Fórum dos leitores

NOTÍCIAS DO BRASIL

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2015 | 02h28

Politiquices

Relato três casos publicados na mídia impressa: 1) Lula está contrariado com a Polícia Federal por estar investigando um filho. Para ele, só os interesses dele mesmo e de seus familiares são importantes; o povo que pague. 2) Um deputado do PP quer triplicar o Fundo Partidário, à custa dos eleitores, numa situação econômica deficitária do governo federal. 3) Marta e Chalita estão tentando conseguir indicação para disputar a Prefeitura de São Paulo pelo PMDB. Para o povão, só más notícias.

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

OPERAÇÃO ZELOTES

O fio da meada

A reportagem do Estadão de ontem sobre a Operação Zelotes mostra que foi encontrado o fio da meada que pode levar à remoção do teflon que tem protegido Lula de ser investigado e responsabilizado por inúmeros malfeitos perpetrados contra os interesses do Brasil. Fica evidente também que a economia brasileira não chegou à trágica situação atual apenas por incompetência, ideologia e arrogância. Foi por corrupção, mesmo. Venderam o Brasil às montadoras de automóveis e a outros grupos de interesse por meio de medidas provisórias – como a MP 471, assinada por Lula em novembro de 2009, que estendeu descontos tributários às montadoras por quatro anos adicionais e arrastou mais de R$ 5 bilhões do Tesouro para essas empresas. Os R$ 2,4 milhões pagos à firma de fachada do filho de Lula são cafezinho perto do total de propinas que só essa MP deve ter rendido à família e ao PT. Haja estômago!

JORGE MANUEL DE OLIVEIRA

jmoliv11@hotmail.com

Guarulhos

‘Doping’

Luís Cláudio Lula da Silva, tal como seu irmão Fábio Luís Lula da Silva, parece ser, conforme metáfora futebolística cunhada pelo papai ex-presidente para justificar o enriquecimento rápido e estratosférico da sua prole, um “Ronaldinho dos negócios”, ou seja, um craque. Entretanto, é lamentável saber que os filhos de Lula não foram aprovados no “exame antidoping” da Polícia Federal, que detectou propina e outras substâncias ilícitas em material coletado.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

Fenômeno

Sem ter nenhum funcionário, a firma do cidadão faturou todas. Que mané Ronaldo, que nada! O Lullinha, sim, cobra escanteio e faz o gol de cabeça.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Empreendedorismo

Em plena crise, com o País em caos absoluto, sem rumo nem prumo, eis que surge uma grande ideia que pode resolver definitivamente o problema dos desempregados no Brasil. Basta cada um abrir uma empresa igual à do filho do “cara”, que vai faturar milhões. E com um detalhe de suma importância: não necessita funcionários.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Iguais perante a lei?

Os filhos do Lula receberam do Itamaraty em 2010, antes da saída dele da Presidência da República, passaportes diplomáticos. Hoje Lula está irritado com a Dilma e com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por eles não terem blindado seu filho contra a investigação da Polícia Federal. Ele acha que está acima da lei! A Constituição do País não vale nada, ele, a família e seus amigos não podem ser investigados... Igualdade de todos perante a lei é balela!

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

Lula culpa Dilma

Tem razão o “cara” quando diz que o combate à corrupção pode destruir o projeto político do PT. São excludentes. Como é bom para o País acabar com a corrupção (será que vamos conseguir?), conclui-se que o projeto político do PT é corrupto e, portanto, maléfico? Sempre estive certo que sim!

M. MENDES DE BRITO

voni.brito@gmail.com

Bertioga

Na mídia, ontem

Investigações da PF são por medo de Lula voltar. Assim falou o homem dos dólares na cueca.

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

PESQUISA

Lula e o Ibope

De acordo com o Ibope, 55% não votariam em Lula de jeito nenhum, ou seja, rejeitam-no mesmo. Isso é muito importante para o País, porque essa tranquilidade já pode chamar investimentos nacionais e alienígenas, dado que sua figura, na condição de comandante do lulopetismo, traz insegurança, certeza de um governo corrupto e nenhuma esperança para quem não aceita governos populistas. Sorte nossa.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Rejeição ao modelo político

A rejeição a Lula e ao PT contaminou tudo. Até a oposição. Há rejeição ao modelo político que permite a um partido se aboletar no poder “comprando manobras” para nele se perpetuar. Está tudo parado e pedindo mudança. As ruas silenciaram diante de tamanho engessamento, nada acontece. A tensão pode estourar e aí será pior. Seria bom desatarem este nó político antes que se tenha de sair à rua e quebrem tudo de novo. A renúncia de Dilma seria uma bênção política para o País: desataria o nó que trava a Nação e ela entraria para a História de forma mais digna.

