Fórum dos leitores

(DES)GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2015 | 03h00

Ainda vai piorar mais

O ministro Joaquim Levy, da Fazenda, declarou que “2016 será pior do que o previsto” (12/12, B4). E eu fico aqui a pensar o que vou escrever na mensagem de fim de ano para os meus amigos. “Boas-festas”, “feliz ano-novo”, “que 2016 seja melhor do que 2015” - esses votos tradicionais me parecem agora tão inadequados! Alguém aí poderia dar-me uma sugestão?

ECILLA BEZERRA

ecillabezerra@gmail.com

Peruíbe

Alienada

É impressionante a incapacidade da presidenta de ver o mal que faz ao Brasil, levando-o à derrocada. Não tem desconfiômetro? Não vê o que acontece? Não vê nada? Pelo jeito, parece que não vê mesmo. Se visse, pediria desculpas pelo mal feito e sairia de fininho.

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br 

Cotia

Renúncia

Desde o dia em que Dilma Rousseff instituiu a obrigatoriedade de todo o seu staff, correligionários e visitantes se dirigirem a ela como “presidenta”, desconfiei que algo de muito ruim estava por vir. Afinal, essa exigência, além de tosca, demonstrava que a presidente não tinha sequer noção da dimensão da liturgia que seu cargo exige. Igualmente patético foi ver dezenas de jornalistas usando esse termo bisonho, desnecessário, infantil, evidência de personalidade mal resolvida. Quem dera, contudo, que essa fosse a única atitude exótica de Dilma. Infelizmente para o Brasil, logo nos primeiros meses de seu mandato a presidente já nos deixou patente que suas capacidades pessoais eram diametralmente opostas às que lhe foram atribuídas por seu criador e antecessor, o Lula, e propaladas pelo marqueteiro João Santana na eleição de 2010, quando o País ainda não conhecia muito bem a tal “gerentona” cuja “genialidade” era então comparada à de Steve Jobs. Muitos acreditaram na blasfêmia eleitoreira, até que a máscara caiu. A certa altura do seu primeiro mandato, Dilma chegou a bater recordes de popularidade, com quase 80% de avaliação ótima/boa. Com tristeza, eu, que estava entre a minoria absoluta de ruim/péssimo, tentava entender o que de tão extraordinário os brasileiros viam em alguém que tinha 39 ministérios, alinhava-se a governos ditatoriais mundo afora, afrontava o setor produtivo nacional, dava pitos em subalternos publicamente, pregava um Estado onipotente, afrouxava o controle da inflação, investia em Cuba, na Venezuela e no Equador, além, é claro, de proferir discursos absolutamente sem nexo, coerência e cuidado com a língua pátria. Parecia-me que o País estava sofrendo um apagão mental coletivo. Cheguei a temer que fosse eu quem estava alienado da realidade. Mas o tempo me provou que não. Hoje Dilma virou piada, meme, chacota, com suas indecifráveis ideias. Da mandioca como grande conquista da civilização brasileira à mulher sapiens, ela superou Lula, haja vista que, apesar de falar tolices a rodo, ele não delira tanto. Em 2011 Dilma pegou um país com inúmeros problemas, mas ainda tínhamos um potencial invejável perante o mundo. Depois de cinco anos sob sua batuta, o Brasil piorou em todos os aspectos. E a queda não foi pequena. Para uma economia do porte da brasileira o tombo foi avassalador e levará tempo considerável para se reerguer àquele nível novamente. Incompetência, roubalheira, soberba, cegueira, ideologia, teimosia, dissimulação, submissão ao criador, enfim, foram muitos os motivos que levaram Dilma à situação em que se encontra, na iminência de ser deposta por um processo de impeachment, que, diga-se, é legal e necessário para o bem do País. Entretanto, para evitar conflitos sociais, mais prejuízos à economia e encerrar seu mandato com um mínimo de dignidade, seria melhor a presidenta renunciar. Ou terá o mesmo epílogo de Fernando Collor: a lata de lixo da História.

SANDRO FERREIRA

sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

INTIMADO PELA PF

Deslealdade

Finalmente o ex-presidente Lula é intimado pela Polícia Federal (PF) para prestar esclarecimentos sobre suposto esquema de venda de medidas provisórias (MPs) que favorecem as montadoras de veículos MMC (Mitsubishi) e Caoa (Hyundai), bem como outros eventos relacionados a essas atividades. Lula afirmou que a MP foi assinada em 2013, quando Dilma já era presidente. É o criador acusando a criatura. Diferentemente de outros intimados, Lula não fez delação, mas uma vergonhosa alcaguetagem.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

Desta vez sobrou para Dilma. E eu que achei que a culpa fosse do FHC...

