Fórum dos Leitores

BANCOOP

O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2016 | 02h55

Transfiguração

Qual será o sentimento dos mutuários da extinta Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) ao verem seus frustrados sonhos da casa própria sendo transformados em mansões tríplex de frente para o mar para os “mais iguais”? Isso pode até, digamos, não configurar crime, pois quem tem especialistas em interpretar as confusas leis pode facilmente fazê-lo a seu favor. Porém não conseguirá diminuir a decepção, revolta e frustração de milhares de ex-cooperados que tentaram inutilmente o mesmo tratamento legal quando da extinção da Bancoop e, além de ficarem sem a sonhada casa própria, viram suas suadas poupanças se esvaírem na fumaça do inacreditável e inaceitável. A corda sempre estoura do lado mais fraco e a Justiça sempre beneficia os mais bem assessorados pelos ilustres advogados.

VAGNER RICCIARDI

vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente

Uma vítima

Sou uma dos 160 milhões de vítimas, conforme relato preciso da pena de José Nêumanne (26/1, A2). Porém mais vítimas são os 3 mil cooperados da Bancoop que viram suas economias evaporarem pela má gestão dos dirigentes, que, no mínimo, garantiram o deles. Sugiro ao Estado entrevistas diárias com todos os lesados e contar aos leitores sua história de vida. Creio que ajudaria muito conhecer e compartilhar o sofrimento por que cada um passou e quiçá ainda passe.

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Empreitar ou não empreitar

Eis a questão. Interessante a preocupação de uma das maiores empreiteiras brasileiras, orgulhosa de participar de grandes obras nacionais, em se empenhar – até seu presidente em pessoa – nas reformas de um apartamento tríplex e de um sítio em Atibaia. Nenhuma reforma, nem de grandes obras, é citada no site oficial OAS. Apenas grandes empreendimentos. E é correto, pois esse é seu foco, essa é sua competência. A se fazer notar a coincidência, talvez mera coincidência, de que em ambas as obras acima citadas surge a honesta figura de um cidadão acima de qualquer suspeita. O que levaria uma empreiteira desse calibre – e seu presidente – a pôr-se à disposição, por exemplo, da esposa dessa figura para detalhes nas reformas, acompanhando-a sem titubear em visitas ao apartamento tríplex? Escolha de azulejos? Troca de piso? Cor das paredes? Pergunto se essas duas obras são altamente significativas para o lucro da empreiteira. Penso que não. Obras que necessitassem da presença desse importante empresário? Penso que não. Qual, então, a explicação para tal empenho? Não me venham dizer que foi uma troca de favores, que foi por corrupção ativa/passiva ou pagamento indireto de favores. Porque estamos falando de pessoas altamente honradas e honestas. Creio que estou certo. Ou não?

PAULO ROBERTO DE CARVALHO

proberto@sppamerica.com.br

Cotia

Sem privilégios

O ministro Jaques Wagner está equivocado quando diz que há obsessão da Polícia Federal em investigar o ex-presidente Lula, a respeito do apartamento de luxo no Guarujá. Cumprido seus mandatos, Lula tornou-se um cidadão comum, sem mais foro privilegiado. Além disso, o ministro parece desconhecer o que reza a nossa Constituição: todos são iguais perante a lei. Se há indícios, por que não investigar? Pagamos impostos escorchantes sem o devido retorno ao corpo social. Temos o direito sagrado de saber o destino desse volume astronômico de dinheiro.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

A defesa veemente da presidenta e dos ministros não deixa dúvidas: Lulla nem sabia que tinha um tríplex...

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

A Operação Triplo X só chegou ao imóvel no Guarujá e já saíram em defesa de Lula a presidente da República, o ministro da Justiça... Até um cego vê que o Brasil e sua economia não são prioridades do PT.

ROBERTO CASTIGLIONI

rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

CONSELHÃO

Dirigindo no escuro

A imagem utilizada pelo sr. Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco, foi muito “light”. Na minha opinião, a presidente Dilma assemelha-se mais a uma timoneira apavorada de um barco à deriva, durante a noite, em alto-mar revolto, só com as lanternas de popa acesas.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Solução

A presidente quer mesmo melhorar a economia? É simples: pegue sua bolsa e deixe o cargo (que envergonha).

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

Capitão Nascimento

Com Wagner Moura no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (ufa!), esperamos que o ator incorpore o capitão Nascimento e nas reuniões berre nos ouvidos da Dilma: “Pede pra sair! Pede pra sair!”.

PAULO BOIN

boinpaulo@gmail.com

São Paulo

Queda da Bastilha

No Fórum de ontem, o leitor sr. Olavo Fortes foi muito feliz ao comparar o Conselhão ao Baile da Ilha Fiscal, último do Império brasileiro. Mas pode ser também como a convocação dos Estados Gerais pelo rei Luís XVI: fê-lo para enganar o povo e se deu mal, os Estados Gerais foram o gatilho da Revolução Francesa.

LUIZ HENRIQUE PENCHIARI

luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

SAÚDE PÚBLICA

Que zika!

Enquanto o atuante presidente dos EUA, Barack Obama, pede pressa na produção da vacina contra o zika vírus, a nossa presidenta só se preocupa em elogiar o seu ministro da Saúde, aquele que “jogou a toalha”.

