Fórum dos leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2015 | 02h55

Competência e dignidade

De um ocupante do cargo de ministro da Justiça se espera, ao menos, competência sobre os assuntos da área e dignidade pessoal. Quando o ministro José Eduardo Martins Cardozo, agindo de ofício, interpela o diretor-geral da Polícia Federal acerca de presumida ilegalidade no ato de intimação de Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, demonstra ausência de competência mínima para o exercício da função. E quando deixa de agir nos limites dos deveres que seu cargo impõe, ao ter conhecimento da ameaça pública feita pelo ex-presidente Lula de pôr na rua “o exército do Stédile”, líder do MST, para coibir as pacíficas e legítimas manifestações contra a corrupção nos governos petistas, mostra que lhe falta também a necessária dignidade para ocupar tão grada missão.

SERGIO SARAIVA RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

O discurso e a prática

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, fez muito bem em dizer que não controla a Polícia Federal nem manda ou deixa de investigar A, B, C ou D. Mas fez muito mal em pedir esclarecimentos à mesma Polícia Federal sobre a intimação do filho caçula do ex-presidente Lula, no âmbito da investigação sobre a compra de medidas provisórias, feita às 23 horas no dia do 70.º aniversário do pai. Aliás, bela contradição entre o discurso e a prática. Fosse eu, um simples mortal, o inquirido nas mesmíssimas condições, jamais teria a honra de ver a intervenção do ministro de Estado da Justiça a meu favor.

LUIZ FRANÇA

luizfgf.adv@gmail.com

São Paulo

Função do ministro

Lula revoltou-se com a atuação do ministro Cardozo porque se acostumou, em sua época, com o dr. Márcio Thomaz Bastos, cuja atuação foi sempre como a de advogado do governo, resolvendo e abafando todas as complicações criminais que apareciam. Para Lula, o antigo ministro era bem mais útil.

FERNANDO PADOVESE

fpadovese@uol.com.br

São Paulo

Ironia

Mais uma vez, o (ex)presidente Lula escancara a sua face debochada ao ironizar as ações da Polícia Federal sobre a sua prole. Ao fazer isso, Lula se esquece do alto grau de rejeição popular que vem apresentando juntamente com sua pupila e afronta até mesmo aqueles que nele votaram. Vamos ver quem debochará mais e melhor em 2018.

CESAR ARAUJO

cesar0304araujo@gmail.com

São Paulo

‘Lulla’ e filhos

Cheguei à grave conclusão de que eu nunca soube escolher os meus amigos e os padrinhos dos meus filhos. Coitados dos meus filhos, nenhum deles mora sem pagar aluguel nem tem padrinhos assim como os delles.

DEBORAH MARQUES ZOPPI

dmzoppi@uol.com.br

São Paulo

Ô, coitado

Luís Cláudio Lula da Silva, alvo da Operação Zelotes, mora de favor num prédio nos Jardins, então, grosso modo, ele também é um sem-teto.

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

LULOPETISMO

Quem governa

Impressiona a foto na primeira página do Estadão de ontem: o sr. Lulla, um cidadão comum, sem mandato outorgado pelas urnas, usufruindo as benesses de um jantar de trabalho no Palácio da Alvorada. Pela disposição da foto nota-se claramente uma senhora cabisbaixa, isolada e sem rumo se afastando do grupo comandado por elle. Certamente a pauta foi indigesta. A sra. Dilma Rousseff está ficando sozinha nesse barco furado.

LUIZ A. DE ANDRADE MELLO

luizaamello@ig.com.br

São Paulo

A grande questão

A solução para um enigma histórico pode estar na ponta da língua dos baluartes da democracia: por que aqueles que dizem ter lutado tanto na juventude por um País melhor não fizeram a diferença no poder?

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Cortando as flores

Para o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, que determinou o afastamento do general Mourão do Comando Militar do Sul só porque este andou dizendo umas verdades sobre a presidente Dilma Rousseff e a maioria dos políticos brasileiros: “Podes cortar as flores, mas não podes impedir a primavera de aparecer” (Pablo Neruda, poeta).

