Fórum dos Leitores

MPL

O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2016 | 02h55

‘Quem decide é a gente’

Quando o juiz Luís Felipe Ferrari Bedendi negou a reintegração de posse de uma escola estadual paulistana, foi dada uma relevante lição aos jovens. Provavelmente, ele não foi informado sobre a estratégia adotada por um número reduzido de alunos para apropriar-se de um bem público. Rabsaque Moreira Cruz, um pai que aplaudiu a coragem dos filhos, fez um relato da invasão: “Eles planejaram isso praticamente há 15 dias. Eles se reuniram com os colegas que estão lá dentro, conseguiram entrar na secretaria, distraíram a diretora e a minha menina conseguiu pegar a chave da escola. Fizeram cópia da chave, fizeram vaquinha e compraram o cadeado”. Colegas desse arrojado grupo ficaram sem aulas, alguns estavam inscritos no Enem. Paciência, ouvir a voz de todos é utopia. A mesma democracia de alguns invadiu o centro de São Paulo quando, para eternizar o espaço de manobra, pediram o impossível: R$ 8 bilhões, arrecadação anual do IPTU, para o Passe Livre. Com esse gesto, os jovens donos do mundo cortam projetos nas áreas de saneamento, saúde, educação, mas liberam uma vida sem catracas. E os trabalhadores exaustos que querem voltar para casa? Paciência, coerência é utopia.

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

E o público?

Sabemos o que pensam o Passe Livre, o governo, o prefeito e a polícia. Falta ouvir o que têm a dizer os paulistanos, aqueles que ficam presos no trânsito na ida e na volta do trabalho, durante as manifestações do MPL. Os usuários de ônibus, os motoristas, os que tentam sair de seu trabalho no local dos protestos, os usuários das estações do metrô próximas, os moradores e comerciantes das ruas por onde eles passam. Essa maioria sem voz ainda não foi ouvida nem considerada.

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Politicalha

Está bem claro que a intenção desse “movimento” é desestabilizar o governo de São Paulo, contrário ideologicamente aos petralhas, graças a Deus. Por que esse MPL não põe em sua pauta os abusivos aumentos federais, luz, gasolina e outros, que vão no embalo para engordar a inflação? Vamos trabalhar, minha gente!

ANTONIO C. PEREIRA DA SILVA

aclaudiops@uol.com.br

São Paulo

Massa de manobra

De fato, está mais do que claro que esse movimento foi criado e é totalmente subsidiado pelo PT para atrapalhar o governo estadual. Ninguém em sã consciência vai partir em marcha contra 30 centavos de aumento na passagem de ônibus enquanto o País passa pela maior crise financeira dos últimos anos, com inflação de dois dígitos, desemprego em ascensão, corrupção a olhos vistos e todas as já faladas falcatruas petistas. Lamentável nossos jovens serem tão suscetíveis às manobras políticas dos ladinos da política brasileira.

MARCIA ROSSI SOARES

marciarossi1@hotmail.com

São Paulo

PETROBRÁS

Privatização

Os pseudonacionalistas da esquerda estão de tal maneira ocupados em reclamar do aumento de 30 centavos nas passagens de ônibus que parecem não ter percebido que a Petrobrás está sendo privatizada em partes e na bacia das almas. BR Distribuidora, Transpetro, Petrobrás Argentina e participação acionária na Braskem estão à venda, sem que se ouça um pio das esquerdas tão ciosas na defesa do patrimônio nacional.

NÍVEO AURÉLIO VILLA

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

Auditoria

Perguntinhas en passant: a firma que auditou e abonou por anos a lisura das ações de contabilidade dos dirigentes da Petrobrás (creio ser uma conceituadíssima empresa americana, que opera mundialmente) não será interpelada a dar detalhada explicação sobre as ótimas notas que outorgou à pré-falimentar petroleira brasileira? Ninguém entre nós, botocudos, arguirá seus supostos desmandos analíticos? A quem interessa esse acobertamento, que nem a mídia em geral veicula? Esqueceram? Procuram apagar pistas com o decorrer do tempo, esse biombo que tudo extingue? Descambam às raias da cumplicidade por não açularem contundentemente a matéria. O juiz que cuida desse megaescândalo internacional em plagas americanas por certo não deixará isso passar em brancas e róseas nuvens. Lá as coisas funcionam damoclemicamente e sem conluios espúrios de alcova, o que é uma vergonha estridentemente acachapante para nosso (delles?) sistema jurídico (Curitiba à parte). Rejubilem-se os petralhas, pois que conseguiram matar o Brasil e esfaquear à sorrelfa as costas de todo brasileiro honesto, detentor ou não de ações-lixo do outrora orgulho nacional decantado por Monteiro Lobato. O petróleo é nosso? Vã quimera... É do Lulla e de suas vorazes hordas de ratos magros lambuzados. Isso não deve acabar bem.

