Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2016 | 02h55

As desculpas acabaram

Ruralmente falando, a manchete do Estadão de ontem sobre o sítio de Lula em Atibaia matou a cobra e mostrou o pau! Não há mais desculpas, a verdade, escrita e lavrada, está à disposição de todos. A mentira de Lula não teve perna curta, mas as duas quebradas rapidamente. Quanto às duas empresas investigadas pela Lava Jato, OAS e Odebrecht, não podem alegar que fizeram reformas no sítio e no tríplex no Guarujá por simpatia ou caridade, porque empresas desse porte não fazem nada gratuitamente. Elas foram “propinadas” e retribuem à família Lula da Silva. O resto é conversa mole.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Na foto do sítio só faltou mostrar a estrela vermelha plantada por dona Marisa no gramado.

SERGIO LUZ

slkelp@uol.com.br

São Paulo

Amigo é amigo

O sítio é de amigos. O apartamento do filho é de amigo. A reforma do sítio foi paga por amigos. O jatinho é de amigos. A obra no tríplex foi bancada por amigos. O instituto é mantido por amigos. Na cadeia já estão vários amigos. Amigo, te cuida!

LUIZ G. TRESSOLDI SARAIVA

lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

Quero ser amigo da família Suassuna. Quanta dedicação e generosidade! Como me habilitar? Prometo ser um bom amigo.

FREDERICO D’AVILA

fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

Laranjal

E o compadre laranja, que já emprestava casa desde a época de sindicalista?! Deu certo lá atrás, mas agora a casa caiu.

NELSON PEREIRA BIZERRA

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

A escritura do sítio

A escritura do suposto sítio do ex-presidente Lulla em Atibaia foi lavrada no escritório do compadre dele, o advogado Roberto Teixeira. Seria interessante saber quem o vendeu, quem realmente pagou e qual o valor real acertado, uma vez que a área de Atibaia é extremamente valorizada e o preço de R$ 1,5 milhão, se foi subfaturado, com certeza o seria para esconder “lastro”. Engraçado que por esse valor o ex-presidente teria plenas condições de adquirir esse imóvel sem a necessidade de lavrá-lo em nome de laranjas. Se não o fez, muita coisa deve estar escondida debaixo dos 173 m2 da propriedade. A conferir...

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Coxinha classe média

O Lula poderia tranquilamente ter comprado não só um sítio no interior, mas também um apartamento na praia, com seus rendimentos e com o faturado com as palestras que ele poderia ter proferido legitimamente como ex-presidente do Brasil. Mas se Lula tivesse comprado o apartamento e o sítio, pago pontualmente o IPTU e o condomínio desses imóveis, Lula seria um burguês, um coxinha. Pior ainda, Lula seria um legítimo classe média. E isso ele jamais poderia tolerar em seu currículo.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

Tantos passados pra trás

A crônica Quero minha cota no tríplex (5/2, C8), de Ignácio de Loyola Brandão, é um exemplo de como os brasileiros que acreditaram na Bancoop foram ludibriados, ou seja, roubados. De maneira clara e concisa, o colunista dá um panorama a quem quiser saber sobre o tal tríplex atribuído ao Lula. Se ele é ou não dono, caberá à Justiça investigar e trazer os fatos à tona. O que revolta, indigna as pessoas é saber em que condições essas obras são feitas e como tanta gente foi passada para trás. Uma vergonha que pessoas famosas e poderosas usem seu poder de persuasão para se beneficiar do bem alheio. Ainda vamos chegar ao dia em que a vergonha vai ser cobrada publicamente dessas pessoas. Não dá para tolerar tamanha desfaçatez. Pobre Brasil!

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Compromisso com o povo

Queremos ver como o Lula, que tanto se vangloria de ser o mais honesto do Brasil, vai explicar o número de caminhões com muitos presentes que saíram do Palácio do Planalto e foram parar no sítio de Atibaia. Explicação imperiosa, sem subterfúgios.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Tática petista

Para calar seus acusadores, o PT usa a tática de guerrilha. Chama-os de canalhas e mentirosos, promete reagir com truculência e seus advogados, os mesmos do manifesto contra o Ministério Público, a Polícia Federal e o juiz Sergio Moro, recorrem a métodos pouco republicanos para tentar livrar seus clientes petistas e amigos empreiteiros. O partido promete sair às ruas para enfrentar opositores, até com armas, se preciso for, como manifestou o presidente da CUT em solenidade no Palácio do Planalto, sob o olhar complacente de Dilma. Ora, um país que se diz democrático não pode conviver com essas ameaças! A Justiça tem de tomar uma atitude, pois corremos sério risco, em caso do impedimento da Dilma e da possível prisão de seu mentor, de o Brasil sofrer uma guerra civil.

