Fórum dos Leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

22 Janeiro 2016 | 02h55

Estado de emergência

A França entrou em estado de emergência econômica pelo fato de o desemprego ter atingido 10%, ou seja, 3,5 milhões de desempregados. O presidente François Hollande veio a público com um plano de emergência de ¤ 2 bilhões para reduzir o que ele considera uma “tragédia”. No Brasil também atingimos a taxa de 10% de desemprego, ou seja, 9 milhões de desempregados, cerca de 2,5 vezes o número de franceses sem emprego. A presidente Dilma Rousseff, ao ser perguntada sobre a alta taxa de desemprego no Brasil em reunião no Planalto com a imprensa internacional, tranquilamente informou que se vai esforçar para que o desemprego não suba. Aparentemente, a presidente não tem consciência de quão grave é para o País ter 9 milhões de chefes de família sem emprego; de que foi ela, com sua intervenção na economia, sua incompetência gerencial, sua personalidade irascível, que não ouve ninguém, a única responsável por terem sido torrados milhões de empregos!

WALTER SANT’ANNA ZEBINDEN

zebinden@terra.com.br

Campinas

Números não mentem

A cada dia os números da economia refletem mais a irresponsabilidade do governo federal. Pois é, a mentira, além de perna curta, tem língua de tamanduá.

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Reversão de expectativas

A análise de Roberto Macedo é certíssima (Estratégia – reverter expectativas, 21/1, A2). Enquanto os lulopetistas – bitolados, desonestos, ignorantes e teimosos como são – continuarem governando, as más decisões político-econômicas continuarão sendo tomadas. Assim, os dois grupos com recursos – os investidores e empresários, do lado da oferta, e os consumidores das classes A, B e C, do lado da demanda – segurarão seu dinheiro. A recessão rapidamente passará a ser depressão com estagnação. Se a Dilma sofrer impeachment ou pedir as contas – alternativas talvez possível e muito pouco provável, respectivamente – e os lulopetistas forem varridos do governo e do Congresso, poderá haver um retorno de racionalidade e uma reversão de expectativas. E se ocorrer, será um processo lento, dada a severidade do abuso a que a conjuntura político-econômica foi submetida. Por último, algumas pessoas temem a reação da esquerda radical ao processo de impeachment. Ora, em termos econômicos, isso é pouco relevante, porque na esquerda radical não são encontradas as pessoas que investem ou gastam em quantidades significativas.

WILLIAM W. B. VEALE

william.veale@versaillesgroup.com

Sorocaba

Brasil endividado

A gastança indiscriminada de dinheiro público no governo petista está levando o Brasil ao caos. A solução talvez esteja em duas invencionices em que o lulopetismo teve participação direta, juntamente com outros governos pouco confiáveis. Basta recorrer ao Banco do Sul, criado em 2007, e ao Banco dos Brics, em 2014. Alguém se lembra desses bancos?

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

CORRUPÇÃO

Busca por justiça

Como advogada, sempre busquei justiça, valor social básico que, para nossa desgraça, quando cuida de punição não consegue alcançar ricos e poderosos. Assim, ao tomar ciência pelos jornais de que colegas que se ocupam dos notórios ladrões da Pátria tentam tumultuar o denodo daqueles heróis que se dedicam a mostrar aos brasileiros que é possível um País digno, sinto-me no dever de pedir aos advogados que como eu trabalham por justiça que manifestem seu repúdio a tal conduta. Mergulhados em miséria e corrupção, lutemos ao lado dos que buscam que o nosso país se ponha novamente de pé.

ELZA M. NACLÉRIO HOMEM BAIDER

elzabaider@ig.com.br

Vinhedo

Autoritarismo

O presidente do PT, sr. Rui Falcão, endossou e apoiou a carta dos advogados contra a Operação Lava Jato. E tem mesmo de ser contra, pois vários petistas já estão presos e outros, em via de condenação. Como disse um dos fundadores do PT, o dr. Hélio Bicudo, o sr. Rui Falcão é de um autoritarismo nojento. Ele mesmo não aguenta uma quebra de sigilo fiscal e bancário!

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

Viva a Lava Jato!

O presidente do PT apoia a crítica de advogados à Lava Jato. E este advogado aqui, com 50 anos de carreira ilibada, discorda da crítica. Viva a Lava Jato!

ROBERTO DE MAMEDE C. LEITE

r-mamede@uol.com.br

Ubatuba

De honestidade

“A confiança do ingênuo é a arma mais útil do mentiroso.” Quem veste a carapuça?

GIAMPIERO GIORGETTI

giampiero@falcare.com.br

São Paulo

“Não tem uma viva alma mais honesta que eu.” Já repararam que na cadeia só tem inocentes?

