Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2015 | 02h55

Reforma ministerial

Finalmente a montanha pariu o rato! Ou terá sido uma ratazana?

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

Ao comunicar o novo Ministério, em nenhum momento a presidente disse da importância dos indicados para o Brasil ou para os brasileiros. Antigamente os ministros tinham preparo técnico para a pasta que iam comandar, hoje nem se cogita disso.

ANA MARIA SANT’ANNA

anamariasant2004@yahoo.com.br

São Paulo

Dilmentira

Prometeu reduzir dez ministérios, reduziu oito (mentiu). Prometeu reduzir 10 mil cargos comissionados, reduziu 3 mil (mentiu). Conclusão: apenas mudaram as moscas de lugar, porque a m... continua a mesma. Assim, sobra para a sociedade o ônus de salvar a Pátria (que deixou de ser educadora) por meio do pagamento da CPMF?

GILBERTO FARINA

farinagf2@gmail.com

Itatiba

Agora vai

Com o Mercadante chutado da Casa Civil e pendurado na Educação, com certeza a “pátria educadora” agora vai! Pra...

JOSÉ LUIZ TEDESCO

wpalha@terra.com.br

Presidente Epitácio

’Cumpanheirada’ salva

Lula, ops, digo, Dilma cortou oito ministérios e salários de ministros, mas não demitiu nenhum cumpanheiro...

JOSÉ EDUARDO VICTOR

victorjoseeduardo@gmail.com

Jaú

Síria?

Presidente com sua autoridade em queda livre, atirando para todo lado, enquanto diferentes grupos terroristas lutam encarniçadamente pelo poder, apoiados por interesses inconfessáveis. Síria? Não, Brasília. Ou Brassíria...

CÉSAR GARCIA

cfmgarcia@gmail.com

São Paulo

Zorra total

Esta reforma de Dilma (diga-se Lula) não passa de uma zorra total. Querem enganar mais quem? Dessa forma pensam que vão comprar mais votos no Congresso. Será que conseguem?

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Dança das cadeiras

Vendo a movimentação do Planalto, como simples cidadão atingido no bolso e na dignidade pela mentira e pela desorientação no desavergonhado escambo político para garantir impunidade, brota em mim profunda revolta que, como diria Roberto Jefferson, desperta “os instintos mais primitivos”. As fotos de Lula e Dilma com explicações inverossímeis causam grande mal-estar. Basta, não somos todos débeis mentais!

DÉCIO ANTÔNIO DAMIN

deciodamin@terra.com.br

Porto Alegre

O PT e o PMDB, com sua impunidade eclesiástica, dão nota forte na nova composição do governo Dilma.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Grupo do abafa

Cresce o número de políticos que o PT atacava vigorosamente e hoje não ataca mais, até os apoia e é apoiado por eles. Entre eles temos Paulo Maluf, Fernando Collor, José Sarney, Jader Barbalho. Não se percebe que se trate de mudança de posição ideológica, mas sim de coberturas recíprocas de malfeitos. No momento parece que Eduardo Cunha tende a ser incluído no grupo. Quem mais vem por aí?

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br

Cotia

Era uma miragem

Quando parecia que o paquidérmico PMDB havia entendido o recado do povo e o exato sentido do vocábulo “republicano”, bastou uma oferta de cargos com grande orçamento para nos regalar com uma vergonhosa recaída, frustrar a maioria dos brasileiros e demonstrar mais uma vez que realmente ele não é digno de confiança.