KLAUS REIDER

vemakla@hotmail.com

Guarujá

O ‘MAIS HONESTO’

Átila de Garanhuns

Diz a História que por onde passava Átila com sua horda não sobrava nada, nem grama crescia. Não contente com a situação terminal em que se encontra o País, a declaração estapafúrdia do sr. Da Silva de que não existe ninguém mais honesto do que ele no Brasil fatalmente desestimulará qualquer investidor bem-intencionado de trazer seus negócios para cá. Quem terá coragem de investir aqui depois disso?

JOSE CARLOS AMARAL

jc.amaral1@uol.com.br

São Paulo

‘Brahma’

Será que agora o guru de Garanhuns vai mesmo processar o sr. Romeu Tuma Jr. por todas as “calúnias” expostas em seu livro (Assassinato de Reputações) e no programa Roda Viva, dois anos atrás? Com a palavra o guru.

JOSÉ GILBERTO SILVESTRINI

jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

Conceito

O que será que Lula entende por honestidade? Seria interessante ele esclarecer.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euclidesrossignoli@gmail.com

Avaré

Só rindo...

Meu pai contava que, num comício, um político profissional, ao discursar para o público, gritou: “Neste bolso nunca entrou dinheiro roubado”. Imediatamente um gaiato da plateia ripostou: “Tá de calça nova, hein?!”. Por que será que me lembrei dessa piada justo esta semana?

FULVIO A. SALMASO

fulsalmaso@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

‘QUESTÕES OPERACIONAIS’

 

No primeiro dia de 2016, enquanto todos se divertiam comemorando o ano-novo, um garoto de 12 anos, internado na UTI do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal, teve a rara oportunidade de fazer o transplante de coração de que necessitava (doações de corações são raras e muito mais para crianças), porém teve a sentença de morte decretada porque a Força Aérea Brasileira (FAB) não tinha como fazer o transporte do órgão de Itajubá (MG) até Brasília (DF) sob a alegação de “questões operacionais”. “Questões Operacionais”, essa foi a “causa mortis” do garotinho. Naquele fatídico dia, o primeiro do ano, a “comandante” suprema das Forças Armadas estava comemorando o ano-novo no aconchego familiar, em Porto Alegre (RS). O que ela tem a dizer sobre a atuação, ou, melhor, a falta de empenho, de uma das forças sob sua responsabilidade? Será que ela pensa que a FAB deve estar apenas à disposição de seus deslocamentos ou servir como transporte para aliados e “cumpanheros”? Será o valor dessa vida um dos resultados do desprezo pelas Forças Armadas? Será que a criatura tem noção deste crime?

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 

São Caetano do Sul

  

*

UMA VERGONHA

 

É de estarrecer uma notícia como esta: a FAB não tinha avião disponível para transportar órgão até o DF. Com isso, garoto morre pela falta do transplante. Infelizmente, os aviões da FAB estão disponíveis apenas para transportar Renan Calheiros para fazer implante de cabelo no Recife, dona Mariza (ex-primeira-dama) para fazer o “cabelo” em São Paulo ou transportar nossa “presidenta” para conhecer o neto em Porto Alegre. Como dizia Boris Casoy, “isto é uma vergonha”.

 

Alexandre Brandão de Oliveira alex01brandao@yahoo.com.br

Poços de Caldas (MG)

 

*

POBRE LITORAL DO BRASIL

 

Cantado e decantado como maravilha desde o descobrimento, o litoral do Brasil, particularmente onde chegaram os primeiros navegantes e viajantes europeus, da Bahia a São Paulo, transformou-se em caso de calamidade em todos os sentidos. É a contaminação do ar por gás de cloro, produzido e vazado de contêineres de produtos químicos mal vedados, irresponsavelmente expostos ao tempo; é a podridão irremediável das águas da Baía de Guanabara, que vão expor o Brasil ao ridículo internacional na Olimpíada, por sua sujeira extrema; são os incontáveis vazamentos, nem sempre divulgados, na maior bacia produtora de petróleo do País; são os absurdos despejos de esgoto e de lixo no mar, praticados por uma população ignorante, oportunista e inconsequente – tolerados e até mesmo promovidos pelo poder público; é a chegada da lama imunda, tóxica e poluidora vazada de uma barragem de rejeitos de minério de ferro pertencente a uma mineradora criminosa, a centenas de quilômetros Rio Doce acima, espalhando seu veneno pelas praias e até mesmo por santuários marítimos mar adentro. As causas? Inépcia, ignorância, falta de educação e atraso assustadores dos brasileiros; ganância e negligência criminosas da iniciativa privada; inoperância do disfuncional, patrimonialista e corrupto Estado brasileiro.

