Fórum dos leitores

IMPEACHMENT

O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2015 | 02h55

Não é golpe

Dilma Rousseff disse em evento fechado da saúde, sobre o impeachment, que “não vai ter golpe”. Verdade, não será golpe. Dilma ficou calada o tempo todo em que Eduardo Cunha teve a vida devassada. Nos bastidores queria Cunha como aliado, mas, no momento em que ele aceitou o pedido de impeachment, ela atacou o presidente da Câmara. É bom ficar de olho: quando lhe convém, Dilma sabe de tudo e se não convém, não sabe de nada. Por aí se nota que a presidente aprendeu rápido com seu professor e criador. A batalha será longa. Pesquisas indicam que Dilma tem cerca de 8% de aprovação. Golpe será o governo desrespeitar a vontade da maioria, os 92% que querem Dilma fora. Quem põe também tira. Portanto, se a presidente foi eleita e depois se descobriram as falcatruas de seu governo e suas mentiras contadas ao eleitor, este tem o direito de lhe dar o bilhete azul. Ela que pegue o seu boné e saia de mansinho. Ainda está em tempo de um ato de grandeza, pois os brasileiros não aguentam mais.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Mensalão, Lava Jato...

É muita cara de pau dos srs. Lula, Rui Falcão, Jaques Wagner, a PresidenTa & Cia. irem à TV declarar que é um “atentado à democracia” o pedido de impeachment e que as oposições o defendem. É bom lembrar a essas pessoas que atentado à democracia são os “malfeitos” revelados no mensalão, que pôs na cadeia ilustres figuras do PT e os que agora a Operação Lava Jato está revelando, também sob a responsabilidade do PT e aliados. Sem falar em Pasadena e nas descaradas mentiras durante as eleições de 2014, tudo para se segurar no poder. Isso, sim, é que é atentado à democracia. O povo não é bobo, a tudo está assistindo e dará a merecida resposta. Um governo com uns 10% de aprovação não se pode vangloriar de ser o paladino defensor da democracia. Fora PT, fora Dilma & Cia.!

SERGIO DE SOUZA

selfasouza@gmail.com

Santo André

Ataque ao mensageiro

Para variar, o governo e seus partidários estão tentando denegrir o teor da mensagem (o pedido de impeachment feito por três grandes juristas) ao atacarem o mensageiro (que fez apenas o que deveria ter feito, apesar do atraso). Eduardo Cunha não é o autor do documento! O que tem de ser analisado e julgado são os fatos e o mérito da argumentação expostos.

JOÃO PAULO MENDES PARREIRA

jpmparreira@hotmail.com

São Caetano do Sul

Lula e Cunha

Lula acusou Cunha de pôr seus interesses pessoais acima dos do Brasil. Ao menos nesse quesito o Lula é realmente doutor.

JOÃO ISRAEL NEIVA

jneiva@uol.com.br

São Paulo

Lula: “Cunha não se preocupa com o País”. Vai ver, Lula não se olha no espelho, pois ele é o principal responsável por tudo o que está acontecendo no Brasil.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Trem descarrilado

O Lula é de uma hipocrisia ímpar, como mostra a sua declaração de que “o País é um trem descarrilado”. Culpa todos da oposição, a começar por Eduardo Cunha, mas, como é desmemoriado quando se trata de assuntos ruins para ele e para o PT, “esqueceu” que é ele o maquinista que por oito anos pilotou diretamente esse trem e continua a pilotá-lo por intermédio da sua preposta.

LAÉRCIO ZANINI

spettro@uol.com.br

Garça

Pensando no Brasil

Só com a abertura do processo de impedimento da presidente o dólar caiu mais de 2% e a bolsa subiu mais de 3% (Petrobrás, 7%!). Se ela pensasse no Brasil, como diz, renunciaria.

