Cartas - 31/07/2010

CENSURA

, O Estado de S.Paulo

31 Julho 2010 | 00h00

Um ano

Hoje faz um ano que o Estadão está sob censura. Nesse tipo de aniversário não há comemoração, e sim revolta.

VALTER GALI

vgali@concili.com.br

São Paulo

_______________________________________

Primeira velinha

Parabéns a vocês do Estadão nesta data infeliz. Muitas verdades precisarão ser ditas para desmascarar os políticos fascistas.

VIDAL DOS SANTOS

vidal.santos@yahoo.com.br

São Paulo

_______________________________________

Liberdade democrática

É sumamente triste e decepcionante a atitude despótica das nossas autoridades executivas, legislativas e judiciárias ao permitirem que se possa desejar, sadicamente, parabéns a você! Donde se vê que elas ultrapassaram os limites da liberdade democrática. Cordial e solidariamente,

RÉGIS D. C. FUSARO

rxfusaro@hotmail.com

São Paulo

_______________________________________

Respeito

Um ano de censura ao Estadão por conta da Operação Boi Barrica, da Polícia Federal. Pune-se quem, escudado pela Constituição, divulga verdades e se releva quem pratica delitos. Quando teremos representantes em todas as áreas do governo que possam ser respeitados pelos cidadãos brasileiros e por representantes sérios de outros países?

ALVARO SALVI

alvarosalvi@yahoo.com

Santo André

_______________________________________

Julgamento do mérito

A imprensa brasileira, de luto, amarga hoje o primeiro aniversário da censura imposta em 31 de julho do ano passado e que feriu o constitucional direito à imunidade (ius immunitatis) de um dos mais patrióticos e respeitáveis jornais do Brasil, O Estado de S. Paulo, por infeliz decisão liminar do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), proferida em ação requerida pelo empresário Fernando Sarney, que lhe amordaçou o direito de divulgar informações sobre a Operação Boi Barrica. Pressentindo responsabilidades futuras, o aludido empresário entrou com pedido de desistência da ação, com o qual não concordou o Estadão, que quer o julgamento em seu mérito. Pois bem, com a concessão da medida liminar, dada ao arrepio da nossa Carta Magna (artigo 5.º, IX), e com o referido pedido de arquivamento, o TJ-DF está com o processo atravessado na garganta, pois, no mérito, terá de ser dado ganho de causa ao Estado, o que virá a desmoralizar a colenda Corte, que sem a menor cautela concedeu tão violenta medida, que pôs por terra as garantias fundamentais dos direitos e deveres individuais e coletivos previstos no título II, capítulo I, da Constituição da República. Não seria esta a causa do engavetamento prolongado do processo?

ANTONIO BRANDILEONE

abrandileone@uol.com.br

Assis

_______________________________________

ESCLARECIMENTOS

Erro de digitação

Refiro-me à matéria sobre a evolução patrimonial dos candidatos (27/7). Em atenção aos leitores do Estado, esclareço que na minha candidatura de 2004 a declaração de bens ao TRE contém o imóvel do Bairro Itaim. Assim como consta de todas as declarações de bens à Receita Federal desde 2003. Repetiu-se a mesma declaração ao TSE em 2010. Erro material de digitação omitiu o bem na declaração de 2006.

MICHEL TEMER

São Paulo

_______________________________________

Renda Cidadã

Com grande surpresa assistimos à entrevista do candidato a governador pelo PT na TV Estadão, fazendo comparação entre o programa Renda Cidadã, do governo do Estado de São Paulo, e o Bolsa-Família, do governo federal. Lamentamos os erros cometidos pelo candidato, principalmente quando propõe a eliminação do programa do Estado, criado em 2001, portanto, muito antes do federal. Por meio de convênios com os governos municipais - os legítimos gestores do programa - atendemos a quase 162 mil famílias (cerca de 650 mil pessoas), ou seja, muito acima dos números equivocadamente mencionados na entrevista. Um dos aspectos mais importantes do Renda Cidadã é que, ao contrário do programa federal, se caracteriza por seu caráter de formação do cidadão, ao estar condicionado ao cumprimento de metas de vacinação e frequência escolar dos filhos das famílias de baixa renda. Outro aspecto é que o teto de renda estabelecido, de meio salário mínimo (R$ 255), é quase o dobro do exigido pelo programa de renda mínima do âmbito federal (R$ 140), possibilitando o acesso de um contingente maior da população. Os benefícios do Renda Cidadã vão além de qualquer outro de âmbito federal, ao criar um complemento que visa a oferecer formação e qualificação para o trabalho, com o intuito de que as famílias beneficiadas possam, de fato, ultrapassar a linha de pobreza. Reconhecemos que há muito a ser feito em termos de inclusão social. Mas temos plena consciência de que os programas sociais desenvolvidos e implantados pelo governo paulista estão muito à frente de qualquer outro no País.

