Fórum dos leitores

IMPEACHMENT

O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2015 | 02h55

Liminares do STF

O surrealismo brasileiro não tem limites. Temos agora, com as liminares do Supremo Tribunal Federal (STF) interferindo no rito do impeachment na Câmara dos Deputados, uma presidente da República sub judice. Dilma Rousseff, como no conhecido experimento do Gato de Schrödinger, é e não é presidente do Brasil. O ativismo judicial já foi longe demais.

LUIZ AUGUSTO MÓDOLO DE PAULA

luaump@yahoo.com.br

São Paulo

STF petista ataca de novo

Com a suspensão do andamento dos pedidos de impeachment, o STF mostra seu lado lullopetista de maneira descarada e escancarada, fazendo-nos nunca mais acreditar na Justiça brasileira, em qualquer nível.

BORIS BECKER

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

Teori e a liminar

A mídia veiculou no final da semana passada que “alguém” ouviu, numa reunião “secreta” da sra. Dilma com seus colaboradores para tratar da defesa contra o impeachment, que a gerentona afirmou “ter em mãos cinco ministros do Supremo”. Onde há fumaça há fogo?

ULISSES NUTTI MOREIRA

ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

Crime confessado

O grande “líder” tupiniquim, o petista ilusionista Luiz Inácio Chávez Morales da Silva, disse na cidade de São Bernardo do Campo que as pedaladas fiscais foram cometidas porque o governo tinha de sustentar os programas sociais Minha Casa, Minha Vida, Bolsa Família, etc. Como se isso pudesse justificar o tremendo crime de responsabilidade civil que o governo da presidente Dilma e sua camarilha petista praticaram. Confissão em público do líder máximo do lulopetismo. Portanto, que se aplique a lei, tornando inviável este fracassado governo, que já deu o que tinha a dar.

HENRIQUE SCHNAIDER

hschnaider4@gmail.com

São Paulo

Conversa pra boi dormir

Primeiro eles negaram as pedaladas fortemente. Depois as admitiram com a desculpa de que “todos fizeram antes”. Em seguida disseram que foi só um pouco e não havia nenhum prejuízo. Agora a desculpa é que foi para o bem dos pobres e desvalidos. Esta última desculpa talvez seja para ganhar o apoio da grande camada da sociedade que os apoiou sempre e era a maior beneficiária desses programas sociais. Esquecem eles que a conta não bate. E não bate porque, quando se gasta mais do que se tem, qualquer pessoa, empresa ou país acaba tendo de se endividar e suas finanças são severamente atingidas. Com pedaladas e coisas parecidas o governo petista atacou a saúde das finanças públicas, mortalmente, ferindo também de morte a sociedade inteira. Os brasileiros todos foram atingidos pelo desemprego, pela inflação, pela recessão. Não adianta agora dizer que só fizeram tudo isso pelo bem dos pobres. Não é verdade. Fizeram em seu próprio benefício, para continuarem a ser apoiados pelos que utilizam os programas sociais. E estes são os mais atingidos, os mais vulneráveis, os que mais perderam emprego, escola e atendimento de saúde. Os mais pobres são os mais atingidos pelo desvario financeiro petista. Então, Lula que não venha com mais essa desculpa esfarrapada. Lula que vá dizer isso nas periferias, nas regiões pobres, falar diretamente para eles. Isso é conversa pra boi dormir.

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

PT, milícias e bondades

Já faz algum tempo que este país perdeu o senso de legalidade. No mensalão a justificativa era que todos fazem o mesmo, ou seja, por esse prisma qualquer pessoa pode matar porque outras também o fazem. Agora, sobre as pedaladas fiscais, o Lula justifica que isso pode, por ser para uma boa causa, que seria pagar os programas sociais do governo. As milícias matam livremente e a justificativa é que os assassinados têm passagem pela polícia... Neste país se pode tudo, é só ter uma justificativa.

VITAL ROMANELI PENHA

vrpenha@terra.com.br

Machado (MG)

De vergonhas

A oposição deveria criar vergonha e deixar Dilma governar este país, disse o Lula. Sinto muito, mas o Lula não sabe e nunca soube o que significa vergonha, portanto, não tem condição alguma de cobrar que alguém a tenha. Vergonha sinto eu de residir num país desgovernado por seu partido há funestos 12 anos. Vergonha sentem todos os brasileiros dignos, trabalhadores de verdade, que pagam impostos altíssimos para ver todo o seu esforço ser desviado para a tentativa de eternização no poder do seu partido. Sentem vergonha também por terem sido enganados na última eleição, porque tudo o que a “factoide” que ele colocou na Presidência prometeu nunca será realizado. Será que agora ele entende, ao menos um pouco, o que significa vergonha?

JOSÉ ROBERTO NIERO

jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

Coincidências...