LUCIA MELCHERT

luciamelchert@gmail.com

São Paulo

Alma Viva é um dos melhores vinhos chilenos. Algum produtor nacional de bebidas poderia lançar a cachaça Alma Honesta.

FRANCISCO PAULO URAS

francisco.uras@uras.com.br

São Paulo

Lula conhece somente o pessoal do seu partido e seus companheiros, com certeza ele não conhece o povo brasileiro para afirmar: “Não existe alma viva mais honesta que eu”. Isso é uma afronta aos brasileiros que não fazem parte desse grande assalto em que os companheiros dele estão envolvidos.

PAULO ARANTES

paulo.mabraco@mabraco.com.br

Piraju

As manifestações do sr. Lula sempre demonstraram a existência de um ego delirante e incontrolável, dando a certeza de que ele tem uma opinião grande demais de si próprio. Mas esta última é demais...

MAURO LACERDA DE ÁVILA

lacerdaavila@uol.com.br

São Paulo

Se o critério de honestidade é agir como o Lula, sinto vergonha de ser honesto.

JOSÉ PAULO CIPULLO

j.cipullo@terra.com.br

São José do Rio Preto

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

A AUTOANÁLISE DE LULA

 

Lula da Silva, ex-presidente, alegou num encontro petralha com blogueiros no Instituto Lula, na quarta-feira, que “não há uma alma viva mais honesta” do que ele. Apenas que ele não considera honestos, ilibados e sem resquícios de improbidades o mensalão; o Rosegate; os dólares na cueca; a compra da refinaria de Pasadena; a colaboração com o regime militar, como Barba; e o apoio aos ditadores de Cuba, da Venezuela, da Bolívia e de Republiquetas da África. Já estamos fartos das falácias de Lula da Silva, principalmente as ditas na campanha para a eleição presidencial de 2014, que ele mesmo já classificou como tendo sido mentirosa. Nós, eleitores, acreditamos muito no ditado “diz-me com quem andas e eu te direi quem és”.

 

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

 

*

ALMA INOCENTE

 

Necessário dizer ao Lula que os acusados por malfeitos são as pessoas, e não suas almas.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

A ‘HONESTIDADE’ DE LULA

 

Por favor, alguém que tenha acesso ao infeliz ex-presidente, explicar a ele o que é honestidade. Na ignorância, cometemos erros. Honestidade não é uma virtude, e, sim, um conjunto delas que vamos adquirindo ao longo de nossa vida. A honestidade segue esta ordem: seriedade, sinceridade, confiabilidade, retidão, dignidade, misericórdia e autoridade. Jamais o sr. Lula chegou perto de alguma delas. Ou é um tremendo cara de pau, ou é doença, ou tudo junto! Infeliz!

 

Julio Walder julio.walder@gmail.com

Santos

 

*

PRETENSIOSO

 

Lula disse que não há alma mais honesta que ele. Pretensão e água benta são grátis, basta pegar. Livrai-nos, Senhor!

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

 

*

A SUPREMACIA DA SILVA

 

“O cara” não desce do pedestal!

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

BUFÃO

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostra ser um grande bufão. As frases que expele são dignas de pena, pois um estadista tem comportamento altivo, sem semelhança alguma com as frases que este senhor jacta. O País não precisa de brigões, mas, sim, de indivíduos probos, que deixem atitudes dignas de serem comentadas na posteridade. Vejamos: Lula se refere ao PT de forma bem diferente de como a ele se referiu um magistrado, que o comparou a uma organização criminosa. Vejamos, igualmente, que o ex-presidente desistiu de provar que o mensalão foi uma farsa. Não é? Não passa mesmo de um grande bufão.

 

Manuel José Falcão Pires manuel-falcao@ig.com.br 

São Paulo

 

*

LULA, O HONESTO

 

O senhor Antonio Lula Conselheiro, com sua guerra de Canudos particular, deitou falação de que é muito honesto e ninguém neste país pode acusá-lo de nada. Deveria saber que legislar em causa própria não vale um vintém furado. É a velha tática de negar sempre e afirmar tanto uma mentira que as pessoas acabam achando que é verdade.

 

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com 

São Paulo

 

*

A LANTERNA DE DIÓGENES

 

Diógenes (413-323 a.C.), se vivo estivesse, com sua lanterna ainda funcionando, teria, agora em 2016, encontrado o homem honesto: Lula.

 

Walter Duarte duartecont@globo.com 

São Caetano do Sul

 

*

‘VIVA ALMA’

 

É uma alma penada petista. Oremos por ele.

