Fórum dos leitores

IMPEACHMENT

O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2015 | 02h18

Unasul

Sabendo da ameaça de impeachment que pesa sobre a presidente Dilma Rousseff, seus “companheiros” da América Latina correram para defendê-la de um curso “antidemocrático” que pode culminar em seu afastamento. Façam-me o favor, a que ponto chegamos! Bolivarianos prezando pela estabilidade das instituições tupiniquins... Eles que cuidem de seus respectivos países e consultem um terapeuta para tratar dessa tara ideológica. Não dão um suspiro acerca das perseguições a opositores do chavismo e do kirchnerismo, mas vêm se meter com nossas instituições, que, apesar de infiltradas pelo lulopetismo, ainda são livres e independentes. No que tange à expulsão de blocos “econômicos” e políticos, eles nos farão um grande favor. Desde quando um país com as maiores riquezas minerais do mundo, com um povo honesto e trabalhador, depende do auxílio de pseudodemocracias com PIBs pífios? Eles é que precisam de nós.

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

Dois coelhos

De fato, o sr. Ernesto Samper, secretário-geral da Unasul, ameaçou o Brasil de exclusão desse grupo caso Dilma seja submetida a impeachment. Eis mais uma razão para esse processo: livramo-nos, de uma só vez, de dois atrasos para o nosso país. Ou, como diria o Lulla, “dois coelhos com uma só cacetada”.

JOSÉ MÁRIO FACIOLI

jmfacioli@yahoo.com

Batatais

Chance imperdível

Quer dizer, então, que a Unasul, esse bando do que há de mais atrasado na América Latina, romperá com o Brasil caso se insista no impeachment da Dilma? Equivale a ganhar a Mega-Sena se conseguirmos nos livrar de ambos ao mesmo tempo. Por favor, não deixem escapar essa oportunidade, hein!

JOSÉ FRANCISCO D’ANNIBALE

dannibale@remunera.com.br

São Paulo

Auspicioso

Um dos primeiros passos do presidente que vier a suceder a Dilma deverá ser livrar-nos de todo o entulho ideológico implantado ao longo dos últimos 13 anos. Sair da Unasul seria, certamente, um dos mais auspiciosos. A ameaça ridícula do igualmente ridículo Ernesto Samper soa como bom prenúncio da sucessão de eventos positivos que se encadearão à necessária saída de Dilma do Planalto.

JÚLIO CRUZ LIMA NETO

São Paulo

‘De profundis’

O PT conseguiu transformar o Brasil numa republiqueta de bananas até para o arcaico mundo dos caudilhos comunistas e nazistas da Unasul. Já estamos muito abaixo do fundo do poço.

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Sair do Mercosul também

É, os petralhas fizeram do Brasil um país de quinta categoria! Não bastasse um ministro venezuelano entrar aqui armado para fazer conchavos com o MST e o narcoditador Evo Morales ameaçar invadir o Brasil com seu exército, agora vem essa Unasul ameaçar o Brasil com expulsão caso defenestre esse simulacro de presidente. Ótimo, expulsem-nos também do Mercosul, assim vamos para a parceria do Pacífico, com países sérios!

CÉSAR ARAUJO

cesar0304araujo@gmail.com

São Paulo

A lógica petista

Quebraram o País. Desorganizaram as finanças públicas. Trouxeram a inflação de volta. Causaram recessão feroz. Cometeram crimes de responsabilidade fiscal. Distribuíram dinheiro do brasileiro para projetos em países com afinidade ideológica. Arrombaram os cofres públicos, fazendo do Brasil o recordista mundial da corrupção. Incharam a administração federal com apaniguados em números absurdos. Dilapidaram e quebraram a Petrobrás. Ameaçam diuturnamente os brasileiros que trabalham com aumento de impostos. Criaram um sistema altamente sofisticado de financiamento de campanhas eleitorais e de permanêcia no poder – mensalão, petrolão, pixulecos. Banalizaram os hábitos políticos de convivência democrática. E com tudo isso ainda querem continuar no poder! Será que até arruinarem completamente o nosso Brasil?

JOSE ROSA

jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

Esquife baixando

O rebaixamento da nota do Brasil pela Fitch é mais uma pá de terra sobre o esquife de um ente chamado Brasil, vilmente ferido de morte por uma quadrilha de malfeitores chamada PT. Pede-se que o PMDB não envie flores nem coroas.

ALEXANDRE DE M. MARQUES

ammarques@uol.com.br

São Paulo

Articulação de Lula

Há algo de podre no reino da Dinamarca. E a oposição nada faz. Pobres de nós.

SUELY SABBAG

ssbbag@hotmail.com

São Paulo

Se o PT fosse oposição, essa lambança toda não estaria acontecendo, lembrem-se do Collor. Mas como eles estão com o poder, não são oposição e não temos oposição para valer – PSDB e partidos que compõem a oposição são fracos nesse sentido –, Deus tenha pena do Brasil. Estamos totalmente por nossa conta. Acorda, Brasil.