Quando o Brasil, via Petrobrás, comprou a refinaria obsoleta de Pasadena, que causou um prejuízo imenso ao País, a presidente do conselho da estatal era, nada mais, nada menos, que a sra. Dilma Rousseff. Agora documentos comprovam que pela MP 471, editada em 2009, no governo do sr. Lula, foram pagos R$ 36 milhões a lobistas para se prorrogarem incentivos fiscais a montadoras de veículos, o que veio causar prejuízos de R$ 1,3 bilhão por ano, e, coincidência, a ministra da Casa Civil era a sra. Dilma. Quanto mais tempo o PT ficar no governo, mais o País tende a piorar em todos os sentidos.

URIAS BORRASCA

urias@mercosulrefratarios.com.br

Sertãozinho

Que país é esse?

Pobre do país que tem em sua instância maior do Judiciário ministros que se apequenam diante de orientações do Executivo. Pobre do país que, mesmo se encaminhando para o abismo, tem em seu comando prioridades fisiológicas. Pobre do país que não reage diante de tanta incongruência, tanta corrupção e tantos desmandos. Pobre do país que não produz pessoas de brio e patriotas, capazes de dar um basta na desordem e na balbúrdia que se instalaram no cerne de seu comando. Pobre do país cuja população sofre calada e resignada diante dos inúmeros malfeitos praticados por bandidos de colarinho branco e mitômanos contumazes. Que Deus salve o nosso querido Brasil.

ELIAS SKAF

eskaf@hotmail.com

São Paulo

CORREÇÃO

O e-mail correto do dr. Pedro Malan é malan@estadao.com.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

O JOGO DE DILMA E CUNHA

 

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, teria dito a amigos: “Eu não caio antes dela”, referindo-se à presidente Dilma Rousseff. Na realidade, não deixa de ser boa notícia, porque ficaremos, então, livres dos dois, embora o Brasil necessite de ficar livre de muitos políticos mais cujo desempenho é extremamente prejudicial e maléfico à Nação.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br 

Rio Claro

 

*

SEM MORAL

 

O atual presidente da Câmara tem moral para pautar um processo de impeachment da presidente Dilma? Que país é este, onde um acusado de desmandos e de ter depósitos mal explicados em contas na Suíça tem poderes para encaminhar uma questão de conotação nitidamente política e partidária?

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 

Santos

 

*

FALE, DEPUTADO

 

Segundo Dora Kramer (“Gênios indomáveis”, 11/10, A6), Eduardo Cunha já avisou a quem de direito no poder: se cair, não cai sozinho. Embora não mereça nenhuma credibilidade, tendo em vista as últimas notícias a seu respeito – principalmente as internacionais –, o Sr. Cunha poderia efetivamente fazer pelo menos esta deferência aos brasileiros, apontando eventuais comparsas na ladroagem que, ao que tudo indica, protagonizou ou de que pelo menos participou na Petrobrás.

 

Ademir Valezi adevale@gmail.com 

São Paulo

 

*

CHANTAGEM

 

“Se me afastarem ou me denunciarem, vou entregar todo mundo”, disse Eduardo Cunha. A frase condicional impede que a franqueza alcance a dignidade.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

 

*

SANTOS DO PAU OCO

 

Tendo em vista as notícias divulgadas a partir de vazamentos atribuídos ao Ministério Público acerca de supostas movimentações financeiras a ele atribuídas, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, emitiu nota à imprensa da qual faz parte a seguinte declaração: “O presidente da Câmara nunca recebeu qualquer vantagem de qualquer natureza, de quem quer que seja, referente à Petrobrás ou a qualquer outra empresa, órgão público ou algo do gênero. Ele refuta com veemência a declaração de que compartilhou qualquer vantagem, com quem quer que seja, e tampouco se utilizou de benefícios para cobrir gasto de qualquer natureza, incluindo pessoal”. Por outro lado, seu colega deputado Paulo Maluf negou em interrogatório no Supremo Tribunal Federal (STF) ser dono de contas que lhe são atribuídas na ilha de Jersey, um paraíso fiscal no Canal da Mancha. Ele é acusado de desviar US$ 340 milhões de obras construídas quando era prefeito de São Paulo, razão pela qual está na lista de foragidos da Interpol. Mesmo assim, sua defesa insiste em que ele “não tem e nunca teve contas no exterior”. Qualquer semelhança entre os dois ilustres deputados é mera coincidência...

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

LAMBUZADOS

 

Em terras tupiniquins, dizem que a sra. Cláudia  Cruz, esposa do deputado Eduardo Cunha, gastou US$ 1 milhão, de origem a ser investigada, em academia de tênis, cursos e futilidades. Enquanto isso, a Fundação Gates e sua co-fundadora Melinda Gates, uma das mulheres mais poderosas do mundo, se preocupam em doar bilhões de dólares às causas humanitárias como o combate à malária. Como diz o velho ditado: “quem nunca comeu melado, quando come, se lambuza”.

