Fórum dos leitores

É CARNAVAL

O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2016 | 03h00

Evoé, Baco!

Cessa tudo o que a musa antiga canta, que a bacanal, valor mais alto, se levanta. Nestes dias de folia adormecem o impeachment de Dilma Rousseff, a defenestração de Eduardo Cunha, o processo de Renan Calheiros, o sítio em Atibaia, o tríplex no Guarujá. Mas as Cinzas os trarão com força total. Fora o bloco Vampiros do Brasil, que samba nos cofres do País há 13 anos.

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Maracutaia

Nesta época de roubalheira e carnaval, com licença de Caymmi, uma homenagem aos honestos: “Eu vou pra maracutaia/ Eu vou/ Eu vou levar o meu bando/ Eu vou/ Eu vou de boné petralha/ Eu vou/ Eu vou convidar a laia/ Eu vou/ Se a laia não quiser ir eu vou só/ Eu vou só/ Eu vou só sem a laia/ Mas eu vou”. (A laia quis ir, foi e está lá!)

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

Rasgando a fantasia

A época é perfeitamente adequada para rasgar a fantasia e botar o bloco na rua. Foi o que fez o sr. Bumlai, ungido como primeiro-amigo, por intermédio de seus advogados. A petição é contundente no ataque aos “... corréus, afagados e protegidos donos do Banco Schahin, aos caciques do PT ou ainda aos que compunham a Diretoria Internacional da Petrobrás”. Segundo o primeiro-amigo, o tão falado empréstimo de R$ 12.176.800,50 “feito pelo Banco Schahin foi integralmente destinado ao PT e utilizado pelo partido” como moeda de troca para realização de negócio espúrio, uma bandalheira entre o Grupo Schahin e então dirigentes da Petrobrás, “envolvendo a contratação da operação da sonda Vitória 10.000”. A petição, subscrita por um membro de ilustre família, reconhecida por seu saber jurídico, é peça de peso e merece leitura atenta. Pelo jeito, eventual delação premiada do sr. Bumlai vai chacoalhar ainda mais a tropa petista. Aguardemos, pois, o andamento do bloco que foi posto na rua.

REGINA MARIA PEÑA

reginapena.adv@hotmail.com

São Paulo

BRASIL...

Sério?

Como se já não bastasse o Poder Legislativo do Brasil ser comandado por dois réus em ações criminais – Renan Calheiros, presidente do Senado Federal, e Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, ambos integrantes da linha de sucessão direta da Presidência da República –, ainda recaem sobre o ex-presidente Lula acusações e suspeitas de seu envolvimento direto no comando do megabilionário esquema do propinoduto do mensalão e do petrolão; e sobre a atual presidente Dilma, questionamento envolvendo irresponsabilidade fiscal nas chamadas pedaladas e o financiamento irregular de campanha eleitoral. Francamente, pode-se levar a sério um país como esse?! Aliás, pesquisa de intenção de voto feita recentemente pelo PT, de olho em 2018, deixou o partido à beira de um ataque de nervos ao revelar que se a eleição fosse hoje Lula não seria eleito. A propósito, cabe citar frase célebre de Abraham Lincoln: pode-se enganar todos por algum tempo, pode-se enganar alguns por todo o tempo, mas não se pode enganar todos o tempo todo. Como se vê, o lulopetismo vai definhando, como uma estrela cadente vermelha, desbotada e sem brilho, a caminho de seu inexorável ocaso. O Brasil não é a casa da mãe Joana. Basta, vade retro!

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

O ‘MAIS HONESTO’

Alma queixosa

A alma viva mais honesta do mundo queixa-se do rigor das investigações sobre sua vida (7/2, A4). Diante desse esperneio, impossível não lembrar estas palavras de Ralph Waldo Emerson: “O que você é ecoa em meus ouvidos com tanta força que não consigo ouvir o que você diz”.

JOAQUIM QUINTINO FILHO

jqf@terra.com.br

Pirassununga

Quem se diz o mais honesto não deveria preocupar-se e pedir socorro pra todo mundo. Quem não deve não teme.

MOISES GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

Lula e a PF

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabe de muitas coisas. Mas desconhece que a Polícia Federal (PF) preza a autonomia e não dá a mínima bola para o Ministério da Justiça?!

