Fórum dos leitores

ELEIÇÃO ARGENTINA

O Estado de S.Paulo

24 Novembro 2015 | 02h55

Vitória de Macri

Viva a democracia! Viva a alternância de poder!

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Exemplo a seguir

Esperamos fervorosamente que a escolha do novo presidente mude os rumos e reverbere no Brasil e em outros países do nosso continente. Bravo, Argentina!

J. PERIN GARCIA

jperin@uol.com.br

São Paulo

Parabéns, argentinos! Já deram o exemplo que o Brasil precisa seguir: derrubaram o governo da Kirchner. Está faltando cair o da Venezuela.

JORGE PEIXOTO FRISENE

jpfrisene@zipmail.com.br

São Paulo

Parabéns aos hermanos. Não se sabe se por serem mais politizados ou por estarem sofrendo mais, resolveram dar o pontapé inicial. Pode não ser muito cavalheiresco começar pelas presidentas, mas a primeira ya se fué. Faltam duas. Después, el cocalero e el conductor de autobuses. E outras figurinhas carimbadas mais. Faxina total, ampla e irrestrita!

RICARDO HANNA

ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

A vitória do candidato oposicionista Mauricio Macri, na Argentina, enche os brasileiros de esperança. Finalmente um país iludido por mais de uma década de populismo escancarado deu as costas a governantes incompetentes e, pelo voto, optou pela seriedade. Muito diferente da Venezuela, cujos cidadãos, mesmo com o país à beira do colapso, ainda se deixam enganar pela velha cantilena caudilhista. Torçamos para que o Brasil siga o exemplo argentino e nas próximas eleições se livre do PT e de sua corja. Resta desejar a Macri boa sorte para reerguer o seu país do abismo em que foi jogado pelo kirchnerismo.

DANIEL ARJONA DE A. HARA

haradaniel734@gmail.com

São José dos Campos

Fim de uma era

Cai a dinastia Kirchner. Finalmente, o bom senso está voltando ao comando. Os próximos a ser defenestrados serão Lulla da Silva (com a Dilma e o PT junto), Evo Morales, Nicolás Maduro... Chega de arrivistas travestidos de benfeitores.

GERALDO R. BANASKIWITZ

geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

Terapia

Depois de 12 desastrosos anos, a Argentina livrou-se de seu câncer maior. Chega de factoides, mentiras, calúnias e tudo de ruim que os Kirchners plantaram naquele país. A nós resta aguardar mais três longos anos para nos livrarmos do nosso.

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

Ventos austrais

A Argentina iniciou a quimioterapia, em breve o Brasil e a Venezuela a seguirão.

RICARDO C. T. MARTINS

rctmartins@gmail.com

São Paulo

Chore por nós

Os argentinos também sofreram as intimidações de que se valem os esquerdistas latino-americanos na época das eleições, como a de que se o “outro” ganhar cortará os benefícios-esmola, conforme Dilma fez com Aécio Neves. Mas ou o povo argentino é mais esperto ou a oposição deles é melhor, o fato é que esse mimimi não colou e Macri ganhou. Ele já disse que se vai opor à permanência da Venezuela no Mercosul, pois esse país não pratica a democracia. A notícia foi tão boa que até a goleada que o São Paulo tomou (do Corinthians) ficou menor. Parabéns, hermanos! Sim, chore por nós, Argentina.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Lisura do pleito

Se as urnas argentinas fossem eletrônicas, o sr. Mauricio Macri teria ganho?

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Urnas eletrônicas

Macri venceu as eleições na Argentina porque lá não usam as fraudáveis urnas eletrônicas.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Sem urna eletrônica, o povo votou contra Cristina Kirchner e Mauricio Macri foi eleito presidente. No Brasil, com a urna eletrônica, Dilma fez o diabo e reelegeu-se presidente.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

LULOPETISMO

Rainha da economia

Enquanto a maioria das mulheres do País conta moedas, nossa primeira mandatária (credo!) desperdiça dinheiro público voando de helicóptero de casa ao aeroporto. Entretanto, a cobrança não é apenas pelos quilômetros voados, os cinco minutos no ar, mas desde que a nave deixa a base e volta. Informem o custo verdadeiro, será estarrecedor. A cada voo se queima o equivalente ao material escolar anual de umas 10 ou 15 crianças nas escolas mais carentes da Pátria Educadora (sic). Deplorável.

PAULO AMÉRICO DE ANDRADE

paandrade@gmail.com

São Paulo

Em família

Sobre a entrevista da neta do Lula, na edição de ontem: 1) ela deveria desistir da Psicologia, estudar Direito e ler os autos dos processos antes de dizer que Dirceu e Genoino foram condenados sem provas; 2) se não aprova a atual política econômica, gostaria de lembrar a ela que Joaquim Levy é subordinado à presidente Dilma e está fazendo apenas o que ela determina, portanto, o correto seria falar “fora Dilma”, e não “fora Levy; e 3) sendo quem ela é, poderia explicar-nos a fórmula para o rápido enriquecimento da família Lula da Silva?