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Só no gogó

Pronto, estamos salvos! O governo de Dilma Rousseff já criou uma arma mortal contra o Aedes aegypti, lançando o slogan “um mosquito não é mais forte que um país inteiro”. Da mesma forma que resolveu o problema da educação com o slogan “Brasil, pátria educadora”.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

TRIPLO X

 

É muito estranha esta história dos 11 apartamentos do Condomínio Solarias, no Guarujá (SP), sob suspeita de terem sido usados pela empreiteira OAS para lavar dinheiro de contratos da Petrobrás, e um dos apartamentos sob forte suspeita de pertencer, na realidade, ao ex-presidente Lula e sua esposa. Mais estranha, ainda, foi a defesa do notório ex-presidente pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em plena operação da Polícia Federal, que é órgão sob sua direção.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

 

*

SE MEU APARTAMENTO FALASSE

 

A mais nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada com o sugestivo nome de Triplo X, caiu com uma bomba no colo do Planalto e do Partido dos Trabalhadores (PT). No meio do alvoroço, a (ainda) presidente Dilma fez saber, como acabasse de descobrir a pólvora, que o ônus da prova cabe a quem acusa. E, ato contínuo, despachou os seus ministros Jaques Wagner e José Eduardo Cardozo para a linha de frente das explicações e justificativas, fazendo, como sempre, das tripas os corações. Neste contexto todo, o que é absolutamente certo é que nenhum mexicano é proprietário do tríplex 164 A, no Condomínio Solaris, e também que nem Sean Penn nem Kate Del Castillo estão no elenco de mais este tragicômico espetáculo brasileiro.

 

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

 

*

DESRESPEITO

 

O ministro Jaques Wagner pediu tratamento mais respeitoso ao ex-presidente Lula. Bem, tratamento respeitoso é devido quando se é tratado com respeito, do contrário... Como é que vai se tratar com respeito alguém que desrespeitou uma Nação?

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

TRIPLO 7

 

O engenheiro Armando Dagre disse que a reforma no tríplex do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva custou R$ 777 mil. O dinheiro gasto nessa modesta obra é suficiente para construir 20 casas populares, ou 60 salas de aula equipadas, ou construir 20 postos policiais equipados, ou comprar 10 ambulâncias equipadas, ou simplesmente pagar 882 salários mínimos. A reforma incluiu novo acabamento, além de uma outra piscina, mudança da escada e instalação de elevador privativo. Segundo o zelador do edifício, a ex-primeira-dama Marisa Letícia era recebida com flores decorativas. Nada como ser amigo do dono da empreiteira OAS, Léo Pinheiro, condenado na Operação Lava Jato a 16 anos de prisão, por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

ILEGAL OU IMORAL

 

Algumas situações prejudicam milhares de pessoas, frustram um dos maiores sonhos de vida da grande maioria da humanidade, que é ter sua própria casa, seu divino lar, e podem ser consideradas imorais. Porém essas mesmas situações podem, facilmente, por meio da orientação de bons advogados, não ser tipificadas como ilegais, conforme o Código de Leis Penais. Pois vejamos, a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), desde 1997 alvo de processo em São Paulo por milhares de bancários cooperados, em 2007 compra um terreno no Guarujá, frente para o mar, e inicia a construção de condomínios de alto luxo. Muito estranho. Alguns meses depois, transfere a construção do condomínio para a OAS, e a OAS subcontrata outra empresa para reformar um único apartamento de cobertura – existem pelo menos quatro apartamentos de cobertura no condomínio –, incluindo até um elevador privativo. A reforma foi acompanhada pelo ex-presidente Lula e seus familiares, conforme declarações oficiais dos funcionários do condomínio. Talvez os prejudicados ex-cooperados da extinta Bancoop possam classificar essa situação conforme seu próprio sentimento: ilegal ou imoral ou ambos.

 

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente

 

*

NÃO SEI QUEM É

 

Após a divulgação da investigação da Lava Jato nos apartamentos do Condomínio Solaris, no Guarujá, Lula declarou: “Não conheço a sra. Marisa Letícia, nunca a vi, não sei quem é; e, se alguma vez a cumprimentei, o fiz sem saber quem era!”. Conhecendo sua conduta, até que é possível tal declaração...

 

Carlos R. Barreto Barsotti cbarsotti1@hotmail.com 

São Paulo

 

*

CONTRADIÇÕES LULISTAS

 

