Fórum dos Leitores

O ‘MAIS HONESTO’

O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2016 | 02h55

Desculpa esfarrapada

Nilo Batista, responsável pela defesa de Lula, vai insistir na lengalenga de que “coxinhas” não admitem que o operário possa comprar um tríplex? Não tem argumento melhor para defender o seu cliente senão esse, tão bobinho e batido? Que tal fatos concretos sobre a sua inocência? Com todo o respeito, sr. Batista, tá difícil, né?

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Deboche

Para defender Lula o ilustre criminalista Nilo Batista afirmou que o tríplex do Guarujá é “coisa modesta, tipo Minha Casa, Minha Vida”. Sobre tratar-se de escárnio, violenta patada na cara dos brasileiros pagadores de impostos, que a “alma viva mais honesta” considera um bando de idiotas, ele acaba por fragilizar o “manifesto dos advogados”, abalando a credibilidade daquele pronunciamento.

ULISSES NUTTI MOREIRA, advogado

ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

Sítio com quatro suítes é um mero “puxadinho” e tríplex de frente para o mar é “Minha Casa, Minha Vida”, modesto – nas palavras de Nilo Batista. Tão modesto que só em reformas se gastaram ali R$ 800 mil. Definitivamente, Lula e seu advogado resolveram debochar da Justiça, dos pobres e dos milhares de prejudicados pela Bancoop. Essa gente não tem limites! Em tempo: o PT alega que as acusações contra Lula são fruto de “preconceito”. Só se for preconceito contra milionários!

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Programa de governo

Ora, Lula, com seu tríplex, só estava participando do programa do governo “Minha Mansão, Minha Vida”...

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Contra fatos...

“Documentos revelam que Lula e família viajaram 111 vezes para o sítio em Atibaia entre 2012 e 11/1/2016 e seus seguranças receberam quase mil diárias do Planalto para ficar 283 dias em imóvel que ex-presidente afirma ser de amigos, a um custo de R$ 189 mil”, segundo o Blog do Noblat. Seguranças pagos com nosso dinheiro! Nesse sítio é que foi atribuído à Odebrecht um gasto de R$ 500 mil só em materiais de construção. Paralelamente, é muito estranho que a Construtora OAS tenha aplicado R$ 777 mil na reforma do apartamento tríplex do Edifício Solaris, no Guarujá, e ainda mais R$ 380 mil para mobiliá-lo (Estadão, 30/1), somente para que a família do ex-presidente fizesse algumas visitinhas. Nada de mais. Montanha e mar. Isso é que é viver!

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

... não há argumentos

Lembro do Lula dizer, no final de seu mandato, que iria assar coelhinhos no seu sítio. Engraçado, em 2010 o sítio era dele?

JÚLIO CRUZ LIMA NETO

São Paulo

Esforços inúteis

“Ninguém elogie a si mesmo; se houver elogios, que venham dos outros” (Provérbios, 27:2). A declaração do sr. Luiz Inácio sobre sua honestidade em grau máximo foi mais uma bravata que carece de fundamento. “Contra fatos não há argumentos” derruba uma vez mais seus arroubos de narcisismo quando vêm à tona fatos que desabonam sua afoita manifestação. E de nada vale saírem os amigos em sua defesa, tentando debalde isentá-lo de responsabilidade por atos e ações altamente discutíveis, uma vez que a imensa maioria da população brasileira não é cega, nem surda, nem ignorante e muito menos otária para não compreender a autenticidade comprovada desses fatos.

CLÊNIO FALCÃO LINS CALDAS

clenio.caldas@gmail.com

São Paulo

No mato sem cachorro

Cabe na cabeça de alguém, mesmo que seja muito ingênuo, que uma construtora como a OAS iria gastar quase R$ 1 milhão para reformar e equipar um tríplex sem que isso fosse a reciprocidade por vantagens obtidas do dono do apartamento em contratos com o governo? Da mesma forma, alguém, mesmo que muito tolo, acharia possível a Odebrecht colocar recursos financeiros e humanos na reforma de um sítio, sem que o dono dele fosse uma pessoa muito especial e que a tenha favorecido anteriormente muito mais do que isso? Lula sabe disso e está no mato sem cachorro, pois, desta vez, não tem ninguém em quem possa pôr a culpa e dizer que não sabia de nada, eis que provas testemunhais e documentais comprovam o seu envolvimento pessoal no recebimento dessas cortesias milionárias. Por enquanto e malandramente, para não ser apanhado formalmente na mentira negando o inegável, usa a voz do Instituto Lula para negar o favorecimento obtido das construtoras. Mas na Justiça, quando tiver de depor, isso não será possível.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Corrupção

Nos últimos 13 anos o brasileiro trabalhou para os petistas, os empreiteiros e para Lula e família!

LOURDES MIGLIAVACCA

lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

Pesquisa Ipsos

O dado que mais chama a atenção e causa espécie na recente pesquisa do acreditado Instituto Ipsos não é que 75% dos brasileiros entrevistados considerem Lula um político desonesto, mas que, apesar de tudo, ainda 25% (!) o considerem honesto.