 

Sinclair Rocha sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

 

*

PESQUISA

 

Espelho, espelho meu, existe alguém mais honesto do que eu? “Sim”, responderam 200 milhões de brasileiros. “Não”, apenas um. Não opinaram, ninguém. Pesquisa feita em 20 de janeiro de 2016 apenas no Brasil com 100% de acerto, margem de erro de 2% para mais ou para menos.

 

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com 

São Vicente

 

*

O JOGO DA VIDA

 

Lula, em reunião com blogueiros, disse: “Se tem uma coisa que eu me orgulho, neste país, é que não tem uma viva alma mais honesta do que eu. Nem dentro da Polícia Federal, nem dentro do Ministério Público, nem dentro da Igreja Católica, nem dentro da Igreja Evangélica”. O cidadão subestima a inteligência do brasileiro. Acha que, depois do mensalão e do petróleo, goza do maior prestígio entre os eleitores. Conversando com dona Ceci, a senhora que faz faxina em minha casa, mostrei a ela o que Lula tinha dito e ela me respondeu de bate-pronto: Lula é o Gibson. Eu perguntei: Quem é este? E ela respondeu ser o chefe da facção na novela “A Regra do Jogo”. Como não vejo a novela, fui pesquisar de quem se tratava. Fiquei surpresa com a associação da senhora. Se a novela tem uma função social, esta deve estar atingindo seu objetivo, fazer o telespectador perceber que a arte em muitos casos imita a vida. Lamentável a declaração do ex-presidente, que está contratando os melhores advogados para defender a “alma mais honesta” do planeta. Alma precisa de defesa? Louvável a percepção da eleitora. 

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

 

*

MUITO ESTRANHO

 

Lula está sendo e é testemunha arrolada de quase tudo e todos, mas não está envolvido em nada. Estranho, muito estranho!

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

*

E CRESCE O NARIZ...

 

De fato, neste país não existe ninguém mais honesto do que eu!

Somente o Pinóquio.

 

Celso Mennicillo celso.mennicillo@terra.com.br

São Paulo

 

*

PINÓQUIO

 

A Itália teve a Operação Mãos Limpas, nós temos a Operação Lava Jato. A Itália tem Pinóquio, nós temos o Piníquio.

 

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

 

*

A BEM DA VERDADE

 

Segundo Lula, “não há corajoso para dizer que fiz algo ilícito”. Concordo com ele: trata-se de um cidadão acima de qualquer suspeita; apenas um pouquinho pretensioso, prepotente, inconsequente e despreparado...

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

DO DESESPERO À LOUCURA

 

O desespero de Lula: “Não tem uma viva alma mais honesta do que eu. Pode ter igual, mas eu duvido”. Ficou louco, presidente?

 

Lucia Melchert luciamelchert@gmail.com

São Paulo

 

*

DIFAMAÇÃO

 

Ora, se o ex-presidente acha que “ninguém é mais honesto” do que ele, significa que está nos tachando de desonestos, a todos nós, brasileiros. Vamos processá-lo por difamação, ué.

 

Roberto Szabunia rszabunia@gmail.com

Joinville (SC)

 

*

OFENSA AOS JORNALISTAS

 

É muita cara de pau deste Lula, literal vendedor de ilusão! Em mais uma jogada de marketing de quinta categoria, reuniu em seu instituto, e sem perigo de ser vaiado, uma plateia só de blogueiros (quem sabe os mesmos pagos pelo PT para rechear de mentiras as redes sociais?) para dizer asneiras, como de estar se sentindo perseguido e dizer que, por essa razão, processará também jornalistas que o criticam. O ex-presidente, que fala como se tivesse estofo moral para essa empreitada, ainda prevê que, processando jornalistas, vai “recuperar a dignidade da categoria”. E olhem quem fala de dignidade: o mesmo que, sem piedade, desprezou a prometida ética nas nossas instituições, que esculhambou a nossa economia e a imagem do País com as quadrilhas que formou em seu governo para roubar os recursos dos contribuintes. E isso vindo de um Lula que, como presidente, jamais se sentiu confortável no poder, com a nossa liberdade de expressão e de imprensa. Ele, que tentou, inclusive, e felizmente não conseguiu, implantar um programa para controlar o conteúdo da mídia. Que Mané é este Lula, para querer recuperar a dignidade da categoria dos jornalistas? Alguém como o ex-presidente, que produziu a corrupção do mensalão e do petróleo, jamais teve compromisso com a ética e nomeou só picaretas para os principais cargos da nossa República. Na rua da amargura, assim como o seu partido, o PT, e péssimo ator, Lula dramatiza e quer se apresentar como vítima: “Nunca fui bem tratado, sempre fui tratado com certo desdém”. É brincadeira! Essas afirmações são uma afronta ao povo brasileiro! E, se não fosse a nossa nobre imprensa, com os seus dignos jornalistas, hoje a cúpula petista e seus aliados não estariam presos ou sendo investigados. Assim como o próprio Lula e seus familiares...

