Cartas - 30/09/2010

GREVE DOS BANCÁRIOS

, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2010 | 00h00

Cabos eleitorais

Estou achando muito estranho a candidata em queda para a Presidência pedir empenho da militância na reta final da campanha e os bancários, solidários, entrarem em greve. Será que os bancários vão atender ao pedido e fazer trabalho extra de cabo eleitoral? Perguntar não ofende...

Angela M. Giudice de Oliveira angelagiudice@uol.com.br

São Paulo

__________________________

LIBERAR MILITANTES

A greve dos bancários em São Paulo e Osasco, onde o PT precisa, desesperadamente, reverter resultados previstos nas pesquisas, tem o sentido inequívoco de liberar militantes do cartão de ponto para a campanha dilmista. Os que têm experiência nos assuntos sindicais sabem que os movimentos grevistas podem ser deflagrados nos momentos considerados convenientes por suas lideranças. Neste caso, a inoportunidade do movimento, sob o ponto de vista da estabilidade social, que deve guarnecer um momento político tão relevante como o presente, conjuga-se com o domínio da CUT sobre os respectivos sindicatos e se explica tão somente pela necessidade de mandar o maior número de cabos eleitorais às ruas.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

__________________________

ELEIÇÕES

Deus ainda é brasileiro?

Há mais de 40 anos, as forças vivas e democráticas da Nação sufocaram o tsunami comunistoide que ameaçava avassalar o País. Agora voltamos a correr o mesmo risco, mas com perigo real e iminente. Aquelas forças salvadoras de antes se esvaziaram com o tempo e hoje estão impotentes, desfibradas, apáticas, inertes e inermes. E o País está na iminência de cair no buraco negro do despotismo sindicalista. Se Deus ainda é brasileiro, como sempre dissemos e acreditamos, está na hora de nos dar um sinal.

Moisés J. Oliveira moisesjo@uol.com.br

Suzano

__________________________

"O MAL A EVITAR"

Princípios éticos

Foi com grande satisfação que li o editorial O mal a evitar (26/9, A3). Não se tratou apenas de assumir posição, mas de revelar coerência com princípios éticos fundamentais. Não se tratou de apoiar qualquer candidato, mas de apoiar aquele que hoje tem menores chances de ser eleito, embora seja o mais preparado. O Estado de S. Paulo assumiu vários riscos ao definir publicamente sua posição, entre eles, o de ganhar a oposição do partido que, por adotar uma política populista, provavelmente se manterá no poder por décadas. Parabéns ao corpo editorial do jornal, por sua isenção, por sua personalidade, por seu caráter, por seu exemplo e por nos fazer acreditar que ainda há veículos de comunicação alinhados com o pensamento de milhões de brasileiros que leem, interpretam e julgam as informações sob a ótica da ética e dos princípios que devem reger a sociedade contemporânea.

Mauricio Kfuri, professor da USP mauriciokfuri@terra.com.br

Ribeirão Preto

__________________________

CORAGEM E PATRIOTISMO

O editorial de domingo mostra a coragem e o patriotismo de um grupo que sempre esteve presente nas horas difíceis do País e nos enche de orgulho por sermos assinantes do Estado e do JT. Muito obrigado, família Mesquita!

Ricardo Melhem Abdo ricabdo@gmail.com

São Paulo

__________________________

LEI DA FICHA LIMPA

Aplicação do Direito

Editorial de 28/9 (A3) analisou, com precisão e imparcialidade, as possibilidades e consequências da indecisão da Suprema Corte, não resolvendo, até o momento, a questão da aplicação, ou não, daquela lei ao processo eleitoral de 3 de outubro. Tem razão o Estado quando afirma que "a divisão do Supremo (...) é mais uma amostra das dificuldades que o País enfrenta para moralizar a vida pública". O STF tinha de ter vislumbrado que o que estava em jogo não eram interesses partidários, nem mesmo respeitáveis opiniões pessoais, mas o interesse supremo da Nação. Até porque essa lei foi de iniciativa popular. O insigne Rui Barbosa deixou célebre frase (está gravada no hall de entrada do Tribunal de Justiça de sua terra natal): "Não há Tribunais que bastem, para abrigar o Direito, quando o dever se ausenta da consciência dos Magistrados." Há uma quase esquecida disposição legal na Lei de Introdução ao Código Civil (Decreto-Lei n.º 4.657, de 4/9/42, artigo 5.º; na realidade, trata-se de uma lei geral de aplicação e interpretação das normas jurídicas) que estabelece que, "na aplicação da lei, o juiz atenderá aos fins sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum". Este princípio, mais do que meramente legal, é moral e ético e deveria estar insculpido na consciência dos que exercem a nobre função de julgar, a fim de superar certas "filigranas jurídicas", porque o Direito é aquilo que os juízes dizem que é. E, assim, não podem deixar de decidir, criando um vácuo jurídico e jurisdicional. Aliás, o grande juiz Marshall, da Suprema Corte dos EUA, deixou uma afirmação que atravessa já mais de século: "We are under the Constitution, but the Constitution is what the judges say it is." Ademais, aquela mesma Lei de Introdução diz que o juiz não poderá deixar de julgar a causa alegando que não há lei para o caso, e manda decidir de acordo com a analogia, os costumes e os princípios gerais do Direito. Tudo para não deixar sem solução as controvérsias jurídicas. Os ministros do STF poderiam - se tivessem tido presentes aquelas regras de aplicação da lei - ter decidido. Somente alguns alcançaram esses preceitos.

WALLACE DE OLIVEIRA GUIRELLI, procurador aposentado

rmagalhaes@tce.sp.gov.br

São Paulo

__________________________

SAKINEH ASHTIANI

Condenação à forca

A declaração do procurador-geral do Irã, Mohseni Ejei, de que "a questão não deve ser politizada" mostra bem a mentalidade medieval que permeia a sociedade iraniana e nos lembra a Inquisição, que sumariamente julgava e executava pessoas, a maioria delas inocente e sem nenhum recurso digno de defesa, como faz agora o Irã, em pleno século 21. Diplomacia é diplomacia. Dar tapinhas nas costas de regimes brutais, como fez o Itamaraty, é algo bem diferente. Afinal, que o Brasil saiba manter uma distância politicamente segura de nações que ainda permitem brutalidades como essa, prestes a ser cometida, é o mínimo que se espera de um governo que se diz democrático.

Flávio Guimarães de Luca flaviolucca@bol.com.br

Limeira

__________________________

"Que Lula eleja Dilma, tudo bem. Minha preocupação

é com as gambiarras que se ligarão ao poste. Vai ser preciso evitar um apagão"

VIDAL DOS SANTOS / SÃO PAULO, SOBRE A CAMPANHA DA PETISTA

vidal.santos@yahoo.com.br

"Joaquim Roriz, do DF, também arranjou um poste sem qualificação"

MÁRIO A. DENTE / SÃO PAULO, SOBRE CANDIDATURAS TIRADAS DO BOLSO DO COLETE

dente28@gmail.com

"Esse incomensurável êxtase do Lula pela Dilma... Freud explica?"