PAULO DE TARSO ABRÃO

ptabrao@uol.com.br

São Paulo

Efeito benéfico

Bolsa em alta acentuada e dólar em queda consistente. São os efeitos do impeachment. Sempre achei que, apeado o PT do poder, as forças do mercado se encarregarão de recuperar a economia. A euforia com a possibilidade de impedimento de Dilma fez com que os agentes econômicos reagissem. Ao contrário do que diz Lula, que “é uma insanidade e prejudicial” ao país o impeachment da presidente.

JORGE CARRANO

carrano.adv@gmail.com

Niterói (RJ)

Partido dos pixulecos

A relação entre capital e trabalho sempre foi conflituosa ao longo dos séculos. Quando uma agremiação política que leva o nome de Partido dos Trabalhadores chega ao poder, espera-se que traga contribuições positivas para amenizar essa relação conflituosa. Porém esse partido de pixulecos não só arruinou a economia, como jogou na vala comum dos corruptos o nome dos trabalhadores brasileiros.

MARCO ANTÔNIO VIDEIRA

videira@iron.com.br

Santos

A caneta

Dilma disse que não roubou. Mas usou a caneta para que outros roubassem; além de arrebentar o cofre do Estado a fim de angariar votos para o projeto petista de perpetuação no poder. Deu no que deu. Impeachment já!

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS

zambonelias@hotmail.com

Marília

Picaretagem

Lula dizia que no Congresso havia 300 picaretas. Então, Dilma e PT podem ficar tranquilos: eles só precisam de 171 na Câmara para escapar do impeachment.

EDMIR DE MACHADO MOURA

negrinho10@hotmail.com

Caçapava

EDUCAÇÃO

Ensino profissional

Muito bom, construtivo e oportuno o artigo de Cláudia Costin sobre a situação do ensino técnico e profissional no Brasil (29/11, A2). Nestes tempos de crise econômica, política e ética, esse artigo demonstra que, graças a Deus, há gente competente, como ela, comprometida com a esperança de dias melhores para o nosso país. E que é preciso não só lembrar o muito que aqui já se fez, mas se deve continuar procurando fazer, no campo do ensino profissional – a ser ampliado e aperfeiçoado, sem dúvida –, destacando-se o exemplo do Senai, ponto de referência e paradigma de qualidade a servir à indústria e àqueles que nela trabalham ou buscam novas oportunidades de trabalho.

CARLOS EDUARDO MOREIRA FERREIRA, presidente emérito da Fiesp/Ciesp

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

PULANDO FORA

 

Não é só o PMDB que começa a “pular fora” do governo Dilma e do PT. Lula, Rui Falcão e companheiros deste grupo estão pulando fora também do governo Dilma. Estão preparando terreno para 2018. Já entendem que o atual governo está liquidado com ou sem impedimento. Se acontecer o dito impedimento, dirão ainda em coro que Dilma Rousseff de fato foi fraca como gestora do Brasil. Quem viver verá!

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

 

*

TREM DESCARILADO

 

Quando o ex-presidente Lula afirmou que o Brasil parece um trem descarrilado, ele se esqueceu de dizer que os dois últimos condutores deste trem foram ele e a presidente Dilma.

 

Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@hotmail.com

São Paulo

 

*

ROUBARAM OS TRILHOS

 

Ontem o “Estadão” nos brindou na primeira página com uma declaração do grande molusco. Chamou de “loucura” a decisão de Eduardo Cunha de aceitar o pedido de impeachment de Dilma Rousseff e disse que o deputado pôs os seus interesses acima do País. Pede uma solução rápida e disse que, “quando o trem está descarrilhado, a gente não fica brigando”. Essa frase deve ir para o livro dos recordes, né não? Alguém deve dizer a ele que, quando se roubam os trilhos da estrada de ferro, não há como colocar o vagão no trilho enquanto não forem devolvidos os trilhos. Entendo que já passou da hora de refazer esta estrada, e não ficar sorrindo, apertando as mãos de aliados e continuar chovendo no molhado. E, mais uma vez, digo: pobre povo brasileiro.