LUIZ CARLOS DELBEN LEITE, secretário estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads)

delben.leite@sp.gov.br

São Paulo

_______________________________________

Cartéis

Com relação ao editorial O combate aos cartéis (30/7, A3), o Ministério da Justiça esclarece que a proposta de exigir que empresas processadas pela SDE por condutas anticompetitivas publiquem fato relevante sobre a instauração de processos foi uma sugestão apresentada pelo Ministério Público Federal, durante a reunião da 2.ª Estratégia Nacional de Combate a Cartéis, mas que contou com o apoio unânime de todos os órgãos representados, entre eles Polícia Federal, Advocacia-Geral da União, Agência Nacional do Petróleo, Associação Nacional do Ministério Público Criminal, Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas e polícias civis de diversos Estados. A medida tem como finalidade trazer mais transparência ao mercado, disponibilizando aos acionistas informações que podem vir a impactar o valor das ações dessas empresas. De qualquer forma, trata-se de sugestão que será encaminhada à Comissão de Valores Mobiliários, à qual caberá, como órgão regulador do mercado de capitais, decidir em última instância pela conveniência ou não de sua adoção.

TATIANE FREIRE, chefe da Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Justiça

joao.amurim@mj.gov.br

Brasília

_______________________________________

"Meus pêsames pelo aniversário do autoritarismo imposto a esse jornal"

PAULO BARROS / SÃO PAULO, SOBRE UM ANO DA CENSURA AO "ESTADÃO"

dr.paulobarros25000@gmail.com

"Usualmente, comemorar um ano de vida é motivo para felicidade e festa.

Já os 365 dias de censura ao "Estadão" constituem motivo de tristeza e luto"

MARIA DO CARMO ZAFFALON LEME CARDOSO / BAURU, IDEM

mdokrmo@hotmail.com

"Afinal, a quem realmente interessa essa censura e qual será o grande mistério desse tal "boi Barrica"?"

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI / PRAIA GRANDE, IDEM

mmpassoni@gmail.com

_______________________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 2.467

TEMA DO DIA

Farc querem dialogar com presidente eleito

Em vídeo, guerrilha propõe a novo presidente da Colômbia negociar; Lula evita polêmica com Uribe

"O vídeo exibe um grupo armado falido, mantido pelo narcotráfico, que tenta se salvar com o apoio de governos da região."

CHARLES HISSNAUER

"As Farc sabem que perderam e tentam negociar um status político. Seria a rendição do governo e do povo. Não há clima."

JOSÉ WANDERLEY CAVERSAN

"O que Lula fez foi baixar a bola do Uribe, que queria deixar a bomba para Santos. Discurso de "rei sem trono" não incomoda."

EDSON SOUZA

_______________________________________

Cartas enviadas ao Fórum dos Leitores, selecionadas para o estadão.com.br

UM ANO SOB CENSURA

O jornal Estado de S. Paulo está sob censura prévia desde 31 de julho de 2009. Faz um ano que o Judiciário aceitou o pedido de censura requerido por Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A família Sarney realmente manda e desmanda na República. O absurdo deste fato vem confirmar um procedimento que está se tornando comum nos últimos tempos, que é o surgimento da ideia de que a imprensa é a grande culpada pela imagem negativa do Legislativo, do Judiciário e do Executivo ante a opinião pública. Um grande número de parlamentares, juizes e membros do Executivo é contra a divulgação pela imprensa dos escândalos que surgem diariamente nessas instituições da República. Com a censura imposta ao Estadão, o consenso entre esse pessoal é inverter as coisas, transformando o criminoso em vítima. Mesmo denunciados pela imprensa, a maioria dos corruptos acusados de roubalheira e outros crimes está solta. Imaginem se esse pessoal não tivesse sido apontado pela imprensa: estariam roubando até hoje. Juízes das altas Cortes brigam publicamente com juízes de cortes mais baixas. Essa bagunça jurídica tomou impulso a paritr de 1988, quando o atual ministro da Defesa, Nelson Jobim, era deputado federal e articulou a votação das leis na nova Constituição da República. Segundo declarações do mesmo, todas as leis para serem aprovadas tinham que ser ambíguas, para que pudessem contentar todos os grupos que detinham o poder no Congresso Nacional. Como resultado desse absurdo somente foram aprovadas leis propositadamente controversas, destinadas a manter fora da cadeia todos

os ladrões e assassinos ligados ao poder. E o pior disso tudo é que os donos do poder querem proibir que o povo tome conhecimento pela imprensa do assalto diário que os corruptos de colarinho branco fazem aos cofres públicos. Qualquer tipo de censura à midia atinge mais o cidadão usuário do que a própria mídia.

