Cartas dos leitores

A CONTA DA BRAVATAO saco da marolinha de Lula está pesando demais nas costas dos brasileiros. Com o desemprego, a falta de crédito, os juros ainda altos e as promessas vãs, o povo decidiu baixar o apoio ao presidente, como mostrou a pesquisa CNI/Ibope, que apontou queda na popularidade de Lula de 73% para 64%. Será que ele vai insistir em nos vender seu governo como o que jamais existiu?Paulo Panossianpaulopanossian@hotmail.comSantosCaiu a popularidade do presidente? Vem novo escândalo aí, gente.Márcio Scultorimarcio_scultori@ig.com.brSão PauloPAC DE ADMINISTRAÇÃOOs governos se esmeram em realizar obras, algumas faraônicas, porque dá direito a inaugurações (algumas são inauguradas até mais de uma vez) e rendem votos, mas descuidam de administrar e operar o que já existe. Isso lamentavelmente ocorre em todas as esferas de governo e ocorreu também em gestões anteriores. Fala-se, por exemplo, na ampliação do Porto de Santos, mas a operação de alfândega atualmente não funciona à noite nem nos fins de semana, por falta de fiscais. Isso faz com que o custo portuário de Santos (bem como dos demais portos brasileiros) seja muito maior do que o dos demais países - além dos custos diretos, há o custo das diárias que os navios gastam aguardando fundeados na barra. Inauguram-se parques e reservas florestais, mas boa parte deles tem apenas 2 ou 4 fiscais ou policiais florestais para vigiar dezenas de quilômetros quadrados. Enquanto isso, há um número excessivo de funcionários, assessores parlamentares, etc., que não exercem atividade diretamente produtiva ou que contribua para o bem-estar e a manutenção dos bens públicos. Será que poderíamos ter um PAC de operação e administração?Edison Roberto Moraisermorais@uol.com.brSão PauloCARGOS ÀS FARTAS Fui um dos críticos do nosso glorioso presidente por afirmar que ler jornais causa azia, mas como não admitir que elle está certo? Ao descobrir que temos mais diretores do que senadores no Senado, tive não só azia, como indigestão, asco, nojo, taquicardia, etc. Diretoria de Coordenação de Rádios de Ondas Curtas. Será que temos outras duas, uma para ondas médias e outra para ondas longas? Diretoria de Check-in. Imagino que deva existir um diretor de check-out, para quando, em viagens, os nobres senadores não perderem tempo com questões burocráticas menores. Fico tentando imaginar quais são as outras 179 diretorias. Deve haver diretor de banheiros, afinal não pode faltar papel higiênico no Congresso, por exemplo. Imagino o estrago na imagem do País que uma notícia como essa pôde causar. E quem pagou a conta? Ora, a classe média, aquela que ainda não foi demitida.Renato Camargonatuscamargo@yahoo.com.brSão PauloO faz-de-conta da reforma administrativa do Senado é inútil sem o corte no orçamento da Casa. É o que se faz no mundo daqueles que pagam a conta.Honyldo Roberto Pereira Pintoatendimento@temfoto.com.brRibeirão PretoCIDADANIA É REMÉDIOSaúva, bicudo, bicho barbeiro, febre amarela, pólio, gripe espanhola não conseguiram acabar com o Brasil. Não serão nossas autoridades que terão êxito. Para acabar com as pragas e doenças provocadas pelos "de cima", é preciso o exercício da cidadania pelos "de baixo".Sérgio Barbosasergiobarbosa@megasinal.com.brBatataisPRESTAÇÃO DE CONTASRelator da Comissão de Ética da Câmara Federal, o deputado José Eduardo Cardozo pretende esclarecer se as notas fiscais apresentadas pelo dono do castelo em Minas Gerais, o nobre deputado Edmar Moreira, são quentes ou frias. Pelo que vimos até aqui, sugeriria aos integrantes da comissão algumas precauções: meias de lã, botas de couro emborrachadas cano longo, gorro e abrigo com forro de pele de urso. Prevenir é melhor que remediar. Desconfio que essas notas foram emitidas no Alasca.J. Perin Garciajperin@uol.com.brSanto AndréOPORTUNISMO PERMANENTEQualquer medida, por mais limitada que seja, que vise à devolução de autonomia ao Legislativo em relação às medidas provisórias que trancam a pauta das Casas, deveria ser bem recebida pelos nossos congressistas. Todo cidadão que se autodefina democrata deveria aplaudir as providências tomadas pelo presidente da Câmara para, como muito bem colocado por este jornal, "tornar mais leve o jugo das medidas provisórias". A resistência de certos políticos a respeito do assunto mostra que a tolerância de nosso Congresso com essa excrescência constitucional nunca foi em nome da tão decantada governabilidade, mas sim para propiciar conchavos políticos em torno de se obstruir ou não os trabalhos da Casa.RICARDO DAUNT DE CAMPOS SALLESdauntsalles@uol.com.brEspírito Santo do PinhalPODERES DESMORALIZADOSChamo a atenção daqueles que acham que a Venezuela caminha em direção a uma ditadura. Notícias recentes, no Brasil: Lula dá aval para Temer e Sarney encontrarem uma saída para as medidas provisórias que trancam a pauta no Legislativo; Lula manda recado ao Supremo Tribunal Federal (STF) de que não vai extraditar o assassino Cesare Battisti, caso essa seja a decisão do tribunal; e pede ao STF que mude a jurisprudência em relação ao caso. Ou Luiz Inácio Lula da Silva pensa que está acima dos outros Poderes estabelecidos pela nossa Constituição ou estamos assistindo ao início da desmoralização do Legislativo e do Judiciário, percorrendo a mesma trilha de Hugo Chávez na Venezuela. Vontade dos que hoje mandam e desmandam no Brasil à burla das leis não falta.Leila L. LeitãoItanhaémPROTECIONISMOZINHONo encontro entre Lula e a presidente argentina, Cristina Kirchner, as questões envolvendo o protecionismo entre os mercados dos dois países foram amenizadas. Eles sorriram. Os empresários do Brasil que se danem.Luis A. B. Moraeslabmoraes@uolcom.brSantosESCLARECIMENTOA propósito do editorial A mudança na Segurança Pública (20/3, A3), cabe esclarecer que a bancada do PT na Assembleia Legislativa vem denunciando e reclamando a apuração das graves irregularidades na área da segurança do Estado, inclusive com requerimentos de CPI, que os governistas se recusam a subscrever. Nossa oposição é programática e sistemática, sem o caráter imediatista e eleitoral que o editorialista pretende sutilmente nos impingir - até porque nem se sabe se o governador José Serra será mesmo "candidato à sucessão de Lula".Rui Falcão, deputado estadual, líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Pauloimprensa@ptalesp.org.brSão PauloSEGURANÇA NO CAMPOExcelente iniciativa do presidente Lula pela segurança nos estádios: transformar as torcidas organizadas em entidades jurídicas, para responderem criminal e financeiramente por seus atos; todo torcedor terá de ser cadastrado, identificado na entrada dos eventos e, em caso de ser autuado por incitação à desordem ou agressão, será banido dos estádios; e será proibido portar qualquer objeto que possa ser usado como arma. Em caso de autuação, prisão imediata. É um excelente modelo para levar paz também ao campo no caso de movimentos sociais como o MST. Aproveita que está com a caneta na mão, presidente.Walter Zebindenzebinden@terra.com.brCampinas

, O Estadao de S.Paulo

23 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.