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

OPERAÇÃO LAVA JATO

De caráter

O sr. Roberto Podval, advogado de José Dirceu, declarou que seu cliente não fará delação premiada porque “tem caráter”. Ora, se Dirceu tivesse caráter não estaria preso. Mas se ele deseja mesmo demonstrar caráter, deve contar tudo o que sabe e se arrepender de ter conduzido o País ao atoleiro em que se encontra por conta de um projeto criminoso de perpetuação de poder.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

‘Consultoria’

“Eu emprestava prestígio”, disse Dirceu sobre sua “consultoria”. Só que Dirceu, assim como Fábio Luís e Luís Claudio, filhos do Lula, pelo que sabemos, só começaram a prestar “consultoria” após o Lula tornar-se presidente. A tal “consultoria” não seria tráfico de influência?

OSWALDO B. PEREIRA FILHO

oswaldocps@terra.com.br

Campinas

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

‘IRRISÓRIO’

 

O sr. José Dirceu, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, reafirmou que a quantia de R$ 120 mil por mês, recebida para prestar consultoria a empresas investigadas na Operação Lava Jato, era, “sem falsa modéstia, irrisório”. Afinal, emprestava seu nome e seu prestígio a cerca de 60 delas, que o contratavam para obterem uma avaliação dos panoramas político e econômico do Brasil e da América Latina. Aliás, seria interessante que essas firmas divulgassem os conteúdos dos relatórios por Dirceu emitidos e esclarecessem como e onde os aplicaram. Por outro lado, o uso do termo “irrisório”, para qualificar o conjunto dos estipêndios generosamente pagos ao “pobre” assessor, partindo de alguém que tentou implantar, para os outros, é claro, o comunismo por aqui e fez até estágio na Cuba de Fidel, seu ídolo, constitui a mais eloquente marca de desrespeito para com o povo brasileiro, aquele do salário mínimo de R$ 800,00.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

O DESLUMBRADO DIRCEU

 

Quem diz no Brasil que receber R$ 120 mil por mês é “irrisório”, seja em que atividade for, não tem noção do país onde vive. É o caso do deslumbrado ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. O poder realmente não faz bem a todos, realidade que se estende à triste figura do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, cada dia mais delirante, psicodélico, indecifrável.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

TRÁFICO DE INFLUÊNCIA

 

O que realmente Zé Dirceu exercia nas empreiteiras era tráfico de influência, prática ilegal em razão de sua posição privilegiada dentro do governo. Ele também considerou receber  R$ 120 mil ao mês da Engevix um preço irrisório pelos serviços prestados. Vale lembrar que o dono da Engevix foi condenado a 19 anos de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, por Sérgio Moro. 

 

Luiz Bianchi luizbianchi@uol.com.br 

São Paulo

 

*

TRIPUDIANDO

 

Dirceu disse ao juiz Sérgio Moro que R$ 120 mil mensais recebidos da Engevix são irrisórios. Os juízes federais recebem, mensalmente, R$ 23 mil líquidos, já incluídos os auxílios alimentação e moradia, únicos acréscimos ao subsídio de R$ 18 mil líquidos. Ele tripudiou.

 

Haroldo Nader nader.haroldo@gmail.com

Valinhos

 

*

PORNOGRÁFICO

 

Criminoso reincidente, presidiário veterano, ex-terrorista com educação precária e notório mentiroso, brinda os brasileiros honestos com a declaração de que “R$ 120 mil por mês é uma soma irrisória”. Merecemos isso?

 

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com

São Paulo

 

*

ACABOU A FARRA?

 

Ganhei R$ 40 milhões, mas tinha muitas despesas (sic). Agora entendo o porquê da vaquinha feita para pagar a multa de José Dirceu quando condenado pelo STF. “Guerreiro” gastador, né não? Deve ter gasto muito em óleo de peroba.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

REPUGNANTE

 

Definitivamente, a arrogância, a falta de limites e a forma com que os “petralhas” tratam os brasileiros chegam a causar asco e repugnância. O sr. Zé Dirceu teve o desplante de afirmar perante o juiz Sérgio Moro que uma remuneração mensal de R$ 120 mil é “irrisória”. Só se for comparada com as palestras do “cappo” Lula, o apedeuta que chega a “ganhar” R$ 30 mil por cada minuto das suas “palestras”. Então, num cotejo entre os ganhos, realmente R$ 120 mil por mês é irrisório. Acorda Brasil!

 

Carlos B. Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

 

*

O PRESTÍGIO DE JOSÉ DIRCEU

 

Ao ler a matéria da página A6 de 2/1/2016, sobre o interrogatório do ex-ministro, ex-deputado, ex-muitas coisas mais, fiquei até compadecida da frágil figura ali exposta. Alguém considerado e exaltado como político hábil, articulador, responsável pelo PT chegar ao poder, onde deveria dominar por, ao menos, 20 anos, “guerreiro do povo brasileiro”, teria sido vítima útil de pessoas inescrupulosas que usaram de seu “prestígio” para enriquecer. Só os outros enriqueceram! Os milhões que recebeu por consultorias foram gastos em custeio! Curioso: o “prestígio” era dele e quem ficou rico foi quem usou dele. Tanto que pediu empréstimos de míseros R$ 120 mil – um pixuleco –, mas, em que pese sua concorrida consultoria, não tinha como pagar. Ofereciam viagens em jatos privados, e ele aceitava. Qual o problema? Só uma ou duas por mês, por alguns anos. Quanta maldade da oposição, do Ministério Público Federal (MPF), do juiz federal Sérgio Moro. Tal como o ex-presidente da República, parece não saber de nada, a não ser que cargos de estatais iam para o PSDB. Acho que queria permitir que a oposição amealhasse recursos para poder fazer oposição! Que fofo!