OLAVO FORTES C. RODRIGUES

olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

Entre as pernas

Esse pessoal faz o diabo para dividir o País entre “nós” e “eles” e agora vem com o rabo entre as pernas pedir união nacional? Desistiram do exército do Stédile? Vão adiar o golpe por mais algum tempo? Que se passa?

JOSÉ ROBERTO SANT’ANA

jrsantana10@gmail.com

Rio Claro

TRÂNSITO

Outra do Haddad

A Avenida Giovanni Gronchi é uma importante via pública da cidade de São Paulo. Transitam diariamente por ela milhares de automóveis e centenas de ônibus, transportando milhares de passageiros. As administrações municipais paulistanas não consideraram a importante avenida nos seus planos de urbanização. Há mais de 50 anos nenhuma obra importante foi ali realizada. Agora a Prefeitura engendrou mais uma das suas terríveis ideias, implantando corredores de ônibus na congestionada via. Não leva em consideração o sacrifício dos moradores da região, que pagam pesados impostos e não têm a correspondência de serviços que lhes é devida. Mais uma dessa Prefeitura tão mal avaliada pelos paulistanos!

RUY ALTENFELDER

ruyaltenfelder@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

FELIZ CARNAVAL!

 

Depois da conclamação em rede nacional – semelhante às apologias anteriores relacionadas ao estoque de vento e às virtudes da mandioca – bradada pela presidente Dilma Rousseff no sentido de incentivar a população a matar o Aedes aegypti antes que ele nasça; depois do rompante desconcertante do sr. Rui Falcão visando a recuperar a imagem desgastada do ex-presidente Lula, ao afirmar “Sítio? Tríplex? Para o PT, Lula mora mesmo no coração do povo brasileiro”; depois da lamentação do sr. José Dirceu, um dos ícones do comunismo caboclo, a respeito dos “irrisórios” R$ 120 mil que recebia por suas enigmáticas palestras, num país onde o salário mínimo é de R$ 800; enfim, depois disso, só resta mesmo desejar a todos um feliz carnaval nesta terra de Pindorama.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

CORRENDO ATRÁS

 

O mosquito Aedes aegypti tem sua origem no Egito – daí seu nome –, espalhou-se pela África e chegou às Américas por meio dos navios negreiros. Foi identificado como o responsável pela febre amarela. Em 1908, o entomologista Antônio Gonçalves Peryassu, em pesquisas no Instituto Soroterápico Federal, hoje Oswaldo Cruz, estabeleceu a relação do Aedes aegypti com a temperatura e a densidade populacional, o que permitiu a erradicação da febre amarela, em 1955, por meio de medidas rígidas de controle da proliferação do mosquito. O relaxamento das medidas de controle e os grandes deslocamentos humanos permitiram a volta do mosquito, agora mais forte. Nos últimos anos, a dengue se alastrou, e hoje temos a febre Chikungunya e o zika vírus, com consequências desastrosas e fatais. Dona Dilma Rousseff, educadamente, pediu licença para entrar em nossa casa, em pronunciamento para convidar a população a fazer parte do exército de combate ao mosquito. Se os danos (do mosquito) se têm feito sentir já há alguns anos, o que fizeram os ministérios para minorar a proliferação do mosquito? Sim, ministérios: da Saúde, de Cidades e até da Educação, entre outros. Porque, se houvesse sinergia entre eles e se medidas preventivas tivessem sido tomadas, tais como saneamento, informação e orientação sobre os males do lixo espalhados pelas ruas, entupindo bueiros, não teríamos chegado a essa situação calamitosa em que nos encontramos, pois não, sra. Rousseff? Por que estamos sempre correndo atrás dos prejuízos?

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

DILMA E O ZIKA

 

Em rede nacional, Dilma Rousseff pediu ajuda até dos EUA para combater o Aedes aegypti. Na dificuldade, os petistas se esquecem da política antiamericana introduzida pelo jurássico Marco Aurélio “Top Top” Garcia. Quem quer ser o melhor tem de se unir aos melhores.

