Fórum dos leitores

LULOBOLIVARIANISMO

O Estado de S.Paulo

30 Outubro 2015 | 02h55

Alimentos para Maduro

Na véspera das eleições na Venezuela, o governo brasileiro manda 571 contêineres de alimentos, 250 mil toneladas. Uma jogada eleitoreira para o déspota Nicolás Maduro enganar os venezuelanos, dando ares de que a coisa “melhorou” no país. Como pagador de impostos escorchantes, o povo brasileiro tem o direito de saber e o governo tem a obrigação de informar quando e como serão pagos esses alimentos. Ou é uma troca de favores, para confirmar a ideologia bolivariana dos dois governos? Oposição, favor acompanhar esse caso!

ANTÔNIO CARELLI FILHO

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

É absolutamente incompreensível o que faz nossa presidenta. Envia 250 mil toneladas de alimentos à Venezuela, cujos dólares referentes a essa venda jamais receberemos – aliás, o valor não foi divulgado. Eles não pagam nem promessa. A situação na Venezuela é tão caótica que não tem dinheiro para comprar medicamentos. Não é justo que o dinheiro que eu pago de impostos vire mantença de um governo corrupto, incapaz e ditatorial.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Esperando Janot

A assessoria jurídica da Câmara dos Deputados deu sinal verde para Eduardo Cunha abrir ação de impedimento da presidente Dilma Rousseff, que pode ser responsabilizada por irregularidades cometidas no mandato em curso. Aí lemos, estarrecidos, que Cunha condiciona a abertura do pedido de impeachment ao pedido de seu afastamento do cargo por Rodrigo Janot. Estarrecidos, primeiro, porque a lealdade do presidente da Câmara para consigo mesmo é tal que mostra, sem pudor algum, seu pouco-caso com a função que exerce e com os brasileiros. Perdeu a vergonha de vez. Segundo, porque Cunha está chamando para a briga o procurador-geral da República, numa disputa de quem pode mais ou quem é mais conivente com a corrupção. Estamos esperando Janot se pronunciar.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Teste

Segundo o presidente nacional do PT, Rui Falcão, o parecer pró-impeachment não preocupa o partido: “É apenas uma análise para ver se esse pedido tem condições de ser aceito”. Tem razão. É apenas o teste de corda para ver se aguenta o enforcado.

ULYSSES F. NUNES JR.

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

Mudou o discurso

Lula admite que mudaram o discurso após a eleição. Ou seja, mentiram descaradamente. O que nos anima é que o cerco se está fechando. Oremos!

SERGIO CORTEZ

cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

Chegou a hora

Mas que arbitrariedade da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público, “perseguindo” Lula e sua família... Mas quem não deve não teme. Há coisa grossa a ser apurada e revelada. Será que Lula achava que ficaria ileso depois de tudo o que causou ao País e aos brasileiros? Só o fato de o presidente do PT, Rui Falcão, chamar a ação da PF de arbitrariedade comprova a existência de tudo o que os brasileiros imaginam e esperam que seja levantado e confirmado. A operação de busca e apreensão no escritório do filho do Lula é o estopim da bomba. Aí tem. Demorou, mas chegou a hora.

LUIZ DIAS

lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

Rui Falcão engana-se ao dizer que “estão perseguindo o Lula”. Estão é seguindo os “pixulecos”.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Peixinho e tubarões

A reclamação do presidente do PT é, na verdade, um reconhecimento formal de que o filho do Lula (peixinho) é da mesma praia dos tubarões (grandes grupos empresariais).

LUIZ E. G. BARRICHELO

legbarri@gmail.com

Piracicaba

A família Silva e a lei

O sr. Lula da Silva, que ao completar 70 anos revela imaturidade incompatível com sua idade, mostra-se furibundo com a busca e apreensão efetuada, por ordem judicial, no escritório da empresa de um de seus filhos. Ele se acha (e a seus familiares) acima da lei? Ou está a família Silva simplesmente fora da lei?

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

3491esc@gmail.com

São Paulo

Baú de euros

Se perguntar não ofende, todos nós, brasileiros, gostaríamos de saber onde está o baú de euros que foi transportado como mala diplomática por Lula e Rosemary Noronha para a cidade do Porto, em Portugal, e levado em carro-forte para o Banco Espírito Santo, onde foi depositado. Continua lá ou foi removido para outro lugar? Mais uma pergunta inocente: a quem pertence?

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Desafios para o futuro

As atenções da mídia em geral e do jornalismo em particular têm se focado nos erros e crimes de nossos governantes e representantes que nos levaram à triste situação que atravessamos. Esse trabalho tem sido importantíssimo para o fortalecimento da democracia em nosso país, mas já deve ser hora de olharmos mais para dois aspectos que estão sendo pouco abordados. 1) A responsabilidade final pela nossa situação tem de ser assumida por todos nós, brasileiros, que elegemos há apenas um ano os integrantes do Executivo e do Legislativo que levaram o País a esta crise política e econômica, e a nos aproximarmos de uma crise social, e agora recebem nossa desaprovação geral. Como nos deixamos enganar de forma tão contundente? 2) A constatação espantosa de que, num país destas dimensões e complexidade, levamos cerca de dez anos para descobrir um esquema de corrupção do porte que a Operação Lava Jato está desvendando. E o fez por acaso, já que não era esse o objetivo da operação quando foi organizada e iniciada. Quais são os problemas sérios de governança nacional que permitiram que um câncer como esse se instalasse dessa forma? Creio que são dois temas sobre os quais a sociedade se deve debruçar daqui em diante, para começarmos a retomar o caminho da evolução moral, política e econômica que perdemos em algum ponto da nossa História recente.