CELIA HENRIQUES GUERCIO RODRIGUES / AVARÉ, IDEM

celitar@hotmail.com

__________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 4.547

TEMA DO DIA

Dois documentos para votar? STF discorda

Julgamento foi interrompido, mas maioria dos ministros é contra se exigir título e documento com foto

"Sou mesário e concordo com a lei. Apresentamos documento com foto para várias coisas, por que para votar não?"

WENDERSON GASPARETTO

"A lei deveria exigir a emissão de um Título de Eleitor com foto, código de barras e senha do eleitor, pra facilitar a votação."

PEDRO TERTULIANO DA SILVA

"E todas as propagandas sobre o tema feitas na TV? Nós vamos simplesmente pagar a conta? Isso é vergonhoso."

VANESSA MENDES

__________________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

SUPREMO DE JOELHOS

Mandando às favas a representatividade do Congresso Nacional (que aprovou regularmente em 2009 a chamada ''minirreforma eleitoral''), apenas 96 horas antes da eleição sete excelentíssimos ministros do Supremo Tribunal Federal brasileiro se engajaram ativamente no derradeiro esforço do PT para obter, já no primeiro turno, a vitória da sua candidata-fantoche. Lamentavelmente, nosso colendo tribunal faz relembrar a isenção da Justiça soviética diante dos ''pedidos'' do então camarada Stalin.

Jorge João Burunzuzian burunlegal@hotmail.com

São Paulo

__________________________

TUDO DOMINADO

Se os ministros do STF achavam que era dispensável a exigência de dois documentos, sendo um com foto, na hora da votação, por que se calaram quando a lei foi aprovada no Congresso? Pelo visto, o Judiciário só age a mando de Lula. Que coisa mais desastrosa. E como se muda a lei de acordo com interesses próprios. O que dizer agora sobre a segurança nas urnas? Pobre Brasil, está tudo dominado! Cuba é aqui.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

__________________________

DOIS DOCUMENTOS

O STF determinou que não é necessário apresentar dois documentos, sendo que o único obrigatório para o voto passa a ser o que tem a foto. Ora, como fica um eleitor que tenha homônimos e não leve o título, onde consta seu número de registro? Onde assinará o João da Silva e qual o comprovante (selinho) de voto que receberá? O STF não é técnico, essa decisão é incompetente e causará confusão maior. Pobre Brasil...

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

__________________________

LEI INDIGENTE

O STF não se mostrou competente para definir de vez a Lei da Ficha Limpa, de grande clamor popular. Mas esse mesmo tribunal, e com celeridade incomum, decide julgar recurso do PT que solicita a não apresentação de dois documentos pelo eleitor na hora de depositar seu voto, mesmo que esse partido tenha apoiado em bloco essa lei no Congresso.

O STF deixa um gosto jurídico amargo no ar, porque existem centenas de ações há anos envolvendo políticos corruptos, incluindo os do mensalão, sem que se decida nada! E ainda trata a Lei da Ficha Limpa como se fosse uma regra indigente, desprezando sua importância.

E esta insegurança jurídica às portas deste pleito majoritário é preocupante. E se confirma também com o pedido de vistas do ministro Gilmar Mendes, com relação ao recurso do PT, citado acima, mesmo com um placar já de 7 a 0 favorável à não apresentação de dois documentos no dia da eleição.

Será que alguns ministros da Suprema Corte estão sentindo a necessidade de visibilidade na mídia, e por isso confundem a Nação?!

Que era maldita esta do Lula!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

__________________________

MUDANÇAS DO LOCAL DE VOTAÇÃO

Recebi ontem uma mensagem via e-mail de uma amiga me alertando que checasse o meu local de votação, pois seu marido havia recebido uma mensagem de alerta dizendo que estavam mudando os endereços dos locais de votação sem avisar os eleitores, talvez com o intuito

de confusão e impedimento das pessoas de conseguirem votar. Apesar de ele não ter acreditado na mensagem, resolveu checar e, para sua surpresa, ele e sua filha tinham sido transferidos para locais diferentes daqueles onde há anos votam.

Chequei o endereço do local de votação dos meus familiares próximos e tudo estava de acordo.

Sou de São Paulo, mas moro na cidade de Salto, no interior do Estado há 13 anos e não quisemos transferir nosso título, portanto continuamos a votar na capital.

Resolvi então conferir o local de votação das pessoas que trabalham comigo e, para nossa surpresa, uma delas, que é de São Paulo e ali vota no mesmo local há 30 anos juntamente com seu marido, teve o seu endereço de votação transferido do Colégio Milton Abreu Ferreira de Albuquerque, no Bairro Jardim Rosalina, Zona 381, seção 64, para a Escola Estadual Maestro Heitor Villa Lobos, na Avenida dos Arvoredos, 107, Parque das Árvores, Zona 280, seção 800, sem nenhum aviso.

O marido continua votando no mesmo local. Interessante, não?

Tiveram quatro anos para avisar as pessoas sobre mudanças de seus endereços de votação e as que foram transferidas só vão tomar conhecimento por um mero acaso ou no momento do voto?

A pergunta que não quer calar é: o que significa isto?

Cecília N. Palma cinpalma@uol.com.br

Salto

__________________________

''BOATO''?

Dilma tenta - tardiamente, diga-se - negar que seja a favor do aborto, da união homossexual e de outros pontos constantes do PNDH-3, que ela apenas ''rubricou". Na verdade, Dilma tratou desses assuntos de forma muito clara, em entrevistas a revistas e a TVs. Não se trata de ''boato'' nenhum. Os vídeos estão todos na rede, circulando há tempos, sem que Lula ou Dilma se preocupassem em ''desmentir'' coisa alguma. Só agora, quando Dilma cai nas pesquisas, é que ela e Lula se importam com o assunto. Em outras palavras, a mudança de posição dos dois é apenas eleitoreira. Lula pode muito, mas não consegue ainda - graças a Deus - fazer com que os olhos não vejam e os ouvidos não ouçam.

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

__________________________

A MENTIRA DE DILMA

A candidata Dilma Roussef disse em entrevista que é a favor do aborto, pois muitas amigas delas que fizeram passaram mal e muitas sofreram pelo que fizeram, isto está gravado. E que dependendo da situação ela é favorável, sim, ao aborto. E por falar em falsidades, por que durante este último programa eleitoral o Lula está pedindo votos para a sua amada? Afinal, quem é o candidato?Afinal, a Dilma não tem condições de ser eleger com as suas próprias palavras ou teremos mesmo o terceiro mandato lulista?

