Cartas - 27/07/2010

TREM-BALA

, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2010 | 00h00

Devaneio

É deprimente constatar que o devaneio do trem-bala está sendo levado a sério pelo governo e com estimativas de custo cada vez mais altas (Trem-bala pagaria 300 quilômetros de metrô, B7). Parece-me que esse projeto está sendo conduzido puramente com o intuito de mostrar que o Brasil pode ser igual aos países desenvolvidos. Infelizmente, um trem-bala interligando três cidades com péssimos sistemas de transporte público (São Paulo, Rio e Campinas) dificilmente será usado em sua plena capacidade. Recentemente tive a oportunidade de viajar no trem que liga Paris a Londres e em ambos os destinos os passageiros descem do trem-bala em estações que são enormes terminais de metrô e outros trens de velocidade mais modesta, permitindo o acesso rápido a qualquer ponto dessas cidades e de muitas outras vizinhas. O governo espera que os executivos que fazem a ponte aérea Rio-São Paulo passem a usar o trem-bala e se deslocar dentro de São Paulo em ônibus no corredor eternamente congestionado da Avenida Rebouças, por exemplo? Governos federal e estaduais, por favor, façam sistemas de transporte público dignos para as grandes metrópoles antes de mergulharem num projeto com tantas possibilidades de se tornar mais um elefante branco.

PEDRO TIZEI

ptizei@gmail.com

Campinas

____________________________________

Irresponsabilidade

A reportagem de Renée Pereira (25/7, B7) nos dá conta da enorme irresponsabilidade do governo federal ao tentar de todas as formas levar avante o projeto do TAV. No País só 47% dos habitantes se beneficiam de algum tipo de canalização e tratamento de esgoto. Nossa vizinha Guarulhos (1,1 milhão de habitantes) despeja in natura toda a sua carga de dejetos industriais e domésticos no Rio Tietê. Mas fotos de viagem inaugural ou mesmo do lançamento do projeto rendem mais votos e inflam mais o ego dos nossos pequenos homens.

LUIZ CARLOS HUMMEL MANZIONE

bidet100@gmail.com

São Paulo

____________________________________

Enriquecimento rápido

Pela forma como está sendo tratada a questão do trem-bala, sem dúvida nenhuma este se transformará no veículo mais rápido já criado no Brasil para encher os bolsos e produzir o enriquecimento ilícito de muitos no menor espaço de tempo possível. Está-se falando, apenas, em mais de R$ 30 bilhões, só para começar...

DAVID NETO

drdavidneto@drdavidneto.com.br

São Paulo

____________________________________

Inviável?

Será que agora vamos ter (nós, o povo) de subsidiar também a passagem do trem-bala, assim como a tarifa de energia de Belo Monte? Vale tudo para eleger Dilma Rousseff?

ULYSSES F. NUNES JUNIOR

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

____________________________________

FÓRMULA 1

Decepção

Até agora estou aborrecido com o procedimento do Felipe Massa, obedecendo à ordem do engenheiro da equipe da Ferrari para deixar o espanhol Fernando Alonso passar. Aliás, esse piloto, que ainda despertava alguma simpatia para suceder a um Ayrton Senna, um Nelson Piquet ou um Emerson Fittipaldi, se revelou uma imensa decepção. Entenderia como jogo de equipe se fosse para se conseguir algum título, mas só porque o outro reclamou? Com seu procedimento passou o recibo de ser um piloto de segunda classe, repetindo o Rubinho Barrichello. Acho até que os dois deveriam convocar a nossa imprensa e fazer uma declaração: "Esqueçam o Senna, o Piquet, o Fittipaldi, campeonato de Fórmula 1; nós estamos aqui para ganhar dinheiro (o que ambos fazem com muita competência), agora acho que a torcida deveria procurar outro esporte (sic) para torcer, no qual as coisas não são feitas mediante arranjo de bastidores." Eu, pelo menos, deixarei de "torcer" (as aspas são minhas) e arranjarei algo mais interessante para fazer nas manhãs de domingo.

CARLOS TULLIO SCHIBUOLA

schibuolact@ig.com.br

São Paulo

____________________________________

Ultrapassagem

A Ferrari foi multada porque o Alonso ultrapassou pela direita? Quantos pontos? Massa, o Dunga da Fórmula 1.

OLICES BETTIOL

obettiol@gmail.com

Diadema

____________________________________

Complexo de vira-lata

Decepcionei-me com o Felipe Massa, por quem sempre torci. Ele deveria ter dado uma banana para sua equipe e para o Alonso, este sempre o prejudicou na carreira. Massa fez valer aquela velha tese de Nelson Rodrigues, do complexo de vira-lata dos brasileiros. Senna ou Piquet teriam comprado essa briga, afinal, para ser um campeão às vezes é preciso enfrentar a própria equipe. De agora em diante Massa é só mais um Barrichello na Fórmula 1.

SANDRO FERREIRA

sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

____________________________________

VÔLEI

Eneacampeonato

É impossível deixar de ressaltar a brilhante conquista da seleção brasileira de vôlei masculino. Ao conquistar o eneacampeonato da Liga Mundial, o time comandado por Bernardinho mostrou que sem badalação, salários milionários e amordaçamento para a imprensa, mas com empenho e dedicação, pode-se chegar longe. Parabéns, Murilo, Giba, Bruno, Leandro, Mario Junior, Theo e companhia!