Os defensores de Lula deveriam combinar melhor as respostas e justificativas, antes de qualquer manifestação sobre como ocorreu o grande negócio iniciado por meio de um pequeno investimento, de R$ 47 mil, que se transformou num tríplex de R$ 3 milhões, onde foram gastos R$ 850 mil em reformas, além de elevador privativo. Tudo pago pela OAS, em detrimento de milhares de outros pobres coitados que investiram sua poupança na Bancoop. Ora, o advogado de Lula fala que a origem do negócio é o valor pago de R$ 47 mil, em direito não exercido, portanto o apartamento não é de Lula nem da Bancoop. A Bancoop informa que negociou o prédio com a OAS, portanto, não é mais deles nem direito de Lula ou de familiares. Não há como explicar um direito sobre um imóvel que não mais pertence à Bancoop nem ao Lula e familiares? E o Instituto Lula reafirma que o direito não foi exercido. Ora, como explicar um direito não ser exercido, que está agregado à Bancoop, mas foi reformado por quantias exorbitantes por ordem da mulher do presidente Lula, a ítalo-brasileira Marisa Letícia? É, povo brasileiro, mentiras têm pernas curtas! Só falta a Polícia Federal obter informações do Panamá e de Angola para fechar o cerco, se é que não as tem. Aliás, no mundo, existem mais dois amigos de Lula em prisão domiciliar e um terceiro quase lá. O primeiro é o ex-ministro português. Exercia o cargo de primeiro-ministro de Portugal e propiciou aquela compra fantástica da empresa do filho de Lula, justamente aquele “inteligente”, e não o menos inteligente, que copia na internet trabalhos feitos. O segundo é o ex-presidente do Panamá, preso e acusado de corrupção, especialmente em razão de obras da Odebrecht financiadas pelo dinheiro brasileiro por meio do BNDES. E, finalmente, o terceiro, sr. Ricardo Teixeira, prestes a ir para uma jaula americana ou prisão domiciliar, por causa do seu abalado estado de saúde. Trata-se do homem que, a pedido de Lula, viabilizou o sonho de milhões de torcedores de seu time de coração de terem um estádio de futebol, e, melhor, de ser este palco de abertura de uma Copa do Mundo. E grande parte desse sonho foi concretizada com o dinheiro de todos os brasileiros, inclusive os não torcedores daquele time, além daqueles contribuintes municipais de São Paulo. Ao que parece, esse sonho poderá se tornar um futuro pesadelo. Ou será que se transforme num sonho para aqueles, como eu, que não aguentam mais mentiras e corruptos e desejam que os mentirosos e criminosos estejam na cadeia?      

 

José R. Macedo Soares joserubes@federmacedoadv.com.br

São Paulo

 

*

MEU TRÍPLEX, MINHA VIDA

 

Lula, por ser um trabalhador pobre, adquiriu seu quarto e sala no Guarujá com recursos do programa Minha Casa, Minha Vida. Petrobrás... BNDES... OAS... E a carne do churrasco de inauguração, sabe quem financiou? Acertou!

 

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA, O TRIPLO X

 

Lula é tão honesto, mas tão honesto, que não teve nem dinheiro para exercer a opção de compra do tríplex do Guarujá, mesmo tendo faturado mais de R$ 50 milhões dando palestras justo para as construtoras.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

DICA

 

Uma dica para a Polícia Federal, mais precisamente para a Operação Lava Jato: façam um rastreamento no terreno do Guarujá, onde foi construído o Condomínio Solaris e peçam uma matrícula atualizada do imóvel, no registro de imóveis do Guarujá. Lá estará todo o histórico do terreno. Com certeza, ele foi adquirido e pago pela Bancoop, claro que com recursos dos cooperados, e, posteriormente, alienado para a OAS. E, a partir daí, começaram a montagem do golpe e a distribuição das unidades aos demais componentes do esquema que participaram da incorporação do prédio todo. Para confirmar quem são os donos de cada unidade, basta exigir da construtora/incorporadora os nomes dos donos de cada fração ideal do terreno. Caso eles, os construtores, se negarem a fornecer a relação dos donos das frações ideais do terreno, basta pedir ao registro de imóveis do Guarujá uma certidão vintenária do terreno.

 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

 

*

OU SEJA...

 

Até aqui, Dilma Rousseff, quando defendia seu guru etílico, afirmava categoricamente que ele era inocente. Desde anteontem, afirma que cabe à acusação o ônus da prova. Significa, então, que estão chegando perto? Oremos!

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com 

São Paulo

 

*

TENSÃO NO PLANALTO

 

O mais recente mantra do PT é “o ônus da prova cabe a quem acusa”. Obviamente, não há nenhum vídeo ou foto que registre esse “hediondo crime” (aos olhos dos cidadãos brasileiros), tal qual aconteceu em 2005 quando um diretor dos Correios foi flagrado recebendo propina. Se houvesse boa vontade daqueles que investigam, bastaria confrontar “receita e despesa” de quem é alvo de alguma dúvida. Eu, por exemplo, se ganhasse R$ 10 mil por mês, não teria como realizar o sonho de comprar um apartamento no belo bairro dos Jardins, em São Paulo. E, se isso acontecesse, sem dúvida a Receita Federal imediatamente “desvendaria” o “milagre da multiplicação dos pães”. Nós, simples mortais, não conseguimos entender essa discrepância para o tratamento de um assunto já bastante corriqueiro.

 

Mirna Machado mirnamac@uol.com.br

Guarulhos

 

*

O ÔNUS DA PROVA

 

A distância entre as frases “o ônus da prova cabe ao acusador” e “quem não deve não teme” depende da honestidade dos envolvidos!

 

Arivete Ana Grasson Dafre arivetedafre@hotmail.com

Jundiaí

 

*

SEM MEDO DO RIDÍCULO

 

Para Lula, Napoleão esteve na China, para Dilma, defendendo seu criador, o ônus da prova cabe ao acusador a partir da Revolução Francesa (“se não me engano”, numa rara concessão à possibilidade de não ser eternamente infalível). De acordo com o Direito Romano, algo anterior à Revolução Francesa e a Napoleão..., “onus probandi incumbit ei qui dicit, non ei qui negat”, ou, ainda, “affirmanti incumbit probatio”. Que desperdício de oportunidades de calar-se!

 

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

 

*

‘XXX’

 

Noticiou a imprensa que a nova fase da Operação Lava Jato ganhou o apelido de Triplo X, em alusão ao luxuoso tríplex de Lula. Que meiga interpretação! Na realidade, o nome deve vir mesmo de “XXX”: uma justa homenagem aos crimes pornográficos perpetrados por esta quadrilha chamada PT!

