Fórum dos leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2015 | 03h00

Prisão

Foi preso o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do governo no Senado. Que governo?

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Milagre de Natal

Enquanto os brasileiros ainda digerem a prisão do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo/irmão de Lula, eis que, em menos de 24 horas, o líder do governo no Senado também vai pra trás das grades. Nesse ritmo, é melhor preparar Papai Noel para assumir o controle do País...

ELIANA PACE

pacecon@uol.com.br

São Paulo

A coisa está tão feia para os petistas que, se Papai Noel for esperto, este ano ele não vem com a tradicional roupa vermelha.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Dia histórico

Após 74 anos de vida vejo serem presos um senador, por obstrução de justiça, e um grande banqueiro. Parabéns à Justiça e à Polícia Federal. Afinal, aparece uma chama de esperança.

WALDYR SANCHEZ

waldyrsanchez@gmail.com

São Paulo

Tempo de Lexotan

Nunca antes na História deste país um senador da República – do PT, óbvio! – fora preso, como ontem o foi o sr. Delcídio Amaral. E com provas irrefutáveis de que urdia uma operação digna de Hollywood para frustrar a Justiça, evitar a delação premiada e dar fuga a um dos pivôs da Operação Lava Jato, o ex-diretor da Área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró. Não contavam com a Lei de Murphy e tampouco com a astúcia do filho de Cerveró, que gravou toda a conversa e divulgou o conteúdo da gravação, expondo o que qualquer pessoa minimamente informada já sabe: o Brasil está sendo governado por uma máfia muito perigosa, que precisa ser contida a qualquer custo. Mais um da gangue vai conhecer a “hospitalidade” do sistema prisional que certos “heróis do povo brasileiro”, como José Dirceu, José Genoino, André Vargas, João Paulo Cunha, João Vaccari Neto e Delúbio Soares, segundo a neta de Lula, conhecem tão bem. Que outros da camorra vermelha a eles se juntem é o que anseia a pátria amada, dilapidada e subtraída em tenebrosas transações!

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Conduta exemplar

O PT começou com presos políticos e agora é um partido de políticos presos. Pode até ser que quem mandou prender não tenha motivo claro, mas o político sabe bem por que foi preso.

AIRTON MOREIRA SANCHES

moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

Será uma questão de tempo e todos os líderes e parlamentares do PT estarão presos. Lembrando Nelson Rodrigues, “toda corrupção será castigada”.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Com a gravação de Bernardo Cerveró incriminando Delcídio, o banqueiro André Esteves, etc., resta a nós, cidadãos brasileiros, a esperança no Ministério Público e na Polícia Federal, instituições impolutas que o PT não conseguiu aparelhar.

ANTONIO CLAUDIO SALCE

claudiosalce@papirus.com

Indaiatuba

Perplexidade

O Congresso se diz perplexo com a prisão do senador Delcídio. Oh! De perplexidade em perplexidade, a Lava Jato vai tirando a máscara dos que fazem do Brasil lugar para suas práticas sujas. Atenção, congressistas, a porteira foi aberta! E um passinho à frente, que atrás vem gente.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Alcateia

A prisão do senador Delcídio foi apenas uma amostra do que poderá acontecer doravante. Porém duvido que o Senado aprove a prisão, porque, como dizia o saudoso professor Basileu Garcia (Direito Penal, USP, década de 1950), “lobo não come lobo”.

WALTER ROSA DE OLIVEIRA

walterrosa@raminelli.com.br

São Paulo

O amigo do peito

Se a 21.ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Passe Livre, que resultou na prisão de José Carlos Bumlai, amigo de Lula, foi recebida com preocupação no Palácio do Planalto, imagino a apreensão do PT quando a 51.ª fase, batizada de Operação “Branquinha”, chegar pra valer.

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

A prisão do companheiro Bumlai com certeza preocupa também o petista Lula. Não é difícil imaginar quanta sujeira ainda se encontra sob os tapetes do Planalto. Com certeza, o lulopetismo tem e terá consequências nefastas para o nosso país.

JOUBER TUROLLA

j.turolla@hotmail.com

Rio Claro

Por que será que quase todos os figurões corruptos indiciados e/ou presos são amigos do Lula? Mera coincidência?

SERGIO DIAMANTY LOBO

diamanty18@gmail.com

São Paulo

Poucos são os privilegiados “amigos do presidente” que estão livres da Justiça. Lula conseguiu a proeza de ver seus melhores companheiros no xadrez. Ele está mais para “amigo urso”, pois acha que sua vez não chegará.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Amizades renegadas

Cícero, citando Ênio, em Da Amizade, XVII, 64: “Amicus certus in re incerta cernitur” – o amigo certo se conhece na hora incerta.

