Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2015 | 02h45

Orgulho de quê?

O ex-presidente Lula pediu aos militantes que voltem a ter orgulho do PT. Orgulho de quê? De ter detonado a Petrobrás, mentido aos brasileiros para ganhar eleição, manipulado as contas do Orçamento nacional para contornar criminosamente a Lei de Responsabilidade Fiscal? De ter deixado a educação, a saúde e a segurança do Brasil caírem a seus níveis mais baixos? De deixar a inflação voltar a destruir nosso poder aquisitivo e o real se desvalorizar ao pior patamar das últimas décadas? Enfim, de nos desgovernar com tal incompetência que logo não caberemos mais no Brics e passaremos a fazer parte do Cabbev: Cuba, Argentina, Brasil, Bolívia, Equador e Venezuela? Os governos petistas só nos deram vergonha, não orgulho. Fora, incomPeTência! Que venha logo um governo sério, que pense no Brasil, e não só na perpetuação no poder!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Orgulho do PT? Logicamente, os que são bandidos, ladrões, corruptos, falcatrueiros, adoradores de ditadores sanguinários é que podem ter e terão orgulho de um partido de nível tão baixo!

BORIS BECKER

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

‘Lulla’ e sua consciência

Quando Lulla diz que está com a consciência tranquila e fez o melhor para o País, só pode ser levando em consideração o crescimento exponencial de sua fortuna, de sua família e de alguns apaniguados, porque para a maioria dos 200 milhões de brasileiros a história é diametralmente oposta. Hoje temos centenas de milhares de desempregados, que não estão dormindo porque não conseguem pagar suas contas, não têm cartão corporativo nem jatinho à disposição (aliás, quem paga as constantes viagens do Lulla para Brasília?).

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Universo paralelo

Lula vive em outra dimensão, num universo paralelo, junto com os camaradas do PT que foram julgados e condenados e os que ainda serão. Quando diz que “se alguém errou” vai pagar, deixa todos desnorteados, pois o correto seria procurar com uma lanterna, como Diógenes, um único político petista imaculado. Dilma só foi escolhida para lhe suceder porque não existia um “cabra macho” ficha-limpa para disputar e vencer a eleição. Como diz o ditado, é melhor ouvir m... que ser surdo. Com as pedaladas, Dilma pode perder o mandato e Lula, quebrar a lanterna.

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Discurso para surdos

Ultimamente temos presenciado cenas bizarras do ex e da atual presidente da República se perdendo nas palavras, evocando acontecimentos mastigados e triturados sem nexo ou conteúdo, sem indicar algo aproveitável. Ela, então, por ainda exercer o poder e ter de cumprir a agenda oficial, tem demonstrado mundo afora a incompatibilidade com o cargo, atropelando as palavras com suas opiniões esdrúxulas dignas de memes humorísticos. Ele, em sua soberba e de tanto ser tachado como rei do palco ou do microfone, se acha na condição de falar o que quiser, onde quiser e para quem quiser. Palavrórios dos mais surrados dos seus ideais sociais, que nem seus guardiães aguentam mais. Sugiro começarem a reciclar o discurso para, quem sabe, talvez um dia conseguirem que alguém destape os ouvidos.

MANOEL BRAGA

manoelbraga@mecpar.com

São Paulo

Pedaladas

Lula pratica, incansavelmente, o quanto pior, melhor. Quanto à rejeição das contas da União, o PT, Lula e o Planalto inventaram o “princípio da causa justa” para justificar as pedaladas, sob o argumento de que foram feitas para não prejudicar programas sociais, evitar desemprego, etc. Pode ser uma boa ideia. O governo Dilma está causando o retrocesso da “nova classe média”, grande desemprego, alta inflação, com o rosário de más consequências. Portanto, seria legítimo aplicar tal “princípio” para reverter todos os males que eles causaram e continuam causando, como a desinclusão social das classes menos favorecidas.

MARIO HELVIO MIOTTO

mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

Contas de Dilma

Na questão da reprovação das contas da presidente Dilma pelo TCU, a imprensa se apega às chamadas pedaladas (uso de bancos públicos para socorrer os cofres do governo) porque elas afrontam a Lei de Responsabilidade Fiscal. Mas pouca, quase nenhuma atenção tem sido dada à ofensa à lei no caso da abertura de créditos complementares e suplementares ao Orçamento sem a devida aprovação do Parlamento, o que também foi apontado como grave desvio. E é grave mesmo, pois configura a usurpação pelo Executivo de poderes do Legislativo.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euclidesrossignoli@gmail.com

Avaré

Bolsa Família

Cortes no Bolsa Família? Nem sonhar! Esse “curral” garante de 25 milhões a 30 milhões de votos ao PT, mesmo que tenha um asno como candidato. A esmola não é para tirar o pobre da pobreza, não. É, isso sim, para mantê-lo lá, que é o que garante partidecos como o PT. Claro, esmolas com dinheiro público, a especialidade petista. O resto faz com corrupção mesmo.