 

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

 

*

A LUTA CONTRA A MICROCEFALIA

 

Sou leigo no assunto, mas, conforme divulgado pelo Ministério da Saúde, três substâncias são reconhecidamente capazes de afastar o mosquito Aedes aegypti: icaridina, IR3535 e DEET. Repelentes com essas substâncias custam a partir de R$ 20,00 e sua proteção não dura mais do que algumas horas. As pessoas os estão aplicando três vezes ao dia. Isso posto, qual deve estar sendo o custo mensal para uma mulher grávida se proteger adequadamente durante a sua gestação: R$ 100,00 ou ainda mais? E o que deverá acontecer com o preço e a disponibilidade desses repelentes durante a Olimpíada deste ano? Assim, que escolha deve estar ocorrendo numa família de baixa renda em que a esposa esteja esperando um bebê: comprar comida ou repelente e arriscar que a criança nasça com microcefalia? Ora, o Brasil de Dilma gastou dezenas de bilhões em estádios inúteis e descuidou da luta contra o mosquito até que a questão viesse à tona e se tornasse uma emergência de saúde internacional. Agora, está na hora de ter vergonha na cara, cadastrar as grávidas de baixa renda e prover-lhes gratuitamente o repelente, que se tornou algo absolutamente indispensável para elas. Não dá nem para pensar no pesadelo que pode se tornar realidade aos milhares se isso não for feito. O legado desta irresponsabilidade será um exército de brasileiros com microcefalia. 

 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

 

*

ADIAMENTO

 

Os “caras” propõem adiar a Olimpíada em razão do vírus zika. Creio ser ótima medida. Alguém pode responder por que não pensaram em adiar também o carnaval? Aí não, né, mexe com gente graúda e com muitos interesses...

 

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

 

*

CARNAVAL?

 

Pergunta: por que estas centenas de milhares de pessoas que pulam carnaval e vão atrás de trios elétricos se preocupam com o nada, não reclamam da situação do País? Da saúde sucateada, da educação de nível comparável aos piores do mundo, do desvio de dinheiro público para sustentar políticos e empresários, enfim, desta pouca vergonha em que se transformou o País? E, agora, acabo de ver na TV um bloco de jornalistas. Será que eles não têm coisa melhor para fazer? Por que não fazem seu trabalho e investigam os podres deste país? Ou se acomodaram e aceitam a situação? É. Chegamos ao fundo do poço.

 

Geraldo Roberto Banaskiwitz geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

 

*

O AEDES E AS CISTERNAS

 

A construção de cisternas financiadas pelo governo no Estado de Pernambuco foi um bom ato governamental. Mas julgo que a falta de cobertura das cisternas e dos demais cuidados sanitários com as cisternas resultou na proliferação do mosquito Aedes aegypti. Não destruam as cisternas! Protejam-nas!

 

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

CEMITÉRIOS

 

As equipes do tratamento contra o Aedes aegypti estão atuando nos cemitérios? Lá tem milhares de vasos, etc. cheios de água parada!

 

Sergio Cosulich cosulich@terra.com.br

São Paulo

 

*

IMÓVEIS DESOCUPADOS

 

Um agente de endemias fez uma visita em minha casa. Ele disse que existem muitos imóveis desocupados que podem ter focos da dengue e de outras doenças como o zika. Em algumas cidades de Minas Gerais e outros locais, o juiz de Direito pode dar ordem para entrar nas residências para combater os focos do mosquito Aedes aegypti. A Justiça é para o bem comum. A dengue é uma doença social, que deve ser combatida pela sociedade unida. Um mecanismo para permitir a entrada em imóveis desocupados que foram notificados e não receberam resposta é o bem comum como Lei de Justiça.

 

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

 

*

CONSCIENTIZAÇÃO

 

Diariamente os órgãos de comunicação informam que as Forças Armadas são solicitadas por autoridades estaduais e municipais para apoiar no combate ao mosquito transmissor do zika, da dengue e da febre chikungunya, como já apoiam, aliás, em outros setores em benefício da população. É com satisfação ver o elevado conceito e a confiança que é depositada nas instituições militares. Mas essa campanha deve ser muito mais ampla, tem de envolver todos os demais segmentos sociais. A conscientização e a compreensão devem ser gerais em virtude da sua importância e das suas consequências. Nas universidades, professores e alunos; nos hospitais, médicos e enfermeiros; nos sindicatos; nas igrejas de todos os cleros; nos Rotarys; nos Lions clubes. Vamos esquecer temporariamente as questões políticas. Corre-se o risco de contaminar milhares de seres que trarão sem dúvida dramáticas sequelas irreparáveis.