CELSO NEVES DACCA

celsodacca@gmail.com

São Paulo

O BRASIL EM DEBATE

Política atual

Nosso companheiro de infortúnio, o leitor sr. Geraldo Norberto C. Sgarbi, escreveu ontem para o Fórum dos Leitores um sublime apelo aos “notáveis” do nosso país. Mas quais “notáveis”? Estamos no mato sem cachorro, nem sequer um gatinho para nos ajudar. Triste, muito triste! Não sabemos onde vamos parar. Na história do prefeito Celso Daniel está o embrião de tudo o que vivemos hoje.

ÉDEN A. SANTOS

edensantos@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

DERROTA POPULISTA

 

Com a vitória do liberal Maurício Macri na eleição presidencial Argentina, podemos esperar uma verdadeira reviravolta na condução dos assuntos da Casa Rosada, já se antevendo para os “hermanos” do Prata menos estatismo, intervencionismo e o fim dos afagos aos bolivarianos e protoditadores de plantão que infestam este continente. Que pena para Lula, Dilma Rousseff, Nicolás Maduro e Raul Castro, que perdem a Argentina, uma aliada de peso – sem trocadilho com o nome de sua moeda... Que bom para o povo brasileiro e venezuelano – hoje ainda dominados pelo atraso esquerdista –, países que veem mais e mais o ressurgir das oposições e do liberalismo econômico, sugerindo que, em breve, se tudo der certo, a América do Sul estará livre desta praga populista e autoritária que vive de genuflexões no “altar” de São Karl Marx. Dias melhores virão.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com  

São Paulo

 

*

FIM DA ERA PERONISTA

 

As eleições argentinas mostraram três coisas ao Brasil: a primeira é que as urnas eletrônicas são confiáveis, eles utilizam uma tecnologia de terceira geração, enquanto as urnas brasileiras só servem ao Brasil; a segunda é que o candidato de Cristina Kirchner não convenceu os eleitores de que o governo de Cristina foi bom; e a terceira é a derrota do marqueteiro petista João Santana, o mesmo que mentiu aos brasileiros, mas não conseguiu iludir a população argentina. Fim da era peronista. Parabéns aos argentinos que optaram pela mudança e não se deixaram levar por ameaças eleitoreiras como, os brasileiros que votaram em Dilma Rousseff. Macri terá um grande trabalho pela frente, além da inflação mascarada, do déficit nas contas públicas, da queda de produtividade e muito mais, quando abrir o cofre. Mas uma coisa é certa: sua vitória tirará a Argentina do fosso chamado Mercosul. No Brasil, a maioria dos eleitores optou pelo mesmo e deu no que deu. O maior estelionato eleitoral já visto no País.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

PRENÚNCIO

 

Parabéns à Argentina, que acabou de eleger Maurício Macri e vai começar, antes que o Brasil, a se livrar do entulho corrupto, autoritário, populista e empobrecedor do bolivarianismo. A Venezuela que se prepare, pois as suas eleições vêm aí e o presidente eleito da Argentina já disse que vai, enfim, cobrar a aplicação da cláusula democrática do Mercosul (tratado que o Brasil assinou, mas finge que não existe). Que inveja dos argentinos! E o sr. Lula queimou a língua ao apoiar o sinistro esbirro derrotado de Cristina Kirchner. Esperamos que ainda esteja vigorando o conhecido efeito Orloff (“eu sou você amanhã”) nas relações entre Brasil e Argentina, e que isso seja apenas um prenúncio do que, um dia, ocorrerá com o Brasil. Não há mal que dure para sempre.

 

Luiz A. Módolo de Paula luaump@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

LIMONADA ARGENTINA

 

O populismo levou um duro golpe no último domingo (22/11), com a derrota do governista Daniel Sciole – representante do peronismo. Com um quadro de candidatos similar ao nosso de 2015, “los hermanos” deram um show! Dentre os três principais postulantes à presidência (um peronista, tal qual Dilma e o lulopetismo; um dissidente do modelo bolivariano argentino, a encarnação de Marina; e um opositor com uma proposta de política fiscal austera, o Aécio do pleito), os argentinos optaram pelo profundo ajuste, em detrimento de continuarem se iludindo com a politicagem demagoga. De limões fizeram uma limonada. Já nós (a maioria de nós) escolhemos ficar com a bagaça azeda...

 

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

 

*

NOVOS TEMPOS

 

Espero que a vitória de Mauricio Macri na Argentina seja o prenúncio de novos tempos na América do Sul, sepultando definitivamente pragas que assolam nossos países, como o lulopetismo e o bolivarianismo.

