Fórum dos Leitores

CONSELHÃO

O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2016 | 02h55

Com isso que está aí não dá

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, também conhecido como Conselhão, reuniu-se na quinta-feira para apresentação de propostas para tirar o Brasil do atoleiro em que se encontra. Com a participação de vários empresários de peso da economia nacional, chama a atenção que nenhum deles tenha abordado o principal problema que trava todo o País. Nenhuma das propostas apresentadas será eficaz neste governo. É fundamental, qualquer que seja o caminho escolhido, que este governo composto de incapazes e suspeitos - inclusive e principalmente a presidente -, preocupados unicamente em defender Dilma Rousseff e seu antecessor, seja substituído. Com Dilma no poder nada nos porá no rumo do desenvolvimento. Precisamos de reformas. E talvez da CPMF. Depois de Dilma cair fora.

CELSO BATTESINI RAMALHO

leticialivros@hotmail.com

São Paulo 

Momices de entrudo

A reunião do Conselhão marcou “o grito do carnaval de 2016” dado por Brasília, em que os lobos (governo) se fantasiaram de cordeiros para reunir o rebanho com o objetivo de conseguir apoio para a aprovação da famigerada CPMF. Cortes reais de gastos, nem pensar!

JOSE MILLEI

millei.jose@gmail.com

São Paulo

Dilma e a CPMF

Dilma insiste na volta da CPMF porque precisa de R$ 40 bilhões/ano, entres salários e outras despesas, para manter os 130 mil militantes colocados nos órgãos federais desde 2003 pelo lulopetismo. Além disso, parte desse dinheiro será usado para a campanha eleitoral do candidato do PT a presidente em 2018. Alguém tem dúvidas?

FABIO DE ARAUJO

fanderaos@gmail.com

São Paulo

FGTS para corruptos?

Juntando o texto da Medida Provisória 703/2015 com o anúncio feito no Conselhão pelo ministro Nelson Barbosa, fica claro que o governo quer direcionar parte do FGTS, que é direito dos trabalhadores, às empreiteiras da Operação Lava Jato. Será que a minoria do PT ainda digna vai se insurgir? Vamos aguardar.

JOSÉ SEBASTIÃO DE PAIVA

jpaiva1@terra.com.br

São Paulo

Poupança dilapidada

O governo Dilma resolveu reunir o Conselhão para tentar “salvar o Brasil”. Mas com essa senhora no comando não há salvação à vista. Quem fez nos aproximarmos do desastre que se avizinha foi o governo lulopetista, com ênfase para o último período. Como candidata ao primeiro governo, foi vendida como gerentona capaz aos brasileiros mal informados. Candidata ao segundo governo, mentiu descaradamente aos prováveis eleitores, prometeu o que não tinha condição de cumprir. Eleita, não cumpriu. Demonizou seus oponentes no primeiro e no segundo turno. Hoje é tida como um desastre na administração por dez entre dez administradores e/ou economistas. Agora quer dividir com os demais o ônus para “salvar o Brasil”, mas continua perdida, como bem descreve o editorial Dilma perdida em Quito (28/1, A3). E seu ministro da Fazenda tem ainda a coragem de defender o uso do FGTS para permitir maior endividamento da população, que já gastou o que não tinha. Com o proposto no Conselhão, a pouca poupança para as necessidades futuras vai ser dilapidada em gastos imediatos. Isso é que é sabedoria! Com ações desse tipo, quase a metade da população brasileira já está inadimplente. O Brasil também está chegando lá. A dívida pública vai passar de R$ 3 trilhões este ano. Para quem não sabe, é o 3 seguido de 12 zeros!

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

O governo Dilma pretende usar o FGTS para expandir o crédito. Quem já caiu nesse engodo e viu seu dinheiro do Fundo de Garantia virar pó nas mãos da quadrilha criminosa da Petrobrás já sabe onde isso vai dar. A ideia de emprestar dinheiro dos trabalhadores a empresas num momento de altíssimo risco de inadimplência tem tudo para ser outra grande bobagem da gestão Dilma, com efeitos catastróficos e irreversíveis para milhões desses mesmos trabalhadores.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