JOÃO BRAULIO JUNQUEIRA NETTO

jonjunq@gmail.com

São Paulo

Rebentos

A leitura do editorial Péssimo para a democracia (27/10, A3) me traz instantaneamente a lembrança de meu falecido pai, imigrante refugiado eternamente grato à pátria que o acolheu. Ele sempre declarava orgulhosamente, após sua naturalização, ser mais brasileiro que os nativos: “Sou brasileiro por opção, e não somente por aqui ter nascido”. Do alto de sua vasta experiência de vida, inclusive em países comunistas, cujas “maravilhas” do regime que vivenciou sempre fazia questão de contar, ficava muito triste ao ler as notícias de Brasília, quando frequentemente soltava sua máxima: “A política é a pior das prostitutas!”. Hoje, observando o que acontece em nossa capital federal e na política brasileira em geral, consigo compreender quão preconceituosa, errada e ultrapassada era essa ideia. Afinal, por que ofendê-las dessa forma? Que culpa têm elas das nefastas ações desse seu bando de rebentos?

LAZAR KRYM

lkrym@terra.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

O BRASIL NÃO APRENDE

 

Definitivamente, ao Brasil falta inteligência. No mesmo dia em que se divulga o maior déficit da sua história (R$ 51,8 bilhões, sem contar as “pedaladas”), sua Excelência Dilma Rousseff usurpa do Aerolula para participar da festinha dos 70 anos do nosso príncipe regente, Luiz Inácio. Nosso problema, pelo jeito, é genético: desde 22 de abril de 1500 não conseguimos aprender absolutamente nada com nossos erros.

 

Ataliba Monteiro de Moraes Filho ataliba@outlook.com

Araçatuba

 

*

COMPARAÇÃO

 

O governo federal apresentar o déficit nas contas públicas sem as “pedaladas fiscais” é como o aluno apresentar o boletim escolar sem as notas vermelhas.

 

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

*

A DOUTORA E O DÉFICIT

 

Os gregos nos legaram dois significados para a palavra “rhómbos”. Usado para expressar qualidade, rombo passa a imagem de tacanho, incapaz de compreender as coisas ou de raciocinar. Como substantivo, é sinônimo de desfalque, prejuízo, perda. Resumindo: cinco letras definem a mediocridade de um governo e de uma economista que, já no final do mês de outubro, era incapaz de dimensionar o tamanho do rombo nas contas públicas.

 

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

 

*

ACORDO DILMA-RENAN CALHEIROS

 

Dilma Rousseff já teve o tempo do contraditório no Tribunal de Contas da União (TCU), milhares de páginas geradas pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que não explicaram nada, e o TCU, depois de todo o tempo necessário, condenou as “pedaladas”. Já foi aberto novo processo no TCU, pois as pedaladas continuam em 2015. Por que novo contraditório? Jogo de cena! O forno de pizza já está ligado!

 

Walter Sant’Anna Zebinden zebinden@terra.com.br

Campinas

 

*

O PAGAMENTO DAS ‘PEDALADAS’

 

Se pedir à Petrobrás, que não foi privatizada, mas exaustivamente saqueada pelo governo petista e associados, aí é que não ia dar mesmo para pagar os milhões devidos ao governo.

 

Paulo Teixeira Sayão psayaoconsultoria@gmail.com

Cotia

 

*

OPERAÇÃO ZELOTES

 

Conforme noticiado pelo “Estadão” de ontem (27/10), a Polícia Federal, a Receita Federal e o Ministério Público Federal cumpriram na segunda-feira mandado de busca e apreensão no escritório de Luiz Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A ação integra a terceira fase da Operação Zelotes, que investiga um esquema de compra de medidas provisórias para favorecer montadoras de veículos. Tal pai, tal filho!

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

HIPER GÊNIO

 

Agora, sem dúvida, podemos ter certeza de que o filho de Lula é um hiper gênio (sic). Ele é dono, chefia e administra uma empresa que tem lucros altíssimos sem ter funcionários.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr. Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

*

PARA SAIR DO BURACO

 

Que Joaquim Levy, que nada! Eu conheço um cara que, garanto, tira o Brasil do buraco. Basta usar o mesmo sistema de quem já foi monitor de zoológico, por exemplo.