CARLOS FERNANDO BRAGA

cafebraga@yahoo.com.br

São Paulo

Futuro sombrio

Causa nojo e repulsa a forma como as “hienas do PMDB” (para usar adjetivação muito bem empregada nos editoriais do Estado) se alvoroçam ao redor de um país moribundo, ávidas por extrair de suas entranhas os últimos resquícios de energia vital que mantêm em pé seu arcabouço institucional. Os mais bem informados sabem que 1) a tal “reforma ministerial” em nada vai contribuir para a redução de um centavo sequer nas contas públicas; 2) esse faz de conta fará alimentar ainda mais a falta de confiança dos agentes econômicos numa solução para a grave crise econômica em que o “pai de todos” e sua caterva mergulharam o País – eis ele aí de volta, todo faceiro e pimpão, como a zombar da cara de todos nós, os trouxas que pagamos a conta salgada de suas estripulias. Como consequência, a crise econômica continuará se agravando de forma avassaladora na vida da grande maioria das pessoas; 3) esse chove não molha com relação à possibilidade do defenestramento da “rainha da Inglaterra” que hoje ocupa o assento presidencial continuará alimentando ainda mais o ceticismo geral da população contra a classe política e contra o regime democrático, produzindo um quadro social de difícil previsão sobre aonde irá desaguar a situação de desespero, por exemplo, de milhões de chefes de família que de uma hora para outra viram o chão desaparecer sob seus pés. O cenário futuro é assombroso, imprevisível e assustador.

FERNANDO CESAR GASPARINI

phernando.g@bol.com.br

Mogi-Mirim

Bolivariando

Mais rápido do que se poderia esperar, nós nos aproximamos velozmente da Venezuela. Inflação, corrupção, petroleiras com o pé na cova, Judiciário com a credibilidade em xeque, política no nível do chão e mentiras são o cardápio de ambos os países, que, pelo visto, lá e cá, ainda não chegaram ao fim do poço.

ÉDEN A. SANTOS

edensantos@uol.com.br

São Paulo

E os doentes...

Dilma corta verbas da Farmácia Popular para o ano que vem, causando ainda mais insegurança no povo que depende desses descontos nos medicamentos de uso contínuo. Mais um estrago entre tantos que a presidente já causou onde interveio.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

A IRRITAÇÃO DE EDUARDO CUNHA

 

O Ministério Público da Suíça enviou ao Brasil os autos da investigação sobre as contas secretas que existem naquele país europeu de titularidade do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), e também de seus familiares.  Questionado pela imprensa sobre esse fato, Cunha se mostrou irritado e nervoso. Afirmou que não iria comentar nada sobre o assunto. A irritação de investigados aflora quando há fortes indícios de que culpa lhes cabe pelo cometimento de atos ilícitos. É evidente que quem nada deve não se exaspera dessa forma.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

 

*

INSUSTENTÁVEL

 

Agora que a Suíça diz ter achado contas secretas de Eduardo Cunha e de seus parentes naquele país, torna-se insustentável a permanência desse senhor na presidência da Câmara dos Deputados. Denunciado por quase todos os presos na Operação Lava Jato, o ex-assistente de Paulo Cesar Farias e Fernando Collor não deverá mais usar os poderes de seu cargo para se defender. O Brasil está engatinhando no combate ao crime organizado, as quadrilhas criminosas travestidas de partidos políticos gozam de um poder absurdo que deriva da imunidade parlamentar. Quando o Brasil acabar com a imunidade parlamentar, ele finalmente ficará de pé e poderá enfrentar e vencer o crime organizado.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

LONGE DA SUÍÇA

 

O deputado Eduardo Cunha desistiu de viajar à Itália esta semana, onde participaria do Fórum Parlamentar Itália-América Latina e Caribe. Alegou que pretende comparecer ao casamento do senador Romero Jucá. Será? Para mim, está mais parecendo que, como ele e familiares têm contas bancárias na Suíça investigadas por autoridades daquele país, ficou é com receio de ir e ser preso, isso, sim. Está igual ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que até para ir ali, à esquina, ele pensa duas vezes. Casamento do senador Romero Jucá... Pois sim. Lamentavelmente, o PT implantou neste país um regime de governo pior que as ditaduras do continente africano com seus ditadores de 30, 40 anos.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

SÍNDROME DE MALUF

 