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

ANDRADE GUTIERREZ

Participação na CCR

Em resposta à matéria Andrade Gutierrez oferece fatia da CCR no Mercado (19/10), a Andrade Gutierrez nega peremptoriamente qualquer intenção de venda de sua participação na CCR. A empresa nega ainda que tenha feito qualquer tipo de oferta a agentes do mercado em relação à venda de suas ações na empresa, em qualquer momento. A Andrade Gutierrez aproveita para lamentar que esse tipo de boato infundado e irresponsável, que tem como objetivo apenas causar tumulto no mercado, possa gerar matéria. A Andrade Gutierrez não só nega sua intenção de venda de participação na CCR, como reafirma seu compromisso com essa importantíssima investida que, à custa de muito esforço e dedicação de seus acionistas, conselheiros de administração, diretores, gestores e demais colaboradores, tem obtido grande sucesso, prestado grandes serviços à sociedade e gerado resultados muito relevantes para todos os seus acionistas.

ANDRÉ MORAGAS, diretor de Comunicação da Andrade Gutierrez

vanessa.teixeira@fsb.com.br

Rio de Janeiro

N. da R. – O Estado mantém as informações publicadas.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

CINISMO EXACERBADO

 

Na entrevista a sindicalistas vinculada na internet em 20/10, o ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli procurou levar a taça do Cinismo que Assola a Pátria Amada. Dilma Rousseff, Lula, Eduardo Cunha, Renan Calheiros e José Eduardo Cardozo que procurem melhorar seu repertório, pois as patacoadas do ex-presidente foram dignas de nota máxima. De início, ele afirmou que a Operação Lava Jato “provoca um pequeno problema de reputação para a empresa”. Ainda segundo o executivo, “os casos confessados pelos corruptos são muito pequenos em relação à Petrobras”. E, cinicamente, arrola: “Temos um gerente executivo confesso, um diretor confesso, dois outros que negam as acusações. São quatro ou cinco pessoas de alto nível”, completa, “numa estrutura altamente complexa”. E compara a empresa a “um botequim ou um armazém” onde, “mesmo com o dono sentado no balcão, existem perdas de 3% sobre o faturamento”. Nesse concurso de horrores, parece-nos que está na ponta a garbosa presidente Dilma, quando afirma: “O meu governo não está  envolvido em nenhum escândalo de corrupção”. Haja cinismo deslavado nesta politicagem ordinária!

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

SÓ UM TIQUINHO

 

O ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli disse que os desvios na estatal foram “pequenos”. Talvez tenha sido para justificar que a parte dele era pouca.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

POUCA COISA

 

José Sérgio Gabrielli dizer que os desvios na Petrobrás foram “muito pequenos” é o mesmo que dizer que uma mulher está mais ou menos grávida. Que cara de pau!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

PEQUENO E FATAL

 

Se o ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli considera o desvio muito pequeno, é sinal de que ele sabia da corrupção e a menosprezou e de que a “pequenez da roubalheira” quebrou a empresa!

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com  

Campinas

 

*

PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA

 

Atenção, senhores diretores e administradores de empresas, conforme parâmetros tais como porte, faturamento, lucro, planos, etc., ao elaborarem seu planejamento orçamentário para 2016, façam o favor de prever uma porcentagem para desvios referentes a corrupção, superfaturamento, pagamentos extras, “bolas” diversas, agrados à fiscalização, etc.

 

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br

São Paulo

 

*

ENTRE AMIGOS

 

Gabrielli “vê” (aspas minhas) desvio “pequeno”, referindo-se ao dinheiro surrupiado dos cofres da estatal. Sem entrar no mérito do “volume”, estamos diante de uma confissão subliminar de que houve “desvios” (de conduta e de muita grana, sim senhor!). Portanto, o que nós “vemos” (as aspas agora são para o Gabrielli entender) em sua confissão é que esta sua declaração não é uma negação, como a das assessorias de Lula e Bumlai, sobre os “somente” R$ 3 milhões “supostamente” envolvidos em entendimentos fraudulentos “entre amigos”, para pagamento de imóvel de uma nora de Lula. Se entre bois e petróleo há alguma relação, talvez seja a de que o churrasco, que saborearam num restaurante dos Jardins, em São Paulo, tenha sido feito com o traseiro do boi de “um” e o coque de petróleo de alguma refinaria que o “outro” “presidia” por ocupar o Planalto – refinaria esta certamente não a de Abreu e Lima, que custou “só” algo como VINTE BILHÕES DE REAIS (seis vezes mais do que o previsto), pois essa refinaria ainda não estava no prelo para refinar o petróleo pesado daquele venezuelano com quem Lula “chavecava” em seus tempos áureos.