RICARDO GRANATOWICZ

ricgrana@terra.com.br

São Paulo

____________________________________

Trabalho em equipe

Parabéns à seleção de vôlei, a primeira eneacampeã (9 vezes) da Liga Mundial! Mais uma vez foi demonstrado que só com trabalho em equipe um time pode, de fato, ser campeão. Enquanto isso, a seleção pentacampeã de futebol dispensa comentários...

PAULO MARIANO M. FERRAZ

pmmferraz@hotmail.com

São Paulo

____________________________________

CENSURA

Triste aniversário

Dia 31 de julho, aniversário para não comemorar. Um ano de censura imposta ao Estadão porque ousou divulgar notícias sobre a Operação Boi Barrica, da PF. Quem não deve não teme.

ARCANGELO SFORCIN FILHO

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

____________________________________

"Até tu, Felipe Massa? Saudades de Nelson Piquet"

PAULO CÉSAR PIERONI / CAMPINAS, SOBRE A ORDEM DA FERRARI QUE GARANTIU A VITÓRIA DE ALONSO NO GP DA ALEMANHA DE FÓRMULA 1

pcpieroni@hotmail.com

"Negócios são negócios e esporte não tem nada que ver com isso..."

VICTOR GERMANO PEREIRA / SÃO PAULO, IDEM

victorgermano@uol.com.br

"Mano Menezes está voando bem alto. Será que terá asas até 2014?"

CÍCERO SONSIM / NOVA LONDRINA (PR), SOBRE O NOVO TÉCNICO DA SELEÇÃO DE FUTEBOL

c-sonsim@bol.com.br

____________________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 2.688

TEMA DO DIA

Mano convoca pela 1ª vez a "nova" seleção

Destaques são os "meninos" do Santos, a volta de Pato e Marcelo, além de 4 que jogaram na Copa

"Ele é um cara sério. Merece crédito. O futebol será bonito e bom de ver. Quando o time se entrosar, teremos muita alegria."

ADEMIR NUNES

"Ainda se convocaram jogadores desconhecidos que atuam lá fora. Que o novo técnico tenha real autonomia no seu trabalho."

NELSON EMANUEL LEVY

"É o primeiro jogo do cara e já tem gente reclamando. Esse é o momento de testar e errar. E não fazer como o Dunga."

ANDERSON ARAÚJO

____________________________________

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o estadão.com.br                         

O QUE AGUARDA OS BENEFICIÁRIOS DO INSS

 

Se as medidas de alteração do regime previdenciário fossem do interesse das populações brasileiras mais carentes, o ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, não precisaria esperar o transcurso das eleições para implantá-las (certo está de que a situação será glorificada nas urnas). Propõe um único benefício previdenciário, como se o aposentado acidentado não pudesse acumular a aposentadoria com o auxílio-acidente. O aposentado não poderia continuar trabalhando, como se o valor da aposentadoria fosse suficiente para sua manutenção e de seus familiares. Os benefícios temporários seriam reduzidos, recrudescendo as agruras, por exemplo, de quem recebe auxílio-doença. Os servidores federais passariam a receber os escandalosos benefícios do regime geral, o que ensejaria uma evasão do funcionalismo. O regime rural seria repassado ao Tesouro Nacional, que, provavelmente, daria seus calotes. E nenhuma palavra sobre o enxugamento da máquina administrativa do INSS, cuja atividade-meio consome mais recursos do que a atividade-fim. Ou sobre uma salutar descentralização desse monstrengo continental que é a Previdência Social brasileira. Eis o que espera os contribuintes e beneficiários da Previdência.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

__________

 

 

PENSÕES HERDADAS

 

 

"Previdência estuda o fim das pensões herdadas" (24/7, B8).

Mais uma vez o governo estuda como arrochar ainda mais os "magníficos" beneficios concedidos pelo INSS.

O governo deveria estudar por que os aposentados do INSS não recebem seus benefícios baseados no último  salário da ativa, como recebem os servidores públicos.

Deveria comparar os valores médios dos benefícios do INSS (R$ 800) e do funcionalismo (R$ 13.000).

Deveria comparar o déficit da previdência urbana, de R$ 36 bilhões em 2009, que beneficiam 27 milhões de trabalhadores da iniciativa privada, aí incluídos 8,1 milhões de aposentados rurais que nunca contribuíram, com o déficit da previdência pública, de R$ 47 bilhões no mesmo ano e que beneficiam somente 937 mil servidores.

Vale lembrar que, se considerados somente os benefícios dos trabalhadores contribuites do INSS, não existe déficit, neste caso a "carteira" se sustenta sem necessidade de nenhum aporte de capital do governo.

Gustavo Guimarães da Veiga gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

__________

 

 

"O QUE HOUVE DE NOVO COM O BRASIL"

 

O sucesso do agronegócio brasileiro torna-se ainda maior quando lembramos o emaranhado de leis que atormentam o produtor, e que este governo, ao mesmo tempo que demoniza o agronegócio, faz o possível para se apropriar desse sucesso e segue torrando a riqueza gerada em caprichos ideológicos e até mesmo para mimar a maior praga que já atingiu o campo na história deste país: o MST. Os números apanham muito nas tentativas de justificar os milhões de hectares e montanhas de recursos dissipados nos assentamentos de reforma agrária, bem como os subsídios indiretos generosamente destinados a essa organização desprovida de personalidade jurídica. O sucesso do agronegócio, que quando mais apanha mais trabalha, é um sucesso com muito suor e lágrimas, apesar dos pesares, apesar de você.