Solange Jana solangejana@terra.com.br  

São Paulo

 

*

A MESMA MEDIDA?

 

Um delegado da Polícia Federal que mais quer aparecer como estrela na mídia mandou demitir uma faxineira mãe de quatro filhos só por ela ter comido um bombom de R$ 2,00 que estava em caixa aberta sobre a sua mesa. Será que a mulher do presidente da Câmara dos Deputados vai ser processada pelos gastos exorbitantes no exterior com o dinheiro de propina? É ver para crer.

 

Orélio Andreazzi orelio@andreazzi.com.br     

Suzano

 

*

RAQUETADAS

 

A cada raquetada que Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, presidente da Câmara, dava numa sofisticada e badalada academia de tênis nos EUA, com dinheiro público roubado, cidadãos brasileiros morriam em hospitais sucateados, em estradas esburacadas e em rincões miseráveis, sem segurança e saneamento básico. A raquete da perdulária madame, simbolicamente, foi instrumento de morte para incontáveis brasileiros, entre eles inocentes crianças. Corruptos, em vez de serem recepcionados em suntuosos salões de festa frequentados pela “high society”, merecem ser recepcionados no inferno, pelo próprio Satanás.

 

Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com  

Belo Horizonte

 

*

INEGÁVEL

 

Uma vez documentada e comprovada a existência de contas secretas na Suíça, cabe perguntar até quando Eduardo Cunha continuará negando com veemência o que é veementemente inegável?

 

J. S. Decol decoljs@globo.com   

São Paulo

 

*

CONTAS SECRETAS

 

Algo precisa ser feito. Precisamos acabar com a mania que algumas pessoas têm de depositar milhões de dólares em contas secretas na Suíça em nome de brasileiros honestos, honrados, acima de qualquer suspeita, como Maluf, Cunha e tantos outros, tão somente para prejudicá-los. Agora, o Saci Pererê, a Mula sem Cabeça, Curupira, estes eu acredito que tenham dinheiro ilegal no exterior.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

CONEXÃO BRASIL-SUÍÇA

 

Não está na hora de o Brasil declarar guerra à Suíça, acabar com as denúncias e recuperar as fortunas bilionárias?

 

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

 

*

DE TANTO MENTIR...

 

Como na Alemanha de Hitler, a mentira passava a ser creditada com realidade depois de tanto insistirem nela. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, está utilizando esse sistema (já utilizado há muito por Maluf). Não pega mais...

 

Marcos Pougy marcoslaly@gmail.com  

São Paulo

 

*

O APOIO DA OPOSIÇÃO

 

Quando li, no “Estado” de domingo (10/10), que a oposição discutia “deixar a defesa do peemedebista (Cunha)”, senti-me como um dos animais da fazenda no final de “A revolução dos bichos”, de George Orwell, sem conseguir mais distinguir porcos de homens. Com uma oposição dessas, quem precisa de uma Dilma? Ainda é preciso discutir se Cunha merece algum apoio? Será que também estão discutindo a hipótese de um impeachment da presidente da República?

 

Valter Lellis Siqueira valellis.siqueira@gmail.com  

São Paulo

 

*

FERA FERIDA

 

Comparando a possível reação de Eduardo Cunha à de um animal atingido mortalmente e disposto a reagir de modo desesperado, um dos ministros da atual equipe declarou: “Não há uma acusação frontal contra a presidente, mas Cunha pode se tornar uma fera ferida e aceitar um pedido de impeachment. O quadro é imprevisível”. Seria, no entanto, interessante que ele refletisse sobre a expressão “acusação frontal”, diante da conclusão objetiva e unânime do Tribunal de Contas da União (TCU) apontando para procedimento irregular da presidente no trato das finanças públicas, o que configura crime de responsabilidade previsto no artigo 85 da Constituição federal. Assim, desdobrando um pouco mais a metáfora, o cioso auxiliar, após um rigoroso exame de consciência, provavelmente concluirá que a vítima, de qualquer modo, morrerá em virtude de fulminante ataque de nervos, antes mesmo que o animal esboce qualquer ataque.

 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro

 

*

LUTA CONTRA O IMPEACHMENT

 

Para assegurar a farra do boi, Dilma Rousseff se reuniu com ministros no domingo e criou uma equipe de advogados e juristas contrários ao impeachment da presidente. Essa equipe deverá alertar a presidente sobre o risco de afastamento. Ela não deve reter nenhuma informação sobre os assuntos do País e precisa de uma equipe para lhe dar suporte. Mas equipe para trabalhar para o bem do País e de seu povo, contra os que assaltam o Tesouro Nacional, ah, isso nem pensar. Os assuntos tratados diariamente pela mídia que incluem atos de um governo corrupto e enganador são palavras ao vento. Pobre povo brasileiro.