WILSON GORDON PARKER wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

________________________________________________

Aniversário

Um aniversário sempre é uma data a ser comemorada. Até num aniversrio de morte podemos comemorar a saudade, a lembrança da pessoa que se foi. Neste aniversário da censura imposta pela Justiça brasileira ao Estadão, nada a comemorar, tudo a lamentar, e a sentir muita vergonha de ser cidadão de um país onde os poderosos chefões ditam a regra do jogo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

________________________________________________

Mordaça

Um ano de mordaça imposta ao jornal O Estado de S. Paulo! E pensar que o presidente do Brasil, senhor Lula da Silva, que tantas vezes usou da imprensa para se autopromover, virou as costas a esse embaraço causado à liberdade de imprensa. Difícil acreditar que numa democracia existam tantas pessoas torcendo para a volta da censura e quiçá do comunismo. Lula foi eleito pelo voto direto e jamais deveria ter deixado um jornal ficar tanto tempo sob as ordens da família Sarney, prova de que o coronelismo e o corporativismo no Brasil não acabaram. Por tudo o que temos visto nestes últimos tempos, fica dificil acreditar que vivemos numa democracia. Começa assim, depois virão outros. Meus pêsames ao presidente do Brasil, que não moveu um dedo para espantar a censura que nos ronda, razão pela qual o PNDH-3 vem mostrando suas garras em doses homeopáticas.

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

________________________________________________

UM TRISTE E MELANCÓLICO ANIVERSÁRIO

Dadas as mazelas originadas pela impostura do sr. Fernando Sarney, a (in)Justiça brasileira tenta calar o maior jornal do país, com censura, que ''comemora'' triste e melancólicamente, 365 dias, ou um aniversário, sem que tivessem a independência e a coragem de reconhecer tal impropriedade.

Ares e hálitos putrefatos de uma esquerda retrógada e superada arraigada nesta infeliz América do Sul talvez tenham muito a celebrar. Nós, cidadãos livres e de bons costumes, saberemos valorizar os princípios da liberdade que alcançam os justos, que são uma bandeira desse jornal.

VIVA O ESTADÃO!!!

João Batista Pazinato Neto pazinato51@hotmail.com

Barueri

________________________________________________

Pergunta ao STF

Onde está a imprensa livre no Brasil?

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

________________________________________________

Inominável mancha

Ao cumprir um ano de estado de censura, o jornal O Estado de S. Paulo poderia anunciar com destaque nomes e fotografias de todos os responsáveis, direta e indiretamente, por essa inominável mancha que conspurca o direito à liberdade de expressão e opinião, garantido pela Constituição brasileira. Serviria de reflexão e reconhecimento de quem são os atuais inimigos que a sociedade brasileira deve combater , inclusive pelo voto, se for o caso. Aliás, os demais órgãos de imprensa deveriam fazer o mesmo, posto que todos estão sujeitos ao mesmo ato ditador e criminoso .

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

________________________________________________

Trovas

Inspirado a fazer versos

Agora irei tentar,

A censura ao Estadão,

Parece não acabar.

Os dias vão se passando

Sinto angústia e agonia,

exatamente hoje

completam-se 365 dias.

O mistério continua

A dúvida sempre fica,

Ninguém descobre o segredo

do maldito Boi Barrica.

Ocorra o que ocorrer

De escrever eu não me afasto,

Enquanto não se descobre

O Boi pasta em outro pasto.

De todos eu me despeço,

Desejando um forte abraço

Podem ficar tranquilos,

O Boi vai cair no laço.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

________________________________________________

Resistência

Um ano de censura ao Estadão, que barbaridade. O clã Sarney, responsável por isso, continua mandando e desmandando. Será que os eleitores e os brasileiros vão permitir que isso perdure até o século 22? Já passou da hora de terminarmos com esse tipo de político e essa politicalha, contra a qual lutavam Lula e o PT, mas, grande decepção, se aliaram a essa ''trupe''. Afinal, Lula foi eleito para quê? O que mais parece é ter sido para se aliar a essa gentalha retrógrada, comparável aos participantes do Foro de São Paulo, em edição revista e piorada...Parabéns ao Estadão, que resiste bravamente a tudo isso (mais uma vez)

CARLOS E. B. RODRIGUES carlosedleiloes@terra.com.br

São Paulo

________________________________________________

Som na caixa (andamento fúnebre)

''Parabéns prá você,

nesta data, calado;

o silêncio, imposto,

foi por certo comprado."