Antonio Cavalcanti da Matta Ribeiro antoniodamatta@ig.com.br

Guarulhos

 

 

__________

 

 

NOVOS ESTUDOS PARA O TREM-BALA

Domingo o Estadão trouxe novas informações e novas dúvidas a respeito do trem de alta velocidade. A insistência na manutenção do projeto ante as inconsistências técnico-econômicas o fazem cada dia mais reentrar na lógica publicitária da senhora Dilma Rousseff, que se autorga a maternidade do mesmo.Vários leitores contestam sua afirmação, entretanto acho que devemos aceitar este fato, pois esta obra faz parte da realidade virtual de tantos outros que dificilmente se tornarão reais. Pessoalmente vou deixar que a senhora candidata continue sonhando, pois também o signatário não menospreza os sonhos e hoje, quase octogenário, ainda espera poder brincar com o trenzinho elétrico que nunca conseguiu ter.

P.S.: No meio dialeto (Brescia), "bala" significa mentira.

Franco Magrini framagr@ig.com.br

Cachoeira Paulista

 

 

__________

 

 

VIABILIDADE DO TREM

Estudos do Ibemec contestam a viabilidade do trem-bala. Esta é a notícia divulgada no Estadão de ontem.

Sem desprezar esses estudos, digo que, mesmo sem me aprofundar na questão, a viabilidade desse trem já foi posta em dúvida desde o primeiro momento.

Se é interessante para Lula e seu governo, já podemos começar a questionar.

Ainda mais se os valores apresentados forem enormes, no caso bilhões de reais.

Isto porque vemos todos os dias seus discursos, inaugurações e lançamentos de obras sem continuação ou sem viabilidade.

Basta ver a Copa do Mundo, tão festejada pelos admiradores do futebol, mas nem um pouco analisada pelos brasileiros, que deveriam considerar se o dinheiro gasto para construção de estádios de duvidosa serventia futura não seria mais bem empregado nas áreas de saneamento, educação, infraestrutura e saúde, por exemplo, já que somos carentes de tudo.

No caso do trem-bala, que comparado com os da Europa e com as condições no Brasil não se paga, claro é que faz parte da campanha eleitoral.

Pergunto: quais as outras obras de infraestrutura seriam feitas para atender aos passageiros desse trem?

Ou as pessoas viriam do Rio para São Paulo em pouco mais de uma hora e na estação pegariam um táxi ou um ônibus e levariam duas, três horas no trânsito para chegar ao seu destino, como muitas vezes acontece no caminho dos aeroportos?

Se não houver coordenação de obras, não funcionará e o preço a se pagar continuará a ser muito alto.

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

__________

 

 

 

CAIU DO CÉU

Segurança, educação, saúde, saneamento, habitação popular e justiça são as prioridades do mais completo e profundo plano de ação do novo candidato à Presidente da República. De sua elaboração participaram profissionais experientes e da mais alta competência, que adotaram a eficácia e eficiência como norma de trabalho. Integraram as políticas entre si de maneira a explorar a sinergia que envolve esses setores, especialmente entre educação e saúde. A manutenção de um crescimento sustentável faz parte da política econômica que também se integra no Plano de Ação do novo candidato, com foco na expansão dos investimentos e da poupança interna, bem como na redução da carga tributária e no aumento da eficiência do setor público. Sua apresentação aos eleitores vai começar em breve, inaugurando o maior sistema de comunicação já visto em nosso País, sem jingles e aqueles palavreados, gestos e sorrisos ensaiados pelos marqueteiros responsáveis pela propaganda eleitoral tradicional. O candidato que caiu do céu estará disponível para debater suas propostas e revelar-se à população por inteiro, mostrando sua capacidade de liderança e competência em defendê-las. Enquanto isso, Dilma e Serra continuam com suas entrevistas e peregrinações. Aquela, como "construtora do projeto do trem-bala," revelando detalhes e mostrando filmes sobre sua beleza e encanto. E Serra, criticando as atuais políticas fiscal e monetária junto às classes produtoras. Acordo e constato ao ler os jornais que nenhum candidato novo caiu do céu. Somente Marina continua na terra com sua voz e seu discurso angelicais.

Eduardo J. Daros daros@transporte.org.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

EMPURRANDO, VAI!

O governo Lula fala agora em investir R$ 6 bilhões para corrigir os "gargalos" dos aeroportos. Mais algumas dezenas de bilhões para a construção do trem-bala, para desafogar os aeroportos e as rodovias. Só uma pergunta: se não tivéssemos a Copa em 2014 isso seria feito?

Odair Picciolli pedraseartes@suednet.com.br

Extrema (MG)

 

 

__________

 

 

 

"DECIFRAR O ENIGMA DILMA"

Parabenizo o sr. Carlos Alberto Di Franco pelo excelente artigo (26/7, A2), porém me permita discordar de seu último parágrafo, quando menciona o exemplo de Thomas Becket. Caro sr. Di Franco, o senhor se esqueceu apenas de que isso aconteceu na Inglaterra. O sr. acredita mesmo que alguém no Judiciário brasileiro vai deixar a sua brilhante carreira ou perder a cabeça para defender a nossa causa democrática?