CRISTIANO WALTER SIMON

cws@amcham.com.br

Carapicuíba

Tirando o corpo fora

Ao ser intimado a depor na PF, o ex-presidente Lula, cuja família até agora não comprovou a origem da sua fortuna, dirá que nada tem que ver com a Operação Zelotes. As medidas provisórias não foram do seu governo, mas de Dilma, ou seja, ele sempre encontrará uma desculpa esfarrapada e não convincente para se isentar de toda e qualquer responsabilidade. Enquanto isso, entre o planalto e a planície a população quer uma solução para o impasse institucional.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Filho de quem...?

Certamente, quando Lulla for prestar esclarecimentos no inquérito que apura irregularidades nas supostas compras das medidas provisórias que beneficiaram mais um seu filho “fenômeno”, e conhecendo a habitual performance dele em casos que se aproximem de suas responsabilidades, não duvido que ele diga que não conhece e nunca viu essa pessoa.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Japonês da federal

Será que o sr. Luiz Inácio vai ser apresentado ao japonês da Federal? Será?

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

É, será que o japonês da PF de Curitiba vai ter o prazer de acompanhá-lo oportunamente?

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo 

CORREÇÃO

No artigo Jubileu da Misericórdia (12/12, A2), de dom Odilo P. Scherer, onde se lê “miserando atque elegendo”, o correto é “miserando atque eligendo”.

“Com ou sem impeachment, nós, mulheres brasileiras, vamos ter de engolir esta pílula amarga pelo resto da nossa vida: o pior presidente da História do Brasil foi... uma mulher. Dói!”

EDMÉA RAMOS DA SILVA / SANTOS, SOBRE O GOVERNO LULOPETISTA DE DILMA

paulameia@terra.com.br

“Pobre do país que precisa de impeachments para seguir em frente com retidão política, dignidade 

e respeito ao voto popular. Muda, Brasil!”

J. S. DECOL / SÃO PAULO, IDEM

decoljs@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O PRÓXIMO LANCE DO IMPEACHMENT

No próximo dia 16, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá uma arguição de descumprimento de preceito fundamental e o sistema aberto ou secreto de escolha da comissão que examinará o procedimento da Câmara dos Deputados relativo ao impeachment de Dilma Rousseff. Não se pode relacionar a submissão ou não da presidente da República a um direito constitucional fundamental, considerado que os direitos fundamentais são os direitos do homem ou do cidadão, individuais ou coletivos. Já o voto secreto expressa a soberania popular, garantia também de seus representantes, para não ser objeto de pressão do poder, cláusula pétrea (Constituição federal, artigo 14, “caput”). Consequência: o procedimento de impeachment deverá continuar tal e qual está se desenvolvendo em nosso Parlamento, sem nenhuma agressão ao direito constitucional. 

Amadeu R. Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br 

São Paulo

 

*

O BRASIL PARADO

A presidente Dilma Rousseff diz que “não podemos parar o País”. Não notou que o País já está parado desde outubro de 2014?

Omar El Seoud

ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

REPÚBLICA DAS BANANAS

Se em votações menores no Parlamento eles recorreram ao Banco Rural e à Petrobrás, desta vez não haverá intermediários. Eles irão direto à Casa da Moeda. Já imaginaram quanto vai custar um voto contra o impeachment?

José Roberto Sant’Ana

jrsantana10@gmail.com 

Rio Claro 

*

EXPLICANDO AS ‘PEDALADAS’

Façamos de conta que, anualmente, um indivíduo separa de seu salário determinado valor para esmolas. Com o tempo, e aumento dos pedintes, o indivíduo passa a pedir ao vizinho um empréstimo até receber seu salário. Um dia, o indivíduo concorre a prêmio como melhor doador de esmolas do bairro. Sem pensar, ele se endivida mais ainda para ganhar o prêmio, passando a precisar mais ainda do empréstimo do vizinho... Resultado: ganha o prêmio, mas não tem mais dinheiro para pagar sua dívida. Foi isso o que aconteceu com a presidente Dilma. Usou e abusou dos empréstimos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal (CEF), ganhou as eleições (prêmio) e, quando a fonte secou, não tem como devolver o empréstimo, o que por lei é considerado falta grave, com perigo de perder o mandato. Fora que, para sair do enrosco em que se meteu para ganhar as eleições, Dilma resolveu taxar o povo brasileiro com mais impostos ainda, para pagar por sua leviandade.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

GOVERNO COM MENOS DINHEIRO

Um grande presidente consegue tirar leite das pedras. Está nisso sua competência. Necessidade de muita verba mostra claramente incompetência, além de aumentar a caça ao tesouro.

