lhe enfiou pelas costas um título de capitalização; aos 72 anos, com deficiência visual e sozinha, imaginem o que aconteceu? Quando fui ao banco saber de que se tratava, a funcionária me entregou um papel como se fosse um contrato, sem assinatura alguma, nada que demonstrasse a venda casada. O MP devia fazer um levantamento de todos os casos de crédito consignado e ver que a maioria está entrelada a um título de capitalização. Isto, além de desrespeito ao Código do Consumidor, é estelionato ou não?

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@ibest.com.br

Guarulhos

_______________________

PERGUNTAS SEM RESPOSTAS

Difícil acreditar em políticos, inclusive quando eles já governaram e querem voltar. Quem ocupou o cargo tanto tempo e não conseguiu fazer nada relevante merece voltar? Quércia e Alckmin estão de olho no meu voto. Alguém se lembra do que eles fizeram de bom? Merecem voltar por quê?

Abenildo Alves dos Santos abnildoaalves@hotmail.com

São Paulo

_______________________

MÁFIA PETISTA

Talvez como legado do aprendizado de muitos da cúpula do PT com a KGB, serviço secreto da antiga União Soviética, porque por lá estiveram durante o regime militar, é que nesta gestão do Lula, além de uma corrupção jamais vista no Brasil, eles se especializaram em fabricar falsos dossiês contra opositores e, criminosamente, também bisbilhotam e quebram o sigilo fiscal dos contribuintes.

Isso ocorreu com Eduardo Jorge Caldas Pereira, que, como secretário da Presidência durante o governo FHC, já tinha sido denunciado levianamente por um membro do Ministério Público filiado ao PT e teve recentemente seu sigilo fiscal vasculhado pela Receita Federal. E agora mais três tucanos: um ex-ministro das Comunicações, um ex-diretor de BB e um cidadão casado com a prima do José Serra. Objetivo claro de fabricar mais um deplorável dossiê.

Tudo devidamente comprovado, já que a Justiça autorizou Eduardo Jorge a ter acesso aos tais excrescentes documentos.

Não é invenção da oposição. É um fato grave, prática comum neste governo Lula, que tem mandado às favas a ética e o respeito aos cidadãos brasileiros.

Será que agora, com todas estas provas, o PSDB e seus aliados vão reagir e exigir responsabilidade institucional do Lula? Até aqui o presidente se configura cúmplice desta esbórnia, porque nem sequer demitiu o secretário da Receita Federal!

Será que a passividade dos tucanos vai continuar também desta vez, da mesma forma que se acomodaram no mensalão do PT, nos dossiês do Mercadante, da Dilma, etc., para indignação da sociedade, já que são nossos representantes, e como tal se omitiram?

Chega de tanto vandalismo petista e sono profundo da OAB, oposição e entidades representativas...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

_______________________

RECEITA VASCULHANDO

Isso não pode ficar assim e acabou. É muita, mas muita sacanagem. Coisa de covardes.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

_______________________

VACINA PERIGOSA

A irresponsabilidade do governo Lula chegou ao reino animal. Foram registradas mortes de animais e 567 reações adversas (sendo 38% delas graves) à vacina antirrábica fornecida pelo Ministério da Saúde aos municípios. E o Ministério da Saúde ainda assim insiste que a vacina não tem problema, nem se mexe. Quem está investigando o caso é a Secretaria de Saúde do governo de São Paulo!