Esta desistência de Eduardo Cunha de viajar para a Itália pode ter sido motivada pelo acometimento do deputado pela Síndrome de Maluf. Ninguém garante que lá fora a sua imunidade parlamentar seria respeitada, com a Suíça investigando suas contas.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

POR BEM OU POR MAL

 

Até a Suíça já provou os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro praticados pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). Delações premiadas e testemunhos expressos e induvidosos provam que Cunha recebeu ao menos US$ 5 milhões de propinas. Apesar disso, por mais absurdo e surreal que seja, Cunha permanece no cargo, intocável, como se nada estivesse acontecendo e não fosse com ele, no maior cinismo e cara de pau. É um péssimo exemplo para a sociedade, de impunidade e corrupção nas altas esferas do poder, que depõe contra a Justiça brasileira e a seriedade do próprio País. Se Cunha não sair por bem, que saia por mal. Cada dia que ele permanece no cargo é um autêntico tapa na cara, uma legítima bofetada, no povo brasileiro.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

TELHADO DE VIDRO

 

O presidente da Câmara federal, Eduardo Cunha, deve ter pensado no ex-presidente da CBF José Maria Marin, preso da Suíça, porque, após saber notícias sobre a investigação de contas bancárias suas naquele país, cancelou a sua viagem à Itália, mudou de “programa”. Sabe que lá as leis funcionam e as penas têm de ser cumpridas. E, para quem tem telhado de vidro, é a$$im, só pode dizer “amém pros cumpanhero”, como faz a petralhada. Depois de tanto ter negado o envolvimento nas falcatruas do petrolão, até pensávamos que estava limpo... Mas, como ninguém é de ferro, e mesmo não sendo, acabou se entregando. Há um velho ditado que precisa ser respeitado: “Quem não deve não teme”; se tremeu na base, está no “brejo” comum dos bandidos do erário, será apenas mais um da quadrilha. E agora, como fica o impeachment de dona Dilma? Quem sai primeiro? Deviam sair juntos. 

 

Fernando Silva lfd.dasilva@uol.com.br

São Paulo

 

*

CORRUPÇÃO

 

Imaginem Cunha e Marin na Suíça juntinhos!

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

 

*

SÓ NO BRASIL

 

Agora Cunha e Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF, só fazem turismo pelo Brasil. É que o dólar está muito caro...

 

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com   

São Paulo

 

*

ATÉ QUANDO?

 

Com desculpas antecipadas ao reino animal que quase sem exceção não prejudica os humanos, desejo fazer comparação do arsenal humano dos dirigentes políticos instalados em Brasília com tais características, pois lá encontramos antas, raposas (felpudas), hienas, lobos, muitos travestidos de cordeiros, cobras peçonhentas, escorpiões, águias, aves de rapina e, sobretudo, uma imensidão de ratos cujas dedetizações realizadas não foram capazes de eliminar. Essa situação, lamentavelmente, cria um tremendo desequilíbrio ecológico, financeiro, econômico e, sobretudo, moral à Pátria amada e a nós, cidadãos. Pergunto se não há nenhum ou ninguém capaz de organizar a fauna para eliminá-los ou fazer parar tal situação vexatória a ponto de arruinar toda a espécie humana que os alimenta. Até quando, Brasil?

 

João Batista Pazinato Neto pazinato51@Hotmail.com

Barueri

 

*

NA HORA DO VOTO

 

Está na hora, e acho que seria fatal, de iniciar uma campanha em nível nacional de não votar em quem já tenha mandato. Penso que é a única maneira que temos de fazer frente a este descalabro a que estamos assistindo. O Congresso Nacional, salvo algumas exceções, virou um covil de oportunistas que só pensam em si e nos seus, sem se preocupar uma só vírgula com a nação brasileira.

 

Afonso Furtado afonso@convesroupas.com.br

São João Nepomuceno (MG)

 

*

ATÉ QUANDO O PAÍS AGUENTA?

