Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2015 | 02h55

Acredite se quiser

Luís Cláudio Lula da Silva, dono da empresa LFT, asseverou à Polícia Federal (PF) ter realizado serviços para empresa envolvida em propinas no caso da medida provisória referente à indústria automotiva. Os serviços devem ter sido de grande monta, dada a soma de R$ 2,4 milhões... Entretanto, a juíza que decretou a busca e apreensão na empresa do filho de Lula, alguns dias após essa providência, foi removida, deixando a Operação Zelotes. É a significação de que o lulopetismo se acha intocável. Precisa ser varrido, no dizer de Fernando Gabeira no Estadão.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Substituição

A juíza foi ameaçada, como os outros? Perguntar não ofende.

MOISES GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

De novo...

Repete-se a história de Sinara Polycarpo Figueiredo, demitida do Santander por dizer a verdade. Desta vez a juíza Célia Regina Bernardes ousou expedir mandado de busca e apreensão na sede da empresa do filho de Lula. Foi, então, dispensada, com o retorno do titular, juiz Vallisney (bonito nome...) de Souza Oliveira, que não explicou o motivo de seu repentino retorno – nem precisava, nós conhecemos muito bem esses motivos.

CANDIDA L. ALVES DE ALMEIDA

almeida.candida@gmail.com

São Paulo

Lula e o desemprego

Lula deve explicar como quer reduzir o nível de desemprego no Brasil, se nem o filho dele contrata um único empregado que seja para sua empresa LFT.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

‘SIMPLES’ DOMÉSTICO

Formulário do eHorror

O comportamento da burocracia brasileira no episódio de preenchimento da guia única do Simples Doméstico é típico do desrespeito ao contribuinte. Primeiro, exige informações que nada têm que ver com o eSocial, como data e país de nascimento, raça/cor, escolaridade e número de título de eleitor. Depois vem a costumeira prepotência, pois nós estamos a serviço da burocracia, e não o contrário. Mesmo ciente das dificuldades no preenchimento do formulário (até por especialistas) e do travamento do sistema ao tentar emitir a guia, tudo o que a Receita Federal foi capaz de fazer foi ameaçar os “escravos” com a aplicação de multa. Mas o exemplo veio de cima, a presidente Dilma Rousseff arruinou a economia do País com suas decisões desastrosas e agora está nos ameaçando com o tal “assalto fiscal”!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Rezem

Se o sistema de cadastramento e emissão de cobrança do tal eSocial é essa “coisa” que vimos, imaginem como será a gestão dos impostos que somos obrigados a recolher... Não, obrigada. Preferi dispensar a empregada.

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Planilha subdesenvolvida

Por mais de R$ 6 milhões adquirimos o “projeto” para complicar uma coisa simples, que seria pagar no banco – numa planilha também simples – os valores decorrentes da contratação legal de empregada doméstica. Mas, na Ilha da Fantasia, o ParTido precisa mostrar “serviço” (e gastar). O subdesenvolvimento manifesta-se até em planilhas...

NELSON CARVALHO

nscarv@gmail.com

São Paulo

Urnas eletrônicas

E pensar que os “especialistas em informática” que criaram o site do Simples Doméstico, o eSocial, são os mesmos que garantem a segurança e inviolabilidade das urnas eletrônicas!

JULIO CRUZ LIMA NETO

São Paulo

Caminho para desvios

Sou um dos 23% que conseguiram, depois de várias tentativas demoradas e irritantes, pagar, como empregador, o “Documento de Arrecadação do eSocial” às 4 horas da madrugada e antes do prazo-limite inicial, 6 de novembro. Porém no tal “documento” não consta nenhuma identificação do trabalhador favorecido, tanto no INSS como no novo FGTS, depois do exaustivo “cadastramento”. Não existe, portanto, comprovação para o pagante de que os valores terão como destino os benefícios do trabalhador (como no “identificador” do agora obsoleto carnê GPS), ainda mais quando vários órgãos intermediários vão agir, começando pelo banco onde foi pago. Está aberto o caminho para os desvios!

JURGEN JACOBSEN

jacju33@yahoo.com.br

São Paulo

Mais gatunagem?

Entre os tributos incluídos na guia única está o recolhimento de 3,2% sobre o salário do trabalhador para cobrir a punição de 40% sobre o saldo do FGTS a ser pago em caso de despedida sem justa causa. Pergunta-se: se a despedida for por justa causa, ou se a demissão for por iniciativa do próprio empregado, esse fundo formado será devolvido ao empregador, devidamente corrigido, ou essa é mais uma gatunagem oficial?

OTTFRIED KELBERT

okelbert@outlook.com

Capão Bonito

BRASIL

A caminho do fim?