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

O MENTIROSO

 

O pobre, de regra, é honesto. A honestidade é sua única riqueza. É a sua moeda de troca. Mas, ao se tornar biliardário, põe de banda a honestidade e de pronto assenta-lhe no lugar a mentira. Não existe maior mentiroso que o que acredita na própria mentira. Como é crédulo o sr. Lula. Mente tanto, é tão especialista em enganar e enganar-se que termina por acreditar que até o povo acreditaria na sua inatacável honestidade. A mentira de Lula é fruto da ociosidade. Não tem nada que fazer, nem precisa, assim com os milhões de dólares furtados ao povo (e não me venham lá dizer que ele permitiu, sob as barbas, a roubalheira, sem retirar a parte dele), então nada lhe resta que imaginar. E da imaginação de que, vindo da pobreza, deveria, como todos os pobres, manter sua única riqueza: a honestidade. Deste sonho do que deveria ter sido salta para a afirmação balofa e altamente mentirosa de ser “o honesto”. Depois de saquear o País, nada mais lhe resta que mentir. E veja-se só que estamos diante do fino da mentira: o desonesto dizer-se o pai inigualável da honestidade. Risível, não fora chocante, a afirmação de honestidade nascida da boca do pai; do guru; do mestre imbatível dos desonestos aninhados sob o estandarte do PT e outros políticos de igual naipe.

 

Antonio Bonival Camargo  bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

 

*

DEPENDE

 

Candidatura em 2018 “depende do que estiver acontecendo”, disse Lula. Obviamente, depende do que estiver acontecendo. Se porventura estiver detido em decorrência das investigações em curso, não vai participar. Só se for de dentro da prisão, dando ordens pelo celular.

 

Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com

Capão Bonito

 

*

NÃO ESTOU ENTENDENDO

 

O preço do petróleo no mercado internacional continua caindo, a cotação do dólar no Brasil continua subindo e o preço das ações da Petrobrás continua caindo. Diante dessa crise econômica, nunca antes vista na história deste país, quem aparece na mídia brasileira para falar? Sim, ele, Lula, e para dizer que “não tem uma viva alma mais honesta do que eu”. Aí eu pergunto: por onde andarão Dilma, a “presidenta figurante”; Nelson Barbosa, ministro da Fazenda; e Aldemir Bendine, presidente da Petrobrás? Será que eles não têm nada a dizer ao mercado sobre a crise do petróleo e como esse problema será combatido, para não prejudicar ainda mais a economia nacional? E a mídia, será que não tem algo mais consistente e de interesse da população para publicar? Que decepção. Saudades de FHC.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

 

*

TAXA DE JUROS

 

Sob pressão política, o Banco Central (BC) manteve a taxa básica de juros (Selic) em 14,25% ao ano. Economia e política não podem se misturar. Não pode haver pressão política nas decisões econômicas. A Economia não é uma ciência exata. Nada nos garante que, se forem seguidos os preceitos econômicos, os resultados serão os esperados, mas, por outro lado, se você fizer tudo ao contrário do que tem de fazer de acordo com a cartilha econômica, o desastre com certeza virá. Está explicado por que o País está na situação em que se encontra. BC que se curva a pressões políticas é melhor fechar a entregar a chave lá no Planalto.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

BARBOSA EM DAVOS

 

Nelson Barbosa foi a Davos tentar convencer os grandes bancos e investidores de que o Brasil tem credibilidade. Como? Previsão de marcha à ré de 3,5%. Alardeado na imprensa mundial. É muita pretensão. Poderia ter economizado a diária do hotel.

 

Elisabeth Migliavacca elisabeth448@gmail.com

São Paulo

 

*

BRASIL DE MAL A PIOR

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       Há pessoas que afirmam que Dilma é a reencarnação de Maria Antonieta. São mais de 2,5 milhões de desempregados, empresas falindo, o povo passando fome, e Dilma, em seu palácio, vive num mundo diferente da vida real que está tendo o País. Há milhões de pessoas desesperadas com o aumento galopante do custo de vida, e Dilma só pensa em voltar com a famigerada CPMF, cobrar da população todos os tipos de impostos diretos e indiretos, e massacrar o assalariado com a maior peste existente no País, que é o Imposto de Renda! Os hospitais são os piores do mundo, e a maioria dos brasileiros é tratada como indigente, embora pague seus tributos.  

 

Newton Faro newtonfaro@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

 

*

A PERENE INCOMPETÊNCIA

 

Dilma insiste na volta da CPMF com unhas e dentes, mesmo sabendo que o “impostão” dificilmente será aprovado. Dessa maneira e com a maior cara de pau, Dilma colocará, então, a culpa nos congressistas pela inflação, pela educação de má qualidade, pela corrupção e outros “ãos” da sua péssima gestão. Sua remoção é a única solução.