 

Renzo Galuppo renzo.galuppo@gmail.com

São José dos Campos

 

*

RESPONSABILIDADES

 

O acidente recente em Santos, o vazamento de gás de cloro no maior porto da América Latina, precisa ter as despesas cobertas pela empresa onde o fato aconteceu. É uma situação que tem alguma semelhança com o acidente de Mariana, em Minas Gerais. Mas há uma outra questão a ser avaliada, ou seja, até quando o empresariado vai permitir que tais situações causem desprestígio a quem atua na área de produção e transporte? E com reflexos internacionais. Ou isso não aumenta o potencial da crise pela qual passa este importante setor?

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

*

A TRAGÉDIA DE MARIANA (MG)

 

No meu entender, os laudos técnicos referentes ao rompimento da barragem ocorrida no distrito de Mariana (MG) não consideraram um aspecto relevante: as barragens são dimensionadas (com coeficientes de segurança, etc.) para represar água. Entretanto, depois de anos de açoreamento, a água foi gradualmente substituída por uma massa metálica em estado líquido, resultante do gradual aumento da concentração de minério de ferro. Esta “lama” metálica (semelhante ao mercúrio), obviamente, exerce pressões muito mais elevadas do que aquelas exercidas pela água (para cujo represamento o talude foi dimensionado), podendo, em consequência, atingir valores suficientemente elevados para ocasionar o rompimento da represa. Obs.: o constituinte dominante da “lama” comum é o silício, muito menos denso do que o ferro.

 

Bernhard J. Mokross, professor do IFSC/USP g.mokross@hotmail.com

São Carlos

 

*

GRANDE CORRUPÇÃO, VEREDAS

 