 

Fernando Fenerich ffenerich@gmail.com

São Paulo

 

*

UM PASSO ATRÁS

 

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli, afirmou que a volta do voto impresso no Brasil representa “um passo atrás”. Conforme parecer do TSE, estima-se que a adaptação do sistema poderá custar R$ 1,8 bilhão, como se este atual governo estivesse preocupado com isso. Contudo, tal valor foi contestado pelos técnicos do PSDB, que informaram que o valor não deve passar de R$ 300 milhões. Seja qual for seu custo, uma certeza nós temos: a de que evitaria manipulações de resultados – resultados que originaram prejuízos maiores ao País e à população.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

 

*

VOTO IMPRESSO

 

Por enquanto e pelo menos o Congresso Nacional derrubou o veto da ainda “presidenta incompetenta” Dilma Rousseff do voto impresso. A despesa, que segundo o desgoverno diz que vai gerar de R$ 1,8 bilhão, será muitíssimo menor ao prejuízo que nos causaram e que ainda nos causam as eleições fraudadas dos últimos anos. Importante é preparar as novas urnas eletrônicas com o “voto impresso” para as próximas eleições. É preciso interromper o quanto antes o processo “criminoso de poder” a que estamos submetidos. Fácil avaliar pelo mal momento que o povo brasileiro vem passando, com pouquíssimas possibilidades de reverter até 2018. Agora só vai ficar faltando o impedimento da presidente do País e dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, para evitar um mal maior.

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

*

AÇÃO IRREGULAR

 

Diante das provas documentais da propaganda política da candidata Dilma Rousseff por meio dos Correios, acredito que, agora, a palavra deve ficar com o sr. Rodrigo Janot e/ou com o Tribunal Superior Eleitoral.

 

João A. Wortmann wjoaoantunes@gmail.com 

Campo Grande

 

*

CONFISSÃO VELADA

 

No Congresso Nacional da Juventude do PT, no domingo (22/11), o ex-presidente Lula nem se atreveu a defender o partido dos fortíssimos indícios de que o PT desviou dinheiro da Petrobrás para financiar as campanhas presidenciais, suas e de sua sucessora. Fazendo uma espécie de confissão velada, aproveitando para atacar seu alvo preferido e em seu melhor estilo bravateiro, questionou: “Quero saber se o dinheiro do PSDB foi buscado numa sacristia”. O entendimento de que o do PT não foi ficou patente.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

 

*

ACREDITE QUEM QUISER!

 

Conforme noticiado, o ex-presidente Lula, ao discursar durante o Congresso da Juventude do PT recentemente realizado, exortou a plateia no sentido de ajudar a presidente Dilma Rousseff a “sair da encalacrada que a oposição colocou a gente (sic)”. Ressaltou também, no mesmo evento, que é preciso ganhar “2016” antes de “2018”. Asseverou, ainda, que o recebimento de propinas de que membros do partido estão sendo acusados só ocorreu em tese. Acredite quem quiser!

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

NA TERRA DE CEGOS

 

Para que o retrato do grande líder Lula decore as salas das repartições públicas deste país, só lhe falta posar de coroa na cabeça e cetro na mão. Pelo menos é o que se depreende das suas amiúdes intervenções políticas no governo de sua desastrada pupila.  Trocou, contundentemente, o “dilmista” Aloizio Mercadante pelo  seu camarada Jaques Wagner, concedeu mais dois ministérios ao já inchado  PMDB, e sabe-se lá o que ofertou ao ladino Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que ele mantenha em banho-maria o desfecho do impeachment no Congresso Nacional. E assim Lula demonstra não ter um mínimo de pudor em sua ânsia desmedida de poder. Como já presidente de fato, ele não se cansa de alardear, em sua verborragia característica: “Deixa a gente cuidar da política e da economia e bota ela (sua criatura) pra viajar”. Mais do que nunca na história dos ditados populares fica confirmado o clássico “beati monoculi in terra caecorum”. Ou melhor, em terra de cegos, quem um olho é rei.

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

O TEMPO PASSA, MAS...

 

O ex-presidente Lula continua o mesmo. Em entrevista na GloboNews, desdisse tudo o que tem esbravejado em discursos e reuniões petistas. Agora, é favorável ao ajuste fiscal, programa que tem sido seu alvo preferido para derrubar o ministro Joaquim Levy. Afirmou na cara dura que nunca trabalhou para que Henrique Meirelles assumisse o Ministério da Fazenda. Trabalhou, sim, tanto que a presidente Dilma, perguntada sobre o assunto, disse num lampejo de autoridade: “Todos sabem que admiro o ex-presidente, mas Joaquim Levy fica onde está”. Sobre os seus filhos, Luís Claudio e Fábio Luiz, o Lulinha, disse que a investigação do caçula pela Polícia Federal é chata, mas é bom para que prove que fez a coisa certa, e que o primogênito é alvo “da maior quantidade de mentiras da história deste país”. Terminou com a voz embargada e quase com as “lágrimas de crocodilo” que brotaram de seus olhos, ao falar dos boatos de que ele seria alvo da Operação Lava Jato. Criticou o que chama de “vazamento seletivo”, mas diz que o resultado final vai ser benéfico para o Brasil. De acordo com suas respostas, está tentando nos fazer acreditar que seus encontros com o ministro da Justiça foram somente para trocar figurinhas. “Nunca se viu tanta hipocrisia e cinismo na história deste país”.