SOELY FERRARO BARCELLOS

tyrsoelysa@gmail.com

São Paulo

O tempo dirá

O PT nega acordo com Cunha que nega acordo com o PT. Quem está mentindo? Ou são os dois? Com a palavra, o tempo!

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

CORRUPÇÃO

‘Elle’ está em todas...

Agora aparecem ligações de Lulla com o italiano Lavitola, da turma do ex-ministro italiano Berlusconi e envolvido com a Máfia. Em carta Lavitola declara ser o Lulla seu grande amigo e cita negócios na Amazônia, como concessão para explorar madeira. O Departamento de Justiça da Itália que cuida da Máfia aguarda do Ministério da Justiça do Brasil resposta a documento enviado. Sabe quando vão enviar...?

AIRTON MOREIRA SANCHES

moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

Suspeito internacional

Até o governo italiano quer ouvir o Lula. Suas atividades suspeitas são internacionais.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

DESMORALIZAÇÃO TOTAL

 

Desembarcou em Brasília, e em segredo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com a missão de salvar o mandato do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado por mais de uma delação premiada na Operação Lava Jato de ter aquinhoado nada menos do que US$ 5 milhões de propina em contratos da Petrobrás, o que foi, inclusive, confirmado pela promotoria da Suíça. O objetivo, indiscutivelmente imoral, é dar uma mão ao deputado, salvando-o na Comissão de Ética da Câmara da cassação de seu mandato por quebra de decoro parlamentar para, em troca, Cunha impedir o avanço do processo de impeachment da presidente Dilma, que está naquela Casa aguardando sua decisão para ter prosseguimento. É a desmoralização total do PT, da presidente Dilma Rousseff e do próprio ex-presidente.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

 

*

QUESTIÚNCULAS DESAVERGONHADAS

 

O impoluto presidente da Câmara, Eduardo Cunha, fingiu não perceber uma rota bandeira branca desfraldada na fachada do Planalto, bem como os enxovalhados montes de moeda de troca oferecidos na salvaguarda do impeachment da ainda presidente Dilma. “Não há nem guerra nem trégua”, disse ele. “Se minhas decisões podem significar guerra para uns e trégua para outros, é uma questão de interpretação”, arrematou. Nobre deputado, os significados das duas palavras estão claramente expostos no “Aurélio”. Também lá se encontra, de forma redundante, a expressão falta de vergonha. Os dissimulados sempre verbalizam asneiras.

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com  

São Paulo

 

*

PARAGUAIADA À BRASILEIRA

 

Desnecessário dizer que o deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, está negociando com o governo – e aí leia-se base aliada, inclusive – sua permanência na Câmara mesmo sem ser seu presidente, mas mantendo-se no cargo como deputado, uma vez que já seria um ótimo negócio depois do escândalo todo envolvendo seu nome com contas em bancos na Suíça. Isso de fato é desnecessário dizer. Mas é necessário dizer que, se realmente isso tudo está sendo negociado, ou seja, a reversão do processo de impedimento da presidente e a manutenção do mandato de deputado federal, trata-se do maior golpe já visto no Brasil. Um golpe só e não cai ninguém. Uma verdadeira paraguaiada à brasileira, a melhor pizza da Pizzaria Brasil.

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com  

Avanhandava

 

*

ACORDO PELO PODER

 

O que é um Cunha a mais para um partido (PT) que já se aliou a Barbalho, Collor, Maluf, Renan e Sarney?

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

FAÇAM SUAS APOSTAS

 

Indecentes, imorais, sórdidas e despudoradas as negociatas em andamento entre o Palácio do Planalto e Eduardo Cunha para preservar o mandato de ambos. À frente dessa aberração, comandando as negociações, está o ex-presidente Lula, velho conhecido negociador de tramoias. O plano engendrado é o seguinte: o governo trama para salvar o presidente da Câmara no Conselho de Ética e este tira a corda do pescoço da presidente Dilma, travando o processo de impeachment. Na verdade, a dupla Dilma e Eduardo está na corda bamba e não merece nenhuma complacência, mas há um leve favoritismo de a presidente despencar primeiro, a julgar pela declaração do presidente da Câmara (“se for bem tratado pode ser que tenha boa vontade com o governo, mas, se não for, posso apressar a minha decisão”). A decisão, no caso, é aceitar ou indeferir os pedidos de impeachment. Ou seja, está com a faca e o queijo na mão, mas não é um queijo qualquer, trata-se de um queijo “suíço” valiosíssimo – a última cotação beirava R$ 30 milhões. Quem dá mais, o Conselho de Ética para afrouxar o nó de Eduardo Cunha ou o Palácio do Planalto para evitar a degola da presidente?

