Fórum dos Leitores

BOAS-NOVAS

O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2016 | 03h00

Promotor skatista

Histórias como a do promotor Enilson Komono (Promotor skatista resgata jovens carentes, 1.º/1/2016) é que nos fazem acreditar ser possível transformar a sociedade e a vida de pessoas carentes, que vivem à margem. Que o exemplo de vida dele e suas iniciativas inspirem todos a fazerem o bem pelo próximo. Porque só vamos conseguir combater a criminalidade mostrando aos jovens que existe outro caminho a seguir.

MARCELO RUFINO BONDER

marcelobonder@hotmail.com

Paraguaçu Paulista

SÃO SILVESTRE

Barbada

Os africanos sobraram mais uma vez numa corrida de São Silvestre. É quase uma constante vencerem provas de longa distância. Seja em Nova York, no Japão, na Rússia, na Inglaterra ou no Brasil, tem sempre um africano pontuando. Mas essa da virada 2015/2016, em São Paulo, foi uma barbada. Além do preparo físico privilegiado, treinamento rigoroso, desta vez os dirigentes capricharam na escolha do competidor. Mandaram logo um “Biwott”! E não teve para ninguém. Deixou os monofásicos brasileiros e demais no chinelo. Assim não dá para competir.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Simplesmente ridícula

O Estadão publicou reportagem em 31/12, do jornalista Márcio Dolzan, relatando uma atitude absurdamente ridícula da Fundação Cásper Líbero, que tem como presidente do seu Conselho Diretor Paulo Camarda: a de proibir a pequena cidade gaúcha de Carlos Barbosa de denominar São Silvestre a sua corrida realizada no último dia do ano. Com aproximadamente 5 mil habitantes, encravada na Serra Gaúcha, a cidade foi ameaçada pela agora apequenada fundação de sofrer processo, por – pasmem! – “inequívoca exploração indevida da marca”, o que inclui “concorrência desleal”. E exigiu R$ 50 mil para autorizar o uso do nome. Essa fundação deve estar mesmo muito necessitada de dinheiro para iniciar uma perlenga por motivo tão mesquinho. A Fundação Cásper Líbero deveria, isso sim, não ter-se dobrado às regras da Federação Internacional de Atletismo e passar a corrida a ser realizada durante o dia, contribuindo ainda mais para os exasperantes congestionamentos que nos martirizam. Afinal de contas, no dia 31/12 a cidade funciona normalmente no período da manhã. Cumpre destacar também que o seu fundador, o jornalista Cásper Líbero, a idealizou exatamente para que a corrida se desenrolasse na virada do ano e o vencedor alcançasse a linha de chegada tão próximo da meia-noite quanto possível. As ruas e avenidas da cidade que faziam parte do percurso ficavam lotadas de pessoas que torciam e incentivavam os corredores e aproveitavam para confraternizar pelo ano que se aproximava. Eu, que desde de pequeno acompanhei a São Silvestre, este ano nem sabia qual seria o horário da corrida. E ao saber que começou às 8 da manhã, só me pôde ocorrer por que a Prefeitura deu autorização para tal absurdo.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

FELIZ ANO VELHO

Impostos e benesses

Os brasileiros, em 2015, sofreram um “confisco” de mais de R$ 2 trilhões em impostos. Quase tudo para custear a emperrada máquina pública. Adivinhem o que vai mudar em 2016... Aliás, 2016 será o ano em que só haverá dinheiro para cooptação de parlamentares.