 

Ricardo Pereira de Miranda ricarmiran@terra.com.br

Salvador

 

*

PERDENDO A LUTA

 

Dilma Rousseff admitiu, recentemente, que o País está perdendo a luta contra o Aedes aegypti. Presidente, o buraco é bem mais embaixo, pois vocês conseguiram fazer com que o País perdesse a luta contra absolutamente tudo, por causa da incapacidade e da corrupção implantadas pelo petelulismo nos últimos 13 anos no “pudê”.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

DINHEIRO PARA COMBATER O MOSQUITO

 

Dilma Rousseff quer dinheiro para o combate ao Aedes? É fácil: basta que ela feche os ministérios e secretarias inúteis e demita os que ela prometeu demitir. Que pare de viajar para lá e para cá, em viagens de caráter pessoal ou que não trazem nenhum retorno ao Brasil (a Porto Alegre e para a Bolívia, por exemplo), com o Airbus presidencial, e passe a utilizar aviões de carreira. Pode também cancelar festinhas bobas e caras, como a do patrocínio da Caixa a times de futebol. Quem sabe, consiga também maneirar na lista de comidinhas especiais para a sua dieta chique? E também pode cortar a farra no cartão de crédito corporativo. Por fim, pode cortar um bocado da verba de publicidade da infinidade de propagandas do governo. E, por favor, apague a luz. É pouca coisa, mas o dinheiro economizado ali vai dar e sobrar! Ao trabalho, Dilma!

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

‘AEDES PETISTAS’

 

Nestes tempos bicudos em que se vive sob perigo constante de doenças contagiosas, definitivamente não há ameaça maior à população brasileira do que o pernicioso e corrupto vírus “Aedes petistas”. Como se sabe, o mosquito vermelho se reproduz com grande velocidade e quase não faz barulho ao voar, agindo de forma sorrateira, sugando e contaminando o sangue da Nação, silenciosamente. É de vital importância que sua proliferação seja combatida e repelida com eficácia e contundência absolutas, de forma a manter o País protegido e imune à sua perniciosa e dolorida picada. Daqui por diante, a vigilância deve ser redobrada, a tolerância, zero e o alerta, máximo. Todo cuidado é pouco. Xô!

 

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

QUESTÃO MUNDIAL

 

A expansão do mosquito Aedes aegypti, agora de forma global, que transmite zika, está assustando as autoridades de saúde planetárias. Essa realidade exige mais do que nunca que países se unam no sentido de combater as causas estruturais da proliferação de tal inseto, posto que, como alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS), tal malefício de saúde pública pode atingir indistintamente a todos, independentemente dos países em que vivam.

 

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 

Rio de Janeiro

 

*

PLANO ANTIZIKA

 

Com a promessa da Organização Mundial da Saúde (OMS) de destinar R$ 120 milhões para combater o nosso brasileiro mais famoso, sr. Aedes aegypti, seria saudável pedir antecedentes criminais de quem vai ficar com essa verba aqui, no Brasil. Afinal, tem muito companheiro ainda solto.

 

Roberto Castiglioni rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

 

*

‘RODA VIVA’

 

Fiquei abismado na segunda-feira à noite, quando assistia ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura, que discutia os graves problemas causados pelo Aedes aegypti. Entre ministro, secretário de Estado e professores de Medicina, falava com desenvoltura e um certo orgulho e empáfia o atual secretário da Saúde do prefeito Fernando Haddad: Alexandre Padilha, candidato do PT a governador de São Paulo, estraçalhado nas eleições de 2014. Como é que um membro do alto escalão do governo Lula, desde seu início, e ministro da saúde (minúsculo) da “presidentA” Dilma, tem coragem de se apresentar ao público, opinando e aconselhando sobre matéria que ele e o lulodilmismo ignoraram e desconsideraram “olimpicamente” durante 14 anos?! Vai pra casa, Padilha (e não volte nunca mais)!

 

Carlos Alberto Rossi cas.rossi@uol.com.br 

São Paulo

 

*

PATROCÍNIO DA CAIXA

 

A Caixa Econômica Federal (CEF), em 2014, patrocinou 15 clubes de futebol. O valor inicial foi de R$ 105 milhões. E, no ano de 2015, a mesma quantia foi investida para 12 clubes. Acredito que existem outras prioridades para investimentos no País, mesmo porque os clubes de futebol devem milhões de reais em tributos. E todos nós sabemos que o governo está cortando ou reduzindo gastos em áreas prioritárias, como educação, habitação, infraestrutura, etc., por causa da queda de arrecadação de impostos. E, surpreendentemente, a Caixa, em 2016, ampliou para 19 o número de clubes patrocinados, com valor de R$ 187 milhões. Enfim, somos esfolados, sugados, massacrados, etc. com os constantes aumentos de impostos, mas o governo esbanja “investimentos” em coisas secundárias! Não é verdade? Reflexão: gol do governo – contra, é claro.