Aliana Cândida Silva alianacandida@yahoo.com.br

São Paulo

_______________________

MUNDO INTEIRO VEM SE TRATAR AQUI

''Portuguesa se cura de câncer em São Paulo''. O povo brasileiro todo está focado num encantamento do Lula e vai cometer um engano votando na Dilma. Infelizmente, ela será dirigida por mensaleiros do PT e a chance será jogada no lixo de termos um megapresidente na área de saúde. Além das outras vantagens do Serra, o Brasil certamente teria, enfim, sua entrada para o Primeiro Mundo. Teríamos na saúde pública a segurança de termos a coisa mais importante resolvida. Sei lá, de repente, um milagre e o Brasil sente por intermédio de São Paulo... Não é possível que o resto do Brasil não veja que o Serra, sendo de São Paulo, se fosse medíocre ou regular, não teria a votação que tem, seria aqui sua rejeição, óbvio. Aliás, o PSDB não está aproveitando esta situação para ainda tentar reverter esse quadro lamentável e sem noção de Dilma ganhar no primeiro turno. O que é que é isto?!

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@hotmail.com

Cotia

_______________________

FUNDOS DE PENSÃO DE ESTATAIS

Quem decide onde aplicar os recursos - que não pertencem à União, e sim aos funcionários das estatais? Ontem, na página B3 do Estadão, chamou-me a atenção: Previ, Petros e Funcef vão entrar no trem-bala. E ao lado: !Fundos estão quase sempre onde capital privado não vai''. Por que será? As consequências são conhecidas: quando os fundos quebram, a União (sem a nossa autorização, dos contribuintes) usa recursos do Tesouro e cobre os rombos. E aí, como é que fica? Onde estão os fiscais do governo, o Congresso Nacional?

Jairo Silvestre dos Santos jairo-silvestre@uol.com.br

Jundiaí

_______________________

GENTE QUE NÃO É ''DO RAMO''

A convite da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base, em meio a um costumeiro ''comício'', o presidente Lula, depois de culpar TCU e outros órgãos e pessoas por tudo o que não anda segundo seus anseios, saiu com uma frase de muito significado: ''Se vocês tivessem de passar por todo controle que o governo passa para fazer uma obra, vocês não conseguiriam nem colocar o telhado de suas fábricas.'' Claro, não entregariam suas obras pra gente que ''não é do ramo'', ao contrário do governo, que entregou tudo para ''cumpanheros'' sindicalistas. É assim simples. Nenhuma surpresa.

Mario Helvio Miotto Piracicaba mhmiotto@ig.com.br

São Paulo

_______________________

ASSINOU SEM LER, DE NOVO?

Como se explica uma medida em que o governo federal - via Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Portaria 148, de 17 de junho de 2010, pelo coordenador-geral de Zoneamento Agropecuário, o sr. Gustavo Bracale - determinou que na região de Jales, Fernandópolis, Votuporanga, São José Rio Preto e até General Salgado (SP) fosse cortada o financiamento e incentivo à plantação e custeio aos produtores rurais? A alegação é de que estes não se enquadram no zoneamento agropecuário de 2010 por causa do clima quente, causando inquietação, medo nas famílias que há anos são produtoras e deixando à deriva e à própria sorte aqueles que são os melhores produtores do mundo, pois, além das intempéries do clima, ainda têm de lidar com um governo que deveria incentivar, mas faz o contrário, uma região produtora de fruta -- diga-se de passagem, das melhores do País, que abastece os mercados de São Paulo e grandes redes de outros Estados, gera milhares de empregos diretos e indiretos, trabalha com grandes empresas fornecedoras de insumos, profissionais especializados na área. E agora o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento simplesmente alega que não é viável a produção da fruta por causa do clima quente?

Ninguém desse Ministério tem acesso a informações como: se não se podem produzir laranjas ali, o que pode? Nem a cana poderia, então, pois a região ainda produz uva, banana, manga, limão, além de outras frutas e todo tipo de hortaliça. Quantas associações de produtores de laranja existem na região? Quantos compradores existem ali? Há quantos anos a região é produtora? E os transportadoras e apanhadores? Mais ainda: qual é a qualidade da fruta que sai dali?

O sr. Gustavo Bracale responda, por favor, tem muita gente aqui aflita querendo resposta: foi o lobby da cana-de-açúcar, que tem mais força e para ter mais terras com cana convenceu o governo, em detrimento dos outros produtores? Ou será por que a candidata do governo deve ter poucos votos na região e é melhor dar dinheiro para o MST? Ou: como foi assinado? Foi sem ler, resposta habitual do governo federal?