LUCIO DE MOURA NETTO

lucio.moura.netto@gmail.com

Barueri

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

QUEBRA DE SIGILOS

 

Há anos que se especula na mídia e nas redes sociais sobre a boa vida dos filhos do ex-presidente Lula, que 12 anos atrás levavam vida simples de filhos de um metalúrgico. Mas só agora, no bojo da Operação Zelotes, da Polícia Federal, a Receita Federal fala em quebrar o sigilo bancário de Luís Cláudio Lula da Silva e de Gilberto Carvalho e filhos. Vivem há anos vida de milionários, sob a complacência da feroz Receita – que corre atrás dos assalariados como fera faminta. Por quê? Se não fosse a Polícia Federal levantar os indícios, será que a Receita os incomodaria?

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

NENHUMA NOVIDADE

 

O senhor Gilberto Carvalho, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, entende ser estranha a verificação de contas e movimentações financeiras do ex-restaurante do seu ex-genro e sua filha em Brasília. Basta voltarmos um pouco no tempo e verificaremos que, na década de 1930, quando imperava a lei seca nos Estados Unidos, muitos mafiosos foram pegos pela Receita Federal americana por meio justamente dos restaurantes dos quais eram proprietários. Nenhuma novidade!

 

Jose Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

 

*

VENSA DE MEDIDAS PROVISÓRIAS

 

O que dizer de um país cujo governo vende medidas provisórias? O governo Dilma é motivo de enorme vergonha para qualquer pessoa honesta. O que mais falta acontecer para que algo mude no Brasil? O presidente da Câmara dos Deputados é um criminoso com dinheiro de corrupção apreendido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas continua no cargo. A presidente da República assina contratos sem ler, causa prejuízos incalculáveis à Nação, está envolvida até a alma em escândalos de corrupção, mas continua no cargo. As instituição brasileiras faliram, estão se mostrando completamente incapazes de lidar com as quadrilhas criminosas que atuam em todos os Poderes. O Brasil não sairá dessa situação catastrófica sem uma intervenção externa e uma grande quebra institucional. Não há hipótese alguma de solução de continuidade para este lixo em que a política brasileira se transformou.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

ELES NOS MENOSPREZAM

 

O presidente do PT, Rui Falcão, disse na quarta-feira (28/10) que o Ministério Público, a Polícia Federal e o Judiciário estão perseguindo Lula e sua família e que o filho do ex-presidente Luís Cláudio é um peixinho no meio de tantos tubarões. No discurso para militantes no Piauí, no dia 22/10, Lula afirmou que “não podemos admitir que gente que roubou a vida inteira agora chama o PT de ladrão”. E o que dizer da condenação do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, elo do partido que aperfeiçoou o esquema de corrupção da Petrobrás? Será que não tem ligação alguma com o PT? Pelo visto, o senhor Rui Falcão e companhia menosprezam a inteligência dos brasileiros.

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 

Campinas

 

*

ENTRE TUBARÕES

 

Não nos esqueçamos de que Lula começou como “peixinho”, e já nem sabemos se ainda é “tubarão”. Rui Falcão está enganado, o filho de Lula não é mais peixinho faz tempo. Já está no mesmo nível do pai e, se a Polícia Federal deixar, logo pode superá-lo.

 

Oswaldo Baptista Pereira Filho oswaldocps@terra.com.br

Campinas

 

*

PERSISTÊNCIA

 

Criador da frase “uma mentira repetida muitas vezes se torna verdade”, Joseph Goebbels fez escola. No Brasil temos um lídimo representante desta figura nefasta que foi ministro da Propaganda de Adolf Hitler: o conhecido presidente do PT, senhor Rui Falcão.  Insiste e persiste.

 

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

 

*

NO ‘PAU’

 

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Sibá Machado, defendeu publicamente a perseguição nas ruas aos partidários do impeachment da presidente e o enfrentamento no “pau”, inflamando ainda mais os ânimos que já estão muito acirrados, numa clara defesa da quebra da ordem legal e do ordenamento jurídico constitucional. Deveria no mínimo ser afastado da liderança do partido ou, então, sofrer as consequências na Comissão de Ética com a abertura de processo para cassação do mandato.