 

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo

 

*

BENEVOLÊNCIA

 

Discordo do editorial do “Estadão” “A farsa desmontada” (2/1, A3), que atribui a Lula e a José Dirceu a qualidade de homens “comuns” e “ordinários”. Por definição, pessoas comuns ou ordinárias não são mentirosas, desonestas, tampouco criminosas. O editorial foi benevolente nas suas adjetivações.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

GRANDES MENTIRAS

 

José Dirceu, o presidiário e grande cara de pau (peroba) mentiroso, tenta se igualar ao chefe. Diz ter indicado Renato Duque para a Petrobrás a pedido do PSDB, recebe por consultorias 12 parcelas de R$ 65 mil, não há nenhum documento disso e diz que deu “orientações”. Documento não há, pois o fundo do negócio se chama Petrobrás. É outro que se acha injustiçado, mas está milionário. Vai se dar mal quando surgirem “orientações” suas para empresas de energia elétrica.

 

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

 

*

ESCÁRNIO

 

Declara o sr. José Dirceu ao juiz Moro que “atuava” para abrir mercados  a  empreiteiras, emprestando seu nome e seu prestígio, e que “sem falta modéstia, R$ 120 mil mensais (pagos pela Engevix) é preço irrisório”. Palavras que nos deixam mais estarrecidos que as da presidente Dilma! Nunca o discurso da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi tão apropriado: “O escárnio venceu o cinismo”. E, no que diz respeito ao julgamento de tão maléficas figuras agarradas à corrupção, erra, a meu ver, o dr. Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, quando afirma (em entrevista ao “Estado”) que a sociedade brasileira vem mostrando “desprezo pelas garantias impostas pela lei” e “tem uma visão puramente vingativa”. Não, nosso povo não tem sentimentos vingativos; pelo contrário, tudo tem suportado de bom ânimo, quieto, calado. O que o move neste grave momento é verdadeiro senso de justiça. Justiça que tardou demais com a corrupção e que agora vem tentando atuar com rigor. Oxalá o final do discurso de Cármen Lúcia se concretize brevemente em nosso sofrido país: “O crime não vencerá a Justiça. Não passarão sobre a Constituição brasileira”.

 

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos

 

*

UM BASTA NA IMPUNIDADE

 

É lamentável que o dr. Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, em sua entrevista concedida ao “Estadão” de segunda-feira (página C2), afirme que a sociedade brasileira esteja vivendo uma cultura punitiva e vingativa, e que a justiça tem de ser lenta. Primeiramente, lentidão significa ineficiência, e onde há ineficiência não há justiça. Por outro lado, não se instalou uma cultura punitiva e vingativa, mas, sim, corajosa, como a atuação do juiz Sérgio Moro, que conseguiu, com seriedade, agilidade e, sobretudo, muita valentia, vencer um comodismo existente em nosso sistema, cujo lema sempre foi “quem pode mais chora menos”. Hoje vivemos uma fase de esperança com a atuação de profissionais jovens e muito capazes que resolveram colocar um “basta” na impunidade, doa a quem doer.

 

Maria Cristina Pacheco e Silva cpacheco@lawyer.com

São Paulo

 

*

AUTORITARISMO DA JUSTIÇA

 

O princípio jurídico da livre e ampla defesa é impostergável, da mesma forma que o devido processo legal deve ser obedecido de forma total e absoluta. Entretanto, muitas e muitas vezes a Justiça não tem meios de apurar a verdade dos fatos, porque incorre a confissão e as provas documentais são insuficientes ao livre convencimento do julgador. Então, a delação premiada surge como prova importante e substitutiva, cuja realização e aceitação não eliminam outros meios de prova por parte da defesa. Desde que o ônus da prova incumbe a quem acusa, por sua vez, quem se defende pode também fazer uso de todos os meios de prova para comprovar a sua inocência ou a justeza de seu direito. Assim, o tripé da Justiça (Ministério Público, advogados e magistrados) precisa caminhar para a realização da Justiça, mas cada um cumprindo a sua missão e sua parte nos processos.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

CRIME DE LESA-PÁTRIA

 

O governo brasileiro, assim como a maioria dos governos, é detentor de informações secretas que são do conhecimento somente dos seus mais altos governantes, na linha de um presidente da República ou de um ministro de Estado. O ex-presidente Lula e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, ao deixarem o governo, foram procurados por empresários para a prestação de “palestras, consultorias e até mesmo empréstimo de nome e de prestígio”, remunerados a peso de ouro, com a participação de ditadores especialistas em negócios fraudulentos. Agrava-se pelo fato de que grande parte desses negócios recebeu financiamento do BNDES, que é um banco criado para o desenvolvimento social do Brasil, e não de alguns empresários brasileiros. Entendo que os atos praticados por essa dupla representam “crime de lesa-pátria”, devendo, portanto, ser responsabilizados.