 

Carlos Leonel Imenes leonelzucaimenes@gmail.com

São Paulo

 

*

NÚMEROS ROBUSTOS?

 

Gostaria que o sr. ministro de Minas e Energia confirmasse o “crescimento e os números robustos apresentados pela Petrobrás”, como anunciou em sua entrevista à GloboNews na sexta-feira, dia 11/9. O “Estado” publicou uma reportagem, no fim de semana, mostrando a situação caótica em que se encontra a Petrobrás, atolada em escândalos internos, com 70% de sua dívida dolarizada no momento de perda do IG, com o pré-sal (mais um engodo de Lula) inviabilizado pelos preços internacionais do barril de petróleo, tendo de rever seus planos de investimento e alienar seus ativos. Que números robustos são esses? Chega de enganar o povo e nos tratar como se fôssemos um bando de débeis mentais! Se querem que o povo aceite novos sacrifícios financeiros, pelo menos que os governantes tenham mais credibilidade em suas posturas e pronunciamentos.

 

Antonio Camargo Magalhães acamargoconsult@terra.com.br

Jundiaí

 

*

O FIM DA CPI

 

A conclusão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás, isentando parlamentares de qualquer culpabilidade e, de quebra, acusando a Lava Jato de “excesso” de delações premiadas, só confirma aquilo que estamos cansados de saber: estas CPIs não levam a nada, não responsabilizam ninguém. Seus constituintes estão apenas a serviço de interesses partidários que passam bem longe da verdade e de qualquer noção de moralidade. Enquanto o povo brasileiro não aprender a votar e continuar elegendo figuras patéticas e desonestas como nossos representantes, só nos resta confiar na Justiça.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

O RELATÓRIO FINAL

 

O deputado federal Luiz Sérgio, do PT/RJ, relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar os rombos, ou melhor, os roubos na Petrobrás, depois de oito meses de “investigações”, encerrou os trabalhos do jeito que a maioria dos brasileiros esperava: no formato de uma pizza gigante. Disse no seu parecer final que não detectou o envolvimento do presidente da Câmara, do presidente do Senado, da presidente da República, do ex-presidente Lula e de mais 62 políticos envolvidos na Operação Lava Jato. Só faltou dizer que os culpados foram os mordomos dos diretores da Petrobrás e dos políticos envolvidos com a Lava Jato. É isso aí, deputado, os mordomos são sempre os culpados da degradação dos governos do PT.

 

Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br  

Volta Redonda (RJ)

 

*

XÔ, DEPUTADO!

 

Luiz Sérgio, do PT do Rio de Janeiro, é o maior cara de pau do Brasil. Guardem muito bem este nome: Luiz Sérgio, relator da fracassada CPI da Petrobrás, que durou oito meses, inocentou de forma cínica um balaio de corruptos (Dilma, Lula, Gabrielli e Graça Foster). Só faltou dar um diploma de Honra ao Mérito à corja. Nem o 7 a 1 da Alemanha causou tanta vergonha ao povo brasileiro. Na próxima eleição, quero que você veja “o que é bom para a tosse”.

 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

 

*

SEM-VERGONHICE É A REGRA

 

Luiz Sérgio confirma aquela máxima “de onde não se espera nada, nada acontece”. Parlamentar medíocre, como a maioria, pau mandado, como todo petista que se preza, só não envergonha mais a classe política porque ela toda é sem vergonha. Impossível piorar. Então só nos resta a Justiça para pôr na cadeia esta quadrilha que se instalou no poder.

 

Paulo H, Coimbra de Oliveira Paulo ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

PORÉM

 

Os políticos envolvidos no petrolão flanam leves e soltos. O relator da CPI (este precisa ser lembrado eternamente, que tal um enorme “pixuleco” para ele?) apanhou João Vaccari Neto como boi de piranha. Mas há um porém: se o tesoureiro resolver “cantar”, muitas figuras “conhecidíssimas” estarão dançando o quadradinho. Vamos aguardar.

 

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

 

*

FANTASMA

 

Este deputado petralha Luiz Sérgio, relator da CPI da Petrobrás, é o mesmo que mantinha uma funcionária fantasma (deveria ser uma fantasminha camarada)?

