Fórum dos leitores

(DES)GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2015 | 03h03

Cumprindo o prometido

Finalmente a presidente cumpriu uma promessa de campanha: dobrou a meta! Produziu uma inflação duas vezes superior ao teto estabelecido, o qual passou todo o primeiro mandato driblando. Além do mais, o decréscimo do PIB que ela conseguiu produzir só perde para o governo de Floriano Peixoto, nos primórdios da República!

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Inflação de dois dígitos

Ao superar a marca de dois dígitos, a luz amarela se acende. A partir daí se tem a sensação de que se perdeu o freio e então a indexação é certa, pois funciona como os cintos de segurança que vão sendo atrelados por todos os lados. Quem viveu nos anos 1980 sabe muito bem como isso se desenvolve rapidamente. Salvadores da pátria, do tipo Collor e Sarney, temos aos montes no País. A grande dúvida é saber se vai aparecer outro estadista do tipo Fernando Henrique Cardoso para nos salvar com um novo e bem-sucedido Plano Real.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

Os povos fazem seu destino

Para os que se recordam, com o Plano Real os brasileiros deixaram o inferno. O atual governo nos remeteu novamente para lá com a inflação de dois dígitos. A tragédia seria motivo suficiente para substituição do Executivo (destituição do primeiro-ministro) e do Legislativo (dissolução do Parlamento e convocação de eleições gerais). No parlamentarismo, claro. Acontece que, em plebiscito, optamos por viver sob um presidencialismo canhestro de compromissos e o impeachment é a turbulência violenta que temos de atravessar.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Currículo impressionante

Gostaria de enriquecer o currículo de Dilma com mais algumas marcas, além da recém-conquistada de ter proporcionado ao Brasil a maior inflação em 12 anos: quebra de suas duas lojas de R$ 1,99 no Rio Grande do Sul (enquanto a maioria das lojas nessa categoria prosperava muito), propalado título de mestrado sem tê-lo concluído, “ganho” de eleição com a menor diferença do opositor desde 1985, total incompetência no controle econômico e inabilidade política. Para culminar, pôs a Petrobrás disputando o Prêmio Internacional de Maior Escândalo de Corrupção do Mundo, promovido pela Transparência Internacional. E é possível estarmos diante da maior mentirosa a assumir um governo. O que poderíamos esperar de uma dirigente desse naipe senão a devastação do País?

ELCIO ESPINDOLA

elcio.espindola2013@gmail.com

Santana de Parnaíba

O pai da crise

Desgastado e acabado, mas com muito cinismo, Lulla reclama que querem derrubar seu projeto de governar e que os pobres vão ter de comer arroz sem carne, com esta crise. Cinicamente, Lulla finge não saber que ele próprio implantou no País um “projeto de corrupção e roubalheira”, trazendo uma enorme crise aos brasileiros.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

E o “cara” dizia que a crise no Brasil era só uma marolinha.

J. PERIN GARCIA

jperin@uol.com.br

São Paulo

IMPEACHMENT

Sinal de alerta

Estranho que numa mesma manhã, em São Paulo, várias estações da CPTM e do Metrô tenham sido alvo, nessa sexta-feira, de ameaças de bombas, prejudicando por pelo menos 5 horas milhões de usuários com a paralisação desse importante transporte urbano. É um sinal de alerta para as autoridades constituídas de que, nestes tempos de provável impeachment de Dilma Rousseff, é preciso ficar muito atento a possíveis atos de vandalismo ou terrorismo político. O PT tem demonstrado, ao longo destes últimos 13 anos, que não tem limites para alcançar os seus objetivos e intimidar adversários. É uma situação grave, preocupante, que deve merecer do serviço de inteligência da nossa polícia a maior atenção!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Inquietação

Com a novela Dilma/Cunha, quem cai, quem fica – no final caem os dois, mais dia menos dia –, uma pessoa em especial deve estar muito preocupada.

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

CORRUPÇÃO

Pau que nasce torto...