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

_______________________

GUERREIRA OU GUERRILHEIRA, TUDO É DILMA

Veja se não é contraditório: querem marcar a presidenta Dilma Rousseff

como terrorista. Ela nunca foi terrorista, pois à época qualquer manifestação

contra o regime ditatorial era imediatamente catalogada como terrorismo.

Quando então o regime podia soltar sua matilha treinada em matar e torturar

acima da Lei. Dilma, na inexperiência de seus 18 anos, mas já uma mulher

madura, sabia o que combater. O arbítrio, as injustiças, as perseguições

políticas. Pagou caro por suas convicções. Convicções que mantém até hoje.

Mas hoje ela pode mudar as coisas.

Naquela época todos eram terroristas: Serra, Fernando Henrique, Aloysio, Sergio

Motta, José Aníbal e notadamente Mário Covas.

A crucial diferença foi que Dilma "encarou".

Os outros, no entanto, optaram e conseguiram - sabe-se lá por quais canais - um

doce e confortável exílio em outras plagas, regado aos melhores vinhos e queijos

e com subsídio estatal.

Entendo que qualquer exílio é doloroso, pois nos furta do convívio no solo pátrio.

Assim, mirando todos que aí estão, parem com essa hipocrisia de "guerrilheira".

Dilma galgou, dentro do regime democrático, postos importantes e que desmentem e desqualificam a tarja de inexperiente. Foi secretária de Estado, tem nível superior, foi ministra de pasta importante, culminando com a indicação para ministra da Casa Civil. Por que ela foi escolhida? Todos sabemos que o presidente Lula é homem de visão e tino.

Acompanhando a propaganda eleitoral, vejo a oposição repetir o erro.

Enquanto Dilma propaga o que fará em continuidade ao governo do presidente Lula e em prol do povo do País o que faz a oposição? Compara, compara, como se fosse possível comparar. Aponta erros num governo de oito anos e que estão presentes nos seus 16 anos de governo. Mas, já que gostam de comparar, vejam as realizações no País como um todo e as realizações num Estado que é omais rico da União e que poderia, por seu poderio financeiro, realizar mais.

Mas 3 de outubro está perto. Teremos 37 dias no calendário de 2010

para nos prepararmos.

Wanderley F. Rocha wanderleyrocha@vivax.com.br

Guarujá

_______________________

CICLO AUTORITÁRIO

Parabéns ao Estadão por seus articulistas Carlos Alberto Di Franco, Bolívar Lamounier e a cronista Dora Kramer. Carlos relata o famoso vídeo em que Lula mostra sua cara (licença, Cazuza), em companhia do não menos "autêntico" Sérgio Cabral, ao insultarem o menino pobre que apenas exige seus direitos, como gostar de jogar tênis, coisa que todo brasileiro deveria exercitar. Bolívar, magistralmente, retrata o sombrio futuro do Brasil se Dilma for eleita, originando um ciclo autoritário de controles de mídia, de audiovisuais, configurando no famigerado e, ao mesmo tempo, tão almejado terceiro mandato, fazendo corar de inveja os "hermanos" bolivarianos do Foro de São Paulo. E Dora cita depoimento de Lula ao elogiar a imparcialidade de FHC na eleição de 2002. Os três textos são complementares no sentido de indagar o porquê da altíssima aprovação de Lula nesse Brasil brasileiro. Esse contingente de aprovadores, por acaso, lê jornal?

Marcos José de Freitas e Silva marcosjfreitas@uol.com.br

Praia Grande

_______________________

ELEIÇÕES

Dilma, que parecia empacada, agora virou um puro-sangue. Disparou na frente e deixou o Serra comendo poeira, e que parece montando um pangaré. E não se esqueça: você pode votar em dois candidatos a senador.