 

Fabio Morganti tao2@terra.com.br  

São Paulo

 

*

MEDIDAS PROVISÓRIAS

 

A Operação Zelotes fez busca e apreensão nas empresas do filho de Lula. Até aí, tudo bem, a corrupção já se tornou vulgar e parece que todas as pessoas que têm alguma ligação com a política estão de uma forma ou outra envolvidas em algum tipo de uso ilegal para se apropriar de informações privilegiadas. O que me deixa estupefato é a venda de medidas provisórias pelos lobistas em conluio com o ex-chefe de gabinete  e ex-secretário-geral da Presidência, sr. Gilberto Carvalho. Como assim? Venda de medidas provisórias? Daqui a pouco estarão vendendo leis e outras regras legais em feira livre para quem quiser. Não será mais necessária a existência do Poder Legislativo.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

OS AMIGOS DE LULA

 

Gilberto Carvalho deveria ensinar a José Carlos Bumlai que, ajoelhando, tem de rezar.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

A CASA PODE CAIR

 

Apesar de todo o seu “preparo” intelectual e “experiência” empresarial, acredito que, se a PF espremer o Lulinha, ele vai gemer e a casa vai cair.

 

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

 

*

LULA X DILMA

 

“Lula responsabiliza Dilma por operação” (“Estadão”, 27/10, A6). E a confissão: “José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, só quer ‘aparecer’ e não entende que, em nome do combate à corrupção, pode destruir o projeto político do PT”. Este, claro, é ficar eternamente no poder. É mais um caso em que a corrupção e as pedaladas se justificam e, para Lula, devem continuar. Aí, então, ele vira oposição a Dilma. Vamos logo avisando, Lula: nem vem que não tem. Não é porque é seu aniversário que vamos lhe dar de presente a honra de estar ao nosso lado no pedido de impeachment. Nas nossas fileiras só entram os coxinhas, os mortadela com tubaína não têm vez.

 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

PROJETO DESFEITO

 

Estou começando a gostar de Dilma. Apesar de ter destruído a nossa economia, está conseguindo, também, destruir o PT e o seu projeto político.

 

Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com

São Paulo

 

*

CONFISSÃO

 

E Lula confirmou! Em nome da corrupção, querem destruir o projeto político do PT! Ufa, confessou!

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

CORRENDO SOLTO

 

Pela indignação de Lula contra Dilma, pela apreensão dos documentos de seu filho, a impressão que se tem é de que, em seu governo, tudo corria solto.

 

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

 

*

‘QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO?’

 

O ex-presidente Lula não deveria se irritar com a Operação Lava Jato nem com a Zelotes. É só explicar como ele e seus filhos ficaram milionários e pronto, acaba qualquer mal entendido. Afinal, muitos responderiam “sim” ao título do famoso filme.

 

Mario Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

FORTUNA

 

O sr. “Pixuleco” ficou bilionário fazendo palestras (sic). Já os seus “meninos’ não quiseram ficar apenas “riquinhos” e, então, ficaram só milionários.

 

Roberto Carderelli robertocarderelli@gmail.com

São Paulo

 

*

UM PÉSSIMO ANIVERSÁRIO

 

O criador está possesso com sua criatura, por não dar uma “basta” na Polícia Federal, que, cada vez mais, chega aos seus calcanhares. Pobres Lula, Lulinha I e Lulinha II, que não conseguem dormir direito e muito menos atender à campainha...

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

EM CRISE

 

Muito justo e bonito que Lula, tenso e inconformado, assim comemore seus 70 anos, em clima de crise. Isso é que é espírito de solidariedade com o povo brasileiro, que nunca viveu uma crise política e econômica como esta que vivemos agora.  Parabéns, Lula! Que você continue a receber na medida de seu merecimento.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

FESTA CANCELADA

 

O ex-presidente Lula completou ontem 70 anos de vida. Uma festança estava sendo programada num restaurante em São Bernardo do Campo, com a presença de políticos, empresários, amigos, etc., mas foi cancelada. Depois da raspança dada pela Polícia Federal (PF) nas empresas dos filhos dele, quem vai ter a caradura de comparecer? Vai que a PF se instale na porta... Vale aqui o ditado: “Diga-me com quem andas que te direi quem és”.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

‘PIXULECO’

 

27 de outubro, aniversário de Lula, o maior presidente de todos os tempos... no segmento “corrupção”.

 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

 

*

LULA

 

Evoluir de vendedor de greves para vendedor de medidas provisórias é como passar da 51 para o Blue Lable. Parabéns a você, nesta data querida...