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Mensagem presidencial

Temerosa dos panelaços, a presidente Dilma preferiu enviar sua mensagem de fim de ano pela internet – o que não significa que as promessas sejam críveis, diante do passado que ela se nega a reconhecer. O texto pueril, digno de quem não sabe o que dizer, tem o mesmo sentido daquele da meta que não existe e quando chegar lá dobra a meta... Melhor seria a presidente ficar em silêncio, distraindo-se ensacando vento, do que continuar falando, sem nenhuma credibilidade, mais do mesmo, verdadeiras patacoadas que ofendem a sociedade, sofrida e desesperançosa, há cinco anos.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@gmail.com

São Paulo

Não cai o pano

Ao longo de todo o ano de 2015, o cenário político brasileiro assemelhou-se a uma ópera-bufa ou a um teatro de horrores, protagonizado por atores dos três Poderes da República, profissionais da astúcia e outras artes impróprias. Cada ato é repleto de conchavos imorais, de desmedidas mentiras ardilosas. E nós somos forçados a assistir ao espetáculo em todas as suas cenas, que parecem não ter fim. O pano não cai, infelizmente.

LUÍS LAGO

luislago2002@hotmail.com

São Paulo

FERNANDO GABEIRA

Réquiem e renascença

A ecografia política realizada com lúcido diagnóstico por Fernando Gabeira no artigo Maratona no escuro (1.º/1, A2), acerca do contraste anunciado pela Olimpíada Rio-2016, revelando os cenários de um provável réquiem para a crise econômica e política e, ao mesmo tempo, a esperança de um renascimento da imagem positiva de nosso país, sugere os acordes de uma sinfonia inacabada, alternando movimentos de euforia e tragédia distribuídos numa partitura de mentira e paixão, alimentada pela síndrome do poder absoluto e pela anomia das convicções. Como disse Oscar Wilde, “a vida imita a arte”. Essa máxima é demonstrada pelas mazelas de um governo gerador de insegurança para a qualidade de vida dos cidadãos e pela obra clássica do compositor Louis Hector Berlioz (1803-1869), narrando a desventura de um jovem que, “ingerindo doses excessivas de ópio, tem alucinações, vendo-se condenado à morte, a caminho do cadafalso, por ter assassinado sua amada e, finalmente, num sabá de bruxas em que ela reaparece e se mistura à orgia diabólica” (Dicionário de Música, Zahar Editores, RJ, 1985, página 355). Esse “jovem” não poderia ser o partido de apenas 35 anos de vida – a “caminho do cadafalso” – e a sua “amada” não seria a própria democracia, por ele assassinada em pesadelo recorrente?

RENÉ ARIEL DOTTI

rene@dotti.adv.br

Curitiba

VIOLÊNCIA E CRIME

Indulto natalino

Quando os cidadãos de bem terão indulto de Natal e poderão sair às ruas sem ser mortos ou assaltados? Quando nos darão esse indulto de que tanto precisamos e a que temos direito? Com a palavra as autoridades.

FRANCISCO JOSE CARDIA

fra.cardia@hotmail.com

São Paulo

2016 pior que 2015

Já se foi aquele tempo em que, no Brasil, o povo passava as festas natalinas com a ceia farta, presentes para toda família, e ainda gozava as férias, esperando o carnaval chegar para depois começar produzir o resultado do ano vigente.  Porém, se no início de 2015 as expectativas não eram tão sombrias, já que a economia foi se degenerando com os passar dos meses, para 2016 o quadro é bem mais desolador. As estimativas indicam queda do PIB de até 3% e que 2,2 milhões de trabalhadores podem perder o emprego neste ano, ante 1,5 milhão de 2015.  Mesmo que a inflação como afirmam os analistas, caia para um patamar de 7%, ante os 10,72% de 2015, não vai refrescar, porque a renda do trabalhador está na UTI, comprometida com os carnês em atraso, a alta desproporcional do custo de energia elétrica, com o reajuste do aluguel, do IPTU, mensalidade e material escolar nas alturas, etc. E para piorar, as investigações da Polícia Federal, contidas na Operação Lava Jato, prosperam, chegam bem próximos do Palácio do Planalto, de Lula, e dos principais políticos aliados do PT, que pode agravar ainda mais a crise política. Porque também continua forte no radar o impeachment da Dilma! Assim como as manifestações populares não vão se arrefecer enquanto o PT não for enxotado do poder! E se ocorrer, a reconstrução ética e econômica poderá ser alcançada neste nosso maltratado Brasil...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Um 2016 sem  esperanças  ?