 

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

REUNIÕES DE FIM DE SEMANA

 

Em qualquer empresa, quando funcionários trabalham nos fins de semana, é para aprimorar o desempenho. No desgoverno também existem reuniões dominicais, não para tratar do buraco negro das finanças em que o País se encontra, mas, sim, para defender a “competenta presidenta” contra pedido de impeachment. Tudo pelo social dos incomuns, e o povo que coma brioches! Até quando vamos aturar “o diabo” sendo feito para que as maracutaias continuem?

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

EQUIPE ANTI-IMPEDIMENTO

 

Haja verba para esta equipe! A canalha-alvo não se contenta com pouco (as patroas mais ainda).

 

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br 

São Paulo

 

*

EM BUSCA DE AJUDA

 

A presidente Dilma vem buscando saídas permanentemente. Ajuda dos universitários não seria bem-vinda?

 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

 

*

A MELHOR SAÍDA

 

A melhor estratégia para a presidente Dilma se livrar do impeachment é renunciando. Até ela pode perceber...

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

DESASTRE NUCLEAR

 

Não é profecia, caindo a “presidenta”, cai o pai dela, e o estrondo será tão grande que será ouvido na praça dos poderes do inferno (com a queda da grande árvore agigantada com os ganhos da corrupção e poderes adquiridos pelos laços das falcatruas, todas as galinhas de ovos de ouro, os urubus e suas carniças, os galhos hospedeiros com os parasitas e as raposas fugitivas sucumbirão instantaneamente com seu habitat nababesco, como acontece num desastre nuclear).

 

José Penteado Neto jsopnx@gmail.com

Araraquara

 

*

‘A FUNÇÃO DA SUBSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL’

 

O artigo assinado pelo professor Francisco Ferraz (“A função da substituição institucional”, 10/10, A2) aponta para a grande deficiência nacional: o não funcionamento ou funcionamento não consistente das instituições de sorte a que uma venha a substituir a que não estiver funcionando. Em que pese tudo o que veio a público sobre os assaltos ao patrimônio público, excluindo a Justiça Federal em primeiro grau, o que efetivamente aconteceu? A ocupante da Presidência da República e integrantes de seu governo, além de seu criador, continuam a recusar suas responsabilidades. A dilapidação da Petrobrás nada teria que ver com a atuação ou ausência dela pela senhora Dilma Rousseff, mesmo tendo sido ministra de Minas e Energia, presidente do Conselho de Administração da Petrobrás e chefe da Casa Civil no governo Lula. O Tribunal de Contas da União (TCU) rejeitou as contas da Presidência da República de 2014, mas, para “juristas”, isso não quer dizer nada, além do que poderá demorar muito para o Congresso Nacional fazer a sua parte. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a investigação sobre a campanha de 2014, que acabou por reeleger a sra. Dilma, mas, segundo alguns “juristas”, tal processo não poderia levar à perda do mandato. O atual presidente da Câmara dos Deputados, mesmo com denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR), continua forte e firme em seu posto, pois PGR não pede afastamento, porque não acredita que o Supremo Tribunal Federal (STF) enfrentaria a situação. Continua o presidente da Câmara a negar ser beneficiário de contas mantidas no exterior, tal qual fez e faz Paulo Maluf, na medida em que o processo em face do deputado paulista não anda no STF. Parte expressiva da população está sem emprego, com dificuldades para atender suas necessidades básicas, o empobrecimento geral e o medo do futuro são um fato, e nada acontece nas instituições. Se o Poder Judiciário estivesse em dia com suas atribuições, bem possivelmente outros poderes públicos estariam procurando fazer um pouco da sua parte pelo bem comum.

 

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo

 

*

NÃO SE ILUDAM

 

Alvíssaras! Agora é para valer. Dilma está cercada. O TCU por unanimidade recomenda reprovação de suas contas e o TSE reabre ação do PSDB para impugnar o seu mandato. A revolta popular é algo nunca antes visto. Sua atuação na Petrobrás pode ser investigada a qualquer momento e Eduardo Cunha acuado é um grande perigo. Não escapa. Cuidado. Não se iludam. Ledo engano. Isso tudo pode não passar de jogo de cena para nos burlar. Tem um grupelho nos tribunais, no Congresso, na Procuradoria, etc. trabalhando na surdina para confundir, protelar e ganhar tempo. Nada melhor do que, no fim, sendo analisada e julgada, sair sem provas ou até incólume. Fica sancionada e livre para continuar seu desgoverno. O povo no Brasil é que sempre paga.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr. Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

*

DO GROTESCO AO RIDÍCULO

 

