Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2015 | 02h55

Que país...

Ontem peguei o Estadão logo cedo, como faço todo dia, e fiquei aterrorizado a cada linha: dinheiro da Petrobrás para a campanha da Dilma, medida provisória editada no governo Lula comprada por lobby, banco da Suíça denuncia Eduardo Cunha por lavagem de dinheiro, empresa de filho de Lula beneficiada com dinheiro de empresas de consultoria, Dilma troca o ministro da “pátria educadora”, quer dizer, da Educação, que estava no cargo havia apenas seis meses... Que país é esse? Uma só dessas manchetes seria o suficiente para causar um abalo político de 9 graus na escala Richter. Mas não no Brasil. Triste Brasil. E como nunca antes na História deste país, podem ter certeza, dias piores virão.

LUIZ G. TRESSOLDI SARAIVA

lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

Um partido sem limites

Uma bomba, outra humilhação! Foi o que sentimos na manhã de ontem, quando acordamos com a manchete Documentos apontam ‘compra’ de medida provisória no governo Lula. Denúncia grave. As montadoras pagaram propina de até R$ 36 milhões a lobistas para tornar viável a MP 471, editada e assinada por Lula em 2009 e publicada pelas mãos da então ministra da Casa Civil Dilma Rousseff, com o objetivo de prorrogar incentivos fiscais de R$ 1,3 bilhão por ano, como desconto do IPI. E conseguiram estender esse benefício (uma ação entre amigos) de 2011 a 2015. Até um filho de Lula, Luis Cláudio, levou R$ 2,4 milhões... O que de mais excrescente falta ser denunciado para que o PT seja definitivamente banido da vida pública brasileira? O mensalão e as roubalheiras nas estatais apuradas pela Operação Lava Jato já não seriam suficientes para o fim do partido de Lula? A sociedade brasileira não aguenta mais tanta bandalheira promovida em 13 anos de poder do PT, que tem agido dentro das nossas instituições como uma verdadeira quadrilha...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Corrupção

As manchetes de ontem do Estadão mais parecem uma lista de artigos vendidos num bazar ou numa lojinha de R$ 1,99 (bi). Isso não é um governo, é um comando de marginais!

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo_7@terra.com.br

São Paulo

Mais um?

A denúncia do Estadão sobre mais um escândalo praticado no governo Lula da Silva, que acarretou prejuízo bilionário para o Tesouro Nacional, não pode ficar por isso mesmo. Ninguém aguenta mais esse desfile macabro de roubos. O Ministério Público tem a obrigação de tomar uma atitude sem embromação.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Rotina

O governo afirma ter feito apenas um “trabalho rotineiro”. Com certeza, desviar recursos e aplicá-los em benefício próprio foi sempre rotineiro nestes governos petistas.

OTTFRIED KELBERT

okelbert@outlook.com

Capão Bonito

Imprensa livre

Parabéns ao jornalismo do Estadão! As duas reportagens exclusivas de ontem apenas reforçam o papel que o jornal tem desempenhado ao longo de sua história. Nossa democracia não seria a mesma sem esse jornalismo livre e responsável exercido pelo Estadão.

ALECSANDRO ARAÚJO DE SOUZA

alecsandro@tmorus.com.br

São Paulo

Lula e a Odebrecht

Certa vez Lula afirmou, em tom de desafio, que ninguém neste país tem mais ética do que ele. Lula é citado na Lava Jato por suposta atuação em favor da empreiteira Odebrecht. Será que o Lula sabe o significado da palavra ética? Ou ele se julga acima do bem e do mal? Haja soberba!

OSWALDO B. PEREIRA FILHO

oswaldocps@terra.com.br

Campinas

Lobby presidencial

É justo e compreensível que o chefe do Executivo de uma nação se esforce para que as empresas do seu país progridam. Mas não é aceitável que empreste dinheiro público a elas e receba em troca uma comissão, pela ajuda. E ainda existem pessoas que acreditam em Papai Noel, Branca de Neve e os sete anões, mula sem cabeça, saci-pererê...

LUIZ FELIPE SCHITTINI

fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

O ‘patriota’

Do Instituto Lula, em 29 de setembro de 2015: “A atuação de Lula (em favor da empreiteira Odebrecht) foi lícita, ética e patriótica”. De Samuel Johnson, pensador inglês (Lichfield, 7 de setembro de 1709 - Londres, 13 de dezembro de 1784): “O patriotismo é o último refúgio dos canalhas”.

GIL CORDEIRO DIAS FERREIRA

gil.ferreira@globo.com

Rio de Janeiro

O retrato do velho

Da elevação de sua megalomania, Lula sonha em “botar o retrato do velho outra vez”, paráfrase da campanha getulista. Considerada a herança maldita que transmitiu à sua pupila nesse intermezzo, essa idílica e improvável volta não fará “o povo trabalhar”, mas, sim, ensejará o amarfanhamento no pântano, do qual nunca saiu, de uma nação infeliz.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Reforma ministerial

A presidente da República, em suposto exercício, obedeceu às ordens de quem acreditávamos ser o antecessor dela e não fez reforma nem faxina ministerial alguma. Somente trocou as baratas de lugar. E elas vão continuar proliferando.