                                                                                                                       

Numa reunião de parentes e amigos na véspera deste ano que começa, no momento da virada todos se juntaram e brindaram com champanhe,  menos um dos presentes, que permaneceu quieto num canto. Perguntado  por que não brindara, ele respondeu: "Nesta virada de ano nenhum brasileiro deveria sair às  ruas para festejar na Paulista, no Rio, em Salvador, Florianópolis e demais cidades do país, e sim permanecer em suas casas em silêncio e deixar ruas, avenidas e praias apenas para os  políticos, que como sempre prometem tudo e cumprem nada.  Esse silêncio do brasileiro mostraria a todos os políticos, da presidente preposta do Lula até o  vereador do menor município,   por que, como  festejar com esperança a chegada de  todo ano novo com um futuro que nunca chega. Não há o que festejar num país que neste ano caminha para um desastre cujo tamanho nem sequer somos capazes de mensurar! Como festejar, se os responsáveis por esse desastre jamais pagarão na Justiça suas culpas, porque ainda temos um sistema de Justiça capaz de punir com  cadeia alguém que rouba um pacote de arroz para não morrer de fome, mas é incapaz de castigar com penas exemplares os envolvidos atuais e futuros, na Operação Lava Jato! Aqueles que deram prejuízos de bilhões de reais à Petrobrás e ao país? Ora, prefiro ser realista e nada esperar neste  ano, assim, se vierem alguns benefícios - não para mim especificamente, mas para o país, será um milagre, porque de uma politicalha podre como a nossa nada há a esperar". Como discordar da pessoa ?

Laércio Zannini  spettro@uol.com.br

São Paulo

*

Repeteco

No melhor estilo Poliana, a criatura "presidenta" fala em esperança renovada para 2016: "Sei que tivemos um ano difícil (omitiu que foi culpada por isso), mas estou otimista com 2016.  Acredito na força do nosso povo e na agenda que traçamos para o Brasil" (?!). Disse ainda que a agenda do novo ano será de reformas que vão "aprofundar" (ou afundar?) a democracia e fortalecer o crescimento sustentável.  Pelas notícias do primeiro dia deste ano, dá para perceber o porquê de tanto otimismo: distribuição de verbas parlamentares, verdadeira compra de fidelidade, no interesse próprio, para afastar o fantasma de impedimento, e implantação da tal "agenda" para "aprofundar" a democracia.  E ella continua fazendo o diabo para garantir o poder dos nefastos.

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

Em 2017

De acordo com todas as previsões para o ano que se inicia, certamente daqui a 365 dias estaremos todos dizendo: eu era feliz e não sabia.

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

Lullopetismo _ Por demais desgraça 

Descontados os artifícios ou cirurgias plásticas contábeis - ou  "contabilidade criativa" - donde e como surgiu a grana real para pagar as pedaladas fiscais de Dilma Rousseff, se o Tesouro está quebrado, se a arrecadação tributária despenca há meses, se não há dinheiro para a Saúde e para a Educação, se o país exibe infraestrutura em escombros, se a violência e a morte são o bom-dia e o boa-noite nas grandes, médias e pequenas cidades? O PT e o PMDB transformaram a mentira, o assalto, a dissimulação, a incompetência, a desgovernança e o deboche em políticas de e do Estado. O bodum da decomposição moral que exala de Brasília tornou insuportável o convívio do cidadão do bem em um país desgovernadamente caótico, moralmente putrefato, na República em que "estado democrático de direito" é frufru retórico  para camuflar a rapinagem incrustada no Congresso, nos ministérios, nas estatais, avalizada pelos floreios verbais jurídicos em um STF no qual a sociedade não confia. É desgraça demais o que o Brasil de Brasília impõe à Pátria Brasileira.