 

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

 

*

É CAPIM QUE NÃO ACABA

 

O advogado de lula, Nilo Batista, contratado parece a peso de ouro para defendê-lo, disse que o tríplex de Lula é “o Minha Casa Minha Vida” e a obra de seu sítio, um “puxadinho”. Ora, o advogado pode dar o nome que quiser aos empreendimentos, só não pode se esquecer de que esses imóveis estão sob investigação justamente porque se configura ocultação de patrimônio, ao que tudo indica. Lula pode ter amigos onde quiser, mas com seu salário, patrimônio ganho, prestígio e R$ 27 milhões em palestras, poderia ter comprado não só a cobertura do Solaris, mas o prédio todo, e não precisaria se esconder. O que não fica bem é usar a amizade dos amigos para se esconder. Ninguém quer derreter Lula, como prega o PT, tentando maquiar o assunto, ele vai derreter sozinho por causa dos conluios que fez com todos os seus “amigos”. Comentando a reportagem da “Folha de S.Paulo”, Batista disse que não cobrará honorários para essa causa. Certamente, vai tirar a diferença nas próximas, pois terá de explicar por que mais de 3.500 associados não conseguiram o “Minha Casa Minha Vida”, como Lula, que, segundo diz, pagou R$ 47 mil e ainda ganhou a reforma. Como dizia meu sábio avô, “enquanto tiver capim, os burros não acabam”.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

MAIS DO QUE UM ELBA

 

Segundo relatórios produzidos pelo Palácio do Planalto, seguranças do ex-presidente Lula se deslocaram 111 vezes para um sítio em Atibaia (SP), totalizando uma estada de 283 dias entre 2012 e o dia 11 de janeiro deste ano. De posse desse fato, a Operação Lava Jato investiga uma suposta ocultação de patrimônio desta propriedade de 170 mil metros quadrados (!), que deixaria os jardins da Casa da Dinda parecendo um mero canteiro. Como se tais evidências não fossem suficientemente graves, o mesmo sítio teria sido reformado com dinheiro da OAS, megaempreiteira envolvida nos crimes da Petrobrás. E assim vamos, com Lula negando a posse da fazendola e do tríplex no Guarujá... Ele poderia vir a público para responder a três simples questões: 1) em troca de que um empreiteiro reformaria, de bom grado, ambas as propriedades? 2) Por que sua mulher, Marisa Letícia, guardaria um barco recém-adquirido em sítio que não lhes pertence? 3) Será que apenas Lula tem amigos tão generosos, que socializam luxúrias do gênero? Do jeito que as coisas andam, não tarda o ex-presidente Fernando Collor dizer que a Casa da Dinda também pertence a um “amigo”...

 

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

 

*

REFORMA

 

Eu gostaria de convidar Lula e dona Marisa para passarem uns fins de semana no meu sítio, que até tem um lago. Quem sabe a OAS ou a Odebrecht não vão lá e fazem uma bela reforma? Sem custo, é claro! Até que está precisando.

 

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

 

*

‘A FARSA DESMONTADA’

 

Parabéns ao jornal pelo editorial “A farsa desmontada”, de 2 de fevereiro, que exprime com tanta clareza a farsa do tríplex do Guarujá, sem falar do sítio de Atibaia, intensamente frequentado pelo “cidadão comum” Lula, que também diz não ser dele o proprietário. O “cidadão comum” Lula me faz lembrar, com suas negativas, o ex-presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad, que vociferava negando a existência do Holocausto, crimes tão claros quanto o céu que nos cobre.

 

Jorge Peixoto Frisene jpfrisene@zipmail.com.br

São Paulo

 

*

LULA E A BURGUESIA

 

O editorial de 2/2/2016 resume e explica a relação do sr. Lula com a classe média. Lula, em seus discursos, sempre desprezou a burguesia. O “nós e eles” foi cantado em prosa e verso pelo ex-presidente e pelo PT. Porém, como ele explica sua relação de amizade (no caso do apartamento no Guarujá) com o sr. Léo Pinheiro, representante da burguesia e atualmente preso?

 

Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@hotmail.com

São Paulo

 

*

ESPUMA DA HISTÓRIA

 

“Lula navega na espuma da História. Nunca entrou em águas profundas. A mente do ex-presidente está dentro do modelo econômico” (Leonel Brizola). Uma grande verdade!

 

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

 

*

AMONTOADO DE MENTIRAS

 

Qualquer um percebe o amontoado de mentiras em que a família Lula da Silva cada vez mais se vê enredada. O tríplex no Guarujá, evidentemente, foi adquirido em nome da ex-primeira-dama e não houve opção pelo desfazimento do negócio quando o empreendimento fracassou. Se este tivesse sido o caso, bastaria mostrar o distrato. Com a visita de Lula e da esposa ao local quando a obra já estava praticamente pronta, nem é preciso falar mais nada. Só de “reforma”, foram mais de R$ 700 mil pagos pela OAS. Em relação ao sítio, fica mais do que evidente que também era de Lula ou de seu filho. A construção de melhorias, apesar do esforço da Odebrecht para dissimular o fato – com lances até patéticos de notas fiscais emitidas para várias empresas, de um engenheiro que trabalhou de graça, mas não sabe para quem, e de um homem da mala preta pagador em dinheiro de todas essas notas –, implicou mais de R$ 500 mil. A compra do barco entregue no local encerra a farsa. No caso de Luiz Cláudio Lula da Silva, o caso é mais grave ainda, pois teve a coragem de receber em dinheiro por um trabalho que não pode comprovar e do qual nem mesmo guardou cópia digital. É muita caradura, isso, sim. Cercado de lobistas e filho de quem é, o que se pode pensar, que diz a verdade? O caso da Gamecorp, com o outro filho, parece que ficou barato. E Lula nunca sabe de nada, nem dos negócios dos filhos. Consideram-nos uns trouxas sem cérebro para pensar e sem olhos para ver.