Tenho visto ultimamente tantos desatinos governamentais que me pergunto onde vai parar o Brasil. Será o fim? São inúmeros escândalos financeiros (roubos e rombos), corrupção desenfreada, mentiras inescrupulosas, incompetência generalizada, oposição morta, Presidência da República terceirizada, que eu, como trabalhadora e pagadora de altíssimos impostos, gostaria de saber: até onde vão me esfolar? Sinto-me roubada, enganada, uma perfeita idiota nesse mar de lama, pagando por coisas que não fiz – e não colaborei, nem em voto, para essa sujeira toda. Gostaria de ter a esperança de que vou trabalhar e ter um lucro justo, pagando impostos justos, e tendo a oportunidade de ver meu país sair dessa lama nojenta. Utopia?

MÁRCIA ROSSI SOARES

marciarossi1@hotmail.com

São Paulo

Mais do mesmo

E o documento “Uma Ponte para o Futuro”, do PMDB, é mais do mesmo. Nada acrescenta. O que se vê e sente é que nem os peemedebistas acreditam nele.

HELIO TEIXEIRA PINTO

helio.teixeira.pinto@gmail.com

Rio de Janeiro

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

RETROCESSO

 

Realmente, o projeto de lei de autoria do senador Roberto Requião (PMDB), como bem explicitou editorial deste jornal (25/10, A3), prestigia o subjetivismo, porque o interessado na resposta poderá manifestar-se de acordo com os seus sentimentos, o que, na realidade, pode levar o instituto devidamente estabelecido na Carta Magna a sufocar a liberdade de imprensa. Após a revogação da Lei de Imprensa, o direito de resposta passou a ser disciplinado pelos Códigos Civil e Penal, diplomas que, embora não específicos, impõem a objetividade fática para a resposta do ofendido ou interessado, eliminando a pretensão jurídica para os sentimentos que podem excluir a objetividade dos fatos contestados. Pode-se responder a fatos ofensivos, e não de acordo com a subjetividade do julgamento do autor da resposta. Na realidade, se tornado lei, o projeto poderá incrementar a indústria já existente de dano moral contra órgãos de imprensa e jornalistas. E, pelo retrocesso legal que representa, poderá ser tachado de inconstitucional.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

 

*

IDEIA DE JERICO

 

Fiquei estarrecido ao ler o editorial da página A3 de quinta-feira, “E Tatto caiu na galhofa”. O secretário de Transportes do município de São Paulo, Jilmar Tatto, apresentou proposta ao Conselho Municipal de Transportes e Trânsito (CMTT)  para que agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego CET), a bordo de motos, com sirenes ligadas, abram caminho para livrarem os ônibus parados no trânsito em vias onde não há corredores ou faixas exclusivas. Essa ideia, batizada de “Resgate ao Ônibus”, é tão descabida e idiota que o próprio editorial informa: “Cedo ou tarde ele (Tatto) teria de cair na galhofa. Caiu”. Esperamos que na próxima eleição São Paulo se liberte das asneiras desta administração.

 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

‘RESGATE AO ÔNIBUS’

 

Como qualificar o secretário Jilmar Tatto? Seria ele um bufão (fanfarrão, bobo)? Ou ficaria melhor como um aloprado (que parece maluco ou é quase maluco, adoidado, amalucado)? Realmente, não sei. Na Secretaria de Transportes da Prefeitura de São Paulo, mais parece um macaco numa loja de lustres de cristais. Só está lá porque é do PT.

 

João Teixeira jtserrano@terra.com.br

Osasco

 

*

INVESTIGAÇÃO

 

Enquanto não pegarem os detalhes da licitação das placas e sinalizações dos novos limites de velocidade, Jilmar Tatto vai ficar inventando mais e mais barbaridades para atazanar a vida do paulistano (“E Tatto caiu na galhofa”, 5/11, A3). Na hora em que o Ministério Público investigar a fundo mais este xuxo da administração petista, o paulistano verá para onde está indo o suado dinheiro dos seus impostos, taxas e multas abusivas.

 

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

 

*

PIOR IMPOSSÍVEL

 

Jilmar Tatto, secretário de Transportes da cidade de São Paulo, imobilizou a cidade com velocidades máximas que variam de 40 km/h a 60 km/h. Estamos sofrendo das síndromes do pedal em suspenso e do olho no painel: não podemos relar o pé para não sermos multados nem desviar os olhos do velocímetro, mas podemos entrar na traseira do carro da frente, se ele parar de repente. Agora Tatto quer implantar a operação Resgate ao Ônibus, para ônibus que estiverem parados em vias onde não existe a faixa de ônibus. Esse resgate se daria com batedores da CET em motos, e ele alega que, se existe prioridade para veículos como ambulâncias, deveremos dar a mesma regalia ao transporte público. Este é o resultado de o paulistano se dividir na hora do voto em oposição ao PT: nós rachamos, eles ganham e todos somos penalizados! Acho que está na hora de repensarmos nosso voto durante a campanha eleitoral: se depois de batalharmos pelo nosso candidato de preferência vermos que ele não tem chance de ganhar, talvez seja  melhor votar no menos ruim, para tirar fora o pior que para nós já existiu, petistas ou ex-petistas, que se equivalem! Pensem nisso!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