 

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

 

*

ROSÁRIO DE BESTEIRAS

 

Ao assistir à entrevista de lula à GloboNews, fico a me perguntar como o Brasil elegeu pessoa tão despreparada para governar o País. Não tem coerência nem as respostas têm uma linha de sentido daquilo que lhe foi perguntado. Tenta falar de economia sem saber o que está dizendo, tenta se isentar de interferências no governo atual, quando todos sabem da sua atuação. Sempre querendo imputar a outros governos os males causados por ele e seu partido ao País, continua sendo o mesmo Lula de sempre: não viu, não ouviu nem falou nada a respeito do rombo da Petrobrás nem do mensalão ou de qualquer outro malfeito. Na verdade, não sei como um jornalista que eu pessoalmente reputo como bom e experimentado profissional deixou-se levar por aquele rosário de besteiras que foram as respostas de Lula. Senti-me insultado.

 

Minervino Silva minervinofelix@gmail.com

Maceió

 

*

CHUVA NO MOLHADO

 

Entrevistar Lula pode ser um prazer, o papo é bom, as bravatas ainda estão lá, mas, hoje, é chover no molhado. Faz tempo que suas novidades encravaram na agulha de um disco de 78 rotações arranhado...

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

VERGONHA NACIONAL

 

Lula, arrogante, é vaiado. Dilma, inquilina do palácio, não sabe o que fazer. Cunha é “blindado” para não seguir com o impeachment da presidente da República. Até quando o povo brasileiro vai aguentar tamanha falta de vergonha?

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

A PRESIDENTE INSISTE

 

Dilma Rousseff, agora, pensando estar livre de deixar mais cedo a Presidência, quer porque quer aprovar a nova CPMF. Ela diz que é o único modo de equilibrar as contas públicas. Com isso, ela está reconhecendo que as contas estão fora de controle, por culpa exclusiva de sua má administração anterior, com a ajuda do seu chefe gastador e de seu ex-ministro Mantega (o gênio da Economia). Depois, com aumento da carga tributária (lembrar que em substituição à CPMF extinta houve a criação do IOF sobre gastos no exterior, inclusive com enorme aumento de alíquota nas compras com cartões de crédito, além de aumento de IPI sobre diversos produtos), haveria “equilíbrio” das contas públicas. Mas não. Continuou gastando, torrando dinheiro em equipamentos rodoviários doando a prefeituras que não tinham (e não têm) condições de mantê-los, continuou a investir milhões em todas as mídias com propagandas do “governo federal”, quase todas desnecessárias e muitas das quais enganosas, que serviram para reelegê-la. Cortar os gastos da máquina pública ela não quer. O que ela quer é fazer a população brasileira continuar a pagar por sua incapacidade para governar. Fora CPMF!

 

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

 

*

LAMA PODRE E CPMF

 

Muito pior e maior do que a enxurrada de lama que escorreu a partir de 5/11, depois do rompimento da barragem de Mariana (MG), é o monumental mar de lama de corrupção institucional que está escorrendo desde 2003 – afetando a vida e o futuro de milhões de brasileiros. A solução eficaz é mesmo implantar logo a CPMF: Cadeia, Punição, Moralidade e Finalização.

 

Claudio Janowitzer cjano@terra.com.br

Rio de Janeiro

 

*

CPMF, O ÚNICO PLANO

 

Que tal a presidenta Dilma Rousseff parar de gastar dinheiro com suas besteiras, cortar na carne, cortar ministérios inúteis, parar de pedalar e de fazer um governo que prima pela corrupção, para poder equilibrar as contas? O que ela e seus asseclas ladrões pretendem é acabar com a população brasileira de maneira vil como cópia fiel do Estado Islâmico, com o qual ela queria negociar. Pois que vá negociar com eles e não volte mais – e leve Lula junto.

 

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

 

*

REALISMO MÁGICO

 

A política brasileira enveredou para o realismo mágico. O presidente da Câmara dos Deputados parece preso à cadeira com manobras típicas de Odorico Paraguaçu em Sucupira, mas sem o carisma do personagem. Talvez só o papa Francisco possa produzir um milagre ao dizer para Eduardo Cunha: “Levanta-te e caminha, pois esta cadeira não te pertence mais”.

 

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

*

AINDA HÁ TEMPO

 

Senhor presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ainda há ensejo para que seu nome, sua pessoa e suas dignidades, tanto moral como política, sejam livres de rolarem como a lama que destruiu a cidade de Mariana (MG). Atenda ao pedido de afastamento do cargo feito pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello, pelo menos durante a tramitação do processo conta si no Conselho de Ética da Casa. Como disse o ministro, “seria uma grandeza maior por parte do parlamentar, se o afastamento fosse espontâneo”. Mas o que o deputado fez foi dar um golpe baixo, sujo e covarde para fazer com que o trabalho do Conselho de Ética fosse suspenso: usando uma manobra vergonhosa, convocou uma sessão para abrir a ordem do dia no plenário e determinou que todas as sessões nas comissões em andamento fossem suspensas, atingindo, assim, o mencionado conselho. Que vergonha! Que lástima!