 

Hamilton Penalva hpenalva@globo.com

São Paulo

 

*

CULPA DO MORDOMO

 

Acorda, eleitor brasileiro! O relator da CPI da Petrobrás, deputado Luiz Sérgio, do PT do Rio de Janeiro, afirmou em seu parecer final não existir envolvimento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do presidente do Senado, Renan Calheiros, da presidente da República, Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de mais um punhado de políticos envolvidos na Operação Lava Jato. Só faltou ao relator colocar a culpa de todas as falcatruas nas costas dos mordomos dos diretores da Petrobrás e dos mordomos que prestam serviços nas residências dos políticos. É sempre o mordomo. Pobre democracia brasileira.

 

Francisca Silveira quitavr@yahoo.com.br

Volta Redonda (RJ)

 

*

PONTOS NOTÁVEIS

 

De um desempregado há oito meses, alguns pontos: 1) CPI da Petrobrás roubada. Alguém duvidava? 2) Dilma mente dentro e fora do Brasil. Coitados dos suecos... 3) Eduardo Cunha, triste ver o sr. enrolado até os ouvidos. Vai-se uma grande esperança. 4) Lula,  por que não te calas? 5) Eleitores do PT, por que não se informam? Ainda acreditam em Marx?

 

Valter Prieto Jr. valter.prieto@gmail.com

São Paulo

 

*

CONGRESSO FALIDO

 

O relator da CPI que investigou o escândalo da Petrobrás só faltou mandar prender o juiz Sérgio Moro, da Lava Jato. Incrível e escandalosa a cara de pau destes nossos representantes do povo. É mais um atestado da falência moral do Congresso Nacional brasileiro!      

 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin1@gmail.com

São Paulo

 

*

DELAÇÃO PREMIADA

 

A entrevista do juiz federal da 6.ª Vara da Justiça Federal da Seção Judiciária de São Paulo, dr. João Batista Gonçalves, dada ao jornal “Valor Econômico” no dia 19/10, causa-me espanto e profunda indignação. Como um juiz federal, conhecedor das leis, compara um ato absolutamente legal como a delação premiada a um ato ilegal e imprescritível como a tortura? É verdadeiramente inconcebível que esse juiz venha gratuitamente tentar alvejar de morte a Operação Lava Jato exatamente no momento em que ela se aproxima do ex-presidente Lula e sabendo desde já que um futuro processo penal contra o ex-presidente pode ser da alçada e competência desse juiz? Cabe lembrar que este mesmo magistrado é o juiz responsável pelo julgamento do caso Alstom, que envolve empresas de equipamentos ferroviários com pagamento de propinas a políticos de São Paulo, que, não obstante as contundentes provas produzidas até hoje, não há sentença condenatória, com todos os réus soltos, muito embora o processo tramite há mais de sete anos. Há de se convir ainda que o próprio juiz confessa que busca a sua promoção para desembargador do Tribunal Regional Federal, embora com 69 anos de idade não tenha tido até hoje o mérito de atingi-la. Vejamos o absurdo que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de desmembrar os processos da Lava Jato produziu, ao retirar os autos de um juiz que julga com extrema rapidez para outro que empurra o processo com a barriga de maneira a levá-lo provavelmente à prescrição. Fica, aqui, uma dúvida: será que foi intencional essa decisão do STF ou apenas jurídica? A Justiça Federal de São Paulo, salvo exceções, tem mostrado extrema lentidão na análise dos processos de corrupção que envolvem pessoas próximas ao ex-presidente Lula. Decorridos mais de três anos da instauração do processo penal de corrupção da amiga íntima do ex-presidente Lula, a sra. Rosemary Noronha, e com provas documentais incontestáveis produzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, por que o processo não chega ao seu final, sabendo que a ré ameaçou falar o que sabia se fosse presa?

 

Adel Feres adelferes@hotmail.com

Goiânia

 

*

LULA E O PETROLÃO

 

A figura do ex-presidente Lula está constante nos noticiários relativos a delações premiadas, inclusive na de Fernando Baiano, o lobista delator na Lava Jato e conhecido como o propinador do PMDB. Surge, no entanto, mais um personagem, amigo íntimo de Lula, o pecuarista e empresário rural José Carlos Bunlai. Em diversas delações, Lula aparece no contexto, da mesma forma que seus filhos e noras, levando muitos brasileiros a questionar como pode um cidadão pobre, que morava numa casa de 40 metros quadrados, ter hoje uma fortuna bastante expressiva? Pelo menos de uma coisa os brasileiros podem ficar cientes e conscientes: Lula não é santo nem pode ser chamado de pai dos pobres!

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

 

*

QUEM É ESTE CARA?