 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

 

*

A ‘MORAL ILIBADA’ DE DILMA ROUSSEFF

 

Segundo reportagem de Fausto Macedo e Ricardo Brandt, do “Estadão” (4/2, A5), o empresário e lobista Fernando de Moura disse que Dilma Rousseff participou da reunião no início do governo Lula, em 2003, em que foram definidas as indicações políticas de diretores de estatais que ficariam responsáveis pela arrecadação de valores para o partido. O lobista afirmou: “Foi uma reunião ao lado da sala do ministro da Casa Civil entre o José Eduardo Dutra, que foi indicado presidente da Petrobrás, o Luis Gushiken, que era da Secretaria de Comunicação, o Delúbio Soares, a Dilma Rousseff, que era ministra de Minas e Energia, o Sílvio Pereira e foram analisados todos os nomes que seriam indicados para cargos de diretoria”. Ora, tendo em vista que este senhor está fazendo uma delação premiada ao juiz Sérgio Moro, é de supor que esteja descrevendo fatos reais. Com isso, fica cada vez mais claro que Dilma não só sabia desde o início dos planos de desvio de dinheiro para o partido, como participava das decisões na escolha dos que iriam ocupar os cargos para isso, escolhas estas que teriam como desdobramento o desvio de dinheiro público aos bilhões e enriquecimento ilícito de vários petistas de alto coturno no decorrer destes 13 anos de poder. Que moral ilibada é esta, dona Dilma, que desde o primeiro mandato de Lula sabia que o dinheiro do povo iria ser surrupiado? E, depois de todas as irregularidades de sua primeira gestão como presidente, como pode ainda querer que o povo brasileiro pague por todos esses atos de lesa-pátria protagonizados pelo PT, que se autoproclamava o partido da ética voltado para os mais pobres, se foi justamente destes que mais roubou, deixando de investir seriamente em educação, saúde, saneamento, segurança, enfim, em tudo o que poderia ter melhorado em muito a vida dos que mais necessitavam? Se investimentos nessas áreas tivessem sido feitos para valer, hoje o Aedes aegypti já estaria sob controle, com brasileiros e o mundo protegidos do zika vírus e da tragédia da microcefalia em quase 4 mil bebês, a maioria pertencente à parcela mais vulnerável da população. Dilma, nunca mais mencione que tem moral ilibada nem que deseja a volta da CPMF, porque isso é um ultraje sem limites à nossa dignidade.

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

A CORRUPÇÃO ENDÊMICA NO BRASIL

 

Sonia Racy divulgou (4/2) uma pesquisa em que um cidadão chamado Renato Meirelles concluiu que a corrupção é endêmica no Brasil e a população nem mais se apercebe dela, aceitando-a como natural. Incomodou-me demais a falta de profundidade de tal análise. O ser humano jamais foi perfeito e desde o início da civilização leis e normas foram criadas para punir os que se afastavam do que era considerado correto. Alguns países que contam com um Judiciário mais bem preparado e fiscais mais fiscalizados conseguem fazer com que a população se adeque melhor às regras de convivência. Mas sempre haverá os que transgredirão as leis e regulamentos, e, se o Judiciário, com todo o seu aparato, funcionar, isso será muito menos nocivo à sociedade. Mas no Brasil não contamos com este luxo. As leis servem apenas para a base da pirâmide e, quanto mais no topo, mais frouxos são os mecanismos de controle, fiscalização e punição, tanto que políticos que entram na vida pública pobres se tornam milionários, juízes corporativistas protegem seus pares que se corrompem, funcionários públicos sejam venais. Segundo o senhor Meirelles, temos de, num futuro distante, por meio da doutrinação escolar, formar melhores cidadãos que devolvam o troco que receberam a mais, para que, quem sabe, melhoremos a nossa corrupção inata, única no mundo. Aliás, no seu entender, deve ser absurdo o brasileiro não ser santo. Enquanto isso, vamos aceitar hoje que poderosos, com suas infinitas possibilidades e baixíssimo risco de serem punidos, continuem a destruir o País, dilapidando o erário tão custosamente abastecido pelos grandes corruptos do andar de baixo. Mas não adianta querer distribuir entre todos a podridão que se instalou na nossa elite política, administrativa e judiciária. Se a corrupção viceja, é porque faltam fiscalização, punição e bons exemplos. Começamos agora a sentir que pode existir em nosso país uma chance de derrubar as máscaras de quem nos rouba sistematicamente, sem temer qualquer condenação. E que o senhor Meirelles não queira comparar quem tentou entregar ao Fisco um pouco menos do que ele considera certo, apesar de esta instituição estar nos assolando há muito tempo com tributos abusivos sem a correção da tabela, com os que arruinaram a Petrobrás, os hospitais, os que roubam a merenda escolar e inúmeros outros descalabros. Sejamos justos na comparação.