 

A cada dia que passa, novas descobertas são noticiadas, mas, infelizmente, não são novidades da tecnologia ou melhorias para o País, mas falcatruas do período lulopetista. Confesso que já não tenho vontade de tomar conhecimento de tantas malversações do dinheiro público. E pergunto: até quando o País suportará tudo isso? E as nossas instituições democráticas, notadamente o Legislativo e o Judiciário, ficarão inertes sem uma medida rápida e cirúrgica para extirpar esse mal que está destruindo as finanças públicas, o emprego do trabalhador e a dignidade da Nação?

 

João Magro Ventura  Joaomv@terra.com.br 

São Paulo

 

*

LOBBY PELA ODEBRECHT

 

Caso as acusações contra Lula se confirmarem, ele será considerado outro Silvério dos Reis na história do Brasil.

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

 

*

LULA EM 2018

 

Se a Justiça não enquadrar Lula na Operação Lava Jato, aposto que ele sairá candidato em 2018 e, pior, será eleito! Quem pensa diferente esquece que a maioria do eleitorado tupiniquim é composta de analfabetos, desinformados e crédulos no tribufu barbado.

Laércio Zannini spettro@uol.com.br 

São Paulo

 

*

FINANCIAMENTO DO BNDES

 

Impressionante a cara de pau dos donos de empreiteiras no Brasil, em particular da Odebrecht, que defendem o uso de dinheiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar obras no exterior. Não há o mínimo pudor. O mais impressionante é que dizem ser tudo legítimo e que não veem nada de errado nisso. Será que não enxergam que o dinheiro do BNDES é dos brasileiros? E que não devia estar sendo usado para financiar obras que em nada ajudam os brasileiros, legítimos donos do dinheiro? Afinal de contas, o que nos interessa, repito, com nosso dinheiro financiar obras em Cuba, países da África, Venezuela, Bolívia e sabe-se lá onde mais, sem concorrência? Em que isso beneficia os brasileiros? Não é difícil de pensar que parte do dinheiro deve refluir para os bolsos dos PeTralhas, pois só dessa forma se pode explicar tal furor de financiar obras fora do Brasil. Precisamos que o Congresso brasileiro, por meio de deputados que ainda tenham um mínimo de decência e vergonha na cara, aprove uma lei que proíba o BNDES de financiar obras fora do Brasil, sejam elas quais forem. Vamos fazer valer o princípio básico de um país carente em quase tudo: primeiro os nossos...

 

Arthur Piccolomini de Azevedo artwine@gmail.com

Mogi Mirim

 

*

QUE ESPORTE É ESTE?

 

Quais foram os “serviços de consultoria” prestados pela empresa LFT Marketing Esportivo, do sr. Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, no valor de R$ 2,4 milhões, para a Marcondes & Mautoni, empresa que atua como representante de montadoras em entidades do setor, como a Anfavea e a Sinfavea. A não ser que essas entidades estejam planejando montar ou patrocinar clubes esportivos.

 

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br

São Paulo

 

*

REFORMA MINISTERIAL

 

Dilma Rousseff, mais uma vez, faz profundas reformas nos ministérios para reduzir o custo Brasil. Aquele ministro que estava “aqui” vai para “lá”; e o que estava “lá” vem para “cá”. Ou seja, mudam as “moscas, mas o cocô continua o mesmo”.

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

CIRANDA MINISTERIAL

 

Entre outras, reformar significa mudar para melhor. É coisa totalmente diferente do que a presidente Dilma está fazendo. É toma lá dá cá com a base aliada, principalmente o PMDB, para evitar possível impeachment e votações contrárias do Congresso sobre suas pedaladas fiscais e vetos. A ordem de Lula é fazer “o diabo” para salvar sua pele, nem que a vaca tussa. Ficam para depois resolver coisas de menor importância, como o atual desastre econômico, as altas de inflação, desemprego e dólar, e a deterioração da qualidade da nossa vida. Pobre Brasil!