EDUARDO MENEZES SERRA NETTO

decimoserranetto@uol.com.br

São Paulo

Brasil x Argentina

A História tem mostrado repetidas vezes a veracidade daquele dito: o Brasil será a Argentina amanhã. Faço extremos votos de que isso se repita mais uma vez, para glória de argentinos e brasileiros e, assim, nos livramos do emaranhado político em que vivemos. Parabéns à Polícia Federal pelas últimas ações da Operação Lava Jato, que poderão abreviar a volta a melhores dias para a nossa população.

DOMINGOS DE SOUZA MEDEIROS

dymanche@terra.com.br

Dourados (MS)

*

DESTRUIÇÃO DE REPUTAÇÕES

Difícil de acreditar que um dia aconteceria: a prisão, determinada por unanimidade pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), de um parlamentar em pleno cumprimento de mandato, líder do governo no Senado, sr. Delcídio do Amaral (PT-MS), por acusação de atrapalhar investigações coordenadas pela Justiça, além de apresentar proposta de plano mirabolante contendo articulações que facilitariam a fuga de Nestor Cerveró – ex-diretor da Petrobrás que acabou fechando acordo de delação premiada – para a Espanha, em troca de polpuda compensação financeira e mesada vitalícia, assegurando, ainda, em gravações, que providenciaria  com  “ministros que tem no STF” uma maneira de terminar com a Operação Lava Jato. Resta saber, agora, de posse dessas divulgações explosivas, com que base o deputado Wadih Damous (PT-RJ), um dos queridinhos do ex-presidente Lula, cogitado até para assumir o Ministério da Justiça, continuará a insistir em atribuir aos procuradores encarregados de conduzir a operação a culpa por estarem “destruindo reputações”. São reputações como esta, do senador, que ele está procurando preservar?

Paulo Roberto Gotaç prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DELCÍDIO DO AMARAL

A prisão do líder do governo no Senado federal e no Congresso Nacional mostra a degradação da política brasileira e o nível da indicação feita pela presidente da República.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

ACERTO POR TELEFONE

O trecho da conversa telefônica entre Delcídio do Amaral e Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, deveria ser estampado, na íntegra, na primeira página do “Estadão”. É a oportunidade perfeita para mostrar ao Brasil e ao mundo a que ponto chegou a canalhice deste Partido dos Trabalhadores (PT) e desmantelar esta quadrilha.

Roberto Castiglioni rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

*

A PROPOSTA

A Polícia Federal prendeu o senador Delcídio do Amaral, líder do governo no Senado, e o banqueiro André Esteves, do BTG-Pactual. A preocupação maior do governo recai sobre o banqueiro. Quanto ao senador, cabe a indagação: que tipo de políticos colocamos no Congresso? Não há um que não legisle em causa própria. Quem se salva neste Congresso? Contam-se nos dedos – e vão sobrar dedos. E o povo pensando que foram eleitos como nossos representantes e para governarem em nome do povo. Tem gente que ainda acredita nisso? Viram a proposta feita pelo senador Delcídio ao ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró, de um pagamento mensal de R$ 50 mil para não ser citado na delação premiada, além da oferta de uma rota de fuga? Que tipo de político é este?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ALGUÉM TEM DÚVIDAS?

A prisão do senador e do banqueiro camarada feriu seriamente o lulopetismo, principalmente o chefe Lula. Rumores dão conta de que o senador queria dar mesada de alto valor para Cerveró ficar calado. Estranho. Por que será? Ainda temos dúvida de que o Brasil não é um país sério? Aguardemos os próximos capítulos.

Jouber Turolla j.turolla@hotmail.com

Rio Claro

*

O SENADOR E O BANQUEIRO

Peixinhos como lambaris e sardinhas têm passe livre e podem ser pescados. Já o tubarão, não.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

GOLPE DE MISERICÓRDIA

O senador do PT Delcídio do Amaral era aparentemente uma das figuras com mais credibilidade do partido, tinha diálogo com as oposições e se apresentava como alguém sério e confiável. Confesso que nutria certa simpatia por ele, pela sua atuação na época do escândalo e do julgamento do mensalão, mas eis que cai a máscara e vê-se que ele não passa de mais um político da pior espécie, como atualmente se vê aos borbotões na política brasileira. Delcídio caiu numa armadilha muito bem engendrada por Nestor Cerveró e seu filho. Toda a gravação deste ato canalha de pressão e chantagem foi entregue ao STF, que, cumprindo sua missão, por unanimidade de votos, mandou prender o senador. Para o PT como um todo e para Lula, Dilma e Rui Falcão podemos dizer foi um golpe de misericórdia, sem chance de negar e de tergiversar sobre a culpa e atuação neste caso de Delcídio do Amaral, já que a prova é contundente. Logicamente, para os petistas em geral, por sua cegueira política, brevemente o senador se tornará mais um guerreiro do povo brasileiro.

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com

São Paulo

*

O PARTIDO E A CORRUPÇÃO

Os petistas começaram a ser presos de baciada.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

LÁ SE FOI MAIS UM

Agora, Delcídio é a bola da vez. Será que o PT ainda se considera um partido ou um comando?