 

Sérgio Dafré Sergoi_dafre@hotmail.com

Jundiaí

 

*

LINGUAGEM DE BANDIDOS

 

É triste, nojento e revoltante ter de ouvir do presidente da Câmara que, se ele “for bem tratado pelo governo”, pode evitar o processo de impeachment da presidente. Realmente, vemos o comportamento e o linguajar típicos de bandidos que compõem a gangue que tomou de assalto o País.

 

José Francisco D’Annibale dannibale@remunera.com.br

São Paulo

 

*

OFENSA ÀS PROSTITUTAS

 

Num jornal, li a carta de uma leitora que chamou de “prostíbulo” o Congresso (Cambalacho) Nacional. Ofendeu as prostitutas.

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

 

*

AUTODEFESA

 

A manchete de ontem do “Estadão”, “Por Dilma, Lula articula para salvar mandato de Cunha”, na realidade, deveria ser assim: “Por si próprio, Lula articula...”. Isto aqui é um enorme picadeiro.

 

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

 

*

SEM MEIAS PALAVRAS

 

Lendo a manchete publicada por este jornal ontem (15/10), chego à conclusão de que a política deste país está virando uma “putaria”.

 

Antonio Boer toboer@uol.com.br

Americana

 

*

TRANQUILO

 

Sei não, mas Eduardo Cunha está se mostrando muito tranquilo quanto ao problema de suas supostas contas bancárias não declaradas. Por outro lado, tem conversado com o ministro Jaques Wagner, que, segundo Dilma, “liga para Lula a cada cinco minutos”. Para ficar no campo das suposições (ou seriam supositórios?), ele deve contar com vasto material para jogar no ventilador, caso insistam em derrubá-lo. Aposto uma dúzia de bananas que, após exaustivos debates e tratativas, o impeachment não passará e a grana seguirá pelos meandros costumeiros, até sumir.

 

Nestor R. Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br  

São Paulo

 

*

MAIS UM CAPÍTULO DA NOVELA

 

O PT tem setores e cada um tem o seu tema do dia para ocupar a mídia. O tema de hoje é: se Cunha tomar a decisão de aprovar qualquer pedido contra a presidente “poste”, eles irão pedir a prisão dele. A lei não vale nada neste governo, e o povo ainda vai ouvir o mentor-mor discursar para convencer o seu eleitorado de que as “pedaladas” fiscais foram para atender os programas sociais do governo. Conversa mole para boi dormir. Enquanto isso, as empresas médias e pequenas estão fechando suas portas e os imortais no poder pensam que viverão 400 anos. Caronte já está com o seu barco ancorado e reformado no Porto de Santos, para conduzir todos estes ao inferno.

 

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com  

São Caetano do Sul

 

*

MORAL

 

Durante a abertura do 12.º Congresso da Central Única dos Trabalhadores (CUT), realizado esta semana em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff fez um discurso ressaltando a sua conduta “ilibada”. Vivemos num país com grave crise política, econômica, social e ética. Como pode essa governante falar em conduta ilibada, se descumpre a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), acoberta corruptos do seu governo e mente constantemente? Ela segue à risca o que disse Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha nazista: “De tanto repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade”.

 

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

MORALIDADE ABSOLUTA

 

Dilma, em discurso recente para membros da CUT, fez a seguinte indagação: “Quem tem moral neste país para atingir minha honra?”. Digo sem medo de errar que 50 milhões de eleitores brasileiros que não votaram nela têm moral para tanto. E também 93% dos brasileiros que julgam seu governo péssimo – sem contar os muitos milhões que acreditaram nela e foram enganados. Não têm moral Lula, que vive tentando esfaqueá-la pelas costas; Michel Temer idem; Renan Calheiros; Eduardo Cunha; e outros políticos deste naipe. É bom sempre lembrá-la de que sua arrogância e teimosia no trato da coisa pública e da política econômica levaram o País ao caos, e sua insistência em se manter no poder está levando o País à beira do abismo. Não foi à toa que o Tribunal de Contas da União (TCU) rejeitou suas contas de 2014 e ainda o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a julga por abuso de poder econômico na eleição passada.

 

Iria De Sá Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

*

NÃO FOMOS NÓS

 

Até concordo com a oposição quando diz que há autoritarismo no discurso da presidente Dilma, ao falar que ninguém tem moral para criticá-la. E quem tem moral para questionar Dilma? Nós temos, ou seja, eu, você e quase a totalidade do povo brasileiro tem moral e dever de questioná-la. Não roubamos, não fizemos parte de acertos ilícitos visando a arrecadar propina para nós e para qualquer partido, não fizemos conluio para prejudicar o País e nossos opositores, não assaltamos a Pátria e a Petrobrás e muito menos fizemos parte do mensalão e do petrolão. Sabemos que quem teve e tem seus líderes, caciques partidários presos são ela e sua facção governamental, não fomos nós que fizemos as tais “pedaladas” para cobrir o rombo deixado por ela e seus companheiros nas contas do governo. Não fomos nós que deixamos de ser presos políticos para nos tornarmos políticos presos. Muito menos fizemos do Supremo Tribunal Federal (STF) um puxadinho do Planalto. Presidente Dilma, sei que comunista como a senhora não faz uso de atitudes nobres, e eu ia pedir para que a senhora renunciasse, porém renúncia é coisa de pessoas nobres, e essa qualidade a senhora não tem.