 

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

 

*

OS NEGÓCIOS DOS LULA DA SILVA

 

Destes imbróglios todos envolvendo os Lula da Silva, fico com algumas dúvidas: 1) se dona Marisa comprou com renda do marido Lula, pois ela não tinha emprego, o apartamento 141, de aproximadamente 85 metros quadrados, do Edifício Solaris, da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), mesmo sem ela ou o marido terem sido bancários, e, como são casados em comunhão de bens, podemos dizer que Lula comprou o tal apartamento. Certo? 2) Posteriormente, a OAS, com a quebra da cooperativa nas mãos do petista João Vaccari Neto (ou seria “tetista”, pelo tanto que estes mamam nos cofres públicos?), assumiu o condomínio no Guarujá e diz a Lula (suponho): “Não, não precisa comprar o apartamento 141, pois vamos lhe doar o tríplex 164-A, reformado ao seu gosto, e ainda devolver o valor pago pelo 141, corrigido até agora. Tudo em agradecimento pelos bons serviços que nos foram prestados”. Um grande negócio para os dois lados, não? Afinal, a grana saiu mesmo foi dos cofres da Petrobrás! O sítio em Atibaia é outro negócio complicado. A família diz que não lhe pertence, então por que dona Letícia comprou um barco e mandou colocar no lago daquele sítio, se o imóvel não pertence a ela ou a sua família? Por que as reformas foram feitas pela Odebrecht, e também sob supervisão da família? Êta povo complicado!

 

Adriles Ulhoa Filho adriles@uai.com.br

Belo Horizonte

 

*

CORAÇÃO TRÍPLEX

 

Em rede nacional de rádio e televisão, Rui Falcão, presidente nacional do PT, afirmou que o companheiro Lula continua morando no coração do povo brasileiro. Coração tríplex, compatível com o padrão de vida da “alma mais honesta do País”.  Embora remunerado para isso, a inglória tarefa de Falcão para defender o capo está ficando mais difícil do que defender o gol do Guaratinguetá.

 

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

Guaratinguetá

 

*

LOCAÇÃO PREFERENCIAL

 

É... Lula mora no coração de todos, mas prefere o tríplex do Guarujá...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

LULA E SEUS IMÓVEIS

 

Antes, era o apartamento no ABC do “cumpadre” Roberto Teixeira; depois, o sítio em Atibaia que pertence a “amigos”; e, agora, o tríplex no Guarujá. Lula não tem nenhum imóvel que possa chamar de seu?

 

José Wilson Gambier Costa jwilsonlencois@hotmail.com

Lençóis Paulista

 

*

PSICOSE ENDÓGENA

 

Dois casos de propriedades que têm todos os indícios de que o dono é Lula, ele e sua família usam ou usaram os imóveis, mas desconhecem o dono. Uma construtora e um engenheiro fizeram a reforma pensando que as propriedades, um sítio e um apartamento tríplex, fossem do ex-presidente e de sua família, mas depois descobriram que não eram. Parece mais um caso de psicose endógena que precisa da ajuda de um psiquiatra ou um esperto detetive.

 

Leila E. Leitão

São Paulo

 

*

PEREGRINAÇÕES

 

O Estado de São Paulo ganha dois locais de peregrinações: o Caminho de Santo Inácio de Atibaia e o Caminho de Santo Inácio do Guarujá.

 

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net

São Paulo

 

*

‘ALMA VIVA MAIS HONESTA’

 

Os populistas, esquerdistas, assistencialistas e demagogos são responsáveis não pelo bem que fazem a quem se beneficia dos programas custeados com o dinheiro de toda a sociedade, mas, sim, pelo mal a todos aqueles que ficam aguardando iludidos um benefício que nunca chega, em vez de empreender, estudar e se empenhar para progredir num mundo competitivo.

 

Airton Reis Júnior areisjr@uol.com.br

São Paulo

 

*

O CONDOMÍNIO SOLARIS

 

O PT se prepara para fazer um ato em defesa do ex-presidente Lula (cidadão comum). Defesa de quê, senhores? Alguém aí, em sã consciência, duvida do envolvimento de Lula e família no Condomínio Solaris, no Guarujá? São tantas as evidências e tantas as testemunhas de sua presença e de familiares no prédio que as negativas parecem desespero ou tentativas de defesa de advogados que não têm o que defender. É totalmente estranho que diversos cidadãos do primeiro escalão do PT tenham os seus nomes atrelados ao condomínio Solaris, e mais estranho ainda é que os aptos estejam em nome da OAS e de outros, numa situação difícil de compreender, pois o negócio da OAS não é fazer patrimônio, mas tão somente construir e vender. Senhores, vamos parar com toda essa hipocrisia. Certamente nem Lula e qualquer outro envolvido neste caso afirmarão que são os donos reais dos aptos. Segundo a Polícia Federal, todos os imóveis do prédio sob investigação têm “alto grau de suspeita quanto à sua real titularidade”. Se há esse grau de suspeita e testemunha da presença de Lula e familiares no imóvel, qual é o problema da investigação, ainda mais sendo sobre um cidadão comum? Uma frase muito comum é “não basta ser honesto, tem de parecer honesto”. Portanto, senhores investigados e cúpula do partido, diante das evidências e testemunhas, aceitem as investigações, que são destinadas a qualquer cidadão, ou provem que nada disso é verdade.