A mosca na sopa

Não se tinha nenhuma boa expectativa quanto a novas medidas do governo, já que os autores são muito conhecidos de todos os brasileiros por terem trazido a economia ao estado atual de desarranjo total. A sensação geral é de que a presidente Dilma e seu ministro Nelson Barbosa fizeram, novamente, uma tentativa de tapeação. Os educados empresários presentes na sessão do Conselhão permaneceram em educado silêncio. Até o porteiro do ministério sabe que o problema brasileiro não é mais crédito, isso seria a volta de uma política errada. Quem vai consumir com essas taxas de juros e de inflação? Qual empresário tomará mais crédito para nada vender, pois não há demanda? Foi uma estúpida tentativa de Dilma de projetar-se perante a Nação como governante combativa. Mas só mostrou que sua política é incompetente e ela, incapaz de tirar o Brasil da crise. Se a presidente tivesse anunciado uma redução significativa de gastos públicos e o abandono da ideia da CPMF, que vai prejudicar ainda mais o consumidor, teria sido ovacionada em pé. Até hoje nada do que Dilma prometeu para melhorar a economia foi posto em prática. E pior, manteve o ministro que, juntamente com Mantega, produziu o desastre atual. Segundo o noticiário, o déficit público de 2015 foi o maior da História, R$ 112,5 bilhões. E provavelmente é sobre isto que os empresários, que perderam tempo na reunião com a presidente na tal comissão, gostariam de ouvir: medidas de melhoria. Mudou a sopa fria, a mosca é a mesma.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Crise

Vimos no Conselhão um ministro da Fazenda acuado tentando demonstrar por meio de mágicas, como Guido fazia, como salvar a economia. Não adianta. O mercado não atura desaforos. O investidor não acredita mais em nada até 2018. No curto prazo só dois fatos simultâneos podem salvar o Brasil: a renúncia de Dilma e a mudança de Lula para a Papuda. Isso oxigenaria o País.

ARY BRAGA PACHECO FILHO

ary.pacheco.filho@gmail.com

Brasília

Utilidade

Terminada a primeira reunião e conhecendo a incompetência e teimosia da Dilma, é fácil prever que o Conselhão vai ser tão útil quanto cinzeiro em moto.

EDGARD MARQUES FILHO

ed.marques@terra.com.br

Barueri 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A FAÇANHA DE LULA

O ex-presidente Lula é realmente o maior e insuperável gênio em negócios imobiliários, pois nunca antes na história deste país alguém tão honesto quanto ele (se é que possa existir) conseguiu comprar um apartamento de R$ 1.800.000,00 por uma cota de R$ 47.695,38, tendo ainda como bônus uma reforma no valor R$ 777.000,00. Aguardemos o depoimento que Lula prestará à Polícia Federal para que possamos entender os misteriosos meandros que propiciaram a realização de tamanha façanha. 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

O ZELADOR

As declarações do zelador Afonso, funcionário do Condomínio Solaris, me fizeram rememorar as afirmações do motorista Eriberto alguns anos atrás. Firme nas respostas sobre tudo o que lhe foi perguntado, não hesitou em momento algum em identificar certas personalidades da vida nacional que transitaram no prédio do Guarujá (SP). O sr. Afonso é honesto, assim como o sr. Eriberto. Seu salário deve ser pouco maior que o mínimo regional. Agora, um dos candidatos a proprietário no condomínio, que diz ter a sua alma mais honesta do que a de qualquer outro ser humano brasileiro, comprou uma cota de R$ 47 mil, mas depois não quis quitar o apartamento reformado e com melhorias. Abandonou tudo, inclusive a cozinha, semelhante à do sítio, e o elevador privativo instalado no tríplex. Parabéns, Eriberto! Parabéns, Afonso!

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 

Rio de Janeiro

DO ELBA AO APARTAMENTO

Um Fiat Elba causou a indignação para motivar o impeachment de Fernando Collor. Infração da Lei de Responsabilidade Fiscal, mentiras e calúnias eleitorais, desmandos e corrupção de subordinados não causarão indignação para outro impeachment, talvez mais necessário? Apartamento, mais sítio, mais etc... não causarão prisão? 