 

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br   

Assis

 

*

FORA CUNHA

 

Precisamos de uma deputada deficiente física para pôr esta nação de pé. Ela, que teve a coragem de denunciar os crimes de Santo André na presença de Gilberto Carvalho, que ouviu calado e se escafedeu, na semana passada teve a hombridade de mandar o presidente da Câmara dos Deputados para casa, convocando, a seguir, seus pares para retirarem-se da sessão, dando as costas para a mesa do presidente Eduardo Cunha. Parabéns, deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP). Quem sabe o Brasil tenha encontrado na senhora as qualidades indispensáveis para liderar esta nação, qualidades que até agora nenhum marmanjão demonstrou possuir.

 

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

 

*

GRITO DE ORDEM

 

Obrigada, deputada Mara Gabrilli, por me representar no seu grito de ordem! Como espectadores de um teatro nonsense, cabe a nós, eleitores, clamar por conduta como a sua para continuar acreditando nas eleições e, consequentemente, nos políticos deste país.

 

Daniele G. Antonio d.g.anttonio@gmail.com

São Paulo

 

*

NÃO DÁ MAIS

 

Resta saber até onde vai a infâmia de Eduardo Cunha tentando o impossível para manter-se no cargo de presidente da Câmara federal. Até por falta de opção, que seria a renúncia ao mandato, como sugerido por Mara Gabrilli e Marco Aurélio Mello – que o tornaria réu de Sérgio Moro –, Cunha se apega a uma coisa, aliás, a duas: a aliança secreta com Lula e Dilma para adiar enquanto possível a abertura do processo de impeachment da presidente e o apoio de seus aliados da baixa política, gente que lhe beija os pés. Dilma poderia dar um basta nessas indignidades se cortasse o acordo com Cunha e assumisse que esta situação, como está, não pode continuar. Se teme tanto a abertura do impeachment, contraria tudo o que proclama.

 

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo

 

*

PIZZA EM FORNO BRANDO

 

Conforme divulgado pelo “Estadão” de 19/11, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou a aliados que o impeachment ficará para 2016. Em jantar com deputados peemedebistas na semana passada, Cunha disse ainda não acreditar que o Congresso rejeitará as contas do governo e que fez acordo com o Planalto para aprovação da Desvinculação de Receitas da União (DRU). Segundo relatos de participantes do encontro ocorrido na semana passada, na residência oficial da presidência da Câmara, Cunha, que é alvo de pedido de cassação no Conselho de Ética da Casa, queria o apoio da oposição para não perder o mandato. O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, no entanto, já havia anunciado que seu partido não estará ao lado do presidente da Câmara, que agora tenta se aproximar do governo federal. Por essas e por outras, acredito que o pessoal do Planalto já está preparando, no capricho, uma deliciosa pizza para comemorar o início de 2016 e o fim deste nhém nhém nhém do impedimento de Dilma e da cassação do mandato de Cunha. Feliz 2018!

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

CAMBURÃO DO OUTRO LADO DA PONTE

 

Pior do que “Um país sem heróis” (editorial de 18/11, A3), é ele ser dominado por bandidos. Vence as próximas eleições presidenciais o partido que, além de abraçar a consistente “Ponte para o futuro”, do PMDB, se comprometer com a presença de um camburão do outro lado da ponte.

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

 

*

OS VÁRIOS ATENTADOS

 

O atentado em Paris e o atentado em Mariana (MG) parece que fizeram a oposição se esquecer dos atentados à Petrobras, ao BNDES, aos cofres públicos e aos brasileiros em geral, principalmente os mais pobres. Cadê a oposição, alguém aí viu? Dilma continua seu desgoverno, Cunha continua desgovernado e a oposição não sabe se quer o impeachment, se é melhor continuar com o Cunha ou se conversa com Lula. Enquanto isso, a crise se alastra, sem fim, sem prazo de validade, sem a gente poder dizer “ufa, acabou!”.