 

Daniel Arjona de Andrade Hara haradaniel734@gmail.com 

São José dos Campos

 

*

DO SONHO AO PESADELO

 

Que pena aparecerem estes abelhudos agora. Senão vejamos: não fossem os abelhudos, hoje ele seria um feliz morador no Guarujá, aquela cidade que os ricos tanto frequentam. E nenhum teria tanta privacidade quanto ele teria: elevador, garagem com entrada exclusiva para muitos carros, uma estradinha exclusiva para chegar e sair do prédio sem ser importunado, e talvez essa estradinha particular o levaria a uma praia particular, onde estaria uma marina particular para seu iate e para os iates dos filhos. E não fizeram um heliporto no prédio? Que falha! Ou isso não foi divulgado? Mas, sendo ele o “homi” mais “onestu” do País, teria como explicar. Mas agora o sonho virou um pesadelo.

 

Sleman Jorge Farah sleman.farah@gmail.com

Itanhaém

 

*

A PREOCUPAÇÃO DE LULA

 

Sonho de tríplex no Guarujá vira pesadelo de monoplex na Papuda.

 

Roberto Twiaschor  rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

VÍDEO

 

Acompanhando na internet, o vídeo que mostra por dentro o tríplex no Condomínio Solaris não dá ideia real do apartamento do ex-presidente. Focalizam apenas a entrada, parte da cozinha e o canto de uma sala. O resto é da vista para o mar. Já que se propuseram a fazer imagens do local, que filmassem inclusive o elevador privativo. Da forma como foi feito, dá a entender que se trata de um apartamento normal, o que, ao que parece, não demonstra ser tudo isso que apregoam.

 

Múcio Tavares de Oliveira muciotoliveira@gmail.com

São Paulo

 

*

QUEM TEM PRESSA COME CRU

 

Sem pressa, mas com muita competência, a Operação Lava Jato vai se aproximando do chefão. Viva o juiz Sérgio Moro.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

*

QUEM DIRIA

 

Então a Operação Lava Jato chegou ao “Brahma”, o homem “mais honesto do Brasil”? Quem diria...

 

Anna Carolina Meirelles annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

 

*

ESTÁ CHEGANDO A HORA

 

Pode demorar mais um pouco, mas o Brasil ainda verá um certo falastrão algemado. Hora chegando.

 

Domingos Cesar Tucci d.ctucci@globo.com

São Paulo

 

*

LAVA JATO

 

Se a operação Triplo X atinge Lula, quem seria nosso próximo presidente?

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

UM PRÉDIO DE PROBLEMAS

 

O “Estadão” me deixou confuso com a nota de que “nova fase da Lava Jato chega perto de Lula”, pois achei que ambos se confundiam desde sempre. As digitais, o DNA e todas as mais robustas provas dessa operação se confundem com a chegada do PT ao poder. A honestidade esbravejada está em xeque. A esperteza de outrora agora parece burrice.

 

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

 

*

A DESGRAÇA DA MENTIRA

 

O homem mais honesto do Brasil, Lula disse à Polícia Federal que não sabia que o filho recebera R$ 2,5 milhões! Será que a PF acreditou? Mas também, anos atrás, na época do mensalão, ele Havia dito: “A desgraça da mentira é que você, ao contar a primeira, passa a vida inteira contando mentira para justificar a primeira que você contou”. É, ele não sabe de nada ou mente...

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

O GRITO DA HONESTIDADE

 

Mesmo admitindo que possam não ter nada que ver com os assuntos em evidência nos últimos dias, peço licença para compartilhar duas frases interessantes que li hoje: “Não adianta uma alma ser honesta no discurso se o corpo não corresponder na prática”. E “suas atitudes falam tão alto que é impossível ouvir o que você diz, por mais que grite”.

 

Carlos H. C. Cardoso santhacar@uol.com.br

São Paulo

 

*

O JAPONÊS DA FEDERAL

 

A aposta agora é se o japonês é quem vai acompanhar Lula até os tribunais onde dará seus depoimentos. Esperar para ver.

 

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

 

*

ENGANAÇÃO

 

Com certeza Lula não é o homem mais honesto do País, mas, sim, o maior enganador da história brasileira. Com o seu populismo barato e inoperante, iludiu milhões de brasileiros. Hoje, colhemos o que foi (e ainda é) plantado pelo lulopetismo.

 

Jouber Turolla j.turolla@hotmail.com

Rio Claro

 

*

DESTEMPERO

 

A presidente Dilma Rousseff dá mais um exemplo de imaturidade política – inadmissível para o cargo que ocupa – ao reagir de forma destemperada quando questionada sobre as suspeitas que recaem sobre o ex-presidente Lula na 22.ª fase da Operação Lava Jato. Estaríamos, sim, na era medieval, como insinua Dilma, se Lula tivesse sido condenado sem direito a defesa nem a julgamento. No Estado Democrático de Direito, qualquer pessoa, pública ou não, suspeita de ter cometido um delito deve ser averiguada. A presidente deveria responder de forma diplomaticamente correta, ou seja, com isenção e apoio à legalidade.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

INDIFERENÇA

 

Diante do clima de indiferença do povo brasileiro em face da instalação da operação Triplo X, da Polícia Federal, concluo que os líderes da Revolução dos Bichos Tupiniquins não têm nenhuma dificuldade para capturar espécimes por aqui. Eles aguardam nos currais naturais das passarelas e nos cordões das avenidas as manadas que chegarão para os dias de Momo, como se o Brasil vivesse dias prósperos e de pleno emprego e não tivesse sido saqueado por corsários vermelhos sem nenhum disfarces ou fantasias.