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

TRIPLO X

Atualmente, o ex-presidente Lula parece uma ilha cercada por todos os lados de pessoas investigadas ou condenadas pela Operação Lava Jato e no mensalão. Seus melhores amigos ou companheiros estão presos, como é o caso de José Dirceu e do senador Delcídio do Amaral, abandonados pelo chefe. O ex se comporta como um desesperado tentando escapar de um incêndio. No caso do tríplex no Guarujá, até os empregados e o síndico do prédio dizem ter visto Lula e sua mulher fazendo visitas durante a obra do imóvel. O advogado quer confundir a investigação e fala em "cotas compradas" pelo ex-presidente e declaradas no Imposto de Renda, mas é evidente que as propinas nem sempre são consolidadas em dinheiro vivo, mas, sim, em forma de escambo, como as 113 viagens feitas por José Dirceu no jatinho do corruptor e a realização, pela empreiteira Odebrecht, da maior parte das obras de reforma num sítio de Atibaia (SP) frequentado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus familiares. Agora o PT diz que fará a defesa do ex, aproveitando o aniversário do partido, para evitar que Lula fique apanhando quieto.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro 

VERGONHOSO

O advogado de Lula disse que não tinha a mínima ideia do que dona Marisa Letícia fazia no tríplex do Guarujá. Seria cômico, não fosse vergonhoso...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

O PROPRIETÁRIO

Quem sabe, agora, o feliz "proprietário" do tríplex no Condomínio Solaris vai ver o solaris nascer quadrado.

 

Eduardo Domingues domingueseduardo@uol.com.br 

São Paulo

REFORMEI, MAS NÃO É MEU

No Japão, a simples suspeita de corrupção levou um ministro, que tem vergonha na cara, a renunciar. Aqui é o que estamos vendo. Esta história do tríplex é tão ridícula que nos revolta a ponto de perguntar: até onde vai essa bandalheira? Quem estes pseudoespertinhos pensam que são? Criminosos de quinta categoria que se uniram com a certeza da impunidade. Nossa esperança continua sendo a Operação Lava Jato.

Elisabeth Migliavacca elisabeth448@gmail.com 

São Paulo

BASTA!

Só um idiota não tem certeza de que o tríplex do Guarujá, reformado pela OAS, não é de Lula. Chega de enganar o povo! Nós não merecemos ser passados para trás e exigimos que o Judiciário tome as providências corretas e pratique a pena que cabe a este crime. Caso contrário, começaremos a desacreditar nos Poderes da República.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

ALOPRADA METAMORFOSE

Não faz muito tempo, o ex-presidente Lula da Silva se autorrotulou, parafraseando Raul Seixas, de metamorfose ambulante. E divertia-se, então, com o que concebia ser um grande achado imaginativo. No fundo, ele estava premonizando a sua atual situação.  O outrora homem da agenda recheada com palestras para empresários nacionais e estrangeiros encontra-se, agora, com grande parte do seu tempo preenchido em depoimentos na Polícia Federal e em simular desmemorização, atolado até o pescoço na lama da corrupção instituída desde o seu governo. Por tudo isso, distingue-se que nunca na história deste país um rótulo aderiu tão bem a uma famigerada figura.

Luís Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

LAVA JATO

Quando será deflagrada a fase XXX da Operação Lava Jato? Sugiro o nome "Uma Rose é uma Rose" (uma Rose, uma Rose.)

Paulo Araujo pmbapb@gmail.com 

Rio de Janeiro

ASSUNTO EXCLUSIVO

Como o político petista Jaques Wagner pode pensar que ex-presidente do Brasil - ou em vigor - não pode ser investigado? Claro que pode! O ministro, que apenas "está" ministro, porque nunca se "é" ministro, não sabe que político (mesmo que apenas um indivíduo exercendo função em órgão público ou em governo) exercendo ou tendo exercido atividade política em nome de partido, nos níveis federal, estadual ou municipal, tem exatamente a prioridade de nós, brasileiros, investigarmos suas atividades? Isso porque essas pessoas cuidam - no mínimo, deveriam cuidar - da "coisa pública", e, portanto, não podem prevaricar. Se prevaricou ou é suspeito de, que se vire com advogado e cale a boca. Quando um político se defende ou a seus parceiros de partido, isso já mostra que "coisa podre ou fedorenta está acontecendo ou aconteceu na Dinamarca". Já temos dois "estando" ministros - Jaques Wagner e José Eduardo Cardozo - e a atual presidente defendendo o ex-presidente do mesmo partido. Deveriam ter ficado calados e aguardar os acontecimentos. Assunto exclusivo para advogados e o sistema judiciário. 