 

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

*

SIBÁ MACHADO

 

A truculência sob a imunidade parlamentar. Um “líder” não pode esquecer que risco que corre o pau corre o machado.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

TEMPOS BICUDOS

 

O “Estadão” não cansa de fazer coro com a imprensa marrom para tentar atingir a honra de Lula e sua família. Qualquer pessoa minimamente informada percebe que existe um conluio entre parte da Polícia Federal e “Veja”, “Isto É”, “Globo”, “Estadão”, etc. para vazar tudo o que prejudique Lula e o PT e omitir tudo o que diz respeito aos outros partidos, com especial isonomia ao PSDB. Os termos hoje usados são sórdidos e sujos. Tratar uma pessoa do quilate de Gilberto Carvalho de fiel acólito e o ex-presidente da República Lula de chefe da tigrada é argumento de quem fabrica lama e vive nadando nela, como nada no mar. Quem acusa deveria provar, mas nada, a vítima que se dane, já foi julgada e condenada por este arremedo de tribunal, quando puder provar que foi tudo engano dos procuradores “zeloques” de pelo em ovo, não haverá manchete de primeira página. Desafio-lhes, se quiserem continuar sendo chamados de jornal, a noticiarem na primeira página, com o mesmo formato, a retratação, quando a verdade vier. A Operação Zelotes foi desencadeada por este governo para descobrir uma quadrilha poderosa que se beneficiava de decisões do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), que deve mais de R$ 50 bilhões em multas – investigar o filho de Lula é puro diversionismo, manipulação nojenta para esconder, desviar a atenção dos devedores bilionários. Não se esqueçam de que tem gente que discorda desta linha, apesar de ainda assinar este jornal. O “Fórum dos Leitores” deve mudar de nome: sugiro “Tribunal dos Leitores Tucanos”, pois só passa cartinha de quem fala mal do PT e concorda com a vesga linha editorial do jornal. Democracia é respeitar os adversários, e não tentar triturá-los, este não é o papel da mídia nem dos partidos, pode ser das armas em tempos de guerra, o que ainda não é o nosso caso, mas parece que tem uma claque buscando isso. Quem procura acha! Tempos bicudos hein!

 

Wilson Ronaldo de Oliveira wilsoncidadaocuritibano@gmail.com

Curitiba

 

*

PESSOAS ESPECIAIS

 

Lula diz ser alvo de pancadaria, tanto da imprensa como de parte do Judiciário, da Polícia Federal e do Ministério Público, mas dá o recado de que aguenta o tranco e sobreviverá. Lula também imagina que seja falta de lealdade de Dilma não interferir no Judiciário e na Polícia Federal para impedir a investigação que está sendo feita sobre ele e seus filhos nas Operações Zelotes e na Lava Jato. Parece que, para Lula, essa interferência é normal, desde que para salvaguardar a imagem de “pessoas especiais”. Agora se entende como foi que Lula interferiu no Supremo Tribunal Federal (STF), por exemplo, na questão do asilo concedido a Cesare Battisti, criminoso condenado por assassinato na Itália e que acabou se escondendo sob as asas de Lula... e vive até hoje livre, leve e solto aqui, no Brasil. Lula esperava o mesmo tratamento, já que ele se acha o suprassumo da pessoa especial. Ocorre que o Brasil está mudando, Lula, e para melhor.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

A CRENÇA EM FALSOS MESSIAS

 

Na minha opinião, Lula é e sempre foi como tem demonstrado agora: um oportunista, manipulador que se aproveitou de sua origem humilde para encantar e enganar a todos. Eu também, durante muito tempo, acreditei na falsa honestidade, ética e seriedade deste senhor e de seu partido. Acordei, antes mesmo de ele ser eleito presidente. O problema é que nós, brasileiros, estamos sempre procurando o “salvador da Pátria”. Esquecemo-nos de que governar, legislar é um emprego que exige pessoas habilitadas, com boa formação, preparo e competência. Chega de amadores, de Lulas, Dimas, Haddads, Tiriricas. O Brasil precisa de gente séria, competente, preparada. O difícil é a população se conscientizar disso. Não é votando nulo que o País vai sair desse buraco. É escolhendo os melhores candidatos, analisando seu currículo, suas realizações, sua competência para o cargo que vai exercer. É preciso parar de acreditar em falsos messias.

 

Elisabete Darim Parisotto beteparisotto@gmail.com

São Paulo

 

*

O ANIVERSÁRIO DO EX-PRESIDENTE

 

Ao ler nos jornais sobre o aniversário do ex-presidente Lula, fiquei revoltado com a notícia de que a sra. presidente perdeu uma ótima oportunidade de poupar recursos públicos. Após intensa negociação, a presidente embarcou no avião presidencial e compareceu à festinha de aniversário familiar do ex-presidente (ou presidente de fato) em São Paulo. E nós, contribuintes, pagamos as despesas deste transporte aéreo. O mais racional, e até uma questão de marketing político, é que bastaria um telefonema ao seu mentor sustentando não poder comparecer para poupar o custo de uma viagem de avião de Brasília a São Paulo, com retorno. E o mais curioso na notícia é que à festinha um dos dois filhos milionários do sr. Lula não compareceu. Será que Lula não o convidou, diante do escândalo de enriquecimento súbito e indevido por meio de uma assessoria milionária prestada a uma empresa que não é sua área de trabalho e para a qual nem detém ele, como profissional, renome internacional para tanto. Ou será que o sr. Lula também não sabia que tinha mais um filho milionário?