 

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

MAQUINISTA

 

O ex-presidente Lula, com toda a sua habilidade para fazer observações de alto impacto, declarou que, quando o trem está descarrilado, todos devem ajudar para recolocar o vagão nos trilhos. Entretanto, ele se esqueceu de que a maquinista tem de ser mudada, caso contrário, o trem vai sair dos trilhos logo na primeira curva. De novo!

 

Flavio Bassi flavio-bassi@uol.com.br

São Paulo

 

*

CHANCE

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou dois pedidos – um do PT e um do PCdoB – liminares contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Acho que a única chance de ela se livrar do impeachment será com base num parecer “jurídico” elaborado por Luiz Cláudio “CtrlC, CtrlV” Lula da Silva.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo

 

*

GOLPE?

 

Tanto a presidente Dilma quanto o líder do PT no Senado, Humberto Costa, ao tomarem conhecimento do pedido de impeachment, falaram em “golpe”, que a presidente foi eleita democraticamente pelo voto popular, etc. Democraticamente? O senador Fernando Collor foi eleito presidente democraticamente e foi cassado – aliás, o Legislativo foi eleito democraticamente, e isso é motivo para qualquer tentativa de impeachment ou cassação de mandato ser considerada “golpe”? A presidente mencionou ainda que não tem contas no exterior, que não existe nenhum ato ilícito, etc. Ora, o impeachment não é pedido só nessas condições. Há outras razões para o pedido. Melhor fariam se tivessem ficado calados.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

INTERPRETAÇÃO

 

Tal e qual o Estado Islâmico interpreta à própria conveniência justificativas de suas ações na leitura do sagrado Alcorão, o petismo faz o mesmo em relação à Constituição quanto à possibilidade de impeachment, que trata por golpe. Ambos se parecem nos meios aos fins desejados.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

 

*

‘GOLPISTAS NÃO PASSARÃO’

 

Absolutamente pouco inteligente o recurso à frase da “La Passionaria”, “no passarán” pelo novo tupiniquim “passionario”, o galhofeiro soba petista sr. Rui Falcão. Discutir com seriedade é vital nestes momentos!

 

Lourenco Julio Cesar Paolini advogadopaolini@gmail.com

São Paulo

 

*

PLANOS INCONFESSÁVEIS

 

Tudo planejado. Rui Falcão, atendendo Lula, sacrifica Dilma Rousseff e Delcídio do Amaral para tentar salvar o PT para 2018. Com Lula, é claro. Não vai dar certo!

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

IMPEACHMENT

 

Finalmente uma movimentação importante no tabuleiro para a arrumação do País. Ao contrário do que diz a Maria Antonieta do Supremo, sr. Ricardo Lewandowski, não temos de ter paciência, temos de ter vergonha na cara e patriotismo. A corrupçao, a mentira, a desfaçatez, que são a marca registrada do lulopetismo, não podem mais ser toleradas e suportadas, principalmente pela classe trabalhadora deste país, que já assiste a um recorde de 10 milhões de brasileiros sem emprego. Tivesse um mínimo de patriotismo, Vana Rousseff renunciaria, para o bem da Nação. Porém não será isso que veremos da quadrilha que está há 13 anos a destruir nosso país. Esperamos que os srs. deputados ajam com rapidez e de acordo com os anseios da Nação. Fora Lula! Fora Dilma! Fora PT!

 

José Severiano Morel Filho morel@sunriseonline.com.br

Santos

 

*

BEM-VINDO IMPEACHMENT

 

Depois de uma gestação complicada e cheia de riscos, deu à luz esta semana na maternidade do Congresso Nacional um bebê que irá merecer sérios cuidados por causa de sua frágil saúde. Seu nome de batismo é “Impeachment”. Segundo parecer de médicos cubanos a serviço do Planalto, o recém-nascido é portador de microcefalia, e garantem que não sobreviverá. Que os anjos da guarda o protejam.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

REAÇÃO

 

Este pedido de impeachment mostra que cada um reagiu exatamente como sempre: Dilma, confusa e mal assessorada, atacando quem abriu o processo, e não seu autor; Michel Temer, como o PMDB, esperando o rumo que as coisas vão tomar, para obter vantagens. Rui Falcão, vendo a causa perdida, quis fazer parecer que o PT ainda tem ética. E Lula? Saindo de viagem...