NONSENSE

 

O prefeito Fernando Haddad e sua equipe talvez não saibam o significado da palavra “nonsense”. A sensação que se tem ao transitar a 50 km/h na pista lateral das Marginais é de estar a pé, a passeio. É difícil de acreditar que tal velocidade previna acidentes de forma tão significativa. É um limite absurdo, desprovido de sentido (nonsense). Não é nenhuma surpresa o índice de 49% de reprovação da gestão do prefeito.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

EM NÚMEROS

 

Pesquisas atualizadas apontaram que 49% (!) dos paulistanos reprovam a administração do prefeito Fernando Haddad e apenas 12% (!) dos eleitores brasileiros declaram-se simpatizantes do PT. Os números falam por si, pois não?

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

DESRESPEITO AO TCU

 

A que ponto de desfaçatez chegamos neste desgoverno: ao entregar a defesa das “pedaladas” fiscais de Dilma Rousseff ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, afirmou que “não seria anormal o Congresso aprovar as contas do governo”, mesmo que elas tenham sido rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Realmente, é desalentador o desrespeito às leis e à ordem introduzido no País após 13 anos de PT no poder.

 

Leila E. Leitão

São Paulo

 

*

CREDIBILIDADE COMPROMETIDA

 

Ao afirmar que “não queremos fazer cortes indiscriminados no Orçamento”, o ministro Joaquim Levy devia poupar os leitores da observação de que “a presidente tem sinalizado para a importância de ter cada vez mais eficiência nos gastos”. Afinal, depois de tanta gastança inconsequente, quem vai acreditar numa conversão, tão rápida, desta incompetente ao comedimento?

 

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte santo de Minas (MG)

 

*

A ENQUETE DA CPMF

 

O ministro (ou sinistro?) Joaquim Levy disse que não ficou claro por que os contribuintes não gostam (não querem seria mais correto) da CPMF e que ela é parte da solução dos problemas enfrentados pela economia brasileira. Sugere, ainda, que a imprensa faça uma enquete questionando por que as pessoas não querem a contribuição, com as seguintes perguntas: 1) Por que é transparente? 2) Por que todo mundo paga? 3) Por que é fácil de recolher? 4) Ou por que é só mais um imposto? Muitos de nós acreditávamos que o ilustre “ministro” fosse inteligente e firme, mas, passados meses de sua nomeação, podemos deduzir que ele se curvou ao “diabo” na tentativa de estuprar as finanças cada vez mais parcas do contribuinte! Muitos contribuintes mal têm recursos para a própria alimentação! Então, respondendo, de forma curta e grossa, à enquete, podemos afirmar que, quanto às duas primeiras questões, não acreditamos. Quanto a ser fácil de recolher, não há dúvida, pois não temos como impedir. E “só” mais um imposto? Faça-nos um favor, ilustre ministro, respeite a nossa inteligência. Ou será que o senhor também precisa de desenho?

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

INSISTÊNCIA

 

Por qual motivo o ministro Joaquim Levy insiste neste nhém, nhém, nhém da CPMF e não privatiza de uma vez a Petrobrás? Daria para cobrir o déficit de R$ 30 bilhões no Orçamento para 2016 e ainda sobraria um  troquinho  para os bandidos da Nação continuarem com a abominável rapina nos cofres públicos.

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net 

São Paulo

 

*

DÉFICIT? QUE DÉFICIT?

 

Nos não temos déficit, mas, quando completamos o déficit, nós dobramos o déficit.

 

Milan Trsic cra612@gmail.com

Ribeirão Preto

 

*

SOLUÇÃO PARA A CRISE

 

Enquanto Levy defende o ajuste fiscal e a CPMF para reativar a economia, a população, a mídia, os empresários e investidores defendem a saída de Dilma da Presidência e dos demais companheiros dos ministérios e presidências das estatais. Dilma não tem competência nem credibilidade para continuar no cargo.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

*

O PROBLEMA SÃO OS OUTROS

 

A CPMF é o imposto mais democrático que existe, pois cada um paga conforme gasta, então ricos pagam mais e pobres, menos. O problema são os outros impostos, alguns que nem deveriam existir.

 

Osvaldo Daniel Salas salas.osvaldo.daniel@gmail.com

Foz do Iguaçu (PR)

 

*

IMPOSTÔMETRO

 

Finalmente nesta madrugada consegui gerar o boleto para pagamento do Simples das Domésticas para uma sra. aposentada, de 90 anos, que não tem familiaridade com o computador. E me veio uma reflexão: do salário de R$ 1.100 por ela pago a uma empregada, R$ 308,00 (28%) são de impostos; por sua vez, esta empregada vai utilizar esse valor para pagar suas contas de energia, água, transporte, comprar comida, remédios, produtos de higiene pessoal e, eventualmente, algum lazer, uma cerveja, vestuário, eletrodomésticos, etc., itens que têm em seu preço final altos impostos; se precisar resolver algum problema burocrático ou se utilizar de algum serviço de saúde pública, perderá horas ou dias em filas sem fim, sem produtividade alguma; soma-se a isso os impostos de renda (PF e PJ), de transferências de propriedades, entre outros tantos, e teremos uma montanha de dinheiro que escoa para os cofres dos governos federal, estaduais e municipais e se perde na corrupção desenfreada a que temos assistido, na casa de milhões e bilhões, com um mínimo de retorno para o contribuinte. E ainda querem a CPMF?