José Maria Leal Paes

Belém 

*

Impostômetro em 2015

Pela primeira vez em 20 anos, o impostômetro atingiu a marca de R$ 2 trilhões em arrecadação de impostos, taxas e contribuições. O que comprova a péssima destinação e aplicação dos recursos. É por i$$o que atrave$$amos a crise econômica, política e moral, sem precedentes. Não há recursos que consigam pagar a roubalheira e corrupção implantada no País pelo PT e aliados. É preciso mudar e$$a gente, que jamais conseguirá colocar o País no seu rumo certo. É muita incompetência e irresponsabilidade! Alguém discorda? Prove o contrário.

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

Votos de ano-novo

A vocês , políticos e empresários corruptos brasileiros, tanto os que estão presos como os que estão na fila aguardando a vez, eu desejo  que o ano de 2016 seja repleto de justiça, que outros juízes do calibre e da coragem de Sergio  Moro  apareçam para fazê-los apodrecer na cadeia. Quanto aos que ainda estão na fila do xilindró , estou  torcendo  para  que o famoso japonês da Polícia Federal os visite o mais rápido possível.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

Que os céus lhe caiam sobre a cabeça

Dilma reclama de que desejam que os céus lhe caiam sobre a cabeça...  E por que não? Dilma virou nossa vida do avesso, nos obrigou a fechar nossas  empresas, a despedir nossos funcionários aumentando a onda de desempregados, acabou com o fruto do trabalho de uma vida inteira nos jogando na insegurança quando deveríamos estar aproveitando o resultado de tanto labor. Acabou com os sonhos de consumo daqueles que descobriam as delicias  de  um carrinho de supermercado cheio, de uma compra de eletrônicos, de um carro. Jogou todos no atoleiro das dívidas, da falta de trabalho, do desespero. Tirou-nos a esperança de um Brasil melhor. Portanto, que os céus lhe caiam sobre  a cabeça, que Dilma tropece em cada pedra dos sonhos que destruiu. Que colha exatamente o que plantou, nem mais nem menos. Para mim é suficiente! E BASTA DE DILMA! 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

Um ano de muito trabalho

O ano de 2015 não foi de tudo inútil. Serviu para descobrirmos e tornar publicas as falcatruas, pedaladas e a corrupção que grassa no país. Desnudou os poderes executivo e legislativo deteriorados, mostrou a economia capenga (que o governo dizia ser maravilhosa), deixando claro um país à beira da ruína, onde Saúde Pública que mata e tortura e a insegurança pública atordoa. Isso sem falar do desemprego, da miséria e da fome. Tudo isso escancarado, mobiliza o povo, que exige solução. Aos detentores do poder resta apenas, reconhecer os erros e, se ainda tiverem tempo, não repeti-los. Precisamos de ajustes que podem ser amargos, mas são inadiáveis. O governo não pode continuar gastando mais do que arrecada e nem querer arrecadar simplesmente aumentando ou criando impostos. É necessário reaquecer a economia, acabar com os maus hábitos,    recuperar a confiança do povo no governo, nos políticos e em todas as instituições. Criar um clima positivo onde o investidor tenha segurança para colocar o seu capital, o trabalhador tenha sua oportunidade laboral e os governos - federal, estaduais e municipais - contem em seus cofres com os recursos suficientes para prestarem os serviços públicos de sua obrigação. No dia que conseguirmos vencer essas etapas, estará eliminada a crise e o Brasil, finalmente, voltará a marchar rumo ao almejado grande destino.  

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

Otimismo em 2016

Difícil não nos deixarmos contaminar diante de tudo a que assistimos e de todos os índices negativos de avaliação com os quais deixamos o conturbado ano de 2015. Mas vamos tentar aproveitar essa característica especial deste início de ano, que nos propiciam os três dias de folga antes de voltarmos ao cotidiano, para descansar e tentar melhorar o astral. Boa sorte a todos em 2016 e que todo consigam.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

 

*

O FGTS nas pedaladas de Dilma

Esquisito, muito esquisito, o governo anunciando no dia 30/12, o pagamento integral de todo o passivo das famosas pedaladas fiscais. A pedalada de R$ 22,64 bilhões paga ao FGTS não deu para o trabalhador engolir quando no dia 6/10, em reunião extraordinária, o Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, autorizou, a fundo perdido, a liberação R$ 8,1 bilhão para continuar financiando o Minha Casa Minha Vida.  Isto é mais uma tramoia ou uma afronta do "governo" da presidente Dilma Rousseff contra a inteligência do povo?