 

José Rubens Macedo Soares federmacedo@federmacedo.com.br

São Paulo

 

*

BEM-SUCEDIDOS

 

O filho de Lula deve ser uma pessoa extremamente competente, porque sua empresa recém-constituída, sem nenhum funcionário, prestou assessoria a montadoras de veículos e recebeu alguns milhões por isso. Ele deveria ser nosso ministro da Fazenda, porque, com certeza, encontraria uma fórmula para fazer aparecer dinheiro em nossa combalida economia. E o super Lula, que está fazendo conchavos com Eduardo Cunha para barrar qualquer processo de impeachment contra dona Dilma, porque ele precisa que ela permaneça no poder para tentar se eleger em 2018, está bravo com sua pupila porque ela não está conseguindo manipular seus comandados do Ministério da Justiça, que comanda a Polícia Federal. Esta está chegando muito perto dele. Acho que ele está achando que este país é seu playground.

 

Roberto Reis roberresp@uol.com.br

São Paulo

 

*

TUDO PAROU

 

Estranho fato o de Lula da Silva ter interrompido sua série de palestras após deflagrada a Operação Lava Jato. Por que será, não? A empreiteirada que tanto apreciava suas pérolas de sabedoria – que deviam espargir conhecimentos transcendentais – deve estar sentindo muita falta, pois a ele pagavam quantias mais vultosas que as que são pagas a Bill Clinton, só para citar um exemplo, cujos honorários, divulgou-se certa vez, eram de cerca de US$ 150 mil por palestra. Já as de Lula, em alguns casos “especiais”, chegavam a beirar a casa dos US$ 200 mil, se não mais. Realmente, é de imaginar que as pérolas de sabedoria que Lula passava deviam valer muito a pena! A propósito, cessaram também ao ex-presidente a outorga de títulos em profusão de “doutor honoris causa”. É que ele deve estar, certamente, declinando tanta honraria, já que suas principais características são a modéstia e o horror que tem às luzes da ribalta. 

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

FRUSTRAÇÃO

 

O ex-presidente Lula, ao completar 70 anos de idade, desperta a lembrança da origem humilde e das lutas sindicais, sementes do Partido dos Trabalhadores (PT), cujo ideário carregado de esperança tornou possível sua eleição ao cargo máximo do País. Muniu-se, a partir daí, dos instrumentos que poderiam transformá-lo num grande líder, capaz de implementar as reformas há muito necessárias para garantir melhores condições de vida às próximas gerações. Infelizmente, deixou-se inebriar pelo canto de sereia do poder, preferindo enveredar por atalhos pragmáticos de corrupção política e populismo inconsistente, que, complementados por ações do principal “poste” sucessor, convergiram para a atual situação de extrema dificuldade política e econômica. Relutante, por outro lado, em afastar-se das influências, vem exercendo uma espécie de mandato paralelo, típico de quem se julga ainda dono do governo, como bem comprova sua irritação pública pela investigação em empresas de familiares, numa patente incapacidade de separar a atuação de instituições democráticas, que, felizmente, ainda funcionam, de questões particulares. É lamentável que uma carreira inicialmente promissora atinja sua maturidade como mais um símbolo de frustração em relação à esperança de ver surgir um estadista numa República cuja história é tão carente deles.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

E AGORA, JOSÉ?

 

Pois é, à medida que as investigações avançam, os membros da quadrilha que nos governa começam a brigar entre si, igualzinho os bandidos fazem quando as coisas não dão certo. E o pior: o ex-presidente acusa a sua criatura, Dilma, de não segurar as pontas da Polícia Federal pelas investigações, como se esta pertencesse ao partido, e não ao Brasil. E ainda dá uma dura, porque isso está atrapalhando os planos de governo do PT, deixando clara a existência de um plano de poder à custa do dinheiro público, fora o do seu próprio enriquecimento. Até quando vamos aguentar isso se nem Lula aguenta mais Dilma, que, por sinal, já não governa mais, envolta nas pressões do PT e nas chantagens do PMDB. As consequências? É claro, vão sobrar para nós.

 

Miguel Pellicciari mptengci@uol.com.br

Jundiaí

 

*

OPERAÇÕES DA POLÍCIA FEDERAL

 

Ao afirmar que as “investigações são medo de Lula voltar”, o líder do governo na Câmara, de nome José, esqueceu-se de que até 2018, no meio do caminho, a Lava Jato pode ser uma pedra.

 

Odilon Otávio dos Santos

Marília

 

*

MEDO

 

O líder do governo na Câmara dos Deputados declarou que existe medo de Lula voltar ao poder, por isso existem as investigações. Na verdade existe medo é do PT de que as investigações tragam à tona o que todos já sabem. Falta muito pouco para o grande final.

 

José Sergio Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com

São Paulo

             

*

LULA LÁ

 

Polícia Federal e Lava Jato são o calcanhar de Aquiles de Lula.

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com  

São Paulo

 

*

CONSELHO

 

Meu caro Lula, vá preparando a cuca, mais uns objetos pessoais, porque o sr., “my friend”, mais cedo ou mais tarde, não escapa. Começou a perseguição à família Silva e seu lugar em Curitiba já está reservado.

 

Luiz Roberto Lima de Moraes luizroberto@thermoprat.com.br

Jundiaí

 

*

GRATA SURPRESA

 

A esperança aparece quando menos se espera. No mar de lama em que o petismo ancorou, é uma grata surpresa verificar a capacitação e a coragem de enfrentamento de juízes das Operações Zelotes e Lava Jato na luta contra a corrupção. Não se intimidam com o “você sabe com quem está falando?”. Cuidadosos, sabem que erros de procedimento livram réus e até podem causar, se comprovados, sua exoneração. Imensa pressão. Deixarão como legado o exemplo de que a ilegalidade pode e deve ser punida por quem quer que a pratique. Punição democrática.