 

Audinei Lopes Bonfanti lopesbonfanti@gmail.com

Bálsamo

 

*

DILMA CRITICA ‘GOLPISMO’

 

Uma presidente que perdeu totalmente a governabilidade, delegando-a ao seu grande e infeliz guru – que circula, infelizmente, livre, leve e solto fazendo “costuras políticas” – e, ainda, ao pseudopartido “aliado” PMDB, cujos comandantes em chefe Renan e Cunha estão ligados à Operação Lava Jato, e cooptando e implorando ao STF uma mísera sustentação, vem falar em “golpismo”? Como diria o macaco, “eu só queria entender”.

 

João Batista Pazinato Neto pazinato51@Hotmail.com

Barueri

 

*

MORALISTAS SEM MORAL

 

De quem Dilma Rousseff fala ao jogar no ventilador a nova frasezinha de efeito dizendo que os que defendem a seu impedimento são “moralistas sem moral”? Moralistas sem moral que eu conheço são toda a sua turma do PT e seus sócios no plano de “PT forever”, assaltantes do Estado brasileiro. O bando que usou e abusou da exploração da imagem de incorruptíveis. O PT que entrou com um punhado de pedidos de impeachment contra o ilibado presidente FHC, assacando pérfidas e porcas razões. Imorais são os próceres do PT que exploraram o slogan “PT não rouba nem deixa roubar” e organizaram a mais eficaz máquina de desvio de recursos públicos. Enfim, “moralista sem moral” é a cúpula do PT, que ostenta sinais de extrema riqueza fruto do desvario ideológico quadrilheiro. Eles, sim, são zero em moral e dez em imoralidade. Por favor, senhora que por enquanto ainda é presidente, comporte-se.

 

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

 

*

DISCURSO NA CUT

 

“Presidenta” Dilma, por acaso a senhora está chamando todos nós de escória da sociedade por não ter ninguém com limpeza ética e poder moral de tirá-la do seu governo? Lembre-se: quem não está gostando de fato de seu governo não é a “corja” da oposição, como disse esta semana, mas 70% dos cidadãos brasileiros, hoje. (Sei que em 12 anos de governo é bem possível atar até os pés do diabo à mesa do governo, quanto mais de uns merdas serviçais do partido e ainda outro tanto de indecisos ou não da oposição). Mas somos nós que abominamos o seu governo.

 

José Penteado Neto jsopnx@gmail.com

Araraquara

 

*

LULA E DILMA DISCURSANDO

 

Por fora, belas violas; por dentro, pães bolorentos.

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net     

São Paulo

 

*

O IMPEACHMENT E A UNASUL

 

Se o consciente cidadão brasileiro já tinha motivos de sobra para desejar o impeachment da presidente Dilma, com a declaração do secretário da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, de que o Brasil poderá ser expulso da entidade se o impeachment se concretizar, o desejo se potencializa. De uma só vez nos livramos do corrupto e incompetente governo petista e deixamos de fazer parte de uma associação de presidente que tem como finalidade a perpetuação no poder.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                    

Rio de Janeiro

 

*

PÉSSIMA GESTÃO

 

Esteja certa a presidente Dilma de que o povo não quer tirá-la de Brasília apenas por motivo político. A sua falta de ética, incompetência, irregularidades contábeis, estelionato eleitoral e desequilíbrio emocional, provocando uma comunicação sem nexo (mandioca, estocar vento, etc.), estes, sim, são os motivos da grande maioria do povo brasileiro (92%) para aposentá-la politicamente.

 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com 

Itapetininga

 

*

BOM EXEMPLO

 

Senhora “presidenta incompetenta”, não ouça os conselhos da sua equipe e de seu guru, presidente de fato, o apedeuta metamorfoseado. Siga o bom exemplo do presidente do São Paulo F.C., que falou e fez bobagem e pediu para sair. Simples e menos traumático. Poupe-nos de ouvi-la falando de tributo à mandioca, de dobrar meta sem meta, de vento estocado, etc. E mais: poupe o Brasil deste desgoverno que cava o buraco cada vez mais fundo.  Viu como é fácil? Renuncie já!