Oxalá o senhor esteja certo, ou melhor, que não precisemos deste teste e vença o melhor candidato.

João Magro Ventura joaomv@terra.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

 

DILEMA

Dilma um enigma?! Nada disso. O que há é um dilema. Sendo eleita, Dilma não se aguenta na Presidência da República. Cai fora. Por saúde, por temperamento ou por pressão política. Teremos então seu vice (Temer) na Presidência. Será PMDB na Presidência da República (Temer) e PMDB no Congresso Nacional (Sarney). Talvez seja uma forma de enfrentar a atual "petetização" dos quadros públicos do País. "Petetização" que impede que os chefes do governo governem. Se não é do PT, o governador é boicotado pelos funcionários do PT. Os escalões do governo estão infestados de oportunistas políticos, filiados ao PT por conveniência. Não sou anti-PT nem anti-Lula. O PT é que se tornou anti-nós todos. Manteve a sigla, mas mudou o significado. Não é mais Partido dosTrabalhadores, mas dos Trouxas. Não há mistério. Não há enigma. Há Dil(e)ma. Não sei o que fazer.

Luiz R. Barros Santos luizroberto.santos@gmail.com

São Paulo

 

 

 

__________

 

 

 

 

CANDIDATA FABRICADA

Quero parabenizar Carlos Alberto Di Franco pelo corajoso e inteligente artigo publicado. Somente jornalistas engajados com a verdade e "sem laços" podem fazer um bem enorme ao eleitorado ao esclarecer o perfil de uma "candidata fabricada" por correntes neuróticas de poder e lideradas por um governo que se esconde em aparências e falácias.

Parabéns ao Estadão pela qualificação de seus jornalistas e seu compromisso com a verdade.

 

Luiz Alberto de Andrade Mello luizaamello@ig.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

FRASES MEDÍOCRES E INSENSATAS

 

Concordo com o professor Carlos Alberto Di Franco quando afirma que "só o jornalismo independente pode mostrar o verdadeiro rosto dos candidatos". Ocorre que no Brasil é muito raro um jornalismo sério. Vide o Estadão, que abre uma campanha descaradamente tucana, distorcendo informações e induzindo o leitor a acreditar que Dilma Rousseff é um monstro da esquerda. O professor menciona as cartas de leitores. No caso deste Fórum, só são reproduzidas frases medíocres e insensatas a respeito do governo petista, comentários que nem de longe representam uma opinião coerente sobre a atual realidade econômica, política e social do nosso país. Não seria mais ético e de bom grado um periódico assumir em bom português sua tendência política, ao invés de manipular a opinião pública com mentiras deslavadas que, se analisadas criteriosamente, beiram o ridículo? Quem sabe assim reconstruiria uma parte de sua credibilidade, ora tão depauperada pelos seus próprios erros.

Anselmo Fernando Grecco fer.grecco@yahoo.com.br

Votorantim

 

 

__________

 

 

CONTINUÍSMO RETRÓGRADO

Sentimos as mesmas necessidades que são expostas no excelente artigo de Carlos Alberto Di Franco, "Decifrar o enigma Dilma". Necessidades essas de uma imprensa livre, tanto escrita como televisiva, que nos mostre quem são os reais candidatos, mormente os que pleiteiam a Presidência do País, pois o que vemos em alguns são factóides manipulados e protegidos por seus marqueteiros. Não nos interessa se são simpáticos, agradáveis ou bem apessoados, o que deverá valer é a vida pregressa do mesmo, suas experiências, sua carreira, sua história de ficha limpa, bem como sua proposta de programa de governo e suas críticas bem fundamentadas daquilo que deverá ou não ter continuidade do governo que o antecede. Devemo-nos ater aos candidatos que têm "luz própria", que sabem andar com suas próprias pernas, que enfrentam questionamentos com argumentos seguros, e não decorados, raciocínios claros e seguros, sem titubeios. O Brasil democrático não poderá ser administrado simplesmente por continuísmos cegos e retrógrados. Há que saber avaliar diante do quadro de candidatos que se apresenta, e a imprensa pode ser nossa aliada se estiver comprometida com o livre pensar.

Leila E. Leitão

São Paulo

 

___________

 

 

MOTIVAÇÕES

Oportuníssimas as colocações do sr. Di Franco no seu artigo "Decifrar o enigma Dilma". Permito-me apenas discordar quanto às motivações de Lula em pretender fazer seu sucessor. Diferentemente do deputado Hélio Bicudo (citado no artigo) e sua convicção de que "Lula quer Dilma Rousseff no poder para continuar mandando no País", tenho a impressão de que o que se passa é que Lula quer Dilma na Presidência fundamentalmente para garantir impunidade para si mesmo - sabia de tudo, segundo o próprio deputado Bicudo - e para os envolvidos na "organização criminosa" denunciada pelo procurador-geral da República Antonio Fernando Barros e Silva de Souza.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo

 

__________

 

 

TORTURA

Lula disse neste sábado em Garanhuns que Dilma foi barbaramente torturada como Jesus Cristo. Todo mundo está cansado de saber que Dilma nunca foi torturada pela ditadura militar. A única tortura de Dilma está sendo a campanha em que se meteu, onde é obrigada a acompanhar diariamente as baixarias e as gafes praticadas por um presidente etilicamente perturbado.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

SANGUE PETISTA

A candidata do PV, Marina Silva, carrega resíduos indesejáveis como uma ex-petista. Sabatinada pelo Portal Terra, disse ser favorável à concessão de asilo político ao criminoso italiano Cesare Battisti.