 

Walter Lúcio Lopes wll@uol.com.br

São Paulo

 

*

TEMPO PERDIDO

 

O PT vai usar a mídia burguesa para tentar salvar a imagem de Lula. Devia se preocupar com a imagem e a realidade do partido que tornou a saúde, a segurança, a educação e todos os serviços públicos os piores da história deste país.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

O PT NA TV

 

No horário político pode-se vender tríplex? Perguntar não ofende.

 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

 

*

ATO DE CONTRIÇÃO

 

O que mais irrita é a pose dos petistas, como a do presidente do partido, reclamando do que está acontecendo com Lula, quando todos sabemos, e agora está sendo provado, que o seu partido destruiu o Brasil. Bem melhor faria se convencesse Dilma, Lula e todos os seus caras-de-pau a proferirem com ele o ato de contrição perante a Nação, e saíssem todos de cena, para permitir começarmos logo a reconstrução do País. Xô!

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

QUANTA BONDADE!

 

O novo advogado de Lula, Nilo Batista, que diz estar defendendo o ex-presidente sem cobrar honorários, na base do amor, disse que Léo Pinheiro, da OAS, fez obras no tríplex que seria destinado à família Lula da Silva, no valor de R$ 700 mil, por iniciativa própria e que Lula nunca soube o preço das mesmas. Como diria a atriz Kate Lyra, esse Léo Pinheiro é tão bonzinho...

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

 

*

A DEFESA DE LULA

 

Virou moda defender Lula e condenados do PT, comparando seus atos com pretensas práticas criminosas de seus adversários políticos. É o que fizeram recentemente o senador Roberto Requião, o jornalista Jânio de Freitas e, agora, o advogado do ex-presidente. Não se pode desconhecer, porém, o ditado popular de que “um erro não justifica outro”. A comparação em nada alivia, portanto, a culpa de quem quer que seja.

 

Jarvis Viana Pinto jarvisvp@uol.com.br

Ribeirão Preto

 

*

RESPONSABILIDADE

 

A reação de correligionários, familiares e amigos indica que está próximo o desfile – com anéis metálicos nos pulsos e ao lado do japonês de roupa preta – do responsável pelo maior escândalo de corrupção da história da humanidade. Viva a liberdade, igualdade, fraternidade e responsabilidade (principalmente esta)! Viva o Brasil!

 

Aléssio Ribeiro Souto souto49@yahoo.com

Brasília

 

*

DECLARAÇÃO DE IR 2016

 

Será que agora conseguirão “pegar na fonte” aqueles que faturam R$ 40 milhões com “consultorias”, ou que tenham sítios e tríplex em nome de terceiros, ou que sejam sócios do diabo, ou que sejam “sócios” da Petrobrás, ou mesmo empacotadores de vento e mandioca? Ou vão continuar a pegar somente os assalariados que mais uma vez estão sendo assaltados em pelo menos 11% pelo fato de a tabela do Imposto de Renda (IR) na fonte, pela enésima vez,  não ter sido corrigida?

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

UMA DILMA FORA DA CURVA

 

Segundo a Pesquisa Industrial Mensal do IBGE, 2015 foi o pior destes últimos 13 anos no setor industrial, registrando uma queda de 8,3%, contra também queda em 2014 de 3%.  Não é por outra razão que o PIB do ano passado terá um tombo de 4%. E, pela gravidade desta recessão econômica no Brasil, 2016 caminha para um crescimento negativo, comparado ao de 2015. E a presidente Dilma, culpada por este quadro insustentável da nossa economia e mais empenhada se em manter no poder, vai à abertura dos trabalhos do Congresso Nacional, enaltece sua administração, evoca para si uma grande lista de realizações de seu governo, como se tudo estivesse uma maravilha, promete a reforma da Previdência, anuncia guerra contra o zika vírus – diga-se, com total atraso e, infelizmente, somente após o surgimento de 4.180 casos (Barack Obama, diante do primeiro caso nos EUA, tomou ações relevantes) – e, ainda, completamente fora da curva, encontra caradura e coragem para pedir apoio do nosso Parlamento para a recriação da CPMF. Logicamente, foi solenemente vaiada pela maioria dos congressistas, e mais uma vez também pelo povo brasileiro... 

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Paulo

 

*

PROTESTOS MAIORES

 

Já que o Movimento Passe Livre (MPL) tem feito passeatas quase diariamente contra o aumento “abusivo” de R$ 0,30 na passagem dos ônibus, obstruindo vias importantes no horário de pico, por que não protesta também contra o aumento da inflação? Afinal, o tomate, a batata e a cebola já subiram muito mais do que isso. E o que dizer, então, da CPMF que o governo quer “ressuscitar”? Isso não mereceria protestos muito maiores? Não há um certo viés seletivo e ideológico nesse movimento? Eu só gostaria de entender...

 

Anna Carolina Meirelles annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

 

*

PARA QUÊ?

 

Em fevereiro voltam aos trabalhos os deputados, senadores e ministros dos tribunais superiores. Para quê?