 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

 

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

 

Excelente a resposta do juiz Sérgio Moro aos críticos da Operação Lava Jato, comparando-a a uma pescaria: “Tem vindo bastante peixe”. Eu acrescento: foi uma pescaria em busca de sardinhas no início, mas agora o que aparece na rede é tubarão! 

 

Sérgio Kocinas sergio.koc@hotmail.com

São Paulo

 

*

PEIXE GRAÚDO

 

Aos críticos das delações premiadas, o juiz Sérgio Moro disse que “tem vindo muito peixe” às suas mãos. Lógico que fruto deste mar de lama da corrupção petista...

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

INSATISFAÇÃO

 

A pesquisa Ibope referida no editorial do dia 27/10 (“Péssimo para a democracia”) demonstra a total insatisfação da população com a classe política brasileira em geral, sobretudo com os mais notórios. Isso é muito péssimo e perigoso para a democracia, porque deixa um vácuo na política, que pode ser preenchido por um eventual aventureiro que tenha o mínimo de carisma. É a desmoralização da classe, colocando no mesmo balaio pessoas honradas com os demais indignos no exercício do cargo.

 

Adalberto Amaral Allegrini adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista

 

*

CHORUMELAS

 

Incríveis as chorumelas do partido que habita o governo federal e adjacências. Os 83% dos brasileiros que um dia depositaram um voto de apoio e confiança nessa cúpula, de repente, do nada e por nada, reduziu-se a 23% nele e a 8% nela. Seria de perguntar: será que todo esse estrago foi promovido pela mídia, pela burguesia, pelos intolerantes, por eles? Sinceramente, seria uma força incomensurável com capacidade de reduzir a pó qualquer outro governo que desejasse se instalar e não correspondesse à mínima expectativa dessa classe turbinada. O que o povo deseja e quer são governantes ilibados, casados com as causas da Nação, que são as mesmas do povo, sem demagogia, sem populismo, sem farsas e falsas promessas, apenas governar para bem geral da Nação. Ninguém endossaria uma ação de despejo.

 

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

Matão

 

*

AVALIAÇÃO PETISTA

 

Lula e o PT subestimaram e desrespeitaram o povo brasileiro. Acharam que todos eram corruptos, vagabundos e vigaristas. Seria fácil, mas não, não somos assim. Não somos como eles. O petismo trouxe consigo a forma mais vil de fazer política na história deste país. Tentou corromper a tudo e a todos. Tentou comprar corações e mentes. O Brasil não é uma pátria nazista. Nem será. Que se calem os petistas e saiam do governo. Não destruam o Brasil. O Brasil é formado por gente séria, honesta, ética e trabalhadora. Queremos paz, justiça e futuro.

 

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

 

*

ABRAÇO DE AFOGADO

 

A presidenta Dilma não está mais conseguindo nadar neste mar de lama. Já está quase se afogando. Se não conseguir mesmo, vai dar sem dúvida o abraço do afogado em Lula. Aliás, já se aproximou dele. É o que falta.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

*

AFUNDADA EM NEGOCIATAS

 

A sociedade brasileira tem sua esperança afundada em negociatas. Ao mesmo passo que exige que a classe política tenha o devido tratamento perante a lei, depara-se com os mais diversos acordões, como o recém alinhamento entre o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e, como não poderia faltar, Dilma Rousseff. A estratégia é de união dos investigados para promover o “bem geral”. Lula e Dilma articulam a segurada de ânimos dos parlamentares petistas, que pedem a cabeça de Cunha, e, em troca, o processo de impeachment contra Dilma mofará numa enorme gaveta. Janot é o intermediário dessa zorra. O ex- presidente Fernando Henrique Cardoso foi muito otimista, em entrevista ao programa “Roda Viva” (26/10), quando disse que as instituições e o povo andam com passadas diferentes. Na verdade, vivem é realidades totalmente distintas: de um lado, uma maioria rigorosamente submetida a leis, punições e taxações; do outro, há uma festa que parece não ter fim.

 

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

 

*

CUNHA E O IMPEACHMENT

 

A área jurídica da Câmara deu parecer favorável à abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, tendo como suporte e fundamento principal a repetição das pedaladas fiscais no exercício de 2015. Está, pois, nas mãos de Eduardo Cunha, presidente da Câmara (PMDB-RJ), o despacho que poderá iniciar o processo de impedimento de dona Dilma. Entretanto, Cunha poderá querer fazer trocas com o procurador-geral da República no sentido de que este não deveria pedir o seu afastamento da presidência da Câmara, o que é negado veementemente por ele. O desenrolar do caso terá, ainda, muitos capítulos e senões, podendo ou não acentuar a reprovação que o povo está demonstrando pelo tema.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

O TODO-PODEROSO

 

Eduardo Cunha, agarrado ao cargo igualzinho a um casal apaixonado, parafraseia Jesus e diz em alto e bom som: “Quem não for pecador (neste caso, em particular, ladrão e/ou desonesto), que atire a primeira pedra”. Eis, então, que se viu diante de 512 manetas. E agora?