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

POLIVALENTES

 

Inacreditável a capacidade de nossos homens púbicos de ocupar os mais diversos cargos! São gênios polivalentes. Vejamos o caso do sr. Aloízio Mercadante: já ocupou o Ministério da Ciência e Tecnologia, o Ministério da Educação, a Casa Civil e volta, agora, para o Ministério da Educação. Outro exemplo é Jaques Wagner: de ministro da Defesa (!) agora passará à Casa Civil. Aldo Rebelo: da Ciência e Tecnologia passará para a Defesa, e assim vamos. Já a entrega de ministérios para o PMDB demonstra como temos à disposição elementos de formação indiscutível e alta capacidade técnica em todos os partidos da situação! E vem o pai de gênios empreendedores Lula (lembremos de Lulinha e Luís Cláudio) dizer que toda essa movimentação ministerial só tem como objetivo tirar o País da crise. Querer impedir o impeachment dela é “invenção da imprensa burguesa a serviço das zelites”. Que país é este?

 

Heleo Pohlmann Braga heleo.braga@hotmail.com 

Ribeirão Preto

 

*

SERVE PARA TUDO

 

Não importa o ministério, Mercadante é o “ministro Bombril: tem 1.001 utilidades”, só não melhora a imagem da Dilma...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com  

São Paulo

 

*

CRIME DE LESA-PÁTRIA

 

Dilma Rousseff cometeu um crime de lesa-Pátria ao demitir o ministro Renato Janine Ribeiro da pasta da Educação. A presidente da República move-se no pântano da política pela ética do interesse (manutenção do poder), e não pela ética do princípio (projeto de Nação) no país da Pátria Educadora.

 

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br   

Campinas

 

*

PATRIA EDUCADORA?

 

Quatro ministros da Educação em dez meses num país cujo lema é “pátria educadora”? Está mais para falta de educação...

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

DESONRA

 

A presidente Dilma Rousseff demitiu por telefone o ministro da Saúde, Arthur Chioro, petista da gema, para entregar a pasta a um parlamentar do PMDB, o deputado Marcelo de Castro, médico psiquiatra. Não foi a primeira vez: Lula, em 2004, também por telefone, deu cartão vermelho ao hoje senador pelo PDT Cristovam Buarque, à época ministro da Educação. Atitudes mal educadas e segundo os códigos de quem está no comando significam desonra. Mas o que significa desonrar para um governo totalmente desonrado? Nada. A falta de ética é sua marca registrada. Para atender aos abutres do PMDB e irritada com a entrevista, sincera, do agora ex-ministro ao “Estadão” no domingo, Dilma não teve dúvidas, foi curta e grossa: eu preciso do cargo e acabou. E assim, mais um ministro da Saúde foi para a rua e, como anteriores, saiu como entrou, sem fazer nada de proveitoso. Quanto ao provável substituto de Chioro, nunca o vi, nunca ouvi dizer, nem de nome o conheço, mas acredito que poderá ser de alguma valia para o País. Ele é psiquiatra e, nas horas vagas, poderá dar plantão no Palácio do Planalto e no Congresso Nacional, ou até dar um pulinho até São Bernardo.

 

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com   

Jundiaí

 

*

GASOLINA NA FOGUEIRA

 

As coisas que, nestes últimos dias, a presidente tem aprontado para as Forças Armadas vão muito além do que elas podem suportar, creio eu. Esta última façanha, colocando um comunista na chefia do Ministério da Defesa, é de arrepiar. Só pode ser um ato de vingança de um bando de ex-terroristas insensatos que, no auge de uma crise política/econômica/social/moral, jogam mais gasolina na fogueira. Pelo calibre das grossas besteiras que tem patrocinado e para que se evitem danos ainda maiores para nosso país, essa senhora deve ser retirada o mais rápido possível do cenário.