 

Luiz Gonzaga Tressoldi Saraiva lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

 

*

TRAGÉDIA ESPERADA

 

O impacto ambiental causado pela tragédia das barragens de Mariana (MG) pode ser um aviso e um exemplo sobre o que poderá acontecer nas obras da subida da Serra de Petrópolis. Estamos iniciando a época das grandes chuvas de verão. As obras estão praticamente paradas, com inúmeras intervenções de fortes desmatamentos, com o solo exposto, localizadas em declividades acima de 45º. Não é preciso ser nenhum cientista ou técnico famoso para perceber que o perigo de deslizamentos e mortes ao longo da estrada está anunciando uma nova tragédia. Por que não se recuperou a antiga ferrovia Leopoldina, que já tinha seu leito pronto, e não se implantou um trem moderno com gôndolas para levar carros e caminhões, além dos vagões de passageiros? Poder-se-iam resolver vários problemas de transporte numa via congestionada, além de oferecer uma valiosa ferramenta para incrementar a visitação à cidade imperial numa região cuja vocação é indubitavelmente o turismo.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

DOAÇÃO POR MARIANA (MG)

 

Há pouco tempo foi o icônico Roger Waters sugerindo às prima-donas hedonistas, vestais da MPB – alguns que adoram aparecer vestidos de black blocs incendiários –, como um artista genuíno, ativista político, deve fazer frente a certas questões essenciais. Agora veio a banda Pearl Jam aqui, a Minas Gerais, ensinar cidadania e política com P maiúsculo aos artistas quarto-mundistas. Este milhão doado por estes cavalheiros, cidadãos ingleses, que em tese não têm nada que ver com o peixe do Rio Doce, vai fazer a diferença para as famílias atingidas. E onde estariam nossos artistas nesta hora? Estariam articulando alguma ação pró-Mariana ou continuarão a aplicar sua celebridade para usufruto pessoal? “Is it evolution, baby”? 

 

Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br

Cotia

 

*

SEGURANÇA NA OLIMPÍADA

 

A França ofereceu ajuda ao Brasil para que haja segurança nos Jogos Olímpicos de 2016. Não consegue cuidar nem de si própria, e seu cacique quer ajudar a outra cacique, Dilma Rousseff? Ou será que se trata de apenas “participar” das propinas que de fato haverá? Brasil e França não parecem países sérios.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

MELHOR SE PREOCUPAR

 

Claro que a presidente criatura não poderia passar sem murmurar besteiras ao comentar o terrorismo que sacudiu Paris e mexeu com toda a Europa, mas, segundo ela, o Brasil não tem por que se preocupar com este problema por não termos fronteiras com a Turquia e proximidade de países aonde chegam diariamente milhares de imigrantes fugidos do terror implantado pelo Estado Islâmico. A presidente se esqueceu de que, no ano que vem, haverá uma Olimpíada no Rio de Janeiro e, claro, torna-se um evento mais que chamativo para os bárbaros praticarem terrorismo, principalmente contra atletas ocidentais como os dos EUA e da Europa. Ela, como sempre, é provável que não saiba do que aconteceu nos Jogos de Munique em 1972, portanto, em vez de boquejar imitando seu criador e dono, melhor seguir conselhos dos países com experiência no assunto e pensar desde já em reforçar – e muito – a segurança durante os Jogos Olímpicos do Rio.

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

 

*

TERRORISMO

 

Os terroristas do Estado Islâmico conseguiram o que nem a ONU conseguiu: unir americanos e russos na mesma guerra e do mesmo lado.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

INIMIGO DO INIMIGO

 

Todo o mundo ocidental está surpreso com a união de Estados Unidos e Rússia contra um objetivo comum. Vamos ter de saber lidar com a famosa frase “o inimigo do meu inimigo é meu amigo”. O mundo islâmico terá de se alinhar por este caminho também. O mal do terrorismo está trazendo um bem, tanta guerra separou o mundo em dois e, de repente, o mundo acordou unido num objetivo comum: acabar com estes grupos radicais islâmicos.

 

Joao Braulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

 

*

SUICIDAS

 

A pergunta sem resposta: como se defender matando quem quer morrer?

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

FALTA DE SEGURANÇA EM SP

 

Dá revolta ver os assaltantes roubando e agredindo as pessoas que vão ao Brás, em São Paulo, fazer compras à procura de preço baixo. Como, infelizmente, a Polícia Militar só vai ao local cumprir a sua obrigação (segurança), quando as imagens aparecem na TV, logo depois, tudo volta à rotina de cenas revoltantes. Para contribuir ainda mais, os meliantes detidos logo serão soltos e voltarão à velha e vergonhosa rotina. O povão que se lasque. Hoje falta segurança para tudo nesta cidade.

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

ESCOLAS INVADIDAS

 

Estudantes adolescentes e pré-adolescentes (visto que uma menina de 11 anos teve de ser retirada de uma escola em Piracicaba pelo Conselho Tutelar) estão servindo de massa de manobra do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo, a Apeoesp (diga-se, Bebel) ao invadirem mais de 60 escolas para criar um tumulto em São Paulo que equilibre a balança do PSDB com o PT embrulhão do Planalto. Eles ainda sonham em passar a mão em São Paulo, considerada por eles mesmos como a joia da coroa. Perguntou-se a uma dessas garotas, Vanessa Alves, por que ela é contra a reorganização escolar no Estado, e ela respondeu: “Falta infraestrutura, não temos cantinas, a quadra está interditada há quatro anos...”. Mas o que tem a ver isso com a reorganização do ensino e da rede? Outro diz que está lá ocupando a escola porque ela está com goteiras. Na verdade, são garotos usados, de consciência lavada e enxaguada pelo discurso ideológico de Bebel, nada mais. Porém, estão servindo à causa e muito bem, ocupando as escolas e não aceitando sair para abrir diálogo. É uma queda de braço com o governo. Se eu fosse o Estado, trataria esses meninos como se tratam os rebelados nos pavilhões de menores infratores: fecharia água e luz e não deixaria nada entrar nas unidades. São garotos fortes, saudáveis... um pouco de pulso forte e disciplina viria a calhar, e deixem os direitos humanos clamar pela petizada insubordinada. Nós estamos com Geraldo Alckmin, e ele sabe.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