M. HELENA BORGES MARTINS

m.helena.martins@uol.com.br

São Paulo

Submissão à tutela

Dilma chama Lula... Afinal, Dilma está admitindo que é apenas um fantoche. Quem governa – e mal – é mesmo o messias do ABC. Nossa esperança é o meritíssimo Sergio Moro, já que não se podem esperar providências do Congresso Nacional.

SERGIO CORTEZ

cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

Onde nos encontramos

Qual o atual estágio do governo Dilma? Será ele hoje um moribundo, um cadáver insepulto ou já há um ano ele se revelou um natimorto?

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

NEGÓCIO DA CHINA

 

Uma empresa de Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, recebeu pagamentos de escritórios de consultoria suspeitos de fazerem lobby, em nome de montadoras de veículos, pela aprovação da Medida Provisória (MP) 471, que prorrogou benefícios fiscais às montadoras (a redução do IPI). É por negócios da China como este que o nobre e grande empresário ficou milionário. Claro, mas também pela grande competência herdada do paizão, não é?

 

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

 

*

A GRAVIDADE DA SITUAÇÃO

 

Luís Cláudio Lula da Silva, um dos filhos de dom “CorLulaone”, era um simples auxiliar técnico de um clube esportivo, mas – assim como um outro irmão seu que era auxiliar num zoológico e virou um fazendeiro riquíssimo – se transformou em megaempresário graças à grande felicidade de terem nascido filhos de um excelente empreendedor, que saiu de Pernambuco como migrante, trabalhou em São Paulo como metalúrgico e, depois, sindicalista profissional e, após 20 anos de espera e “preparação”, tornou-se presidente da República, caminho que escolheu para enricar repentinamente, em apenas oito anos,  chegando a figurar na revista “Forbes” como um dos homens mais ricos do Brasil. Os caminhos escolhidos foram sempre os mais fáceis, nada de complicações, pois o homem não é muito chegado a coisas difíceis. O que ajudou a LFT Marketing Esportivo, empresa que Luís Cláudio abriu em 2011, foram os repasses de R$ 400 mil mensais, de um total de R$ 2,4 milhões, que recebeu da M&M Empreendimentos, logo após seu papai assinar a MP 471, que prorrogou os benefícios fiscais das montadoras de veículos, num “acordo entre amigos”, também chamado de lobby. Após as denúncias publicadas ontem pelo “Estadão”, com documentos que comprovam que a roubalheira do dilmolulopetismo é antiga e que ajudou a ambos se elegerem e se reelegerem, esperamos ainda um pronunciamento da gerentona vindo a público acusar o jornal de golpista. A hora é esta. Sabemos que Dilma Rousseff não tem estatura moral para renunciar, mas, pela gravidade das acusações e da situação em que o País se encontra, esperamos que ela tente sentir o êxtase da reflexão e nos surpreenda.

 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

OS PODERES TOMADOS

 

A que situação chegamos! Documentos apontam que medida provisória editada na gestão Lula foi “comprada” por lobby. Era só o que faltava! Será que restam alguns ainda ilesos da maracutaia petista nos Três Poderes? Será que eles estão aguardando um “comprador” do impeachment da presidente Dilma Rousseff? Deve valer muito menos do que o estrago que os governos do PT fizeram ao País. Então as nossas instituições pós-Lula descambaram de vez? Será que devemos riscar do dicionário as palavras “ética”, “honestidade”, “honradez”, “Justiça” e “moralidade”? Ainda temos recuperação?

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

*

GÊNIO

 

O filho de Lula deveria ser contratado pelo Sebrae para ensinar aos microempresários e empreendedores em geral como abrir uma empresa de consultoria em marketing esportivo e, logo em seguida, conseguir um contrato de milhões com uma empresa que nada tem que ver com esportes. O cara é um gênio! Tal pai, tal filho!

 

Celso Neves Dacca celsodacca@gmail.com

São Paulo

 

*

OS RENDIMENTOS OLÍMPICOS DOS LULAS

 

Qualquer cidadão aceita o esforço esportivo como uma coisa saudável, estender isso a sediar a Olimpíada já requer maior aceitação. Neste meio favorável a esportes e à saturação de notícias sobre Olimpíada, assistimos a nossos jovens escolhendo a profissão de Educação Física motivados por muitas outras razões que não a de obter altos ganhos. De repente, surge este filho de Lula com empresas esportivas altamente rentáveis: R$ 2,4 milhões/ano. Precisamos ampliar o entendimento sobre esse “prodígio”. Imaginem ser isso uma saída legítima, alavancaria o rendimento de um enorme contingente de profissionais de Educação Física. Contudo, temo que numa séria busca por entendimento encontrem algo muito negativo, alinhado com aqueles valores deturpados sobre ética e responsabilidade social que noticiam na atividade política a que Lula-pai se alia. Caso em que se recomenda uma Lava Jato nisso também. Seria esperar muito que essas empresas abreviassem o tempo e esclarecessem tudo?