 

Fábio Bertoncello fabertoncello@hotmail.com

Jacareí

 

*

RECADO: EVITAR A CRISE SOCIAL

 

A fala do comandante do Exército brasileiro, general Eduardo Villas Boas, que, em conferência aos oficiais da reserva, reconheceu estar o País vivendo “uma situação extremamente difícil, crítica, uma crise de natureza política, econômica, ética muito séria e com preocupação que, se ela prosseguir, poderá se transformar numa crise social com efeitos negativos sobre a estabilidade”, é a demonstração de que as Forças Armadas estão atentas, porém recolhidas às suas funções constitucionais. Pode significar que, embora equidistantes, os militares esperam que a sociedade seja capaz de resolver institucionalmente os problemas, sem a necessidade daquilo que definiu como “atalhos”. Ou, ainda, um recado para que os responsáveis pela cena político-econômica brasileira não percam tempo. Adotem, sem demora, as providências que lhes são devidas para tirar o País da rota do caos. A classe política precisa se reciclar urgentemente, se quiser voltar a merecer o respeito da população. O Judiciário, Ministério Público, Polícia Federal e instituições que hoje mantêm a estabilidade institucional precisam agir o mais rápido possível para evitar a chegada à crise social prevista pelo comandante.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

COMPLEXO DE MESSIAS

 

A declaração do ex-presidente Lula acerca das “pedaladas fiscais” do governo Dilma, que ele busca justificar com base na manutenção dos programas sociais, dá a exata noção do respeito que ele e o PT têm às instituições. Na visão de Lula, a ilegalidade, quando praticada com “boas intenções”, é passível até de admiração. Não passa de um insulto à nossa inteligência, ou alguém ainda pode acreditar em que mensalão e petrolão serviram unicamente à utopia da igualdade social, capaz de ser alcançada somente pelos Messias do lulopetismo? O PT não participou expressivamente da promulgação da Constituição federal de 1988 e, pelo visto, sente-se no direito de não respeitá-la. Bobos somos nós, contribuintes, que pagamos essa farra e engolimos esse tipo de lorota de bico fechado.

 

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

 

*

O ATO NÃO FALHO

 

Lula é o rei do palanque. Erra no tempo, pensando que fala para pessoas que antes o veneravam e hoje o escutam rezando para não perder eventuais boquinhas em clima político adverso. Diz que Dilma pedalou para privilegiar pagamentos de ações sociais. Ha divergências quanto a isso, portanto devemos verificar a verdade. Sabemos hoje o quanto de verdade nos foi omitida para a situação real chegar ao estágio negativo em que se encontra. No mais, Lula dedura a pupila num erro fundamental. Erro que poderá lhe custar o mandato. Um ato falho? Não. Só pensa nele.

 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

 

*

AS PEDALADAS DE LULA

 

No seu discurso no Congresso do Movimento dos Pequenos Agricultores, Lula explicou o que estamos cansados de saber: Dilma desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para pagar, indevidamente, os programas Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida. Não explicou o verdadeiro motivo dessas pedaladas ilegais: ganhar as eleições de 2014. Pediu para deixar “Dilma governar este país”, pois ele sabe, melhor do que ninguém, que está de fato governando este país.

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

PEDALADAS ELEITORAIS

 

Então Lula, com a maior cara de pau, vem a público confirmar que as “pedaladas” foram para fins sociais. Para mim e todo o País, foram para eleger Dilma! Este PT joga sujo e faz a política de “quem dá aos pobres empresta a Deus”. Mas por que não redistribuem suas riquezas pessoais, amealhadas depois que se locupletaram no poder? Lulinha, vire Papai Noel neste Natal! Gostam de fazer “bonito” com o nosso dinheiro. As “pedaladas”, então, estão servindo para traficantes tomarem as casas do Minha Casa, Minha Vida? Presume-se que Dilma vire palestrante após o término desta fatalidade que é seu desgoverno. Por que ela não vai estocar vento, enchendo balões para distribuir nas festas do PT em programas sociais?

 

Candida Barros candy.barr@uol.com.br

São Paulo

 

*

MUITO INTELIGENTE

 

Luiz Inácio afirmou que as pedaladas se justificam porque foram direcionadas para o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida. Quer dizer, eles podem dar “esmolas”, com o dinheiro dos outros, além de deixar os outros também necessitados. Muito inteligente.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

O QUE ESPERAMOS

 

Quem é este senhor que usufruiu e continua a usufruir de benefícios resultados de suas passagens pela Presidência da República, e continua ali dando palpites, para agora vir pregar o descumprimento das leis, em nome de sustentação de programas sociais? O que ficou caracterizado em 2014 foi crime de responsabilidade por parte da sua pupila no poder. Crime que continua em 2015, pelo que se noticia. Leis foram feitas para serem cumpridas. Ninguém está acima delas. Depois de Dilma torrar dinheiro público em propagandas eleitoreiras em 2014, agora, com sua rejeição beirando as nuvens, volta a inundar a mídia com mais falas demagógicas. O que o seu chefe quer? Defender os crimes cometidos em nome das bondades sociais? Rico como ele e sua família estão, bem que poderiam dividir um pouco com os tais pobres que diz defender. A atual ocupante do palácio, que parece que não mais governa nada, vem dizer que “moralistas sem moral” atacam “sua honra”. O que se espera, minha senhora, é que um governante máximo tenha moral para governar obedecendo à Constituição e obedecendo às leis vigentes. Pare de reclamar, pare de usar nosso tempo com suas falas desconexas e assuma o governo para o qual foi reeleita (mesmo que iludindo os seus eleitores). Se não tem capacidade para tal, renuncie e deixe o governo para o seu vice. Mande este cidadão comum palpiteiro curtir as dele, em sua casa. Ele já atrapalhou demais o nosso país.