 

Celso Neves Dacca celsodacca@gmail.com

São Paulo

 

*

O SIMPLES DOS DOMÉSTICOS

 

O tributo novo, o Simples Doméstico, retrata a excelência de nossa desastrada administração federal. Mergulhado sem sua própria ineficiência, massacram milhões de brasileiros com novas regras estapafúrdias e inoperantes. Está tudo errado e ainda aparece mais a ameaça de novos impostos, como a CPMF, que irão irrigar com mais recursos esta máquina de Estado ineficiente, incoerente e perdulária.

 

João Bráulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

 

*

CONFUSÃO

 

Por favor, alguém pode me informar o que faço com a guia impressa, contendo apenas valor do GPS e seguro? Ao preencher todos os dados, fiquei esperando a guia completa, mas não. O que faço? Ignoro e tento outra? Faço um complemento com GPS e, no próximo mês, tento de novo? Se não pagar esta guia incompleta e tentar nova guia, será cancelada automaticamente? Estou tentando esclarecer pelo telefone, mas tem sido impossível!

 

Ivani Rossi ir@esentia.com.br

São Paulo

 

*

NÃO FUNCIONA

 

O sistema de cadastramento dos empregados domésticos e da emissão da guia para pagamentos dos tributos custou R$ 6,6 milhões, e não funciona. Quem do Serpro fez este programa? Deveria ser responsabilizado e demitido ou exonerado, conforme a função, por justa causa e a bem do serviço público. Eu não vejo outra palavra que não classificar como brincadeira de um irresponsável este programa. Se fosse numa empresa privada, já estaria desempregado, ou então rebaixado a servente de cafezinho.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com  

Rio de Janeiro

 

*

NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESTE PAÍS

 

Os bancos ganharam tanto dinheiro, nos últimos tempos, e sem fazer nada! Façamos as contas: a dívida do Estado brasileiro é de R$ 2,5 trilhões. Isso, a 14,15% (Selic de 4/11/2015), dá R$ 365 bilhões por ano. Cerca de R$ 30 bilhões por mês. Exatos R$ 1 bilhão por dia. Esse é o dinheiro do povo brasileiro que vai para os bancos para pagar a dívida que o PT criou. Alguém já se deu conta disso? E as pessoas ainda se perguntam por que o ministro da Fazenda é funcionário do Bradesco.

 

Geraldo Roberto Banaskiwitz geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

 

*

O CRÉDITO NO FMI

 

Se o Brasil é credor do Fundo Monetário Internacional (FMI), por que não resgatamos esse “crédito”? Como um país na pindaíba pode ser credor do FMI?

 

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO ZELOTES

 

A juíza substituta Célia Regina Bernardes, da Justiça Federal do DF, que deu ordem de prisão a vários envolvidos em atividades próximas à família do ex-presidente Lula, foi removida. O titular, que estava em missão no Superior Tribunal de Justiça (STJ), voltou porque “sua missão naquele tribunal estava concluída”, apesar de o seu tempo no STJ poder durar até 2016. Ontem o “Estadão” nos informou que o processo que mantém o jornal sob censura já dura 2.228 dias. Fico me perguntando quantos milhares de dias se passarão até que a família do ex-presidente tenha de se preocupar. Começo a pensar que ainda temos em nosso país muitas pessoas que “não são comuns” e que  o Judiciário (fico em dúvida se deveria ser em maiúsculo) trata de forma diferente.

 

Aldo Bertolucci accpbertolucci@terra.com.br

São Paulo

 

*

SUSPEITO

 

Soa muito suspeita esta substituição da juíza Célia Regina Ody Bernardes, da 10.ª Vara Criminal Federal em Brasília, que comandou a Operação Zelotes, pelo juiz titular da 10.ª Vara, Vallisney de Souza Oliveira, retornando ao seu cargo de origem por motivos estranhamente não justificados, deixando para isso um posto mais elevado no STJ. Vale lembrar que este senhor, anteriormente, arquivou investigações que vinham em curso contra a chefe da Casa Civil de Dilma, Erenice Guerra, suspeita de ilícitos graves durante sua permanência no cargo. Pois é, quando o governo é do PT e o comandante supremo é Lula, tudo se torna suspeito, especialmente quando o investigado é seu filho, Luiz Cláudio Lula da Silva, um empresário que recebeu R$ 2,4 milhões, sem conseguir justificar serviços prestados de “consultoria esportiva” para uma empresa que nada tem que ver com esportes. Seria grave demais se alguma suspeita se confirmar porque afinal qual seria a diferença básica, neste caso, entre o Brasil e a Venezuela?