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

        

*

ELES QUEREM MAIS       

 

A presidente Dilma Rousseff continua dizendo que a aprovação da CPMF pelo Congresso é necessária para que o Brasil saia da crise mais rápido. Isso é conversa para boi dormir. O que os corruptos aprontaram com o nosso país, sangrando os cofres públicos, não se resolve com a volta dessa maldita contribuição. É uma pouca vergonha tentar jogar nas costas da população brasileira, que já é penalizada com uma das maiores cargas tributária do mundo, as irresponsabilidades que foram cometidas pelos governos petistas. O trabalhador brasileiro já divide ao meio, com o governo, o que ganha em 12 meses de trabalho e recebe ninharia como retorno. O povo brasileiro não está disposto a pagar mais essa conta. A situação está tão crítica que tem gente colocando na língua uma pitadinha de sal na hora das refeições. Unamo-nos todos nós contra mais esta investida dos sanguessugas.

 

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

                             

*

A ECONOMIA SOB DILMA ROUSSEFF

 

A presidente Dilma convidou jornalistas para um café da manhã com o objetivo de expor os problemas do País. Disse que a CPMF é necessária para equilibrar as contas públicas e retomar o ritmo do crescimento econômico e, pasmem, disse que está preocupada com o desemprego. No encontro, falou abertamente sobre o impeachment, o qual, certamente, era a parte mais importante do seu encontro, digo eu. Afirmou que “não se pode tirar um presidente (do poder) porque não está simpatizando com ele. Isso não é nem um pouco democrático”. Ora, como a presidente pode achar que o motivo é apenas falta de simpatia? É desprezar a nossa inteligência, pois o seu baixo nível de aprovação da população e os processos que está tendo de enfrentar perante o Congresso e a Justiça Eleitoral não têm nada que ver com simpatia, e, sim, com má gestão e com a crise econômica em que nos colocou em apenas cinco anos. Mas, logo em seguida, diversos economistas se manifestaram afirmando, em resumo, que nos encontramos na atual situação de desemprego, desvalorização do real e a volta da infração em níveis altos por causa dos erros absurdos cometidos pela presidente Dilma Rousseff, agravados pelas descobertas da Operação Lava Jato. Quem assistiu, no sábado à noite, ao programa Globo News Painel, comandado pelo jornalista William Waack, pôde aquilatar melhor a distância que existe entre o que a presidente fala e a nossa realidade. Este ano, será um ano muito difícil para toda a população brasileira. Só a frase do economista Roberto Giannetti da Fonseca, um dos participantes do programa, de “que a proteção social depende da produtividade”, ao se referir a que a nossa indústria não acompanhou a evolução das empresas de outros países, perdendo a competitividade, resumiu, para mim, que não sou economista, a causa principal da enrascada em que a presidente nos colocou. Em entrevista concedida ao “Estadão”, Eduardo Giannetti da Fonseca seguiu linha semelhante. Segundo a Confederação Nacional da Indústria, a ociosidade do setor industrial do País, em 11/2015, alcançou 23%, sem perspectiva de melhora. Nossa indústria deixou de ser competitiva, por diversos fatores, a quase totalidade deles devido à política dos governos petistas. Descuidou da infraestrutura e insistiu no petróleo do pré-sal, em detrimento do pró-álcool, além de outras fontes renováveis de energia, como a eólica e a solar, entre outras, provocando enorme déficit na Petrobrás. Com uma carga tributária das maiores do mundo e um desemprego com perspectivas de crescimento, como agora a presidente vem nos dizer que é preciso reativar a CPMF, que ainda por cima é tributada em toda a cadeia produtiva? Na realidade, ela não está preocupada com o desemprego, e, sim, em aumentar a arrecadação, para recompor as finanças do governo, além de se livrar de um impeachment bem viável.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo                       

 

*

COLHER DE CHÁ

 

A sra. Dilma se disse, recentemente, preocupada com o desemprego. Pois vai aqui uma colher de chá para que ela diminua o desemprego no Brasil. Atualmente existem no País cem usinas do ramo sucroalcooleiro paradas por causa do abandono do setor depois que a Petrobrás descobriu o petróleo no pré-sal. Hoje, com o preço do barril a US$ 30,00 e a Petrobrás gastando US$ 55,00 para produzir um barril, seria conveniente que a toda-poderosa presidentona reativasse essas usinas, que só de empregos diretos cada uma gera pelo menos 2.500. Com certeza, isso diminuiria o desemprego e o Brasil geraria energia, produzindo açúcar e etanol combustível limpo e renovável. Vai aqui um alerta muito preocupante, porque existem inúmeros projetos de pequenas usinas hidrelétricas sendo implantados no Pantanal mato-grossense sem estudo de impacto ambiental e que, num futuro muito próximo, estaremos acabando com este berçário universal de espécies.