 

Maria do Céu Ferraz ceceuferraz@hotmail.com

São José do Rio Preto

 

*

BRIGA DE BÊBADOS

 

Como se já não bastasse o atoleiro em que o governo atual está metido, foi deprimente o comportamento sequente do mundo político também neste episódio. Uma presidente da República convocando a imprensa para declarar que não faz barganha para obter resultados e que não pratica atos deploráveis como aqueles do presidente da Câmara dos Deputados; em resposta, o presidente da Câmara diz que ela está mentindo. Em sequência, é designado o ministro da Casa Civil para dar uma entrevista à imprensa e dizer que quem mente é o presidente da Câmara, entre outra asneiras. Até parece briga de bêbados em botequim. Agora, quem pergunta é o povo brasileiro: Que país é este?

 

Adib Hanna adib.hanna@bol.com.br

São Paulo

 

*

SORRISINHO                

 

A foto da capa do “Estadão” de ontem, em que Jaques Wagner e Dilma Rousseff comentam o “impeachment”, mostra bem o que eles estão pensando do povo brasileiro...

 

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

 

*

A PRESIDENTE INDIGNADA

 

Em pronunciamento à Nação (3/12, A6), a presidente Dilma se manifestou em contestação à providência do presidente da Câmara por ocasião do início de tramitação de pedido de impeachment da presidente da República. Fez ela várias afirmações, polêmicas, e de algumas tenho comentário que faço a seguir. “Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim(...).” Vejam, “não existe”, presente do indicativo. E o passado não conta? “Nunca tentei coagir instituições ou pessoas na busca de satisfazer meus interesses.” Houve um episódio em que um embaixador de país estrangeiro foi sequestrado para constranger o governo militar a soltar diversos “cumpanheros” que estavam “hospedados” em presídio, e a sra Jane estava entre os sequestradores. É conhecido o fato do roubo de cofre da casa da “amiga” de Adhemar de Barros, no Rio. Jane fazia parte da equipe de “desapropriação” da esquerda. Em outro fato, um jovem de 19 anos, Mario Kozel Filho, soldado raso do Exército, no desempenho de sua atuação como sentinela de um quartel, foi destroçado por uma bomba lançada por um “comando” do qual Jane também faria parte, “atuante”. Há relatos de sua participação no roubo de cargas de caminhões, na baixada fluminense, sem esquecer o roubo de armas de quartel do Exército. Esses cinco relatos mostram a falácia que é sua afirmação de que “meu passado e meu presente atestam a minha idoneidade e inquestionável compromisso com as leis e as coisas públicas”.

 

Mario Helvio Miotto mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

 

*

DONA DILMA

 

Dona Dilma declarou que não é ladra; pode ser, mas conivente ela é!

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

DUELO DE VILÕES

 

O jornalista Lauro Jardim disse que a quarta-feira, 2 de dezembro, terminou com dois grandes perdedores: Dilma Rousseff e Eduardo Cunha. Esqueceu, porém, de dizer que esse dia terminou com um provável grande ganhador, o Brasil. Nada melhor do que assistir a um duelo de vilões em que um mata o outro.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

DILMA X CUNHA

 

Na guerra entre quadrilheiros, quem sabe o País sai ganhando?

 

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

 

*

NO FIO DA GUILHOTINA

 

O desgoverno lulodilmista levou a pior na queda de braço com o ladino Eduardo Cunha. Os três “nobres” deputados petistas pensaram primeiramente em seus redutos, às vésperas do ano eleitoral de 2016, e deixaram a (ainda) presidente sozinha a ver navios e o frágil fio da guilhotina ameaçadora ao seu mandato. Fingindo-se segura e em consonância ao seu pedantismo, Dilma disse a seus assessores que “pelo menos acabou a indefinição que estava imobilizando o governo”. Ou seja, “morro tesa, mas num perco a linha”.