 

Manchete de primeira página do “Estadão” esta semana: “Lula e amigo lobista trataram de contrato da Petrobrás, diz delator”. Enquanto isso, ele é chamado para depor como apenas “informante” em “depoimento” tomado numa casa, longe da imprensa. Parece piada. Ninguém consegue entender que, com a “formação” de estadista que tem, recebe milhões de reais de empreiteiras para “dar palestras”, e estas, por sua vez, receberam outros milhões de reais (bilhões) de dinheiro do BNDES com juros subsidiados, ajudando a afundar de vez o Tesouro Nacional, com uma dívida pública de mais de R$ 2,5 trilhões! Quem é este cara? Um Deus que conseguiu mudar até o nome de um importante campo petrolífero para o seu próprio? Que, embora sendo um dos causadores da situação crítica do Brasil, consegue, ele e sua família, ascender à classe da elite rica, por ele combatida? Piada de mau gosto.

 

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

 

*

DISSIMULADO

 

O ex-presidente Lula disse anteontem, quando recebeu o título de cidadão piauiense e teresinense na Assembleia Legislativa do Piauí, que “dorme tranquilo”, com a consciência livre de pesadelos. Duvido e faço pouco, depois dessa enxurrada de denúncias envolvendo o seu nome – e, por falar nisso, Baiano, Bumlai e Ferraz mandam-lhe um tríplice abraço – e de seus familiares, acredito que até o apito do guarda noturno o faça acordar sobressaltado. No mesmo evento, afirmou que sabe o que fez pelo Brasil e que não faz política atrás de agradecimento. Se ele sabe, nós sabemos mais ainda, pois estamos vivendo, por sua causa, num país totalmente à deriva, enfiado numa crise política e econômica sem precedentes e a um passo de uma crise institucional. E como agradecer a alguém que não mediu esforços para plantar em Brasília a “marionete”, Dilma Rousseff, que, não passa de um objeto inanimado, uma Maria vai com as outras, manipulada e muitas vezes humilhada pelo seu criador, com o claro objetivo de manter o poder sob a égide petista. 

 

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

 

*

INSÔNIA

 

Enquanto a maioria dos brasileiros passa as noites de olhos arregalados, sofrendo da forte insônia provocada pelo desemprego crescente, pela inflação descontrolada, pela falta de dinheiro para quitar contas a pagar e a carestia de produtos e serviços em geral, Lula da Silva, o (ir)responsável pela maior crise política, econômica e moral da história do País, tem a cara de pau e a desfaçatez de dizer, em alto e bom som, que dorme tranquilo. O povo sofrido faz votos de que ele passe a ter, doravante, somente pesadelos.

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

NUMA BOA

 

Lula diz que dorme com a consciência tranquila. Isso não é privilégio dele. Psicopatas também sempre dormem como anjos, mesmo após cometerem crimes bárbaros.

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

O SONO DO EX-PRESIDENTE

 

Dorme tranquilo porque sempre “tá de cara cheia”.

 

Theodoro Guimarães theodoroguimaraes@bol.com.br

São Paulo

 

*

DECEPÇÃO IMENSA

 

Pobreza não é só falta de dinheiro, mas, sim: falta de saneamento básico, de boa alimentação desde a gestação, puericultura e educação. O ganhador do Prêmio Nobel de Economia deste ano fez pesquisas e escreveu sobre isso e eu, há 50 anos, quando estudante no Instituto Caetano de Campos, já escutava isso da maioria dos professores do curso normal. Quando Lula e o PT ganharam a eleição, acreditei que até que enfim isso iria acontecer, o que acarretaria deixar o mais importante para meus filhos: a segurança de haver saúde e escola para meus descendentes. Mas, pelo contrário, Lula e o PT acreditaram no dinheiro e o legado por eles deixado não trouxe garantia nenhuma do essencial que uma nação precisa para sair da miséria e da pobreza: saneamento, pré-natal para todas as gestantes, puericultura (cuidados com o recém-nascido e na idade escolar básica) e educação. É uma decepção imensa, uma realidade insana.

 

Regina Moretti Ferrari ferrari@tavola.com.br

Santana de Parnaíba

 

*

ABUSO DE PODER

 

Como se pode explicar que a Presidência da República no Brasil gasta mais do que a monarquia inglesa, país de Primeiro Mundo? É simples, a população brasileira não é apenas pobre monetariamente, também o é na educação e na cultura. Povo mais esclarecido não iria tolerar tanto uso e abuso dos recursos públicos com as mordomias exageradas nos Três Poderes. Além dos gastos noticiados, existem aqueles camuflados e sigilosos. O contribuinte, por mais esforços que faça, não consegue fiscalizar todos esses absurdos pagos com os tais cartões corporativos. Nossa democracia é uma verdadeira aberração, a presidente, ministros e parlamentares fazem o que querem com o nosso dinheiro. Somos um país de imensa riqueza com milhões de miseráveis vivendo de Bolsa Família e de outros programas sociais. Meus pêsames ao governo e aos políticos pelo caos que se instalou por aqui.