J. Treffis

jotatreffis@outlook.com

Rio de Janeiro

*

POBRES SEM CARNE

O ex-presidente Lula disse em entrevista que pobres terão de comer arroz sem carne durante a crise. O que o povo quer saber é se a elite, tipo Lulinha, que ficou milionário em tempo recorde depois que Lula assumiu a Presidência, vai passar sem carne ou vai saborear picanha Friboi.

José Carlos Alves

jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

NATAL MAGRO

O Natal deste ano será tão magro, mas tão magro que todos os Papais Noéis gordinhos estão desempregados. Estão dando preferência aos magrinhos.

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

*

VOTOS DE ANO-NOVO

Estamos concluindo mais um ano. Foram momentos difíceis, mas surge a esperança de dias melhores, em especial com a possibilidade do impedimento da presidente Dilma. Só nos resta batalhar para que nosso amanhã seja melhor, e estamos trabalhando para isso. Vamos deixar os problemas de lado, comemorar com nossos familiares estes dias especiais e renovarmos nossas esperanças. Nós, principalmente, que nunca votamos no governo atual/anterior, não merecemos isso. Feliz Natal e próspero ano a todos.

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

HÁ SINCERIDADE NISSO?

Nos mais recentes discursos de ocasião, caracteristicamente desconectados dos anteriores, a presidente Dilma, provavelmente orientada por marqueteiros alucinados, revela um inesperado açodamento no sentido de que o processo de impeachment aceito pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), seja concluído o mais rapidamente possível, tática surpreendente para quem há pouco tempo desejava procrastinar ao máximo os debates sobre o tema. O que mais espanta, no entanto, é a argumentação de base para a retórica inesperada: a de que o recesso parlamentar deva ser cancelado porque o Brasil não pode parar. Que as férias dos congressistas devam ser prejudicadas, isso é necessário, em face da situação de tensão da atual conjuntura, mas tentar convencer a população de que há uma grande preocupação com a estagnação nacional continuada é menosprezar a inteligência de quem se depara com o novo posicionamento. Afinal, nos últimos tempos, uma das palavras mais pronunciadas pela presidente nas falas oficiais foi o pronome “eu”, como se o País fosse um detalhe pouco importante. Cabe relembrar uma pergunta jocosa, de programas humorísticos antigos: “Há sinceridade nisso?”.

Paulo Roberto Gotaç

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CARNAVAL

Desfilando perante criteriosos jurados, Dilma Rousseff e Eduardo Cunha certamente receberão baixíssimas notas nos quesitos “samba-enredo da verdade”, “evolução da moral” e “porta-estandarte da ética”. Ao fim da apuração, dificilmente eles e suas “escolas” escaparão do rebaixamento.

Paulo Eduardo Grimaldi

pgrimaldi@uol.com.br

Cotia

*

MANOBRAS

As manobras de Cunha e de Dilma estão prejudicando o País. A situação é ridícula, pois os dois cometeram crimes, são culpados e não querem largar o poder por nada neste mundo. Os contribuintes brasileiros é que vão pagar a conta, aconteça o que acontecer.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

O ATRASO DO BRASIL

O PT e a pior presidente da história do Brasil, Dilma Rousseff (ao lado de Fernando Collor, seu atual apoiador no Senado), querem fazer crer que a batalha do impeachment é uma luta entre ela e Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados. Porém, na verdade, o que 90% dos brasileiros desejam e pedem é “Fora Dilma” e “Fora Cunha”. Portanto, não existe esta luta entre o bem e o mal. Dilma e Cunha representam o atraso do Brasil. Pelas pedaladas fiscais, pela roubalheira na Petrobrás, pelo estelionato eleitoral, por ter ela feito “o diabo” mentindo ao povo brasileiro, pela vaca que tossiu, pela incompetência orgulhosa e pela dissimulação reincidente, Dilma Rousseff merece ser deposta do cargo aonde jamais deveria ter chegado. O impeachment é mais do que bem-vindo, ele é fundamental para o País sair desta crise criada pelo lulopetismo.