Foi Freud quem primeiro postulou como psicopata o caráter do indivíduo em que predomina grande sentimento de posse e utilização do próximo para seus interesses. Sem que nos prendamos aos rótulos, sabemos que é muito grande o número de pessoas assim que coexistem em nosso meio. Um exemplo, a propósito, é o ex-presidente Lula da Silva. Incontáveis vezes ele se tem firmado como um indivíduo que não tem o mínimo pudor em imputar ao próximo culpas por malfeitos oriundos dele mesmo. É o caso, recentíssimo, de alardear antecipadamente a autoria da edição de uma medida provisória, atribuindo-a à sua companheira de partido e “discípula” Dilma Rousseff, objetivando se safar de iminente chamado à Justiça, na Operação Zelotes. É como diz o sábio ditado popular: pau que nasce tordo, não tem jeito, morre torto.

LUÍS LAGO

luislago2002@hotmail.com

São Paulo

À LUTA

Dá para desistir?

O diabo, fraude eleitoral, estelionato eleitoral, roubo na Petrobrás, no BNDES, na Eletrobrás... Ajuste fiscal, CPMF, Levy, Brasília, voto aberto, voto secreto, PT, PMDB, PSDB, PCdoB, PTdoB, PCB, PPS, PSOL, PHS, PV, PSTU, SD, DEM, PSB, PTC, PR, PMB, PTB, PCO, PRP, PMN, PP, PDT, PRTB, PSDC, PEN, PROS, PPL, Rede, Novo... Carta, latim, Dilma, Temer, Renan, Cunha, Lula, FHC, 2018, Aécio, Delcídio, Cerveró, Youssef, Gabrielli, Pasadena, conselho de administração, Lava Jato, Edinho, Wagner, Tiririca, Sibá, Rosário, Bolsonaro, Picciani, Feghali, Cabral, Pezão, Paes, Pedro Paulo, diálogo com o Estado Islâmico, mandioca, vento estocado, impeachment, Lewandowski, Toffoli, Gilmar, Celso, Fachin, Pronatec, pátria educadora, PAC, Minha Casa, Minha Vida, Bolsa Família, inflação, desemprego, pedaladas, conta na Suíça, CBF, Marin, Del Nero, Eurico, CUT, MST, MTST... Chega ou quer mais? Dá para desistir?

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro

MANIFESTAÇÕES DE 13 DE DEZEMBRO

Depois de acompanharmos as operações da Lava Jato e assistirmos na TV à leitura do pedido de impeachment elaborado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e pela advogada Janaina Paschoal - que relata fielmente as omissões, as constantes infrações legais e constitucionais da presidente ou sob a responsabilidade dela -, acredito que todos os brasileiros que amam esta nação não necessitam de mais argumentos para sair às ruas, mostrando a opinião dos eleitores ao Congresso Nacional neste dia 13 de dezembro. Rezo para que todos aqueles que tiverem a possibilidade de sair, não se omitam neste momento político tão importante, quando o País parece afundar vertiginosamente, para caminhar unidos e em paz, por um impeachment democrático, pela volta da credibilidade, dos empregos, da justiça social e pela depuração moral do nosso Brasil.

Maria T. A. G. de França 

mariatagalvao@gmail.com 

Jaú

*

ÀS RUAS

Os políticos fizeram a sua parte. Agora, cumpre a nós fazermos a nossa. Neste dia 13, todos na rua pelo impeachment de Dilma.

Carlos Alberto Ferreira 

carlos.alberto572@terra.com.br  

São Paulo

*

RITO MANCHADO?

Fala sério! Citado por Delcídio Amaral como atalho ou instrumento para aliviar o corrupto/corruptor Nestor Cerveró, por princípio moral, o ministro Edson Fachin deveria declinar do encargo de "propor um rito que vai do começo ao fim do julgamento (que deve caber tão somente ao Legislativo) do processo (ainda não instaurado) de impeachment". Ora, não há na Constituição elementos para tal? Então o impedimento de Fernando Collor ocorreu "inter cruris"? É necessária interpretação de que já que interpretar é emitir somente o próprio juízo? Haverá caminho isento para todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)? Ou haverá dois: os do aparelhado e os do seguimento estrito da Constituição? Hoje, dia 13, às 13 horas, fora com todos do 13!