Walter Francisco Barros walterfbarros@yahoo.com.br

Araçatuba

__________________________

NA PRÁTICA A REALIDADE É OUTRA?!

Há inúmeros relatos dos jornalistas bem informados dos bastidores da política sobre os destemperos da senhora Dilma Rousseff, especialmente no trato com seus assessores e funcionários. Há relatos de crises de choro, de problemas de saúde como crise hipertensiva seguida de AVC, acarretados por grosserias a eles dirigidas. Popularizou-se o termo "piti" para essas explosões. Totalmente inversa é a imagem mostrada na campanha eleitoral, tanto ao vivo quanto gravada. Para evitar contato mais direto com a imprensa só dá entrevistas de um púlpito, sempre ladeada por algum membro masculino de sua equipe, e fala o que quer. Se ganhar a Presidência, qual Dilma teremos comandando a Nação: a real, com seus pitis, ou a "avatar" criada pelos marqueteiros?

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

__________________________

DEFENSOR DE DILMA

Agora é o bispo Edir Macedo para defender Dilma? Roguemos ao céu.

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

__________________________

PESQUISAS

A Justiça do Paraná reconhece e proíbe a divulgação de pesquisas por falhas na metodologia utilizada. Seria somente lá? E nos outros Estados, inclusive para presidente, as pesquisas merecem crédito?

Orlando L. Nogueira Filho orlando_nogueirafilho@hotmail.com

Florianópolis

__________________________

MENTIRA

E se a maioria do povo aprendeu com os políticos e estiver mentindo para as pesquisas?

Não será uma bela surpresa?

Oscar Rolim Júnior rolimadvogado@ibest.com.br

Itapeva

__________________________

APRENDA GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA COM O IBOPE

Para o Ibope, a cidade de São Paulo é 443 vezes menor do que a cidade de Extrema (MG). Pois é, avaliando a amostra da pesquisa eleitoral 26139/2010, Extrema, com 24.000 habitantes, teve a mesma representação de:

- Santos (417.000 habitantes),

- Ribeirão Preto (563.000 habitantes)

- Londrina (510.000)

- 2 vezes Novo Hamburgo (257.000)

- Goiânia (1.200.000)

Uma ''regrinha de três'' básica demonstra que, para ter a mesma representatividade de Extrema, seria necessário entrevistar 6.209 pessoas na capital paulista.

Assim como Extrema e as cidades supracitadas, algumas outras pequeninas têm a mesma representação de 14 entrevistados:

- Várzea do Poço, BA (9.000 habitantes)

- Uaua, BA (25.000 habitantes)

- Amargosa, BA (35.000)

- Amontada, CE (40.000)

- Cariré, CE (19.000)

- Caaporã, PB (20.000)

- Catuti, MG (5.020)

É inacreditável, mas confira, acesse o endereço http://www.tse.gov.br/sadAdmPesqEleConsulta/pesquisa.jsp?tribunal=TSE

Selecione:

- Tribuna: TSE

- Opção: Eleições 2010

- Contratada: IBOPE Inteligência Pesquisa e Consultoria LTDA

- Documentos por página: 100

Clique em pesquisar.

Na página que aparecer, procure pelo texto 26139/2010 e clique sobre ele.

Você estará no registro da pesquisa Ibope número 26139/2010, encomendada pela Globo e pelo Estadão, de abrangência nacional, para a posição de presidente da República. O valor da pesquisa? R$120 mil.

Note que no plano amostral se fala em ''probabilidade proporcional ao tamanho''. Proporcionalidade esta que pode ser vista na planilha disponível para download no link ''Clique aqui para baixar o detalhamento''.

Conclusão: o plano amostral (''probabilidade proporcional ao tamanho'') indica nítida distorção de grandezas quando é avaliado o microuniverso, o que invalida a pesquisa e os seus resultados. Assim, os resultados inválidos da pesquisa direcionam os resultados do processo eleitoral no cenário de uma população de 70% de analfabetos funcionais.

Carmen Lúcia Nagel Bragança clnbe@hotmail.com

São Paulo

__________________________

PLANO B

De acordo com a nossa Constituição, a linha sucessória presidencial está

estabelecida da seguinte maneira: no impedimento do presidente, assume

o vice-presidente e, na ausência deste, a sequência é o presidente da

Câmara dos Deputados, o presidente do Senado e o presidente do Supremo

Tribunal Federal.

O candidato a vice da candidata governista pertence ao PMDB. Como o PT jamais vai querer

perder poder, tudo fará para ter a presidência da Câmara e a do Senado. No STF, Lula indicou a maioria dos ministros e vai indicar mais um

para a vaga deixada por Eros Grau, que se aposentou. Seria, no entanto,

impensável a ideia de que um ministro do STF se submetesse aos desejos

políticos de um partido.

São conjeturas para o caso de a candidata do PT ser eleita. Não custa nada

imaginar que talvez este seja um plano B.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

__________________________

PT, E NÃO DILMA?

Ontem o Jabor publicou um artigo cobrando que os artistas e intelectuais amiguinhos do PT mostrem a cara.

Achei que era uma referência direta a Chico Buarque, etc., que estão se escondendo, para não terem de apoiar Dilma. Será?

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

__________________________

Dança

Para Lulla, havendo segundo turno, a ''dança do comício'' terá sido um ''Baile da Saudade''.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

__________________________

A VERDADE! NADA MAIS QUE A VERDADE...

Informa o Estadão que, na atual fase da campanha eleitoral e em decorrência da agora já previsível queda das intenções de voto em Dilma, a cúpula da campanha de Serra pondera que ele ''seja cauteloso, para não interferir na aparente tendência'' agora apontada pelos institutos de análise e pesquisa de opinião pública.

Em outras palavras, como aconteceu com a crise dos Correios e do famigerado mensalão a respeito de Lula da ''Cilva'', vão esperar que ela também sangre durante os próximos quatro dias para, desfalecida, já no dia D, ir a pique.

Ora, ''Dio mio'', será que não sabem que essa gente, também como a falta de pudor moral que lhe é típica, não tem hemorragia? Que eles já nascem com o mecanismo compensatório e natural da vasoconstrição cutânea, muscular e visceral para manter o fluxo sanguíneo sob controle, até que lhes advenha a coagulação natural do sangramento?

Esta é a hora... Tem de botar a malta para correr!

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

__________________________

QUEM DIRIA!

Depois de tripudiarem indistintamente sobre todos os petistas, ficar na dependência de uma ex-petista para sobreviverem é, no mínimo, irônico.

