Comerciante e consumidor mais confiantes

Expectativas positivas com relação ao próximo governo elevaram a confiança de empresários a seu nível mais alto dos últimos seis meses

O Estado de S.Paulo

30 Novembro 2018 | 04h00

A superação das incertezas criadas pelo cenário eleitoral, as condições mais favoráveis ao consumo e, em especial, as expectativas positivas com relação ao próximo governo fizeram a confiança dos empresários do comércio varejista alcançar seu nível mais alto dos últimos seis meses e devem continuar a impulsioná-la nos próximos meses. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) calculado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) subiu 1,4% entre outubro e novembro, alcançando 109,8 pontos, a maior pontuação desde maio (quando chegou a 113,8 pontos).

Os três componentes do Icec mostraram, em novembro, evolução na maioria das comparações. Em relação a outubro, por exemplo, melhoraram os índices de condições atuais (0,3%), de expectativas (1,8%) e de investimentos (1,7%). Na comparação com igual mês de 2017, caíram os índices de condições atuais (-2,2%) e de expectativas (-0,3%), mas o de investimentos registrou alta expressiva de 3,6%.

Os resultados positivos superam os negativos, o que mostra um cenário de mais confiança, observou o economista da CNC Fabio Bentes. O economista destacou, entre outros indicadores aferidos pela entidade nacional do comércio, a disposição de 70% dos empresários varejistas consultados de contratar mais nos próximos meses, maior índice desde 2014, quando a recessão decorrente do desastre da política econômica do governo Dilma Rousseff ainda não era muito nítida.

A recessão só foi superada no início do ano passado e hoje, com a expectativa de que o próximo governo adotará um programa mais favorável ao desenvolvimento dos negócios e de reformas na área fiscal, a confiança do empresariado se fortalece. Dos empresários do varejo consultados pela CNC, mais de 80% acreditam em melhora da economia nos próximos meses.

Para dar mais impulso ao clima positivo que se vai formando no mundo dos negócios, cresce também a confiança dos consumidores, pelo menos os de São Paulo. Pesquisa da FecomercioSP mostra que o Índice de Confiança do Consumidor paulistano avançou em novembro pelo quarto mês consecutivo, alcançando 114,5 pontos, 6,1% acima do índice de outubro e 10,1% superior ao de um ano antes. É consequência da melhora, ainda lenta, do mercado de trabalho.

Mais conteúdo sobre:
Editorial Econômicovarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.