Ricardo Hanna 

ricardohanna@bol.com.br 

São Paulo  

*

SALVE-SE QUEM PUDER

A presidente Dilma Rousseff quer ganhar tempo no Supremo Tribunal Federal (STF) até derrubarem o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Aí ela pensa que vai se salvar. Sem os dois, o Brasil tem muito a ganhar...

Luíz Frid 

luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

A DEFESA DE DILMA

Em sua defesa, Dilma deveria explicar o quão inofensivas foram suas "pedaladas". Como elas nada tiveram que ver com a perda do grau de investimento do Brasil pela Standard & Poor's. Nem com o que provavelmente virá a ocorrer com a classificação verde-amarela na Moody's. Nem com o aumento de juros, nem com o aumento de dívida e muito menos com o aumento da inflação. E que, absolutamente, não guardam qualquer correlação com a avassaladora crise em curso. Em suma: suas "pedaladas" são algo menor que não tira valor algum do bolso do brasileiro. E deixar claro que, nem de longe, elas foram feitas visando a obter algum benefício eleitoral, político ou pessoal. 

Jorge Alberto Nurkin 

jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

FORA TODO MUNDO

E agora, fazemos o quê? Dilma ainda balança, mas hora ou outra vai cair. Cair pelo impeachment ou de madura, pois continuar com ela é suicídio geral. O que fazer com um país que atura tudo, corrupção desenfreada, mentiras, populismo criminoso? O que fazer com um lugar onde a inépcia, incompetência e corrupção matam, destroem ou deixam crianças totalmente impossibilitadas de terem um futuro? Como punir aqueles que escolheram o caminho da riqueza e do poder sem se preocupar com o povo carente, sem ao menos tentar construir um futuro para essas pessoas? O que fazer com todos os políticos, empreiteiros e funcionários que se corromperam e corromperam outros sem nunca pensar no imenso mal que iriam causar aos brasileiros? A resposta é fora! Fora Dilma, fora Lula, fora PT, fora empreiteiros corruptos, fora funcionários desonestos, fora juízes corrompidos! O Brasil precisa de recomeço e com estes não conseguirá.

 

Maria Tereza Murray 

terezamurray@hotmail.com  

São Paulo

*

BOAS FESTAS

Se o País tem problema, o problema não é de Dilma, não; o problema é de 200 milhões de brasileiros. "Neste Natal, danem-se!" é o que deseja Lula a todos...

A.Fernandes 

standyball@hotmail.com  

São Paulo

*

A VOZ DO POVO

Se o povo elegeu a presidente mediante um estelionato eleitoral, pelo qual não entregou o que prometeu e ainda permitiu que seus pares fizessem dela gato e sapato sem se manifestar contra o que hoje a Justiça demonstra em fatos comprovados, por que não devolver ao povo o direito de "deselegê-la"? Afinal de contas, a Constituição brasileira diz no seu artigo 1.º, parágrafo único, que todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição. Nesse aspecto, a Venezuela, com seu referendo revogatório, pode nos ensinar essa lição.

Manoel Braga 

manoelbraga@mecpar.com

Matão

*

A POPULARIDADE DA PRESIDENTE

Quando uma presidente está sendo motivo de chacota e piadas pela grande maioria da sociedade brasileira, significa que ele perdeu completamente a credibilidade e, se isso aconteceu, ela perdeu as mínimas condições de governabilidade. E, diante da gravidade dessa situação, o processo de impeachment pode ter razões políticas. Portanto, presidente Dilma, ou tenha a grandeza de renunciar ou sofra o devido processo que legalmente lhe tirará o cargo de presidente da Republica.

Henrique Schnaider 

hschnaider4@gmail.com 

São Paulo

*

O PT NA UTI

O governo do PT deu entrada na UTI de um hospital público do SUS. Isto é, as esperanças de sobrevida são mínimas.  

Eugênio José Alati 

eugeniojalati@gmail.com 

Campinas

*

IMPEACHMENT OU IMPEDIMENTO?

Nos seus inúmeros pronunciamentos, a presidente Dilma tem usado a palavra impedimento, ao invés de impeachment. Seria por dificuldade de pronunciar a palavra correta? Se não for, sugiro que, ao invés de consultar juristas para obter pareceres favoráveis a si, apele para o Arnaldo César Coelho e pergunte: "Pode isso, Arnaldo?".