 

Lizete Galves Maturana lizetegalvesmaturana@yahoo.com.br

Jundiaí

 

*

SEM DEMORA

 

O  momento é  muito delicado para a classe política em todos os níveis. A soma de problemas políticos e partidários com ações que denigrem a imagem de quem está no poder ou ocupando cargos públicos torna difícil a condução das campanhas eleitorais que se aproximam. Como o ano eleitoral está praticamente no seu início e  vai atingir todos os municípios brasileiros, é certo que, se  não houver a sensibilidade e seriedade nas atitudes de quem vai contatar o eleitorado de forma direta, pode-se ter um vexame com um excesso de anulação de votos ou o não comparecimento para votar. Fica claro que o político precisa buscar uma forma transparente de transmitir confiança à sua comunidade, através de debates e ações transparentes. E sem demora.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 

São Paulo

 

*

DIMAS TOLEDO

 

Quem assistiu às sessões da CPI do mensalão, como eu, se lembra bem da pergunta que a senadora Heloísa Helena fez ao sr. Dimas Toledo quando chegou a vez de ela  inquirir. Disse mais ou menos o seguinte: sr. Dimas Toledo, eu só não entendo como o sr., indicado no governo do PSDB para a mesma posição que ocupa agora, se tenha mantido nela depois de o governo do PT tomar posse. Será que serviu a esse novo governo da mesma forma que o fez para o PSDB? (A íntegra da fala da senadora está nas gravações dessas sessões.) Acho que a delação do sr. Fernando de Moura sobre este assunto não é de todo fantasiosa.

 

Manuel Rui F. de Albuquerque Freitas mrafreitas@hotmail.com

Taubaté

                                                      

*

PARTIDO DO BRASIL

 

Que ótimo que vão investigar políticos do PSDB também. Oras, hoje, os brasileiros não têm partido político. Nosso partido político é o Brasil!

 

Elisabeth Migliavacca elisabeth448@gmail.com

São Paulo

 

*

‘AÉCIO AEGYPTI’

 

Dilma é vaiada no Congresso, Dilma é vaiada com panelaço quando falava sobre o “Aécio aegypti” na TV. Ora, Dilma, quer ser aplaudida e ovacionada? Pede para sair!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

TRAPALHADA

 

Mas que trapalhada foi aquela na saída da presidente Dilma do Congresso Nacional quando foi falar na abertura do ano legislativo? A presidente saindo às pressas para evitar o presidente da Câmara, assessores dela atropelando-a. Coisa mais patética e ridícula. Nem “Os Trapalhões” fariam melhor.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

VAIAS

 

Já ouvi alguém dizer que as vaias não perturbam os medíocres por que não conseguem distingui-las dos aplausos.

 

Odilon Otávio dos Santos

Marilia

 

*

PROCURA-SE PÁTRIA EDUCADORA

 

Não há como negar que a presente situação catastrófica do Brasil (econômica, de saúde, educação, etc.) é consequência da entrega do poder ao PT. A maioria elegeu, por duas vezes, Lula e a “presidenta” que custou o Brasil entre R$ 300 bilhões e R$ 1 trilhão, de acordo com as análises de Monica de Bolle e de Paulo Rabello de Castro (“Estadão”, 23/1 e 3/2, respectivamente). Precisamos, sim, construir uma Pátria Educadora que ensina seus desavisados filhas e filhos que não existe almoço de graça. Acabou a era dos caudilhos salvadores da Pátria, quem rouba não faz. Deve ficar claro para toda a população quem está, e vai continuar, a pagar esta conta insuportável, resultado de tanta incompetência, arrogância e corrupção.