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

EMBROMAÇÃO

 

Dilma Rousseff, Eduardo Cunha e Renan Calheiros discursaram durante a abertura do ano legislativo no Congresso Nacional. Dilma destacou a importância da justiça, da solidariedade, da contribuição do Congresso Nacional, da expansão de investimentos públicos e privados, do controle da inflação, da desestatização das distribuidoras da Eletrobrás, do plano de investimento em energia elétrica, da normalização da oferta de água, da redução das tarifas de energia, da política fiscal, da CPMF, da queda da arrecadação federal e da preservação dos programas sociais. A presidente foi infeliz quando disse que as oportunidades surgem nas crises. Alguns nobres parlamentares estavam de costas e até vaiaram a presidente. O que os brasileiros esperam dos Três Poderes é que em 2016 não se repita o desperdício de tempo ocorrido em 2015, quando assuntos de extrema importância foram vergonhosamente empurrados com a barriga.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

DIA DE CONSTRANGIMENTO

 

Quem assistiu pela TV à abertura do ano legislativo no Congresso Nacional percebeu o constrangimento do encontro da presidente Dilma com Renan Calheiros, Eduardo Cunha e Ricardo Lewandowski. Ridículo foram os parlamentares puxa-sacos quererem beijar, a qualquer custo, a presidente. O pior, ouvir promessas da presidente, iguais às do discurso do Conselhão,  promessas essas que já deixaram de ser cumpridas em outras oportunidades. Renan Calheiros repetiu praticamente o discurso de Dilma. E as palavras mais sensatas e objetivas foram as do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

 

José Wilson de Lima jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

CONGRESSO NACIONAL

 

Em ano de Olimpíada, de eleições e com um forte cheiro de lava-jato, será que o Congresso produzirá alguma coisa?

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA

 

No programa “Painel”, da Globo News de sábado (30/1), o economista Luís Carlos Mendonça de Barros afirmou que 90% da economia brasileira depende do setor privado, e a falta de confiança do empresariado em geral no atual governo Dilma é o fator preponderante do atual cenário de estagnação  econômica que o País atravessa. Em resumo: o Brasil é como um avião grande que ninguém sabe para onde vai e os pilotos estão perdidos – ou seja, o governo federal.

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

CRISE É BOA PARA OS BANCOS

 

Enquanto o País sofria uma crise desgraçada envolvendo indústria, comércio e consumidores, para os bancos é a rotina de sempre: encher o cofre com lucros espetaculares. Vide o caso do Banco Bradesco. E, segundo seu presidente, é preciso firmeza para combater a recessão que está aí. Para ele é fácil falar, afinal, começa com o sobrenome Trabuco, que assusta até as crises, e comanda um banco gigantesco que paga pouco mais de 0,5% na poupança e arrebenta o coitado do correntista que estoura no cheque especial e no cartão de crédito. Nós, população, é que não temos onde nos agarrar.

 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

 

*

MAGIA

 

O governo parece querer fazer magia, tirar dinheiro da onde não existe e tocar novamente no FGTS, como fez no passado na capitalização da Petrobrás. A população está completamente sem poder aquisitivo por três fatores essenciais: alta da inflação, juros elevados e aumento de tributos. Aliás, o Brasil é a única Nação onde os impostos sobem acima da inflação e os salários estão literalmente congelados.

 

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

 

*

O PARTIDO, O FGTS E O TRABALHADOR

 

Estranho como o PT, que se diz Partido dos Trabalhadores, defende os interesses da classe trabalhadora. Quando a oposição propôs elevar a correção do FGTS de vergonhosos TR + 3,00% ao ano para o mesmo índice que corrige a Caderneta de Poupança (TR + 6,17 ao ano) – também vergonhoso versus uma inflação superior a dois dígitos –, o PT foi radicalmente contra, pois essa era a posição do governo, e danem-se os trabalhadores. Agora, novamente, o governo resolve tungar os trabalhadores querendo que os valores referentes à multa rescisória do FGTS, quando da rescisão trabalhista por justa causa, sejam usados para pagar os empréstimos consignados tomados pelos trabalhadores. Privilegia, desta maneira, banqueiros em detrimento do trabalhador, num dos piores momento possíveis, pois o trabalhador perdeu sua renda e está no olho da rua, buscando emprego numa situação adversa de contínua redução de vagas de trabalho. Tudo isso sem contar os empréstimos aprovados pelo Fundo Curador do FGTS para operações de empréstimos dirigidos aos apadrinhados do partido/governo, muitos dos quais de duvidoso retorno. Quanto à gestão dos fundos de pensão por sindicalistas e por políticos com seus “cupinchas” laranjas, isso é assunto para outra oportunidade, mas desde já sabemos que exala fétido odor.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

ECONOMIA MACABRA

 

O governo deve ter considerado a greve dos médicos peritos do INSS, que durou espantosos quatro meses, uma bênção dos céus! Num país normal, o governo teria tomado providências para a normalização rápida de um serviço do qual dependem pessoas que, naquele momento, não têm condições físicas para trabalhar e estão dependentes do seguro para sobreviver. Não se trata de nenhum favor: o trabalhador e o seu empregador pagam mensalmente por essa garantia. Porém, no Brasil, onde as contas públicas são um desastre, a greve dos peritos certamente veio a calhar. Quanta “economia” o governo fez em 2015, por causa das perícias que deixaram de ser feitas e dos seguros que não foram pagos! Ao contrário do estardalhaço que fez quando as seguradoras privadas passaram a demorar para marcar consultas e exames, obrigando-as a fazê-lo rapidamente, não se ouviu uma palavra desta gente sobre os quatro meses de abandono a que submeteu os seus “clientes”. Ninguém ficaria espantado se viesse à luz que o governo do PT não se empenhou para dar fim à greve para fazer números um pouco melhores nas suas contas. Não mesmo!