Os argumentos do desgoverno para a defesa das “pedaladas fiscais” vão do grotesco ao ridículo. Antes dos 8 a 0 no Tribunal de Contas da União (TCU), ainda negavam terem feito coisas erradas e sustentavam que governos anteriores fizeram o mesmo, impunemente. Ora, não é porque um crime passou em branco que novos crimes (iguais) devam remanescer impunes.  Ademais, se houve “pedaladas” sem a sua devida arguição, o caso prescreveu dentro do princípio de que “a Justiça não socorre aos que dormem”. O desgoverno também sustenta que as “pedaladas” não contaminam a atual administração. Ora, Dilma logrou sua reeleição ocultando o estado calamitoso das contas nacionais de todos os brasileiros. Logo, os atos furtivos do período Dilma-1 se projetam com uma clareza solar sobre o novo mandato. Como se já não bastasse, em 2015 anunciam-se novos bilhões em operações do mesmo tipo, revelando a contumácia do desgoverno. Está difícil. Resta saber se os parlamentares recentemente comprados no escambo da última “reforma ministerial”, com sobras para o segundo e o terceiro escalões, serão suficientes para inibir o desfecho pelo qual esperam mais de 2/3 da população.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com     

São Paulo

 

*

EM 2015

 

A cara de pau e a desfaçatez são tantas, e, principalmente, a certeza de impunidade é tão grande que, mesmo não tendo tido aprovadas suas contas de 2014 por causa das “pedaladas”, a “presidenta” continua fazendo igual em 2015. Vergonhoso, indecente.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

DEIXEM ‘ELLA’ PEDALAR

 

Um pedalinho para “ella” e para cada um dos ministros, antes que afundem (o Brasil).

 

Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

 

*

ARMAZENANDO O VENTO

 

A natureza nos deu a exclusividade da jabuticaba, nossos cientistas inventaram a única tomada mundial de encaixe hexagonal e a presidente Dilma Rousseff, que descobriu a mandioca e a “mulher sapiens”, agora, na conferência da ONU, desafiou a comunidade científica mundial a inventar como armazenar vento para produzir energia eólica. Já estou vendo a nossa presidente num palanque, numa das muitas regiões do Nordeste ricas nesse fenômeno, inaugurando a Transvento. Ferrovia que, construída em parceria com algum chinês, ligará as regiões produtoras a um porto para exportação da nova e abundante commodity brasileira.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                   

Rio de Janeiro

 

*

INTERDIÇÃO

 

Diz a lei civil que, quando uma pessoa, seja lá qual for o motivo, perde a capacidade dos atos e condutas que regem a convivência social, ela é passiva de ser interditada. Pois é, a nossa “presidanta” se supera a cada dia nas sandices que propala nos seus confusos discursos. Criou a “mulher sapiens”, enalteceu a mandioca e, finalmente, talvez tenha alcançado o ápice ao querer armazenar o vento para gerar energia. Vai aqui uma sugestão: como a sra. está em vias de ser despedida por justa causa do emprego de presidente, e tem feito “o diabo” oferecendo todos os cargos para os “vagabundos” do PMDB em troca de apoio, uma verdadeira imoralidade, que tal criar a Ventobras, uma empresa do porte da Petrobrás, com cargos e mais cargos a serem entregues aos peemedebistas?

 

Carlos B. Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

 

*

MISTÉRIOS

 

Dizem muitos que não há fatos concretos que permitam embasar um pedido de impeachment da “mulher sapiens”, a estocadora de ventos. Todavia, se tal afirmativa é verídica, por que então essa azáfama da ilustre senhora em preencher cargos, em remanejar ministros, em cortejar parlamentares, em pretender suspender e desqualificar a apreciação de contas por órgão técnico específico, enfim, esta paranoia em ver golpismo em tudo? De que tem medo a presidente? Acaso haverá fantasmas rondando o reino da mandioca?  

 

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

 

*

VENTOSIDADES

 

Será que as pérolas ditas por Dilma na ONU sobre a energia eólica foram de sua exclusiva autoria ou tiveram colaboração de sua diligente equipe? Os representantes estrangeiros tiveram a oportunidade de conhecer a “Pátria Educadora”. Então devem ter pensado: se a “presidenta” é isso, como devem ser os demais políticos? Dilma segue fielmente seu líder e inspirador, cuja mãe, segundo ele, “nasceu pelada e analfabeta”.

 

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 

São Paulo

 

*

A CAMINHO DA GUILHOTINA

 

Às vésperas de ser guilhotinada, a odiada rainha Maria Antonieta recomendou ao faminto povo francês: “Se não têm pão, comam brioches”! No caminho do impeachment, nossa “presidenta” repete o gesto e manda o povo comer mandioca com vento “capturado”. Até no fim o brasileiro é humilhado.

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

 

*

DONOS DO BRASIL?

 

Assistimos, incólumes, a PT, aliados, Eduardo Cunha, Dilma Rousseff e Lula agirem livres, mesmo após provas flagrantes dando conta de que subestimam nossa inteligência. E, pior, como se do Brasil fossem donos.