 

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

A HORA E A VEZ DE RODRIGO JANOT

 

Se Janot recomendar o afastamento de Eduardo Cunha, Cunha, por sua vez (em represália), dará início ao processo de impeachment contra Dilma. Aqui entre nós, Janot está esperando o quê?

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

O LIMITE DO PODER

 

O presidente da Câmara dos Deputados goza de um poder ilimitado. Mas determinadas questões não deveriam depender apenas da sua vontade ou interesse. Como aceitar, por exemplo, o comportamento dele, se vai pautar ou não projetos os mais diversos ou os requerimentos de impeachment contra a atual presidente? Ele tende a decidir levando em conta interesses pessoais, pois há muitas acusações de irregularidades que cometeu, conforme investigações de organismos públicos. Por outro lado, não se notam manifestações contra o autoritarismo das suas manifestações em relação às duas questões. Até quando essas situações vão persistir?

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

*

‘É HORA DE DESPEDIR CUNHA’

 

O editorial de 22/10 do “Estadão” intitulado “É hora de despedir Cunha” resume, com total propriedade, a absurda e aberrante situação institucional imposta à sociedade brasileira por caso tão grotesco. É importante ficar claro que, sem chance de pré-julgamento, o caso do presidente da Câmara não é de política, e, sim, de polícia, tendo em vista que o volume e o detalhamento dos fatos amplamente divulgados não permitem mais tratá-lo como um simples acusado. Discordo, porém, da posição do jornal, do restante da imprensa e, enfim, de quase todos os setores “pensantes” quanto à dependência da vontade do próprio malfeitor e de seus comparsas congressistas, como única forma de afastá-lo da presidência da corte legislativa. Não pode e não deve ser assim! É muito conformismo, muita complacência! Com a palavra, o Poder Judiciário (STF), que dispõe de dados mais que suficientes para afastar imediatamente a conturbada figura do comando do legislativo, fazendo valer o seu papel como garantidor do estado de direito. Ao deixar de fazê-lo, assume toda a responsabilidade pela atual paralisia do poder legislativo, decorrente da falta de legitimidade de seu comandante, e das graves consequências que este apagão vem provocando ao País em momento tão crítico das crises econômica e política. A tal independência dos poderes não pode ser evocada como justificativa para o não posicionamento firme do Judiciário, uma vez que os crimes cometidos pelo réu não estão relacionados à atividade legislativa. Quanto à imprensa, mais do que apenas informar e lamentar tais absurdos das instituições brasileiras, cabe papel bem mais relevante, direcionando seus poderosos holofotes não só para os próprios malfeitores, mas, principalmente, aos responsáveis pela aplicação da lei, de forma a forçá-los a deixar a penumbra do imobilismo.

 

Lineu Fernandes Silveira silver0@uol.com.br

Ribeirão Preto

 

*

FREIOS E CONTRAPESOS

 

A sucessão de notícias dando conta do aprofundamento da crise nacional mostra-nos um Poder Executivo totalmente imobilizado pelo Poder Legislativo, mais especificamente pela Câmara dos Deputados. E, ao que tudo indica, assim permanecerão as coisas, pois se acredita na morosidade do Poder Judiciário, entenda-se, o STF. O presidente da Câmara dos Deputados, mirando a situação do presidente do Senado – igualmente investigado por possível participação nas falcatruas descobertas pela Operação Lava Jato – e com denúncia já recebida no STF por outras ocorrências no passado, que lhe fizeram deixar a presidência do Senado anteriormente, continua inabalável. Por que o deputado Eduardo Cunha iria se sentir abalado com o oferecimento de denúncia pela Procuradoria-Geral da República (PGR)? Há notícias sobre documentos e mais documentos sobre contas no exterior, de titularidade e/ou como beneficiário o presidente da Câmara dos Deputados e familiares, mas não há notícias de oferecimento de nova denúncia por força desses mesmos fatos. Se o STF e a PGR agissem com mais noção de “timing”, exigida por suas responsabilidades institucionais, bem possivelmente saberíamos que cadeiras seriam movidas numa tentativa de desfazer a presente paralisia. Se dois Poderes de Estado estão sem funcionar, o Poder Judiciário aja para fazê-los moverem-se em prol do interesse nacional. Pessoas sem emprego ou com salários reduzidos não têm para onde correr. Um pouco de consciência social, pelo amor de Deus!

 

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo

 

*

QUESTÃO DE TEMPO

 

Em verdade, em verdade vos digo que os políticos que ainda não estão sendo investigados o serão, é uma questão de tempo. A presidente Dilma está nas mãos do presidente da Câmara federal, Eduardo Cunha, que já tem parecer para dar início ao processo de impeachment da presidente. Enquanto isso, o Conselho de Ética recebe representação contra Cunha, não havendo no momento ninguém tão otimista que não veja no futuro um caminho que não seja o da cassação, caso ele não renuncie para preservar seus direitos políticos. Esses envolvidos em todo tipo de falcatrua são os mesmos que temos para implementar as mudanças que possam colocar o País no rumo do desenvolvimento. As demais notícias indicam que Pizzolato já está extraditado para o Brasil; e José Maria Marin será extraditado para os Estados Unidos. Finalmente, a Polícia Federal pretende quebrar o sigilo do filho de Lula. “Ó tempos, ó costumes” (Marco Túlio Cícero).