 

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

BOLSA FAMÍLIA

 

Renan Calheiros (PMDB-AL) diz ser contrário ao corte no Bolsa Família no Orçamento de 2016. A arrecadação continua caindo, porque o Brasil está parado, a presidente Dilma não tem credibilidade, os empresários não investem e ainda demitem e quem ainda está empregado aperta o cinto, pois não sabe até quando terá emprego. Aí eu pergunto para Renan Calheiros: quem vai bancar o Bolsa Família? Ele, que finge que trabalha, bancou filho com amante com cartão corporativo e está sendo processado por suspeita de ter recebido propinas, ou eu, uma mera trabalhadora, que já contribui com quase 50% de seu suor em impostos? Estou cansada de demagogia.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

*

O QUE ERA O SOCIALISMO?

 

Em 2003, Lula e o PT chegaram ao poder com a promessa de mudar o contexto político, econômico e social do País. Desde então, os 50 maiores bancos brasileiros lucraram R$ 571 bilhões em 13 anos do governo socialista do PT (fonte: jornal “Valor Econômico”, edição online de 13/9/2014). Atenção aos números: foram R$ 331,4 bilhões nos mandatos de Lula (2003 a 2011) mais R$ 239,9 bilhões no primeiro mandato do governo Dilma. Por outro lado, em números absolutos, o SPC Brasil estimou que, em fevereiro de 2015, havia 53,6 milhões de devedores negativados, número equivalente a 36,89% da população acima de 18 anos. A taxa de juros reais está agora em 4,92% (é a maior do mundo). Ainda segundo informações divulgadas pelo Banco Central, a taxa média de juros cobrada pelos bancos nas suas operações com pessoas físicas com recursos livres (excluindo BNDES, rural e habitacional) está em 52,6% ao ano. Agora me questiono: será que eu sabia mesmo o que era o socialismo para um dia ter votado no PT?

 

Ataliba Monteiro de Moraes Filho ataliba@outlook.com

Araçatuba

 

*

MINISTÉRIOS

 

Dilma Rousseff quer reduzir despesas, então corte mais ministérios e governe com apenas 13, como fez Juscelino Kubitschek e muito bem, considerado o maior presidente e aquele que, com um projeto arrojado de obras, finalizando com a construção de Brasília, governou o país “50 anos em 5”, mudando a face do Brasil.

 

João Rochael jrochael@ibest.com.br

São Paulo

 

*

ELES ACREDITARAM?

 

A presidente Dilma disse, na Finlândia, que não tem corrupção no seu governo. Pode ser que lá eles acreditem nisso. Por aqui, nós preferimos acreditar que ela deve ter problemas sérios.

 

Angela M. de Souza Bichi angela_bichi@hotmail.com

São Paulo

 

*

É VERDADE

 

Muita gente não entendeu a frase da dona Dilma dita na Finlândia: “No governo não tem corrupção”. É verdadeira, ela estava se referindo ao governo finlandês.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

*

FORA DA CASINHA

 

Dona Dilma fora da casinha diz que em seu governo não tem corrupção, então quem permitiu as “pedaladas” foi o Pinóquio, ou o sapo barbudo, ou ambos.

 

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

 

*

TROFÉU PINÓQUIO

 

Dilma, Lula e Luiz Sérgio estão se envolvendo no esforço hercúleo de receber o Troféu Pinóquio 2015. Mentiras inacreditáveis estão sendo atiradas aos sete ventos por esses diabólicos petistas. Mas acho que Dilma vencerá; aquela declaração de que “no meu governo não há corrupção”, realmente, é imbatível. O troféu é dela!

 

Luiz Roberto Lima de Moraes luizroberto@thermoprat.com.br

Jundiaí

 

*

A VERDADE DE DILMA

 

Dilma nem corou um pouco ao mentir para a imprensa internacional que a entrevistou na Suécia. Aliás, mentir é seu hábito mais antigo. Declara que nunca participou de qualquer ato condenável. Assaltar bancos, terrorismo, ser cúmplice em dois assassinatos, apresentar um currículo mentiroso e mentir durante a campanha eleitoral... nada disso é condenável para ela. Parece ser um princípio básico do PT: mentir

 

Ronld Martins da Cunha ronaldcunha@hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

ÓBVIO ULULANTE

 

“O governo não tem corrupção” porque é o corruptor, ora essa!