Com fim do governo militar no Brasil, a grande “receita do bolo” para corrigir todos os problemas decorrentes das decisões políticas “injustas” era fazer um movimento da direita para a esquerda. Quando estudamos Matemática, orientamos o sentido positivo “das ordenadas” debaixo para cima. O sentido positivo das “abscissas”, da esquerda para a direita. Portanto, andar da direita para a esquerda num eixo matemático é andar para trás. Na política, andar para trás é ser um país naufragado na economia, na corrupção e miséria do seu povo, sendo o governo de direita ou de esquerda. Não é novidade que os modelos matemáticos da Física sejam usados como inspiração para modelar a Economia, por exemplo. Há evidentemente outros conceitos da Física que também são empregados na política e em outras ciências sociais. No discurso político da esquerda, sempre atribuíram juros altos, desemprego, corrupção e desvios a comportamentos e políticas de direita. É um esforço de associar quem se define como de direita a uma pessoa desonesta, injusta e corrupta, enquanto o de esquerda é o ser honesto, justo e bom. Evidentemente que esses limites e termos são muito usados para enrolar o povo. Por exemplo, os médicos e engenheiros que lidam, respectivamente, com vidas humanas e estruturas projetadas baseadas em cálculos matemáticos têm limites mais bem estabelecidos da técnica e não se permitem esses subterfúgios para enrolar seus pacientes e clientes alegando que os erros e acertos técnicos foram por conta de escolhas de direita ou de esquerda. Se, na prática, existem realmente esses lados, é bom que ajam tecnicamente porque a ciência não permite muitos devaneios. Na política brasileira, diz-se que estamos caminhando para a esquerda há alguns anos. Em meio à crise por que passa o País, a imprensa noticiou que o governo se reuniu para discutir medidas que possam dar uma “guinada mais à esquerda”. Protagonistas da política de esquerda se envolveram em roubos ao dinheiro público, estabelecimento de esquemas complexos de corrupção e destruição de valores sociais. Alguns foram presos e outros defendem ideias que fragilizam a educação de crianças e adolescentes. Querem impor seus valores em detrimento do que prefere a maioria da sociedade brasileira. Querem alterar e omitir informações históricas dos currículos, direcionar o pensamento das crianças e jovens torcendo e omitindo a realidade histórica numa mentira instituída no Plano Nacional de Educação. Por outro lado, com boa vontade, tomando como premissa as boas intenções e a honestidade dos que fazem parte deste projeto de poder, sabemos que muitos dos obreiros que o construiu foram considerados criminosos durante o governo militar, que eles chamam, com firmeza, de ditadura. Da mesma forma, cometeram crimes e foram condenados também na democracia no modelo que eles próprios criaram. Tudo bem, eu reconheço que os crimes praticados durante os governos militares foram anistiados para ambos os lados. Bom que tenha sido assim, para unir o Brasil. Agora, o que dizer dos crimes praticados neste modelo de “democracia”? Além disso, ao invés de ameaçar cortar recursos da Polícia Federal, que se reforçassem os recursos destinados à Operação Lava Jato. Ao invés de trazer para perto grupos políticos de baixíssima reputação, alguns cujos seus ícones respondem a inúmeros processos e sob os quais pairam enormes suspeitas, que se prestigiassem técnicos honestos para as funções, mesmo que se para isso aumentasse o risco do impeachment do seu mandato. Esse gesto inviabilizaria a mácula na sua imagem histórica de honesta. É melhor para o Brasil que se corra o risco de sofrer um impeachment, colocando pessoas honestas nos diversos escalões do governo, do que se articular com desonestos para manter-se no poder. É verdade que, numa disputa entre os da direita e os da esquerda no Brasil, ambos os lados possuem muitos desonestos e provocaram rombos de natureza idêntica. Será que a sociedade admitiria uma pauta que buscasse apenas dimensionar qual o lado provocou o maior rombo? Se é verdade que temos um projeto que trouxe benefícios, está claro que ele está no final de seu ciclo, e de forma dramática. De fato, se foi para esse cenário que a esquerda nos levou, uma guinada mais à esquerda, como pretende o partido da presidente, vai nos levar para onde? Por isso, ao invés desse discurso de esquerda e de direita, vamos construir um Brasil que vá para a frente de verdade, tomando as medidas tecnicamente corretas, expurgando de verdade a corrupção e valorizando os interesses nacionais, sua gente e suas riquezas. Enfim, o que fazer com o mandato de uma presidente que é tida por honesta, mas que pode ter sido eleita e reeleita com recursos obtidos de forma escandalosamente desonesta? Por honestidade, ela poderia dar uma demonstração de grandeza e bradar ao País: “Todos os mandatários eleitos pelo povo com campanhas que estejam sob suspeita de terem obtido recursos de forma desonesta devem ser submetidos a uma reavaliação popular. Eu serei a primeira a propor, por não ser cúmplice do que pode ter sido feito na minha campanha. Nossos mandatos estão sob suspeita, moralmente sob judicie e temos de nos submeter às urnas outra vez. Eu, como brasileira e presidente da República, peço ao Congresso Nacional, que tem a competência constitucional para tal, que convoque um referendo aos mandatos de todos os políticos eleitos em 2010, 2012 e 2014. O povo brasileiro, de quem emana todo o poder, agora, conhecedor das circunstâncias que podem ter cercado as nossas campanhas eleitorais, tem o direito de dizer se nos quer no mandato ou prefere outros em nosso lugar. É o mínimo que podemos fazer para mostrar à nação que não somos corruptos e nem cúmplices da corrupção: pedir desculpas e colocar nosso mandato à disposição de quem nos conferiu”. Este gesto mostraria desapego ao cargo, desprendimento, amor ao Brasil e a colocaria em sintonia com o que o povo quer saber: quem é o ladrão e onde está o dinheiro. Não adianta tentar guinada à esquerda quando o Brasil está embicando para baixo. Se a nossa vereda continuar assim, pavimentada pelos frágeis valores e dominada pela corrupção, o final da trajetória já se sabe e pode ser pior do que esperamos. Presidente, crise política se resolve politicamente. Se a senhora conseguir resolvê-la, o Brasil embica para cima outra vez. Se a senhora não conseguir, são mais de 200 milhões de brasileiros neste voo. Qual seria a melhor alternativa para livrá-los dos impactos que essa queda já está lhes causando?

 

Rubens Teixeira rubensteixeira@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

*

LULA E A OPERAÇÃO ZELOTES

 

O ex-presidente Lula tem depoimento marcado para segunda-feira para ser ouvido a respeito da Operação Zelotes, na qual seu filho está sendo acusado de receber dinheiro de lobista para uma de suas empresas. O que faz Lula? Marcou um check-up para hoje... que acusará um pequeno problema, que o obrigará a permanecer internado este fim de semana, bem protegido da imprensa, e que o impedirá de estar presente na segunda-feira para dar o depoimento. Cara de pau!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

‘COISA DE BANDIDO’

 