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

TRUCO!

 

Eduardo Cunha confirma que continua e apostou tudo. Resta saber se Lula tem cacife para manter Dilma no jogo. Ou se vale a pena...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

PRESENTE DE NATAL

 

Como o ex-presidente Lula é cúmplice da presidente Dilma, dá para incluí-lo neste pedido de impeachment que o mafioso deputado Eduardo Cunha aceitou? Livraremo-nos do poste e do idealizador. Será um belo presente de Natal para os brasileiros que produzem neste país.

 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

 

*

BAIXO NÍVEL

 

O presidente da Câmara age de forma medíocre e oportunista ao informar que vai encaminhar a solicitação de impeachment da presidente Dilma. E o faz como vingança diante do risco de também ser cassado. A que ponto chega o baixo nível deste tipo de político. E como ficam os que apresentaram o pedido?

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

*

COBRA

 

Fizeram “o diabo” e deram pedaladas para ganhar as eleições. E foram cutucar a cobra com vara curta.

 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

 

*

TUDO PELO PODER

 

Como seria bom se a atitude do presidente da Câmara em aceitar o pedido de impeachment da presidente Dilma tivesse sido em nome da moralidade e da ética que se esperam de todo aquele que exerce um cargo público. Infelizmente, nada mais é do que a máxima toma lá, da cá, só que desta vez ao contrário: você me ferra e eu te ferro. E o País? Ora, quem se importa?

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

INTERESSES DO PAÍS

 

O senhor Lula da Silva vai ao Rio de Janeiro abraçar o governador Pezão (PMDB) com claro interesse na recusa do impeachment e faz críticas ao deputado Eduardo Cunha. Mas, se tem alguém que é responsável pelo estrago geral no País, é “elle”. Só cuidou de coisas pessoais e de seu partido, e toda a quadrilha também navegou nesse sentido. Com novos dirigentes e bem administrado, vai demorar oito ou dez anos para o País acertar tais estragos. Se acontecessem o impeachment ou a renúncia de Dilma e o enquadramento de Lula, o Brasil sairia da crise em 100 dias.

 

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

CREDIBILIDADE

 

Perplexo, para dizer o mínimo, foi como li a entrevista do ministro (minúsculo, em face da ausência de dignidade exigida pelo cargo) da Justiça, José Eduardo Cardozo (“‘Que credibilidade tem Eduardo Cunha?’”, “Estadão”, 4/12, A9). Acredito que mais de 80% dos brasileiros – uns, por terem discernimento cultural, outros, infelizmente, por sentirem na “pele” o caos em que o PT colocou todos os brasileiros, petistas ou não – responderão: a mesma credibilidade que têm o PT, Lula “et caterva”. Não que se apoie a postura do deputado federal, condenável sob todos os aspectos, mas o ministro da Justiça está a tingir sua biografia com a mácula fétida e putrefata pela manifestação de apoio ao maior esquema de corrupção, saqueando os recursos públicos, para a manutenção no poder de que se tem notícias na história do Brasil. Como professor de Direito de renomado curso de preparo de juízes, promotores e procuradores de Justiça, entre outros cargos de relevância para a mantença da democracia e do Estado de Direito do País, é lamentável que tão importante prócer do mundo jurídico se preste a este baixo, vil e unilateral propósito: enganar e iludir, mais uma vez, o povo brasileiro. Chega de PT!

 

Carlos B. Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

 

*

A SUSPENSÃO DA REORGANIZAÇÃO ESCOLAR

 

A suspensão da insensível e pouco explicada reorganização escolar proposta pelo governador Geraldo Alckmin demonstra apenas que a força de um meninada em lutar por suas convicções é algo inédito e muito bem-vindo ao País.

 

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Barbosa

 

*

TESTE DE FORÇA

 

Quando chega época de eleições, é pesquisa de tudo que é lado. Faltou isso para o governo de São Paulo. Não era preciso testar a força dos estudantes. O questionário poderia ter sido feito até por Whatsapp.