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

Inquietação na caserna

Em que pese vivermos, por enquanto, num dito Estado Democrático de Direito e termos um comunista como ministro da Defesa, é, no mínimo, curioso que um general de Exército demonstre suas preocupações com o estado lamentável, sob todos os aspectos, em que nos encontramos. A demissão do general de seu comando já começa a dar claríssimos sinais de divisões (de opiniões) na caserna. A conferir novos affairs verde-oliva.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek @gmail.com

Avanhandava

PREFEITURA

Indústria das multas

O Tribunal de Contas do Município (TCM) reprovou o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), por usar a receita arrecadada com multas de forma ilegal, desrespeitando o Código de Trânsito Brasileiro e lei municipal. Só em 2014 foram arrecadados astronômicos R$ 900 milhões em multas pela CET. Tal quantia deveria ser utilizada obrigatoriamente em educação, segurança e melhorias das condições de trânsito, o que não foi feito. Aponta ainda o TCM a total falta de controle e acompanhamento do valor arrecadado com multas pela Prefeitura. Haddad incentiva e fomenta a indústria das multas da CET com a redução da velocidade máxima para ínfimos 50/40 km/h na cidade e ainda usa os milhões de reais arrecadados de forma ilegal e com desvio de finalidade, o que é inaceitável.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Halloween

Presente no Dia das Bruxas do prefeito Fernando Haddad, do PT, para São Paulo: vai mandar retirar todos os muros dos cemitérios da cidade. Buuuu!

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

PESSOAS PÚBLICAS, CONDUTA ILIBADA

 

Petistas e a família da Silva estão indignados, argumentando que a batida que a Polícia Federal deu no escritório de um dos filhos de Lula e a entrega de intimação durante a noite para que ele depusesse estão sendo uma perseguição ao ex-presidente Lula e uma tentativa de queimar sua imagem e seu legado. Bom, de seu legado estamos tendo uma amostra funesta; e, quanto aos seus filhos, por serem filhos de quem foi a mais alta figura pública na Nação, não poderiam ter-se dado ao desfrute de agirem de modo a levantar suspeitas e certezas de enriquecimento ilícito. Afinal, quanto maior o cargo, maior a responsabilidade de agir com lisura e ética. A lista de imóveis dos quais usufruem e que estão em nomes de laranjas pode ser encontrada na internet em sites respeitáveis. É só buscar.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

CIDADÃOS INCOMUNS?

 

O filho caçula de Lula, Luis Cláudio Lula da Silva, foi notificado a prestar depoimento, sobre o caso da compra de medidas provisórias, na terça-feira, às 23 horas. O “cara” achou uma afronta tal procedimento. Se isso pode acontecer conosco, cidadãos comuns, por que com eles não? Qual a diferença e que privilégios eles têm? Perante a lei não somos todos iguais? Isso fez com que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, cobrasse imediatos esclarecimentos do diretor-geral Polícia Federal, Leandro Daielo.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

INVESTIGAÇÕES

 

Em reunião da cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT), Lula reclamou do volume das investigações sobre políticos aliados, seus familiares e outros suspeitos de cometimento de ilícitos. Em linguagem que lhe é peculiar, esbravejou: “Porra, quando isso vai parar?”. Sossegue, senhor ex-presidente. Juízes e procuradores da Justiça federal já nos alertaram de que há muita coisa a ser investigada, em razão do número imenso de desvios praticados por quem age contra a lei. Investigar é um dever de ofício de todas as autoridades constituídas, cujo mister é defender os maiores interesses da Nação.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

 

*

CHICOTEADO

 

Luiz Inácio desrespeita tudo e todos. Depois de ironizar a busca da Polícia Federal na empresa de seu “sortudo” rebento, afirmou que, se ainda existisse pelourinho, ele estaria sem pele nas costas. Acho um tremendo desrespeito tal referência à história brasileira e aos escravos que eram banalmente chicoteados no pelourinho de Salvador. Se este senhor está sendo “chicoteado”, é porque ele fez e faz por merecer. Antes da reeleição, ele e o partido tinham um discurso, agora ele admite que mudaram as “ações”. A Polícia Federal estava investigando porque eles municiaram e deram condições para isso. O pobrezinho septuagenário e milionário graças às “concorridas” palestras contratadas por empreiteiras por módicos milhões de reais – por incrível coincidência, todas citadas e sendo condenadas na Operação Lava Jato. Parafraseando o ex-rei Juan Carlos: por que não se cala, presidente?