 

Robrto Aliberti robertoaliberti@uol.com.br

São Paulo

 

*

POLÍTICOS BRASILEIROS

 

Se a imagem dos políticos está em baixa, como mostra a pesquisa recente do Ibope, seguramente o Partido dos Trabalhadores (PT) contribuiu e muito para isso, na medida em que fez da política um balcão de negócios, não só para perpetuar-se no poder, como também para engordar contas pessoais. Não há horizonte visível no sentido de reverter essa imagem em curto prazo. Como muito bem colocou o ex-presidente FHC, não há sistema político que funcione se não houver partidos que defendam valores e projetos para o Brasil, não para permanecerem indefinidamente no poder.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

DESÂNIMO

 

Após assistir à entrevista do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na segunda-feira (26/10), no programa “Roda Viva”, da TV Cultura, senti um profundo desânimo quanto ao nosso futuro como nação democrática. FHC deu uma aula sobre a realidade de nosso presidencialismo falido, mas em nenhum momento levantou a bandeira das conquistas de seu governo nem apontou qualquer direção nova e viável para que as forças de oposição possam nos oferecer uma alternativa ao atual desastre governamental e político. Foi acadêmico o tempo todo, dirigindo-se aos jornalistas, e não ao telespectador. Perdeu uma ótima chance de educar um pouco o eleitor que o assistia. E é isso que nos falta para garantir os valores democráticos e sairmos do buraco em que estamos. Muito foi falado, mas o mais importante foi esquecido: a importância de eleitores mais conscientes da força e da importância de seu voto. Enquanto o povo for omisso e ignorante, e se vender como massa de manobra, votando por obrigação e sem exigir melhores propostas de partidos e seus candidatos, nada se conseguirá. E os inescrupulosos continuarão conquistando cargos públicos por meio de mentiras e promessas não viáveis. Por favor, FHC, precisamos de mais estadistas que eduquem o eleitor e de menos intelectuais que pontifiquem acima de sua compreensão. Sem isso, dificilmente salvaremos nossa claudicante democracia.

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

COMPRA DE VOTOS

 

Com a maior cara lambida e com o eterno ar de sábio de proveta, FHC afirmou no “Roda Viva” que não foi ele nem o PSDB que patrocinaram a compra de votos no Congresso pela reeleição presidencial. Então, deve ter sido o porteiro do prédio onde FHC mora ou algum extraterrestre.

 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

 

*

OS DIÁRIOS DE FHC

 

Ao pôr a nu a intimidade do poder político supremo, que exerceu, sem poupar as idiossincrasias dos próprios correligionários, um ex-presidente de uma República como a brasileira, intelectual consagrado, pode estar simplesmente transmitindo ao povo como o poder é exercido em suas profundezas ignoradas, desde o momento em que o homem optou por ser representado. Inédita contribuição à formação do pensamento coletivo, no plano inócuo da abstração; ou expondo claramente condições inafastáveis para voltar a cumprir a missão de liderar um processo de salvação nacional – com independência, autonomia, libertação de grupos habituais de pressão, etc. Esta segunda opção sugere a luz solar a reverberar na gruta cheia de névoas densas em que o povo brasileiro neste momento sente-se pulverizado. “Rasgou-se a fantasia”.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

HISTÓRIA DO EX-PRESIDENTE

 

Desafio o ex-presidente Lula a lançar seu diário, nos seus oito anos governando o País. Com sua emocionante história de quem saiu da pobreza do sertão de Pernambuco para chegar à Presidência da República e terminou como um multimilionário. Seria um testemunho vigoroso, um exemplo (a não ser seguido) de conquistas da família Silva. Como disse FHC: “Lula enterrou sua própria historia”. 

 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

*

MUITO ALÉM DO FOLCLORE

 

Aposto que a figura cibernética do “metamorfose ambulante” – e seus feitos – deve ser um grande desafio para ser arapongado nas redes sociais. Autodeclarado possuidor de azia e de enjoos perante a leitura, imagino sobre quais seriam seus outros acometimentos digestivos ao escrever, datilografando e-mails e outras mensagens na tela. Deve ser algo pesado e desafiante o garimpo escrito das suas argumentações, tratos e conversa. Terá ele, em sua invisibilidade, além de apelidos, algum “ghost hacker”? Recordo-me daquele famoso teste psicotécnico para admissão na Câmara, ainda nos anos 90, quando lhe pediram uma frase com o verbo hospedar, e sua frase, que vazou, saiu assim: “Ospedar da biscreta é marero”. Mais uma simples mentirinha folclórica do pobre Brasil, não fosse aquela trágica bananice de FHC – eu disse bananice.