 

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

 

*

DESCRIMINALIZAÇÃO DO ASSALTO À CEF

 

“Lulla” diz a todos que a “pedalada” com a Caixa Econômica Federal (CEF) foi para manter Bolsa Família. Para ele e o PT, portanto, não é crime. Podemos assaltar a CEF à vontade para sustentar nossa família, que não é crime? Então o assalto está descriminalizado?

 

Yoshio Asanuma yasanuma2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

MAQUIAVEL

 

Lula andou lendo Maquiavel. Os fins justificam os meios. Para o disfarçado social, que não passa de cabresto eleitoral (sic), vale tudo. Quando se envereda por caminho “ilegal”, sr. Lula, fica difícil de avaliar em qual pedalada parar. Mormente quando o poste fincado por você informa ao mundo que pode e ainda poderá fazer “o diabo”.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr. Ulyssesfn@terra.com.br 

São Paulo

 

*

LULA 2018

 

Será que Lula está preparando o terreno para candidatar-se a presidente pelo PMDB? Explico: com essa enxurrada de denúncias de corrupção envolvendo o PT, pode o TSE decidir pela cassação do registro do partido. Assim sendo, ele consegue a candidatura e o PMDB, o candidato tão almejado. Claro que isso é apenas uma especulação da minha parte, mas neste país tudo é possível.

 

Adalberto Amaral Allegrini adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista

 

*

O QUE SIGNIFICA

 

A continuidade das pedaladas em 2015 tem significado muito claro: desrespeito, arrogância e prepotência de uma mandatária que se considera acima da lei. Vergonhoso.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com  

São Paulo

 

*

PEDALADAS POLÍTICAS

 

A oposição acusa o governo federal de fazer pedaladas fiscais para fechar as contas públicas. Agora, a presidente Dilma Rousseff acusou a oposição de querer fazer pedaladas políticas para chegar ao poder. Enquanto isso, o País foi atropelado por uma crise política e econômica, não havendo ninguém para socorrer a vítima, pois os dois lados ficam trocando acusações para saber de quem é a culpa pelo acidente.

 

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

*

ATÉ QUANDO, SENHOR?

 

A oposição deveria ter vergonha de não fazer nada contra esta nojeira que reina na política. Será que na oposição há pessoas que realmente nada devem? Onde anda o PSDB? Onde anda o DEM? Como se explica esta maracutaia em torno do afastamento de Dilma, já que não se dizem inocentes, mas que só quiseram dar uma de Robin Hood? Lula acabou de confessar que fez e faz, mesmo, pedaladas fiscais, mas o motivo é “social”. Social uma ova! É populismo irresponsável e crime contra a Nação. E a liminar do Supremo contra o impedimento, quem explica? Até quando, Senhor? Até o papa permitistes que fosse argentino! Merecemos mais milagres. Livra-nos desta corja!

 

Vitório F. Massoni suporte@eam.com.br

São Paulo

 

*

ARBITRARIEDADE

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) é rápido para atender o PT. As liminares concedidas pelo STF para barrar acordo de Eduardo Cunha, presidente da Câmara, com a oposição para da prosseguimento ao impeachment é inédito. O que transparece para os brasileiros com mediana instrução e inteligência é a mais absurda proteção a uma presidente que não cumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal e por ser do PT. Quando deveria dar o exemplo. A que ponto chega o Estado Democrático de Direito. Nenhuma novidade, porque o PT não cumpre a lei e muito menos a Constituição, e a roubalheira e a corrupção que aí estão devem estar liberadas e apoiadas com a conivência da Corte Suprema do País. Em breve estaremos assistindo a procedimentos e atitudes semelhantes aos do Estado Islâmico, uma desgraça para o ser humano. O STF deve ser contra o impeachment da ainda presidente da República Dilma Rousseff, que continua desrespeitando a mesma LRF, porque, por falta de qualquer punição, também não a cumpre em 2015. Como justificar tanta arbitrariedade dos Três Poderes? 