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

________________________________________________

Um ano da vergonha

Há exatos 365 dias que o Estadão segue censurado. O desembargador Dácio Vieira, do TJ-DF, usou o seu poder de julgar para exclusivamente cercear a liberdade da informação. Tudo para privilegiar um dileto amigo Fernando Sarney, que responde a ação judicial sobre ilícitos apurados pela Polícia Federal na Operação Boi Barrica.

Mesmo com a indignação demonstrada pelas entidades representativas e da população durante este período, condenando essa censura, a Justiça brasileira manteve-se insensível a esta agressão constitucional, não dando fim a este horror autoritário.

E o Lula, dando mostras do porquê é muito amigo de governantes que desprezam a liberdade de expressão, calou-se nos porões do Planalto, lixando-se para este bem maior da democracia que é a liberdade de imprensa.

Esta mesma imprensa sem o qual o ex-metalúrgico seria um Silva qualquer...

E é muito triste para nossa sociedade constatar estes 365 dias de vergonhosa censura, porque mesmo passadas mais de três décadas do fim do regime militar, infelizmente ainda está presente a vocação repressiva de muitos homens públicos ligados às nossas instituições, e ainda de alguns magistrados...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

________________________________________________

CENSURA ABSURDA

É deplorável termos de lembrar que a censura ao Estadão completa, nesta data, um ano, graças a uma ação movida pelo filho do presidente do Senado, sr. Fernando Sarney, família influente. São inúmeros os envolvimentos em ilicitudes, falcatruas, maracutaias, mazelas, abusos do erário, tão divulgados e de conhecimento público. A decisão da censura ao jornal foi concedida por juiz ''amigo da família'', contrariando a Constituição, vedando a liberdade de expressão, proibindo a divulgação de notícias de gravações do caso conhecido por ''Boi Barrica''. Houve o pedido de desistência da ação pelo seu autor e, até agora, o mérito ainda não foi julgado, demonstrando o desinteresse e a morosidade da Justiça brasileira. Até quando vamos conviver com essa censura absurda?

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

________________________________________________

Demora

A censura ao Estadão completa seu primeiro aniversário. Na realidade, ela se divide em duas partes. 1.ª - De 31 de julho a 18 de dezembro de 2009: imposta pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e mantida pelo Supremo Tribunal Federal, após recurso de inconstitucionalidade impetrado pelo jornal. 2.ª - De 18 de dezembro até a presente data: ''autocensura'', em razão da não-aceitação da desistência da ação por parte do queixoso. Dado o fato de a mesma ter sido abandonada pelo denunciante e da afirmação de um ministro de que a solução do caso, via reclamação de inconstitucionalidade, certamente iria demorar, não será surpresa se vários outros aniversários vierem a ser celebrados antes que as luzes da ribalta da Justiça sejam postas à disposição do advogado Manuel Affonso Ferreira.

Flávio José Rodrigues de Aguiar rsd100936@terra.com.br

Resende (RJ)

________________________________________________

CENSURA NUNCA MAIS?

Que Barrichello, que nada! Que Massa, que nada! Vergonha é Estadão "aniversariar" sob o tacão, mais uma vez, da censura equivocada. Para censurar a Justiça apenas "estalou" os dedos. Para julgar o mérito procrastina-se no adormentar de olhar o horizonte, que nunca desaparece no esforço do tempo infinito, que é o tempo de julgar. Lamentável!!!Que poder demoníaco possui o famigerado beneficiário da censura? Continua sem resposta a pergunta do leitor sr. Alberto Nunes (22/12/2009): QUEM ERROU MAIS, FERNANDINHO SARNEY OU O STF?"

Nicanor Amaro da Silva Neto nicanoramaro@yahoo.com.br

Bauru

________________________________________________

Verdadeira ditadura

De que adianta o Lulla fazer essa presepada toda querendo ser o tal, quando, na verdade, ele não passa de um grande enganador? Enganou o povão nesses malditos oito anos, seu partido, o PT, descumpriu a sua promessa de que não deixaria ninguém roubar, mas foram eles os primeiros a roubar. Mas encobrir crimes, como o caso do Toninho de Campinas e do Celso Daniel, o caso da Bancoop, etc., etc., isso ja é velho hábito de muitos integrantes desse partido, inclusive da candidata deles à Presidência. Hoje faz um ano que um dos maiores jornais de nosso país está sob censura, para acobertar as peripécias da família Sarney. Mas num país que tem um Lulla como presidente da República, um José Sarney como presidente do Senado e um presidente da mais alta Corte como Gilmar Mendes e um ministro dessa mesma Suprema Corte como Toffoli, o que nós, brasileiros, podemos esperar?