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

_______________________

TIME DE CONSELHEIROS

Dilma Rousseff, caso eleita "presidenta", pretende montar um time de conselheiros. O treinador deverá ser o Lulla, afinal de contas, ele entende de qualquer assunto melhor do que ninguém. O resultado é previsível, em oito anos de desgoverno essa dupla não construiu uma só hidrelétrica de porte, e o Brasil precisa e tem condições de crescer ao ritmo de uma Itaipu por ano.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

_______________________

SERRA

Cadê a força do nome Serra? Ele está ''serrando'' alguma coisa?

Cheguei a uma triste conclusão: Serra não quer ser eleito!

Ao invés de andar pelo Brasil, permanece em São Paulo, parecendo feliz se conseguir eleger Alckmin.

Gostaria até de estar enganada, mas, pelo visto, é esta a realidade.

Uma pena mesmo!

Élide Maria Féres Borges elideferes@uol.com.br

Marília

_______________________

INAPETÊNCIA

"Não tenho o menor interesse por pesquisas." Parece que Serra, de fato, não tem o menor interesse em ser eleito para nada. Perde eleições ''praticamente ganhas'', não termina o que começa quando eleito, etc., etc. É apenas um equívoco eleitoral do partido dos "pavões", que, na realidade, escolheu o pássaro errado para representá-lo.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

_______________________

SOLUÇÃO

Para alavancar a candidatura do Serra, só o Pânico na TV.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

_______________________

SUPOSTO ASSASSINATO DE YVES HUBLET

Em 27 de julho, em passagem por Brasília, o escritor curitibano que deu uma bengalada no então deputado José Dirceu, na ocasião envolvido no processo do mensalão, foi detido e levado à prisão onde faleceu logo em seguida. Fato estranho é que seu corpo foi imediatamente cremado, mesmo antes do início de investigação sobre a causa mortis. Seria interessante saber quem deu a ordem para a cremação e se havia autorização legal para tanto. A impressão que se tem é de que a cremação foi determinada para esconder as provas de um eventual assassinato.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

_______________________

CENSO SEM SENSO

Não sei se o assunto é de relevância para a maioria dos leitores deste país, mas acredito que seja um assunto de responsabilidade social e, para mim, trata-se de um assunto de grande importância. Esteve ontem em minha residência a representante do Censo 2010.

Pergunto o meu nome e o do meu marido pela metade (somente primeiro e último), data de nascimento, renda em julho, se o apartamento era próprio e se estava quitado. Também perguntou se havia alguém residente no exterior ou falecido (?)... E só.

Pedi para constar meu grau de escolaridade e do meu marido, além das nossas profissões, se estávamos empregados no momento e nossa religião.

Ela respondeu que essas perguntas só aparecem para alguns sorteados e que eu não poderia ter esses dados registrados. Não assinei.

Quero ter o direito de ser reconhecida verdadeiramente neste censo. Quero ter o direito de escolher, quando não "sorteada" a opção de responder ao questionário na sua íntegra. Não sei a quem recorrer, mas sei que deve haver cidadãos que também queiram um retrato verdadeiro do nosso país, além de vermos justificado todo o gasto com este processo, através de um trabalho de pesquisa e coleta de dados consistentes.

Quero responder ao Censo 2010 completo!

Mônica Gibin monica@gibin.com.br

São Paulo

_______________________

SEAN CONNERY

Apreciei o texto do Luiz Carlos Merten sobre a carreira de um ator que protagonizou filmes que encantaram minha adolescência com o personagem James Bond, o agente 007. Gostaria, contudo, de preencher uma lacuna que o articulista deixou: um filme com uma história muito bonita, talvez um dos primeiros de que Sean Connery participou, foi ''A lenda dos anões mágicos''. É um agradável entretenimento assisti-lo, se estiver disponível em locadoras.

Caiuby Luciano Gomes caiubylgomes@yahoo.com.br

Botucatu

_______________________

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.