Leônidas Marques leo.marques.vr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

Rombo nos cofres públicos

Nosso governo libera mais verbas para parlamentares e ainda tem a cara de pau de dizer que se aumentasse o salário dos aposentados do INSS quebraria a Previdência.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

Resposta a Moreira Franco

Os problemas brasileiros todos conhecemos. Entretanto, estaria o PMDB e seus partidos satélites disposto a reformular o programa partidário?; propor novas formas de escolher nossos dirigentes, por exemplo, o voto distrital, acabando com os vergonhosos feudos políticos que passam de pai para filho? abraçar a redução do custo absurdo e as mordomias de nosso legislativo, em todos os níveis? Abrir o diálogo verdadeiro, sincero e desprovido de subterfúgios com os brasileiros, perguntando que país queremos? Eu não acredito. O discurso do artigo é mais do mesmo: o articulista, embora tendo meu respeito pelo seu histórico político, quer que acreditemos que leão pia e passarinho ruge, melhor esclarecendo, que nossa selva política, com seus bichos territoriais, podem ser amansados. O cruel é que tais palavras agora ressoam sobre nossos despojos de cidadania e moral, além da decadência econômica e financeira que nos impuseram. Deixem-nos entrar 2016 com a perfeita consciência do mal nos que fizeram, e certamente continuarão fazendo.

Honyldo Roberto Pereira Pinto honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto     

*

Tarifas de 3,80 e o MPL

A culpa do processo inflacionário brasileiro, que obriga o estado e as prefeituras a repassarem o reajuste tarifário dos transportes, é única e exclusivamente do Governo Federal - comandado por Dilma, a Sábia - que represou os preços dos combustíveis durante 7 anos e fez uma lambança com o setor elétrico brasileiro, que agora está sendo entregue a preço de banana para investidores estrangeiros. Se o MPL quer marcar ato contra o reajuste, que o faça defronte ao Palácio do Planalto, ou melhor, em São Bernardo do Campo, na frente da residência de Lula, o criador de Dilma - a Sábia.

Frederico d'Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo 

*

O MPL - Movimento Passe Livre, já se coloca em ação contra o acréscimo da tarifa de ônibus urbano em São Paulo. Gostaria de saber o porquê de não existir participação deste movimento, contra o furto / roubo na Petrobrás e outros, via quadrilhas indicadas no Planalto? Ou será que a liderança deste MPL comunga com os furto / roubos, praticados, nas empresas do (de) governo federal?

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@ig.comn.br

São Paulo

*

Réveillon

O palco do réveillon na Av. Paulista ficou bem no canteiro central, interrompendo a ciclovia. Pergunta: a Prefeitura vai multar, como fez no protesto pelo impeachment? Hipócritas.