 

Roberto Castiglioni rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

 

*

DE AIDAR PARA DILMA   

 

A instituição São Paulo Futebol Clube (SPFC) e o Brasil têm mais similaridades do que se pode imaginar. Ambos esconderam durante muitos anos a real situação de descalabro fiscal das instituições que comandam, que foram administradas por presidentes populistas e irresponsáveis cujos sucessores, agora, amargam a falta de apoio político – e, detalhe, rebelaram-se contra seus padrinhos. Dilma está para Lula assim como Carlos Miguel Aidar está para Juvenal Juvêncio. A diferença, por enquanto, é que Aidar já deu as cartas e anunciou a renúncia, ao contrário de Dilma, que, com toda a sua prepotência, julga-se a única capaz, ou talvez a mais capaz, de tirar o Brasil desta pindaíba política e econômica em que o próprio lulopetismo nos enfiou. Escute meu conselho, “presidenta”: faça como Aidar. O País e o SPFC não pertencem a seus diretores momentâneos, mas aos contribuintes e, no último caso, à torcida.

 

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com  

Nepomuceno (MG)

 

*

ADEUS, AIDAR

 

Que interessante. Este administrador impoluto e sagaz, que chamou Paulo Nobre de patético por ser ingênuo e não “entender os meandros do futebol”, mostrou a que veio. Está sendo apeado do poder por ser corrupto e sem caráter. Então, sr. Carlos Miguel Aidar, quem é patético agora? Só espero que a diretoria do seu time jogue a sujeira toda no ventilador, para que se possa saber quão patéticos são estes dirigentes mequetrefes. CPI nele!

 

Roberto Ricci robertoricci@uol.com.br

Embu das Artes

 

*

DELAÇÃO TAMBÉM NO FUTEBOL

 

Se muitos dos encarcerados dirigentes de confederações de futebol ligados à Fifa somente foram pegos por meio de delatores também envolvidos em esquemas de recebimento propina em contratos e eventos promovidos pela entidade, o presidente do São Paulo Futebol Clube, Carlos Miguel Aidar, deve renunciar de seu mandato graças também a uma delação feita pelo ex-diretor e aliado Ataíde de Gil Guerreiro. É uma denúncia grave, muito bem documentada com provas irrefutáveis de que Aidar, supostamente, teria recebido gordas comissões pelas recentes vendas de jogadores do clube. E o tricolor do Morumbi, desta forma, vai se livrar de um presidente que tentou macular a imagem de um clube que, ao longo de sua existência, construiu uma história exemplar de boa administração.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

 

Lulinha, filho do ex-presidente Lula, diante dos excepcionais negócios em que se meteu após deixar de ser um modesto funcionário monitor do Zoológico de São Paulo, foi pelo pai desde então açodadamente tratado por “Ronaldinho nos negócios”. Segundo delação premiada, homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), do lobista Fernando Baiano, o “craque” Lulinha estaria envolvido no recebimento de R$ 2 milhões em pagamento de despesas pessoais. Admite-se que cada pai tem todo o direito de qualificar o filho como quiser, mas, em se tratando de Lula, que “nunca sabe de nada” – e ao que parece muito menos da própria família –, não custaria procurar saber se o filho, em sua vida de estrela, quantos gols marcou estando impedido e ou com o uso das mãos.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

 

*

FENÔMENO

 

Com a delação do lobista Fernando Baiano consegui entender a multiplicação do patrimônio de Lulinha, de um salário de R$ 650,00 no Zoológico de São Paulo a megaempresário. Segundo o pai justificou na época, “se o Ronaldo é o fenômeno na bola, meu filho é o fenômeno nas finanças”. Bem, agora está esclarecido que de fenômeno o moço não tem nada, pelo menos nas finanças...

 

Carlos R. Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

 

*

ADEPTOS DO ‘PIXULECO’

 

Quem se habilita? É deveras promissor. O Jardim Zoológico de São Paulo oferece aos seus empregados um excelente plano de carreira. Pouca burocracia e uma agilidade impressionante nas promoções. O sr. Fábio Luiz Lula da Silva, o “Lulinha”, como  é conhecido  no meio empresarial, é filho de Lula. O novo gênio das finanças incorporou o espírito de John Maynard Keynes, um economista britânico cujos ideais serviram de influência para a macroeconomia moderna, tanto na teoria quanto na prática, hoje adaptada para os novos conceitos de moral e ética nacionais adotadas nos últimos 13 anos pela quadrilha dominante.  Lulinha passou muito pouco tempo fazendo a coleta de esterco dos animais, e logo se tornou empresário – e não foi no ramo de adubos orgânicos. Foi no ramo das comunicações. Tornou-se o orgulho do pai, que até o chamou publicamente de “o Ronaldinho das finanças”. Agora começam a parecer os podres do esquema de corrupção que envolve o pai, o filho e periféricos. O jornal “O Estado de S. Paulo” publicou reportagem que informa que o filho do homem é um dos adeptos do “pixuleco”. Roubaram o BNDES, receberam dinheiro roubado da Petrobrás. Continuam soltos e rindo da nossa cara. Até quando? O que falta para Luiz Inácio Lula da Silva ir para a cadeia? Onde está a Justiça? Sufocada? Afundou com o peso das denúncias. Não existem mais homens neste país?