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

DEMOCRACIA JOVEM

O diabo com cara de anjo é o exemplo típico da figura do senador Delcídio do Amaral. Nunca se pensou que o senador com aquela postura imaculada, com aqueles cabelos brancos e com suas palavras ilibadas escondesse um corrupto componente do time do PT. A prisão de um senador com mandato em exercício é a prova de que a Polícia Federal e a Operação Lava Jato estão trabalhando independentemente dos lobbies arquitetados pelo ex-presidente Lula e seus companheiros. A democracia brasileira está nascendo. É jovem, porém já está na juventude e amadurece rapidamente. Acredito que em breve teremos um país mais justo e com melhor qualidade de vida.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

EXEMPLO DE ISENÇÃO

O STF dá exemplo de isenção decretando a prisão de um senador. Esperemos que assim continue.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

SENADO, ‘CASA DE TOLERÂNCIA’

O Senado federal, embora sem a efervescência da Câmara dos Deputados, mantinha na atual legislatura uma serenidade intrigante. Não só por sua direção, personificada na pessoa do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) – um indivíduo impregnado pela suspeição –, vinha oscilando entre o abismo e o paraíso. Convenhamos, desde a renúncia do atual presidente e sua absolvição pelo Conselho de Ética – lembram-se da criança Catarina, cuja pensão era paga pela Mendes Júnior? –, da cassação do mandato de Demóstenes Torres e passando pela implicação de uma plêiade de senadores na Lava Jato, incluindo Delcídio do Amaral, aos observadores mais atentos o Senador federal não retornou mais ao seu eixo de decisões serenas e dotadas de sabedoria. Tornou-se praticamente uma “casa de tolerância”: com seu presidente respondendo a processo criminal no STF – ainda pelo favorecimento da Mendes Júnior – e outros senadores investigados pelo mesmo tribunal, a maioria expressiva dos seus membros passou a operar em favor da atual presidente da República e disposta a mantê-la no cargo, apesar dos seguidos escândalos de corrupção, a qualquer custo. Com este quadro, embora haja alguma perplexidade, pelo inusitado do acontecimento, a prisão do senador Delcídio do Amaral não haverá de nos causar maior comoção, mesmo porque se trata apenas de mais um escândalo nesta conturbada passagem do petismo pela direção do País. Atentem-se: quanto maior for sua longevidade no poder, mais intensos serão os nossos desatinos.

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

ESPANTO NO SENADO

Durante o dia de ontem, o que mais as TVs mostraram foram as reações de senadores e demais políticos espantados com a prisão do senador petista Delcídio do Amaral, autorizada pelo STF, porque estava agindo para que um envolvido na Operação Lava Jato, Nestor Cerveró, não fizesse acordo de delação premiada com a Justiça – em troca o senador lhe ofereceria meios para se escafeder do País via Venezuela ou Paraguai, para chegar à Espanha, e uma mesada. Interessante ver as reações dos políticos, como se sentindo ultrajados porque, segundo os caras de paus, a prisão manchou o Senado, assim como o deputado Eduardo Cunha fez com a Câmara dos Deputados. Câmara e Senado, que formam o chamado Congresso Nacional, hoje são mais conhecidos como “Cambalacho Nacional”, pela quantidade de políticos envolvidos em escândalos. Mais um ou menos um não muda o retrato da instituição, já manchada há muito tempo.

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

*

PROFUNDO NOJO

Quando pensávamos que o governo Dilma já havia mergulhado no mais fundo deste mar de corrupção, incompetência e bolivarianismo abjeto (ver o notável artigo “A jihad petista”, de Modesto Carvalhosa, 25/11, A2), somos brindados com a cereja do bolo. A prisão do sr. Delcídio do Amaral e a divulgação de suas conversinhas de mafioso gravadas inspiram o mais profundo nojo ao Brasil que trabalha e luta para sobreviver no clima criado por este governo criminoso. E ainda somos obrigados a ouvir o sr. Humberto Costa, líder do PT no Senado, dizer que “tudo o que foi dito até agora são questões que correm totalmente ao largo do governo”! Será que esse imerecido senador sabe que seu colega preso hoje é apenas “líder do governo no Senado”? Como tem a coragem de proferir tal despautério? É mais um que pensa que os brasileiros são todos uns idiotas.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

MAIS UM GUERREIRO

O senador grande líder do governo na Câmara Alta se junta ao seletíssimo grupo de heróis formado por José Dirceu, José Genoino, João Vaccari Neto, Delúbio Soares e, ainda, o por vezes esquecido André Vargas. Imagino o júbilo que toma conta dos milicianos da juventude stalinista, digo petista, por terem, a partir de hoje, mais um paradigma de retidão e caráter em que se espelhar. Aguardo ansioso o pronunciamento da jovem neta do grande “guia do povo” enaltecendo o senador.

João Alfredo Branco jmartinsbranco@gmail.com

São Paulo

*

A ORDEM ERRADA

A neta de Lula inverteu a ordem das suas palavras.  Ao se referir aos ladrões encarcerados, disse: “São presos políticos”. Errou. São políticos presos.