A censura ao Estadão faz o aniversário mais vergonhoso para todos nós, brasileiros, sob os olhares de Lula e do PT.

Paulo Francisco Siqueira dos Santos paulosiqueirasantos@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

________________________________________________

TSE = Ferrari?

É na velocidade do processo Estadão/Sarney que o Lulla quer que o TSE se desdobre sobre as infrações de sua campanha.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

________________________________________________

QUESTÃO DE JUSTIÇA

Será que a Justiça efetivamente punirá os políticos que utilizam descaradamente os funcionários dos seus gabinetes para trabalhos privados, o que inclui campanhas eleitorais, ou, simplesmente, ignorará ou, pior, censurará os veículos de comunicação que denunciam os crimes cometidos contra a Nação e o povo brasileiro (Estadão)? Afinal de contas, quem paga esta conta é o cidadão que trabalha cerca de cinco meses para o governo poder encher os seus bolsos e muito pouco retribuir em serviços essenciais para o País.

David Neto drdavidneto@drdavidneto.com.br

São Paulo

________________________________________________

De Ford a Jó e São Tomé

Não sei se é lenda ou verdade, mas, quando da fabricação dos primeiros carros de marca Ford, o proprietário disse que aceitava que os mesmos fossem de qualquer cor, desde que fossem pretos. Isso me remete ao que vejo na campanha eleitoral deste ano, onde o governo Lula resolveu que passará, sim, o bastão do seu governo, desde que seja para a candidata dele, Dilma Rousseff. E talvez por isso, para que nada sirva de obstáculo na corrida de sua pupila, toda as instituições do governo acabam fluindo só a favor de sua correnteza. Querem ver dois exemplos?

1) O julgamento da morte de Celso Daniel, que se daria proximamente, foi adiado para só depois das eleições...

2) O TSE impôs censura à propaganda eleitoral, a ponto de atingir até os comediantes, que sempre usaram deste período para fazer ótimas sátiras e criar seus melhores personagens. O interessante é que esta regra não vale para o presidente Lula, que anda cada vez mais destemperado, afrontando as leis eleitorais sem pejo nem temor... já que nada lhe acontece.

Para coroar tudo isso, impõem-nos uma urna eleitoral que nem sequer imprime um comprovante de meu voto, sob a alegação que exige uma tecnologia muito complexa (?)! Como vou saber se o número que cliquei corresponde realmente ao do meu candidato? Fica uma pergunta: você usaria um caixa eletrônico bancário se ele não lhe desse um comprovante de sua operação? Eu, não. Mas sou obrigada a confiar nessa urna eletrônica... Posso ter paciência de Jó, mas sou igual São Tomé, preciso ver para crer! Mas, por enquanto, divido essa pulga atrás da orelha de vocês também...

Mara Montezuma Assaf montezuma.fassa@gmail.com

São Paulo

________________________________________________

TÚNEL DO TEMPO

Eu, na minha santa ignorância - e mais milhões de brasileiros iguais a mim -, pensei e acreditei que o tal de Ciro Gomes fosse diferente dos atuais políticos e que seria uma reserva moral para elegermos como presidente em 2014, mas tomei conhecimento através do grande Estadão (que faz um ano que está castrado de falar em Fernando Sarney), na matéria "Túnel do Tempo" (30/7, A8), da sua posição, a qual li e que dispensa comentários.

Ele se enfileira com os Paulos Maluf da vida, é do ninho do José Dirceu, dos aloprados, mensalões e dos picaretas, conforme o seu reizinho e líder falou e a quem ele obedece cegamente.

Como temos memória fraca e agora a ficha limpa está nos ajudando, espero que até 2014 nos lembremos desta grande reportagem e ela ative a memória dele e a nossa, que são fracas.

Emanuel Fausto Caltabiano de Barros administracao@transcorre.com.br

Guaratinguetá

________________________________________________

GARANTIDO O FUTURO

Muito provavelmente Ciro Gomes acredita na vitória de Dilma e desde já está ''cavando uma boquinha'', ou não?