Claudio Juchem 

cjuchem@gmail.com 

São Paulo

*

ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA

Vá, Dilma Vana, vá. Esqueça todas as razões daqueles que não querem vê-la mais à frente do governo, pois eles certamente hão de acatar democraticamente as decisões que a mantiverem no poder. Mas não se trata disso. A grande maioria já não a suporta mais, já não consegue engolir o que vossa excelência fala, a forma como fala, o uso contumaz da mentira, a permanente negação do óbvio ululante e a prepotência. Chega. Já passou da hora. Pode sair dizendo que quem não a quer não a merece, que não ficaremos ofendidos. Tenho certeza de que será melhor para todos. Os caminhos vindouros serão certamente difíceis, mas haveremos de enfrentá-los e superá-los. Vá, Dilma Vana, vá. Se insuficientes forem os argumentos e o pedido acima, ao menos, se atendê-los, não precisará continuar compactuando com o cramulhão.

Eduardo A. Delgado Filho 

e.delgadofilho@gmail.com 

Campinas

*

RENÚNCIA

Dilma, para o bem do Brasil, renuncie. O povo não aguenta mais ouvir seus discursos, que, além de um português sofrível, não têm uma continuação compreensível.

Valdir Sayeg 

valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

*

ELA RESISTIRÁ?

Só a renúncia livra a presidente Dilma de toda a sorte de críticas e ataques, devido a corrupção institucionalizada, má administração, economia em frangalhos, inflação na casa de dois dígitos, taxa de desemprego em níveis altos, empobrecimento do povo, dentre outras mazelas deste desgoverno que venceu as eleições através de estelionato eleitoral  Seria a melhor saída para o bem do Brasil e para o bem dela, que  se livrará dessa saraivada de críticas e ataques despejada diariamente pelos veículos de comunicação.  Apesar de insistir em ficar até 2018, é difícil de crer que ela possa resistir, tendo em conta que o povo vai sair às ruas levantando a bandeira do impeachment.

José Wilson de Lima Costa 

jwlcosta@bol.com.br 

São Paulo

*

ESCOLHAS DE DEUS

Parafraseando aquela piada que todo mundo conhece: estavam todos os países reclamando com Deus porque Ele colocou tudo de bom para o Brasil território, mas ele pediu um pouco de paciência e falou para que aguardassem um pouco, pois iriam ver quem Ele iria colocar para viver aqui. Surpresa, ganhamos o incrível, o performático, o grande timoneiro, aquele que não sabe nunca de nada, escorrega mais do que sabão e engana mais que o melhor dos mágicos. Logicamente, todos já adivinharam quem é este personagem, o nome dele é Lula e vocês ainda vão ter de quebra Dilma Rousseff. Será que precisa mais alguém?

Henrique Schnaider 

hschnaider4@gmail.com 

São Paulo

*

CIZÂNIA TOTAL

 

É de estarrecer qualquer ser normal a impropriedade de propósitos em favor do Brasil, quando esta infeliz classe política, após se locupletar, se acusa, mente, sofisma e busca se defender após arruinar o País. As coligações, verdadeiros incestos, somam medíocres de todos os partidos e tendências para tentar se perpetuar em imoralidades sucessivas, travando literalmente o País em suas atividades econômicas - e por que não dizer na sua trajetória necessária de uma nação decente. Essa gentalha não tem escrúpulos e se sucede em crimes lesa-Pátria com falsos gurus, pseudotecnocratas, todos incompetentes e desleais em sua essência. Enquanto isso, retrocederemos 20 anos num país extraordinariamente pleno de potencialidades em mãos péssimas, que nos custarão pelo menos duas ou três gerações arruinando nosso futuro. Até quando, Pátria amada?

 

João Batista Pazinato Neto 

pazinato51@hotmail.com

Barueri 

*

AGONIA

Os políticos brasileiros são de causar asco. Poucos se salvam. O senhor Michel Temer não afirmou em sua carta à presidente Dilma que ela "nunca confiou nele e nem em seu partido" e mais "que nunca confiará"? Depois de uma reunião de 50 minutos, tudo mudou? Agora ela confia? Esse pessoal não tem biografia. Em nome do que ou de quem eles fazem essas trapaças? Não está fácil suportar tudo isso. Para quem já teve até recentemente Franco Montoro, Mário Covas, Ulysses Guimarães, só para citar os que já se foram, aturar Lula, Dilma, Cunha e Temer é muito penoso. Essa agonia não acaba!