 

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br  

São Paulo

 

*

TRISTE REALIDADE

 

Costuma-se dizer “quer conhecer o verdadeiro caráter de uma pessoa? Dê-lhe o gostinho do poder”. Por ele muitos são capazes de jogar toda uma história de vida, quando houve uma, na lata do lixo. Apequenam-se na dignidade, na honradez, na autoestima e no amor próprio. A presidente e os ministros que entram e que saem se merecem uns aos outros.

 

Luiz Nusbaum  lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

CORAGEM OU COVARDIA?

 

O estranho conceito de coragem que petistas e desenvolvimentistas bradam não tem a menor lógica. Segundo o ministro Nelson Barbosa, Dilma Rousseff mostra coragem ao propor novos impostos, ou seja, jogar a conta de seus erros para todos os brasileiros. Coragem ou falta de vergonha? Essa é a questão relevante. Coragem teria ela e eles todos do governo, se cortassem mesmo os gastos supérfluos e inúteis em que a grotesca máquina governamental se mantém. Coragem seria acabar com os milhares de cargos de confiança dentro dos ministérios, com os gastos de manutenção de apaniguados dentro da máquina pública, até com os gastos de viagem (pode até não fazer muita diferença, mas para que uma comitiva enorme, inclusive com a filha da presidente, em viagens ao exterior?). Qualquer pessoa minimamente inteligente (claro que isso exclui petistas) sabe que cortes drásticos da despesa pública e grandes mudanças estruturais são o caminho para o começo de uma reestruturação do País. Para ganhar sobrevida e se manter mais um pouco no poder com os apaniguados protegidos, o PT se recusa a reconhecer os erros que cometeu. Economistas que deram força aos desmandos a que a presidente submeteu a economia brasileira soltam manifesto culpando tudo, menos o que se cometeu nestes últimos anos e culpam até o ajuste fiscal que nem aconteceu. Os desenvolvimentistas que defendem a criação de mais impostos, incapazes de repensar sua ideologia utópica esquerdista e socialista, são covardes, incapazes de admitir que a recessão que se instalou no País é culpa exclusiva das más escolhas que foram feitas nos governos Lula e Dilma. Custaram muito caro e podem afundar de vez o Brasil. Só nos resta a coragem de expulsá-los de vez.

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

 

*

AJUSTE FISCAL E CREDIBILIDADE

 

Dona Dilma Rousseff, credibilidade e competência não se compram em farmácia. E não se adquirem em botecos de R$ 1,99.

 

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

 

*

NÃO VAMOS PAGAR O PATO

 

O pato inflável colocado pela Fiesp em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, esta semana é um pato inflável do slogan da campanha “não vamos pagar o pato”? Ou seria uma alusão à “pata manca” de lá mesmo? Ou as duas coisas, dizendo “não vamos pagar o pato, sua pata manca”, em todos os sentidos da palavra?

 

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

 

*

AFUNDAÇÃO PETISTA

 

Depois de assistir a “hilariante” entrevista de Marcio Pochmann, ex-Ipea, no programa da jornalista Lillian Witte Fibe, cheguei à triste conclusão de que a Fundação Perseu Abramo abriga o que há de mais retrógrado e irresponsável no pensamento econômico moderno.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

COMBUSTÍVEL MAIS CARO

 

O ex-presidente Lula declarou para todos ouvirmos que o Brasil era autossuficiente em petróleo, e agora vem este aumento no preço dos combustíveis? Ele pensa que somos idiotas! Só a sua turma de capangas e os brasileiros ignorantes, que não são poucos, acreditam nele.