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

GREVES POLÍTICAS

 

As greves no INSS e dos professores são greves políticas, com a finalidade de beneficiar o governo federal, ou seja, o governo do PT. Enquanto o INSS está paralisado em virtude das greves, seja de funcionários administrativos ou dos médicos peritos, o INSS deixa de atender os trabalhadores que pretendem se aposentar ou conseguir auxílio-doença, gerando uma economia de milhões de reais para os cofres do INSS, visto que, quando finalmente o trabalhador consegue receber o que lhe é de direito, já se passaram alguns meses, e o benefício concedido não é retroativo. Quanto à greve dos professores, a finalidade é desgastar o governador Geraldo Alckmin, do PSDB, tentando alavancar o PT no Estado de São Paulo e manter o sonho de um dia virem o governar nosso pujante Estado, passando assim a ter controle total sobre a economia do País, que lhes dará o poder finalmente de transformar o Brasil em mais uma republiqueta comunista, que será administrada em sua plenitude pela “cumpanheirada”.

 

Edson Baptista de Souza baptistaedson@ig.com.br

São Paulo

 

*

GRANDE UNIVERSIDADE

 

Entre as cinco melhores universidades do mundo está a Stanford University, Califórnia, EUA. Vários de seus docentes foram laureados com Prêmios Nobel. E quantos estudantes tem? Cerca de 7 mil na graduação e 9 mil na pós-graduação. Ou seja, tamanho (leia-se número de estudantes) não é o fator essencial para qualificar uma universidade.

 

Carlos H. W. Flechtmann chwflech@usp.br

Piracicaba

 

*

CONTROLE DE CAPIVARAS

 

A incidência de mortes por febre maculosa vem aumentando no Brasil e especialmente em São Paulo, conforme se pode verificar em estudos promovidos na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq). Mas esse problema parece não sensibilizar o pessoal que administra o Instituto Florestal em São Paulo, que não desenvolve nenhum tipo aparente de controle das capivaras que, de alguns anos para cá, tomaram conta do Horto Florestal. Lembro-me de ver apenas uma placa, que alerta o público para não circular nas áreas de grama, por estarem infestadas de carrapatos. Só. É muita irresponsabilidade junta.

 

Nilton Divino D’Addio nildaddio@gmail.com

São Paulo

 

*

O MITO DAS CICLOVIAS

 

No “Fórum dos Leitores” de segunda-feira (1/2), havia três reclamações sobre ruas pintadas com faixas vermelhas e tachões divisórios, às quais me associo. Resido em Higienópolis há 40 anos e, vendo pintadas com faixas para ciclismo ruas que saem do Pacaembú para a Avenida Angélica, com ladeiras íngremes, fico cada vez mais convencido de que a relação custo/benefício é desastrosa e não houve o mínimo critério para a definição dos “corredores”. A falta de planejamento não diz respeito somente à topografia da cidade. São Paulo é região de campinas, capões e vales, com aclives e declives em vários bairros da cidade, tanto nas zonas norte, oeste como sul e no Centro. Trafegando de carro por essas áreas, não se vê uma única bicicleta, porém é possível encontrarmos água empoçada e muito lixo, evidenciado diariamente no jornal “Bom Dia Brasil”, comandado pelo jornalista Rodrigo Bocardi, na época de muita chuva e muito calor. Em que pese a “modernidade” do jovem prefeito Fernando Haddad, algumas de suas decisões são intempestivas, visionárias, merecendo reparos – no mínimo, levantamentos técnicos mais confiáveis. O dinheiro despendido com tinta e tachões para ciclovias poderia ser mais bem utilizado para limpeza de praças, parques (com brinquedos para crianças), riachos, córregos, bueiros e bairros da periferia, ao invés de estimular a locomoção de pessoas de “bikes” para a Avenida Paulista. Gostaria de ver o prefeito “arfando” na subida de “bike” da Rebouças até a Avenida Paulista ou no trajeto Pacaembu/Angélica via Praça Villaboim.

 

Sérgio Brasil Gadelha sbgadvocacia@gmail.com

São Paulo

 

*

IPTU – DEVOLUÇÃO

 

Acabo de receber a notificação de lançamento do IPTU 2016. Isento de IPTU, não devendo pagar nada. Há mais de dez anos, este meu imóvel, localizado na região do Butantã, é isento do IPTU, em virtude de um cálculo feito pela Prefeitura baseado em valores venais. O sr. Haddad, no ano de 2014, com sua ânsia de cobrar taxas, cobrou o IPTU referente ao ano de 2014. Quando começou o ano de 2015, recebemos uma correspondência em que comunicava o ressarcimento de tais pagamentos até o mês de abril de 2015. Já estamos em fevereiro de 2016, e até agora nada se ressarciu. Gostaria de saber da Prefeitura qual é o motivo da não devolução aos contribuintes desse valor cobrado indevidamente.

 

Luiz Fernando de Camargo Kastrup duasancoras@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.