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

PARA ONDE VAI O CONGRESSO NACIONAL?

 

Como podem estes cidadãos, eleitos para representar o povo brasileiro, aventar possibilidades absurdas como aceitar o caixa 2 ou o repatriamento de dinheiro depositado escusadamente no exterior, como se ninguém soubesse que essa grana toda limpa não há ser?! Infelizmente, são tempos de desgraça moral os que estamos vivendo, quando a maior de todas as nossas perdas se concentra na falta de vergonha na cara, na inexistência da honradez e até no desaparecimento da solidariedade humana, que desertaram das hostes políticas. Parece que só elegemos gente da mais ordinária categoria, interessada apenas em nos explorar até o fim o sangue, para enriquecerem sem o menor esforço! Nós estamos fartos, desesperançados, infelizes, mas a eles só interessam o poder e o dinheiro. Ainda que tenham de continuar a sangrar a Pátria até os estertores. Estamos nos tornando uma gente violenta, sem paciência, infeliz, grosseira, não suportamos mais tanta vilania. E já fomos um povo gentil, animado, cheio de esperanças... Agora, tudo está sepultado na deslavada pouca-vergonha com que agem, vivem, falam e se defendem nossos administradores. O Brasil está se finando nas mãos negras de corruptos e corruptores. Resta-nos pedir a Deus que tenha misericórdia dos que pagam a farra dos políticos brasileiros, porque nós também estamos morrendo de diversas formas. Em breve, talvez sobrem apenas carcaças de um país que, um dia, tinha futuro no horizonte e força para continuar a lutar, mas ainda assim, com certeza restarão políticos para corroer os últimos ossos, as cinzas, tudo. Porque os ratos sobrevivem sempre.

 

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

 

*

PORTE DE ARMAS NO BRASIL

 

A Comissão Especial do Desarmamento na Câmara dos Deputados aprovou a flexibilização das regras para a compra de armas, posse, porte e a idade. Na prática, o Brasil já é um faroeste; com essa medida, estará oficializado. Está tudo liberado! Como vai ficar?

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

AUTODEFESA

 

Parabéns aos deputados que compõem a comissão especial que aprovou o fim do Estatuto do Desarmamento. Até que enfim fizeram alguma coisa em benefício do cidadão de bem.

 

Arnaldo Luiz de O. Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

 

*

DIREITO DO CIDADÃO

 

Parece que houve um minuto de lucidez na comissão especial da Câmara que aprovou por 19 votos a favor e 8 contra o projeto que revoga o Estatuto do Desarmamento e cria, no lugar, o Estatuto de Controle de Armas de Fogo. Este assegura a todo cidadão maior de 21 anos o direito de ter e portar armas de fogo para defesa própria, de seus familiares e do seu patrimônio. Na verdade, isso executado, os únicos que se preocuparão de fato serão os bandidos, pois quem será favorecido com o fator surpresa seremos nós, portando uma arma legalmente. Logicamente, preenchendo todas as exigências.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

DESARMAMENTO

 

Atualmente, no Brasil, de cada 100 homicídios, somente 8 ou menos são solucionados e viram inquérito (8%!). O criminoso/homicida, mesmo que acabe te matando, tem 92% de chance de não ser punido. São quase 60 mil homicídios por ano no Brasil, mais que toda a Guerra do Vietnã. E o governo tem a cara de pau de dizer que você não precisa de uma arma para se defender.

 

Fabio Morganti Tao2@terra.com.br

São Paulo

 

*

ESCÂNDALO

 

O ex-presidente FHC disse que “armar população é escândalo”. Escândalo é o Estado deixar a população à mercê da bandidagem e sem proteção policial. Escândalo é o Estado não controlar a entrada de armas pelas nossas fronteiras e que chegam às mãos da marginalidade. Escândalo são manifestações infelizes de quem deveria estar calado.

 

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

 

*

TIRO NO PÉ

 

Às vezes, o ex-presidente FHC faz declarações que são “um escândalo”. Presidente,  a quem interessa o desarmamento? Não vai pensar e errar novamente no diagnóstico, “eles” não vão enforcar com a própria corda! Lembra? Do discurso em Paris?

 

Yotio Sato yotio.sato@terra.com.br

São Paulo

 

*

GOVERNO ALCKMIN

 

O governador Geraldo Alckmin, não satisfeito com perder a eleição para o poste, ajudar a oposição a ser situação e ter uma das maiores rejeições em pesquisas, vem fazendo força para piorar cada vez mais. Primeiro, a segurança zero no Estado, onde roubos e mortes (na Via Anchieta, por exemplo) são pontuais – acontecem quase todos os dias, mas são pontuais. Minha mulher e minha filha quase morreram lá, mas seriam pontuais, sem importância (?). Agora, escolas serão fechadas, como se o Estado tivesse escolas demais. Já temos água demais! Que será amanhã? Os postos de saúde, certamente, pois nossa saúde vai muito bem, obrigado. O pior é que não se vê luz no fim do túnel, isto é, novos políticos confiáveis.