Joaquim C. Fernandes jucafernandes@terra.com.br 

São Paulo

ESCLARECEDOR

É bastante curioso o comportamento dos ministros mais importantes do PT - Jaques Wagner, da Casa Civil, e José Eduardo Cardozo, da Justiça - na defesa de Luiz Inácio da Silva. E esclarecedor. Quem duvidava já não duvida mais.

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com 

Florianópolis

ATO...

O Partido dos Trabalhadores (PT) prepara ato em defesa do ex-presidente Lula? Não percam seu tempo. Estamos cansados desta ladainha enfadonha. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

UMA GRANDE LIÇÃO

A Operação Lava Jato se aproxima do ex-presidente Lula. Ele sempre foi homem previdente. Desde seu primeiro governo, cercou-se de ilustres juristas como o dr. Márcio Thomaz Bastos. Após a morte deste, juntaram-se à defesa de Lula mais outros advogados de primeira linha. Tendo ele sido sempre bem orientado juridicamente, a probabilidade será de que provas condenatórias a atos possivelmente impróprios ocorram por desleixo. De qualquer forma, a quaisquer resultados que a operação chegar, ficará consignado que até presidentes podem vir a ser investigados e, eventualmente, se comprovado o desvio de conduta, punidos. Mais uma grande lição deixada por esta investigação já tão reverenciada pela sociedade.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba

VERSÕES

 

A cada manifestação de testemunhas no processo da Operação Lava Jato vê-se  que o correto seria esperar o fim das investigações, que, submetidas ao Poder Judiciário, com amplo direito de defesa dos acusados, definiria quem é culpado ou não. Mas, da forma como o processo vem sendo conduzido, corremos o risco de ver uma disputa no campo político- partidário. Um exemplo pode ser constatado no recente depoimento do delator que mudou sua versão inicial.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

O ESGARÇAMENTO DO CINTO

 

Na política, ao contrário da esperteza, do falar manso e sem compromisso com a realidade, da falsidade, dos conchavos e dos tapinhas nas costas, a moral e a ética não são consideradas componentes essenciais. São acessórios. Como cintos usados para segurar calças. E, assim como os cintos têm furos, a moral e a ética na política têm diversas gradações. Dessa forma, os políticos, ao invés de se enquadrarem às rígidas regras que teoricamente pautam a vida dos demais mortais, adaptam os furos de sua ética particular ao seu jogo de cintura, uns mais justos, outros mais folgados, outros completamente desabotoados. Alguns chegam a deixar os fundilhos de fora, certos que estão de sua impunidade. E o esgarçamento dessas normas vai se alastrando e servindo de exemplo para as camadas mais baixas da popula& ccedil;ão, que, com o tempo, considera tal comportamento normal. "Já que os de cima fazem, por que não podemos?" é o pensamento que vai corroendo as matrizes éticas da população. E essa distorção fatalmente redundará num perigoso círculo vicioso, uma vez que o povo não terá pejo em votar num candidato corrupto, uma vez que roubar "só um pouquinho" virou coisa normal no pensamento cotidiano. Fazer um país sair dessa chicana permissiva é tarefa hercúlea que requer gente honesta e competente no governo, investimento maciço em educação, rigidez na aplicação da Justiça e alguém que dê um choque de realidade na população. O Brasil está nos devendo esses quatro itens.

 

Percy de Mello C. Junior percy@clubedoscompositores.com.br

Santos

 

DOMÍNIO DO FATO

 

Baseado no dito popular que diz  "ladrão não deixa recibo", o grande ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa colocou em prática a teoria do domínio do fato para condenar  protagonistas do mensalão, criando uma jurisprudência ousada, mas extremamente eficaz, pois, ao juntar uma série de evidências e depoimentos, sem o "recibo", conseguiu colocar na cadeia vários integrantes da malfadada quadrilha que se apossou do poder deste governo. Que sirva de inspiração ao corajoso e arguto juiz Sérgio Moro, outra esperança da magistratura brasileira.