JOSÉ PIACSEK NETO bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

________________________________________________

Demagogia ou desastre

Não caberia à Justiça Eleitoral impedir o Festival Nacional da Juventude Hitlerista (ou será Rural?) realizado em Brasília, assim como o "plebiscito" a ser realizado em setembro, por serem uma evidente campanha que favorece um dos candidatos, e com recursos públicos? Só falta chamar o xamã boliviano. Se isso não caracteriza uma grande demagogia, será um grande desastre, pois vai contra as ações que desenvolvem o setor rural brasileiro, como evidenciou o editorial "Modernização do campo" (30/7, A3).

José Marques Vieira Filho jm.filho1962@uol.com.br

Rio de Janeiro

________________________________________________

Anarquia

O deputado Candido Vaccarezza nos faz rir quando defende o MST, qualificando-o como movimento social. Com quais argumentos, companheiro? Só cego não enxerga as verdadeiras intenções desse movimento anarquista.

Leila E. Leitão

São Paulo

________________________________________________

Motoboys

Os motoboys prestam vários tipos de serviços: levam e trazem documentos, remédios, pizzas, etc., nas esclerosadas vias de São Paulo.

Alguns outros prestam também outros "serviços", como participar de grupos de extermínio e de sequestros relâmpago.

Mas a maioria dos motoboys trafega na contramão e em alta velocidade, entre as filas de carros, atravessa sinais vermelhos, polui a cidade com seus escapamentos barulhentos e fumegantes. E causam acidentes em proporções alarmantes - morrem cerca de dois motoboys por dia -, atravancam ainda mais o trânsito congestionado, sobrecarregam os serviços de resgate e o SUS. Não conheço estatísticas de quantos não-motoboys morrem nesses acidentes. Quando as autoridades competentes tomarão providencias para acabar com a farra dos motoboys?

José Sebastião de Paiva j-paiva2@hotmail.com

São Paulo

________________________________________________

Crédito para o transporte público

Saiu da fila de obras o corredor Diadema-Morumbi. A fiscalização do Ministério Público em cima do corredor, solicitada pela Empresa Metropolitana de Trens Urbanos (EMTU) depois da decisão do Estado de investir mais R$ 23 milhões na obra, mostra mais um acerto retumbante do governo José Serra-Alberto Goldman na expansão do transporte público em São Paulo. É com investimentos em obras de infraestrutura e transporte público que vamos continuar o desenvolvimento paulista.

José Carlos Cruz cruz.jc02@gmail.com

Osasco

________________________________________________

Trecho Sul do Rodoanel

O Trecho Sul do Rodoanel vai receber, a partir da próxima semana, mais de 30 mil veículos de carga por dia, segundo estimativas oficiais. E já está sendo desafiado sob o argumento de que está inacabado. O contexto utilizado sugere que há um claro objetivo de denegrir a imagem das estradas paulistas porque estamos em período eleitoral.

Tiago Vinícius Matos matostv@hotmail.com

São Paulo

________________________________________________

RODOANEL

Já que o assunto novamente é o Rodoanel, que tal repensar a cobrança de pedágio?

Pedágio somente na saída de acesso às rodovias no sentido interior. Chega de pagar o IPVA mais caro do Brasil, chega de impostos. Acorda, Brasil!!!

ANGELO ANTONIO MAGLIO Angelo@rancholarimoveis.com.br

Cotia

________________________________________________

Impostos

IPTU, IPVA, IR, ISS, INSS, PIS e outras taxas assaltam o bolso do brasileiro diariamente. Já que não adianta chorar, vamos cantar: ''A taxa do mundo é nossa...''

CLÁUDIO MOSCHELLA arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

________________________________________________

Proibição no tráfego paulista

Sr. prefeito Gilberto Kassab, antes de proibir de forma autoritária o trânsito de determinados veículos automotores em certos locais da cidade de São Paulo, deveria construir novas obras, de elevados, túneis, pontes, ampliação e inauguração de modernas vias, visando a dar maior vazão ao carregado tráfego de São Paulo. Mas como proibir é mais fácil do que investir e construir, então, pune-se o cidadão por possuir veículo e utilizá-lo, apesar de este pagar muitos e elevados impostos. Um absurdo!

Sugiro que o o sr. prefeito proíba de uma vez as montadoras de produzirem veículos, assim resolveria definitivamente o caos no tráfego paulista, mas isso nossas ''ilustres'' autoridades não querem, porque perderiam substâncial arrecadação cobrada das empresas produtoras de veículos e dos cidadãos que pagam IPVA, licenciamento, seguro DPVAT, multas, taxa de inspeção veicular (Controlar), etc...