Na medida em que vai se apertando o cerco da Justiça sobre si, o ex-presidente Lula vai se chafurdando mais e mais na lama de mentiras e cinismo. Ele agora está num ponto que mistura raiva com desespero: afirma que é o ser mais honesto e puro do Brasil. Julga fatos que se lhes apresentam como “coisa de bandido”. Foi neste tom que Lula falou sobre a compra de medidas provisórias. Como assim? Como julgar fatos e ações neste nível? Seu linguajar, sim, parece de bandido. Para um ex que se dizia um estadista, suas atitudes e pronunciamentos estão muito longe do que possa ser uma pessoa versada nos princípios ou na arte de governar, enfim, um homem de Estado. Sinto muito que Lula esteja terminando sua carreira melancolicamente, como um jogador de futebol campeão mundial que deixou-se levar pela fama e, deslumbradamente, gastou toda a sua fortuna com supérfluos, e agora precisa derreter sua medalha de ouro para conseguir uns poucos centavos de luz e fama.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

HIPOCRISIA SEM LIMITES

 

Em café da manhã com blogueiros na quarta-feira, 20/1, no Instituto Lula, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou: “Se tem uma coisa que eu me orgulho, neste país, é que não tem uma viva alma mais honesta do que eu. Nem dentro da Polícia Federal, nem dentro do Ministério Público, nem dentro da Igreja Católica, nem dentro da Igreja Evangélica. Pode ter igual, mas eu duvido”.   Realmente, é de espantar. Parece que Lula, além de nunca saber o que está ocorrendo no gabinete ao lado, também não sabe, ou faz questão de não saber, o que é ser honesto ou ser desonesto. Será que tem “viva alma” de alguma inteligência que ainda acredita nessa absurda declaração? Talvez só a velhinha de Taubaté. E olhe lá!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

PREPOTÊNCIA

 

Primeiramente, quero informar o ex-presidente Lula de que honestidade não é virtude, é obrigação. Outra coisa: intitular-se honesto e dizer-se tranquilo em relação às investigações de corrupção em seu governo, além de prepotência e cara de pau, tem o mesmo peso que tachar-nos de trouxas e idiotas. Não é mesmo, ex-ministro Zé Dirceu, José Genoino e Lulinha?

 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

 

*

COMO A MULHER DE CÉSAR

 

O Lula não sabe que não basta ser honesto, deve parecer honesto?

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA E O PT

 

Lula diz que não há ninguém mais honesto do que ele. Ou ele está mentindo ou está com amnésia. Lembrando que a “Bíblia” (Isaías 40,12-31) diz que Deus tem o universo em sua mão e faz o que lhe apraz, o mesmo acontece com Lula em relação ao PT. E, a seguir, apenas alguns malfeitos do PT desde 2003: 1) corroer de corrupção a maior empresa da América Latina, a Petrobrás; 2) corrupção nos Correios e Telégrafos, na Eletrobrás e nos fundos de pensão; 3) suspeito de praticar corrupção ao captar recursos para as campanhas eleitorais; 4) usar o BNDES para financiar empresários amigos, como Eike Batista e a Odebrecht; 5) investimento de bilhões para patrocinar uma Olimpíada numa cidade em que os hospitais estão falidos; 6) falha no controle sanitário, permitindo epidemias; 7) o PT tem um ex-presidente do partido preso; 8) o governo do PT tem seu líder no Senado preso; 9) dois ex-tesoureiros do partido estão presos; 10) somam-se 21 ministros denunciados, investigados ou presos; 11) o rombo nas finanças públicas sob o governo do PT é de R$ 120 bilhões; 12) mentiras nas campanhas eleitorais; e 13) incharam a folha do Estado com a contração de 235 mil funcionários. 

 

Luiz Bianchi luizbianchi@uol.com.br

São Paulo

 

*

O PALESTRANTE DAS EMPREITEIRAS

 

“Não tem uma viva alma mais honesta do que eu.” Todavia, esse ilustre intelectual recebeu mais de R$ 10 milhões para dar palestras a empresas que assaltaram a Petrobrás.

 

Reinaldo Cammarosano tatocammarosano@hotmail.com  

Santos

 

*

BLEFE

 

Luiz Inácio Lula da Silva, o maior blefe político da história do Brasil (dr. Nilo Batista, é minha opinião!).

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

LULA IMACULADO

 

“Uma mentira dita muitas vezes torna-se verdade.” Mas esta não tem condição de se tornar verdade...!

 

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

 

*

MAIS OU MENOS

 

O ex-presidente Lula voltou a falar de sua honestidade. Gostaria de lembrá-lo de que não existe ser mais ou menos honesto, ou se é honesto ou não se é. Porém, considerando seu raciocínio, imaginei a seguinte situação: se João é 50% honesto e ele é 70% honesto, sua afirmação é verdadeira; porém 30% do ex-presidente não é honesto. Portanto...

 

Jorge Edurado Nudel jorgenudel@Hotmail.com

São Paulo

 

*

DESONESTIDADE

 

Qual é a diferença entre mais honesto e menos honesto? Honesto dispensa advérbio: ou se é honesto ou não se é honesto. Ser o mais honesto, portanto, é ser desonesto como os menos honestos.