 

Orlando Cesar de Oliveira Barretto ocdobarr@usp.br

São Paulo

  

 

O BRASIL E A CORRUPÇÃO

 

Nos anos 50, a podridão se instalou no Palácio do Catete. Quem é da minha época ou leu sobre a história vai se lembrar dos tristes acontecimentos que culminaram no suicídio de Getúlio Vargas. Hoje, a podridão é generalizada e se instalou em todos os níveis da administração federal. Nesta nossa América Latina temos, de um lado, os países onde a ordem democrática se estende por todos os poderes, caso do Chile, Peru,  Colômbia, Uruguai e, felizmente, Argentina. No outro grupo estão os países que compõem os "latrino-americanos", casos de Venezuela, Equador e Bolívia, onde a ditadura impera e os direitos de cada cidadão não existem. Nos países onde todos são iguais os corruptos são punidos. Vejamos o caso de um ex-presidente do Peru que roubou e hoje est á preso, apesar de seu estado de saúde considerado grave. No Brasil estamos no meio-termo: uma parte da Justiça está tentando colocar os corruptos na cadeia, mas os advogados mercenários estão aí querendo tirar vantagem.

 

Hamilton Penalva hpenalva@globo.com

São Paulo

 

CONSELHÃO

Tudo neste país de dimensões continentais é mega. Para sediar a Copa do Mundo de futebol, em vez dos exigidos 8 estádios do gabarito Fifa, construímos 12; descoberta as reservas do pré-sal, começamos logo a fazer mais 4 novas monumentais refinarias. Nessa lista estão, ainda, o lunático trem-bala; a interminável transposição do Rio São Francisco; e outras pérolas dos PACs. Agora, mesmo tendo uma gigantesca e caríssima estrutura com 38 ministérios para administrar o País, a presidente Dilma Rousseff convoca um "conselhão" com quase "100" dos mais diferentes membros de setores da sociedade para decidir os rumos que deve tomar nosso falido e moribundo governo. Deu no que era de esperar: em nada. 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                     

Rio de Janeiro 

REFORMA POLÍTICA

Na reunião da presidente com os megaempresários não foi tema a reforma política, a mais importante das reformas de que o País precisa, pois os problemas econômicos são decorrentes da falta de funcionalidade de nosso sistema de governo. Alguns passos simples podem melhorar muito a gestão pública. O primeiro deles é a separação dos Poderes, como ocorre nos Estados Unidos, país que foi nosso modelo na época da implantação da República: quem se elege para o Legislativo só pode assumir cargos no Executivo se renunciar ao mandato (como ocorreu com Hillary Clinton). A segunda é estabelecer a cláusula de barreira: partidos que não alcançarem 5% (ou 3% inicialmente) dos votos não recebem verbas do Fundo Partidário nem tempo de rádio e TV. E a terceira é estabelecer que coligações para eleição não somam os tempos destinados à propaganda eleitoral: fica valendo o tempo determinado para o partido líder da coligação apenas.

Mario Ernesto Humberg pnbe@pnbe.org.br

São Paulo

REUNIÃO DO CONSELHÃO

Dilma se esqueceu de convidar o Lula?

  

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo

DE ESTARRECER

Na reunião do "Conselhão", Dilma Rousseff pediu "encarecidamente" apoio para a aprovação da volta da famigerada CPMF. Após ficar "estarrecida" com relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a situação do País, o desgoverno Dilma quer estarrecer o povo brasileiro. Nós já estamos estarrecidos com Dilma e o PT. É estarrecedor aguentar a encarecida Dilma pedir ajuda para mais um imposto. Os brasileiros pedem aos congressistas que "encarecidamente" não aprovem a volta da CPMF.

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com 

Avaré

O PACOTE DO GOVERNO

Para se manter no poder, o governo quer agora usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e os bancos públicos para liberar R$ 83 bilhões em crédito no País. Depois de conseguir quebrar a Petrobrás, o desgoverno petista tenta, agora, fazer o mesmo com essas instituições.

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 

Botucatu

AUTO-HERANÇA

Presidente Dilma, com todo respeito que mereceria um chefe de Nação, a senhora pode destinar R$ 83 bilhões quantas vezes a senhora quiser. Enquanto a quadrilha que vem tomando de assalto os cofres públicos desde que seu partido assumiu o poder não tiver devolvido o produto do roubo e condenados pela Justiça estiverem pagando suas penas, e a senhora não levantar-se de sua cadeira, pegar seu chapéu e relembrar as memoráveis palavras de D. Pedro I, trocando tão somente a última palavra - "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que me retiro" -, não acredito que o País possa sair da crise monumental que vocês criaram. Pena que desta vez não podem ou não querem culpar o antecessor.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

MAIS UM GOLPE

 