Luciano De Paoli lpaoli@uol.com.br

São Paulo

________________________________________________

Loucura II

Dois recados para a promotora -- e salvadora -- dra. Maria Amélia Nardy Pereira: um, só se restringe tráfego em duas condições, quando o veículo é muito lento e por isso perigoso, caso da bicicleta, ou quando atrapalha a fluidez por qualquer motivo. A motocicleta acima de 125 cm³ não se enquadra em nenhuma e, portanto, tem o direito ao tráfego em todas as vias. Se fosse perigoso moto na pista expressa, esse veículo nunca poderia pegar estrada. Outro, tachas de solo refletivas para demarcação de faixas de rolamento só se aplicam em vias desprovidas de iluminação, como as rodovias. São desnecessárias, redundantes e incômodas na cidade. Cheiro de irregularidade administrativa no ar.

Bob Sharp bobsharp@uol.com.br

São Paulo

________________________________________________

Boi na linha

Do jeito que pegam no pé e usam qualquer crítica contra o prefeito Gilberto Kassab, a oposição e a mídia jamais pensaram que seu índice de popularidade iria aumentar. Mas é de tanto que escutam e leem que ele é o culpado de tudo que a população começou a achar que tem boi na linha.

Aliana Cândida Silva alianacandida@yahoo.com.br

São Paulo

________________________________________________

APOSENTADOS ROUBADOS

O "cara", que não queria aumentar 7,22% no ganho dos posentados, acabou levando a melhor via sindicatos, que os estão tungando em 2%, descontados diretamente no INSS , sem anuência dos mesmos; dessa forma o aumento caiu para 5,22%. O apetite dos sindicatos é insaciável. Se eu adivinhasse, teria me tornado sindicalista, como o "cara", em vez de trabalhar, contribuir para sindicatos e pagar Imposto de Renda.

Mário A. Dente dente28@gamil.com

São Paulo

________________________________________________

Uma solução

O ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, prestou um grande serviço à Nação e aos eleitores ao dizer que pretende dar fim às pensões herdadas (sic), que beneficiam cerca de 3,4 milhões de cônjuges de trabalhadores falecidos, principalmente mulheres, além do corte de outros benefícios previdenciários.

Por que não acabar com o problema das viúvas de uma vez? Em alguns países da Ásia já se usou este método com sucesso: queimar a viúva junto com o marido morto! Assim não tem despesas com pensao, diminui a fila nos postos de saúde, os assentos na frente dos ônibus ficam livres e, além disso, elas não votam mesmo!!

Helga Szmuk, aposentada helgasz@uol.com.br

Florianópolis

________________________________________________

Aposentados

Foi este o governo que alardeou que ''agora você pode se aposentar em meia hora'', nos postos do INSS é tudo fácil! E o aposentado cai na conversa. Nessa facilidade vem escondida a autorização de desconto de 2% para o sindicalismo! Quer dizer: além da deterioração anual do valor da aposentadoria, o INSS tunga 2% ao mês! O ministro da Previdência ''combina'' com entidades que para cancelar o desconto tem que ser só no sindicato! Nem no banco, nem no INSS! Para pagar, tudo fácil e rápido. Para cancelar, dificultar ao máximo: burocracia neles!

ALBERTO FUTURO carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

________________________________________________

IMPUNIDADE

Fico chocada com o sofrimento da atriz Cissa Guimarães pela morte de seu filho e revoltada por ter a certeza de que o assassino não ficará um dia sequer na cadeia, aliás, como aconteceu com o ex-goleiro Edinho, filho de Pelé, que estava tirando um ''racha'' em Santos quando atropelou e matou um inocente, e ficou impune. O Brasil só será um grande país quando seus criminosos ricos forem pra cadeia.

Eliana Oda linaoda@bol.com.br

São Paulo

________________________________________________

PMS são afastados

O caso do atropelamento do filho da atriz Cissa Guimarães tem que ser investigado muito bem, tudo está mal esclarecido e os policiais ainda liberaram os atropeladores. A corregedoria tem que entrar em ação para verificar a conduta dos militares. Quanto aos atropeladores, se constatada a culpa, é bom que tenham punição de acordo e que não haja impunidade.

André Aparecido Martins da Silva andremartins09@ig.com.br

São Paulo

________________________________________________

FARSA

A publicidade, em rede nacional, de um flagrante envolvendo um simplório mecânico que ofereceu R$ 70 para um policial não apreender a sua "lata velha", cujos documentos estavam, escandalosamente, irregulares, pareceu-me uma farsa para corroborar, em contrapartida, o que ocorreu por ocasião do acidente envolvendo o Rafael Mascarenhas. Se o infrator for condenando, mesmo, aos 12 anos previstos na lei, haja cadeias.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

________________________________________________

O ATROPELAMENTO E O BRASIL DE TODOS OS DIAS

Um mata, o pai deste corrompe e quem vai preso? Os PMs supostos de terem sido corrompidos. Chega!