 

Murilo Luciano Filho muaurilou@uol.com.br

São Paulo

 

*

TEMPOS DE ACERTO

 

Assisti à entrevista na TV Cultura com o presidente Fernando Henrique Cardoso. Meu Deus, que diferença da porcaria de agora! O Brasil teve a felicidade de ter por oito anos este homem que limpou o País, e é pena que tudo se perdeu nos últimos 13 anos. Que deus tenha piedade do Brasil e nos traga mais FHCs.

 

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

 

*

FHC, CONIVENTE OU INOCENTE?

 

Quando vemos FHC dizer que “não acho que o PSDB deveria fazer o que o PT fez comigo”, nos pomos a pensar: será FHC conivente ou inocente? Será que nunca passou pela cabeça dele que justamente Lula e o PT fizeram o que fizeram com nossa nação, saqueando e injuriando, justamente por falta de oposição?

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

FANTASMAS DE SI MESMOS

 

São impressionantes a falta de ética e a irresponsabilidade do PSDB, que virou um partido oportunista e de direita, traindo seus ideais e origens de centro-esquerda. É inaceitável que os tucanos apoiem Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que tem contas secretas na Suíça e está envolvido em diversos escândalos de corrupção. Ao apoiar um bandido, o PSDB condena a si próprio e joga seu passado de lutas democráticas na lama. Precisamos de uma oposição ética, digna, responsável, competente e comprometida com as mudanças necessárias que queremos ver no País. Só o PSOL faz isso, mas é uma exceção. Hoje, temos PT e PSDB como duas sombras, fantasmas de si mesmos, jogando o País no buraco.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

ABAIXO DA COTA

 

Sou natural da cidade catarinense de Rio do Sul, que nos últimos dias foi abalada com as cheias de seus principais rios. Apesar de não morar em área de enchente, conheço de perto o drama de todos aqueles que sofrem com essa situação, que prejudica a todos. A cidade mais do que nunca necessita de união para vencer esta crise. Foi anunciada a presença de nossa presidente em Rio do Sul para averiguar a situação – infelizmente, ela faz questão de convocar apenas seus “militantes”, que por sinal estão cada dia mais escassos. O rio não faz distinção entre as pessoas que afeta, então por que a nossa presidente faz? Ela utiliza a desgraça alheia como motivo para reunir seus partidários. Somente uma pessoa fria tem capacidade para tanto. Ela, junto com o seu partido, cria a discórdia e o ódio entre classes, enquanto seu trabalho deveria ser o de representar todo o País. O fato de um presidente da República visitar uma cidade, assim como conhecê-la pessoalmente, deveria ser uma honra, mesmo se essa pessoa tem ideias contrárias às suas, neste caso o respeito falaria mais alto. Infelizmente, nossa presidente há muito tempo, junto com seu partido, perdeu o respeito e a ética. Ou melhor, eles desvirtuaram todos esses valores, fazendo seus militantes acreditarem em inimigos fantasmas e problemas falsos. A presidente perdeu toda a credibilidade. Apenas uma coisa ela não perdeu, porque nunca teve, competência.

 

Victor André Odebrecht victor@bovenau.com.br

Rio do Sul (SC)

 

*

A AMEAÇA DA DENGUE PERSISTE

 

O Ministério da Saúde se diz preocupado com uma nova epidemia da dengue, algo que, para nós, já parece evidência concreta. O governo federal e o ministério se mostram incompetentes no trato das prioridades relativas à Saúde, além de não aplicar os recursos adequadamente. Enquanto se premiam com o Nobel pesquisadores que desenvolvem novas drogas para o tratamento de doenças como verminoses que assolam países pobres, nosso país mantém o descaso com a saúde básica nas suas unidades de saúde municipais (UBS). Os médicos das UBS, incluindo nossos “hermanos”, nem sequer solicitam os exames de fezes para pesquisa das verminoses, e, se o fazem, não sabem tratar o paciente ou não conseguem tratá-lo, pela falta dos medicamentos na maioria das farmácias das UBS. Isso é algo de extrema preocupação, visto que tais “bichinhos” que parecem inocentes podem causar grandes estragos à saúde, até comprometimentos  pulmonares, cardíacos e cerebrais. Talvez este seja mais um mecanismo indireto do governo atual para se manter no poder, já que um povo doente tem também comprometimento das suas funções cognitivas, ou seja, do raciocínio lógico, levando-o a continuar a votar em políticos corruptos e incompetentes.