 

José Simões Neto jsmantrareg@gmail.com

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO DA PF

 

Atenção, Polícia Federal, chegou a hora de deflagrar a “Operação MB” (Molusco Barbudo)!

 

Jose Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

E O VELHO TINHA RAZÃO

 

Se os documentos apontam compra de medida provisória no governo Lula, pode-se dizer que é quase certeza. Evidente e desnecessário dizer que o “Estadão” tem de ter suas precauções, como poderoso veículo de comunicação que é. Já basta a censura imposta ao jornal por José Ribamar, lá do Maranhão. Depois dessa manchete, gostaria de saber o que o filho ou alguns filhos do dr. Hélio Bicudo dirão a respeito, ou se entendem ainda que seu pai desrespeita Lula quando afirma seu enriquecimento extremamente rápido. Acho que quem está ou estão “gagá” são os filhos do dr. Hélio. Estes, sim, totalmente fora da realidade e defendendo o indefensável.

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

 

*

CANSAÇO DIÁRIO

 

É todo dia uma denúncia envolvendo políticos do primeiro escalão do poder, e eles continuam intocáveis. Os brasileiros já estão com o saco cheio de todos terem o rabo preso. E não aparece nenhum macho para detonar esta quadrilha...

 

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

 

*

EM FAMÍLIA

 

Até que enfim os desmandos estão chegando a “elle” e ao seu filhinho. Onde vamos parar? Basta!

 

Ricardo Guilherme ricardoeeunice@ig.com.br

Monte Alegre do Sul

 

*

PERVERSÃO POLÍTICA

 

Toda perversão política ainda está de pé pela santíssima paciência de nós, brasileiros. Quando isso acabar, os néscios corruptos, os políticos de fachada terão de atravessar o caminho que corta o inferno antes de serem desintegrados da vida pública.

 

José Penteado Neto jsopnx@gmail.com

Araraquara

 

*

LOBBY PELA ODEBRECHT

 

É certo que os governos de todos os países têm a missão de propugnar pelas relações econômicas internacionais. Coisa bem dissonante do procedimento do ex-presidente Lula e de seu então ministro Miguel Jorge, que intervieram, confessadamente, em favor da Odebrecht, hoje às voltas com os cárceres dos corruptos, junto do governo da Namíbia, para viabilizar negócios específicos e descer a detalhes singulares como o das licitações (“Estado”, 30/9, A8). Uma coluna da tapera ética lulopetista cai a todo instante.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br  

São Paulo

 

*

DINHEIRO DO ‘CUMPADRE’

 

A respeito do dinheiro do “cumpadre” Lula, as investigações contra Lula deveriam ser feitas nos países com dívidas perdoadas como os da África, ou quem sabe em países patrocinados pelo nosso dinheiro público, como Cuba. Certamente, muito seria encontrado e apurado.

 

Geraldo Macias Martins maciasfilho@hotmail.com

Catanduva

 

*

A LAVA JATO E EDUARDO CUNHA

 

Parece o teatro do absurdo aquela cena da filiação de Marta Suplicy ao PMDB, dia 28/9/2015, cercada dos figurões do partido, quase todos investigados pela Operação Lava Jato. Dia 30/9/2015, o Ministério Público da Suíça envia as provas de que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, e parentes têm contas bancárias na Suíça. E isso no momento em que mais um operador confirma a influência de Eduardo Cunha na Petrobrás e que teria recebido mais de R$ 40 milhões de propinas, além dos US$ 5 milhões já confirmados por Julio Camargo. Trocou o PT pelo PMDB pela corrupção? Parece que trocou o Rio Pinheiros e mergulhou de cabeça no Tietê, cheio de piranhas e jacarés!

 

Wilson Ronaldo de Oliveira wilsoncidadaocuritibano@gmail.com

Curitiba

 

*

DAS PROPINAS À PAPUDA

 

Pois é, senhor presidente da Câmara, Eduardo Cunha, depois que o Ministério Público suíço confirmou as contas bancárias em seu nome e no de seus familiares, só posso lhe dizer o seguinte: a Papuda te espera, tudo será uma questão de mais dias, menos dias. Não adianta travestir-se de religioso e começar a orar em  pleno plenário, Deus não compactua com  picaretas e ladrões, acredite. Além de ter de devolver o dinheiro surrupiado e/ou desviado, terás de ver o sol nascer quadrado por um bocado de tempo. É sabido, nos bastidores da política, que o presidente é nervoso e que costuma atropelar até mesmo seus colegas de bancada, por isso acho que alguns anos enjaulado lhe farão muito bem.