Isso prova que Marina saiu do PT não por questões éticas ou filosóficas, mas por ter perdido espaço político dentro do partido.

Talvez lhe falte compreensão exata do que é meio ambiente...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

 

__________

 

 

 

MARINA

Ao criticar o rótulo de terrorista dado a Dilma Rousseff e defender a permanência do assassino e ativista de esquerda Cesare Battisti no Brasil, Marina Silva mostra a sua verdadeira cor.

No momento é verde, mas logo amadurece e fica na sua cor real, que sempre foi a vermelha.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

 

__________

 

 

 

"UM ELEITOR, 13 VOTOS"

Excelente o artigo do sr. José Roberto de Toledo sobre a composição do Congresso e os seus pesos na eleição. O mapa, então, mais sensacional ainda. Pena que seja verdade, que tenha sido criada por militares, mas mantida pelos civis, e o pior, que se houver proposta de alteração será, certamente, para 3.990 cadeiras (ou mais, por erro de conta). E pensar que sempre aparecem alguns incautos (para não dizer...) chorando o fim da ditadura. Dizendo que a dita não foi tão dura assim. E olhe que houve piores males da ditadura que nem vale a pena rememorar. Alguns que ainda estão aí nem teriam começado.

Manoel Mendes de Brito brito.voni@terra.com.br

Bertioga

 

 

__________

 

 

 

PAULISTAS

O golpe militar de 1964, além de outros malefícios, deixou-nos uma herança maldita.Por decisão de um ucasse da ditadura,a representação parlamentar dos paulistas no Congresso Nacional foi reduzida. Essa injustiça histórica, que diminui nossa cidadania, posteriormente foi consagrada pela Constituição de 1988, que considera todos os brasileiros iguais, mas sendo uns mais iguais que outros. Já é tempo de reagir e exigir o restabelecimento da representação correta, ampliando o número de nossos parlamentares.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

UNIVERSINADA

Tenho filhos em universidades e tendo a concordar com José Serra. De que adiantam cursos superiores de qualidade pífia? A garotada sai da universidade, principalmente na área de Humanas, sem saber coisa nenhuma. O bom desempenho depende muito do próprio aluno, em buscar a informação em livros, fora da universidade. Nas faculdades federais eles saem sabendo muito sobre bolivarianismo, petismo e lulismo, e nada sobre História, Geopolítica, Economia, Sociologia, Língua Portuguesa, Filosofia e atualidades. É triste de ver.

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

 

__________

 

 

 

FÓRMULA 1

O Brasil agora exporta a tecnologia flex para a Fórmula 1.

Não há, afora o Di Grassi, pilotos mais flexíveis do que os invertebrados brasileiros que andam por lá. Eles, que já moram na Europa, poderiam aproveitar esta flexibilidade toda para mudar a nacionalidade.

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

FELIPE MA$$A

Não esperávamos que o Massa fosse o novo Senna, mas ser o velho Barrichello é demais. Que vergonha!

Ricardo Gasparino de Sousa ricardo.gasparino@gmail.com

Manaus

 

 

 

__________

 

 

 

VERGONHA E DECEPÇÃO!

Felipe Massa está contaminado pela postura lullo-petista de só pensar em vantagens. Isso é o que maus exemplos de um presidente sem ética e sem escrúpulos causam a seu povo. Que vergonha, que decepção!

André Miguel Fegyveres andrefegyveres@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

NADA A RECLAMAR

É a lei do filósofo Neném Prancha aplicada à Fórmula 1: quem pede (Alonso) recebe, quem tem mais pontos (Alonso) tem preferência.

Embora as novas regras da Fórmula 1 proíbam, continuo achando inevitável a defesa preferencial dos interesses da equipe, só que com mais sutileza, é claro

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

 

__________

 

 

 

AMASSA O MASSA

Quando atletas recebem o papel de representantes do Brasil, assumem uma responsabilidade com a população que representam, não só com seus empregos.

Comportamentos subalternos se confundem com cidadãos de segunda classe.

Pobres patrocinadores!

Sergio H. Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

 

 

__________

 

 

 

COMPETIÇÃO DE PILOTOS?

Como todo mundo, presenciei a triste cena da F-1 em que Felipe Massa claramente mostra ao mundo que "deixou" o seu companheiro de equipe ultrapassá-lo. Logo depois do pódio, mostrou-se infeliz e descontente.

Se ainda existe moral da história, espero que esse descontentamento tenha servido para uma autocrítica, pois naquele momento da ultrapassagem ele perdeu a chance de mostrar que era mais rápido e que a corrida, ali, era de "pilotos", e não de marcas. Ou, então, assumisse com profissionalismo o papel (seja ele qual for ) a que se propôs. No entanto ficou evidente o lado fraco e traidor dele mesmo, e de mais ninguém.