Éden A. Santos 

edensantos@uol.com.br 

São Paulo

*

DE CARTAS E BILHETES

Depois do advento da escrita, cuneiforme ou hieroglífica, cursiva ou outra firma de comunicação, a carta tem sido na história do mundo um coadjuvante que tem contribuído para fomentar guerras, promover a paz e esteve presente nos mais ardorosos e trágicos romances de alcova, como as cartas de Henrique VIII para a nobre francesa Ana Bolena, que viria a ser sua amante. Outra carta, esta do vice-presidente Michel Temer, enviada à presidente Dilma Rousseff, tem claras evidências de um "tchau, voltarei como presidente". Sendo o PMDB a espinha dorsal do governo no Congresso e estando o cutelo do impeachment rondando o pomo de adão de Dilma, os termos da carta fazem mais estrago do que as trombetas de Josué nas muralhas de Jericó. O País parou, com forte tendência ao retrocesso com 1.700 casos de microcefalia, primeiro e segundo lugar no consumo mundial de crack e cocaína. Afinidades ideológicas com a Venezuela, Peru, Bolívia e Colômbia, que comprometem o combate ao tráfico. A economia naufragou, o governo se afogou.

Jair Gomes Coelho 

jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

ATRASO DO AJUSTE

Aquela que era para ser a "Casa do Povo" ganhou, nos últimos dias, traços de octógono do UFC. Na votação dos integrantes da comissão que analisará o impeachment, urnas quebradas e empurra-empurra; vale ressaltar que a capa do "Estadão" de quarta-feira (9/12) flagrou a deputada Maria do Rosário (PT-RS) no meio da confusão - como já é de praxe. Afinal, o que seriam das discussões no Congresso sem a vitimização da petista? Depois foi a vez do Conselho de Ética abrigar a baderna, novamente sem conclusão das votações. Ao passo que Dilma é amparada pelos chapas-brancas do Supremo - indicados pelos governos petistas -, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), faz as mais diversas manobras e adia a votação no conselho. Enquanto ambos não pagarem pelos crimes cometidos, este país ainda poderá receber a alcunha de República de bananas. Fariam um grande favor se renunciassem a seus respectivos postos; afinal, ajuste fiscal nenhum será implementado, muito menos a inflação recuará - já ultrapassa a casa dos 10% no acumulado dos últimos 12 meses -, enquanto a instabilidade política resistir. Toda essa brincadeira será paga por nós, reles mortais. Por mais quanto tempo a recessão persistir, mais volumosa será a conta a pagar. 

Elias Menezes 

elias.natal@hotmail.com  

Nepomuceno (MG)

*

MAMATA

Pelas cabeçadas, socos, tapas, pontapés, empurrões e ofensas dos "petralhas", pelo estado emocional do deputado José Guimarães (líder do PT na Câmara) - conhecido pelos dólares na cueca -, quase enfartando, a gente constata que o dinheiro que recebem para si e para seus apaniguados é muito alto, pois não querem perder a "teta". Só faltou alguém puxar uma faca. Isto são os "petralhas", vergonha e baixaria total! 

Celso de Carvalho Mello 

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

SÃO NOSSOS REPRESENTANTES?

Como estamos mal representados no Congresso brasileiro! Para votação de assuntos de extrema importância para o País, deram demonstração da pouca vergonha como são tratados. Faltou pouco para transformarem em carnaval com cenas de "pugilato", "eles" se merecem! Mas nós não, que falta de respeito com temas tão importantes para o povo brasileiro e para o País! Será que são nossos representantes? Ou marcam presença apenas para justificar os elevados ganhos e resolver os intere$$es pessoais? Estamos caminhando de mal a pior. A classe política de modo geral desrespeita o povo brasileiro e carece de uma mudança geral. É muita gente não fazendo nada de útil para a sociedade e para o Brasil.