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

O RELATÓRIO DO COAF

 

A revista “Época” nos brindou esta semana com mais um escândalo de lavagem de dinheiro e favorecimento. A agência de comunicação Pepper Interativa Ltda. Está sendo investigada pela Polícia Federal por receber recursos considerados suspeitos do Partido dos Trabalhadores (PT), segundo relatório sigiloso do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), por corrupção e lavagem de dinheiro. No documento, técnicos do Coaf, órgão do Ministério da Fazenda de combate à lavagem de dinheiro, a Pepper movimentou R$ 63,2 milhões entre 2007 e 2015. Deste total, R$ 58,3 milhões – cerca de 92,2% – passaram pela conta da Pepper de janeiro de 2013 a maio de 2015,  a maior parte desse dinheiro para os cofres do PT. Será que revogaram a normativa segundo a qual os bancos devem informar ao Banco Central movimentações acima de um valor muito abaixo dos montantes apurados ou por ela ser uma empresa Ltda. (que pode ter um sócio inteligentíssimo) na sua diretoria? Dos milhões à agência nesses três anos o partido transferiu R$ 15,2  à agência digital do meio político, por serviços para campanha e órgãos públicos. Agora, vá você, leitor, se enganar nos minguados reais que recebe por ano, para ver se rapidinho a Receita Federal não te chama para explicar o engano. Dois pesos e duas medidas.

 

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

UMA SIMPLES GUIA

 

Segundo a revista “Época”, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) encontrou movimentações suspeitas da ordem de R$ 300 milhões, envolvendo o nome do “imaculado” ex-presidente Lula (R$ 52,3 milhões) e de mais três ex-ministros petistas. Antônio Palocci, Fazenda, (R$ 216 mi); Erenice Guerra, Casa Civil, (R$ 26,3 mi); e Fernando Pimentel, Desenvolvimento, (R$ 3,1 mi). Os dados foram enviados à CPI do BNDES, que apura irregularidades no banco estatal. Mais uma vez todos negam irregularidades. O Instituto Lula justificou que os recursos são oriundos de atividades profissionais legais (R$ 52,3 milhões).   O defensor de Palocci classificou como falsos os valores (R$ 216 milhões), é que “eles”, multiplicaram os valore por 50.  Erenice Guerra e Pimentel ainda não se manifestaram. Uma movimentação desse porte gera valor expressivo em impostos. Portanto, como a CPI tem poderes para esmiuçar a vida de suspeitos, basta exigir os devidos comprovantes dos recolhimentos ao Fisco, e pronto. Uma simples guia eliminaria milhares de folhas de inócuos relatórios, tempo dos inquiridores e dinheiro do contribuinte, cansado de ouvir e ver sempre a perene notícia: A CPI virou pizza! 

 

Sergio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

   

*

AGORA ENTENDI!

 

Após a revelação pelo Coaf de que, nos últimos anos, Lula movimentou R$ 52,3 milhões; sua empresa (LILS, de palestras)  recebeu a quantia de R$ 27 milhões; e seu correligionário Antonio Palocci, outros R$ 216 milhões em operações bancárias, entendo exatamente a revolta do presidente do PT, Rui Falcão, pelo fato de a Polícia Federal haver intimado Luis Claudio, filho de Lula, a prestar depoimento por aportes suspeitos de “ridículos” R$ 2,4 milhões na conta de sua empresa de marketing esportivo. Na ocasião, Falcão classificou o filho de Lula como “peixinho” num mar de tubarões. De fato, não há como tirar a razão ao presidente do PT.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

 

*

SEM DISTINÇÃO

 

Assim como qualquer brasileiro, os filhos de Lula precisam explicar a origem de tanto dinheiro em suas contas correntes e do aumento exponencial de seus patrimônios. Essa é a lei do nosso país e todos são iguais perante a lei. Não pode haver distinção entre o filho de um ex-presidente e quem quer que seja. A covardia ainda reina em nosso país, onde milhões passam fome e moram em favelas, enquanto os privilegiados filhos de políticos vivem como se fossem príncipes, torrando o dinheiro dos contribuintes brasileiros.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

AJUDA

 

Meus irmãos e irmãs, todos os brasileiros do meu pobre e infeliz País! Será  que vocês poderão me ajudar? Ajudem-me, por favor, consigam para mim, pobre e lutadora, um emprego no Instituto Zoológico em São Paulo. Quem sabe eu teria a “sorte” e conseguiria acabar como uma grande empresária e ser dona de 12 mil cabecinhas de gado. Vou ser honesta e confessar a vocês: não tenho nenhum “parente” político, mesmo assim, será que vou conseguir, como uma mísera empregadinha do zoológico, ficar milionária? Eu não perco a esperança! Estamos no Brasil.