 

Elisa Maria Pinto Cesar Andrade elisa@spcesar.org

São Paulo

 

*

APOSTAS

 

Brasileiros e brasileiras, façam suas apostas! Quem ganha na disputa Lula x Dilma como o(a) mais impoluto do País? (Chance de erro = 100%.)

 

Hugo Riccioppo hugordj@gmail.com

Ribeirão Preto

 

*

NEODICIONÁRIO

 

Lula falou a mais pura verdade ao declarar que: “Não existe viva alma mais honesta do que eu”. Folheando o neodicionário Lulasaulete, deparei com o verbete “honesto”, cujo enunciado enumera, entre outros mais agudos, os sinônimos: safardana, larápio, aventureiro, trapaceiro...

 

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

 

*

‘NÃO HÁ VIVA ALMA MAIS HONESTA QUE EU’

 

“Nem mais mentiroso!”

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

LUIZ INÁCIO

 

Ele disse que é a pessoa mais honesta do País. Além de tantos defeitos que tem,  é mentiroso. Que criatura ridícula, credo!

 

Agostinho Locci legustan@gmail.com

São Paulo

 

*

O MAIS MENTIROSO

 

Com a declaração de Lula de que “não há homem ou alma viva mais honesto” do que ele, chegamos à conclusão de que podem leva-lo ao médico. Fala estar tranquilo com três advogados nomeados, mais uma equipe de aproximadamente 20 causídicos. Uma coisa é certa: “elle” é o maior mentiroso do planeta.

 

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

O MAIS

 

Até hoje eu, assim como a maioria da população brasileira, tinha  este órgão como o mais correto do País. Agora, a Polícia Federal deveria começar a se preocupar, pois, de acordo com Lula (aquele que nunca sabe de nada), não tem ninguém mais honesto do que ele neste país, nem na Polícia Federal.

 

Roberto Castiglioni rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

 

*

UM DETALHE

 

Lula disse que não tem ninguém mais honesto que ele. Ele se esqueceu de contar os mais de 200 milhões de pessoas mais honestas do que ele no Brasil. Sai pra lá, malfeitor.

 

Vitório F. Massoni suporte@eam.com.br

São Paulo

 

*

GENOCÍDIO

 

“Não há nenhuma alma viva mais honesta do que eu.” E aí, ao ouvirem isso, as tais morreram de tanto rir...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

CRISTO E O EX

 

“Elle”, quando diz que até na Igreja Católica não existe alguém mais honesto que “ele”, no máximo igual a “ele”, mais uma vez está se comparando com Jesus Cristo. Amém!

 

Marco A. C. Paro marcocabralparo@hotmail.com 

São Paulo

 

*

SANTO LULA

 

Aquele que diz “não tenho pecado” chama Deus de mentiroso.

 

Lourdes Migliavacca lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

 

*

PEDIDO AO PAPA

 

Lula disse: “Estou muito tranquilo” em relação às investigações de corrupção no governo. Isso é claro e evidente, pois é sabido que os responsáveis por tais investigações são seus aliados e cupinchas. Ainda teve a cara de pau e a coragem de afirmar: “Não tem uma viva alma mais honesta do que eu”. Claro, Lula, vamos pedir ao papa para canonizá-lo.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo

 

*

O MESSIAS DO TERCEIRO MILÊNIO

 

Eu, em meu desconhecimento dos desígnios de Deus, ainda não percebera que Ele já enviara ao nosso planeta seu Messias para o terceiro milênio, com a missão de melhorar nosso mundo. Ele é simplesmente Lula, cuja pureza de alma é acima de qualquer outro ser humano. Mas foi preciso nesta semana ele mesmo anunciar essa verdade, porque nossa ignorância ainda não a percebera. Será o futuro primeiro santo brasileiro: São Lula, o impoluto!

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

 

*

LULA, O VENERANDO!

 

Se a sua alma é honesta, ninguém sabe dizer. Não dá para ver. Em compensação, o seu corpo... No mínimo, é cego e surdo, porque nada viu nem ouviu sobre o mensalão, muito menos a respeito da dilapidação da Petrobrás e o consequente enriquecimento súbito dos que os cercam. E tudo aconteceu sob suas barbas... Vade retro!