 

Luiz Dias 

lfd.silva@uol.com.br 

São Paulo

*

IMPRÓPRIO PARA MENORES

A imprensa e as TVs deveriam ser proibidas de transmitir para menores de 18 anos a sessões do Congresso Nacional. Nunca se viu tanta cafajestagem, tanta falta de decoro, tanta falta de educação quando de um evento do Congresso é transmitido ou publicado. É, positivamente, impróprio para menores

Ronald Martins da Cunha 

ronaldcunha@Hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

CONSELHO DE ÉTICA

É difícil de acreditar que os senhores que ocupam atualmente esse importante órgão do Congresso Nacional sejam os guardiões da ética e dos bons costumes. A palhaçada e a baixaria verificadas nas últimas sessões foram vergonhosas, um verdadeiro acinte à população e aos eleitores que os elegeram para seus representantes. Uma estrebaria, onde são comuns coices e relinchos, foi o que os prós e contras do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que já deveria estar esperando Papai Noel na cadeia, transformaram o recinto do plenário. Além de mal educados e dissimulados, o cérebro de suas excelências não deve ser maior do que a cabeça de um alfinete. Não é possível tanta desinteligência e desrespeito. Atitudes e atuações como essas denigrem ainda mais a já combalida imagem do Congresso Nacional.

Sérgio Dafré 

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

  

*

QUEBRA-QUEBRA

Tão indecoroso quanto a quebra de decoro parlamentar é a quebra de urnas eletrônicas parlamentares.

Roberto Twiaschor 

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

O MAIOR ESCÂNDALO

O "Escândalo da Petrobrás" está muito bem cotado para ganhar o prêmio instituído pela Anistia Internacional para o "Maior Escândalo de Corrupção do Mundo". A nossa petroleira está em "segundo lugar" de um grupo muito eclético que inclui o Escândalo da Fifa. O final da competição se dará em 9/2/2016. No caso de vitória, a Petrobrás deveria comparecer representada pelo ex-presidente Lula, a quem devemos a performance que possibilitou à Petrobrás ganhar essa difícil disputa. Este emblemático caso trouxe um benefício ao País, mostrando que temos polícia e justiça competentes para assumir a responsabilidade de desvendar o assunto e prender os envolvidos. Trouxe também uma grande motivação para autoridades e o povo brasileiro encontrarem na corrupção um dos maiores problemas nacionais. A presidente Dilma, com algumas responsabilidades nesta performance da Petrobrás, quase falindo a empresa e igualmente o País, deve, também, assim como Lula, ser homenageada pela Justiça de Curitiba.

Fabio Figueiredo 

fafig3@terra.com.br 

São Paulo

*

DILMA VAI CONSEGUIR

É verdade que Dilma se empenhou e fez "o diabo" para sermos os campeões do mundo. Só existe uma singela diferença. Já em fase final da "eleição", o Brasil está cotado para galgar o 1.º lugar em "Corrupção na Petrobrás", concorrendo com outros 383 maiores escândalos do mundo. Méritos para o esforço de Dilma. 

Júlio Roberto Ayres Brisola 

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PROPINA NO SÃO FRANCISCO

Lamentável o fato de que dois envolvidos na Operação Lava Jato, em delação premiada, informam que, num determinado trecho da transposição do Rio São Francisco, com valor total de R$ 680 milhões, R$ 200 milhões foram desviados para propina. Ou seja, onde tem uma obra do governo federal ou projetos em empresa estatal, surge a famosa "porcentagem" para fundo perdido. E vamos continuar escutando que os "grandes chefes" nunca sabiam de nada e ficaram surpresos com mais uma notícia de corrupção. Me engana que eu gosto!

Antônio Carelli Filho 

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté 

*

LAVA JATO

Diante do revelado à Polícia Federal pelo filho de Nestor Cerveró e das gravações do senador Delcídio do Amaral que vazaram na imprensa, a respeito da nomeação do ministro Ribeiro Dantas para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) em substituição ao antigo relator do processo com o intuito de facilitar a concessão de "habeas corpus" para os empreiteiros e  executivos presos, o mínimo que a sociedade espera é que do ministro relator recém-nomeado se declare impedido ou, na falta desse ato de grandeza de sua parte, que o Ministério Público requeira a sua suspeição para atuar no processo da Lava Jato.