 

Renato Amaral Camargo natuscamargo@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

AS DECLARAÇÕES DE LULA

 

Em defesa da prole, Lula ataca a Polícia Federal e o Ministério Público Federal com verborrágicas explosões psicóticas.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

SUSPEITAS

 

Lula declarou, sobre as denúncias contra seu filho: “Ainda tenho mais três filhos que não foram denunciados e sete netos”. E eu lhe digo: não tenha pressa, presidente, que a Polícia Federal chega lá.

 

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

 

*

LA FAMIGLIA

 

Al Capone só foi preso quando foi revelada a sonegação de impostos. 84 anos depois, no Brasil, La Famiglia começa a ser esmiuçada pela Receita Federal. Está chegando a hora!

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

PENA

 

Em discurso esta semana, Lula foi enfático: “Não precisam ter pena de mim”. Nunca antes no Brasil ouvimos uma declaração tão coerente e honesta dele. Finalmente, parabéns, Lula. Eu jamais sentirei pena de sua santidade, sentirei desprezo, raiva, indiferença e vergonha.

 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

 

*

DEUS E O DIABO NA TERRA BRASILIS

 

A trajetória de Lula vai do endeusamento do retirante pau-de-arara que virou presidente da República à sua demonização, suspeito de envolvimento direto nos maiores imbróglios de corrupção da história deste país. Ao deixar o governo, em 2011, o petista gozava de inacreditáveis 83% de aprovação popular. Em pouco mais de quatro anos, pesquisa feita neste ano diz que 54% dos eleitores não votariam nele “de jeito nenhum”. Números falam por si, pois não?!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

A VIDA EM RISCO?

 

O ex-presidente Lula disse que vai “sobreviver”. É lógico, no Brasil não há pena de morte.

 

Hoover Americo Sampaio hoover@mkteam.com.br

São Paulo

 

*

‘EU SOBREVIVEREI’

 

E que sobreviva mesmo, para que haja tempo de pagar pelos seus atos e maus exemplos.

 

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

 

*

SOBREVIVÊNCIA

 

Desta vez não tenho como não concordar com Lula. Sim, o senhor vai “sobreviver”. Como qualquer outro cidadão brasileiro, que, acusado, terá direito à ampla defesa e a um julgamento justo, pois ainda vivemos numa democracia, e não em países como os de seus amigos bolivarianos.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

COBRAS, LAGARTOS E PALAVRÕES

 

O ex-presidente Lula provou que realmente é “o cara” das palestras milionárias. Ao menos em vitupérios, ironia e cinismo. Em total descontrole, utilizando-se de palavras de baixo calão, o “palestrante de ouro” deixou cair de vez a máscara quando da reunião do Diretório Nacional do PT.  Depois dessa sua ignóbil apresentação, alguns empresários contratantes estão cogitando em somar às exigências do palestrante, de iate para pescarias e caixas de uísque importado, uma resistente camisa de força.

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com 

São Paulo

 

*

LULA, O INCONSISTENTE

 

Ultimamente, a opinião de Lula vem oscilando entre extremos de maneira impressionante. Criticou Dilma Rousseff e o PT por estarem “no volume morto” para, depois, voltar a defender a presidente e criticar o povo brasileiro porque algumas pessoas nasceram com complexos “de vira-lata, e pessoa de segunda categoria”. Criticou o ajusta fiscal, pois “não tem um país que tenha feito ajuste e tenha melhorado a economia”. Mais tarde, defendeu a mesma política, pedindo “aprovar as medidas que Dilma mandou para o Congresso Nacional” e também a volta de aumento de consumo, modelo econômico que a própria Dilma descartou. Não mudou sua opinião, entretanto, sobre culpar o irresponsável sistema financeiro internacional pelo desastre econômico brasileiro; sobre a necessidade de substituir o ministro da Justiça que não controla a Polícia Federal, que, por meio da Operação Zelotes, pode ensinar os brasileiros como se tornarem “Ronaldinhos” dos negócios.

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

UMA LÍDER MANIPULADA

 

Até quando teremos de aguentar o ex com suas declarações incoerentes, achando-se o principal “comandante” do País? O mais triste é que a pseudopresidente manipulada é incompetente e acata tudo como se fosse o melhor para o País. Haja falta de critérios!

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

O PT E EDUARDO CUNHA

 

Quando vemos notícias de que o PT resolveu não “prejulgar” Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, mesmo com todas as evidências de seu envolvimento no petrolão, chegamos à conclusão de que é quadrilha defendendo quadrilha. Como o povo brasileiro abriu a guarda e permitiu que toda esta bandidagem fizesse parte do futuro de nossa nação? Quando entenderão que o governo faz parte de nosso quintal e que, se permitirmos que bandidos o acampem, nossa casa estará em perigo? Até quando o povo brasileiro permitirá que ditas figuras dirijam nosso país?