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

LÓGICA PETISTA

 

A ministra da Agricultura neo-petista, Katia Abreu, por osmose ao dilmismo, indica que o governo deixou de intervir no preço dos combustíveis, referindo-se ao aumento de 6% no preço da gasolina e de 4% no do diesel. Dentro da lógica demagógica e burra do petismo, convenientemente deixando de informar que, se realmente não há intervenção, o preço dos combustíveis deveria cair, como vem caindo o preço do petróleo, e não subir, para cobrir o rombo nas contas da Petrobrás, que, por corrupção, os próprios causaram.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

 

*

OS VOOS DE AÉCIO NEVES

 

É louvável que o Ministério Público do Estado de Minas procure investigar a utilização de aeronaves oficiais pelo ex-governador Aécio Neves. (“Promotoria investiga viagens de Aécio ao Rio de Janeiro”, “Política”, 2/10/2015) Contudo, será lamentável se esta averiguação não for conduzida de forma serena, responsável e profissional, dando a resposta que todos esperam. Decerto, a concessão de direitos aos governadores de Estado é um tema que invariavelmente suscita questionamentos, especialmente no campo da moralidade, sobre a propriedade de tal política numa democracia. Ademais, não se pode olvidar, que o regime republicano é refratário à instituição de favorecimentos lídimos. Ocorre que a utilização de aeronaves pelos chefes do Poder Executivo estadual não pode ser considerada um privilégio ou uma regalia sem fundamento legítimo. Tal direito decorre da relevância e das responsabilidades que o cargo exige, bem como dos riscos a ele inerentes. Tanto é assim que a Lei Federal nº 7.474, de 8 maio de 1986, prevê serviços da mesma natureza inclusive para os ex-presidentes da República, que recebem proteção estatal mesmo depois de cessado o exercício das funções, tudo isso em prol da proteção de sua integridade.

 

Lucília Peres Almeida luciliapcalmeida@gmail.com

Belo Horizonte

 

*

‘REMENDOS NA PREVIDÊNCIA’

 

Raramente tenho visto uma análise tão lúcida como a da jornalista Suely Caldas (“Remendos na Previdência”, 27/9, B2) sobre o déficit do INSS. Sempre enxerguei as distorções que ela cita, como a obrigação de o INSS pagar salário mínimo aos trabalhadores rurais, que nunca contribuíram para a Previdência, o que caracterizaria um programa de renda mínima, como é o Bolsa Família, embora isso nunca seja mencionado pelos analistas de plantão (receio de desagradar a alguns setores ou políticos?). Pensionista e aposentada que contribuiu a vida toda sobre o máximo para a Previdência, vejo hoje minha pensão, que começou com 5 salários, minguar para 2. Não queria privilégios, apenas uma resposta justa por ter acreditado que valia a pena contribuir para que a Previdência me assegurasse uma velhice digna. É claro que continuo trabalhando aos 78 anos, para arcar com o “conforto” de um plano de saúde mínimo, que o Estado promete, mas não entrega.

 

Maria Angélica N. Noronha angelicanoronha@terra.com.br

São Paulo

 

*

INJUSTO

 

Sou metalúrgico, me aposentei e preciso continuar trabalhando por causa do valor que recebo. E ainda pago todo mês o teto, que é de R$ 513,00. Posso afirmar com toda certeza que todo ano devolvo tudo o que recebo de aposentadoria para o governo, na hora do Imposto de Renda. Mas, certa vez li, lá pelo ano de 2005, que o montante arrecadado do setor privado cobria todas as aposentadorias e pensões, e que com boa gestão nunca teríamos problemas. O problema se concentrava na Previdência do governo, então: 1) como controlar arrecadação de uma empresa pública? 2) salários médios dos aposentados dos governos maiores que os do setor privado? 3) Milhares de pessoas recebendo aposentadorias sem nunca terem contribuído, herdaram aposentadorias. 4) Meu salário de aposentado é xis, mas conheço várias pessoas que trabalharam em empresas públicas e recebem 3 xis! Para um mesmo salário na época da aposentaria.

 

Roberto Moraes robertovmorais@hotmail.com

São Paulo

 

*

A PREVIDÊNCIA DO FUNCIONALISMO

 

Gostei muito de ler a opinião de Suely Caldas sobre a Previdência e como ela é mal administrada por nossos governos. Eu já ouvi comentários dando conta de que a Previdência sem o funcionalismo público é superavitária. Pergunto: isso é verdade?