 

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com 

São Paulo

 

*

RELEMBRANDO

 

Com tanta notícia nova da Operação Lava Jato, alguém se lembra de Rosemary Noronha e de Erenice Guerra?

 

Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@hotmail.com

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO ZELOTES

 

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, responsável pela Operação Zelotes, já arquivou um inquérito sobre tráfico de influência contra dona Erenice Guerra em 2012. Consta que foi por “falta de provas”. Esperamos que o juiz, agora, tenha olhos para ver o que até as pedras sabem. Chamou a atenção, agora, a concessão de dispensa da testemunha Luiz Inácio Lula da Silva, por “não haver nada a acrescentar”, pois fora ouvido em 6 de janeiro. Ocorre que o referido senhor, que naquela ocasião depôs na estranha condição de “informante”, desta vez o faria como “testemunha”. Legalmente, deveria saber o juiz, é bem diferente! A testemunha que mente durante audiência pode pagar multa e ser condenada a reclusão de um a três anos. Não menos importante é que, passada uma dezena de dias da oitiva de Lula e colhidos outros depoimentos, o normal e até desejável seria que o juiz Vallisney tivesse mais esclarecimentos a pedir à agora testemunha. Não foi o que aconteceu. A propósito: o juiz deveria determinar que o cidadão Luiz Inácio da Silva fosse ouvido nas mesmas condições e locais onde são ouvidos os outros simples mortais, e não em  “locais secretos”. A não ser que exista um motivo que desconheçamos para o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva ter de direitos e obrigações diferentes do restante dos brasileiros. Com a palavra, o juiz Vallisney de Souza Oliveira.

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

UMA TEMERIDADE

 

Talvez o mais apropriado fosse parafrasear a “presidente petista” quando mencionou estar “estarrecida” com a previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o futuro da nossa economia – um pouco antes, Alexandre Tombini havia acolhido a avaliação para indicar a manutenção da taxa Selic. Suponho que também ficamos “estarrecidos” – evidentemente, não por ouvir mais uma platitude da presidente, mas pela declaração da ex-chefe da Casa Civil Erenice Guerra, na Operação Zelotes, quando disse que recebera os lobistas José Ricardo da Silva e Alexandre Paes de Barros e os encaminhou para contato com o conselheiro do Carf, o conselho do Ministério da Fazenda responsável pelo julgamento de multas fiscais. Na realidade, foi uma temeridade para os interesses do País, e só de imaginar o que a senhora Erenice manipulou enquanto secretária-executiva e, depois, ministra-chefe da Casa Civil, o estarrecimento, na forma de perplexidade, é pouco. Devemos, mesmo, é ficar indignados e preocupados com a extensão das diabruras que ela praticou – tudo sob a vista ou tolerância da sua chefe e atual presidente da República. Causa calafrios saber que Erenice Guerra sempre foi pessoa de confiança da petista – não é à toa que o Brasil alcançou este estágio de dilapidação de suas economia, idoneidade e credibilidade. Definitivamente, a obra não foi de simples amadores – é coisa de profissionais. O conserto desse estrago moral e material, certamente, haverá de exigir o concurso de especialistas com algum compromisso com o futuro deste país.

 

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

 

*

IMPUNIDADE NA BOATE KISS

 

A Justiça brasileira dá mais uma demonstração de incompetência ao julgar os culpados pela morte trágica de 242 jovens no incêndio da Boate Kiss ocorrido três anos atrás em Santa Maria (RS). O Corpo de Bombeiros, certamente o maior culpado, a quem cabia fiscalizar as condições de proteção contra incêndio, liberou a boate totalmente irregular no quesito segurança, e nada aconteceu com os oficiais responsáveis. Agora só restou às famílias enlutadas buscar a tutela da Corte Interamericana de Direitos Humanos para responsabilizar o Estado brasileiro pela tragédia, como mostra matéria “Familiares de vítimas da Boate Kiss vão denunciar à Corte Interamericana” (27/1, A15).

 

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

 

*

A TRAGÉDIA EM SANTA MARIA

 

Há três anos (27/1/2013) o Brasil e o mundo foram surpreendidos com a notícia de um trágico incêndio numa boate no Sul do País, na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul. Esse incêndio não só destruiu centenas de famílias, como tantas outras deixaram de ser construídas, porque as vítimas eram jovens que, certamente, se tornariam chefes de família um dia. Foram 242 vítimas fatais e mais de 600 feridos. E os culpados? De um lado, o que é normal, há o interesse comercial empresarial que, de forma direta, interessa ao município, por gerar empregos e, claro, impostos. No entanto, temos as leis que devem ser cumpridas, e, neste caso, embora não tenha sido bem divulgado, ou ao menos não ficou muito claro para mim, o imóvel onde funcionava a Boate Kiss não havia sido projetado no primeiro momento para este fim. E, quando isso acontece, essa alteração deverá ser aprovada na prefeitura, porque haverá alteração no uso do imóvel. Feito isso, vistoriado e aprovado pela prefeitura, que é responsável pelo o uso e ocupação do solo, ela emite, então, o alvará de funcionamento. Mas com este alvará o estabelecimento pode entrar em funcionamento? Depende. E depende do quê? Há outro projeto, que é de responsabilidade do Estado (projeto de combate ao incêndio) e, por ser estadual, cada Estado tem suas próprias legislações. Em regras, as exigências são de acordo com a finalidade do uso do imóvel, e um imóvel pode ter o alvará de funcionamento da prefeitura, mas, por não ter o aval do Corpo de Bombeiros, por inconformidade no sistema de combate ao incêndio, não ter o documento básico Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), que aprova as condições do local para funcionamento em termos de prevenção de combate ao incêndio. O AVCB normalmente não tem ligação com o município, este projeto é aprovado no Corpo de Bombeiros. A segurança do local é de total responsabilidade do dono do negócio, mas a fiscalização é de competência pública. Uma coisa é certa: a vida de todos os envolvidos, direta ou indiretamente, nunca mais será a mesma.