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

SEM PUDOR

 

Para fraudar a Nação, o PT já fez acordo com Paulo Maluf e está fazendo, agora, com Eduardo Cunha. Trata-se de um partido sem pudor.

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

 

*

MORALIDADE VARIÁVEL

 

A moral e a ética do lulopetismo variam no tempo e no espaço, sendo atualmente demonstradas de acordo com as conveniências e oportunidades. Eis que o enquadramento dos petistas no lema de que não devem participar da cassação de Eduardo Cunha, presidente da Câmara, é um exemplo típico do samba em que se tornou a ética e a moral da agremiação partidária. Se é imoral, mas interessante, vale. Se é moral, mas inconveniente, deve ficar de lado. E, assim agindo, o lulopetismo chegou até a atualidade, inexistindo partido político que seja mais atacado e combatido que o PT, seu suporte e massa de manobra. Quanto tempo ainda poderá sobreviver?

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

MILITÂNCIA

 

A militância do PT faria melhor se, em vez de perpetuar o discurso obsoleto e enfadonho de que toda a pressão que o partido sofre atualmente é fruto da elite inconformada e da mídia entreguista, cortasse as ervas daninhas, elegesse novas lideranças e recomeçasse do zero. Difícil.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

O BRASIL DEPENDE DE CUNHA

 

Não há nada que impeça Cunha de dar andamento ao impeachment de Dilma Rousseff no Congresso e nada que impeça o Congresso e o PT de caçar o cargo de deputado de Cunha. Exceto o próprio Cunha, que segura um, obrigando o PT a segurar o outro, ambos correndo enorme risco. Se perder o mandato, o deputado seria julgado pela Justiça comum, e não pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No Supremo, o processo duraria algo como dez anos, até a sentença, com a possibilidade de cancelamento quando o deputado completar 70 anos. Enquanto isso, ele poderia ter novos mandatos até o fim da vida, como estão fazendo os outros parlamentares com investigações e ações há anos no Supremo. Entretanto, se cassado, irá para Justiça comum e poderá ter uma temporada na Papuda e os bens arrestados. Se não cassado, seu benefício de “foro privilegiado” permitiria continuar levando uma vida boa e pagar advogados caros para defenderem sua mulher e filha. Dilma cassada perderia o poder e voltaria a ser civil, podendo ser processada na Justiça comum, o que ela teme. O PT perderia o comando do País e “adeus Lula”. Nunca o País esteve numa situação igual, tudo dependendo de “Cunha”. Ele tem razão em querer manter-se com foro privilegiado. Nos últimos quase 30 anos, desde a Constituição de 1988, o Supremo Tribunal Federal processou cerca de 500 congressistas acusados de atos criminosos, condenou apenas 16 e somente 8 cumpriram pena. Daí a necessidade fundamental de Cunha manter-se deputado e, para tanto, segurar o impeachment de Dilma, até que algum milagre aconteça. Enquanto isso, a terrível crise na economia brasileira fica para depois. O Brasil inteiro aguarda o próximo movimento de Cunha.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

ESCÁRNIO

 

O deputado Eduardo Cunha acha graça dos que estão de joelhos aos seus pés, ri do Brasil e debocha do Congresso Nacional, atitude que expõe o desatino de negociar um impeachment a qualquer preço.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

O CARÁTER DO CONGRESSO

 

Aproveitar-se da fragilidade do governo para, dia a dia, aprovar medidas de visível retrocesso na área dos direitos humanos e garantias individuais revela o caráter duvidoso deste Congresso Nacional, que tem feito tudo para beneficiar aqueles a quem representam. A despeito de lutas e direitos já consumados, ninguém está a salvo. Socorro, “chamem o ladrão”.

 

M. Isis Meirelles Monteiro de Barros misismb@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

 

*

O FIM DO ESTATUTO DO DESARMAMENTO

 

Facilitar o porte de armas no Brasil quando um governo está em plena crise de credibilidade, que põe em risco um projeto de perpetuação no poder, em razão das graves denúncias capazes de gerar impedimentos e cassações de mandatos, além de férias forçadas na Papuda, tudo temperado com palavras emitidas com despreparo emocional ou má-fé chamando a atenção para suposto golpe, será apenas mera coincidência? Ou será  que  algo de muito estranho está em gestação no reino tupiniquim?  