 

Urias Borrasca urias@mercosulrefratarios.com.br

Sertãozinho

 

*

DILMA PREOCUPADA

 

A presidente Dilma Rousseff não tem dormido direito, está preocupadíssima com o desemprego, ainda mais agora, que acabou de ganhar mais um neto... Paciência, presidente, vá quebrando o galho com o seguro-desemprego, até as coisas melhorarem. Que tal mudar-se para a Venezuela ou Cuba e levar consigo o ex-presidente Lula?

 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

 

*

PESSIMISMO?

 

José Roberto de Toledo, em sua coluna de segunda-feira (página A7), aponta que o pessimismo está em alta, sendo o dos brasileiros o dobro da média mundial. A diferença entre o pessimista e o otimista, no caso brasileiro, é o nível de informação. O otimista é um pessimista mal informado.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

ELES NÃO ENTENDERAM

 

Em relação ao apoio dado pelo presidente do PT, Rui Falcão, ao manifesto de alguns advogados contra a Operação Lava Jato e à pregação da presidente Dilma a favor da volta da famigerada CPMF, parece que eles ainda não entenderam que a maioria esmagadora da população brasileira que trabalha, paga altíssimos impostos, sem o devido retorno, e não usufrui das verbas e benesses deste governo apoia totalmente a Operação Lava Jato e quer ver todos os corruptos e corruptores na cadeia, assim como rejeita veemente a criação de mais um tributo. Ou será necessário desenhar? 

 

Celso Neves Dacca celsodacca@gmail.com

São Paulo

 

*

UMA CONFISSÃO PÚBLICA

 

A cada dia ficam mais claras a intenção e a má-fé que envolveram a famosa carta aberta divulgada há alguns dias e subscrita por algumas dezenas de advogados. Numa leitura superficial já dá para sentir que os causídicos estão defendendo não só os interesses dos réus da Operação Lava Jato, o que seria natural e plenamente justificável, mas defendem principalmente seus interesses financeiros. Não querem perder essa boca. São milhões de reais que os ladrões lhes repassam em forma de honorários. É dinheiro roubado dos cofres públicos. Tenho 40 anos numa profissão razoavelmente bem remunerada, porém jamais teria condição de contratar qualquer um dos subscritores do documento, porque o meu dinheiro não foi roubado e é infinitamente menor. Foi ganho honestamente no dia a dia, e não roubado aos montes dos cofres públicos. É de admirar que, entre os responsáveis pela elaboração do referido documento, não existisse pelo menos um que alertasse aos demais de que essa excrescência poderia ter um efeito contrário perante a sociedade esclarecida. Afinal, o Brasil não se resume a beneficiários do Bolsa Família. Eles precisam saber disso. Não somos um bando de idiotas.

 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

 

*

OAB

 

No Estado Democrático de Direito em que vive o País há pouco mais de duas décadas, reconquistado a tão duras penas após os 21 terríveis anos de chumbo grosso da ditadura militar, toda e qualquer manifestação de pensamento e palavra é plenamente garantida pela Constituição e livre de expressão. A propósito da recém-publicada “Carta Aberta em Repúdio ao Regime de Supressão Episódica de Direitos e Garantias Verificado na Operação Lava Jato”, subscrita por 105 renomados advogados criminalistas, juristas e professores de Direito, em meia página de jornal, cabe perguntar, ante a polêmica provocada, como se manifesta a respeito a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Pois não?

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

VERGONHA PARA A CLASSE

 

Com relação a uns poucos “advogados” que assinaram o famigerado manifesto, pergunto: onde está o presidente da OAB/SP que nem sequer se manifestou sobre? No mínimo, deve estar a favor dos “advogados” dos presos políticos... Vergonha para a nossa classe!

 

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br 

São Paulo

 

*

SUPERADOS

 

Lava Jato! Bastou que os nobres causídicos penalistas encontrassem forte resistência do “fortíssimo” Judiciário, eis que começaram a “espernear”. O Brasil, ainda que lentamente, está mudando e o pessoal que atua na defesa daquela “clientela” ainda não percebeu. São “causídicos” da dita “página virada”. Em suma, já eram!