 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

 

*

REFORMAR PARA NÃO MUDAR

 

Com esta manobra maquiavélica de entrega de ministérios entre governo, Lula e PMDB, esgotam-se as mínimas chances de mudança neste país. Tudo continuará como está, e o partido do “último a saber”, ou seja, o PSDB, mais uma vez será engolido pela sua omissão e fraqueza em se aliar ao PMDB. Ufa, o Judiciário terá de trabalhar muito.

 

Jose Guilherme Santinho msantinho@uol.com.br

Campinas

 

*

ESCRAVOS DE JÓ

 

O País caminhando para um buraco cada vez maior e a “mulher sapiens” jogando Escravos de Jó com o PMDB, jogando caxangá, tira, põe ou deixa ficar nos ministérios, a troco de votos para impedir o seu impeachment. Será mais um argumento, se não jurídico, pelo menos quanto à imoralidade e irresponsabilidade de Dilma Rousseff, sem prejuízo do ridículo em negociar e do partido sem escrúpulos em aceitar.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

 

*

MUDANÇAS MINISTERIAIS

 

Na Pátria Educadora, Dilma está PhD em demitir ministros.

 

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

 

*

LEILÃO

 

Neste leilão em que se tornou a política brasileira, não há lances nas reformas necessárias, na competência ou na cobrança de boa e honesta administração do bem público. Só se pensa em manter o poder e controlar as polpudas benesses para privilegiados amigos da rainha. O artigo sendo “leiloado” no momento é o impeachment da presidente. Última oferta? Seis ministérios. Dou-lhe uma, dou-lhe duas... vendido! E o povo trabalhador, cada vez mais estarrecido, que continue sofrendo para pagar as contas deste “leilão” de um Brasil cada vez mais explorado e depreciado.

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

DOIDIVANAS

 

Dilma Rousseff está disposta a fazer qualquer coisa pelo poder. Estamos nas mãos de uma doidivanas.

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

 

*

CELEUMA

 

O PMDB faz parte do governo, ocupando o segundo cargo na escala presidencial. Por que, então, tanta celeuma com as discussões sobre a indicação de nomes para a reforma ministerial? É uma situação que mostra a pressão constante que é feita contra qualquer manifestação da atual presidente. E do baixo nível de alguns políticos oportunistas.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

*

MINISTROS SEM COMPETÊNCIA

 

Política é a luta pela causa pública, nunca pela causa própria. O corrupto não passa de um ignorante complexado. Todo ladrão tem vários complexos, de incompetente, de pobre, de não ser lembrado, etc. Todo cidadão, para ser candidato a um cargo público, teria de fazer um curso sobre administração pública. Todos os profissionais, professores, médicos, dentistas, engenheiros, etc. precisam ser formados para exercerem sua profissão. Os políticos que exercem um cargo de importância e alta responsabilidade não precisam? Daí os resultados que estamos colhendo.

 

Aldo Matachana Thomé aldo@projex.com.br

Ourinhos

 

*

DEMOCRACIA DOS TRÓPICOS

 

Até que prove o contrário, pode-se afirmar que o Brasil vive em plena democracia. Uma democracia que é governada por um partido de esquerda namorando e quase noivando com o bolivarianismo do venezuelano Hugo Chávez, agora capitaneado por Nicolás Maduro. Parece que na nossa democracia tropical há certas coisas que se fazem entender: no caso do ex-presidente Lula, que já não goza da prerrogativa de juízo, por que a Polícia Federal solicitou autorização ao Supremo Tribunal Federal (STF) para inquiri-lo?  No campo de batalha estão, de cada lado, as forças da oposição e as do governo, que ostentam armas poderosas como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Supremo Tribunal Federal (STF), o Tribunal de Contas da União (TCU) e ainda a Procuradoria-Geral da República (PGR). Por último vem a Constituição, que está sempre ameaçada por uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC). Tanto o mensalão como o atual petrolão provam que falta uma definição mais clara  dos limites de cada uma dessas instituições. Lula é cidadão comum (menos na fortuna amealhada), portanto, sem privilégios.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

PICADEIRO

 

Ao constatar que os digníssimos “clowns” (reunião do Congresso) não ocupam as cadeiras do plenário e se amontoam em picadeiro diante de uma mesa que vai da valsa, conclamo a população para que se una demandando: redução de vencimentos para dez salários mínimos, que os remunerara condignamente; disponibilizar cinco assessores para cada gabinete, posto que não há espaço para mais; corte de verba de gabinete, horas extras e auxílios diversos; exigir que legislem de forma a conter o Executivo, barrando seus arroubos; e reformular, consolidar e reduzir esta plêiade de leis. Isso seria uma contribuição digna em prol da população. Por outro lado, poder-se-ia obrigar o Executivo a reduzir os ministérios para 12; determinar que cargos em comissão (DAS) não ultrapassasse 2 mil e, enfim, mostrar à população que este país pode ser recuperado.