 

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

 

*

DESARMAMENTO

 

A verdade é que o governo já tem há tempo todas as leis necessárias para retirar as armas ilegais da circulação e não o faz por incompetência. Então fica fácil escolher como a origem dos problemas o cidadão honesto, treinado e legalizado que queira ter o direito de se proteger com uma arma. Sendo que ate hoje, de 100 homicídios, somente 8% ou menos são resolvidos/esclarecidos e punidos, e ao cidadão resta esperar a vez dele.

 

Fabio Morganti tao2@terra.com.br

São Paulo

 

*

DIREITO DE DEFESA

 

O Estatuto do Desarmamento reduziu o número de mortes dos bandidos, e não da população. Tem de se autorizar a compra de arma, sim, porém exigir comprovação de curso de manuseio e de tiro antes de emitir a autorização de porte.

 

Arcângelo Sforcin arcangelosforcin1@gmail.com

São Paulo

 

*

ESCÂNDALO

 

Foi muito infeliz a declaração do ex-presidente FHC de que armar a população “é um escândalo”. Para ele, que hoje tem à sua disposição dois seguranças da Polícia Federal e um motorista, sem ônus algum, é lógico, porque não precisa de segurança. Agora, privar o cidadão de bem de possuir uma arma é tolher o direito do cidadão de defender a si próprio e a família. É fazer aquilo que o Estado não faz: prover segurança aos cidadãos.

 

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

 

*

UMA QUESTÃO DE LIBERDADE

 

Fernando Henrique Cardoso é indiscutivelmente um grande estadista e homem público, que contribuiu muito para o País, e, portanto, tenho por ele o maior respeito, mas isso não quer dizer que aprovo 100% de suas teses. O caso do Estatuto do Desarmamento é um deles. Da mesma forma que ele apela para que o Congresso derrube o PL 3.722, eu e a maioria dos brasileiros apelamos para que os congressistas devolvam ao cidadão de bem o pleno direito de se defender. O Brasil tem legislação penal frouxa e polícias que trabalham acorrentadas por amarras legais ridículas, e, associado a isso, uma população absolutamente vulnerável e indefesa, o que é um prato cheio para a criminalidade. Nada mais justo do que devolver ao cidadão o direito de defender-se, de defender os seus e seu patrimônio. Quanto maior é a regulação do Estado, menor a liberdade do cidadão.

 

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

 

*

FUNDO PARTIDÁRIO

 

Diante da crise que exige sacrifício de todos, também a classe política tem de participar, reduzindo a dotação destinada ao Fundo Partidário. Para tal, basta, na elaboração do orçamento para 2016, retornar aos R$ 289,5 milhões a destinação do recurso público específico aos partidos políticos. Foi, mesmo diante da reinante situação de arrocho, quando se cogitava reduzir despesas que aconteceu a absurda elevação de R$ 289,5 milhões para R$ 867,5 milhões anuais. Não podemos admitir a insensibilidade da classe política com tamanhos dispêndios, quando inexistem recursos até para amenizar os precários serviços essenciais (educação, saúde, segurança, infraestrutura...).

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 

*

NOVO PRÉDIO NO CONGRESSO

 

Diante de tantos rombos nas contas públicas, pedaladas fiscais, canalhice por todos os lados, mentiras deslavadas, políticos com “cara de paisagem, como se não fosse com eles”, etc., a Câmara e o Senado ainda vão construir um novo edifício para abrigá-los, com garagens subterrâneas, um shopping center no térreo e salas com maior metragem para os ditos-cujos no valor “estimado” de R$ 380 milhões? É sensato e mais lógico contratar uma empresa de engenharia bem conceituada em todos os sentidos no mercado, para o projeto de retrofit e que está sendo implantado com muito êxito em inúmeros edifícios comerciais em São Paulo. Não há necessidade alguma de uma nova obra megalomaníaca, haja vista como funciona o sistema em outros países. Esta sugestão não tem nada que ver com a economia do País estar derretendo, indo para o ralo, mas, sim, por mero bom senso no uso do dinheiro público, que vem de nós.