William W. B. Veale william.veale@terra.com.br 

Sorocaba

*

NUNCA ANTES...

“Nunca antes na história deste país” um senador tinha sido preso em pleno mandato. Parabéns, PT e petralhas, por mais este recorde!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

CHANCE

Parabéns ao PT. Nunca antes na história deste país (sic) um senador foi preso durante o exercício do seu mandato. Finalmente, a Nação terá a chance de saber se o artigo 53 da Constituição é ou não mera peça de ficção jurídica.

Ataliba Monteiro de Moraes Filho ataliba@outlook.com

Araçatuba

*

O INACREDITÁVEL: CHEGOU LÁ

E a casa caiu! Pela primeira vez na história da República o Supremo Tribunal Federal mandou prender um senador no exercício de seu mandato. Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do governo Dilma no Senado, foi preso por acusação de obstruir as investigações da Operação Lava Jato. A acusação foi baseada em gravação em que o senador preso trata com o filho do ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró, de uma “mesada mensal” de pelo menos R$ 50 mil para que Nestor não fechasse acordo de delação premiada. Informa, ainda, a procuradoria que Delcídio disse que influenciaria ministros do STF para conceder “habeas corpus” a Cerveró, tratando, inclusive, de uma eventual rota de fuga para o exterior. Quem não acreditava que a investigação chegaria lá? Chegou!

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

CAUTELA

 

É preciso cautela com relação à prisão de um senador ou deputado em exercício, à exceção de real flagrante delito ou sentença condenatória definitiva. Não nos parece que no caso do senador Delcídio tenha ocorrido flagrante delito. O Judiciário, em especial o federal, há algum tempo trava uma espécie de batalha com o Legislativo e o Executivo, por salários e vantagens cada vez mais elevados. Dessa forma se imagina que um juiz, “com uma pena e papel”, possa se valer da intimidação. Na realidade, em qualquer país, força real quem tem são as Forças Armadas e o presidente da República, que é seu comandante-em-chefe e tem poderes para decretar Estado de Sítio se as instituições falham gravemente. Não nos lembramos de que na época do chamado “regime militar” algum magistrado tenha tido a ousadia de contestar o regime – então foram coniventes. Seria o caso de usarmos a expressão de Stalin quando lhe falaram sobre o “poder” da Igreja Católica e do papa. Ele respondeu: “Quantas divisões (de exércitos) tem o papa?”. Afinal, quantas divisões tem o Judiciário?

 

Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

 

*

FORA DILMA

Presidente Dilma Rousseff, depois da prisão do senador Delcídio, líder do seu governo no Congresso, a senhora, se lhe resta alguma dignidade, deveria renunciar já. Não está provado se a senhora roubou, mas está evidente que a senhora não consegue nem tem capacidade e visão para formar um time de pessoas capacitadas, retas, com caráter, honestas, ilibadas e que tenham dignidade e respeito pelos anseios deste povo que está sofrendo com a incompetência do governo. Tudo o que tem de ruim em termos de políticos está ao seu lado e com a sua conivência. Assuma: a senhora não consegue mais nada, a não ser afundar ainda mais o nosso país cada dia a mais que fica no governo. Para o bem do povo e recuperação do nosso Brasil, facilite as coisas, renuncie e seja feliz.

Helio Wellichen wellichen@icloud.com 

Campinas

*

SENADOR PRESO

Mais um líder petista preso. Mais um que passa a integrar o time dos “guerreiros brasileiros”?

Odilon Otavio dos Santos

Marília

*

NAS BARRAS DA JUSTIÇA

Significado de PT: Podridão Total.

 

Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

*

PROJETO DE ASSALTO AO ESTADO

A prisão do pecuarista José Carlos Bumlai é sem dúvida um divisor de águas nas apurações dos escândalos de corrupção que permeiam o noticiário brasileiro desde a ascensão de Lula ao poder, em 2003. Mais do que ligação direta com o ex-presidente, Bumlai representa um elo entre os casos de corrupção conhecidos do lulopetismo (mensalão, petrolão e seu desmembramento, o eletrolão, além dos empréstimos do BNDES), evidenciando que se instaurou no País um projeto de assalto ao Estado. Já na quarta-feira (25/11) o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) foi levado a Curitiba, preso durante o exercício de seu mandato (!). Por mais que as instituições estejam funcionando, não posso crer que este projeto criminoso de poder foi arquitetado e executado por figurões do Legislativo. Mais quanto tempo para que as investigações atinjam os chefões?

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

*

OS FINS E OS MEIOS

Os brasileiros devem contemplar as sérias implicações do excelente artigo de Modesto Carvalhosa sobre a “jihad petista” (“Estadão”, 25/11, A2). Pelos seus “heróis”, os jovens jihadistas do PT consideram que os fins justificam os meios, mesmo sendo atos violentos ou de lesa-pátria. Esta corrente deve ser contida a tempo, pela persuasão, pois alguns exaltados (ou desequilibrados) podem pensar no martírio pela causa, com consequências desastrosas. Exemplos no mundo inteiro não faltam.