Sandro Ferreira

sandroferreira94@hotmail.com 

Ponta Grossa (PR)

*

UNIÃO NACIONAL

Será que o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, senhor Eduardo Cunha, tem noção da desgraça que ele vai causar à sociedade brasileira? Vai causar não, já causou. Indiferentemente dos resultados do impeachment de Dilma Rousseff, a economia brasileira dificilmente se restabelecerá no médio prazo, pois está totalmente paralisada.  Mesmo que a presidenta Dilma Rousseff deixe o governo, pode entrar quem quiser, se não houver união entre os políticos, em nada irá melhorar, até porque sem união não existem forças que resistam.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

BATE-BOCA E QUEBRADEIRA

Mediante o comportamento reprovável de muitos congressistas que estão discutindo os processos de cassação de Eduardo Cunha e o impedimento de Dilma Rousseff, o Congresso Nacional já recebeu um apelido do povo: “ringue”.

Luiz Bianchi  

luizbianchi@uol.com.br

São Paulo

*

REFÉNS DO CONGRESSO

Até quando os brasileiros serão tomados como reféns das escaramuças e manobras dos congressistas? Já conseguiram permitir que quebrassem a Nação e, agora, não permitem que nos recuperemos. Lamentável. 

Fábio Caio de Castro Missiroli

fabiomissiroli@yahoo.com.au

Ilhabela

*

ALIANÇA CONDENADA

Se a relação entre partidos do governo é “uma aliança condenada” (editorial do “Estadão” de 9/12), foi porque o legislador constituinte ditou a Lei Magna com viés parlamentarista, para retirar maiores poderes dos presidentes, mas não teve a coragem de assim a aprovar, acreditando que a população referendaria aquela forma de governo. Ficamos, assim, reféns de um presidencialismo de coalizão que cobra, literalmente, seu preço no Parlamento desde a aprovação da Constituição.

Adilson Roberto Gonçalves

prodomoarg@gmail.com

Lorena

*

O BRASIL JÁ COMEÇOU A GANHAR

O primeiro fruto da guerra entre Dilma e Cunha é a destituição do vice-presidente da Caixa Econômica Federal. Não é difícil de imaginar o que o aliado de Eduardo Cunha fazia “cuidando” das loterias federais. Muito mais importante do que saber quem vai derrubar quem primeiro, a exposição deste lixo todo deveria servir para que o Brasil proíba qualquer tipo de indicação política para qualquer cargo. Eleição ou concurso público deveriam ser as únicas formas de alguém obter um cargo em qualquer atividade remunerada pelo dinheiro público. 

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

NÓ NA JUSTIÇA

O Ministério Público Estadual (MPE) ajuizou ação civil pública por ressarcimento de danos e atos de improbidade administrativa contra o prefeito Fernando Haddad, o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, o ex-secretário municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico Marcos de Barros Cruz e o atual secretário de Finanças, Rogério Ceron de Oliveira. Ponto para o MPE, pois o próprio Tribunal de Contas do Município (TCM) disse não saber para onde vai o dinheiro, já que a prefeitura tem seis contas, faz arrecadação paralela e fica por isso mesmo? Muito cômodo para o TCM dizer que não sabe onde está o dinheiro. Se houvesse um pouco de vontade, também saberia que o dinheiro arrecadado da indústria das multas está servindo para pagar os funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Guarda Civil Metropolitana. O art. 320 do Código de Trânsito Brasileiro determina que “a receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito será aplicada, exclusivamente, em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito”.  Segundo o promotor Marcelo Milani, R$ 25 milhões foram destinados ao projeto das bicicletas. O prefeito “Malddad” foi vendido por seu inventor, o arrogante Lula, como o novo que iria revolucionar São Paulo. Os paulistanos, porém, estão sentindo na pele a incompetência desta gestão, porque o novo também dá seus nós na Justiça. O MPE pede a devolução de R$ 617 milhões aos cofres públicos e os eleitores perguntam: as leis foram feitas somente para o contribuinte? Enquanto o povo deixar, os roubos não vão acabar.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

IPTU 2016

Acessei o link da Prefeitura de São Paulo (http://www3.prefeitura.sp.gov.br/tvm/frm_tvm_consulta_valor.aspx) para verificar o valor venal do meu imóvel, que será utilizado como cálculo para apurar o valor do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) para 2016. Fiquei indignado ao perceber que, em comparação com 2014, o valor foi reajustado em 233%, significando que o valor do IPTU a ser pago em 2016 será muito elevado. Gostaria que a Prefeitura esclarecesse os motivos que a levaram a praticar este aumento abusivo, levando em conta que o mercado imobiliário está em crise e os valores dos imóveis estão em queda.