RONALDO JOSÉ NEVES DE CARVALHO rone@roneadm.com.br

São Paulo

________________________________________________

Bebês assassinados

''Mãe confessa ter matado 8 bebês e choca a França'' (30/10, A14). Está claro que não só a França, mas o mundo dito "civilizado" está chocado com o assassinato dos bebês franceses, brutalidade inominável; mas o que mais me chocou é saber que nada de concreto foi imputado ao marido.

Em que profundezas abissais do próprio umbigo estava escondido esse alienado senhor carpinteiro e vereador? Conviver com uma pessoa que claramente precisa de auxílio emocional, tê-la por perto grávida e nada perceber? Não se interessar pela terra remexida do jardim, não intuir um crime recém-cometido, não observar a mão que treme, a palavra que falseia, a insônia da companheira de tantos anos? Embora obesa, como se destaca na notícia, impossível não decodificar um ventre mais arredondado, os seios maiores, etc., etc., etc.

De qualquer forma, penso que matamos de muitas maneiras. Alguns, como essa senhora, preferem estrangular ou sufocar; outros preferem meter o nariz no próprio umbigo e fingir não saber que o exercício do companheirismo é compartilhar a travessia na Terra, observando o outro , atendendo às suas necessidades humanas. Há pessoas que matam, sim, pela ausência e pelo abandono emocional a que submetem o companheiro(a). E o nariz de muitos, infelizmente, continuará imerso no mais profundo abismo do próprio umbigo. E com direito a não serem devidamente questionados.

Esther P. S. Rosado estherosado@uol.com.br

Jacareí

________________________________________________

Highlanders de Itapecerica

À primeira vista, a notícia publicada pelo Estadão nos levou a pensar que se tratava de fato ocorrido em outro país, o Afeganistão, a Coreia do Norte, ou na cidade mexicana de Juarez. Não. O ato de horror contra um excepcional foi praticado por policiais militares (pelo menos essa foi a conclusão do Tribunal Popular) em Itapecerica da Serra, na grande São Paulo. Bem, foram condenados a 30 e 18 anos de prisão. Acontece que o Supremo Tribunal Federal, em nosso modesto modo de ver erradamente, firmou jurisprudência no sentido da progressão dos regimes penitenciários mesmo na hipótese dos crimes hediondos. Assim, a realidade é outra. Em tempo não muito distante, esses representantes das trevas estatais estarão de volta entre nós.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

________________________________________________

Até quando persistirá?

É assustador o número de ocorrências de violência praticada contra as mulheres em todo o mundo. São mulheres apedrejadas e até estupradas pelos filhos. Muitos casos não são levados ao conhecimento da autoridade competente por constrangimento, consideração aos filhos que não gostariam de ver os pais presos, ou motivos íntimos e particulares da própria vítima, isso quando a vitima sobrevive, porque muitas é brutalmente assassinada. E isso é no mundo todo. No Irã, oito mulheres estão neste exato momento na fila para serem apedrejadas até a morte em público. No Brasil, a advogada Mércia Nakashima foi assassinada, segundo a polícia a mando do ex-namorado, frustrado pelo fim do relacionamento. Em outro caso de comoção nacional, Eliza Samudio sumiu em Minas Gerais, meses após implorar proteção contra o ex-goleiro do Flamengo, com quem supostamente teve um filho indesejado. Ninguém fez nada e tudo indica que esteja morta. A violência contra a mulher é uma das modalidades mais sistemáticas de violação dos direitos humanos. Essa misoginia silenciosa não escolhe classe social, grupo étnico ou faixa etária e aparece sob a forma de violência doméstica, sexual, psicológica e física, incluindo os casos de estupro, homicídio e lesões corporais diversas, mutilação genital e diversos tipos de subjugação. O mais incrível de tudo isso é que a sociedade assiste a essas atrocidades passivamente, em silêncio absoluto. Quando é que o planeta vai gritar em uníssono pelo fim da ignorância dos homens?

TURÍBIO LIBERATTO turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

________________________________________________

Caso Bruno

Não demora muito e vão dizer que Eliza Samudiu foi quem matou Bruno, o goleiro; e este que está aparecendo é simplesmente um sósia.

Maria N. N. Barreto cbarsotti@hotmail.com

São Paulo

________________________________________________

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.