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

‘TERRORISMO TUPINIQUIM’

O brilhante artigo de Eliane Cantanhêde (“Terrorismo tupiniquim”, 25/11, A7) bem que poderia ter sido assinado pelo Instituto Lula. Para eles, a culpa é sempre dos outros e o PT é o perseguido pela mídia e pela classe média “coxinha”. Só falta agora o Lula ou Rui Falcão dizerem que o Delcídio do Amaral é um tucano infiltrado no PT.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

SANTO DE BARRO

Do jeito que vai o andor, o santo de barro já se quebrou faz tempo. Só tenho de avisar Rui Falcão e Lula, cabeças do PT, em chamas, que o último que for para Curitiba ou para a Papuda apague a luz da falta de escrúpulos, de vergonha na cara e do assalto à Petrobrás. Este é o PT que um dia eu acreditei que fosse honesto?

Evelin Baruqui L. VLhafer vlhafer@bol.com.br

São Paulo

*

MUDANÇA DE ENDEREÇO

Falta pouco para o Instituto Lula e o Diretório do PT concretizarem a mudança para Curitiba.

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

O cerco está se fechando. Mais um pouco e o boi sinueiro estará trancafiado também.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

‘LULLA’ LÁ

A Operação Lava Jato pegou o primeiro amigo da corte do imperador “Lulla”. Está faltando pouco.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

AMIGOS DO EX-PRESIDENTE

José Carlos Bumlai, empresário amigo do ex-presidente Lula, juntamente com o líder do governo no Senado, senador Delcídio do Amaral, estão engaiolados. O primeiro tinha passe livre quando o assunto era acesso ao Palácio do Planalto e desfrutava, como de fato desfrutou, de empréstimos milionários (valores próximos de R$ 520 milhões) concedidos a suas empresas pelo BNDES, mesmo já tendo sido alvo de pedido de falência. O segundo, líder do governo no Senado, mostrou a Nestor Cerveró a rota de fuga do Brasil, além de oferecer bancar-lhe mensalmente uma mesada de R$ 50 mil, para que ocultasse a verdadeira história de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André, também amigo de Lula, que teve morte suspeita e até hoje nada foi esclarecido.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

DANDO NA VISTA

Foi levado para Curitiba, na terça-feira, José Carlos Bumlai, por empréstimo suspeito de R$ 512 milhões pelo BNDES; e, na quarta-feira, foi preso Delcídio do Amaral, por tentar traçar plano de fuga para Nestor Cerveró. E o “capo di tutti il capi” não sabia de nada? Levou outro susto? Está dando na vista, tem de arranjar outras desculpas, pois, pelo que se vê, os casos são infindáveis.

 

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

AOS AMIGOS, TUDO

Nesta nova fase da Lava Jato, marcada pela prisão de José Carlos Bumlai, empresário amigo de Lula que, durante o mandato do ex, tinha “livre trânsito” no Palácio do Planalto, chama a atenção a divulgação de uma série de empréstimos graúdos – algo em torno de R$ 500 milhões – concedidos pelo BNDES a empresas de alguém como Bumlai, que já enfrentava, então, sérios problemas financeiros, incluindo pedido de falência (2008) contra a companhia São Fernando Açúcar e Álcool. O próprio BNDES viu-se, há não muito, na contingência de pedir a falência daquela empresa, por dever ao BNDES mais de R$ 400 milhões, “créditos que foram sendo concedidos e não pagos ao longo do tempo”. É estranho que um empresário já na corda bamba como Bumlai tivesse renovado suas linhas de crédito com o banco de fomento brasileiro, sempre pegando expressivas somas de dinheiro barato, malgrado o estado pré-falimentar de seu grupo.  Em nota, o BNDES tentou esclarecer: “Todas as operações (empréstimos) com a São Fernando seguiram os trâmites normais (sic) do BNDES, sem qualquer irregularidade”. Ora, se é verdade que o BNDES considera “normal” e “regular” ter emprestado centenas de milhões a um grupo que notoriamente mal se segurava em pé, é de perquirir sobre quais são as cautelas que esse banco – que é público – usa para emprestar dinheiro do povo, a juros subsidiados (TJLP), a empresas pertencentes aos amigos do rei. Tem coisa muito errada aí.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

PROFECIA

O pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, pode ficar tranquilo com a prisão na ação da Polícia Federal chamada de “Passe Livre”. O cantor Leonardo já profetizou: “Amigo, amigo, o resto é tudo filho daquilo”.

Antonio R. de Macedo Soares Drago dragoroberto34@gmail.com

São Paulo

*

COLETIVA DE IMPRENSA

Só falta o ex-presidente Lula marcar uma entrevista coletiva para afirmar que “nunca antes na história deste país” um presidente foi cercado por tantos corruptos, e ninguém o alertou...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

DESFALQUE

O time montado e orientado pelo ex-presidente Lula vem perdendo importantes jogadores, em virtude de convocações constantes, primeiro, do Supremo Tribunal Federal e, agora, da Justiça Federal.