José Carlos Costa

policaio@gmail.com

São Paulo

*

NÃO É POLÍTICA, MAS É BRASIL

Costumo fazer minhas caminhadas pela manhã e, em determinados locais, me deparo com uma imensa quantidade de pombos, e costumo alimentá-los. Há alguns dias encontrei uma senhora com ou porçãozinha de arroz fazendo o mesmo, porém muito assustada porque soube que quem alimenta os pombos está sujeito a uma multa imposta pela Prefeitura. Na primeira oportunidade, entrei em contato com a administração para saber da veracidade desse risível fato. Pelo número 156 (protocolo 2015031257261), expliquei tudo à funcionária, que me solicitou um tempo para consultar o sistema. A informação final foi de que não consta no sistema. Continuo sem saber se é verdadeira ou não esta “coisa” esdrúxula. Conheço ruas e praças de Paris, de Londres, de Moscou, de Berlim, de Nova York e de Washington, todas abarrotadas de pombos e, mais, pelo menos em Paris e em Berlim, se um adulto fizer qualquer maltrato às aves, será preso, e, se o ato for praticado por menores, os pais serão responsabilizados. Enfim, quero deixar bem claro que, sendo verdade ou não, continuarei alimentando as aves, e, em sendo verdade a existência da multa, que tentem me multar, até vou fazer a denúncia sem me identificar e apontar o local do crime. Estarei esperando, mas aviso que vão demorar muito para receber a extorsão, e desde já comunico que, de agora em diante, vou dar uma de dona Dilma, “vou dobrar a meta”: levarei duas vezes mais ração do que geralmente levo, biscoitos de maizena e arroz – e, para a quadrilha de Brasília e sua joint venture de São Paulo, eu tenho raticida. 

Humberto de Luna Freire Filho

hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

BURACOS

É incrível o número de buracos nas ruas de São Paulo. Os prefeitos anteriores a Haddad, um ano antes das eleições, se preocupavam em recapear as vias, obviamente com a finalidade de tirar proveito de uma possível reeleição. Há alguns dias, durante forte chuva, transitava com meu veículo em frente à Faap quando passei por um desses buracos, danificando a roda dianteira. O reparo está sendo feito e vou ter de arcar com as despesas. Se o atual prefeito espera se reeleger, creio que os votos virão, em grande número, dos ciclistas, porque na maioria das vias eventualmente se vê alguém pedalando.

Roberto Julião

rjjuliao@uol.com.br

São Paulo

*

CICLOFAIXAS

Tenho um bom uso que gostaria de sugerir para as ciclofaixas de São Paulo: que elas sejam utilizadas por motos, ao invés de bicicletas. A demanda e a necessidade são muito maiores e isso diminuiria muito o número de acidentes envolvendo motocicletas. 

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

CRISE HÍDRICA

A gestão compartilhada do Rio Paraíba do Sul pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro é positiva, principalmente se for capaz de chamar a atenção dos três Estados mais ricos da Federação para a importância do zelo pelos recursos naturais, mas não toca no problema central que gerou a crise hídrica brasileira: a transferência para os municípios da gestão dos recursos hídricos e do saneamento básico. Em Guarulhos, o Saae Guarulhos acumula uma dívida superior a R$ 3 bilhões com a Sabesp, é uma autarquia que só serve para acomodar quadros partidários dos mandatários de ocasião, incapaz de fornecer água ou saneamento básico aos munícipes guarulhenses de forma autônoma, pois nem sequer há estrutura ou fontes para captação na cidade, além do que, como acontece em todas as cidades brasileiras, os rios e córregos que geralmente demarcam fronteiras entre as cidades são vistos pelas prefeituras como local de despejo de lixo e esgoto para a população, e não como recursos naturais preciosos a serem protegidos. A fim de garantir sustentabilidade para ações futuras de proteção dos recursos hídricos, o correto é que a gestão das águas e saneamento básico fique centralizada nas empresas estaduais de saneamento – no caso paulista, a Sabesp.