O DETRAN VIROU MAC

 

O emperramento do tráfego de veículos em São Paulo cria neuróticos, para dizer o mínimo. A eliminação de pontos de estrangulamento é essencial, muito embora, obviamente, não seja essa a solução definitiva que passa pelo transporte massivo digno. Ocorre que os paulistanos, assim como os brasileiros, não podem esperar mais por soluções, ainda que provisórias. A desativação do velho prédio do Detran e sua transformação no Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo (USP) provoca invariável congestionamento naquele entorno, em bifurcação da Avenida 23 de Maio. O imprescindível MAC pode ser alocado em áreas ainda livres do campus, por exemplo, entre o IPT e o Ipea. Os usuários do museu teriam mais fácil acesso. E a implosão daquele prédio que enfeia nossa cidade e estrangula a passagem dos veículos seria uma grande solução.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

‘O CENTRO E A PERIFERIA DE NÓS MESMOS’

 

Excelente o artigo do ex-ministro Ayres Brito (“O centro e a periferia de nós mesmos”, 22/11, A2), refinada sensibilidade poética com riqueza das suas costumeiras metáforas, em particular, o pouso das garças brancas ao fim da tarde nos ramos do manguezal e decolagens nas manhãs, infinitamente brancas, sem a contaminação da lama escura do mangue. A observação ao presidente Thomas Jefferson no quesito honestidade é procedente e relevante, mas como fazendeiro do Estado de Virgínia, objeto de severas críticas no tocante à escravidão nos Estados Unidos. Lembrou-me, entretanto, da observação do meu saudoso pai, advogado Francisco Gadelha, que costumava repetir a Constituição de somente dois artigos, proposta pelo historiador Capistrano de Abreu, natural de Maranguape no Ceará: “Art. 1.º – todo brasileiro tem obrigação de ter vergonha na cara. Art. 2.º – revogam-se as disposições em contrário”.

 

Sérgio Brasil Gadelha sbgadvocacia@gmail.com

São Paulo

 

*

GARÇAS DE ARACAJU  

 

Alvos como os lírios do campo ou como a “plumagem das garças de Aracaju” (conforme as palavras do ilustre Carlos Ayres Britto em seu precioso artigo no “Estado” de 22/11) é exatamente como a maioria dos políticos brasileiros não faz questão de estar... Eles preferem mesmo chafurdar no lodo fétido da corrupção, pois é lá que desabrocham os milhões de reais (ou dólares...) que lhes trarão alegria! Somente naquilo que o dinheiro pode proporcionar reside a ideia tosca que estes “representantes do povo” fazem de felicidade.

 

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos

 

*

INDICAÇÃO POLÍTICA

 

Na reportagem publicada no dia 17/11/2015 sobre a greve dos funcionários da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), a jornalista que representa os empregados afirma que a proporção de cargos indicados politicamente na estatal de comunicação é de 70%. Infelizmente, esse festival de cabides não é exclusividade da EBC. Na Prefeitura de Embu das Artes, que também é administrada pelo PT, são comuns os comentários de que há muitos funcionários contratados por QI (quem indica) e poucos por comprovada competência, experiência e mérito.

 

Celso Nobuo Kawano Jr. cn.kawano@gmail.com

Embu das Artes

 

*

DESABAFO

 

Enquanto nossos governantes (os Três Poderes) têm certeza de uma polpuda aposentaria vitalícia, “que de maneira alguma onera o orçamento do País”, os brasileiros e brasileiras que trabalharam 30, 35 anos ou mais são vítimas, como eu, da “homeopática eutanásia” que nos foi impiedosamente imposta pelo governo Fernando Henrique Cardoso e sacramentada na semana passada, quando a Câmara dos Deputados aprovou o veto da “presidenta” Dilma a um aumento um pouco mais decente aos (com letras maiúsculas) VERDADEIROS TRABALHADORES BRASILEIROS que, hoje aposentados, veem seu padrão de vida despencar e são obrigados a voltar a trabalhar (mesmo sem nenhuma condição física), a recorrer a empréstimos escorchantes e até mesmo a se desfazer de seus bens, duramente adquiridos, na desesperada tentativa de sobreviver com dignidade. Um viva aos governantes do meu país!