 

Hilmar Januário da Silva hilmar@conflan.com

São Paulo

 

*

EDUCAR PARA NÃO PUNIR

 

Assistindo à queda de braços entre o governo de São Paulo e os alunos e professores a respeito do fechamento de algumas escolas, ficou claro que o que falta neste país é educação. Nem o governador pode ser autoritário, nem os alunos e professores podem impedir o direito das pessoas de ir e vir. Se de fato o secretário da Educação estava preocupado com o ensino paulista, deveria ter exigido que se trabalhasse nas escolas o respeito, a responsabilidade, a cidadania, a integridade, a cooperação, a honestidade, a solidariedade, etc. Esses valores foram esquecidos por milhões de brasileiros, incluindo aí professores, pais e alunos. Enfim, isso deveria atingir toda a comunidade educativa. Se todos soubessem valorizar esses conceitos, o governo não estaria preocupado em separar alunos grandes de pequenos. Basta ver o que ocorre nas escolas particulares: os recreios são em horários diferentes e os alunos da primeira série do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino  médio convivem harmoniosamente. Na prática, nada mais é do que acabar com a violência nas escolas e nas famílias. É lamentável ver a classe dos  professores, os mais importantes profissionais do País, sendo conduzida pelo grupelho do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e por um sindicato que adora uma baderna. Se os professores se respeitassem, ganhariam o respeito da sociedade. É bem verdade que o salário dos professores é um acinte, mas, vendo o comportamento destes senhores conduzindo nossos jovens, pode-se dizer que ganham demais. Vamos voltar a valorizar o professor. Governador, educação se faz com bons profissionais, por isso é preciso avaliar a conduta e o conhecimento dos professores e aí, sim, estabelecer um plano de carreira, sem se esquecer dos professores que se aposentaram e fizeram, por meio de seu trabalho, um país melhor para todos. Educação caiu de moda? Vamos educar nossos jovens e não será preciso punir os homens.    

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

BADERNA ESTUDANTIL NAS RUAS

 

Apreendam os menores e incriminem os seus pais, os responsáveis, segundo a lei, pela educação que (não) deram aos filhos.

 

Paulo Barros dr.paulobarros25000@gmail.com

São Paulo

 

*

PARCIALIDADE

 

Poucas vezes vi nossos meios de informação (jornais, rádios e TVs) mostrarem a parcialidade que mostraram nas matérias sobre a pretendida reorganização escolar do governo paulista. A única coisa que interessou durante dias  foi o espetáculo, e este favorecia “os alunos”, “os estudantes”, “os professores”. A ênfase recaía só e sempre no número de escolas ocupadas, no número de “escolas que serão fechadas” e no parecer de alguém contrário à reforma. As chamadas forças populares agradecem.

 

Euclides Rossignoli euclidesrossignoli@gmail.com

Avaré

 

*

OUTROS INTERESSES

 