Airton Reis Júnior

areisjr@uol.com.br

Guarulhos

*

RACIONAMENTO

Novembro foi o mês mais chuvoso dos últimos tempos. Pelas informações da imprensa, o El Niño vai garantir um verão muito molhado. A Represa da Cantareira já saiu do radar de toda a imprensa, ou seja, não é mais notícia, mas o nosso valoroso governador Geraldo Alckmin insiste em penalizar a população, em especial a da capital, com este racionamento absurdo. Até quando?

Maurício Lima

mapeli@uol.com.br

São Paulo

*

COMBATE À DENGUE

O preço do repelente Exposis dá “zika” na hora! 

Ricardo C. Siqueira

Niterói (RJ)

*

PRAZO RIDÍCULO

São Paulo dá 48 horas para abrir portas a agentes antidengue ou a entrada será à força? Coitados dos vizinhos, vão ter de pedir um tempo ao Aedes.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

RENDIMENTO DE APOSENTADOS

Fiz um levantamento de qual seria o rendimento mensal dos aposentados se eles pudessem optar por INSS ou uma conta própria de rendimento durante 35 anos.  Nos meus cálculos, considerei um salarinho de R$ 980,00. Quem aplicar sobre ele durante 34 anos sem fazer saques conseguirá um rendimento muito maior que 10% ao ano, mas calculei só 10%. Com 13 depósitos/ano (salários + 13.º salário) + rendimentos de 10% sobre o valor aplicado, a partir do 13.º mês (2.º ano), durante 35 anos, terá mais de R$ 700 mil na conta, e 10% disso dará R$ 70 mil/ano ou R$ 9.833,00/mês. E os aposentados não ganham sequer 10% disso. O governo alega que há um déficit nas aposentadorias, apesar das manobras para reduzir os valores. Se houvesse aplicado o valor arrecadado e os rendimentos durante 35 anos (enquanto ninguém estava aposentado e recebendo), teria trilhões em caixa, desde que não houvesse tantos funcionários “indicados” (se o computador trabalha de graça) e tantas “pedaladas” nas contas.

Mário A. Dente

mdente28@gmail.com

São Paulo

*

DESEDUCANDO

Estou indignada com o nome da campanha lançada pelo Grupo GPA: “Vamojunto!” Um “movimento” que reúne as lojas físicas Assaí, Casas Bahia, Pontofrio, Extra, Minimercado Extra, Minuto Pão de Açúcar e Pão de Açúcar, além dos sites que integram o e-commerce do grupo e onde os “marqueteiros” se dão ao trabalho de deseducar uma população de clientes que, de deseducação, já está cheia! Não tem ninguém que tenha a responsabilidade de dizer que “Vamos Juntos” é o correto e que não se pode “desensinar”? Zero para eles! Deveríamos é não comprar nada nessas lojas que não têm nenhum apreço por seus clientes.

Cristiane Magalhães

cris_magalhaes@uol.com.br

São Paulo

*

ESCÓRIA LATINA

As reações tanto de Cristina Kirchner quanto de Nicolás Maduro às derrotas que amargaram nas recentes eleições – presidenciais na Argentina e legislativas na Venezuela – expõem o tipo de escória que tem liderado as ações na esquerda latino-americana. Cristina, com sua indefectível prepotência, irresignada com a derrota, decidiu boicotar a cerimônia de posse de Mauricio Macri e não passar a faixa a seu sucessor na Casa Rosada, numa estúpida e estapafúrdia desfeita que só faz evidenciar sua mesquinhez. Pior foi Nicolás Maduro, o novo “bufão de Caracas”, que, seguindo os passos de seu mentor, Hugo Chávez, decidiu deixar bem claro o nível de rodapé que caracteriza as ações do Palácio de Miraflores, ao exortar o povo argentino a lutar contra o presidente recém-eleito, chegando ao cúmulo de rogar-lhe uma praga bem no dia de sua posse, num gesto grosseiro e esdrúxulo, típico de um desequilibrado. É inacreditável que os povos de Argentina e Venezuela – mas não apenas estes, infelizmente – tenham escolhido a escória da raça humana para governá-los. Como corolário, não admira estarem – ambos os países – na situação calamitosa em que se encontram.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

O RICO POPULISTA

Os governos populistas latino-americanos estão começando a deixar seus governos pela porta dos fundos. Como diz o ministro em chefe da Casa Civil do Brasil, “se a moda pega”... Refiro-me à argentina Cristina, aquela que ficou rica exercendo a presidência dos irmãos, os “hermanos”. Acho até que “a moda está pegando”.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava     

 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores Estadão Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.