 

Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

 

*

O SANTO DO PAU OCO

 

Seria louvável se artistas ou artesãos de Garanhuns – terra conhecida pelo valor de sua arte – arrumassem muito pau oco para esculpir milhares de imagens do primeiro santinho vivo da humanidade: Lula da Silva. Como nem dentro da Igreja Católica, nem dentro da Igreja Evangélica existe alguém tão honesto quanto ele, segundo suas próprias palavras, que também seja erguida, à semelhança do Padim Padre Cícero, uma estátua em sua homenagem. Agora, para quem não acreditar, há o dia da malhação de Judas. A estátua pode ser aproveitada. Para não haver desperdício de dinheiro neste caso, é conveniente que ele mesmo financie toda estas imagens e “estautas”, já que a autoproclamação veio de sua boca. Assim, se os santinhos de pau oco forem utilizados nas fogueiras de São João e a estátua, no dia da malhação de Judas, nenhum dinheiro terá sido gasto em vão, pois Lula se tornou miliardário, por ser o mais bem pago conferencista do mundo não só por ter “vendido” o Brasil, como também por ter mostrado a todos lá fora que ele acabou de vez com a pobreza no Brasil – vejam os senhores, que criatura santificada! O povo brasileiro haverá de saber o que fazer com tudo isso, especialmente os que hoje amargam o desespero do desemprego, da inadimplência, da inflação em disparada, do caos na saúde, da precariedade na educação, da falta de saneamento e segurança, enfim, de tudo o que lhes possibilitaria ter uma vida menos sofrida e mais digna.

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

SEM FUTURO

 

Após ler o excelente editorial do “Estadão” “O asceta de Guaranhuns” (21/1, A3), perdi o sono. Ainda bem que “ele” foi humilde o suficiente para se comparar às pessoas “deste país”, e não com as do universo (neste caso, ele se igualaria a Deus em honestidade). Pensando nas palavras “dele”, cheguei à conclusão de que, se todos, no Brasil, somos no máximo iguais a “ele” em honestidade, então o nosso Brasil não tem futuro!

 

João Paulo Mendes Parreira jpmparreira@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

‘O ASCETA DE GARANHUNS’

 

Quero avisar ao sr. Lula (“O asceta de Garanhuns”, “Estadão”, 21/1, A3) que, graças a Deus e à minha formação moral, eu sou muito, mas muito mesmo, mais honesto e sincero do que ele. Pois, dentro de minha formação e dignidade, sou um brasileiro como muitos, que não rouba nem manda roubar. O mesmo não podendo dizer de sua pessoa. Esse indivíduo deveria estar de boca fechada ao invés de querer se passar por inocente nas roubalheiras por ele instaladas no País.

 

Orélio Andreazzi orelio@andreazzi.com.br

Suzano

 

*

AS MAIS DESONESTAS

 

Ao longo da vida já conheci muitas pessoas desonestas e – sem exceção – os que mais falaram sobre sua honestidade eram sempre as mais desonestas. Iniciam cada frase com “sinceramente...” ou “honestamente...” ou, ainda, “para falar a verdade...”. Quem ouviu um mentiroso dizer, exceto em confissões à polícia ou em delações premiadas, “sou mentiroso”?

Assim é o asceta de Garanhuns – que não conhece o significado de “asceta” –, que tanto mente que já ficou neurótico e passou a não saber mais onde é a realidade. Deve acabar exposto, provavelmente julgado e condenado criminalmente, e deixado sem honra nenhuma, como seu companheiro, José Dirceu de Oliveira.

 

William W. B. Veale william.veale@terra.com.br

Sorocaba

 

*

ESPELHO, ESPELHO MEU

 

Ouvido com certa frequência num certo apartamento no ABC: “Espelho, espelho meu, existe alguém mais honesto do que eu?”.

 

Eduardo Menezes Serra Netto decimoserranetto@uol.com.br 

São Paulo

 

*

PRÓXIMOS CAPÍTULOS

 

“Espelho, espelho meu, existe alguém mais honesto do que eu?”. (O que será que o espelho vai responder? Cenas do próximo capítulo!)

 

Olga Kos olgakos@hotmail.com

São Paulo

 

*

BANCO CENTRAL DEPENDENTE

 

Após recente reunião de dona Dilma Rousseff, presidente da República, com Alexandre Tombini, presidente do Banco Central (BC), a taxa básica de juros da economia (Selic) foi mantida em 14,25% ao ano, tendo o BCl, após a reunião, mudado o discurso, demonstrando que não tem a entidade a independência devida e necessária, ficando sempre sujeita a pressões do PT e da Presidência da República. Ressalte-se que o Banco Central, na atualidade, é presidido por um funcionário de carreira e, pois, acostumado a atender a sugestões do poder maior. Entretanto, o castigo virá em forma de perda da credibilidade do banco, ficando o mercado sempre a pensar qual será a posição da instituição. E o Comitê de Política Monetária (Copom), também, fica no balanço das incertezas do Banco Central. Pobre Brasil: pobre de dirigentes públicos e rico de homens medíocres.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