Vital Ferreira dulceevital@superig.com.br

Santos

__________________________

ELEIÇÕES

Eu fico bestificada com a banalização da democracia, com a prostituição do nosso governo e com a falta de vergonha na cara.

Será que estão tentando escrever em nossa testa, em letras maiúsculas, itálicas e em negrito que somos OTÁRIOS?!

Patricia Bongiovanni Brunieri paty_brunieri@hotmail.com

São Paulo

__________________________

SEGUNDO TURNO À VISTA

Estamos vislumbrando o segundo turno. Estadão e internautas, vocês mostraram a real intenção dos candidatos. Engodo, jamais. Liberdade de imprensa já!

Ricardo Guilherme bleblanc@ig.com.br

Monte Alegre do Sul

__________________________

SINAIS PARTICULARES

É o Serra que tem medo ou é o Lula que está fazendo o seu sucessor no grito?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

__________________________

MEDO

Sobre o subtítulo da pintura de Edward Munch, que foi publicado ontem nos "Sinais Particulares" - ''Serra tem medo'' -, gostaria de dizer que não sei se o Serra está com medo. Mas o Brasil inteiro, sim, está com medo.

Annikki Lehto-Gomes nickylehto@uol.com.br

São Paulo

__________________________

TUDO TURBINADO

Sobre o artigo "Por que os escândalos não tiram Dilma do topo", de José Nêumanne (29/9, A2), os petistas, além da ''cumpanheirada'', levaram também para ''cabide'' toda a parentalha. Lulinha, antes um ilustre desconhecido, hoje é empresário ''multimilionário'', e é claro que Lula nada sabe, nada viu, etc., etc.

Quanto ao Serra, perdeu duas vezes por pura burrice (a última: renegou o governo FHC, que agora também se encolheu, como partido típico de pavões, e não de tucanos). Estamos aí prestes a ver uma eleição em que já corre na internet informação de turbinamento de urnas, etc., etc. As pesquisas estão evidentemente ''turbinadas'' para a fatura no primeiro turno, dando suporte às urnas se forem fraudadas. É o que corre na internet, e nesse governo não se pode duvidar de absolutamente nada, PODEM FAZER TUDO, pois a única instituição em que podemos confiar, as Forças Armadas, ainda são ''lambe-botas'' de ditaduras.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

__________________________

QUEDA DE DILMA

Muito se tem especulado sobre as razões da queda de Dilma nas pesquisas. As explicações são várias, até contraditórias entre cientistas políticos e formadores de opinião. Contudo achamos que os maiores responsáveis são justamente Dilma e Lula. Ela é cheia de convicções que não consegue explicar, por não ter fluência verbal, sua fala é cheia de interrupções, quando ela olha para cima , como suplicando a Deus para que coloque em sua cabecinha as palavras que lhe estão faltando. Como ela é ateia, não tem ajuda. Aí muda de assunto até o próximo tropeço verbal. Até os eleitores mais simples já perceberam isso. Quanto a Lula, ele é o que mais prejudica sua candidata, quando em rompantes histéricos, com o rosto demonstrando ódio, procura jogar na imprensa a culpa de seus próprios erros, por não estar conseguindo passar votos para ninguém, só está assustando criancinhas. Marta está bem, mas porque continua sendo "a mulher do Suplicy". O PT está sumindo, vai no caminho da antiga Arena e o lulismo vai atrás.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

__________________________

GERENTONA MESMO!

A Dillma gaba-se da relação entre a administração della e a Petrobrás, mas não foi nessa mesma gestão que houve repasses fraudulentos em torno de R$ 1,3 milhão para a insaciável instituição Sarney?

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

__________________________

LULA FEZ ESCOLA

Ninguém pode negar que presidente Lula tenha feito escola, com certeza fez, pois até sua indicada sempre diz que não sabia de nada, que não indicou ninguém, igualzinha ao mestre. Nunca na história deste país um presidente fez tanta escola. Aposentados, não votem no PT, pelo amor de Deus!

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

__________________________

ELEIÇÃO PELA DEMOCRACIA

No próximo dia 3 de outubro, os eleitores brasileiros terão uma responsabilidade muito acima das eleições anteriores. O panorama político do País não deixa duvida nenhuma de que a democracia corre sério risco se a situação vencer o pleito com a diferença que as pesquisas eleitorais indicam. Assim, a sua defesa tornou-se mais importante do que qualquer um dos cargos em disputa. Nas diversas edições do PNDH, o governo já nos deu uma pequena amostra do que entende por democracia e, certamente, só está esperando passarem as eleições para mostrar a sua verdadeira cara. Paralelamente, o presidente Lula esbraveja pelos palanques da vida contra os órgãos de imprensa que ousam criticar seu governo, ainda que seja sobre as maracutaias da indefensável ex-ministra Eunice Guerra, da Casa Civil. Até desembargadores se dão ao desplante de praticar a censura à imprensa quando algum cupincha é pego com a boca na botija. Uma maioria acachapante da situação no Parlamento, como demonstra a reportagem do Estadão, vai propiciar à eventual presidenta eleita editar tantas leis quantas achar necessárias para tolher a imprensa insolente e, como consequência, a nossa liberdade democrática de nos manifestarmos livremente. Afinal de contas, Dilma não é Lula e tem um histórico político preocupante. Quanto mais aloprados os eleitores elegerem no próximo domingo, mais fraco será o Congresso e mais fácil de ser manipulado. Porque, sejamos francos e me perdoem os que ora critico, um país como o Brasil, no atual estágio de desenvolvimento, não pode ter como parlamentares os Tiriricas e Netinhos da vida, bem como os Malufs e outros que tais. Se o STF não acatar o recado das ruas, então sobrou para o povão dar uma ferrada histórica em todos os candidatos gaiatos e safardanas

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

__________________________

PALHAÇO TIRIRICA

A Justiça Eleitoral rejeitou denúncia do Ministério Público Eleitoral contra o candidato Tiririca pelo seu suposto analfabetismo. Fomos então obrigados a engolir a ridícula decisão de que o Estado democrático busca evitar um elitismo no corpo dos membros do Legislativo e Executivo. Engraçado, agora neste país até quem sabe ler é considerado da ''zelite''. Desde quando ser alfabetizado se constitui em elitismo? Na verdade, esta é uma condição mínima e imprescindível para qualquer um que vá ocupar um cargo de tamanha responsabilidade.

Ursula Elisabeth Metz ue.metz@uol.com.br

Itapecerica da Serra

__________________________

ALIENADOS & PATIFES

É de emoldurar o artigo de Dora Kramer de 29/9 (A6): ''Misto de alienação com patifaria é a receita certa para um Congresso pior. (...) Tiririca aluga sua ignorância para espertalhões que se valem da estupidez de milhares que, se achando espertos, são feitos de bobos''. A respeito deste sistema eleitoral mais que corrompido, falou tudo!