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

*

AUDITORIA DO PSDB

 

Sempre observei cuidadosamente o comportamento do PSDB desde o tempo em que o FHC detinha o poder da República. Mesmo quando no poder, FHC nunca demonstrou interesse em ajudar o seu candidato, o do partido e se resguardando com muito cuidado para não atacar o seu maior adversário, o PT, Lula. E, assim foi em 2002, 2006, 2010 e com muito cuidado em 2014, na defesa do Aécio Neves, evitando ao máximo mostrar ao povo o que realmente era o PT, Lula e Dilma. Pasmem! O “Estadão” do dia 11/10, domingo (página A7), publicou a notícia sobre uma auditoria feita pelo PSDB concluindo que não houve fraude na eleição presidencial de 2014; afirmando que o presidente do TSE, Dias Toffoli, agiu com correção durante todo o processo eleitoral; e reconhecendo que só foi possível fazer o trabalho de auditoria pela contribuição do presidente daquela Corte. Isso tudo declarado pelo deputado federal Carlos Sampaio, líder do PSDB na Câmara. Brasileiros patriotas, honrados e trabalhadores, quem tem amigos políticos e um partido de oposição procedendo assim precisa de um PT para detonar o Brasil?

 

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo

 

*

‘AÇODAMENTO E ARBÍTRIO FISCAL’

 

O “Estadão” questiona (10/10, A3) com razão a legitimidade da Medida Provisória 685, que exige que as empresas apresentem seu planejamento fiscal à Receita Federal. É evidente que nenhuma empresa quer pagar mais do que o estritamente necessário, e por isso faz planejamento fiscal. Ora, se fosse feita uma grande simplificação na loucura que é o processo de tributação do País, não seria necessário planejamento fiscal e a sonegação seria muito mais difícil de ser feita. Como efeito colateral, haveria uma redução de custos para as empresas, que não gastariam tanto tempo com o excesso de burocracia existente. Infelizmente, precisamos de políticos sérios e corajosos para isso.

 

Mário Corrêa da Fonseca Filho mario@mariofonseca.com.br

São Paulo

 

*

MÃO DE OBRA BARATA

 

Empresas brasileiras abrem fábricas no Paraguai, aproveitando a mão de obra mais barata. Mais cedo ou mais tarde isso acabaria acontecendo. A legislação trabalhista brasileira desestimula qualquer empresário a abrir um negócio. Se ele se acidenta em trabalho e teve licença de 15 dias, quem o paga é a empresa. Vejam que absurdo. O trabalhador não está produzindo para a sua empresa, mas recebe normalmente. É direito disso, direito daquilo, pagar assim, pagar assado. Ninguém quer regime escravagista, mas os direitos do trabalhador brasileiro me parecem um tanto exagerados. Assim como foram estas empresas noticiadas na mídia, outras seguirão o caminho. Por que a Philips, por exemplo, com sede na Holanda, fabrica seus produtos na Ásia? E tantas outras multinacionais fabricam seus produtos naquele continente? Quantos “made in China” ou “made inTaiwan” não se veem? Por quê? Porque a mão de obra é mais barata.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

CLIMA DE FIM DO MUNDO

 

O estouro do saco de ar da nossa “presidenta” Dilma Rousseff apagou definitivamente a luz de seu túnel imaginário. O que vai ser do empresariado brasileiro para sustentar as empresas com este clima de fim do mundo?

 

Washington B. Estoyanoff wa.botella@me.com

São Paulo

 

*

VIDA DE GADO

 

“A ‘malaise’ brasileira”, editorial de 13/10 do “Estadão”, nos fala sobre o Índice de Satisfação com a Vida (ISV), pesquisa trimestral da Confederação Nacional da Indústria (CNI) que retrata o perfil da nossa sociedade em relação à sua tranquilidade. E, pelo constatado, anda cada vez mais baixo. Poderíamos dizer que o ISV se equipara ao Índice de Felicidade Bruta (FIB), criado pelo rei do Butão, que alegou, na época, que a felicidade é oriunda de aquisições pessoais internas, com o objetivo de desviar a atenção do povo das agruras em que vivia. Algo mais ou menos como “ver a luz no fim do túnel”. Ora, parece-nos óbvio que os FIB/ISV são diretamente proporcionais ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). E parece-nos mais óbvio ainda que a população brasileira, a cada dia mais em que o PT permanece no poder, tem o seu IDH diminuído, pelo que se vê a seguir: mercado prevê IPCA acima da meta em 2016; o dólar dispara; caem as ações da Vale, a venda de imóveis e as exportações do agronegócio; bancos acumulam perdas de quase R$ 25 bilhões; redes de lojas populares fecham várias lojas; desemprego é o novo flagelo da brasilidade; etc. Enquanto nós, os “golpistas”, nos debatemos com nossa “malaise” diária, dona Dilma e seus asseclas comemoram mais uma “vitória” obtida no tapetão com seus cinco fiéis escudeiros do STF. Ê vida de gado...