 

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

 

*

A TRAGÉDIA DE MARIANA

 

Afirmam que a Samarco fez pressão por licença na barragem de Fundão, que se rompeu no final de 2015. Será que, ao invés de “pressão”, não teria sido “corrupção”?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

A VOLTA DA HIDROVIA

 

A reabertura da Hidrovia Tietê-Paraná, nesta quarta-feira (27/1) é uma grande notícia. Além da seca brutal, é importante lembrar que a crise no transporte hidroviário da região deve ser tributada também ao desrespeito dos critérios de uso múltiplo das águas do Tietê e do Paraná. Priorizou-se a geração de energia – para poupar a eletricidade produzida por termoelétricas – e com isso paralisou-se o transporte e se impôs dificuldades aos outros usos da água do rio: agricultura, pecuária e laser. Os empresários que atuam no rio – tanto os do transporte quanto os que exercem atividades complementares ou movimentam ali os seus produtos – especialmente as safras de grãos da região central do país, têm de ganhar confiança na disponibilidade da via para poderem trabalhar, prever resultados e, principalmente, tê-los confirmados ao final do ciclo. Assim como resto da economia nacional, a região hidroviária não pode operar no improviso...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br                                                                                                      

São Paulo

 

*

O ‘CONSELHÃO’

 

A presidente Dilma Rousseff convocou novamente o Conselho  de Desenvolvimento  Econômico e Social criado na era Lula da Silva. O Conselho foi aumentado de 90 para 92 personalidades, e até o ator Wagner Moura foi convidado e aceitou participar. Vejo isso como uma jogada de marketing, pois é sabido que o tal “conselhão” nunca apitou em absolutamente nada. Agora, com o barco à deriva, a presidente convoca empresários, sindicalistas, artistas, escritores, etc. para que possam opinar sobre os rumos da política nacional. Ora, dona Dilma, quem a conhece diz que a senhora não aceita opinião de ninguém e faz tudo da sua própria cabeça, então, para que o conselhão, se não aceita conselho? Esse conselhão parece um encontro de bate-papo de seus integrantes e muitos selfies, nada mais do que isso. Tenham a certeza de que a divulgação do governo em torno das reuniões será enorme, pois precisam de propaganda que possa parecer aos olhos da população algo positivo e que a sociedade estaria sendo ouvida. De mais a mais, eu conheço um dos integrantes do tal conselhão do passado, um executivo que esteve à frente de multinacional, e ele disse que as reuniões eram para inglês ver, ou, melhor, para que a população pensasse que o governo estaria sendo aconselhado pela sociedade. Segundo esse executivo, tratava-se de um verdadeiro oba-oba, em que não acontecia absolutamente nada. A pergunta que não quer calar: quem pagou todas as despesas  das 92 personalidades em seus devidos deslocamentos? Nós?

 

Sergio Ronco  sergioronco@uol.com.br

Ribeirão Bonito

 

*

TEATRO MAMBEMBE

 

Como o desgoverno está mais perdido do que barata em galinheiro e é mestre em desenterrar defunto, resolveu exumar o “conselhão”, composto por 90 membros: 45 empresários, 20 representantes de trabalhadores e 25 da sociedade civil, mais a criatura “presidenta” e o ministro da Casa Covil,  digo, Civil.  Eles se reuniram ontem em Brasília. 92 pessoas  debatendo sobre soluções para o caos em que se encontra o País, mas cada qual puxando a brasa para sua sardinha. Deve ter sido mais um show pirotécnico patrocinado por dona Dilma e sua “troupe” numa encenação de fazer inveja a qualquer teatro mambembe!  Resultado? Penso ser conveniente segurarmos nossos bolsos!

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

ZIKA VÍRUS

 