Felipe Passarella redacao.moto@uol.com.br

São Paulo

__________________________

POR QUE SÓ ELE?

Faz mais de mês que todo mundo, OAB, Igreja, políticos, cientistas mídia em geral, etc., vem criticando o Tiririca como um acinte à República, à democracia, ao sistema eleitoral, etc., etc., etc. Mas temos centenas de Tiriricas de quem ninguém fala, ninguém toca no assunto, inclusive alguns têm apoio de candidatos à Presidência, ao governo, ao Senado, etc.. Por que ninguém fala do Netinho? O que ele tem de preparo, ética, moral e honestidade a mais do que o Tiririca para ser enaltecido pelas autoridades e pelo candidatos? Qual a sua formação escolar, qual é sua situação moral, já que reiteradamente é acusado de bater em mulher? Por que só o Tiririca?

Roberto Aranha rcao@globo.com

São Paulo

__________________________

PALHAÇADA POR PALHAÇADA...

Após refletir um pouco, decidi em quem votar para deputado federal: 2222. Isso mesmo, no Tiririca. Ele ao menos me faz rir, enquanto os outros me dão vontade de chorar. Outra vantagem é que acho que é o único que está falando a verdade até agora: ''Pior do que tá não fica'', ou ''quero ajudar a todos, principalmente minha família''. Alguém vê alguma coisa diferente lá? Se alguém tiver alguma opção melhor me apresente, por favor.

Lourival Geraldo Moreira logmoreira@yahoo.com.br

Botucatu

__________________________

URNA ELETRÔNICA

É espantoso ver São Paulo virar as costas para José Serra tão depressa! Será mesmo verdade? A propósito, há uma história em circulação, de que o sistema de apuração das urnas eletrônicas está sendo preparado, em segredo, com um dispositivo que altera a favor da candidata do PT um voto em cada xis votos, e que o empenho em dar a eleição como já vencida pelo PT no primeiro turno é um preparo de modo a não haver estranhamento quando da publicação dos resultados. Verdade ou não, é bom desconfiar e verificar!

Alberto Futuro carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

__________________________

BRASIL X EUA

Estranho, muito estranho, os EUA, país rico e berço da informática, não adotarem o processo eleitoral idêntico ao brasileiro. Será por quê? Não é por falta de recursos, tampouco pela falta de impunidade. Lá os direitos e deveres são rigorosos. Aqui, no Brasil, abundam irregularidades e impunidades. Estão caóticas as nossas estradas, saúde pública, segurança, saneamento básico e educação, mas temos um caro sistema de urna eletrônica que, dadas as circunstâncias, nos põe a pensar. Você colocaria a mão no fogo pela veracidade da apuração da nossa eleição?

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

__________________________

"A VIA SINDICAL PARA O PODER"

Ao parabenizar o professor Leôncio Martins Rodrigues pelo artigo "A via sindical para o poder" (29/9, A2), gostaria de informar que, na área de transportes por ônibus urbano em São Paulo, a via sindical não somente leva ao poder, mas, mais ainda, leva à obtenção de patrimônio de deixar qualquer banqueiro atônito. Não podemos deixar de destacar o quanto os líderes, mesmo em funções primárias - motorista, cobrador, fiscal, outros - daquela área sindical, quando presos pela Polícia Federal (aliás, esse fato acabou com as greves na área), apresentavam em em espécie - dinheiro, mas também em imóveis. Lembro de cobrador com casa em condomínio. Isso, sim, é fantástico!

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@hotmail.com

São Paulo

__________________________

NO LIMITE...

O que ainda nos espera? Censura como a pedida pela quadrilha do Tocantins, comandada pelo próprio governador e candidato à reeleição, e que conta com a aliança do PT e do PC do B e com o apoio do presidente Luiz Inácio e da sua candidata ''marionete'' Dilma? Apenas nos surtos megalomaníacos do "noço" chefe supremo, aquele que pula de palanque em palanque igual a palhaço pulando de picadeiro em picadeiro, parece que estamos chegando ao limite. Primeiro era tudo ''como nunca "neçe" país'', depois, ''como nunca na humanidade (!)'' e, agora, comemorando a ''maior capitalização do capitalismo (?)'' no palanque da Petrobrás, por elle chamada de ''maior evento de capitalização do planeta Terra (!)". Pode mais? Agora só se for no espaço sideral ''como nunca "neçe" universo''.

Dietmar Rother rother@teknobank.com.br

São Paulo

__________________________

MORAL DE LULLA

A moral de Lulla está tão baixa que o movimento em sua defesa teve de ser encabeçado por um criminalista.

Fernando Fenerich ffenerich@gmail.com

São Paulo

__________________________

MANIFESTO PRÓ-LULA

O ex-ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos, junto a outros intelectuais, encabeçou manifesto defendendo o presidente Lula de acusações de totalitarismo e tentativa de calar a imprensa. Será que a ilusão ou os benesses são tantos que quem assinou tal manifesto não sente a consciência pesada? Todas as manifestações contra a imprensa nos oito anos deste governo, tentando abafar falcatruas cometidas pelos companheiros ''aloprados'', o decreto PNDH-3 assinado pelo presidente, a censura do Estadão no caso do filho de José Sarney e muitas outras tentativas de amordaçar a livre expressão não foram o bastante para esses senhores? Infelizmente, estamos vivendo uma falsidade generalizada, que atinge inclusive a nata de nossa intelectualidade. Enquanto não descobrirmos que só ''a verdade (e a honestidade) nos tornarão livres'', como revela sabedoria milenar, o Brasil ficará naufragando como República de pouco respeito e como frágil democracia paternalista tentando impressionar o Terceiro Mundo. É uma pena!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

__________________________

OAB PRA QUÊ?

Afinal, para que serve a tal da OAB, pra nada?

Não! Serve para apoiar Lula e o PT antes de estes serem governo para depois, quando se tornaram governo, defendê-los!

Coisa de criminalistas do tipo Márcio Thomas Bastos...

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Paulo

__________________________

MULTAS

Imagino que os juristas que assinaram o manifesto a favor do Lula vão também pagar os R$ 47 mil de multas que o presidente levou da Justiça Eleitoral por desrespeitar a lei.

Euclides Rossignoli euros@ig.com.br

Itatinga

__________________________

FIM DA CENSURA À IMPRENSA

Lei já a temos. E é a maior de todas. Mas alguns magistrados inisistem em impedir a propagação de verdades contidas no âmbito das administrações públicas brasileiras, o que configura censura inaceitável. Como agir? O Conselhor Nacional de Justiça interfere somente no segmento administrativo do Poder Judiciário e da aplicação da Justiça. Então, resta o Supremo Tribunal Federal para atuar.