 

Osmar J. de M. Niccolini niccolinimonjolo@gmail.com 

São Paulo

 

*

ECONOMIA NO CONGRESSO

 

O deputado federal José Antônio Reguffe abriu mão do 14.º e do 15.º salários a que tem direito, reduziu o número de seus assessores de 25 para 9 e a cota interna do gabinete de R$ 23 mil para R$ 4,6 mil. Reguffe abriu mão de toda a verba indenizatória, do auxílio-moradia e de todas as passagens aéreas a que tem direito. Sozinho, ele economizará R$ 2,3 milhões em quatro anos de mandato. Se todos os 512 nobres deputados agissem de forma semelhante, a economia da União seria de R$ 1,17 bilhão. Isso posto, percebemos que os deputados poderiam proteger os recursos arrecadados em tributos, de forma alinhada com os seus sublimes discursos nas Casas parlamentares.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte

 

*

O AJUSTE FISCAL NO PARLAMENTO

 

Duvido muito que o senador Renan Calheiros, presidente do Senado, não soubesse que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, sabotaria a sessão do Congresso Nacional que iria votar os vetos da presidente Dilma Rousseff no dia 30 de setembro. Vergonha pura, tanto na Câmara quanto no Senado. Estamos fartos dos conchavos e das artimanhas que os Poderes Legislativo e Executivo da República tentam nos empurrar goela abaixo. Chega de tantas sacanagens. Não somos idiotas.

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

 

*

MAIS IMPOSTOS

 

Joaquim Levy, ministro da Fazenda, o “mãos de tesoura”, só sabe criar impostos para consertar o buraco deixado pela Dilma 1. Mas por que o povo tem de pagar a conta? Qual foi o sacrifício que o ministro impôs aos bancos? Se o povo fosse unido, sairia às ruas para protestar. Chega de assalto ao bolso do contribuinte. Qual foi o corte que o governo fez na própria carne? Nenhum. E o Congresso que lá está e deveria proteger o cidadão, vai aceitar essa proposta indecente da recriação da CPMF? Senhor Levy há outras formas de arrecadar sem punir o cidadão. Falta-lhe coragem para encará-las?

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

 

*

RECESSÃO ECONÔMICA

 

Sabem por que o ministro Joaquim Levy embarcou no governo petista? Para tentar salvar os banqueiros, pois, se o País continuar sendo rebaixado, eles perdem credibilidade no exterior, e isso é péssimo para os negócios financeiros. As riquezas que conseguimos conquistar em cem anos o PT está destruindo nos últimos poucos mais de dez. Desde a época de dom Pedro II temos acumulado riqueza, bem-estar e prosperidade, e em poucos anos de governo petista transformaram nossa vida num verdadeiro pesadelo. Os petistas invadiram todos os setores públicos e também privados. O descontrole da civilidade é quase absoluto. Vivemos num momento de salve-se quem puder. Seremos apenas sobreviventes no futuro!

 

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

CPMF, QUEM ACEITA?

 

No passado, o tributo foi criado como uma fonte a mais de receita, quando deveria ter sido implementado como um imposto único, tal como foi idealizado no início dos anos 90, e por várias vezes foi prorrogado para sanar desequilíbrios no Orçamento. Agora, a proposta prevê sua vigência até o fim de 2019. Ou seja, maus uma vez o poder público recorre à impopular CPMF como tábua de salvação para as contas públicas, como se a sociedade fosse a responsável pela má gestão de governo irresponsável. No passado, a CPMF primeiramente serviu para promover um ajuste fiscal em 1994; depois, para gerar recursos para a saúde pública, abastecer o fundo de combate à pobreza e aumentar o salário mínimo. A recriação da CPMF por meio de uma PEC com a alíquota de 0,2%, para gerar R$ 32 milhões de receita para a Previdência Social, é mais um tiro no pé do governo Dilma, que gerou o lançamento de uma campanha intitulada “não vou pagar esse pato”. Não é de hoje que a carga tributária, uma das maiores do mundo, assola o setor empresarial e o cidadão. Porém, neste momento, a criação da famigerada CPMF foi o estopim da discórdia na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). No momento em que todos conjugam o economês do reduzir, poupar, economizar, o governo federal não faz sua lição de casa ou, quando sinaliza o “corte na carne”, deixa a desejar. Esse enredo já é conhecido dos brasileiros. A recriação da CPMF está sendo proposta não somente como receita para a Previdência, mas por causa da crise fiscal vivida pelo País, que gasta mais do que arrecada e gasta mal, isso sem contar a corrupção, que come parte dos investimentos. Obviamente, os brasileiros rejeitam pagar mais imposto quando a carga atual já beira os 37% do PIB, nível elevadíssimo quando comparado à renda “per capita” doméstica. Será que alguém se engana com a vitrine de que o objetivo é beneficiar a Previdência?