LUIZ ANTONIO MACEDO

soulimacedo@icloud.com

São Paulo

Perguntas sem resposta

Às dez perguntas que o Estadão enviou ao Instituto Lulla e não tiveram resposta gostaria de acrescentar mais duas, mas dirigidas aos proprietários do sítio em Atibaia, os dois sócios do Lullinha: 1) Quantas vezes por mês os senhores comparecem ao sítio e por quanto tempo lá permanecem? 2) Além do casal Lulla e Marisa, a quem mais os senhores costumam emprestar o sítio? Com certeza agora serão 12 perguntas sem resposta.

MARIO MIGUEL

mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

‘Societas sceleris’

Todos os dias ficamos sabendo de mais e mais falcatruas desse governo petralha. Lula devia ter sido afastado do governo nos tempos do mensalão e Dilma passou muito da hora... Em tudo o que aparece tem petralha por trás. Ao que tudo indica, esse partido foi fundado para ser uma societas sceleris mesmo.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

FAB

Uber aéreo

A nossa gloriosa Força Aérea Brasileira (FAB) foi rebaixada por um punhado de abusados componentes dos Poderes constituídos a uma reles uber aérea disponível ao mero estalar de seus dedos e um click em seus aplicativos, enquanto pacientes na fila de transplantes e seus médicos imploram desesperadamente por um resgate de órgãos que apodrecem e perdem sua viabilidade por falta de voos! Até quando os bravos defensores dos nossos ares suportarão essa degradante situação? Em prantos devem estar lá nas nuvens e céus de brigadeiro Eduardo Gomes e tantos outros heróis das asas que deram sua valorosa vida até em terras estrangeiras que sentiram o peso de nossa pua. Tudo isso é muito triste e deprimente. Bate um desânimo e uma descrença na cidadania pátria profundos, um rastilho de fácil contágio e combustão e de difícil extinção.

KLAUS REIDER

vemakla@hotmail.com

Guarujá

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CARNAVAL

O carnaval é uma das maiores festas populares do Brasil, que merece ser respeitada e valorizada. Do Oiapoque ao Chuí, o povo brasileiro faz valer suas tradições e costumes de festa, samba, dança e congraçamento. Rio, Salvador, Olinda, Ouro Preto têm um carnaval de primeira linha, que promove o turismo do País e encanta o mundo inteiro, no ritmo de samba, frevo e maracatu. O Brasil oferece ao mundo uma bela festa popular e democrática, colorida, alegre, divertida e inclusiva. Viva o carnaval brasileiro!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

FESTA DA DESILUSÃO

Estamos fazendo parte de um filme surrealista: enquanto o carnaval está aí, com a gastança e a esbórnia, o mosquito dança e sapateia. A Olimpíada, com mais gastança, vem depois, enquanto a saúde, as finanças do País e a dignidade do povo vão para o buraco. E a Operação Lava Jato desvendando o que não dá mais para negar. Chafurdando na lama, lá vai um país. Devolvam nossa esperança!

Elisabeth Migliavacca elisabeth448@gmail.com

São Paulo

*

SÓ DEPOIS DO CARNAVAL

Os brasileiros, agora, curtem o carnaval. Aqueles assuntos sérios e chatos, como, por exemplo, o desastre no Rio Doce, o petrolão, a inflação e o desemprego, ficarão guardados na gaveta até a quarta-feira de cinzas.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

UM PÉSSIMO PREDICADO

O País passando por uma crise infinita e o povo só se preocupa com o carnaval. Que futuro podemos esperar para um país com esse predicado? Chega!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

MAMÃE EU QUERO

No Guarujá (SP) ou em Atibaia (SP), a “turma do funil” não pula mais o carnaval! Agora, da marchinha preferida eles não abrem mão: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí! Me dá um dinheiro aí!”

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

A CORRUPÇÃO ‘NORMAL’ DO PT

Lamentável e degradante por todos os aspectos foi a declaração do ex-ministro petista Gilberto Carvalho, que acha “coisa mais natural (normal) do mundo uma empreiteira reformar um sítio para o Lula”. O que literalmente confessa que o imóvel é mesmo de Lula... Assim como este serviçal do ex-presidente acha normal a reforma por R$ 777 mil, diga-se, “como propina”, feita pela mesma empreiteira, a OAS, no apartamento tríplex do Guarujá, da família Silva – idem a formação de caixa dois, fruto da roubalheira promovida pelo PT sob as ordens de Lula nas nossas estatais, que se transformaram no mensalão e no petrolão. E normal também a defesa da cúpula petista de que seus corruptos presos ou, ainda, soltos por aí são injustiçados e perseguidos. E mais normal ainda para este gente sem compromisso com a Nação, também do uso de recursos desviados dos contribuintes para campanhas eleitorais de Lula e Dilma. A declaração de Gilberto Carvalho é um nojo! Fede desprezo total pela ética! É a cara do PT.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ME DÁ, ME DÁ, ME DÁ!