Então, não seria totalmente conveniente a edição de uma súmula impeditiva de decisões que amarrassem a imprensa, deixando-a impotente e cerceada para demonstrar à população fatos graves advindos das administrações públicas deste país?

A desobediência à súmula referida, então, não poderia provocar a atuação incisiva do Conselho Nacional de Justiça? Este país precisa, urgentemente, de medidas incontestáveis e incontornáveis que impeçam qualquer espécie de censura à imprensa. Caso contrário, vamos ver interesses agindo e órgãos de imprensa impedidos de noticiar fatos relevantes ao julgamento popular. O tema não merece o estudo acurado dos juristas deste país, antes que mergulhemos numa ditadura de manifestação de opiniões e de fatos?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro@claretianas.com.br

Rio Claro

__________________________

JUSTIÇA

É uma vergonha ao que assistimos de certos integrantes da Justiça brasileira. De um Poder que tem a obrigação de punir exemplarmente políticos corruptos, bandidos e quadrilheiros jamais esperaríamos uma decisão como aquela que foi a do sr. desembargador Liberato Póvoa, do Tocantins, censurando dezenas de empresas de comunicação, a fim de favorecer um, adivinhem... político. Mas será realmente que não, já que há escola dessa linha de ''pensamento'', inaugurada há 426 dias por um tribunal de Brasília? Fico me perguntando o que se passa na cabeça daqueles sensatos do Judiciário ao verem tantas ''barbeiragens'' judiciais. Reajam, senhores, antes que seja tarde, pelo bem do Brasil...

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@estadao.com.br

Marília

__________________________

DEBATE NA GLOBO

Parabenizo o candidato Geraldo Alckmin por sua postura, conhecimento, competência,

convicções e por sua vida pública que o levará, sem dúvida, à Presidência da República.

MirianTeresa Pereira mimiteresa@ig.com.br

São Caetano do Sul

__________________________

SCRIPT TOSCO

Só para variar, Geraldo Alckmin apresentou-se bem no debate.

Feldmann teve boa participação e o candidato Bufalo, do PSOL,

também merece elogios. Destaque negativo para a parelha

Mercadante-Russomano, que, como Batman e Robin, se uniram

num escript tosco para cutucar o candidato do PSDB e só

conseguiram levar, cada um deles, uma descompostura ao vivo.

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

__________________________

O LEVANTADOR

Assistindo ao debate entre os candidados a governador, anteontem, revelou-se um novo talento:

Celso Russomano, excelente levantador de bolas.

Todas as suas perguntas, principalmente as dirigidas a Aloizio Mercadante, visanvam a fornecer artilharia para o candidato petista questionar ou atingir o candidato Geraldo Alkmin.

Não bastasse o seu apoio declarado a Dilma Rousseff, expresso na véspera, no debate ele teve a oportunidade de mostrar realmente a que veio, ou seja, qual o real motivo da sua candidatura.

Enquanto a politica brasileira contar com elementos desse naipe, que se travestem de candidatos com pseudoluz própria, mas, na verdade, são ''paus- mandados'' dos grandes partidos, tal qual o que foi feito com Ciro Gomes, teremos sempre uma disputa de dois partidos e poucas alternativas de mudanças.

Conselho ao Celso Russomano: vá jogar vôlei, porque na atual situação você tem mais chance como levantador, visto que a seleçào do Bernardinho está com um só levantador, do que vir a ser governador de São Paulo.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

__________________________

MERCADANTE x ALCKMIN

Gostei do debate entre os candidatos a governador na Globo. Quem não gostou foi Mercadante, que vive criticando Alckmin, dizendo que este foge ao debate e que nada perguntou a ele e o acusa de fugir do confronto. O que quer Mercadante confrontar? Ele nunca foi do executivo, nunca governou nada, e Alckmin tem um excelente histórico nesse aspecto. Se é assim, Mercadante deveria ter formulado as perguntas, mas só sabe criticar, como todos os petistas, é óbvio. Querer ditar regras, é assim que o PT funciona. Querem mandar em tudo, em todas as instituições, até no debate. É para rir ou para chorar? Mercadante, você é que foge da raia, como fez no Senado. Bastou um pito de Lula e você voltou atrás. Se não tivesse voltado e cumprisse o que prometeu, naquele momento, teria tido muito mais gente ao seu lado hoje. Ademais, as regras do debate foram aprovadas por todos os participantes, e Alckmin poderia fazer perguntas para qualquer dos participantes, e o rejeitou, no que fez muito bem.

Carlos E. B. Rodrigues carlosedleiloes@terra.com.br

São Paulo

__________________________

MERCAPURGANTE RECLAMÃO

No debate dos candidatos ao governo de São Paulo, Mercapurgante reclamou o tempo todo de não ter atenção do principal oponente, Geraldo Alckmin! Pergunta: por que ele deveria dar atenção, se o presidente Lulla, nestes oito anos em que Mercadante foi senador, nunca lhe deu atenção, nem sequer um cargo de confiança? Pelo contrário. A única vez que Mercadante mostrou compostura, manifestando-se contra o presidente da Casa, José Sarney, atolado em denúncias, foi chamado no cantão e colocado novamente na fila, isto é: o que o PT manda, ou vai com o partido ou desce; e Mercadante não desceu. Merece mesmo o desprezo de São Paulo e de seu oponente! Cresça, se estabeleça e apareça!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

__________________________

NOVO SHOW DE HORRORES

Novamente fomos brindados com o show de horrores do último debate político para governador! Que belo espetáculo, as meretrizes com fuxicos entre si, igual a um camarim de concurso gay masculino! Homens barbados, alguns até avôs, mendigando um emprego, um peleguismo fora do comum, o maior espetáculo

fisiolçógico da face da Terra! Muito deprimente olhar gente que um dia admiramos se sujeitando aos caprichos da política, parece que eles não

sabem fazer nada na iniciativa privada e ficam á, brincando de velhinhos. O Mercadante, então, fazendo aquela voz de ursinho terno, na véspera dizia que vai diminuir o preço do pedágio, vai fazer 30 km de Metrô, e anteontem já izia: ''Acredito que posso diminuir o pedágio, acredito'' que posso fazer 30 km e Metrô....'' Nós, que um dia chegamos à histeria de aplaudir o Greenhalgh nas madrugadas dos bares de resistência, fizemos vigília para o Lulla preso na Brigadeiro, somos obrigados a aceitar isso tudo que está aí. Bento Prado deve estar girando no túmulo como ventilador, Francisco Weffort, então, nem se pronuncia. Um dia nos arrepiamos ouvindo Lulla (aquele de antigamente) nas

barrancas do Pacaembu, os artistas de renome cantando o coro de campanha à meia luz antes de se iniciarem os espetáculos. Isso tudo já é passado e

final de um sonho que um dia até existiu! Certo mesmo era Churchill, dizendo que pior que um conservador no poder é um liberal lá na cadeira!