Adel Feres 

adelferes@hotmail.com 

Goiânia

*

TIRIRICA PRESIDENTE?

Se as coisas continuarem como estão, com tantos malandros sendo processados e investigados nos Poderes Executivo e Legislativo, não será surpresa se o deputado Tiririca for o próximo presidente da República. É só fazer as contas.

 

Eraldo Bartolomeu Cidreira Rebouças 

real742@yahoo.com.br 

Poços de Caldas (MG)

*

NÃO EDUCADO

Jornalistas deste prestigioso jornal e seus leitores são extremamente educados em suas matérias e mensagens, mas eu não. Dilma, Lula, bancadas aliadas, PT em geral (exceto Eduardo Suplicy): vão todos para o inferno. Só tenho pena do diabo...

Valter Prieto Jr. 

valter.prieto@gmail.com

São Paulo

*

TRÊS PODERES

Os Três Poderes não se entendem e, enquanto isso, o Brasil continua parado, vendo os parlamentares votando em sigilo, numa atitude covarde e nada transparente.  

José Carlos Saraiva da Costa 

jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte

*

FALSA DEMOCRACIA

 

"Black blocs entram em confronto com a PM." "Maduro (numa foto ridícula ao redor do túmulo de Hugo Chávez) anuncia reforma de ministérios após derrota eleitoral." "Cristina Kirchner deixa o poder, mas não antes de uma demonstração de força." Três matérias do "Estadão" em 10/12 (A14; A16; A18, respectivamente), que, entre tantas outras no mesmo jornal, com a mesma importância, mostram que a democracia foi para o lixo. Esses governantes, Kirchner, Maduro, Dilma/Lula sabem que, ao deixar o poder, a enganação e a manipulação das mentes menos favorecidas chegará ao fim, e, consequentemente, perderão definitivamente a chance do comando adquirido com discursos enganosos. Lembrando: "Em 1983, iniciaram-se as campanhas das Diretas Já, que acabaram rejeitadas no Congresso Nacional. Entretanto, o governo Figueiredo promoveu a primeira eleição civil brasileira desde 1964, que decretava o fim do regime militar. Figueiredo não apoiava nenhum candidato do seu partido, favorecendo, assim, a eleição do candidato oposicionista Tancredo Neves". Perguntar não ofende: Quem são os ditadores? Os militares do passado, que cederam ao clamor do povo, ou os civis, que resistem a passar democraticamente o poder para outro civil? São os exemplos de "falsas democracias" que estão tirando o sono do povo trabalhador, honesto, que não aguenta mais ficar sem saber sobre o seu futuro e o de sua família. Até quando? Até quando ficaremos sujeitos aos inescrupulosos conchavos políticos?

 

Mirna Machado 

mirnamac@uol.com.br 

Guarulhos

*

O CONTINENTE EM TRANSIÇÃO

Vivemos um momento de mudanças. Na Argentina, tomou posse o presidente Maurício Macri, que derrotou nas urnas a presidente Cristina Kirchner e o peronismo. Na Venezuela, a primeira eleição parlamentar após a morte de Hugo Chávez impõe vigorosa derrota ao governo. O Paraguai já se reciclou ao afastar o ex-presidente Fernando Lugo, e, aqui, no Brasil, temos o impacto do deflagrado processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e acontecimentos político-econômicos paralelos. Nosso maior problema, neste momento, é o agravamento da crise econômica, sem dúvida, derivada da política. Parece que vivemos um fim de ciclo, tanto no Brasil quanto nos vizinhos. As administrações já fizeram aquilo a que se propunham (conseguiram uma parte, não conseguiram outra) e está na hora de mudar. O atual processo brasileiro dá sinais de esgotamento. É um momento que exige muita seriedade e responsabilidade para trilharmos novos e promissores caminhos. O Brasil é maior que a crise e exige soluções, as mais imediatas possíveis...

Dirceu Cardoso Gonçalves 

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

  

*

BONS VENTOS

Que cheguem logo ao Brasil os ventos alvissareiros da Argentina, derrotando o kirchnerismo, e os da Venezuela, com a maioria do Parlamento expurgando o nefasto bolivarianismo - ambos destruidores, e exemplos não faltam, da moralidade às economias em lamentável estado, inclusive no nosso país. 