 

Solange Jana solangejana@terra.com.br

São Paulo

 

*

JOGOS INDÍGENAS

 

Não fosse o canal NBR, não teríamos nenhuma informação sobre os primeiros Jogos Indígenas da história da humanidade, que está se realizando em Palmas (TO), com a presença de índios de 20 países e 42 etnias brasileiras. Se fosse nos EUA, toda a mídia se estaria digladiando para cobrir o evento; mas, como é no Brasil, não temos uma só linha escrita sobre o evento.

 

Edvaldo Angelo Milano e_milano@msn.com

Limeira

 

*

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

 

Em relação ao editorial “O direito de resposta” (25/10, A3), é lamentável também o projeto de lei da deputada Soraya Santos (PMDB-RJ), que prevê prisão de até seis anos para quem criticar políticos na internet. Como aliada do deputado Eduardo Cunha, ela tem motivos de sobra para querer calar a mídia e a sociedade. Quem deve teme.

 

Celso Nobuo Kawano Junior cn.kawano@gmail.com

Embu das Artes

 

*

OFENSA E DIREITO DE RESPOSTA

 

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), sobejamente conhecido como um político radical, também não morre de amores pela liberdade de expressão. Como destacou bem o editorial do “Estadão” (25/10, A3), é do citado senador o Projeto de Lei 6.446/2013, aprovado pela Câmara dos Deputados, que determina o direito de resposta. Ou seja, em qualquer matéria divulgada pela mídia, seja falada, escrita ou televisada, ao ofendido lhe é assegurado o direito de resposta. Um absurdo! Um atentado contra a imprensa brasileira. E o que mais indigna é que os parlamentares da Câmara deram apoio a essa excrescência. Ou, melhor, corporativistas legislaram em causa própria. Dizer que se sente ofendido é subjetivo e, como homens públicos com dignidade, nossos políticos deveriam conviver com as críticas. Lógico, como detalha o editorial, se for uma divulgação errônea ou inverídica, aí, sim, se justifica o direito de resposta. Nosso país, na realidade, ainda está longe de ser puramente democrático.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

‘O DIREITO DE RESPOSTA’

 

O que será que o senador Roberto Requião (PMDB-PR), que para mim não tem o que fazer, está pretendendo com este projeto que mexe com a Lei de Imprensa e altera o direito de resposta de quem se sentir ofendido? Leitor assíduo que sou do “Estadão”, onde de quando em quando arrisco e tenho publicada uma carta no “Fórum dos Leitores”, estou preocupado e confesso ter medo de ser inquirido pela Justiça e não ter recursos para me defender, uma vez que só faço criticar este desgoverno e a cambada de picaretas que o compõe. Como se não bastasse tudo o que estamos passando, com a inflação nos dois dígitos, o comércio demitindo, pequenas e médias empresas fechando e indústrias paradas, ainda teremos de nos calar, sem poder expressar nosso sentimento de revolta. Espera aí, senhor Requião, que tal esquecer este projeto e voltar-se para prioridades como o impeachment da presidente Dilma e do presidente da Câmara, do seu partido, deputado Eduardo Cunha?

 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

 

*

REPARAÇÃO JUDICIAL

 

Sobre o projeto de lei sobre o direito de resposta, aprovado pela Câmara dos Deputados, já existe regulamentação, é só solicitar reparação judicial em caso de inverdades. O resto é censura mesmo!

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

OFENDIDOS

 

Finalmente apareceu um político “bem intencionado” e que será lembrado. Estou falando do senador Roberto Requião (PMDB-PR), autor do Projeto de Lei 6.446/2013, que assegura o direito de resposta a quem se sentir ofendido. Ou seja, na cabeça do sr. Requião, a pessoa que não gostar de qualquer referência ao seu nome e pelo teor considerar ofensa, poderá acionar a lei (“Estadão”, 25/10, A3). Levando em consideração que no Brasil tudo é possível, que até aberrações e projetos alienados são aprovados, vamos aproveitar também. Sr. senador, estou profundamente ofendido com as declarações “eu não sabia”, “desconheço esta conta no exterior”, “o dinheiro não é meu”, “o PT não rouba nem deixa roubar”, “foi doação limpa e contabilizada”, “o mensalão não existiu”, “o dinheiro roubado da Petrobrás, diante da sua grandeza, é insignificante”, “no meu governo não existe corrupção”, “não interfiro no governo Dilma”, etc., etc., etc. Espero que a lei (se aprovada) atinja a todos e contemple os milhões de humilhados, revoltados, indignados e desiludidos que não suportam mais tanto descaramento. Acredito que muitos ficarão gratos pela oportunidade de recorrer à Justiça e, dentro da lei, poder dizer nas vossas caras: “O povo brasileiro está imensamente ofendido, basta!”