Vocês não merecem meu voto!

Mauricio Villela mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

__________________________

SERIA CÔMICO, NÃO FOSSE TRÁGICO...

... o pseudodebate havido nesta quarta-feira na Globo.

Russomano preocupou-se apenas em fazer média com o Mercadante. Falou que, se eleito, o teto-base da PM será de R$ 3.500, mas não explicou como pagará.

Mercadante, engasgado pelo ódio ao Alckmin, não disse o que pretende. Passou o tempo todo falando do governo Lula e reclamando que o Geraldo não queria falar com ele.

Alckmin, pelo que disse, vai melhorar o que tem, mas não prometeu nada de novo.

Skaf falou de tudo o que pretende, e não é pouco, mas não disse como fará.

Bufalo, com suas idéias utópicas, parecia um peixe fora d"água. Mal conseguia controlar os nervos.

Feldman insistiu que os tópicos teriam de ser discutidos com mais profundidade. Quando?

Para completar a emissora interrompeu o programa por falha técnica e o Chico Pinheiro parecia que estava estreando na TV. Era erro sobre erro.

Meu Deus!

João Menon joaomenon42@gmail.com

São Paulo

__________________________

RESPOSTA AO SR. ALOIZIO MERCADANTE

O senhor afirmou no Estadão de 29/0 (A10): "A porta de saída é a educação e uma oportunidade do filho do trabalhador sair da pobreza.'' O senhor deve morar em outro país. Aliás, o senhor vive em Brasília como senador da República. Cito o meu caso: sou engenheiro, trabalhei 36 anos, e o INSS paga-me o suficiente para pagar o meu plano de saúde. Isto porque o atual governo violenta a Constituição e não dá ao trabalhador aposentado o prometido pela ''cidadã'' do sr. Ulysses Guimarães. Tivesse eu, sr. Mercadante, de viver da minha aposentadoria, teria três opções: ou desistir do meu plano de saúde e morrer nas filas do SUS, ou morrer de fome, ou pedir esmolas. O atual governo trata o trabalhador aposentado como um peso morto para o INSS. Como um verdadeiro lixo da sociedade.

Glalco Ítalo Pieri colyacpieri@uol.com.br

São Paulo

__________________________

ESTADÃO MOSTROU A SUA CARA!

Enfim, o Estadão mostrou a sua verdadeira face, que é conservadora, elitista, reacionária, falso-moralista e assumidamente de direita. O editorial de domingo ("O mal a evitar", A3) assumindo apoio incondicional a José Serra (PSDB) é uma verdadeira pérola e resume bem como pensa a classe média conservadora paulista. Ao menos, congratulo o jornal por sua honestidade, ao assumir claramente o que todos já sabiam, e também por ser democrático, eis que permite que as opiniões contrárias às suas - como as minhas, por exemplo - também sejam expostas.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

__________________________

LEITORES RECLAMANDO

No Fórum dos Leitores, na versão impressa e na internet, vejo alguns petistas reclamando que no editorial "O mal a evitar", no Estadão de domingo, o jornal assumiu que está apoiando o adversário de Dilma/Lula. Mas esses leiltores não reclamam que o presidente ganha e gasta (muito) para presidir, mas não preside e não administra o País, pois virou cabo eleitoral à nossa custa, gastando com deslocamentos, segurança, etc. Deveria ter pedido licença do cargo. De presidente, não de marqueteiro. O FHC, que ele tanto critica, teve um comportamento isento, de presidente, e não de marqueteiro, no seu mandato.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

__________________________

JORNAL COM J MAIÚSCULO

O Estadão é ímpar! Um periódico que clama pela verdade.

Sou gaúcho, tenho 29 anos, e moro em São Paulo há 5 anos.

Leio e releio os editoriais com regularidade.

O deste último domingo, "O mal a evitar", foi brilhante, histórico, inesquecível. Reenviei o texto, citando a fonte, a todos da minha lista.

Jamais havia visto um jornal ser tão direto, revelando a sua posição com coragem indelével e argumentação convincente.

Sinal deste tempo perigoso que atravessamos. Impossível permanecer indiferente.

Afinal, popularidade não se confunde com autoritarismo e sucessivas tentativas de mordaça à imprensa.

O meu orgulho de ser brasileiro e de atualmente ser cidadão paulistano se agiganta, juntamente a todos os meus amigos, que, assim como eu, NÃO SUPORTAM MAIS ESSA IMUNDÍCIE que resiste em parasitar a nossa Nação.

Parabéns ao melhor jornal de São Paulo, "O Estado de S. Paulo".

E não é por apoiar um determinado candidato, mas, acima de tudo, por representar a mim e a milhões de brasileiros conscientes, que lutam para que essa via MALIGNA, CORRUPTA, PODRE, não se confirme no próximo domingo.

Sempre que viajo ao Rio Grande do Sul, levo alguns exemplares aos meus amigos e familiares.

Leio o jornal no trabalho e, apesar do meu atual aperto financeiro, voltarei a ser assinante, pois é honroso constatar tamanha qualidade.

Que Deus ilumine a vida de todos os profissionais desse defensor da democracia e lhe dê muitos séculos de vida!

E viva a imprensa livre!

Adilson Salvadori adilsonsalvadori@yahoo.com.br

São Paulo

__________________________

VALEU, ESTADÃO!

O editorial ''O mal a evitar'' mostrou a este povo desavisado e desinformado que os leitores deste jornal usam a cabeça para pensar, e não para enfeitar um pescoço preso por uma cangalha, como quer o presidente que tem azia à leitura. O que eu gostaria de responder ao presidente que criticou a liberdade de imprensa o jornal respondeu de forma brilhante. Esse editorial está na minha lista de favoritos, assim como tantos outros, para ser lido e mostrado, principalmente depois que esta quadrilha instalada no poder for eliminada através do voto livre e democrático, praticado por um povo esclarecido.

Maria Eloiza Rocha Saez m.eloiza@gmail.com

Curitiba

__________________________

TÁTICAS QUESTIONÁVEIS

Li o editorial deste fim de semana (o último antes das eleições) e as reações de leitores do Estado no Fórum do jornal de 28/9. Fiquei intrigado com a posição dos leitores srs. Antonio Perez Jr., Marcelo Vidigal, Ricardo Marques, M. Helena M. Borges Martins, M. Carolina V. de Campos Sales, Carolina Tassi, Clésio Antonio Balbo, Lauro Parente, Celso Heladio Ortiz, Raquel Lucat e Ariel Krok. Pelo que entendi, eles parabenizaram o jornal por ter assumido claramente uma posição política por um candidato.