                                     

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

POPULISMO ECONÔMICO

 

Quando a crise mundial recente, alardeada como sendo pior que a de 1929 – embora não tenhamos visto filas de miseráveis para receber sopa –, nosso governo a menosprezou dizendo que era apenas uma “marolinha”. Isso já ocorrera com o ex-presidente Geisel, quando desprezou a crise do petróleo. O populismo econômico, com crediário facilitado, consumo exacerbado, no lugar de manter as contas públicas em dia, manter estatais sem déficit, etc., deixa as finanças em frangalhos. Irresponsabilidade para manter certa estabilidade social ou vencer eleições não é governar e ter respeito para com o povo.

 

Francisco da Costa Oliveira fcoxav@gmail.com

São Paulo

 

*

O ROMBO E OS JUROS

 

É inaceitável que 97% do rombo no orçamento das contas públicas sejam causados pelos juros altos e a taxa Selic na estratosfera. O governo federal e o Banco Central dão um tiro no pé com tal política econômica suicida. Fomentam o desemprego, a queda da atividade econômica e da arrecadação. São eles os grandes responsáveis pela atual crise econômica que estamos vivendo no Brasil, ao fazerem a festa dos banqueiros, rentistas, especuladores e do mercado financeiro. Quem paga essa conta amarga, como sempre, somos nós, o povo brasileiro. Até quando?

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

O CRESCIMENTO DA DÍVIDA

 

Na maré das turbulências do governo brasileiro os superávits estão cada vez mais distantes. E, reflexo da recessão econômica, a dívida pública cresceu em agosto 3,16%, atingindo no mês R$ 2,686 trilhões.  Lembrando que no mês de julho o estoque da dívida era de R$ 2,603 trilhões. Essa é a velocidade, infelizmente, com que se deterioram as contas públicas. Neste mar de notícias ruins, o boletim “Focus” desta semana do Banco Central revelou que a expectativa do mercado para o PIB deste ano piora, com os analistas cravando uma queda de 2,8%. Para 2016, crescimento negativo de 1%. Clara percepção de que o pessimismo só aumenta. No mesmo boletim “Focus”, de 17 de julho, a queda projetada do PIB para 2015 era de 2,06%. E, em continuando a esta penúria econômica, o tombo do crescimento poderá passar dos 3% neste ano. E no caso da inflação também não é diferente: mesmo com esse quadro desolador e queda no consumo das famílias, as remarcações dos preços não dão trégua.  Se em agosto a projeção da inflação era de 9,29% para este ano, agora o mercado acredita que será de 9,46%. E, para 2016, de 5,87%, bem próximo do teto da meta de 6,5%. Ou seja, não tem refresco!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

VIVA A DIFERENÇA

 

O Reino Unido institucionalizou cortes de despesas na administração pública. O primeiro-ministro David Cameron vai ao trabalho de metrô, um belíssimo exemplo. A alemã Angela Merkel só viaja em aviões de carreira. Os primeiros-ministros dos países nórdicos cumprem sua jornada de trabalho com seus próprios veículos, que não são de luxo. E o que acontece entre nós? O presidente do Senado, Renan Calheiros, usufrui de uma mordomia ímpar: tem direito a dois automóveis de luxo. Um como senador da República e outro como presidente da entidade. Todos os senadores brasileiros têm direito a um automóvel cada. Por outro lado, a nossa presidente, quando viaja ao exterior, hospeda-se, junto com sua comitiva, em hotéis de alto padrão, utilizando-se também da luxuosa aeronave que todos conhecemos. O que fazem com o povo brasileiro é um desaforo, um acinte, um descalabro, que nos cobre de indignação. Até quando?

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

 

*

CRISE E OPORTUNIDADE

 

O que estamos presenciando: Estados e municípios em dificuldades financeiras, e os que recebem royalties em pior situação ainda, em razão da queda do preço do barril do petróleo e dos escândalos relevados pela Operação Lava Jato; o governo federal, também com sérias dificuldades, se vê na obrigação de fazer cortes para equilibrar suas contas; salários atrasados ou parcelados – mas os dos senadores e deputados não; desemprego, inflação, deterioração dos serviços públicos, etc. Está satisfeito com isso, eleitor? É para isso que vota? Para viver com dificuldades enquanto, no andar de cima, os políticos nem sabem o que é isso? Se está satisfeito, continue apertando o mesmo botão, para reeleger estes mesmos que estão aí há uns 30 anos e você não vê progresso nenhum.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

A HORA É AGORA

 

A lógica do PT e dos petistas da Fundação Perseu Abramo, ao dizer que o ajuste fiscal “prejudica os trabalhadores”, além de cinismo, nada mais é que má-fé e campanha para as eleições futuras. Cria confusão naquela parte da população mais humilde e manipulável, que ignora os estragos que Dilma e o PT aprontaram no governo, levando-os a achar que a culpa é dos outros, e não do PT, que apoiou e apoia as medidas antigas que tantos estragos nos trouxeram, uns incompetentes. É inacreditável ler as baboseiras e saber que querem é NÃO perder as boquinhas, como dizia o sr. Brizola, então mentem e manipulam. Portanto, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, e a hora é agora, hora de impeachment.