A presidente Dilma Rousseff (PT) decidiu aumentar em até 25% o Imposto de Renda Pessoa Física (IRRF) referente às viagens ao exterior. Com o efeito cascata, o IRRF pode chegar a 33%. É mais um duro golpe para os brasileiros que viajam para fora do País e contra as agências de turismo, podendo causar a perda de cerca de 500 mil vagas de trabalho na área, em 2016. É impressionante a quantidade de trapalhadas, desacertos e decisões erradas do governo Dilma, sempre dificultando a vida dos cidadãos.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

POBRES APOSENTADOS

 

É de cortar o coração ver idosos aposentados fazerem suas compras (que compras?) no supermercado. O preço do tomate, que havia chegado a R$ 13 o quilo, há duas semanas, hoje baixou para R$ 9,69/kg. As senhorinhas passam ao largo. Outra reclamava do preço da carne, que ela também deixou de comprar, e outra do preço da berinjela e da abobrinha. Um senhorzinho reclamava do preço das frutas. No caixa, uma idosa deixou alguns produtos alimentícios porque o dinheiro que tinha era pouco. O aumento das aposentadorias, dos que recebem acima do mínimo, foi de 11,28%, enquanto a inflação superou esse índice. Isso sem contar a conta da farmácia, tendo em vista que os insumos dos produtos farmacêuticos são importados e o dólar está na casa dos R$ 4,00. Se perguntar não for ofender a criatura, e me render um processo, gostaria de saber se esse crime é a forma mais "moderna" de se livrar dos "inúteis e caros" idosos, condenando-os à morte por inanição.

 

Aparecida Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Paulo

 

NO PAÍS DO FUTEBOL

 

A presidente Dilma Rousseff tem um discernimento administrativo que mostra o quanto ela é capaz de colocá-lo em prática no exercício de seu cargo. Os hospitais do Rio de Janeiro estão esfacelados pela falta de equipamentos, não pagamentos de funcionários por falta de verbas, anomalias que causam desespero à população que não pode ser atendida. E o que a nossa presidente faz? Destina a verba de R$ 80 milhões aos clubes de futebol. Devemos alertar à nossa presidente que dinheiro público tem de ser destinado a fins mais nobres, como a saúde pública. A propaganda individual e de seu partido têm de ser preteridas na situação atual em que se encontra o nosso país.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

PREOCUPADO, MAS NEM TANTO

O governo, preocupado com o avanço da dengue e do zika vírus, vai ampliar a quantidade para 60% do efetivo das Forças Armadas para o combate ao Aedes aegypti, num total de 220 mil militares. Segundo o ministro da Defesa, atuarão diretamente visitando residências para eliminar focos de proliferação de mosquitos entre 15 e 18 de fevereiro. O restante da tropa atuará numa campanha educativa com entrega de panfletos a partir do dia 13 de fevereiro. O Ministério da Defesa também vai disponibilizar homens e mulheres para participar da campanha a ser realizada pelo Ministério da Educação nas escolas. Entretanto, conforme podemos constatar pelas datas apontadas, tal mobilização ocorrerá depois do carnaval, como soer acontecer entre nós. A decisão governamental foi tomada depois que o ministro da Saúde "chutou o pau da barraca" declarando que o Brasil estava perdendo a batalha contra o mosquito. O ministro, que ocupa o cargo fundamentalmente por indicação de seu partido, por tal declaração pôs em risco a sua permanência no governo, em vista da irritada reação da presidente, mas não está longe da verdade. Se os casos de dengue, chikungunya e zika estão aumentando e a Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou explosivo o surto de zika, prevendo que 1.500.000 de casos ocorrerão só no Brasil, o nível de preocupação é grande, especialmente diante do possível elo entre a infecção durante a gravidez e o nascimento de bebês com microcefalia. Essa é uma condição neurológica rara em que a cabeça e o cérebro do bebê são bem menores que o normal, e não tem cura. Pois bem, diante de um quadro tão grave, é um absurdo o governo programar a inclusão das Forças Armadas só depois do carnaval, principalmente porque a proliferação do mosquito acima do aceitável no Brasil não é recente, muito pelo contrário.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

MICROCEFALIA

No Brasil, na contramão do mundo, gravidez não é sonho, tem se tornado um pesadelo enorme.