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

QUEM CHEGA ANTES?

 

Fim da grande dúvida. Afinal, logo após a última eleição, muitos se perguntavam quem chegaria antes aos R$ 5,00, se o litro da gasolina, o dólar ou a ação da Petrobrás. Pois já faz alguns dias que a Bolsa derrete exatamente em razão do valor da última, abaixo dos R$ 5,00. Os que apostaram no dólar ou na gasolina não perdem por esperar. Em pouquíssimo tempo, chegarão lá. Garantem-no Lula e o PT, por meio de seus subalternos, a nossa “competenta presidenta” e seus ministros trapalhões da área econômica. Graças a essa turma, uma ação da Petrobrás não será capaz de comprar sequer um litro de gasolina. Mais revoltante ainda é lembrar que, incentivados por Lula, muitos trabalhadores adquiriram ações da Petrobrás com o seu FGTS, na esperança de fugir dos propositadamente baixíssimos rendimentos deste fundo. Hoje, constatam tristemente que foram ludibriados.

 

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

 

*

EXPLICAÇÃO

 

Quando o sr. Luiz Inácio Lula da Silva vai fazer um discurso para os trabalhadores que ele convenceu a aplicar seu FGTS nas ações da Petrobrás? Seria um grande negócio...

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

BYE, BYE, PETROBRÁS

 

Petrobrás, quem acreditou dançou; ou, como diria o outro: foi só uma marolinha.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

‘DEZ ANOS DE PRÉ-SAL’

 

Não conseguimos progredir com os políticos que aí estão, e pior é ver toda a razão de Suely Caldas no artigo “Dez anos de pré-sal” (31/1, B2), somada ao artigo de Gustavo Franco no mesmo jornal e no mesmo dia. Notamos que não temos saída. Precisamos denunciar de frente estas pessoas, pois só de artigo de jornal não está funcionando e também não funciona os jornalistas comentarem. Dá-nos a sensação de que, quando a imprensa se defronta com esses “políticos”, a imprensa treme e eles sempre saem por cima. Não dá mais para aguentar estes discursos mentirosos e as posturas de santos. Tudo o que Suely Caldas falou estamos sentindo na pele, as empresas desonestas estão acabando, apesar de seus acionistas ainda estarem bem, e as que foram pouco honestas não têm o que fazer. Como acabar com esta situação vendo o que tem aí para substituir?

 

J. F. Herbabueno jfherbabuena@gmail.com

São Paulo

 

*

NA CONTRAMÃO

 

Só o governo do PT, por sua incapacidade, não consegue ver que o Brasil está na contramão em tudo o que se faz aqui. O País está relegado ao segundo plano no contexto internacional em todas as áreas. Atualmente, o Brasil importa de 500 mil a 700 mil barris de petróleo por dia. Lá atrás, quando o barril custava US$ 130,00, a sra. presidenta, a fim de ganhar a reeleição, deixou de cobrar a Cide e subsidiou os preços da gasolina. Agora, com o barril de petróleo custando US$ 30,00 o barril, a Petrobrás, a única empresa que mantém o monopólio do petróleo, não tem condições de baixar os preços dos combustíveis, porque o povo mais uma vez tem de pagar pela má administração e pela corrupção implantada pelo PT dentro da Petrobrás. O mais correto seria privatizar a Petrobrás, e só assim conseguiremos extirpar a má administração e a corrupção, que com certeza continua na Petrobrás.

 

Urias Borrasca urias@mercosulrefratarios.com.br

Sertãozinho

 

*

PATRIOTISMO

 

Patriotismo não é salvar o Brasil do abismo, mas salvá-lo do petismo.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

A PERDA FOI MUITO MAIOR

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi duramente criticado quando falou em privatizar a Petrobrás. Agora, que a companhia não vale nada, será vendida aos pedaços para os investidores que vislumbram lucros. O governo ainda vai precisar ajudar, aliviando os impostos. Portanto, os brasileiros perderam muito mais do que se imaginava. A Petrobrás tem um endividamento enorme e o seu valor de mercado é ínfimo, inexpressivo. A política do PT sempre se mostra ineficiente e equivocada. O PT só presta mesmo para os petistas.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

PRÉ-SAL

 

O sempre brilhante professor José Goldemberg, em seu artigo de 18/1 no “Estadão” (“O fim da era do petróleo”), deixou bem claro que o pré-sal nada mais é do que uma aventura delirante do lulopetismo. Se não tivéssemos elegido um semianalfabeto como presidente e, depois, seu “poste”, que se diz economista, não estaríamos afundados neste malogro. Minha dúvida é se o fizeram por ignorância e incapacidade de considerar o futuro ou como mais uma fonte para o enriquecimento ilícito dos corruptos.