 

*

UM GOVERNO EM FRANGALHOS

 

Aviltante a decisão do BC de ceder à pressão do Planalto e manter a taxa básica de juros, ao contrário do que vinha sinalizando. Se Dilma Rousseff e a cúpula do PT entendem tanto de economia, por que então deixaram o País chegar a esta situação? Tal qual fez com as “pedaladas”, o governo ignora leis e organizações e impõe autoritariamente sua inescrupulosa vontade. Atos desesperados de um governo em frangalhos e que nos conduz cada vez mais para o fundo do poço.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

 

*

TOMBO

 

Com seu fisiologismo lulopetista, Tombini tomba de vez sua imagem e as expectativas do mercado!

 

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 

São Paulo

 

*

‘ENFRENTANDO A CRISE HÍDRICA’

 

O sr. Jerson Kelman, presidente da Sabesp, no seu artigo “Enfrentando a crise hídrica” (20/1, A2), consegue nos tranquilizar com respeito à crise hídrica 2014-2015. Nos últimos dez anos a demanda e a oferta de água, para a metrópole de São Paulo, tem oscilado de forma favorável e desfavorável para a população. A Sabesp, nos estudos ambientais para aprovação para o aproveitamento de 4,7 m³/s do Rio Juquiá no Reservatório França, salienta que este equilíbrio instável entre demanda e oferta no caso de uma estiagem, prejudicará o abastecimento de água. A série histórica que serve de base para os estudos de abastecimento mostra uma estiagem significativa na década de 1950, que não foi levada em conta em qualquer planejamento de curto, médio e longo prazos exposto às entidades representativas da sociedade civil, conforme previsto na legislação do Estado sobre recursos hídricos e na regulação da Lei de Saneamento de 2010. Gostaria de conhecer o Planejamento de curto, médio e longo prazos (o que, como, quando, quanto) para o saneamento da metrópole: 1) abastecimento de água: controle do uso, controle de perda, reuso, etc. 2) Coleta, transporte, tratamento dos esgotos e possibilidade de aproveitamento no reuso e futura estocagem no reservatório Billings para atender abastecimento e geração de energia. Criando condições futuras para aproveitamento dos rios para transporte, pesca, etc. conforme já mencionou o nosso governador. 3) Coleta, transporte (controle de inundações),  tratamento e criando condições para elevação para o reservatório Billings. 4) Controle dos resíduos sólidos. A situação do saneamento da metrópole, comparada com a das grandes cidades dos países desenvolvidos, deixa muito a desejar: creio que, a exemplo dos mesmos, devemos deixar de lado os ditos planejamentos costumeiros dentro do período eleitoral e adotar prazos e recursos condizentes com a complexidade da metrópole (50 anos?). Os nossos prazos costumeiros não permitem que tenhamos equipes competentes não só no saneamento, mas em todos os outros setores.

 

Darcy Andrade de Almeida dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

 

*

MOVIMENTO PASSE LIVRE

 

Ao ver os representantes do Movimento Passe Livre (MPL) dizerem que querem incomodar a “corja” de empresários, com suas manifestações dignas de filhotes de papai, mandões, que enchem uma cidade inteira com seus gritinhos histéricos de playboys e que, por serem atendidos em tudo pelos “papais” ou por governos populistas, não aceitam nenhum sacrifício e não têm um pingo de educação nem respeito pelo resto dos cidadãos, que precisam andar pela cidade e que, ao contrario deles, são trabalhadores e não têm tempo para chiliques de arruaceiros, eu digo: vocês são uns chatos, e, ainda por cima, em nada incomodam os empresários, que andam com seus choferes, ou de helicópteros, ou dirigem seus negócios das praias ou de shoppings pelo computador. Vocês atrapalham, sim, os pobres e remediados. E pior: é gente como vocês que abre as brechas para a volta da “ordem” no País pelo Exército. Muito inteligentes, parabéns (só que não).

 

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

 

*

E O PÚBLICO?

 

Sabemos o que pensam o Movimento Passe Livre (MPL), o governo, o prefeito e a Polícia. Falta ouvir o que têm a dizer os paulistanos, aqueles que ficam presos no trânsito na ida e na volta do trabalho, durante as manifestações do MPL. Os usuários de ônibus, os motoristas, os que tentam sair de seu trabalho no local dos protestos, os usuários das estações do metrô próximas, os moradores e comerciantes das ruas por onde eles passam. Esta maioria sem voz não foi ouvida nem considerada ainda. Com a palavra, os jornalistas do “Estadão”.

 

M.Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com  

Florianópolis

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.