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

*

OS FILHOS DE LULA

 

Luís Cláudio e Fábio Luís, filhos de Luiz Inácio Lula da Silva, se divertiram enquanto o pai era presidente da República. Atualmente, continuam muito bem, pois têm uma situação financeira excelente. Por outro lado, os contribuintes brasileiros foram penalizados duramente em 2015, com consecutivos aumentos de impostos. A maioria do povo não tem dinheiro para o lazer, como os dois herdeiros de Lula. Aproveitem enquanto podem, pois a Polícia Federal poderá bater a campainha de sua residência para solicitar esclarecimentos na Operação Lava Jato.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

LULINHA

 

Segundo o advogado, “seu cliente jamais recebeu qualquer valor do delator mencionado”. Infere-se aí a dúvida: e de outros, recebeu? Como reza o ditado português, “onde há fumaça ardem os olhos”.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo

 

*

A SUSPENSÃO DO AUXÍLIO-DEFESO

 

Com a inconsequente decisão da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, notoriamente conhecida pelo seu desprezo pelo meio ambiente, foi liberada a pesca durante o período da piracema, quando os peixes sobem os rios para a desova e reprodução. Isso porque o governo federal é incompetente para fiscalizar a “bolsa-pescador”,  criada pelo PT para auxílio dos pescadores na época de defeso, em que a pesca é proibida. Como existe corrupção também nesta área, a incomPeTência manda liberar a pesca e não dar o auxílio, afirmando que vai economizar para os cofres públicos. E dane-se o meio ambiente. É mais um tiro no próprio pé do governo federal, que trará  consequências nefastas a todos. Pura burrice e estupidez. O Ministério Público não pode ficar ausente numa situação como esta e permitir um crime ambiental dessa magnitude.

 

Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com

São Paulo

 

*

CEGOS

 

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse, ao assumir a pasta, após sua dispensa da Casa Civil, que “não dava para ver o rombo no Fies (Financiamento Estudantil)”. Claro que não, pois neste governo, além de dormirem de toca, só enxergam o que lhes interessa e os beneficia.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

ESCOLAS FECHADAS

 

É inaceitável que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), feche escolas e reduza a verba destinada à educação. No Estado mais rico e populoso da Federação, Alckmin trata a educação e os estudantes paulistas como se fossem supérfluos, descartáveis e totalmente desimportantes. Um governo que não prioriza a educação não merece o menor respeito da população. Não é para isso que pagamos altos impostos estaduais, sobretudo o regressivo e famigerado ICMS, para fecharem escolas públicas. Mais um triste retrato da falta de alternância no poder, da alienação e do conservadorismo dos caipiras paulistas e de 20 anos de governos tucanos em São Paulo.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

CENÁRIO

 

Cumprimento o “Estadão” por publicar o melhor cenário sobre o nosso futuro político e econômico, no último fim de semana: Dora Kramer (“Gênios indomáveis”); Eliane Cantanhêde (“Morto-vivo vivíssimo”); Affonso Celso Pastore (“A ilusão de uma mudança de rumo”); Amir Khair (“Dois caminhos”); Fernando Gabeira (“As fontes da ira”); Pedro Malan (“O ocaso de uma narrativa”); Roberto Romano (“Golpes de Estado e ‘eisangelia’”); e Geraldo Brindeiro (“Responsabilidade política no presidencialismo”).

 

Ronaldo Bianchi ronaldo@ronaldobianchi.com 

São Paulo

 

*

JOAQUIM LEVY

 

Li o artigo de Pedro Malan de 11/10 (“O ocaso de uma narrativa”), sobre a posição de Joaquim Levy no governo petista e, concordando com o articulista, acredito que Levy foi colocado em seu posto de ministro da Fazenda para ser o bode expiatório do PT. Portanto, para que preserve sua história pessoal, deve pedir demissão e deixar que os petistas assumam o ônus de suas atitudes nefastas para o Brasil na área econômica.

 

Julio Celeste Teshainer jcteshainer@terra.com.br

São Paulo

 

*

O PÃO QUE ‘O DIABO’ AMASSOU

 

Concordo plenamente com o economista Pedro Malan em seu artigo “O ocaso de uma narrativa” (11/10, A2), de que o governo Dilma Rousseff vai culpar Levy por tudo o que está acontecendo atualmente no País. O ministro Joaquim Levy que ponha sua “barba de molho” e lembre-se do que Dilma disse em sua campanha eleitoral: que faria “o diabo” para ganhar as eleições. Agora, ele (Levy) pode comer o pão que “o diabo” amassou.