 

José Aparecido ararandeua@uol.com.br

São Paulo

 

*

PALPITE

 

Congratulações pelo texto, como sempre, excelente de Suely Caldas. Gostei do “molecagens”. Vai meu palpite: que tal sugerir a revogação do parágrafo segundo (2.º) do artigo quarto (4.º) do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT)?

 

Pedro Soares de Alvarenga  alvarengamacartur@hotmail.com

São José dos Campos

 

*

FARRA

 

Acabo de ler “Remendos na Previdência”, de Suely Caldas. Além dos problemas que ela aponta, sugiro pesquisar e analisar a farra dos auxílios-doença, da aposentadoria por invalidez, a entrada no Regime Geral com 70, 80 anos sem exame admissional para buscar estes benefícios, as carências, as pensões, os Loas para deficientes, as isenções de Imposto de Renda... Está quase tudo necessitando ser revisto e posto com clareza para também minimizar a judicialização que está fazendo o que quer sem o questionamento da sociedade.

 

Carlos Roberto Seixas betoseixas@uol.com.br

São José do Rio Preto

 

*

FIDEL CASTRO VESTE ADIDAS

 

Gostei demais do artigo de Roberto Macedo “Ex-diabo Fidel Castro veste Adidas”, em especial quando diz: “Minha explicação é a de que a marca vestiu atletas olímpicos de Cuba, o que pode ter levado ao apego de Fidel a ela, até porque nessas ocasiões ele deve ter sido também agasalhado pela fabricante”. Pois é, quem tem frio se agasalha!

 

Antonio Negreiros  tonhonegreiros@gmail.com 

Piracicaba

 

*

PORTO EM CUBA

 

Caro Roberto Macedo, o sr. acha que de fato Cuba vai pagar alguma coisa do porto feito por Lula para os “americanos” em Cuba? Quem vai conferir, enquanto pelo menos Lula estiver no “pudê”?

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

INDÚSTRIA DAS MULTAS

 

A administração petista da Prefeitura de São Paulo tem sido marcada por tomar ações sem controle e sem projeto, nos moldes da administração federal. Num ponto, porém, tem sido eficaz e profissional: na indústria das multas. Com as várias mudanças de velocidade máxima numa mesma via, inclusive com instalação de diversos radares com pouca distância entre eles, este governo petista consegue confundir os motoristas e arrecadar somas cada vez maiores, que, infelizmente, parecem não estar sendo aplicadas de maneira eficiente, pois são evidentes as condições precárias da maioria das ruas da cidade, que apresentam buracos, semáforos sem funcionamento, pinturas desgastadas e má iluminação em vários trechos.

 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

VERGONHA

 

Sou uma cidadã indignada com o prefeito de São Paulo e sua política de roubar o cidadão através das multas. Tenho 55 anos e só no presente ano recebi 4 (quatro) multas, sem precedentes anteriores. Acho que ele e sua equipe deveriam ter vergonha do que estão fazendo com alguns munícipes. Eles dizem que têm acertado com essa política de trânsito, mas, na verdade, estão fazendo as pessoas desistirem de sair de carro, ficarem com medo de receber mais multas, um verdadeiro absurdo!

 

Iaci Morata Martines iacimm@gmail.com

São Paulo

 

*

DUPLA UTILIDADE

 

Os vídeos produzidos por cidadãos mostrando a má conduta dos policiais alterando fatos e executando pessoas ajudam a prender e condenar os culpados. Fica só uma sugestão aos cidadãos de todo o Brasil: por que não filmam os criminosos praticando crimes, sequestrando pessoas e traficando, se estão na mesma comunidade? O celular que filma o crime de policiais não pode ser usado para filmar criminosos? Será que a polícia mata porque está cansada de prender e ver no dia seguinte o criminoso rindo, livre, nas ruas, matando policiais?

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.