Atire a primeira apostila quem já perguntou ao filho adolescente como ele queria ser educado. Há uma evidente inversão de valores propositadamente distorcida na questão da reestruturação das escolas. O interesse claramente é outro, que não a educação. O papel da educação dos ensinos médio e fundamental cabe a especialistas. Está na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, título IV, Da Organização da Educação Nacional: Art. 8.º A União, os Estados, o Distrito Federal e os municípios organizarão, em regime de colaboração, os respectivos sistemas de ensino. § 1.º Caberá à União a coordenação da política nacional de educação, articulando os diferentes níveis e sistemas e exercendo função normativa, redistributiva e supletiva em relação às demais instâncias educacionais. § 2.º Os sistemas de ensino terão liberdade de organização nos termos desta Lei. Art. 10. Os Estados incumbir-se-ão de: I – organizar, manter e desenvolver os órgãos e instituições oficiais dos seus sistemas de ensino; III – elaborar e executar políticas e planos educacionais, em consonância com as diretrizes e planos nacionais de educação, integrando e coordenando as suas ações e as dos seus municípios; V – baixar normas complementares para o seu sistema de ensino; Fica clara a evidente ausência – mais uma – do incompetente governo federal na questão da educação: nada coordena, nada articula, nada colabora. Não é e nunca foi papel dos educadores gestores discutir com os educandos essa estrutura. Não tema nada a ver com democracia. Tem a ver com educação e gestão. Nem nas universidades públicas ou particulares a estruturação dos cursos é discutida com os alunos. O que nos remete a outra questão: alunos? O que se vê são adultos de movimentos pró-PT, de Apeoesp a MTST, que incitam os alunos a outra prática que virou “carne de vaca” no Brasil: qualquer meia dúzia sob qualquer pretexto interrompe o trânsito nas principais artérias de São Paulo em detrimento de quem trabalha para sustentar com seus impostos a cidade, o Estado e o País. Fosse legítima a participação da Apeoesp, sua atuação dar-se-ia desde o início da proposta desvinculada da questão dos alunos e, principalmente, da questão político-partidária, no sentido colaborativo de construir um modelo de Educação decente. Mas o que mais choca em tudo isso é a irresponsabilidade de quem incita o movimento ilegítimo sem pensar nos alunos. Não bastasse a qualidade sofrível da grande maioria das escolas que já deixa os alunos a anos-luz de distância de qualquer chance de brigar num vestibular ou seguir uma carreira decente, este tempo sem aulas com uma promessa mentirosa de reposição de aulas sepulta cruelmente um futuro historicamente medíocre. Ironia do destino: um partido que se elegeu e mantém seu decadente exército de Brancaleone com discursos de profundas mudanças sociais trabalha não para mudanças, mas na manutenção do “status quo” das classes mais humildes.

 

Ricardo Amatucci direcao@uv.com.br

Osasco

 

*

REORGANIZAR PARA QUÊ?

 

Enquanto a Apeoesp estiver nas mãos do PT, da CUT e do MST, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo pouco ou nada poderá fazer para melhorar ainda mais o ensino dos paulistas, que está entre os quatro melhores do País. É inadmissível o que os jovens estudantes fizeram para tumultuar o trânsito da maior cidade do País, além da destruição de escolas e patrimônio público e da perda de aulas, orientados pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp). É um enorme desrespeito a qualquer cidadão brasileiro. Por isso o governador Alckmin suspende a reorganização escolar. O País está em pleno retrocesso em razão da truculência e da incompetência do PT. Há algo pior que um governante ou político corruPTo? Sim! O cidadão que o defende! Reorganizar para quê? Tire as suas próprias conclusões.

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

*

TUMULTO EM SÃO PAULO

 

Existe um tipo de gente em São Paulo que não merece mesmo evolução e desenvolvimento. É gente acomodada que quer tudo do bom e do melhor desde que de graça, que não lhe exija nenhum sacrifício. É estranho que estas mesmas pessoas, por qualquer motivo, querem tumultuar a cidade, tirando o sossego do cidadão que produz e paga seus impostos. Por que não fazem o mesmo com relação ao governo federal e a situação caótica em que se encontra o País? Essa pesquisa oportunista do Datafolha é patética neste momento, aproveitando um fato isolado, ignorando o ótimo governo do Estado, avaliado há pouco tempo com quase 70% de aprovação, querendo e ajudando a tirar o foco de Brasília, que é um verdadeiro circo de espertalhões, corruptos e incompetentes.

 

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br

São Paulo

 

*

GERAÇÃO ZIKA

 

Já convivemos com gerações deformadas pela talidomida e poliomielite e nunca poderíamos adivinhar que em pleno século 21 nos depararíamos com as próximas gerações da Zika, transmitida pelo mosquito da dengue. São crianças com deformações neurológicas variadas, trazendo desespero aos pais, que deverão contar com um serviço de saúde público depauperado e ineficiente. Dizer o quê? Faltaram propagandas públicas de combate ao mosquito transmissor. Este é o real resultado de um governo ineficiente que nos dirige há 13 anos. Agora, aos pais dessas crianças, resta-nos dizer: “Que pena”! 