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

ABOBRINHAS

 

“O governo não tem corrupção”, o governo é a corrupção. PT, saudações.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

OTIMISTA

 

O verdadeiro otimista é o sujeito que acredita que o Brasil ainda tem jeito. Quando a presidente vai até a Islândia para dizer que vivemos na democracia e que seu governo não tem nada que ver com a roubalheira da Petrobrás e que os ladrões estão na cadeia, ou ela está mentindo ou sofrendo de amnésia. Ela mostra que não sabe o verdadeiro significado de “democracia” e que quem está na cadeia não são os chefes das quadrilhas, são só alguns bandidinhos. Enquanto isso, os senadores e deputados batem os pés dizendo “daqui não saio, daqui ninguém me tira”. Eles também têm a mesma doença da presidente e não sabem como foi que chegaram aonde estão e quais são as suas obrigações. Ajudo a lembrá-los: representar seus eleitores, o povo que pensou que um dia fosse representado por eles.

 

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com    

São Paulo

 

*

DECISÃO MORALIZADORA

 

Fazendo valer o artigo 5.º da Constituição federal, que assevera que todos são iguais perante a lei, o Supremo Tribunal Federal (STF) nega ao presidente da Câmara federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) o pedido feito para que as investigações sobre as suas contas secretas na Suíça, de sua mulher e de sua filha corressem em segredo de Justiça. A nosso ver, uma decisão moralizadora do ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato. Os privilégios conferidos a políticos não devem ter primazia sobre interesses nacionais.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

 

*

EDUARDO CUNHA SANGRA

 

Eduardo Cunha, após a vaia (pegou no fígado) e a recusa do STF em manter sigilo sobre os dados de seu processo, finalmente sangra... Isso deixa Dilma mais ou menos preocupada?

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

NEGAÇÃO

 

Do jeito que o deputado Eduardo Cunha nega ter as contas na Suíça, é bem capaz de ele negar a si próprio ao se olhar no espelho. Vai dizer “não, este não sou eu”. É impressionante a política do “toma lá, da cá” neste país. Herança dos colonizadores, que distribuíam títulos, terras, em troca de apoio, e isso vem de geração em geração. O processo de impeachment no Brasil é político. Se o presidente da Câmara quiser, há o processo; se não quiser, não há. Não existem claramente quais as condições técnicas que devem iniciar este processo. Então fica o País nesta situação esdrúxula. O Brasil vai sangrar até quando? Ah, sim, os deputados e senadores não estão nem aí para isso. A remuneração deles está garantida. Não tem ninguém desempregado ou tendo de procurar emprego, como outros 2 milhões de brasileiros que estão nessa situação.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

FILOSOFANDO

 

Eduardo Cunha declara: “Eu não sou eu”.

 

Vitorio Pascoal Soldano soldano@uol.com.br

São Paulo

 

*

CENA POLÍTICA

 

Já passou da hora de cassar Cunha. Os trâmites políticos hão de se pautar pela qualidade dos fatos e dos comportamentos e por princípios, e não pelas possibilidades de espertezas processuais e supostas conveniências circunstanciais.

 

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

 

*

SÓ CUNHA?

 

Se Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tem de ser execrado por ter cometido falta de decoro parlamentar quando mentiu dizendo não ter contas fora do País, o que dizer dos maiores caras de pau como Paulo Salim Maluf, procurado em mais de 170 países pela Interpol, bem como sua família, assim como a família Lula da Silva, com seu enriquecimento supostamente ilícito, bem como Ricardo Berzoini com seu golpe nos mutuários do Bancoop, etc., etc. e tal. Todos estes, e muitos mais, têm de responder por seus crimes, e não devemos execrar e cassar tão somente Eduardo Cunha, que virou alvo de Dilma, que também deve ser investigada a fundo por seus ilícitos e, se necessário, também cassada.

 

Boris Becker borisbecker@uol.com.br   

São Paulo

 

*

SO QUE ELES RIEM?

 

Emblemática a foto de opositores aplaudindo a entrega do novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma. Parlamentares minimamente éticos deveriam saber que, por mais merecido que lhes pareça, não cabe regozijo em ação que envergonha o País. Porém, como no plano central está o deputado Eduardo Cunha, personagem sobre o qual pesam toneladas de acusações, talvez seja melhor mesmo deixar a ética de lado.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

HOMENAGEM NA CÂMARA

 

Na quarta-feira, com a homenagem a Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, acusado de enorme corrupção em negócios da Petrobrás, o PMDB envergonhou todo o Brasil.