Antigamente se dizia que o ano começava após o carnaval. Vamos fazer de conta que isso continua valendo? Antigamente tinha uma música que dizia “índio quer apito, se não der, pau vai comer”. Lembram? Agora, mudou um pouco por causa da corrupção e da falta de vergonha na cara de alguns ditos éticos. Agora, a música é assim: “Lula quer tríplex com cozinha Kitchens tudo de graça, se não der, pau vai comer”.

Evelin Baruqui Laranja VLhafer ebaruquivlhafer@bol.com.br  

São Paulo

*

PERIGO NO CARNAVAL

Neste feriado, confiram bem se a casa ficou bem trancada, porque a Odebrecht está entrando na casa dos outros, reformando e colocando elevador privativo... tudo sem o dono saber. Um perigo!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

UM FARDO INSUPORTÁVEL

Quem bem já definiu o ex-presidente foi o jurista Hélio Bicudo, em entrevista no programa “Roda Viva”: “(...) uma das coisas que me impressionou muito foi o enriquecimento ilícito do Lula (...) eu conheci o Lula quando morava em uma casa de 40 m², hoje o Lula é uma das grandes fortunas do País, ele e os seus filhos. Quem está atrás disso? Quem está querendo que isso venha à tona? O que o Lula fez para ser o miliardário que ele é hoje? (...) O Lula se corrompeu e corrompe a sociedade (...)”. O jurista foi expoente no PT, deputado federal e candidato a vice-governador de São Paulo na chapa com Lula. A questão do tríplex do Guarujá e do sítio de Atibaia, do ser ou não ser de propriedade da família, paira como nebulosa na cabeça das gentes de todas as camadas, tamanha a divergência no fluir das informações e no fruir das benesses. Verdade ou mentira, fica difícil de acreditar que se compra um apartamento, desejo manifesto de outros tantos cooperados que não receberam o imóvel, o dito imóvel é a junção de três unidades. O ano da renúncia à aquisição é 2009, mas que se dá em dezembro de 2015. O Instituto Lula dá uma explicação por isso e por aquilo. Idas e vindas do casal ao imóvel; reforma de quase R$ 800 mil do bolso de quem e para quem. Indubitável que tal obscuridade precisa de luz. Paga-se pela aquisição de um bem, não se recebe e não se protesta? O sítio é da família? Pode não ser, mas está confuso também. A compra da lancha feita pela esposa de Lula com endereço do sítio que “não é deles”. Ora, quem põe à disposição da família tão requintada propriedade não lhe pode adir um barco de R$ 4 mil? Mais: a OAS, investigada na Lava Jato, contratou o serviço para equipar as cozinhas requintadas do lazer praia-campo, coincidentemente a mesma firma. As manchetes referentes a Lula e à microcefalia abafaram um pouco o clamor pelo impeachment de Dilma Rousseff. Mas nem a “agenda positiva” do ministro marqueteiro vai conseguir enganar a todos. Os três vírus desnudam o SUS falido, plano de saúde (?) do povo. O insucesso do marcar a consulta; a morte do parente nos corredores e portas dos hospitais; e a greve dos peritos do INSS, não resolvida pelo governo federal, pontos negativos que aguçam a insatisfação da massa. Impeachment na flor da pele e na mente. As pedaladas fiscais são o meio. O aparente abandonado José Dirceu – braço direito de Lula –, como visto nos telejornais, demonstra fragilidade nas suas declarações, com olhar baixo a desviar do juiz Sérgio Moro. O temido, nas palavras do então deputado Roberto Jefferson, “Vossa Excelência amedronta as pessoas (...) tenho medo de Vossa Excelência”, do punho cerrado na segunda prisão, está acuado. Só explica. Condenado no mensalão (esquema de compra do apoio político), preso como investigado no petrolão, com a acusação detalhada do delator Fernando Moura, não está bem. Recebia do Zé um cala a boca para ficar fora do País. Soma em desfavor de Lula, de Dilma e do petismo. O PT estrategicamente deixou a defesa de Lula aos seus líderes no Congresso e ao Instituto Lula. Mas está atolado até o pescoço no fétido esgoto do podre poder. A ação penal conhecida com mensalão do PT deixou marcas profundas na sigla, pela condenação de vários dos seus expoentes, a começar pelo ex-ministro Dirceu (era deputado), mais José Genoino (ex-presidente do PT, era deputado), Delúbio Soares (ex-tesoureiro do PT), Silvio Pereira (era secretário geral do PT, agora no petrolão), João Paulo Cunha (ex-presidente da Câmara, era deputado). Do mensalão ao petrolão com outros petistas presos. O tesoureiro Vaccari Neto e nada menos do que o líder do governo Dilma, senador Delcídio Amaral. Alguns explicam, não justificam, são condenados. Outros explicam... explicam. A Nação não aceita mais tanta mentira e protelação, quer o impeachment de Dilma e o alijamento do PT do poder. As pesquisam estão aí. A presença nas ruas é o grito de insatisfação que transpõe fronteiras. Insuportável fardo.