 

Maria Aparecida Ramos Lorena r.lorenagurevich@bol.com.br

São Paulo

 

*

ONDE ESTÁ A DIFERENÇA?

 

Sou empresário há 50 anos e ainda luto todos os dias para vencer na vida, mas fico na dúvida se sou incompetente, quando comparado aos filhos de Lula, que são empresários há quatro anos e já são milionários. Será que a diferença entre nós é o bolsa propinas de que eles são beneficiários, e eu não?

 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

*

BANDO DE COMPLEXADOS

 

Agora, que o filho de Lula virou “da elite”, filhinho do papai e protegido na CPI, os petistas ficam quietos. Bando de complexados!

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

 

*

AVISO OU AMEAÇA?

 

Lula diz em entrevista que pode ser candidato outra vez. Devemos encarar essa declaração como aviso ou ameaça?

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

IMPUNIDADE 

 

A certeza da impunidade leva o infrator das leis a ser cada vez mais audacioso. Durante o primeiro governo Lula, o mensalão não o atingiu; na sua reeleição, recebeu doações legais de empresas abastecidas pelo petrolão, e nada aconteceu com ele. Resolveu, então, usar da mesma estratégia para as eleições de Dilma em 2010 e 2014. Este ano, que ora está findando, o Brasil terá de fazer uma escolha crucial: ou punir os transgressores do ordenamento jurídico ou ser conhecido internacionalmente como o país de pessoas com desalinhamento de caráter.

 

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

JOSÉ DIRCEU

 

José Dirceu já manifestou que não se sente bem quando engaiolado, mas não consegue um habeas corpus para, pelo menos temporariamente, gozar de liberdade. Sente-se abandonado pelos seus pares, mas resiste em se beneficiar com a delação premiada. Até quando vai resistir? Fernando Moura, muito ligado a José Dirceu quando na Casa Civil, abriu o bico, foi solto em 2 de novembro e vai responder ao processo em liberdade. Caso José Dirceu decida pela delação e, se de fato abrir o bico com vontade, muitas dúvidas serão esclarecidas e, em troca, o juiz Sérgio Moro o verá com bons olhos. Até quando José Dirceu vai mofar na cadeia?

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br  

Vila Velha (ES)

 

*

O REGIME DA PRESIDENTE

 

Depois de mentir descaradamente na campanha das eleições de 2014, prometendo várias ações, como a Pátria Educadora, que só existiu na propaganda, pelos cortes das verbas e demissão do raro ministro competente, finalmente Dilma Rousseff encontrou uma ação verdadeira. Disse, em pronunciamento, que sua meta é emagrecer os brasileiros. Realmente, com inflação galopante, desemprego em constante acréscimo, com a volta dos integrantes da classe C para as D e E, seu objetivo parece factível. Preocupa-nos querer dobrar a meta. Até quando teremos de engolir estes corruptos incompetentes?

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

 

*

MITOMANÍACA

 

Dona Dilma Rousseff, em discurso na terça-feira, na abertura da 5.ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Brasília, cujo lema é “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar”, deu sequência a sua já famosa e agora internacionalmente conhecida mitomania (síndrome de Wallace). Em 2013, a FAO, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, retirou o Brasil do Mapa da Fome. Comandava a organização o petista José Graziano, que, “por decreto”, reduziu a carência alimentar dos brasileiro de 7%  para 1,7%. Esse fato estimulou a governanta a começar seu discurso na atual conferência mentindo ao endossar as falcatruas do senhor Graziano e terminar com outra mentira, quando promete de pés juntos que, agora, por meio de outro programa social, irá reduzir o peso corporal dos brasileiros, hoje supostamente obesos. Essa proposta não está muito distante, com uma inflação de dois dígitos e um desemprego na casa dos 8,7% da força ativa de trabalho. Esperamos que ela não  “dobre a meta” de inflação e de desemprego, pois 40% da população não só diminuiria o peso, como morreria de inanição.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

*

ELA CONTINUA A MESMA

 

Assim falou Dilma: “Nossas escolhas estiveram orientadas em não abrir mão de políticas que mudam o Brasil”. Entenderam?   Fato é que, com sua lógica cartesiana ao avesso, a (ainda) presidenta continua imitante do beija-flor em sua característica de voo singular. Mas, diferentemente dessa ave, um dia ela pode se machucar em algum lugar impróprio ao voar para trás.

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

PLEONASMO

 

Um membro da CPI da Petrobrás, aquela que aprovou o relatório mentiroso que não denunciou até os criminosos que já estão cumprindo penas, alega que o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mentiu na CPI negando as contas bancárias no exterior em cujo depoimento na CPI foi aplaudido de pé, abraçado e reverenciado pela grande maioria. Que se investigue com todo rigor e apurem crimes de sonegação fiscal, desvio de dinheiro, corrupção. Porém acusar o deputado de mentir para a CPI é cometer o crime de pleonasmo, mentir para mentirosos deve ser recompensado por mérito.