Faz tempo que eu não escuto falar do "Circo da Fórmula 1", cá entre nós, nome perfeito para esse evento. "E agora com vocês, no picadeiro... Felipe Massa."

Será ele o equilibrista ou outro artista?

Soraya C. Oliveira soraya_cuellas04@yahoo.es

São Paulo

 

 

 

___________

 

 

 

MASSA X ALONSO

Entre 1956 e 1961 trabalhei numa mecânica que, dentre outras atividades, preparava carros para correr em Interlagos. O automobilismo então tinha alguma aura de paixão, pois os pilotos corriam quase sem nenhum patrocínio, todos tinham outras profissões e as máquinas, com pneus comuns e freios a tambor, já atingiam velocidades próximas às da

Fórmula 1 atual. Hoje o que vejo são pilotos dentre os quais a Xuxa se sentiria à vontade, guiando carros com câmbios automáticos e com  boa parte dos componentes dirigidos remotamente dos boxes. Trata-se de um espetáculo produzido para a TV, a qual, entre outras bobagens, criou o mito de que os pilotos correm por seus países, como se a nacionalidade tivesse alguma influência nas habilidades. Então esse negócio de jogo de equipe não representa nada num esporte que quase mais nada tem de esportividade, pelo menos o que eu entendo por esportividade, ou seja, praticar uma atividade por prazer, e não como meio de subsistência.

 

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

 

 

 

__________

 

 

 

TRISTE CLUBE

Estava assistindo à corrida de Fórmula 1, torcendo pelo Felipe Massa, quando ele tirou o pé do acelerador, dando passagem ao Fernando Alonso, que assumiu a liderança e ganhou a corrida. O motivo dessa atitude foi a mensagem capciosa transmitida pelo rádio por um membro da sua equipe, ocasião em que o sujeito disse calmamente: "Fernando é mais rápido do que você. Pode confirmar que entendeu a mensagem?" Esta marmelada descarada é o retrato fiel do que acontece na maioria dos eventos apelidados de esportivos, onde rola muito dinheiro. Os caras que participam dessas falsas competições fazem qualquer coisa para

permanecer nesse mundo milionário. Vendem a sua honra e não acham nada de mais nas suas atitudes antidesportivas. Ao assistir a esta grande picaretagem, tive a sensação de estar sendo lesado por um bando de trambiqueiros que fazem qualquer coisa para continuar ganhando a atenção de milhões de trouxas que ficam vendo e ouvindo os apresentadores das televisões enaltecerem a coragem e a técnica de um seleto grupo de safados. Nessas horas eu percebo que sou sócio de um lamentável clube de idiotas que acordam cedo e ficam torcendo pela vitória do pilantra de seu agrado. Mas é muito duro a gente ver o seu pilantra preferido aceitar uma ordem para abrir as pernas e deixar que o pilantra preferido pelo seu patrão chegue em primeiro lugar.

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

 

 

 

__________

 

 

 

 

TODOS PERDEM

Deplorável, vergonhosa e digna de repúdio esta última corrida da Fórmula 1, na qual mais uma vez um piloto brasileiro teve de abdicar da vitória em prol da poderosa, mafiosa e imperialista equipe ferrarista, que apenas e mais uma vez vislumbra somente seus interesses políticos e econômicos.

Quanto mais passa o tempo, mais e mais saudades temos do grande, único e inesquecível Ayrton Senna, que jamais aceitaria, acataria e se submeteria às ordens de qual equipe fosse.

Com esta atitude da equipe ferrarista perde o esporte, perde a Fórmula 1 e perde o apaixonado por corridas de automóveis, a credibilidade necessária que o leva a torcer.

ABSOLUTAMENTE LAMENTÁVEL E REPUGNANTE!!!

Luciano De Paoli lpaoli@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

__________

 

 

 

 

GP DA ALEMANHA

Depois do baile que a Jabulani deu na seleção da Itália na Copa da África do Sul, os italianos da equipe Ferrari mostram a sua total falta de espírito esportivo ao manipular o resultado do GP da Alemanha no domingo. O espectador, como cliente, consumidor de automobilismo e de automóveis, em geral se sente ofendido por esse tipo de atitude, pois se trata de um jogo de cartas marcadas.

Se eu tivesse todo o dinheiro do mundo, jamais compraria um Ferrari para ocupar uma vaga da minha garagem, pois ela já não tem mais o status de uma marca construída num passado glorioso dentro do automobilismo. Mais triste ainda é ver mais um brasileiro envolvido nesse tipo de manipulação. Uma manobra dessas (se realmente for comprovado que o carro estava 100% sob o comando do piloto, pois sabemos que uma manobra, via rádio ou qualquer outro controle remoto, pode ser capaz de até parar o veículo) é igual à atitude de um funcionário, que não tem respeito a si próprio, capaz de fazer algo ilícito a pedido do chefe.

Ricardo A. Rocha: rochaerocha@uol.com.br

Belo Horizonte

 

 

 

__________

 

 

 

 

DIGNIDADE EM FRANGALHOS

Deixando seu companheiro Alonso, da Ferrari, ultrapassá-lo ao final na prova, dá a sensação de que o esporte hoje em dia virou um negócio. Dinheiro supera a dignidade do homem, e Massa... Querido Massa, você acabou de perdê-la neste domingo.