 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

O JOGO VAI CONTINUAR

 

No Brasil, “país do faz de conta”, quem faz as contas (a pagar) é o cidadão honesto e trabalhador. Os políticos e governantes só pensam em fazer o jogo do faz de conta para continuarem recheando suas contas bancárias (no Brasil e no exterior) à custa do trabalho alheio. O voto obrigatório e não distrital é a garantia de que o jogo deles vai continuar. E o povo, coitado, sempre sofrendo essa síndrome como única opção. Só Deus sabe até quando aguentará tantas mentiras e tanta enganação!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

RISCO BRASIL

 

Diante da bagunça generalizada, o rebaixamento da nota do Brasil pela agência Fitch já era mais do que esperado. Surpreendente mesmo é que o Brasil ainda tenha grau de investimento.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

EXPECTATIVAS NA ECONOMIA

 

Um dia a história vai julgar este senhor Joaquim Levy, ministro da Fazenda, por semear falsas esperanças para um país em agonia. 

 

Milan Trsic cra612@gmail.com

Ribeirão Preto

 

*

LUZ NO FIM DO TÚNEL

 

A última esperança dos brasileiros para sair da crise, ou seja, a luz no fim do túnel, está no Prêmio Nobel de Economia, o professor americano/inglês/escocês que ganhou tal prêmio por ter desenvolvido um estudo que permite aos governos elaborar políticas com base no consumo e no bem-estar, taxando os contribuintes mais adequadamente. Quem sabe o governo brasileiro, no futuro, entenda um pouco como fazer isso sem matar os pobres e aumentar a concentração de renda. É apenas uma esperança!

 

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

 

*

‘DIPLOMACIA POBRE’

 

Cumprimento Josef Barat pela acuidade e contundência do seu artigo “Diplomacia pobre” (13/10, B2). Vou recortar da B2 e guardá-lo no meu arquivo de preciosidades. “Deserto de homens e ideias”, “fascínio pela pobreza”, “diplomacia povera”, “rotos do Mercosul”, “vagão de 2.ª classe à locomotiva chinesa”, “que o fracasso não suba à cabeça dos formuladores da nossa política externa” são verdadeiras joias pedagógicas.

 

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br  

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

REFORMA EDUCACIONAL

 

Não estou conseguindo entender a matemática do governo do Estado de São Paulo: se os alunos a serem remanejados serão em igual número dos que hoje frequentam as escolas de onde deverão sair para estudar em outras unidades, portanto numa troca de lugares, de que forma “algumas unidades poderão ficar ociosas”? Os estudantes vão desaparecer?! As mudanças de que necessitamos estão nos currículos, nos métodos de aprovação dos alunos, nos equipamentos pedagógicos oferecidos nas escolas, na carreira dos professores, na valorização da instituição. Esta dança das cadeiras mais parece panaceia para fingir grandes inovações. Parabéns à defensora Bruna Rigo Ribeiro Nunes, por pedir informações ao governo, no sentido de tomar as providências cabíveis.

 

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

 

*

O SEGREDO DA SABESP

 

Excelente e oportuno o artigo “Águas secretas”, de Eugênio Bucci (15/10, A2). Há um bom tempo não lia matéria que possa desagradar ao governador Geraldo Alckmin.

 

Julio Cerqueira Cesar Neto julioccesar@uol.com.br

São Paulo

 

*

BRASIL

 

Quando vi um documentário na TV sobre o que 6 bilhões de euros conseguiram fazer na transformação para a coisa maravilhosa que é a cidade de Barcelona, minha extrema revolta contra o que acontece no Brasil transformou-se em tristeza. Imaginem como seria nosso país se o trilhão (isso, trilhão) de dinheiro da corrupção, dos super salários e das vantagens dos políticos (em todos os níveis) tivesse sido usado em benefício do País. Estou triste e angustiado.

 

Noemio Brzostek noemio@uol.com.br

São Paulo

 

*

A MORTE DO CORONEL USTRA

 

A morte do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-Codi durante a ditadura militar, de 1970 a 1974, escancara a impunidade dos crimes cometidos pela ditadura no Brasil. Ustra foi apontado pela atriz Bete Mendes e por vários presos políticos como torturador. Assim como Pinochet, no Chile, Ustra jamais poderia ter ficado impune e não ter sido julgado e punido pelos crimes cometidos nos porões da ditadura militar que assolou o Brasil (1964-1985). Tortura nunca mais!

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

DESFLORESTAMENTOS

 

Alarme: socorro! A floresta está queimando em Manaus, no Maranhão e em muitos lugares não noticiados. Os céus estão cobertos de fumaça. Os satélites e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) enxergam. Mas ninguém se alarma. Quando no futuro os brasileiros e os demais humanos sofrerem as consequências disso, os brasileiros de hoje serão amaldiçoados. Não tiveram o impulso de investir contra um governo conivente como os ruralistas ladrões de terra e desflorestadores.

 

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.