 

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente

 

*

TEATRO

 

O Brasil inteiro viu o deputado Eduardo Cunha mentir à Comissão Parlamentar de Inquérito, as imagens estão aí... Pois bem, ele vai agora dizer que não mentiu no Conselho de Ética da Câmara, que estaria, digamos, inclinado a acreditar na segunda versão, ou em última instância, propenso a permitir que o investigado indique um aliado para sucedê-lo.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

RESPONSABILIDADE

 

Eduardo Cunha alega não ter conta no exterior, diz que ela está em nome de empresa. Isso não imbui que não é o dono da conta. Tem responsabilidade civil duplamente qualificado em subjetiva e objetiva, uma vez que tem o domínio do fato. Daí a propriedade e ele deve ser cassado.

 

Yoshio Asanuma yasanuma2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

SUGESTÃO AO DEPUTADO

 

Sr. Eduardo Cunha, tenho certeza de sua total inocência e que as acusações são infundadas, que a Justiça suíça só quer persegui-lo. Creio que o dinheiro não é seu e a conta não existe, portanto, sugiro que: eu lhe passo meu nome e abro uma conta para que o sr. possa mandar este dinheiro (que não tem dono) para mim. Quando alguém perguntar, eu direi que estou tranquilo, assim como o sr. se diz , afinal de contas, com US$ 5 milhões, só poderei estar tranquilo.

 

Boris Spighel borisspighel@uol.com.br

São Paulo

 

*

PRESO EM CASA

 

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin, preso na operação da Justiça suíça e do FBI em Zurique, finalmente foi extraditado para o Estados Unidos. Marin pagou a fiança de R$ 57 milhões e vai ficar em prisão domiciliar em seu apartamento em Nova York. O contrassenso dessa história é que tanto a fiança milionária paga quanto o big apartamento onde vai aguardar o julgamento podem ser fruto da propina que recebeu em negociações de direito de transmissão de campeonatos no Brasil e na América do Sul.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                     

Rio de Janeiro

 

*

VIDA BOA

 

José Maria Marin pagou R$ 50 milhões de fiança para poder cumprir pena no seu apartamento de US$ 10 milhões. Quem pode pode.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

BARATO

 

Ficou barata a fiança que a Justiça americana definiu para o Zé poder acompanhar o processo em prisão domiciliar, um verdadeiro “pixuleco”, perto do que deve ter roubado nos seus 80 anos de vida.

 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

 

*

ESCÂNDALOS

 

Um país que foi pentacampeão do mundo com o melhor futebol do planeta, agora, vive de todo tipo de escândalos, e o ex-presidente da CBF preso teve o benefício da extradição para ficar no próprio apartamento nos EUA, em prisão domiciliar, provavelmente comprado pela via do propinoduto, chaga que nos infelicita do descobrimento sem redescobrimento de fórmula mágica para combatê-lo.

 

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

 

*

DEVAGAR COM O ANDOR

 

Não se pode condenar ninguém antes do julgamento. Nenhum país do mundo tem o direito nem a autoridade de prender por muito tempo alguém sem provas. Crime maior, a meu ver, é fuzilar um acusado ou denunciado, no caso José Maria Marin,  com base em ilações, indícios, rumores ou denúncias sem comprovação.

 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

 

*

MOTIVO DE PIADA

 

É inaceitável que o Brasil dê o calote de R$ 3 bilhões em instituições internacionais como a ONU, a OMS, a OEA, entre outras. Constrangidos, diplomatas brasileiros relatam que o Brasil virou motivo de piada no exterior. Enquanto isso, centenas de bilhões de reais do povo brasileiro são desviados e apropriados por corruptos. O Coaf mostra que Lula e ministros movimentaram mais de R$ 300 milhões. Cunha tem contas na Suíça e nada acontece. Felizmente, ainda temos uma imprensa livre e investigativa denunciando os crimes, a corrupção, o desvio de dinheiro público e a grossa roubalheira que imperam nos altos escalões. Esperamos que as instituições públicas competentes, como Ministério Público, Judiciário e Tribunal de Contas, não se omitam e façam a sua parte. Chega de corrupção e impunidade no Brasil.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

ILUSÃO NA VENEZUELA

 

Acabo de saber que nossa “presidenta incompetenta” mandou para a Venezuela 250 mil toneladas de alimentos, certamente com o intuito de iludir aqueles pobres coitados, que estão na maior penúria, de que as coisas por lá estão “melhorando” e que, então, vale a pena reeleger seu amigo, o presidente que literalmente “está caindo de Maduro”. Com uma só cajadada, ela tenta enganar os dois povos: os brasileiros (porque usou o nosso dinheiro sem alarde, dizendo que está fazendo o ajuste fiscal) e os venezuelanos, que por ignorância ou inércia, podem mesmo acabar acreditando que Nicolás Maduro fez cair comida do céu (num país que não tem nem papel higiênico). Isso é um acinte! Quero o meu dinheiro de volta. Ou ela pensa que eu sou idiota?