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com 

São Paulo

 

*

LAVAGEM CEREBRAL

 

Artigo 3.º do estatuto da fundação petista Perseu Abramo: “São fins da Fundação a elaboração doutrinária e a contribuição para a educação política dos filiados do Partido dos Trabalhadores e do povo trabalhador brasileiro”. Deu no que deu.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

PROJETO

 

Projeto econômico do PT: 1, 2, 3. Projeto político do povo: 1, 2, 3, PT, é a última vez.

 

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

 

*

BRASIL QUEBRADO

 

O Brasil perdeu mais 18 posições no ranking das economias mais competitivas do mundo. É o Brasil saindo do grupo do Brics e indo para os brokes...

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

ADEUS AO ‘TOP 10’

 

Um dos efeitos da escalada do dólar é o de nos empurrar ainda mais para baixo no chamado ranking dos PIBs globais. Com a economia impulsionada pelo boom das commodities na primeira década, bafejada pelos ventos favoráveis que vinham de fora, o Brasil chegou ao 6.º lugar da lista, ali, todavia, ficando pouco e cedendo o posto ao Reino Unido. Este ano (2015) a Índia, que cresce forte, também nos ultrapassará, deslocando-nos para o 8.º lugar no ranking. Ocorre que o real é a segunda moeda a mais perder valor em 2015 (só o rublo, moeda russa, nos supera em desvalorização), e, assim, o PIB brasileiro – em dólares –, que há pouco era de US$ 2,3 trilhões, desabou para US$ 1,4 trilhão, se tanto! Como a maré não está para peixe, não deve se descartar a hipótese de o real perder ainda mais valor, lembrando que o País está numa recessão da qual ninguém vislumbra saída de curto prazo. Assim sendo, não me admiraria se, além da Índia, o Brasil termine sendo igualmente ultrapassado por Itália, Canadá e Coreia do Sul, países com PIBs acima de US$ 1,4 trilhão e cujas moedas ou ficaram estáveis ou se desvalorizaram pouco em 2015. Tudo indica que o Brasil está  dando adeus ao “top 10” da economia global. Mais um grande feito da Casa Petralha.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     

São Paulo

 

*

A INDÚSTRIA NO SUFOCO

 

O artigo do professor Gastão Reis (30/9, A2) sobre o encolhimento da nossa indústria é assustador. Cirurgicamente, ele dissecou uma a uma as mazelas que estão matando a atividade industrial brasileira, todas elas com origem nas nossas leis arcaicas e paternalistas e na visão vesga do Estado, conduzido com viés ideológico da pior qualidade. Parabéns ao articulista, que nos entregou um perfeito diagnóstico da situação catastrófica da nossa indústria. Que os políticos o leiam e se conscientizem de que tudo precisa ser mudado, para ontem.

 

Laerte Lucas Zanetti laerte@za.adv.br

Barueri

 

*

TERRA ARRASADA

 

Em todos os aspectos o Brasil só piorou nas mãos inábeis de Dilma Rousseff. Sua gestão corrupta e incompetente conseguiu a formidável proeza de quebras empresas como a Petrobrás e a Eletrobrás. Lá fora o Brasil se consolidou como o anão diplomático, sempre contra os aliados históricos e em defesa intransigente dos ditadores corruptos mundo afora. No comércio exterior, o Brasil virou as costas para Estados Unidos e Europa, apostou tudo na ditadura comunista chinesa, e deu no que deu. Até os programas oficiais de compra de votos tiveram de ser cortados, agora que acabou o dinheiro fácil herdado da era FHC. Mais três anos nesse ritmo e só restará terra arrasada do Oiapoque ao Chuí.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

SE AINDA HOUVER BRASIL...

 

O Brasil deve se conformar com a presidenta Dilma até o fim do seu mandato, com um susto atrás do outro todas as vezes que ela aparecer na TV ou falar às rádios. A verdade é que PSDB e PMDB não querem governar o País quebrado financeiramente e a classe política desacreditada por todos. Em 2018, nas eleições, a eterna terceira colocada e responsável pela vitória de qualquer candidato no segundo turno, dona Marina Silva, deve se descolar do PT definitivamente. Sabemos que não existe ex alguma coisa, será sempre o que foi, lá no fundo, mais forte do que tudo, mas que ela aprenda a ser mais brasileira e menos indecisa na hora de apoiar o melhor para o Brasil. O povo brasileiro não merece estes 12 anos de PT, mas procurou e achou. Melhor escolha em 2018, se ainda houver Brasil...