Oscar Rolim Júnior rolimadvogado@ibest.com.br 

Itapeva

*

‘NÃO HÁ PROVAS’

O juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato, com a devida vênia, não tem razão ao dizer não haver nenhuma prova de que Lula esteja envolvido nas investigações que levaram à prisão preventiva do pecuarista José Carlos Bumlai, considerado amigo do petista – tinha até entrada livre no gabinete do ex-presidente –, suspeito de movimentação ilegal de recursos com uso de empresa de fachada e também de lavagem de dinheiro, obtendo para esta empresa um empréstimo da fabulosa quantia de R$ 12 milhões no Banco Schahin e que teria a finalidade de encher os cofres do PT. Convém lembrar que tal prisão é meramente preventiva e é para formar cognição (ato de conhecimento) de prova para a respectiva CPI, para constituir ou não o mérito do processo. Portanto, o ilustre e decepcionante magistrado, com sua infeliz declaração, está interferindo politicamente no que não deveria, ferindo o artigo 95, item 3 do parágrafo único, da Constituição federal, que veda ao juiz dedicar-se à atividade político-partidária. Ademais, o meritíssimo juiz, dizendo não haver prova contra Lula, nada mais está praticando do que um pré-julgamento do mérito do processo, o que é totalmente ilegal. Não tem o “ius agendi” – o direito de agir.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

TSUNAMI DE LAMA

O rompimento da barragem da mineradora Samarco despejou um mar de lama sobre o Rio Doce. As delações premiadas da Operação Lava Jato vêm rompendo sucessivas barragens, e despejaram sobre o País um tsunami não de lama tóxica contaminada por detritos minerais, mas, sim, de lama negra carregando a podridão de políticos e seus cúmplices em maracutaias bilionárias. As ondas das delações premiadas criaram um efeito-dominó e levarão finalmente ao “capo” Lula, que de nada sabe, nada viu, nada ouviu.

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

*

O CÂNCER DA CORRUPÇÃO

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava Jato em primeira instância, durante a  palestra do IX Fórum da Associação Nacional dos Editores de Revistas na capital paulista, afirmou na segunda-feira (23/11) que a Operação Lava Jato sozinha não vai livrar o País da corrupção. E é verdade: para extirparmos este câncer chamado corrupção, seria necessário um Congresso forte,  instituições não contaminadas e poderes sérios. Mas nada disso temos hoje. Não há um só lugar neste país onde não haja um foco de corrupção. Os partidos de oposição se calam, a população parece surda, o Congresso se omite, pois grande parte dele está implicada na Lava Jato e o Judiciário tenta desqualificar o trabalho do Ministério Público Federal. Assim fica difícil. De fato, a Lava Jato sozinha é uma voz pregando no deserto, como disse Moro. Meritíssimo juiz Sergio Moro, apesar de sua sensação de estar só, saiba que milhões de brasileiros que acompanham o seu trabalho querem justiça. Infelizmente, a nossa arma ainda é o voto, muito pouco para combater este câncer que dilacera o Brasil. Nossa esperança são a sua caneta e o apoio do Judiciário ao seu trabalho, pois o Brasil está do seu lado.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A ELEIÇÃO NA ARGENTINA

Em qualquer vitória, seja de Pirro ou um gol com a mão validado, o que importa é a vitória. Mauricio Macri não se enquadra em nenhum dos exemplos, porém teve uma vitória por pouco mais de 51% dos votos válidos, o que prova que os eleitores argentinos estavam divididos entre o kirchnerismo conservador de 12 anos e uma proposta de mudanças radicais. O momento econômico da Argentina e o resultado nas urnas não refletem o mau governo de Cristina, como o de Dilma Rousseff, se tivesse de ser avaliada nas urnas hoje. Mauricio Macri, o eleito, vai propor a suspensão da Venezuela do grupo do Mercosul – a introdução venezuelana foi articulada pelo governo Dilma na intenção de fortalecer o bolivarianismo no cone sul. A manifestação de Macri causou uma reação mais rápida que a velocidade da luz em Dilma. Quando da sua reeleição, também venceu por pequena diferença, mas tratou de se garantir nos ministérios e no Congresso, no aparelhamento mais compacto possível. Há uma diferença quilométrica entre a situação da Argentina e a do Brasil. É só comparar os índices econômicos de um e de outro. A Argentina sai de uma eleição com a política mais arrumada, enquanto o Brasil, economicamente e politicamente, se assemelha a um saco de gatos com cachorro dentro. Uma Babel.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

PERDEU NA ARGENTINA

A presidente Dilma Rousseff perdeu a eleição na Argentina! Recebeu o candidato Sciolli e deu no que deu! Mauricio Macri na cabeça.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

FAZENDO ‘O DIABO’