 

Anna Carolina Meirelles annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

 

*

A VENEZUELA JÁ É AQUI?

 

Quando vemos que o Brasil poderá extraditar o venezuelano George Kew Prince, perseguido pela ditadura bolivariana de Maduro, por ordem do ministro recém-empossado do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fachin, que jurou independência, chegamos à conclusão de que estamos mais perto dessa ditadura do que supúnhamos. Com um STF aparelhado, que vem se metendo até no Congresso Nacional, vamos esperar o quê? Já que o lulodilmismo não conseguiu tomar o poder na esfera política,  precisando diuturnamente entrar em negociações, com certeza na esfera jurídica está conseguindo. E assim caminha o Brasil rumo ao caos generalizado.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

EXCESSO DE DEMOCRACIA?

 

Será que o STF também acha, como o governo petista, que a Venezuela tem excesso de democracia?

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

LIÇÕES DA HISTÓRIA

 

Ontem, 5 de novembro (pelo calendário gregoriano), a Revolução Russa completou 98 anos. Com aquela revolução, a oclocracia russa tomou o poder assassinando a sua elite (da mesma forma que a oclocracia francesa, ao consumar a revolução francesa 128 anos antes, assassinou a sua elite). Graças ao assassinato de sua elite, crime perpetrado pela esquerda no final do século 18, a França que antes era a n.º 1 do mundo, hoje é a quinta nação medida pelo PIB. Graças ao assassinato de sua elite, crime perpetrado pela esquerda em 1917, a Rússia, que naquela ocasião ainda não havia entrado no século 20, despejou pela janela o referido século, e continua sendo hoje um país que vive no século 19, ou seja, uma potência absolutista subdesenvolvida, governada por um czar, onde não existe liberdade de imprensa, não há separação entre poderes, e tem uma constituição de araque, e tem um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) inferior ao brasileiro. É altamente educativo ver o que a ralé no poder (a definição de oclocracia) faz com um país, comparando o desempenho de duas ilhas, Japão, governada por sua elite, e Cuba, governada por sua ralé (lá, como na França pós-1789, e na Rússia pós 1917, a sua elite foi fuzilada). Talvez a esquerda ache “injusto” comparar o Japão com Cuba, então podemos fazer uma comparação entre outra ilha, Cingapura, com Cuba. Claro, podemos comparar também a Coreia do Sul, governada por uma elite, com a Coreia do Norte, governada pela ralé esquerdista. E o que acontece atualmente com o nosso Brasil? É um caso inacreditável, porque para a esquerda tomar o poder na França, na Rússia, na Coreia do Norte (para ficar só nesses três exemplos) ela teve de assassinar as suas elites, e a esquerda conseguiu tomar o poder no Brasil sem recorrer a violência, sem derramamento de sangue, e sem ter assassinado a nossa elite. A situação brasileira é escandalosa porque se pode dizer que todas as barbaridades que a esquerda cometeu pelo mundo afora – e a esquerda só faz isso: barbaridades –, ela o fez porque antes ela assassinou as suas elites. No Brasil a esquerda está fazendo barbaridades que envergonham a todos os brasileiros decentes desse país, apesar de nossa elite. A esquerda não precisou assassiná-la, como ela teve de fazer nos outros países. Ela simplesmente a cooptou. A nossa elite aceitou fazer vista grossa a todas as barbaridades esquerdistas em troca de uma boquinha aqui, um empreguinho no serviço público acolá. E um país que aceita ser governado por uma oclocracia cleptocrata merece o seu destino. Enfim, chafurdamos na lama porque queremos e porque gostamos. Nós merecemos o PT.

 

Fabio Monteiro de Barros fabio.faria3@gmail.com

Santana de Parnaíba

 

*

ENIGMA DA QUEDA DE AVIÃO

 

Muito se fala que os terroristas do Estado Islâmico (EI) derrubaram o avião russo no Egito, matando 224 pessoas. Pode ser! Mas por que não admitir também que, por determinação do soberbo e maluco Vladimir Putin, essa suposta bomba tenha sido detonada, matando como maioria dos passageiros seus patrícios? O presidente da Rússia, radical que é, e sem voz no Ocidente, faz até o diabo (como Dilma gosta) para sensibilizar seu povo. A Rússia também atravessa uma grave recessão econômica, carrega sanções do Ocidente por ter invadido e anexado a Crimeia (que pertencia à Ucrânia) como território russo, e ainda está combatendo na Síria, contra determinação da ONU e dos EUA, opositores de outro déspota como Bashar al-Assad. Como ex-membro da KGB, Putin sabe muito bem blefar para manter seus interesses políticos.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.