O Brasil tem sido notícia nos principais tabloides internacionais não por causa de nossas praias belíssimas, por causa do futebol, muito menos pelo carnaval, mas, sim, pela epidemia do zika vírus, que vem tirando o sono das autoridades brasileiras. A preocupação com o vírus da febre zika e suas prováveis complicações já chegou a outros países. No dia 15/1 foi anunciado nos Estados Unidos o primeiro caso de microcefalia (cabeça menor do que o normal) em bebês ligada ao vírus. Suspeita-se de que a mãe tenha sido infectada durante uma viagem ao Brasil. Autoridades americanas emitiram um alerta geral para que grávidas considerem adiar viagens para países da América do Sul e do Caribe com surto da doença, como se isso evitasse que o continente americano ficasse livre do zika, que prolifera como erva naninha rapidamente. Já a Organização Pan-americana de Saúde disse que são grandes as chances de o vírus se espalhar por toda a América Latina e pelo sul dos EUA, e afirma que ela já atinge 23 dos 55 países das Américas.    Enquanto isso, no Brasil, país mais atingido pelo zika, com 270 casos confirmados e 3.448 casos suspeitos em 22 Estados e no Distrito Federal, notificados, cientistas começam a entender melhor o comportamento do vírus que pode estar sendo transmitido por outros mosquitos dentro do corpo humano. Confirmou-se  agora que o vírus é capaz de atravessar a placenta durante a gravidez e, portanto, infiltrar o feto. Essa descoberta é mais uma evidência de que o zika é o principal responsável pelo aumento assustador de casos de má formação craniana no País. Como não existe vacina contra o zika, a prevenção depende do combate ao mosquito transmissor, o Aedes aegypti (o mesmo da dengue e da chikungunya). O Brasil deveria aproveitar as novas tecnologias que vêm sendo desenvolvidas, como os mosquitos geneticamente modificados que reduzem a população de Aedes. Mas a população também deve ajudar no esforço da  prevenção: cobrir caixas d’água e cisternas, colocar areia nos pratos de vasos de plantas, entre outras ações. A conscientização ainda é o melhor remédio. No Brasil de hoje, nada é tão ruim que não possa piorar.

                          

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

A COBRA PAROU DE FUMAR

 

Os jornais informam em manchetes garrafais que o glorioso Exército brasileiro, que em outras épocas e em terras estrangeiras mostrou a bravura do soldado brasileiro, está mobilizando 220 mil homens para combater o mosquito Aedes aegypti. Os heróis das batalhas de Itororó e Cerro Corá, comandados pelo Duque de Caxias, numa guerra contra o Paraguai, os bravos “pracinhas” que na 2.ª Guerra Mundial honraram o Brasil, na Itália, nas memoráveis batalhas contra o nazismo, em Monte Castelo, Castelnuovo e Montese, sob o comando dos generais Zenóbio da Costa, Mascarenhas de Moraes e Cordeiro de Farias e, mais recentemente, em 1964, por ter escorraçado contrarrevolucionários que pretendiam instalar uma ditadura comunista. Todos esses atos de bravura cedem lugar a uma “batalha contra mosquitos”. O ministro da Saúde, Marcelo Castro, que está com os dias contados no cargo, foi infeliz ao declarar, querendo fazer graça: “Devemos usar a Marinha porque o mosquito se reproduz em água e a Aeronáutica porque ele voa”. Aconselhou as mulheres a pegarem o zika antes de engravidarem. Uma coisa é certa: o atual caos em que se encontra a Saúde no Brasil é coerente com o ministro da Saúde.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

PERDENDO DE GOLEADA

 

O ministro da Saúde disse “estamos perdendo de goleado do Aedes  aegypti”. Dilma não gostou. Fique tranquilo, ministro, já perdemos da Alemanha de 7 a 1, estamos perdendo de goleada para a inflação, para o PIB, para o desemprego, na Saúde e na segurança  pública, na educação, na corrupção, na qualidade de políticos. Para afundar de vez, só falta o criador voltar ao poder, Bem, refiro-me ao criador Lula.

 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

 

*

E OS PROBLEMAS SE ARRASTAM

 

A reação do governo às declarações do ministro Marcelo Castro (26/1), de que houve conivência com o mosquito da dengue (não só no atual  governo, mas nos últimos 30 anos), mostra que continua válido o dito segundo o qual no Brasil “quem diz as verdades perde as amizades”. Em vez de reconhecer os erros (“chamar os bois pelo nome”, diriam antigamente), arregaçar as mangas e trabalhar direito,  preferimos negar os fatos e problemas e silenciar os “pessimistas”. Depois não sabemos por que os problemas se arrastam...

 

Ricardo Ferreira fredrfo@gmail.com

São Paulo

 

*

GOVERNO DISFUNCIONAL

 

Difícil é saber o que realmente funciona no atual governo federal. A presidente dona Dilma saltita para lá e para cá, diz que está estarrecida com quase tudo e, ainda, proclama ser absolutamente honesta. Mas todos os brasileiros põem dúvidas em seu governo e poucos acreditam nas suas ações, porque não veem nelas resultados consequentes ou sensíveis. Ora é o ministro da Fazenda, ora é o presidente do Banco Central. E agora é o ministro da Saúde, Marcelo Castro, do PMDB, que criticou a situação de avanço da zika no País. Na verdade, temos inflação demais, zika demais, dengue demais e incompetência gerencial demais. E por isso que o País está indo demais para trás.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

VIOLÊNCIA NO BRASIL

 

Estudos revelam que o Brasil tem 21 cidades entre as 50 mais violentas do mundo. Em dois anos, passamos de 16 para 21 cidades nesse triste ranking da violência mundial. A Região Nordeste lidera com folga, tendo as 6 cidades mais violentas do País e 25% das mais violentas do mundo. Fortaleza, capital do Ceará, é a cidade mais violenta do Brasil, com mais de 60 homicídios por 100 mil habitantes. Caracas, capital da Venezuela, é considerada a cidade mais violenta do mundo. Triste e perigosa realidade brasileira, marcada pela injustiça social, desigualdade, má distribuição de renda e pela falta de políticas públicas adequadas de segurança. O resultado é este que estamos vendo, com o Brasil entre os países mais perigosos, violentos e inseguros do mundo.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

ASSUSTADOR

 

A violência urbana em 21 cidades brasileiras apontadas entre as 50 mais violentas do planeta é assustadora. Urge que nossas lideranças encontrem mecanismos que ponham um freio em tal patologia, para que possamos ter paz social, no sentido da construção de uma grande nação civilizada, que merecemos e temos condições de ser.