Mario Cobucci Junior 

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo              

*

NOVOS TEMPOS AO SUL DO EQUADOR      

     

Argentina, Brasil e Venezuela, três economias em frangalhos, não por mera coincidência, mas por serem vítimas do sediço, malfadado e nefasto populismo esquerdizante da América Latina. Argentina e Venezuela já ensaiaram uma alteração de rumo promissora, elegendo a primeira um presidente liberal que promete reinserir a grande nação platina no mundo desenvolvido e impondo a segunda uma derrota fragorosa ao chavismo na renovação da Assembleia Nacional. Tanto numa quanto noutra as forças modernizantes terão de se bater contra inimigos poderosos que continuam encastelados, respectivamente, no Legislativo e no Executivo, mas é inegável que novos ventos (não estocados, graças aos céus!) começam a soprar na nossa região e, não obstante os obstáculos que terão pela frente, é de esperar que mudanças para melhor sejam introduzidas, quando mais não seja, que a arrogância, a empáfia e a liberdade de ação desta esquerda retrógrada sejam contidas ou moderadas. Falta agora o Brasil para compor uma tríade mudancista na América Latina e selar definitivamente que novos tempos nela estão em curso. Que caia a Dilma, seja por impeachment pelo Congresso, seja por cassação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), seja ainda (a esperança é a última que morre) por renúncia e o nosso país retome a direção do progresso.

Paulo Afonso de Sampaio Amaral 

drpaulo@uol.com.br

São Paulo

*

CANALHADA POPULISTA

De que adianta votar conscientemente se este voto é anulado pelo sujeito que se vende por migalhas tipo Bolsa Família, perpetuando a sua miséria? Como acabar com a pseudodemocracia em que canalhas de plantão exploram a miséria do povo para saqueá-lo em seguida, sem que ele tenha consciência do que está acontecendo, pois, em sua ignorância extrema, nem sequer tem condições de ler um jornal para tomar conhecimento de quanto é espoliado por estes canalhas que lhe dão Bolsa Família? Para que este país se torne algo melhor no futuro, é necessária uma medida drástica no presente: só vota quem ganha acima de 5 salários mínimos mensais. Dirão os oportunistas que isso não é democrático. Direi eu: é democrático o sujeito que hoje leva este país nas costas pagando impostos escorchantes, não tendo nada em troca, a não ser notícias negativas, continuar sem perspectivas de ver as coisas melhorarem? Alguém disse no passado que, para ter a paz, é necessário ir à guerra.

Cesar Romero Galardo 

crgalardo@terra.com.br 

São Paulo

*

BOLIVARIANISMO

A Argentina já despachou o bolivarianismo com a vitória do Macri e, agora, a Venezuela elegeu a maioria absoluta no Parlamento, 99 deputados da oposição contra Maduro. Quem sabe com estes dois bons exemplos o povo brasileiro confirme também por aqui, nas próximas eleições, o fim da trágica permanência do bolivarianismo por 13 anos em nosso país.

Antônio Carelli Filho 

palestrino1949@hotmail.com 

Taubaté 

*

DIFERENÇA

Vocês sabem a diferença entre Brasil, Argentina e Venezuela?  Na Argentina o kirchnerismo já caiu; na Venezuela, o bolivarianismo já caiu; no Brasil, o PT está caindo.

Sérgio Aranha da Silva Filho 

aranhafilho@aasp.org.br 

Garça

 

*

MADURO JOGA PRAGA SOBRE MACRI

O ridículo presidente piu-piu, Nicolás Maduro, tão incompetente quanto a nossa, também não sabe perder. Ele e Diosdado Cabello, outro obtuso, como podem se dizer democratas, sem aceitar o desejo de seu povo? Correto estava o sr. Macri, no desejo de os excluir do Mercosul, ao contrário de nossa presidente, "cega" quando lhe convém, não enxergando os redundantes "fatos certos". A fracassada ideologia causa sofrimento a milhões e, teimosamente, estes paladinos do atraso persistem.

André C. Frohnknecht 

caxumba888@gmail.com 

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.