Mesmo fazendo “o diabo”, a situação perdeu as eleições na Argentina. E lá nem tem urna eletrônica, como na Venezuela.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

LOUVÁVEL

 

O discernimento da presidente Dilma ao analisar fatos carece de percepções corretas. Alega que a Venezuela é um país democrático, que preza os postulados do regime. Perguntamos, então, à nossa presidente o que acontece quando um opositor exerce seu direito legítimo de se manifestar? Na maioria das vezes, vai parar atrás das grades. Louvável a intenção do novo presidente eleito da Argentina, Maurício Macri, em propor o afastamento da Venezuela do Mercosul pelo fato de ser ela comandada por um ditador.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

DILMA E SEUS REPRESENTADOS

Dilma Rousseff deveria perceber que nos representa, nós, os brasileiros, perante outros países. A presidente levou quase dois dias para comunicar-se com Macri, dando-lhe os parabéns pela vitória num país que é muito ligado e amigo dos brasileiros. Foi preciso a insistência de seus assessores para ela telefonar. Não se trata de relação pessoal dela com o novo presidente argentino, mas de representar o povo brasileiro, como manda a Constituição, mostrando que somos amigos e “educados”. Ela não precisa compartilhar da nossa alegria na derrota de sua amiga Cristina, mas cumprir sua obrigação, em nosso nome, o que sua arrogância prejudicou. A despeito da presidente, nossas relações com a Argentina melhorarão muito, dado que Cristina não era simpática ao povo brasileiro.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

BOM SENSO

O recém-eleito presidente Macri diz que pedirá a suspensão da Venezuela do Mercosul. Tal intenção mostra que alguém na Argentina percebe os males que o populismo esquerdista faz às nações. Esperemos para ver quantos dos políticos argentinos apoiarão essa sábia intenção de seu presidente. Lamentavelmente, parece não ter ocorrido a nenhum político tupiniquim semelhante medida saneadora. Além disso, o novo presidente quer abrir negociações com a União Europeia e com a Parceria Transpacífico. Se a Argentina tem, ao menos, um político com coragem, bom senso, discernimento e equilíbrio, infelizmente não podemos dizer o mesmo de Pindorama, onde os políticos são demagógicos, covardes, irresponsáveis e incompetentes. Que pena!

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

A ARGENTINA DE MACRI                    

Será que a eleição de Macri na Argentina pode ser o embrião para uma mudança da falida política populacionista na América Latina? Sonhar é bom e sobre isso ainda não incidem impostos.

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

EMBATE

Começa o embate entre o presidente eleito Mauricio Macri, da Argentina, e Nicolás Maduro, da Venezuela. O primeiro questiona a suspeita democracia na Venezuela, que vem sistematicamente infringindo direitos humanos, cuja lei do Mercosul condena. Já Maduro se defende dizendo ser fofoca da oposição, afirmando estar a Venezuela em completo processo democrático (argh!). Queria ser um mico de circo de cavalinho para ver a cara da “presidenta gerenta incompetente” Dilma, como se sairá desse embate entre vizinhos. Vai continuar afagando o ditador venezuelano ou apoiará a lei do Mercosul?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

LIÇÕES

O presidente Mauricio Macri terá de fazer muitas coisas para melhorar a Argentina. Mas que não faça o que fizerem no Brasil Fernando Collor, FHC, Lula e Dilma. Que reforme a Argentina sem derrubar os seus alicerces. E, por clemência, sem corrupção e seus assemelhados. Dos argentinos ele é o mais argentino. Dos brasileiros eu sou o mais argentino. Que Macri não nos decepcione aos argentinos e a mim. Argentina, “hasta la vida”!

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

*

DIAS CONTADOS

A vitória de Macri traz a toda a América Latina a esperança de que os dias de populismo barato e incompetente estão chegando ao fim. Tomara seja esta a primeira derrota desta esquerda bolivariana mentirosa e quadrilheira. Brasil, mostre também a sua cara e vamos pôr democraticamente na rua estes petistas que estão acabando com o nosso país, fazendo com que voltemos à Idade Média, quando o povo se contentava  com pão e circo e o governo se  locupletava, tal como dona Dilma e seu criador, cujo nome prefiro omitir, pois devia estar na cadeia.