 

Rogerio Amir Rizzo rizzomoreno@superig.com.br

São Paulo

 

*

CENSURA

 

Acabo de me lembrar da ridícula censura que o “Estadão” sofre há mais de seis anos. Cadê a transparência? A família Sarney continua “dando as cartas” neste país? Está na hora de a Justiça (neste caso) acordar.

 

Décio Ortiz decio.ortiz@uol.com.br

São Paulo

 

*

DITADURA PETISTA?

 

De 2012 até hoje ocorreram 91 violações contra comunicadores, sendo que 18 foram assassinados, entre jornalistas, chargistas, radialistas e até blogueiros. Por esse motivo, o Brasil está sendo denunciado à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos por atentar contra a vida e contra a liberdade de expressão. Mas, vem cá, este não é um governo democrata? Ou vivemos sob algum tipo de ditadura petista, velada ou não? Não é este governo que tem ministério para cuidar dos direitos humanos? De quem?

 

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

O FECHAMENTO DA PAULISTA

 

Já que o prefeito Fernando Haddad fecha a Avenida Paulista aos domingos, mesmo incorrendo em multa (que nós pagamos), que tal tomarmos, então, os domingos para protesto? Solicito ao sr. Paulo Skaf, da Fiesp, levar os patinhos da campanha “Não vou pagar o pato”. Seria melhor ainda se conseguíssemos, “na marra”, deixar pelo menos um lado da avenida aberto para os carros. Os comerciantes, restaurantes, estacionamentos já reclamaram de estar com menos 50% de faturamento. Os moradores da região estão cerceados no seu direito de ir e vir. Este prefeito nada faz pela periferia, mas quer aparecer a qualquer custo.

 

Maria Cecília Centurión ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

 

*

MINISTÉRIO PÚBLICO DE SP

 

Muito inteligente e brilhante a missiva do leitor sr. Silas Correa Leite (“Estadão” de 27/10) a respeito da suspeita inoperância do Ministério Público (MP) paulista no trato com o crime organizado em São Paulo por quase 20 anos. Para piorar, ainda hoje há os problemas das escolas públicas fechadas, da falta de água (sabiam do problema 20 anos atrás), do “trensalão” e de privatarias impunes, e os corruptos paulistas só são interpelados na França, na Inglaterra e na Suíça, em São Paulo não. As autoridades de lá deveriam vir dar aulas aos membros da tal Justiça do Estado de São Paulo? Que MP é este?

 

Maria das Graças M. M. Aranha mglaranha@bol.com.br

São Paulo

 

*

REESTRUTURAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO ESTADO

 

Alguns professores da rede estadual, ligados ou defensores do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), estão cercando os alunos do ensino médio nos portões das escolas e induzindo-os a irem para as ruas protestar contra os estudos da Secretaria de Educação de São Paulo para reorganização dos ciclos nas escolas do Estado. Não antes de pegarem o “de acordo” de seus pais, também mal informados e, talvez por comodismo, aceitando, usando os alunos como massa de manobra para seus objetivos pessoais, ideológicos e partidários e contra a possibilidade de melhora de qualidade do ensino e da racionalização das estruturas existentes em função das demandas da sociedade.

 

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

 

*

ATRASADO PARA O ENEM

 

Fico impressionada com a insensibilidade do chefe do confeiteiro Adeildo Araújo da Silva (“Estadão”, 26/10, A16), que aos 39 anos se atrasou e perdeu a oportunidade de realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), por não ter tido permissão de sair mais cedo do trabalho, estando trabalhando desde as 5 horas da manhã. Seu olhar desapontado dói. Fico imaginando todo o sonho, a esperança e o preparo indo por água abaixo pela não valorização da pessoa que busca maior oportunidade, que de alguma forma lhe foi negada quando mais jovem. Este é o retrato do Brasil pobre, mesquinho e atrasado. Todos os brasileiros precisam estar conscientes de que é com a educação que o Brasil consegue sair de sua ridícula classificação, que coloca nossa nação atrás de centenas de países até mais desfavorecidos. Sugiro a Adeildo que não desista. Continue em sua busca por uma melhor oportunidade educacional. Vai valer a pena!