 

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo

 

*

CUNHA E A LEI DIVINA

 

Guardadas as devidas proporções, não costumo discutir religião e tenho o maior respeito pela maioria delas, apesar de não concordar com muito do que se prega. A Assembleia de Deus, corrente evangélica à qual pertence o deputado Eduardo Cunha, tem por base o cumprimento dos Dez Mandamentos, o que justificaria, segundo seus seguidores, a negativa ao direito do aborto. E quanto aos demais mandamentos, como não roubar, estes são dispensáveis.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

ENQUANTO ISSO, EM MINAS GERAIS

 

Nas Alterosas, agora temos dono, rei ou imperador (“Pimentel agora diz que não teve a intenção de quebrar sigilo de jornalista”, 21/10/2015). Por isso os mineiros devem ficar cautelosos. O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), quer ser um cidadão incomum. Definitivamente, ele se considera um cidadão acima da lei. No momento, anda furioso com o repórter do jornal “O Globo” que divulgou reportagem mostrando que entidades patronais pagaram R$ 1,6 milhão à OPR, sua antiga empresa de consultoria. Essa informação foi obtida no âmbito do inquérito da Operação Acrônimo, que apura evidências de corrupção e lavagem de dinheiro cometidas por Pimentel. Esqueceu-se o “dono de Minas Gerais” que os jornalistas não podem ser apenados por ter acesso à notícia. Pimentel diz que esses “vazamentos” publicados pela imprensa têm uma conotação política para desmoralizá-lo. E daí? Parece que o imperador quer mandar às favas a liberdade de expressão e informação, garantia constitucional das mais importantes para a democracia.

 

Lucília Peres Almeida luciliapcalmeida@gmail.com

Belo Horizonte

 

*

PARTIDO ACUADO

 

A petição dos advogados do nobilíssimo governador de Minas, Pimentel, foi apresentada em 11 de setembro, após o jornal “O Globo” divulgar notícia sobre o pagamento de R$ 500 mil pelo Sindicato das Indústrias Extrativas de Minas Gerais à empresa OPR Consultoria, que já pertenceu ao governador. A Polícia Federal suspeita de que o petista seja o beneficiário dos recursos. Duvido que alguém tenha alguma dúvida e aconselho os repórteres a contratarem ótimo criminalista, afinal, o PT acuado é pior do que cachorro com raiva. Pena que, em geral, eles tentam tapar o sol com buracos e estão mais sujos do que pau de galinheiro. Até tu, Pimentel? Quem diria.

 

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

São Paulo

 

*

LEILÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

 

Realmente, não consigo entender este governo da presidente Dilma. Há três anos, ela instituiu por decreto a redução da tarifa de energia elétrica das usinas e linhas de transmissão antigas, mediante a renovação antecipada das concessões. O preço da energia na usina, que era em média de R$ 100,00/MW, passou para R$ 30,00/MW. Na época, era um preço tido como impraticável pelas empresas do setor e somente a Eletrobrás, obviamente, aderiu à renovação antecipada – e, como era de esperar, “quebrou”. De geradora de caixa e detentora de disponibilidades vultosas, a companhia passou a ser deficitária e endividada. No próximo dia 6/11 teremos a relicitação das usinas que não aderiram à renovação antecipada e, para minha surpresa e indignação, este governo deficitário vai pedir o pagamento de outorga no valor de R$ 17 bilhões. E adivinhem: as vencedoras do leilão poderão repassar este valor para a tarifa. Agora, adivinhem também qual será o preço teto médio do MW no leilão? R$ 111,00. Sim, isso mesmo, essas usinas que não têm dívidas para pagar e são geradoras de caixa vão cobrar dos consumidores pobres coitados e enganados o mesmo preço que a presidente alegava ser umas das travas ao crescimento do País. Mas este governo, assim como a nossa Eletrobrás, está “quebrado”, deficitário e corrompido, e precisa dos R$ 17 bilhões para esconder as suas “pedaladas”. Num governo decente e que se preocupa com seu povo, a outorga não deveria custar mais que as despesas para realizar o leilão, ou seja, umas duas ou três dezenas de milhares de reais. Se assim fosse, nossa presidente estaria sendo coerente consigo mesma. Mas quem consegue ser coerente quando está desesperada, em pânico e mal assessorada?

 

Marcelo Correa marc.correa@ig.com.br

São Paulo

 

*

A VOLTA DE HENRIQUE PIZZOLATO

 

Com a chegada tão aguardada do ex-diretor do Banco do Brasil S.A. Henrique Pizzolato, condenado na Ação Penal 470 (mensalão), prevista para hoje (23/10), o Partido dos Trabalhadores (PT) estará na recepção do aeroporto para recebê-lo e acompanhá-lo em cortejo público até a Penitenciária da Papuda, onde cumprirá a sua pena de reclusão? Uma vergonha para os funcionários do Banco do Brasil e para os brasileiros. E a devolução do valor produto da roubalheira? O PT esculhambou com a moralidade do País!

 

Fernando Silva lfd.dasilva@uol.com.br    

São Paulo

 

*

RECEPÇÃO

 

Com certeza, Suplicy e a turminha vermelha do PT estarão lá no caminhão de som para receber Pizzolato no Brasil. Se fosse em Portp Alegre, com certeza o tal Genro estaria fazendo discurso de boas-vindas.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com  

São Bernardo do Campo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.