 

Maria Luisa Passerini marialuisa@jcpasserini.com.br

São Paulo

 

*

NOJO DESTA CLASSE

 

Construir um anexo da Câmara dos Deputados no valor de R$ 400 milhões é uma afronta aos brasileiros, principalmente aos menos favorecidos, que nem hospital têm para executar uma cirurgia de urgência. Vergonha e nojo destes que nos representam e que só olham pelos seus interesses e seu próprio bem estar.

 

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

 

*

PT-PMDB

 

O vice-presidente, Michel Temer, do PMDB, sempre em cima do muro, na edição de ontem do nosso “Estadão”, manifesta, de maneira sublimar, se o PT irá formar com o partido chapa nas eleições municipais em 2018. O sr. Temer demonstrou mais uma vez o seu apoio integral ao conluio existente entre PT e PMDB na sustentação e apoio ao governo destruidor do Brasil, dirigido por Lula e Dilma. PMDB, PDT, PR, PCB, PCdoB, PRB, entre outros partidos são os principais sustentáculos das vergonhosas ações criminosas praticadas por políticos dessas hostes, tais como os anões, os mensaleiros, o petrolão e outros sérios delitos contra o povo e nossas instituições democráticas. Pois bem, senhor Michel Temer, seu PMDB, PT e demais integrantes de partidos que se venderam por ministérios e cargos públicos vão receber o troco nas próximas e futuras eleições, podem aguardar a resposta maciça do povo nas urnas.

 

Ubiratan de Oliveira uboss20@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

BANHO DE ÉTICA

 

O ministro Marco Aurelio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que o Brasil precisa de um banho de ética. Disse-o muito bem. Há muito tempo, ministro, que o País precisa disso e a sociedade civil, que tem um papel fundamental nisso, tem se mostrado letárgica, e com isso os que não têm nenhum compromisso com a ética vão se consolidando cada vez mais e mais no poder. Chegamos ao ponto de medidas provisórias serem editadas para atender a interesses pessoais, em troca de alguns milhõezinhos de reais. Até para colocar a assinatura num ato normativo, resolução, instrução, decreto, medida provisória, etc. tem seu preço. Conforme a importância do que for publicado, tem uma tabela de preço. Aonde chegamos!

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

TRANSPETRO

 

A Transpetro substituiu o diretor pastor Rubens Teixeira, suspeito de envolvimento em corrupção, nos contratos da diretoria administrativo financeira. O mais interessante é a manutenção dos gerentes que atuavam diretamente com o diretor nos serviços compartilhados e transferidos para outra diretoria. Será que, se confirmado o seu envolvimento, o diretor atuava sozinho? Dizem as más línguas que, caso percam os cargos, os gerentes regionais irão abrir a boca. É esperar para ver. Com a palavra, a Transpetro ou a Polícia Federal.

 

Hosana Martins martinshosana2015@bol.com.br

São Paulo

 

*

O APROFUNDAMENTO DA LAVA JATO

 

E impressionante, lamentável e triste para o Brasil ver que a Operação Lava Jato não para de crescer e piorar. É muita gente envolvida e, sem dúvida alguma, de uma hora para a outra os caciques vão aparecer, e que ninguém duvide disso. Pela quantidade de gente implicada e pelos valores envolvidos, só pode ser que o PT transformou isso em franquia, afinal quem não quer ganhar no mole sem fazer força alguma, a não ser contar a grana e aproveitar? Eduardo Cunha, o evangélico, que o diga. Santo do pau oco. Neste país, temos muita gente que merecia ser canonizada, se a base para isso fosse a corrupção nunca antes vista.

 

Jani Baruki Mends janibaruki@bol.com.br

São Paulo

 

*

FECHAMENTO DE ESCOLAS

 

É com pesar que, ao receber o jornal na manhã de quinta-feira, me deparei com a manchete “Grupo Escolar Miss Browne será desativado em 2016”. Foi lá que, entre 1954 e 1960, aprendi a ler e a escrever com dona Altiva, dona Inês, dona Benedita e dona Wanda. Essas abnegadas professoras nos ensinaram, além do ler e escrever, o respeito aos professores, pois, quando elas entravam na classe, todos nós ficávamos em pé, pois as considerávamos “seres superiores” que ali estavam para nos transmitir sua sabedoria. Agradeço ao Grupo Escolar Miss Browne por ter me acolhido e ao seu corpo docente por ter me educado.