 

Ana Maria Coelho Rocha guieana@terra.com.br

Campinas

 

*

ELEIÇÃO NA ARGENTINA

 

Pela primeira vez na história os argentinos vão eleger o seu presidente em segundo turno. As pesquisas davam como certa a vitória de Daniel Scioli, apoiado por Cristina Kirchner no primeiro turno. Mas o resultado nas urnas mostrou outra realidade: Scioli teve 36,66% dos votos, enquanto Maurício Macri ficou com 34,52%, de um total de  95,37% dos votos apurados. As pesquisas também apontam que Cristina está deixando o governo com 50% de aprovação. Será que as pesquisas são confiáveis? Pois bem, a Argentina tem um sistema de votação invejável. Assistam ao vídeo e confiram por que o sistema de votação da  Argentina é um exemplo para o mundo.  https://www.youtube.com/watch?v=d0T2wphnY9Q.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

A DERROTA DO KIRCHNERISMO

 

Depois que os paraguaios se livraram do presidente esquerdista e reergueram magnificamente a economia do país, agora parece que chegou a vez de a Argentina livrar-se do populismo esquerdista que já dura 12 anos. O candidato da presidente Cristina Kirchner conseguiu 36% dos votos e o da oposição, 34%. Entretanto, os outros quatro concorrentes, também de oposição a Cristina, serão capazes de transferir seus votos em 22 de novembro, levando a oposição à vitória. Cristina perdeu também a maioria na Câmara e a prefeita eleita para Buenos Aires é, também, de oposição. Com isso, o kirchnerismo terá sofrido uma imensa derrota. Para ressuscitar o Mercosul e as liberdades no continente e coibir a corrupção, falta principalmente o Brasil.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

DESMORALIZADOS

 

Gente, o nosso país está tão desmoralizado e desacreditado que um vendedor de cocaína, chefe de uma tribo vizinha, chamada Bolívia, nos fez a seguinte ameaça: “Não vamos permitir golpes de Estado no Brasil nem na América Latina. Vamos defender as democracias e, se precisar, vamos atacar com nossas Forças Armadas”. Quem afirmou isso foi o cocaleiro Evo Morales, numa escola militar em Cochabamba. Ora, onde está a presidente da República brasileira? Está tentando “dobrar a meta”? Está tentando armazenar vento? Está tentando pôr a pasta de dente para dentro do dentifrício? Ou está engasgada com ela mesma? Onde está o Itamaraty? Aparelhado? Restou alguma coisa dele depois da passagem do nanico, físico e moral, Celso Amorim? Onde estão nossas Forças Armadas que não dão resposta a isso? Acovardadas? Esse não foi o Exército ao qual meu pai serviu. Dona Dilma, não vamos baixar tanto a cabeça diante da quadrilha bolivariana, porque partes pudendas aparecem.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

*

SE A MODA PEGA...

 

O comediante Jimmy Morales venceu as eleições para a presidência da Guatemala no domingo. Devemos estar atentos, pois, se a moda pega, Tiririca sairá como candidato nas próximas eleições para presidente. E ganhará!

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

A ASCENSÃO DO ESTADO ISLÂMICO

 

Li, estarrecido, as declarações do senhor Tony Blair, ex-premiê inglês (“Estadão”, 21/10) pedindo desculpas por deflagrar juntamente com os Estados Unidos do sr. Jorge W. Bush a guerra contra o Iraque e admitindo “certa responsabilidade na ascensão do Estado Islâmico (EI)”. Declara, ainda, o sr. Blair que as desculpas são pelo fato  de que as informações que os serviços secretos deram eram falsas. A intervenção “aliada” no Iraque foi, como agora reconhece o ex-premiê, o estopim da convulsão que desmantelou a precária estabilidade  no Iraque mantida a ferro e fogo pelo então governante, devido às diferenças étnicas, religiosas e políticas, as mesmas que agora se verificam na Síria. O erro agora se repete. Toda a instabilidade originada no Oriente Médio vem, agora, penalizando vários países europeus. Quem vai pagar essa conta? Seria o caso de o sr. Bush e seus amigos petroleiros arcaram com o prejuízo de toda a catástrofe e terror que se presencia nos dois países, com o crescimento do EI, que põe em risco o que o Ocidente considera como humanidade.

 

Luiz Carlos G. Pannunzio giotto.pan@gmail.com

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.