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

 

*

LUFADA DE IMPUNIDADE

 

Em vídeo divulgado, o ministro do STF Celso de Mello, num pronunciamento dramático no qual aponta o ambiente de corrupção criado e desenvolvido durante os governos petistas, defende o expediente da delação premiada como recurso para que seja permitido “penetrar nas entranhas desse grupo que buscou apoderar-se do aparelho de Estado para cometer atos iníquos e de criminalidade organizada, promovendo um assalto imoral, inaceitável e criminoso ao erário”, conforme suas próprias palavras. Em que pese o prestígio do nobre magistrado, é bom que a sociedade não se esqueça de sua participação decisiva na aprovação, como sexto e último voto, após empate de cinco, do cabimento dos chamados embargos infringentes, aplicáveis no julgamento dos acusados no processo do mensalão, o que propiciou a vários deles interpor recurso sobre as sentenças, resultando, em alguns casos, na recuperação da liberdade após somente alguns meses de reclusão. Assim, mesmo com a verve emocionada do ministro ao longo do vídeo, constituirá erro grave de um leigo em leis considerá-lo um dos arquitetos da lufada de impunidade que, ao favorecer vários corruptos comprovados, contribui exatamente para a formação do macabro quadro apontado na sua fala.

 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro

 

*

DÚVIDAS

 

Queria entender: se o juiz Sérgio Moro não reclamou de excesso de trabalho, por que alguns ministros do STF dizem que fatiaram a Operação Lava Jato porque era muito trabalho para ele? Todos sabemos os motivos disso... Não esquecer que a equipe de Sérgio Moro já está há mais de dois anos trabalhando no caso. A opinião pública não permitirá desvios de conduta nos processos abertos.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

A LAVA JATO DESMEMBRADA

 

Deve ter custado um monte de dinheiro (nosso), mas finalmente transformaram o Supremo em pizzaria, enfraquecendo o único funcionário público confiável da Justiça: Sérgio Moro.

 

Eduardo Nascimbeni eduardo@nascimbeni.com.br

São Paulo

 

*

DEUS É BRASILEIRO

 

Deus, seguramente, é brasileiro e escreve certo por linhas tortas. Imaginemos qual seria hoje a situação do Brasil se um chefe de uma das organizações criminosas não tivesse se considerado prejudicado na partilha do butim e não tivesse posto “a boca no trombone”, originando o mensalão. E se um grupo denodado e íntegro de agentes federais não tivesse se empenhado em elucidar um caso de lavagem de dinheiro em Curitiba. Parafraseando conhecido jurista, puxaram uma pena e veio um galinheiro! Estaríamos hoje numa fila, com um vale-mantimentos, aguardando um pouco de arroz e papel higiênico, como já ocorre em Cuba e na Venezuela.

 

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

 

*

LAVA JATO E A TRENA

 

O roubo do dinheiro público é um crime que não deve ser medido pelo valor que o dinheiro tem para as pessoas que são tributadas por isso.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

DIAS TOFFOLI

 

A Secretaria-Geral da Mesa do Senado recebeu um pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal José Antônio Dias Toffoli, por crime de responsabilidade. O pedido foi feito pelo procurador da Fazenda Nacional Mateus Faria Carneiro, de Santa Catarina, que garante ter um caráter apolítico. “Estou fazendo isso porque me indignei com a situação do País e vejo a necessidade de que os agentes públicos prestem contas ao povo”, afirmou. Já passou da hora de alguém dar um basta no petista de carteirinha Dias Toffoli, aquele que sabe que Lula ainda vai ser pego.

 

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

São Paulo

 

*

ELA VOLTOU

 

Li, mas não acreditei, que a sra. Jorgina de Freitas é assessora da presidência do Cedae-Cia de Águas e Esgoto, do Rio de Janeiro, governo PMDB. Ela é a mesma que foi condenada pelo enorme rombo no INSS. Perdoar é divino, mas isso?! E justamente no momento em que a senadora Marta Suplicy troca o PT, já completamente desacreditado, pelo PMDB, que nada tem do DNA do MDB? Por favor, digam que é mentira!

 

Carlos Gonçalves de Faria Sherifffaria@hotmail.com

São Paulo

 

*

PRISÃO EM FLAGRANTE

 

O secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul aconselha a população a “prender em flagrante” aqueles que surpreenderem cometendo crimes. A sugestão decorre da operação-padrão que a Brigada Militar realiza em protesto ao parcelamento dos salários. O artigo 301 do Código de Processo Penal diz que: “Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito”. O Código é uma lei de 1941. Embora ainda em vigor, há que se interpretá-la à luz da realidade objetiva. Há 74 anos, quando foi sancionado, os crimes eram de menor potencial ofensivo. Não havia os bandos organizados nem o armamento pesado com que as quadrilhas hoje enfrentam até a polícia. Pedir ao cidadão que “prenda em flagrante” em razão do respaldo legal parece até piada de mau gosto.

        

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

PREFEITURA DE SP

 

Com o retorno das chuvas a São Paulo, retornaram também as quedas de árvores potencialmente assassinas e o mal funcionamento dos nossos semáforos, cuja tecnologia não saiu ainda da pré-história. O prefeito Fernando Haddad deveria saber que a poda regular de árvores e semáforos funcionando não são somente obrigação da Prefeitura, mas parte integrante da mobilidade urbana, bandeira que ele tanto defende.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.