 

Joaquim Rios joaquim3rios@gmail.com

São Paulo

 

*

APOSENTADORIAS

 

Pelo jeito, quem está conseguindo segurar o limite de 49% do gasto com funcionário são os aposentados, porque é a única folha que não tem aumento. O sr. governador, burlando a Constituição, vem dando abono por merecimento aos ativos, assim,  legalmente, não se vê obrigado a repassar para os aposentados. Ou, pela pior das hipóteses, deve ter se esquecido completamente de que esta classe existe. E, se lembra, esqueceu qual foi o último ano que concedeu esse privilégio – e bota ano nisso. Acorde, sr. governador, 2018 vem aí e a Lava Jato não para.

                                                                                 

Roselys de Almeida roselys2009@gmail.com

São Paulo

 

*

O VETO DE DILMA

 

Os aposentados são as maiores vítimas da injustiça social provocada pela corrupção do governo, com o apoio do Congresso Nacional que aí está.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

QUEM ARMOU A BOMBA?

 

“Envelhecendo rápido – alegrias e desafios”, artigo de José Pastore (17/11, B2), merece algumas considerações: quem armou a bomba? Por que o sistema está falido? Como se sabe, a Previdência dita urbana (composta dos que pagaram e dos que pagam) é superavitária, isto é, sua receita é maior que sua despesa. O rombo foi armado pela Constituinte de 1988, com a inclusão dos trabalhadores rurais na Previdência sem a devida fonte de receita, sem contar com outros programas assistenciais do governo, pendurados no INSS sem a devida contrapartida. O sistema está falido porque, além do já mencionado, existem 980 mil funcionários do governo que se aposentam com salário integral, cujos reajustes anuais não são pelo INPC, e, sim, pelos mesmos porcentuais dados aos da ativa. Essa privilegiada categoria (980 mil) ocasiona um rombo igual aos 30 milhões de aposentados, incluindo aí os que nunca contribuíram e os assistidos acima citados. Não se pode esquecer também das contribuições governamentais, que são convenientemente esquecidas. Resumindo, se quem pagou e paga (Previdência urbana) a conta é superavitária, há que se concluir que a “bomba” não foi armada por esses contribuintes. Se nossos filhos e netos forem justos e bem informados, eles saberão de quem cobrar.

 

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com

São Paulo

 

*

MEGA SENA

 

Há algo de estranho com a Mega Sena. Dez sorteios seguidos acumulando, e já se chegou ao astronômico prêmio de R$ 200 milhões, superando a Mega da Virada. Só há uma explicação: o caça-níquel Joaquim Levy está desesperado atrás de qualquer milhãozinho para pagar os juros da dívida, para conseguir o tal do superávit primário.

 

Francisco J. D. Santana franssuzer@gmail.com

Salvador

 

*

TIREM O CAVALO DA CHUVA

 

Acumulou pela décima vez o prêmio da Mega Sena, e novamente vem aquela pulga na orelha que me atormenta da mesma forma quando ocorrem as eleições. O meu prognóstico é de que vamos ter pelo menos mais dois acúmulos, pois o atual montante é muito baixo para as pretensões dos ratos magros. Tirem o cavalo da chuva, o prêmio sairá para apenas uma pessoa “moradora” do cafundó do Judas, e somente os detentores da informação saberão quem é a felizarda. Desculpem o meu ceticismo, mas estou ainda vivendo neste país que se tornou nos últimos tempos o paraíso dos malfeitores, mesmo se comparados com o singelo escândalo dos anões do Orçamento, quando o deputado João Alves, do partido Arena, confirmou ter ganhado 13 vezes na loteria.

 

Alberto Bastos C. de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

 

*

CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL

 

Antecipadamente, o Corinthians sagrou-se campeão brasileiro da série A e, na 36.ª rodada, o campeão goleou o São Paulo por 6 a 1. A campanha é inquestionável: em 36 jogos, somou 80 pontos, venceu 24, perdeu 4 e empatou 8, fez 70 gols e sofreu 28, tendo um aproveitamento de 74%. Enfim, diante dos números, o “Timão” sobrou. Eu sou verdinho, mas congratulo a nação corintiana.

 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

 

*

CAMISA PIXULECO

 

Parabéns ao Corinthians pela conquista do Campeonato Brasileiro. A única coisa que destoou foi a camisa comemorativa, que remete ao fardamento do “Pixuleco”. Seria uma coincidência ou uma homenagem ao viabilizador da Arena Corinthians, o ex-presidente Lula?

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

PIXULECORINTIANO

 

Depois de 60 anos, deixo de torcer pelo Corinthians. Uniforme de “Pixuleco”, homenageando ladrão, para mim, foi demais. Adeus, Corinthians. Fique com a sua quadrilha.

 

Renato Pires repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

 

*

CORINTHIANS CAMPEÃO

 

Nada mais coerente o Corinthians ser campeão brasileiro nestes tempos conturbados de corrupção no futebol.

 

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com 

São Vicente

 

*

ADMINISTRAÇÃO MODERNA

 

Título do “Coringão” comprova que este negócio de pagar salário de jogador em dia é balela.

 

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.