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

 

*

PREOCUPAÇÃO

 

No manifesto publicado, os ilustres defensores dos acusados não se preocuparam com a origem do dinheiro para pagamento dos respectivos (e altos) honorários...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

HÁ LIMITE PARA TUDO

 

O direito à plena defesa continua, neste país, assegurado a todos os suspeitos ou mais que suspeitos. O instituto da delação premiada veio para ficar, porque possibilita a indicação de meliantes e delinquentes cujos nomes seriam impossíveis de conseguir por outros meios, desde que a confissão inexiste nesses casos. Os casos em que houver exorbitância da Lava Jato podem ser corrigidos por meio dos recursos pertinentes aos tribunais deste país, como já ocorreu em episódios relatados pela imprensa. Assim, o manifesto dos advogados, embora com suporte correto no princípio do contraditório e da livre defesa, pendeu o julgamento e apreciação para o lado de muitos meliantes que assaltaram os cofres públicos, embora tivessem tido as defesas necessárias e merecidas. E foram adequadamente penalizados. Os ilustres advogados signatários do manifesto não podem se esquecer do grande ditado romano: “Modus in rebus”.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

A FRASE DO ANO

 

“O direito de defesa não pode ser infinito”, definiu o procurador da Lava Jato Bruno Calabrich. Pois é, se houvesse limite, principalmente em relação aos crimes do colarinho branco, o Brasil seria outro...

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

 

*

APELAÇÃO

 

Não bastasse a infeliz colocação do criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro de que “o Brasil vive criminalização da riqueza”, um punhado de advogados, que seguramente não representa a opinião da maioria da classe, divulga um estarrecedor manifesto criticando duramente a conduta de procuradores e juízes na Operação Lava Jato. Parece que, na falta de argumento moral que justifique a defesa de seus clientes – que são a verdadeira corrupção em pessoa –, apelam desesperadamente para acusações pífias, facilmente refutáveis por qualquer leigo no assunto. Senhores, um conselho: não tentem influenciar a opinião pública com informações deturpadas. O povo não é burro.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

ISOLAMENTO

 

O direito de defesa é constitucional, tudo bem. Mas a prisão, quando existam fatos comprovados, também o é. Se a Justiça decide pelo aprisionamento dos acusados até seu julgamento final, é por razões óbvias, tais como a possibilidade de fuga ou suborno e ameaças às testemunhas. Não adianta gritar, esses marginais que se aproveitaram de governos e políticos corruptos merecem o pior castigo, pois ajudaram a difundir a miséria e a morte de muitos dos cidadãos que procuraram atendimento em hospitais públicos e não conseguiram por falta de médicos, remédios e até comida. A falência provocada pelo grande assalto aos cofres públicos não atingiu apenas pessoas, mas também os animais que estão sob a guarda da União, Estados e municípios. Essa gente criminosa deveria estar dentro de presídios isolados e sem custas para o contribuinte. Talvez numa ilha deserta.

 

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

SISTEMA BENEVOLENTE

 

Por trás da excelente Operação Lava Jato e da atuação brilhante, firme e providencial do juiz Sérgio Moro em Curitiba, descobre-se algo que joga por terra nossa esperança de que o exemplo fosse inibir novos atos de corrupção no País. Ao permitir a delação premiada, assim como em países do Primeiro Mundo, nossa Justiça extrapola os limites do bom senso e reduz em demasia as penas dos criminosos corruptos que ceifaram o erário sem dó nem piedade. Os 13 delatores da Operação Lava Jato foram condenados a penas que somam 283 anos e 9 meses de regime fechado. Com os acordos de delação, essas penas serão reduzidas para no máximo 6 anos e 11 meses em regime fechado. Como sempre, nosso sistema judiciário é por demais benevolente para com criminosos no País.           

 

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

 

*

NUNCA ANTES

 

Lê-se com insistente frequência a alegação de que a atual corrupção promovida pelo governo petista é “o maior escândalo de corrupção de que se tem notícia na história da República”. Isso se pode interpretar de várias maneiras, principalmente de duas maneiras totalmente distintas. Uma seria de que antes da República houve corrupção igual ou maior do que a do governo petista. Outra, para mim a mais correta e verdadeira, é de que jamais houve corrupção tão escandalosa como a atual em qualquer tempo. Como se diz em bom e claro Português, “a maior e mais escandalosa corrupção de todos os tempos”. Isso seria escrever com clareza e sem margens a especulação e a mal-entendidos.

 

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

 

*

SEM MORAL

 

A carta dos “advogado$” dos acusados na Operação Lava Jato defende tão somente o “suposto” direito de seus clientes não serem presos por atos de corrupção, mas a Associação Paulista do Ministério Público de São Paulo não tem moral nenhuma para criticar a carta, pois até o momento dorme em berço esplêndido qualquer ação do Ministério Público paulista acerca da corrupção envolvendo o metrô e os trens de São Paulo.