Marcello Menta Simonsen Nico mentanico@hotmail.com

São Paulo

*

Propaganda da Prefeitura

O prefeito Fernando Haddad agora entrou com uma propaganda massiva de sua Gestão visando a reeleição, nos Órgãos de Comunicação TV , radio etc. etc. e evidentemente quando se promove uma Propaganda deste porte cria-se o mundo ideal como o digníssimo Alcaide de nossa cidade o fez , só que o mundo dele não é o nosso e de nossa querida megalópoles onde os problemas continuam . Em seus sonhos, os hospitais aparecem como se fossem melhores que os particulares maravilhosos tudo muito bonito. Em outra propaganda dizem que venceu a valorização da vida referindo-se a diminuição da velocidade em toda cidade , inclusive nas vias expressas Marginais Pinheiros e Tietê e os corredores de ônibus que recém estão inaugurando com muito trabalho ainda pela frente e as tais ciclovias que até agora mostraram que são muito pouco usadas e algumas que vão do nada a lugar nenhum . Esqueceram de que tudo isto requer muito planejamento e nenhuma pressa para chegar a conclusões de custo e beneficio. A redução de velocidade dos carros que sequer são fabricados para andar nesta pouca velocidade de 50 km por hora. Os acidentes com motos continuam com a mesma intensidade e motoristas que provocam acidentes sempre são aqueles que não respeitam limites de velocidade sejam eles quais forem. Senhor Fernando Haddad com esta propaganda com gastos enormes que tem que ser explicados de onde vem o senhor só prova uma coisa a sua pressa de se reeleger .

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com

São Paulo 

*

Quelônios

A estratégia do governo paulista é trabalhar em ritmo de tartaruga e sempre dizer que "estamos avançando". Alckmin posterga obras ad infinitum e sempre usa o Metrô em campanhas eleitorais, mas a verdade é que entrega muito pouco do que promete. Tristemente suas mentiras ainda rendem muitos votos, e os mais ingênuos acham que o problema é só na esfera federal. Empresas flagradas na Lava Jato atuam tranquilamente no cartel de trens em São Paulo, donde se conclui que PT e PSDB são pó do mesmo giz. Feliz ano novo!

Maurício Neri maurice_neri@yahoo.com.br

Diadema

*

Baderna nas escolas

Excelente o artigo sobre o "Protesto nada Pacifico" de 31/12 na pag. A3 do Estadão. Estudantes fazerem protestos, tudo bem....., mas depredar o Patrimônio Público e tentar passar a sociedade que era um protesto pacífico é outra coisa. Ingenuidades dos pais que aprovaram as atitudes de seus filhos e aí eu pergunto o que fazia o MTST e a APEOESP na ocasião? . Dos pais, sim espero que ponham a mão na consciência e reflitam sobre os benefícios que isso trouxe aos seus filhos, conseguiram que o governador cancelasse o projeto, mas será que analisaram a intenção do Estado?. Tudo Bem, houve  o pecado de não analisarem junto com a sociedade as medidas que foram tomadas, mas daí depredarem o patrimônio.

Helcio Silveira heldiasilveira@gmail.com

São Paulo

*

Cantareira

O sistema Cantareira conseguiu voltar ao nível zero de captação de água, após um ano e meio utilizando o volume morto com o uso de bombas flutuantes. Entretanto, não há nada a comemorar e não há nada de excepcional em chover durante os meses de verão. O reservatório vai atingir o pico de armazenamento de água em abril de 2016, mas continuará numa situação muito crítica com cortes seletivos de abastecimento, racionamento de água na Grande São Paulo e o sério risco de voltar ao volume morto, em algum momento do período de seca, até setembro de 2016.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas 

*

Sensação térmica 55 graus

Uma das modas esquisitas do momento é o que vem sendo chamado de "sensação térmica".  Ontem, por exemplo, ao anunciar a previsão do tempo para várias cidades a locutora dava a  temperatura máxima prevista para cada cidade e a respectiva "sensação térmica".  Em uma cidade a sensação térmica diferiu da temperatura prevista em apenas um grau!  Aqui no verão quentíssimo e insuportável do meu Rio de Janeiro, há poucos dias a máxima foi de 37,5º e foi  anunciado que a sensação térmica na região da Marambaia era de 55º.  Pergunto: se uma pessoa que estivesse passando pela Marambaia envolvida pela sensação térmica de 55º tivesse que mergulhar numa piscina com água a 48º sentiria frio ao mergulhar?  Que eu saiba, a sensação térmica varia de pessoa para pessoa e na mesma temperatura ambiente alguns sentem calor e outros, frio.  Para não me alongar demais:  como  se mede a sensação térmica?

Ronaldo Gabeira Ferreira rgabeira@terra.com.br

Rio  de Janeiro  

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.