 

Roberto Lotfi Junior rolotfi@hotmail.com

Presidente Prudente

*

LAMAÇAL TAMBÉM NO MAR

A lama da tragédia da barragem do Fundão, na cidade de Mariana (MG), pertencente à mineradora Samarco, depois de mais de 800 km de curso pelo Rio Doce, chegou, infelizmente, também ao mar do Estado do Espírito Santo. Um estrago ambiental de grandes proporções, que poderia ter sido evitado se o governo federal, assim como o de Minas, tivesse colocado profissionais em número suficiente e competentes para fiscalizar essas barragens. E, como neste país as autoridades constituídas somente surgem depois do estrago consolidado, esta gestão petista produz mais um lamaçal, e desta vez, diferentemente do mensalão e do petrolão, se transformam águas límpidas salgadas e doces num desastre ambiental com prejuízos inestimáveis e de difícil recuperação – além de ter ceifado vidas, destruídos casas, comércio, etc., e ainda ter deixado milhares de trabalhadores sem o seu sustento (caso dos pescadores). Esse crime ambiental não pode recair somente sobre a mineradora Samarco. O governo federal e o de Minas Gerais, ambos do PT, precisam ser também penalizados. E sobre o Planalto pesa ainda a responsabilidade pelo fato de ser acionista majoritário da Vale do Rio Doce, sócia da Samarco. Mas o que se vê nas manifestações de representes do Planalto é que o governo quer, de fininho, tirar o seu da reta... Assim como tentou também no caso dos crimes das pedaladas fiscais e da roubalheira nas nossas estatais.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PERIGOSA INSENSATEZ

Apesar de tomar conhecimento das advertências do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas;  apesar de o próprio Itamaraty emitir nota de satisfação à recente aprovação pelo Conselho de Segurança da ONU da Resolução 2.249 conclamando os países-membros a empreender todos os esforços possíveis para evitar novos atentados terroristas e conter o Estado Islâmico; enfim, apesar disso tudo e em plena contramão transloucada, a (ainda) presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que dispensa visto para estrangeiros entrarem no Brasil durante os meses da Olimpíada de 2016. Essa criminosa irresponsabilidade é mais uma demonstração de sua notória falta de juízo. Ela não tem jeito mesmo!  Vassouradas nela, urgentemente!

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

*

CALMA, PRESIDENTE!

Tanto para dizer sobre o País, e a presidente vem a público comunicar que resolveu liberar os vistos para a Olimpíada de 2016. O mundo em alerta máximo contra o terrorismo e a “Dilminha paz e amor” colocando a mão em cumbuca quente. Faltou indicar um ministro para acender o pavio...

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

LIBEROU GERAL

De fato dona Dilma não sabe o que faz. É o que chamamos de sem noção. Aliás, seu desastroso governo prova isso a todo instante, e agora ao liberar do visto de entrada todos os turistas na Olimpíada, achando que com isso pode atrair mais visitantes ao nosso país durante os Jogos Olímpicos do próximo ano. Mas poderá, ao contrário do que pensa, afastar os turistas. O número de turistas que visitam o País todo ano é ínfimo, ao redor de 6 milhões – ou seja, mais ou menos o número de turistas que visitam Cancun, no México. Ocorre que nosso país é conhecido no exterior como violento e destino que os viajantes devem evitar. Agora, então, com esta de “liberou geral”, a situação pode piorar. Os visitantes podem imaginar que, se liberou para todos os turistas, eventualmente terroristas podem entrar sem nenhum controle, como aconteceu na Europa. Desse modo, o visitante irá pensar: “O que vou fazer num país violento e que, agora, não tem controle sobre a entrada de estrangeiros?”. Fico em casa e assisto pela televisão aos Jogos Olímpicos. Os preços vão aumentar 100% e a segurança é de nível abaixo de zero. Só um turista que adora correr risco se atreverá a vir ao Brasil para assistir aos Jogos que pode ver, e melhor, da poltrona de sua casa.

Carlos Coelho ccoelho1@uol.com.br

São Paulo

*

A REORGANIZAÇÃO E O IMPASSE ESCOLAR

 

Já são centenas as escolas, na capital e no interior, ocupadas pelos alunos que rejeitam a reorganização da rede imposta pelo governo estadual. A mudança foi anunciada em setembro pelo secretário da Educação, Herman Woorwald, e caiu como uma bomba no meio escolar. Veio como imposição, pois as reuniões de 14 de novembro serviram apenas para orientar aos pais e alunos como proceder, e não para ouvi-los. O governador Geraldo Alckmin se mantém firme e exige a desocupação das escolas para, depois, dialogar. É preciso pensar bastante sobre que espécie de diálogo oferecerá à comunidade escolar rebelada. Se não ceder em pontos consideráveis, dificilmente acabará com a crise. Talvez fique menos oneroso, política e funcionalmente, deixar a reorganização para o futuro, nem que isso o leve a ter de abrir mão da colaboração do atual secretário e da equipe da Educação que, por falta das devidas cautelas, conduziram seu governo ao impasse.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br                                                                                                     

São Paulo

*

FALTOU INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Faltou inteligência emocional ao governador Geraldo Alckmin na questão do fechamento das escolas. Sem entrar no mérito das medidas, fechar escolas e mudar crianças de lugar é uma questão muito delicada, que não deveria ter sido conduzida de forma truculenta, rude e abrupta. Ser feliz é mais importante do que ter razão, e o governador foi profundamente infeliz na forma como conduziu esta questão.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

A OCUPAÇÃO DAS ESCOLAS

O governo de São Paulo poderia aproveitar a ocupação das escolas e transformá-las em albergues para sem-teto.

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.