 

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

 

*

DEVASTADOR

 

Joaquim Levy disse que o rebaixamento da nota do Brasil foi “devastador”. O que este “Mané” da economia não sabe é que não foi o rebaixamento que foi devastador, mas os comunistas e coronelistas que entraram no poder, e no “pudê”, com a Constituição de 1988. Imbecis idiotas como o PT são, de fato, apenas a ponta do iceberg do país naufragado que vemos hoje. O rebaixamento é apenas a evidência do óbvio, que economeses como Levy nem sequer enxergam. Levy, pegue seu boné e saia enquanto é tempo.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

A INCOMPETÊNCIA E O REMÉDIO AMARGO

 

O Brasil, para voltar ao eixo, precisa, com urgência urgentíssima, da definição da votação do ajuste fiscal no Congresso Nacional. As sucessivas medidas eleitoreiras adotadas pelos governos quebraram a estabilidade econômica, e ela precisa ser readquirida. É necessário desmontar todas as estruturas que encarecem e tornam ineficiente a máquina governamental e, além disso, restabelecer o sistema contributivo, poluído por desonerações, renúncias fiscais e outras medidas populistas que podem sustentar temporariamente o governante, mas quebram a economia nacional. Temos uma incômoda situação em que, afora as questões que circulam pelos tribunais eleitoral e de contas e a apuração dos atos de corrupção que envolvem órgãos estatais e figuras do governo, a economia padece. É preciso tirar o País dessa viela sem saída. Chegou a hora de a classe política – senadores, deputados, partidos e lideranças – pensarem mais no País do que em si próprios. De nada adiantam os projetos-bomba, o retardo na discussão dos vetos e o cozinhar do impeachment em fogo brando. O momento exige ação e decisão.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

‘O RECORDE DA ESTUPIDEZ’

 

Marcelo Rubens Paiva, em seu artigo “O recorde da estupidez” (“Caderno 2”, 10/10), tenta mais uma vez defender seu amigo Fernando Haddad, defendendo o indefensável, fazendo-nos crer que não existe uma indústria de multas na cidade de São Paulo e que o dinheiro arrecadado em multas será gasto na melhoria do caótico trânsito de São Paulo, assim como ocorre nos EUA. Será que ele acha mesmo que alguém acredita nele? Será que ele acha que todos somos idiotas? Tenha dó...

 

Gianflávio Augusto F. Garisto gianflavio.garisto@nextel.com.br

São Paulo

 

*

A TERRA EM PERIGO

 

O livro de Dan Brown “Inferno” contém um gráfico com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre questões ambientais que põem em perigo a saúde global. No último século: a demanda de água potável, aquecimento global, destruição da camada de ozônio, esgotamento de recursos oceânicos, extinção de espécies, concentração de gás carbônico e elevação do nível do mar preocupam o planeta. O fenômeno El Niño promete surpresas desagradáveis, com uma séria ausência de chuvas que pode trazer resultados funestos para o único setor: o agronegócio, que consegue se salvar da bagunça organizada que transformou o gigante num pigmeu. No Estado do Rio de Janeiro, estima-se um prejuízo de R$ 375 milhões por causa da estiagem. Sempre que líderes das grandes nações se reúnem, prometem metas de redução na emissão de CO2 jogado na atmosfera. O que deveria ser tratado nessas reuniões é o problema do aumento da população mundial, que cresce em progressão geométrica, exigindo cada vez mais recursos naturais. O planeta está caminhando para se transformar num Saara, um Atacama, um Gobi e Taka Makan.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

BESTIALIDADE

 

Uma das mais perversas, cruéis e sórdidas atitudes é adestrar cães pastores-alemães ou qualquer animal para utilizá-lo e, consequentemente, sacrificá-los no front de uma guerra, como aquela que ocorre hoje no Afeganistão. Os bichos, ensinados a procurar objetos que tenham o cheiro de pólvora, não sabem que o artefato, adredemente preparado e escondido pelos terroristas no subsolo, está programado para explodir ao menor toque em sua superfície. São minas terrestres. Esses animais são despedaçados cruelmente quando detectam algum desses artefatos, e assim salvam o soldado da morte. Entretanto, o ser humano, quando vai a uma guerra, está consciente de que vai para matar ou para morrer. O animal, não. Ele age por instinto, pela sua irracionalidade natural e não julga que aquele que o acaricia e dá a ele todo carinho o está levando para a morte cruel e abjeta sem precedentes. A que ponto chegou a animalesca ambição do ser humano, motivado pela ideia fixa de riqueza sem limites – não olvidando que a região é um vasto mar de petróleo a ser explorado. Seria a hora de que a ONU, por meio de seus seguimentos de proteção aos animais, reprovasse veementemente a prática acima descrita.

 

Jose Baeta Neves Filho drjosebaeta@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.