 

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

ROTINA DO MEDO

 

 É difícil de descrever o que está pior neste país. Na área da segurança, estamos entregues à própria sorte. Todo cidadão honesto e trabalhador virou refém do medo, pois sair ou chegar em casa, parar em semáforos, sacar dinheiro, etc. são tarefas assustadoras, quando desconfiamos até da própria sombra, pois os criminosos estão à espreita e nos pegam de surpresa. Não é verdade? A mídia divulgou mais uma notícia triste: “Pastor reage a assalto e é morto”. A vítima, de 41 anos, era engenheiro civil e estava morando em Campinas há um mês. A esposa e os filhos, de 13 e 17 anos, estavam no carro na hora dos disparos. A família íntegra e religiosa esperava abrir a igreja para louvar ao Senhor. Foi a permissão de Deus ou o desejo de satanás? Reflexão: o fato só expõe a essência de muitos humanos, desprovidos de amor ou afeto, com leis brandas e protecionistas, os marginais não se intimidam e crescem em sua crueldade. Neste caso, a pena de morte seria injustiça, sim ou não?

 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

 

*

MAIS UMA VÍTIMA

 

O filho mais velho do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), Ciro Saboya Ferreira Gomes, de 30 anos, passou por uma cirurgia para retirada da bala após ser alvejado numa tentativa de assalto, na Praia de Iracema, em Fortaleza. Cirinho, como é conhecido o rapaz, disse à polícia que caminhava na travessa Dragão do Mar, por volta das 21 horas de sábado (23/1), em direção ao estacionamento onde havia deixado o carro, quando foi abordado por dois homens numa moto. Durante a abordagem, Cirinho foi atingido na perna por um disparo feito pela arma dos assaltantes. Ele foi levado numa viatura da polícia para o Hospital Monte Klinikum, onde segue internado. Senhor Ciro Gomes, ex-ministro dessa administração petista que está corroendo, destruindo o Brasil, eu tenho certeza de que nenhum dos trabalhadores deste país que sofrem a destruição da segurança pública, da saúde, da educação, etc. se conformam com uma atitude de violência dessa natureza, da qual a administração petista é a maior culpada – e até sobre o senhor recai uma parcela de culpa, por ter participado deste governo ruim para o País. Infelizmente, seu filho inocente está pagando uma quota parte de culpa pelo estado em que o PT deixou o Brasil. Faço votos de que ele se recupere logo para a vida que este partido nos está tirando.

 

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo

 

*

COMO VENCER A VIOLÊNCIA?

 

A questão da violência é de difícil solução. Temos Pôncio Pilatos, que mandou flagelar Jesus sem julgamento. Temos, também, o povo incitado por líderes trevosos que escolhem Barrabás ao invés do Mestre manso e humilde. Existe a violência institucionalizada das polícias e existem pessoas que preferem promover a divulgação dos crimes. A proposta é sofrer a cruz e amar como Jesus amou! São Francisco de Assis preferiu ser desprezado, num dia gelado, num convento franciscano, a reagir aos insultos dos porteiros que não reconheciam o pobrezinho de Assis. É não reagindo contra o mal que Jesus abre portas para o bem. Fazendo o bem e não reagindo ao mal temos o caminho da paz e da tranquilidade.

 

Paulo R. Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

 

*

A BATALHA NÃO ESTÁ GANHA

 

Parece que os maciços investimentos realizados nestas duas últimas décadas pelos governos do Estado de São Paulo, no combate à criminalidade, como de maior e melhor qualificação do efetivo policial, serviço de inteligência, equipamentos modernos, etc., estão dando ótimos resultados. Os números que acabam de ser divulgados pela Secretaria de Segurança Pública são auspiciosos. Em 2015, não somente e pela primeira vez desde 2001, todos  os 11  índices de criminalidade foram reduzidos, como também  no Estado. Os homicídios neste período caíram 12,49%, ou ficaram em 8,75 mortes por 100 mil habitantes, e na Capital a queda foi de 12,38%, com 8,56 mortes por 100 mil habitantes.  É bom lembrar que em 1999 o índice de homicídios no Estado de São Paulo era alarmante, de 35,27 mortes por 100 mil habitantes. E, no Brasil,  infelizmente, a média hoje está em 30 mortes por 100 mil habitantes. Lógico que a batalha contra a criminalidade não está ganha em São Paulo. E o governador Geraldo Alckmin, cônscio da sua responsabilidade, precisa perseguir mais e melhores resultados, já que a violência urbana é o que mais aflige a sociedade brasileira.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

DÚVIDA

 

A segurança pública no Estado de São Paulo deixa muito a desejar. E, por certo, não por culpa dos policiais civis ou militares, cujos efetivos são insuficientes, faltam equipamentos adequados e a remuneração não é condizente com a responsabilidade de uma atividade que é essencial. Daí a dúvida quando se divulga a redução dos índices de criminalidade. O governo do Estado mais rico da Federação deveria mudar seu comportamento  numa área tão importante.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.