 

Marlene S. Luize madriluize@gmail.com

São Paulo

 

*

GOVERNO DO PR CONTRA A EDUCAÇÃO

 

Absurdo que o governador Beto Richa (PSDB) esteja querendo fechar escolas públicas aqui, no Estado do Paraná. Enquanto o poder público atenta contra a educação, prevê-se que nos dias futuros, ao invés de salas de aula, celas de presídios sejam construídas em nossas cidades. Escola, senhor governador, não se fecha, se constrói e se mantém toda a estrutura física, humana e educacional para que as crianças e adolescentes de hoje sejam amanhã cidadãos formados, com ciência básica do saber e com suporte formado para colaborarem com um Estado, uma cidade, enfim, um país melhor para todos. As escolas públicas não podem ser sacrificadas para enxugar gastos do próprio governo. Essa ideia de fechar escolas é um atentado à formação educacional e de toda uma instituição. O que nós, cidadãos, esperamos é que, para enxugar gastos exorbitantes do próprio governo, sejam cortadas verbas da Assembleia Legislativa, dos secretários de Estado e de tantas outras autarquias e órgãos públicos estaduais que, diga-se de passagem, têm pouca utilidade social ao povo do Paraná, como mostram os próprios veículos de comunicação oficial (rádio e TV educativa), que só servem para propagandear os feitos públicos do governador e de seus aliados na Assembleia Legislativa. Um governo que repreende manifestações de professores com repressão violenta e estrutura de guerra deveria abster-se de querer fechar salas de aula, em cortar gastos com bombas, munições, artefatos explosivos, gás lacrimogêneo, etc. Quem cultiva a cultura da paz não fecha portas de escolas.

 

Célio Borba borba.celio@bol.com.br

Curitiba

 

*

MOBILIDADE EM SÃO PAULO

 

O prefeito da cidade de São Paulo acorda pela manhã e pensa: o que farei hoje para ferrar os paulistanos? Pois é, esta semana ele achou: instalou faixa exclusiva para ônibus no Túnel 9 de Julho, que só tem duas faixas, e interditou para carros particulares o Viaduto Dr. Plínio de Queirós (aquele que passa sobre a Praça 14 Bis), desviando o fluxo para a Rua Plínio Barreto, que é  paralela ao viaduto, transformando o local num caos. Além de incompetente e demagogo, ele tem um trauma infantil com relação ao carros. 

 

Luiz Francisco de Assis Salgado salgado@grupolsalgado.com.br

São Paulo

 

*

FUTEBOL PAULISTA

 

Após três anos em baixa, o futebol paulista voltou com tudo em 2015, com supremacia absoluta no cenário nacional. Palmeiras e Santos farão a grande final paulista da Copa do Brasil, repetindo a final do Paulistão. No Brasileirão, o Corinthians já é o virtual campeão. O futebol paulista é, disparado, o mais forte e vitorioso do Brasil, em todas as competições, sejam elas regionais, nacionais ou internacionais. Em 2015, os grandes clubes paulistas voltaram a ocupar o seu devido lugar de protagonistas e campeões.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

ESPETÁCULOS FUTEBOLÍSTICOS

 

O glorioso Santos F.C. está autorizado a cobrar cachê artístico por espetáculo futebolístico na arena de shows mais famosa do planeta, a Vila Belmiro. Próximos shows, já marcados, com a presença especial do Palmeiras. Reservem seus lugares com urgência, lugares limitados.

 

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente

 

*

OS MILHÕES DE DEL NERO

 

Acaba de ser divulgado pela mídia que o atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, recebeu no ano de 2014 a bagatela de R$ 4,46 milhões, sendo R$ 3,28 milhões como vice-presidente da CBF na época em que o agora preso José Maria Marin era presidente. E mais R$ 1,18 milhão como mandatário maior da Federação Paulista de Futebol (FPF) por quatro meses. Será que esses valores não incomodam ninguém neste país? Um dirigente esportivo receber uma soma nababesca, sem contar aquilo que pode auferir por fora em contratos com patrocinadores, é no mínimo imoral num país sem saúde, sem educação e sem saneamento básico. Os dirigentes de clubes de futebol são coniventes com essa farsa? Todo dinheiro da arrecadação dos jogos de futebol está indo para pagar ou sustentar estes párias. Eles compram iates, carros de luxo, apartamentos e mansões no exterior. Resta saber se esses ganhos estão devidamente registrados e declarados à Receita Federal.

 

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.