Não acho que tenha sido uma atitude corajosa desse jornal, muito pelo contrário. Se este posicionamento tivesse sido feito logo o início das eleições, eu teria opinião contrária. Como ele foi feito estrategicamente uma semana antes das eleições, só posso considerá-lo oportunista e indicativo de uma atitude covarde do jornal. Não houve nenhuma grandeza no gesto, muito pelo contrário.

O jornal tem, obviamente, o direito de se posicionar ao lado de um dos candidatos. Eu diria que até um dever moral, pois assim os seus leitores sabem claramente quais as posições defendidas por ele. O que vi que aconteceu foi que o Estadão se colocou contra um candidato, e não simplesmente a favor de outro. Fez ataques que eram disfarçados, até o fim de semana passado, sob uma fingida neutralidade. Agora, na reta final e com pouquíssimas chances de seu candidato ir ao segundo turno, o jornal se diz a favor de José Serra.

Envergonha-me ler um editorial tão cínico num jornal que já teve uma participação importante na história política deste país. Espero que nas próximas eleições o Estadão seja verdadeiramente honesto e não use de táticas questionáveis, podendo se afastar de posicionamento éticos questionáveis de vários veículos de mídia atuais.

Alexandre Paulino Veja vega.alexandre@hotmail.com

São Paulo

__________________________

LIVRE PENSAMENTO E EXPRESSÃO

Antes enfrentássemos uma ditadura de fuzilamento do que esta ditadura camuflada, em que o rei é generoso com os amigos fiéis e impiedoso com aqueles que ousam discordar!

Avante, Estadão, não esmoreça diante desses inimigos do livre pensamento e expressão!

João Batista de Lacerda [mailto:jblmo1948@gmail.com]

São Paulo

__________________________

OPRESSÃO DISFARÇADA

Parabéns pelo editorial "O mal a evitar". Diferente de outras publicações que manipulam suas reportagens para dar maior visibilidade aos candidatos que apoiam, enganando o leitor e dizendo-se plural, o Estadão foi transparente, demonstrou sua opinião e ideologia onde isso deve ser feito, no editorial. E não em críticas indiretas nas matérias.

Tenho total consciência, e gostaria que todos os eleitores tivessem também, de que a posição do Estadão não reflete um ideologia política ou uma simples simpatia pelo tucanato, mas um desejo de que se mantenha a liberdade de expressão e de imprensa no Brasil. O Estadão passou pelo período mais crítico de nossa História, a ditadura militar, e bem sabe como é se trabalhar com mordaças. É preciso entender que o jornal não está ligado a um partido, mas ligado ao povo brasileiro, prezando por sua liberdade e direito democrático.

Mais uma vez, parabéns ao Estadão por sua coragem de dizer o que pensa e, sem máscaras, lutar por liberdade num Brasil onde as pessoas estão cada vez mais acomodadas e inertes ante a opressão disfarçada que vivemos.

Leopoldo Rosalino leopoldo.curralo@terra.com.br

São Paulo

__________________________

TEMPESTADE TOTALITÁRIA

O editorial de domingo do Estadão lavou a minha alma. Tomei um banho

de civísmo e me agasalhei sob o manto da democracia. ''O mal a evitar''

foi mais um soar dos clarins, um importante grito de alerta dado por

esse jornal centenário contra a tempestade totalitária que ronda os

horizontes do Brasil. Depois de lê-lo, saí cantando: ''Liberdade,

liberdade, abra as asas sobre nós e que a voz do jornal O

Estado seja sempre a nossa voz.''

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

__________________________

NINGUÉM ESPERAVA

O jornal O Estado de S. Paulo, como o The New York Times, declarou seu apoio a um candidato, atitude só tomada nas grandes democracias do Primeiro Mundo, agora, chegou ao Terceiro Mundo. O Estado sai fortalecido para lutar contra a censura, a corrupção, as oligarquias e uma futura ditadura. O editorial "O mal a evitar" foi um tapa de luvas de pelica nas barbas de Luiz Inácio.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

__________________________

ORGULHO!

Parabéns pelo editorial do Estadão, há muito tempo não sentia satisfação, orgulho, em ler uma matéria.

Somos um povo, uma nação, nåo pode um homem achar que somos um bando de idiotas.

É com grande amor a este país que digo: vamos levantar as nossas vozes contra a falta de caráter e de dignidade

Ainda ha esperança, somos brasileiros, não lulistas.

Ilka lemos ilka@ilkalemos.com.br

São Paulo

__________________________

CORAÇÃO MAIS LEVE

Eu e meu marido somos assinantes do Estadão e tive a oportunidade de ler o editorial de domingo ''O mal a evitar''.

Ao término da leitura, tornei-me mais fã da redação e da postura do jornal. Confesso que vocês andam ''pisando na bola'' com a língua portuguesa. Há algumas semanas, o caderno Metrópole foi rodado sem o título de capa, entre outras coisas que comprometem a leitura diária.

No entanto, ler a opinião de vocês sobre o candidato que o Grupo Estado apoia é de deixar qualquer cidadão realmente democrata com o coração mais leve.

Vocês tiveram a postura que todos os veículos deveriam ter: defender sua posição partidária. É saudável e democrático!

O Lula, do jeito mais do que torto dele, exigiu isso: postura, opinião. As redações precisam deixar a hipocrisia de lado e demonstrar suas posturas políticas. Afinal, jornalistas são seres humanos (e não deuses, como muitos têm a certeza que o são) e têm posições que devem ser explicitadas, justamente para garantir a clareza de textos e escolhas de pautas.

A democracia é uma escolha constante e fico muito satisfeita em ter escolhido o Estadão para ser meu jornal diário.

Obrigada pela coragem e pela clareza - nos textos do caderno A sempre foi possível notar a postura da redação quanto ao seu candidato, mas é bom ter isso verbalizado no editorial.

A CartaCapital foi precursora dessa postura e o Estadão seguiu um excelente exemplo.

Daniela Karasawa danikarasawa@gmail.com

São Paulo

__________________________

FELICITAÇÕES DEMOCRÁTICAS

Não sou assinante do Estadão, mas, felizmente, recebi de amigos o editorial "O mal a evitar".

Como brasileiro, não podia deixar de PARABENIZÁ-LOS PELA CORAGEM, RESPEITO À IMPRENSA (que corre grande risco de ser censurada, caso a sra. ''Lula'' venha a ser eleita) E, PRINCIPALMENTE PELO RESPEITO AO POVO BRASILEIRO.

Lamentavelmente, poucos são os brasileiros que tem acesso a imprensa escrita.

ESTADÃO, PARABÉNS.

Democraticamente,

Flávio Fernando Barbosa Lima Trigo ftrigo@dialdata.com.br

São Paulo

__________________________

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.