 

Maria do C. Zaffalon Leme Cardoso zaffalon@uol.com.br 

Bauru

AEDES 'EGÍPCIO'

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, em anúncio feito na quinta-feira, disse que profissionais de empresas de energia vão ajudar na localização de focos do Aedes "egípcio". Com a brilhante identificação da nacionalidade deste temível mosquito, sugiro que o Brasil passe a não mais fornecer vistos de entradas no País a egípcios, para acabar de vez com esta praga entre nós.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 

Rio de Janeiro

ESPERANÇA

 

Antes que este governo destrua de vez o País, a esperança é de que os congressistas responsáveis pelo nosso futuro e compromissados com os seus eleitores, que querem o bem do Brasil, votem pelo impeachment da presidente Dilma. É importante para interromper a estratégia do PT de se perpetuar no poder.

 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

O POVÃO NÃO ACREDITA MAIS

 

Se o Planalto acha que o povo perdeu o entusiasmo pelo impeachment de Dilma, mas está muito enganado ou delirando. Uma pesquisa inédita do Ibope, divulgada recentemente pelo articulista do "Estadão" José Roberto de Toledo, indica que 82% dos brasileiros acham que o Brasil está sem rumo ou na contramão do desenvolvimento. E, se no Sudeste esse número sobe para 87%, no Nordeste, onde sempre o PT de Lula teve predomínio absoluto nas urnas, a decepção é grande também, com 77% achando que o País segue sem rumo algum. Na realidade, o povão acordou, não é idiota, como pensa o Planalto. Por exemplo, em 2014, 42% acreditavam que o Brasil caminhava certo. Hoje, apenas 14%. Mais revelador ainda é que 46% dos entrevistados acham que a situação vai piorar. Misericórdia, Dilma Rousseff, que protagonizou um desastre econômico sem precedentes na nossa história, mesmo assim, teima em não renunciar ao seu mandato!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

O GOVERNO DEVIDO

 

O povão que votou no PT não pode reclamar de nada, pois o  que está ruim agora com este partidinho de meia pataca no comando desta imensa nação, tudo nos leva a crer que, num futuro bem próximo, a tendência é piorar ainda mais. Povo que não tem cultura e não sabe votar não pode reclamar, pois cada povo tem o governo que merece.

 

Urias Borrasca urias@mercosulrefratarios.com.br

Sertãozinho

 

QUERO ESTAR ERRADO

 

Eu quero estar errado, eu preciso estar errado! Pelos meus descendentes! Mas o PT tem um sonho ("I have a dream!"): tornar o Brasil uma grande nação socialista (comunista, melhor dizendo). Eles tiveram a primeira conquista, que foi alcançar o poder por meio de falsas promessas e de muitas mentiras: a "Carta ao Povo Brasileiro" foi a primeira delas. Queriam apenas conquistar a confiança da classe média. Depois, começaram o desmonte, com o aparelhamento do governo, com o abandono da política econômica herdada de FHC, com a submissão do Congresso pelo "mensalão", com a tentativa de aparelhamento do STF e com o petrolão como fonte de financiamento de suas ações. O caos da economia em que nos encontramos faz parte de sua estratégia, o desemprego mais os ajuda do que atrapalha, pois pode gerar revolta do povo e, então, eles, como defensores do povo, atribuirão à oposição e às "zelites" a razão que os impede de realizar um governo pelo povo e para o povo. Por enquanto, só a Procuradoria-Geral da República (PGR), a Polícia Federal e o juiz Sérgio Moro estão bloqueando o caminho. É a última batalha a ser vencida para realizar o velho sonho. Eu preciso estar errado, eu quero estar errado!

 

Luiz Carlos F. Souza luiz.cfsouza@icloud.com

Campinas

 

ASSIM É NOSSA DEMOCRACIA

 