Luiz Fabiano Alves Rosa fabiano_agt@hotmail.com

Curitiba

 

 

 

__________

 

 

 

MASSA E MURICY

Nessa de comparar Massa e Muricy quanto ao caráter de cada um em face de episódios de que participaram na semana passada e no domingo, enquanto o corredor terminou como um "bundão" e o técnico saiu como exemplo de homem de caráter, eu discordo quanto ao segundo e explico. Muricy, ao receber o recado para encontrar-se com Ricardo Teixeira e, obviamente, sabendo do motivo, bastaria telefonar, agradecer o convite e recusar, porque tinha um contrato com o clube e pretendia cumprir. Ponto, nada mais. Evitaria a comédia burlesca da sexta-feira que agitou a mídia de cabo a rabo e da qual saiu como mocinho. Ao reunir-se com o "dono" da CBF perdeu essa condição.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

 

 

 

__________

 

 

 

 

VERGONHA ANUNCIADA

Nos áureos tempos da Fórmula 1, o Brasil derrotava a Ferrari, tal seja, com Emerson Fittipaldi na Lotus e McLaren e Nelson Piquet na Brabham e Williams, além de Ayton Senna em grande estilo. Após essa época, a Ferrari sempre derrotou o Brasil, com as humilhantes vitórias de Michael Shumaker, quando Rubens Barrichelo era obrigado a abrir e dar passagem a algumas curvas da vitória. Pois bem, todos pensavam que esse período lamentável da Fórmula 1 fosse parte do passado. Porém, no GP da Alemanha, mais uma vez e de forma lamentável, vimos o Brasil perder para a Ferrari. Peder a honra, perder o moral, perder o espírito do esporte. O que eu nunca entendi é: por que aqui, no Brasil, existe até uma torcida da Ferrari, por que as pessoas usam o boné da Ferrari, a camisa da Ferrari? Uma equipe suja e que nunca deu ao Brasil qualquer glória, muito ao contrário, apenas humilhações. Os grandes campeões vivos da Fórmula 1, Emerson e Piquet, deveriam começar a abrir a boca e tomar uma posição a esse respeito e em nome daquilo tudo que eles representam.

Paulo Augusto Nunes Ferreira sweetpappa@uol.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

 

FÓRMULA 1 NÃO É ESPORTE

Com grande tristeza, definitivamente ficou patente que a competição de Fórmula 1 já não é esporte, e sim uma competição de verbas e com dirigentes despreparados até para fazer a maracutaia.

Massa, não fique triste, pois quem largou em terceiro, pulou na frente já na primeira curva e liderou por 50 das 60 e poucas voltas, fazendo muitas melhores voltas, fez pit e voltou em segundo para logo assumir novamente a primeira posição... Daí começou o chororô do Alonso para que a direção despreparada da equipe pedisse em conversa codificada, mas de fácil entendimento, que abrisse as portas para a vitória do espanhol. Onde está a competição, a disputa? Acho que a Ferrari deveria ser punida com a perda de 25 pontos recebidos pela posição arranjada de Alonso.

Luiz Alberto de Paula Souza alp.souza@terra.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

 

CIAO...

Mais um brasileiro explicitamente se tornou mero coadjuvante na Ferrari. Aqueles que são verdadeiramente desportistas jamais aceitariam tais imposições de uma equipe. Fórmula 1, addio...

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br

Marília

 

 

 

__________

 

 

 

 

CÚMPLICE

O GP da Alemanha foi um escândalo! O "brasileiro" Felipe Massa, da Ferrari, vencia a corrida desde o início, quando na parte final recebeu ordens via rádio com os dizeres: "Felipe, o Alonso está mais rápido do que você." Posteriormente Massa tirou o pé do acelerador, facilitando a ultrapassagem e a vitória de Alonso. Há alguns anos, Barrichello pisou no freio antes da bandeirada e Schumacher venceu; Nelsinho Piquet bateu seu carro propositalmente para favorecer a vitória do companheiro (Alonso), ambos atenderam a ordens das equipes! Os covardes ou fracos que não têm competência se expõem ao ridículo ou à sujeira para garantir o emprego! Onde está a dignidade desses pilotos? O telespectador, o torcedor, a Bandeira e o Hino Nacional são coisas secundárias? Massa não é vitima, e sim mais um cúmplice das falcatruas esportivas! Reflexão: "desonras ao mérito", este prêmio precisa ser instituído no Brasil! Há quanto tempo eu estou sendo enganado? Será que tenho algum direito como telespectador e consumidor?

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

 

 

 

___________

 

 

 

UMA NAÇÃO FRUSTRADA

Felipe Massa frustrou uma nação.

A Fórmula 1 deixou de existir, para mim, a partir deste domingo.

 

Mario Ghellere Filho marinhoghellere@gmail.com

Mococa

 

 

__________

 

 

 

VERMELHO OU AMARELO?