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

MEGA SENA

 

Espero que a presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) responda ao questionamento do senador Álvaro Dias sobre o sorteio da Mega Sena 1.764. É grave e merece providência urgentes.

 

César Brasil Moreira cebramo@uol.com.br

Campinas

 

*

SÓ DÁ BRASÍLIA

 

Os sorteios da Mega Sena são manipulados, só dá Brasília! O jogo do bicho era mais honesto e mais divertido!

 

Marius Arantes Rathsam mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

 

*

AUDITORIA INDEPENDENTE

 

Só uma auditoria independente nas loterias da Caixa Econômica reestabeleceria a credibilidade na instituição. É estranho o que aconteceu com a Sena acumulada de R$ 205 milhões.

 

César Brasil Moreira cebramo@uol.com.br

Campinas

 

*

FRAUDE NA LOTERIA?

 

Que os nossos salvadores promotores, dignos que são, consigam mais esta investigação. Lavemos nossa alma para colocar todos no devido lugar, que é a cadeia.

 

Ricardo Guilherme ricardogui@icloud.com

Monte Alegre do Sul

 

*

MEGA ACUMULADA

 

Estes acúmulos sem que haja um único ganhador e, quando o há, nunca é de São Paulo, estão em desacordo com a realidade brasileira. Precisamos fazer divisão de rendas também nas loterias e, então, quem tem menos pontos e recebe um valor ridículo deveria ser agraciado por uma divisão dessas verdadeiras fortunas com valores mais significativos. Reduzam os valores distribuídos (?) na primeira faixa de ganhadores e beneficiem quem faz 5 e 4 pontos, e teremos mais justiça. Será que se tem intenção de fazer justiça nesta terra brasileira?

 

Joao Devitte Ferreira j.devitte@devitteseguros.com.br

São Paulo

 

*

ELEIÇÃO NO TJ-SP

 

Lendo a reportagem de quinta-feira sobre o novo presidente do egrégio Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) – “Paulo Dimas é eleito presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo” (3/12, A16) –, em que S.Exa. declara que irá realizar gestão transparente, aberta, ouvindo os servidores e magistrados, lamentavelmente olvidou-se da classe dos advogados, que atualmente encontra-se muito prejudicada pela morosidade do Poder Judiciário, citando como exemplo o setor de execuções municipais, onde existem processos há vários anos aguardando decisão.

 

Edson Giusti egiusti@aasp.org.br

São Paulo

 

*

CBF

 

Desde João Havelange (inclusive) e seus sucessores, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vem sendo administrada como uma autêntica camorra, de fazer inveja à máfia napolitana. E, pior, o atual presidente, Marco Polo Del Nero, acusado de fraude pela Justiça dos EUA, licencia-se do cargo e é substituído por um deputado da Bancada da Bola. Dá para confiar?

 

Oswaldo Baptista Pereira Filho oswaldocps@terra.com.br

Campinas

 

*

COPA DO BRASIL 2015

 

Parabéns ao Palmeiras e à sua imensa e apaixonada torcida, pela grande conquista do tricampeonato da Copa do Brasil em 2015, após vencer o favorito Santos na grande final. O Verdão é o maior campeão do Brasil, com 12 conquistas nacionais. Esta foi a primeira de muitas na bela Arena Palestra. Parabéns, Verdão, e saudações alviverdes!

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

PALMEIRAS X SANTOS

 

Peixe morreu na praia.

 

Luiz H. Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 

Vinhedo

 

*

A TORCIDA ENGALANADA

 

Noite perfeita foi a de quarta-feira! Para os palmeirenses, a importante e merecida conquista do título da Copa do Brasil. E, para o sofrido povo brasileiro, a comemoração veio pelo acolhimento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do pedido de impeachment contra Dilma Rousseff, clamor popular que vem das ruas e avenidas desta terra tupiniquim desde junho de 2013.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.