 

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

 

*

LINHA AMARELA

 

Dezessete anos para construir 17,4 km de metrô. É ou não é uma vergonha?

 

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com

São Paulo

 

*

IRRESPONSABILIDADE

 

Empresas investigadas na Operação Lava Jato, parasitando a Petrobrás, prestam “serviço” aqui, em São Paulo. A mídia distrai o povo com impeachment e o PT e ignora as trapalhadas do governo do Estado. Alckmin é um dos maiores irresponsáveis deste país. Obras de metrô e monotrilho estão paralisadas. A estratégia tucana é trabalhar em ritmo de tartaruga, sem ao menos um prazo determinado (ninguém cobra mesmo...), para na eleição dizer “estamos avançando”. Há vários e vários anos a CPTM está em “obras de modernização”, mas seus trens ainda demoram até 40 minutos nos fins de semana, seguem a 20 km/h e as panes são constantes. Para onde vai o dinheiro? Responda, governador.

 

Maurício Silva maurice_neri@yahoo.com.br

Diadema

 

*

DISCIPLINA COMUNISTA

 

Por vontade do prefeito Fernando Haddad foi emitida a norma que regulamenta as vestimentas e o comportamento dos taxistas. Mais um pouco, trajarão smoking. Mas o pior foi a exigência de que a conversa dentro do táxi não verse sobre temas polêmicos, como política, assuntos raciais, religião, futebol e assuntos pessoais. Haddad quer nos impor disciplina comunista, que fiscaliza até o tema de nossas conversas, afrontando a Constituição que nos garante o direito à livre expressão do pensamento! Se depender de Haddad, não mais falaremos mal do seu péssimo governo em nossa cidade. Tome um táxi em Nova York, Haddad, e o motorista pode estar com um turbante indiano na cabeça e sandália nos pés... Vá viver num país desenvolvido e livre e não queira trazer modelos de uma URSS que nem existe mais!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

HADDAD E OS TAXISTAS

 

Com tantas exigências, mais um pouco o prefeito Haddad irá obrigar os taxistas de São Paulo a utilizarem boné vermelho.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

EUCLIDES DA CUNHA 150 ANOS

 

Moro em São Paulo desde janeiro de 1985. Nasci em Niterói, Estado do Rio de Janeiro, em 1939. Sou há muito tempo assinante do “Estadão”, o grande jornal do País. Na quarta-feira pela manhã, com alegria, me deparei com a reportagem sobre os 150 anos do grande brasileiro Euclides da Cunha, ex-jornalista desse noticioso e que nele começou a escrever sua grande obra, “Os Sertões”. Congratulo-me com este jornal pelo precioso trabalho, desta vez realizado para celebrar o dia 20 de janeiro de 1866 – em Santa Rita do Rio Negro, atual Euclidelândia, distrito de Cantagalo (RJ). Tenho em minha vida gratas recordações de Cantagalo. Meu pai, professor Odern Ribamar Teixeira, grande entusiasta da vida e obra de Euclides, foi quem organizou a Primeira Semana Euclideana, em Cantagalo, de 14 a 20 de janeiro de 1956, com festejos similares aos que já se realizavam em São José do Rio Pardo (SP). Eu estava lá aos 16 anos de idade. Retenho até hoje documentos diversos daquele festejo que me fazem lembrar as atividades culturais e o entusiasmo com o que o povo cantagalense acolheu os visitantes.  Fomos recebidos pelos Lutterbach, então donos da Fazenda da Saudade, onde Euclides nasceu. Creio que consigo, agora, justificar o entusiasmo com que li a reportagem do jornal do qual tenho a alegria de ser assinante e leitor assíduo. Como fluminense, saúdo com alegria os paulistas que souberam valorizar o talento de um grande brasileiro, fluminense, republicano e patriota.

 

Descartes de Souza Teixeira descartes.teixeira@itsbr.org

Carapicuíba

 

*

CADERNO ESPECIAL

 

O Centro de Memória Euclides da Cunha, fundado por Paulo Dantas, em 1956, congratula-se com o “Estado” pelo excelente caderno especial sobre Euclides da Cunha, publicado na quarta-feira.

 

Luiz Ernesto Kawall, Gabriel Kwak, Henrique Novak e Osmar Mammini vozoteca@terra.com.br

São Paulo

 

*

RESGATE HISTÓRICO

 

Será um bom início de resgate histórico de Euclydes da Cunha, principiado com o ípsilon reincorporado ao alfabeto e ao seu nome, bem como a reedição de sua obra e de outras que o avaliam com outros enfoques. Há que se rever o olhar do engenheiro sobre as questões sociais, premissa importante em dias correntes do imediatismo midiático e da falta de embasamento técnico nas decisões políticas.

 

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.