 

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

 

*

REORGANIZAÇÃO ESCOLAR

 

Governador Alckmin, a ideia de reorganização da rede estadual de ensino, na minha opinião, é de um grande salto no ensino fundamental, e só  professores, alunos e pais induzidos por sindicatos comandados pelo PCB e pelo PT tentam desqualificar a iniciativa. E isso na tentativa de tirar o foco do governo Dilma e de seu padrinho, cujo mote “Pátria Educadora” poderia ser “Pátria da Roubalheira”. Governador, como nada pode ser dito contra sua ética e moral, esta turma tenta desqualificá-lo de todas as maneiras. Minha única ressalva quanto à aplicação do plano de reorganização é que talvez tenha faltado informação aos maiores interessados, ou seja, os pais dos alunos, e aplicar o plano em escala, pelas diretorias de ensino. Sindicatos como a Apeoesp, teoricamente formado por professores, serem radicalmente contrários à iniciativa sem ao menos apresentar soluções é bastante lamentável. Para estes ditos professores, dá a impressão de que a ideologia socialista marxista está acima dos interesses de uma nação, com melhor educação e cultura, cujo povo estará apto a avaliar seus governantes.

 

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

 

*

PRÓS E CONTRAS

 

Sindicato, professores, alunos e pais de alunos estão reclamando da reorganização do ensino público estadual proposta pelo governo de São Paulo. Essa reclamação é política ou técnica? Eles estão defendendo seus interesses pessoais ou o bem comum? O Estado, com as mudanças, conseguirá oferecer educação para todos os alunos de forma menos onerosa ou, para economizar, irá prejudicar o ensino? Será que a mídia poderia deixar os mi mi mis, blá blá blás e vaias de lado e comentar o assunto de forma mais racional e com mais objetividade, para que possamos formar um juízo de valor mais coerente? Adoraria ler sobre os prós e contras a respeito do assunto, em comentários elaborados por pessoas especializadas na área e sem cunho político.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

*

LÓGICA DE UM SISTEMA

 

O fechamento das escolas no Estado, inclusive as de melhor desempenho, expõe a lógica deste sistema que fecha escolas, quer reduzir a maioridade penal e flexibilizar o Estatuto do Desarmamento... partes de um todo muito bem costurado.

 

Maria Isis Meirelles Monteiro de Barros misismb@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

 

*

EXTRADIÇÃO DE MARIN

 

José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), poderá ser extraditado para os Estados Unidos. Para ficar em prisão domiciliar, Marin terá de pagar R$ 38 milhões de fiança naquele país. Pelo que se ouve dizer, porém, para José Maria Marin R$ 38 milhões é dinheiro de pinga.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

PRISÃO DOMICILIAR

 

A esta altura do campeonato, em meio aos escandalosos imbróglios de corrupção milionária no mundo do futebol, cabe perguntar: de onde vêm os US$ 10 milhões que José Maria Marin aceitou pagar de fiança para permanecer em prisão domiciliar nos Estados Unidos?

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

BANDEIRA NACIONAL

 

Hoje vou tocar num assunto que me incomoda desde a minha juventude: trata-se de nossa Bandeira Nacional. Considero-a linda e bem representativa.  Entretanto, minha preocupação se refere à posição das estrelas no círculo azul. Como todos sabemos, as estrelas representam os Estados brasileiros e o Distrito Federal. A estrela acima do dístico “Ordem e Progresso” representa o Estado do Pará, mas hoje muita gente acha que representa o Distrito Federal.  As demais estrelas, cada uma, representam um Estado. Quantos brasileiros sabem que estrela representa seu Estado? Eu, como carioca que amo meu Estado e meu país, não faço a menor ideia de qual estrela representa o Estado do Rio de Janeiro. Mas o que mais me incomoda é a disposição das estrelas. Quem é capaz de colocá-las corretamente? “Muito simples: as estrelas reproduzem o céu do Rio de Janeiro no dia 15 de novembro de 1889!”. Fácil, não é? Daí a minha sugestão audaciosa, que nunca tive coragem de apresentar, mas que, agora, aos 85 anos de idade, acho que vale a pena tentar, sem mesmo saber se será publicada esta carta. Substituamos todas as estrelas da metade inferior do círculo pela imagem única do Cruzeiro do Sul, que já lá está, e não toquemos na estrela isolada da metade superior. Quanto à interpretação, passaria a ser a de um país do Hemisfério Sul representado pelo Cruzeiro do Sul, com algum território no Hemisfério Norte, representado pela estrela única acima da faixa. A bandeira ficaria mais bonita, fácil de ser reproduzida por qualquer brasileiro de cultura média e fácil de ser interpretada. Evidentemente, a localização da faixa e das estrelas poderia ser aperfeiçoada.

 

Ronaldo Gabeira Ferreira rgabeira@terra.com.br 

Rio de Janeiro

 

*

MUDANDO DE ASSUNTO

 

Para sair da mesmice dos assuntos comentados nesta seção e descontrair um pouco, e já que atribuíram às linguiças, salsishas e embutidos o mesmo risco cancerígeno a que somos expostos pelo cigarro, que sejam criadas áreas nos bares, restaurantes e afins aos consumidores desses produtos. Afinal, tenho o direito de não ser um consumidor passivo. Sugiro, também, a fabricação da salsicha eletrônica.

 

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.