A Ferrari amarelou! Massa era mais rápido que o bebê chorão do Alonso. A ordem da equipe pro Felipe estacionar, pro mediano espanhol passar, foi horrorosa. Pior que essa só uma corrida na Suíça, quando Barrichello, a 50 metros da linha de chegada, literalmente parou na pista pro tal do Schumacher ganhar. A reação do público: vaias e polegares pra baixo. Por falar em amarelar, por que a Brahma pintou sua lata de vermelho às vésperas da eleição presidencial? Cadê os patrulheiros ideológicos de plantão? Isto é ou não é propaganda subliminar? A Inbev tambem foi beneficiada pelo (des)governo? Que show de horror! Comprarei Skol, Itapeva, até Schin, porém Brahma, se for consciente... não digira!

Renato Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

TRAPAÇA

A parte mais sensível do "corpo" humano é o bolso.

Desde que Alonso levou um grande banco espanhol como patrocinador para a Ferrari; desde que Massa andou na frente nas primeiras provas; Alonso exigiu ter tratamento de primeiro piloto, mesmo trapaceando. E a Ferrari aceitou. Só resta aos brasileiros não assistirem mais às corridas ou arrumar um grande patrocinador para Massa.

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

DUAS PALAVRAS

Tenho o mesmo tempo de F1 que o Galvão Bueno e o Reginaldo Leme, sendo certo que nestes 40 anos só não assisti a quatro corridas por estar dentro de aviões. Ferrarista de primeira ordem, após o episódio de domingo na Alemanha, juntado ao de 2002 na Áustria, onde a equipe pediu os primeiros lugares, só restam duas palavras que traduzem o sentimento geral dos apaixonados pela categoria: DECEPÇÃO e VERGONHA!

Alcides Ferrari Neto ferrari@afn.eng.br

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

CONDUTA DESLEAL

Em 2002, sob ordens, Barrichello abriu passagem quando liderava o GP da Áustria de Fórmula 1 para dar de bandeja a vitória ao primeiro piloto da scuderia, Michael Schumacher. Desta feita, no GP da Alemanha, o "bobo" foi Felipe Massa, que teve seu primeiro lugar tomado, de graça, por Fernando Alonso.

Para a Ferrari, pilotos brasileiros servem apenas para acumular pontos e abrir alas para o que vem atrás.

O commendatore Enzo Ferrari certamente não aprovaria conduta tão desleal, que mancha o espírito esportivo. Uma vergonha! Pernacchia!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

 

__________

 

 

 

BANANA

Vergonhosa a atuação de Felipe Massa na Fórmula 1, deixar o segundo colocado passar à sua frente por ordem de sua equipe. Dirão alguns que Felipe Massa não deveria aceitar tal ordem, pois o torcedor fiel fica na frente da tevê aos domingos na expectativa de ver um brasileiro se tornar campeão. De nada adianta espernear, enquanto o telespectador sofre, Felipe Massa trabalha (e se vende) e a equipe fatura. Pois é, onde está o dinheiro estão a corrupção, a covardia e a decepção. Se os brasileiros não fossem tão submissos, dariam uma banana para aqueles que lhes passam a perna e deixariam de assistir às corridas. Quando não o fazem, estão de pleno acordo com a sujeira.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

__________

 

 

 

UM FÃ A MENOS

Decepcionante. Como se não bastassem os fatos anteriores, Schumi x Rubens, Alonso x Piquet e agora Alonso x Massa, o esporte está voltado única e exclusivamente para o dinheiro. Não existe mais disputa. Dependendo de quem está na frente, se o seu companheiro precisa de mais pontos a ordem é deixar passar. A Fórmula 1 deixou de ter um fã. Eu.

Ary Cesar ary@contabilmachado.com.br

São Caetano do Sul

 

 

__________

 

 

 

DUAS LIÇÕES

Neste domingo o esporte mostrou duas faces opostas do Brasil e forneceu duas preciosas lições: de um lado, a seleção brasileira de vôlei masculino, do técnico Bernardinho, conquistou pela 9.ª vez a Liga Mundial, trazendo orgulho e alegria para o povo brasileiro; de outro, na Fórmula 1, o piloto Felipe Massa preferiu obedecer às ordens da Ferrari e entregou de bandeja a vitória na corrida ao seu companheiro de equipe. De um lado, grandeza, dignidade, garra e superação. De outro, dinheiro, covardia e falta de vergonha na cara.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

__________

 

 

 

 

O ABISMO CBF-CBV

Pouco após novo insucesso de nosso futebol ao som das vuvuzelas africanas, vimos, ontem, a convocação da "nova" seleção de futebol da CBF. Por coincidência, no mesmo dia em que o suposto "país do futebol" comemora o nono título conquistado pela CBV, na Liga Mundial de Vôlei, nos últimos dez anos! O Brasil do vôlei é só alegria, presença certa nos pódios das principais competições internacionais. Somos "o time a ser batido" - mas, no geral, nossos adversários ficam mesmo na vontade. Um padrão de excelência temido e invejado por todos. A gestão da CBV é indicada pela Federação Internacional de Vôlei como modelo para outras federações. Desgraçadamente, o oposto acontece no futebol - o esporte mais querido do País. Enquanto o vôlei, bem administrado, frequenta os pódios em seu lugar mais alto, o futebol coleciona decepções, e a CBF segue repudiada pela imensa maioria do torcedor brasileiro, que agora vê sua seleção de futebol "começar do zero" após amargar o mais recente tropeço na Copa do Mundo. Êxito de um lado, malogro de outro é a resultante desse verdadeiro abismo que separa as confederações que tocam os dois principais esportes de massa do País.

 

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.