Hoje com 75 anos, lembro-me bem de como era a democracia antes de 1964. Em 1954, o presidente Getúlio, pressionado, se matou. Em 1955, as rádios tocavam "há saúva na lavoura, há saúva no quintal, mas onde tem mais saúva é no Distrito Federal". Em 1956 veio o "presidente Bossa Nova", que amava Paris, Versailles, aprendia a tocar violão e construiu Brasília, a "nova Cap", com o dinheiro dos trabalhadores, destinado ao pagamento das futuras aposentadorias. Aumentou muito nossa dívida e trouxe a inflação, que até hoje nos apavora. Em 1960, outra marchinha surgiu: "Quem roubar um trem, suicidar alguém, tem cem anos de perdão e um contratinho na televisão". Era só chacota. Em 1961 ganhou Jânio, o da vassoura que, alegando "forças ocultas", renunci ou em menos de um ano. Jango, seu vice, para alguns um comunista, para outros um "playboy", completou um mandato conturbado demais com parlamentarismo, plebiscito, presidencialismo. Uma bagunça. A Igreja se opôs a ele. Ninguém se entendia. Insatisfeitos, os militares tomaram o poder em 1964, nele permanecendo por 21 anos. Esse foi um período tenebroso para os compositores, cantores, artistas em geral, para a imprensa sob censura draconiana e, principalmente, para os políticos. Para nós, cidadãos comuns e trabalhadores regidos pela CLT, nada mudou. Nossas conquistas foram preservadas. Continuamos empregados, recebendo nossos salários, reajustes e os aposentados, seus benefícios. O "pé na cova" e o pecúlio foram mantidos. A ditadura não nos ajudou nem atrapalhou e, já que não sabíamos votar (ainda não sabemos), os militares criaram os biô nicos eleitos pelo Colégio Eleitoral, bem melhores que os corruptos hoje no poder. Em 1985, depois de levarem parte do povo, massa de manobra, em manifestações públicas, os políticos, com nosso voto obrigatório, conseguiram o que tanto queriam. Tiraram os militares do poder. Hoje vemos do que foram capazes. A bandalheira, a corrupção e o parasitismo voltaram ainda piores. Nós temos obrigações e eles, só direitos. Nunca pagamos tanto imposto sem termos retorno algum, nossa dívida é de quase R$ 3 trilhões e o governo ainda quer que paguemos mais. Ensino, saúde, segurança, transporte público... Tudo é nota zero. Situação e oposição, qual a diferença? São todos farinha do mesmo saco, caras de pau mesmo! Meu pai tinha razão!

Nilson Martins Altran nilson.altran@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

INVEJA BOA DOS 'HERMANOS'

 

Ultimamente ando com uma inveja no bom sentido dos argentinos. Eles têm um homem maravilhoso que se tornou papa e nós temos Lula e PT. Eles também têm, agora, um homem como presidente muito disposto a reerguer o país depois de muitos anos governado por um casal populista. E, além disso, um presidente que, quando viaja, o faz de classe econômica, para trabalhar com os seus colaboradores que também viajam na mesma classe. Nossa... isso é um sonho aqui, no Brasil! Oh, inveja!

 

Angela M. de Souza Bicchi angela_bichi@hotmail.com

Santo André

 

CORRUPÇÃO NAS MERENDAS

 

Promotor público, ex-chefe da Casa Civil de Geraldo Alckmin, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo e aspirante ao governo paulista é acusado de receber propinas em fraude da merenda e no transporte escolares. Até tu, Fernando Capez, é capaz? Que vergonha!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

O CERCO SE FECHA

 

O cerco vai se fechando, e, agora denunciados, dizem que 10% do dinheiro das fraudes da merenda ira para o deputado e (pasmem) procurador do Estado Fernando Capez. Mas não temos de acreditar em alguma investigação séria e punição, pois uma coisa que o Ministério Público (MP) de São Paulo fez nos últimos tempos foi jogar para debaixo do tapete atitudes que deveriam ser tomadas, vide metrô e trens, e Capez é membro do MP de São Paulo.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

 

SOB INVESTIGAÇÃO

 

Pelo amor de Deus, até você, Capez, aprontou? É o fim de tudo. Que vergonha.

 

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

 

POUCA VERGONHA NACIONAL

 

Apesar do julgamento do mensalão e da Operação Lava Jato, aliadas a outras operações ainda em andamento, como Zelotes e HSBC, ainda assim nossa classe política não se inibe e continua produtiva no que tange a novos escândalos de corrupção, desvios de verbas, propinas e licitações fraudulentas. Em São Paulo, a Operação Alba Branca, conduzida pelo MP, descobriu uma máfia da merenda escolar envolvendo políticos do PSDB, PMDB e do Solidariedade (SD) com suspeitas da presença de servidores públicos da Secretaria da Educação e da Agricultura do governo do PSDB. A investigação também está apurando a participação de outros munícipios no golpe. Ou seja, a corrupção é muito mais ampla do que se imagina e envolve muitas pessoas comuns, políticos, servidores  e partidos políticos  num emaranhado de sujeiras sem fim. Só o fim da impunidade e mais severidade na aplicação das penas podem reduzir essa pouca vergonha nacional.

 

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.