 

Gilberto B. Schlittler gschlittler2@mac.com

São Paulo

 

*

REI MIDAS

 

Conta a lenda que um rei chamado Midas tinha o poder de transformar em ouro tudo o que tocasse. Aqui, no Brasil, tem não uma lenda, porém uma realidade: tudo em que o PT toca vira corrupção. É estarrecedor ver as denúncias de corrupção que afloram todos os dias envolvendo o partido: a venda de medidas provisórias e a suspeita na compra de aviões caças envolvendo o filho do homem mais honesto do mundo são apenas algumas delas. Espelho, espelho meu, existirá no mundo alguém mais honesto que eu? Não responda! O homem que de nada sabe, pelo menos, sabe que é honesto!

 

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

 

*

GERMINAM OS PODRES DE LULA

                  

A novidade, agora, é que a Polícia Federal investiga se o espertalhão Lula também está envolvido na venda de medidas provisórias para facilitar empresas amigas do PT, como consta na Operação Zelotes. E, se este vendedor de ilusão, metido a pai dos pobres, bobear, pode ser condenado pelo nosso Judiciário, com pena igual ou maior que a de outro venal empresário amigo do Planalto, Marcelo Odebrecht, até aqui o mais corruptor da Lava Jato. Pensando bem, o ex-presidente, somente pelas indicações de picaretas em sua gestão na direção das nossas estatais, principalmente na Petrobrás, já teria merecido bons anos atrás das grades, tal a grandeza desta roubalheira. Mas de dois crimes Lula não poderá se livrar: o de, sem ter posto a “mão no bolso”, conseguir um tríplex no Guarujá, talvez o único desta bela orla da Baixada Santista com elevador privativo; e o de, sob as benesses dos superfaturamentos das obras federais, ter solicitado ao mesmo amigo que reformou seu apartamento no litoral paulista, o já condenado presidente da Construtora OAS, Léo Pinheiro, que modernizasse o sitio de Atibaia (SP), que era bem ralé e tornou-se um dos mais luxuosos desta terra tupiniquim. Lula, que veio de Garanhuns para São Paulo de pau-de-arara, está muito próximo do fim melancólico de sua carreira política, levado de camburão para trás das grades em alguma das cadeias deste país.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

LULA É EXEMPLO

 

Grande parte dos brasileiros perdoa e perdoará sempre os malfeitos de Lula porque sabe que, se tivesse tido a mesma trajetória e chances do ex-presidente, teria feito exatamente o mesmo.

 

Fabio Morganti tao2@terra.com.br

São Paulo

 

*

OPERAÇÕES DA POLÍCIA FEDERAL

 

Com um ligeiro risco de ofender, pergunto: quando chegar a hora, para certos níveis de visitantes, o nosso japonês bonzinho possuirá um uniforme de gala?

 

Murilo Luciano Filho muarilou@uol.com.br

São Paulo

 

*

A IMAGEM DA POLÍCIA MILITAR

 

Não vejo nem vislumbro qualquer problema em uma criança (menina) vestir, num ensaio fotográfico, uma farda da Polícia Militar e ter um cassetete consigo, um equipamento não letal de defesa própria e de terceiros, quando necessário. Antigamente, quando se perguntava a qualquer criança o que queria ser quando crescesse, a resposta quase sempre era “quero ser Polícia”, em sinal de respeito àqueles homens que as defendiam do “mal”. Hoje isso provoca em alguns sinais de discriminação contra estes profissionais.

 

Miguel Ribeiro da Silva mrsierra@ig.com.br

Jandira

 

*

OCEANOS

 

Biologicamente, a evolução nos mostra que aprendemos a nadar antes de andar. Mas socialmente não aprendemos a deixar em ordem o que fica para trás. Washington Novaes (5/2, A2) nos mostra esse descalabro que estamos fazendo com os oceanos, um dos muitos retratos de que não nos entendemos como seres vivos integrantes de um ecossistema planetário. A dependência dessas águas pode não ser grande hoje como morada, mas além do aumento da temperatura, é alarmante saber que em breve teremos mais plásticos jogados nos oceanos do que peixe. Homo “insapiens”!

 

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.