Ernesto Caruso egcaruso@gmail.com

Campo Grande

*

NEGATIVAS

Eu acho que nem a certidão de nascimento de Luiz Inácio Lula da Silva está no nome dele...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

O MENDAZ JOSÉ DIRCEU

Mesmo condenado no mensalão e, atualmente, preso preventivamente por envolvimento no petrolão, o ex-ministro (imagine!) José Dirceu – ou, se preferirem, Carlos Henrique, comerciante no Paraná – continua criando estratégia para seu partido e seus companheiros de armas. Desta vez, não tendo como se livrar da torrente de acusações que lhe são imputadas, não se ateve e, entre as versões apresentadas, com sua criatividade mendaz, deixou para sua corrente política uma estratégia – no mínimo conveniente para a difícil quadra da sua sobrevivência – a informação de que atendeu a uma indicação do PSDB ao nomear Renato Duque para uma diretoria da Petrobrás. Com a costumeira hipocrisia, negou-se a apontar um dirigente, deputado ou senador do partido opositor como responsável pelo pedido. “(...) Não sou eu quem vai apontar (...).” Simplesmente “levantou a bola” para alguém arrematar a jogada. Não demorou nem dois dias ou 48 horas, surgiu o lobista e delator Fernando Moura em seu terceiro (ou seria o quarto?) para “reafirmar” mais uma vez sua participação e a do seu parceiro numa série de infrações penais. Oportunamente, como num surto de consciência, acrescentou aos termos da sua delação – talvez como recompensa por suas mentiras (idas e vindas em seus depoimentos) –, mesmo sem ser indagado, a confirmação de que o político mineiro Aécio Neves indicou Dimas Toledo para a diretoria de Furnas. Estatal federal nas alterosas! Oportuna a colaboração de um amigo de 30 anos e parceiro antigo nessas andanças, digamos, marginais da vida política nacional! Como dizem seus “companheiros”, José Dirceu não está morto politicamente – pelo menos seu intelecto dá mostra de continuar criativo e mendaz.

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

NÃO ADIANTA INSISTIR

Atenção vocês, do Judiciário e, mais especificamente, da Operação Lava Jato, aceitem este conselho: parem de gastar o dinheiro público com investigações, viagens, muitas pessoas envolvidas na busca de culpados que, ao serem encontrados, fatalmente sofrerão penas brandas, quando não serão inocentados e soltos para rirem de nossa cara. Como sabemos que, no Brasil, o político goza de imunidade parlamentar, que seus julgamentos são feitos por eles mesmos e que tudo, como sempre, acaba em pizzas ou, quando muito, em penas brandas, é muito melhor e mais barato absolvê-los, exigir o máximo de devolução do dinheiro surrupiado e cassar seus direitos políticos para sempre. E começar um novo Brasil, do zero, claro que com novas leis/regras parecidas, ou que se aproximem, com as do Japão e da Indonésia, onde as penas vão da prisão perpétua à pena de morte. Fora isso, não adianta insistir: caso você não saiba, existe uma fila interminável de novos ladrões e corruptos espalhados por todos os partidos e Estados brasileiros, à espera da sua vez para substituírem os que hoje querem se perpetuar no poder. Chega de trocar seis por meia dúzia. Acorda, Brasil.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

E A ESPERANÇA?

O atual quadro político-partidário do Brasil é lastimável: o mesmo grupo no comando há mais de 13 anos, responsável pela irrespirável e ubíqua atmosfera dominante de corrupção, tipo tríplex, pela falência da maior empresa pública, outrora motivo de orgulho, e pelas destruições da economia nacional e do prestígio internacional a que o País já fez jus; mandatária máxima que conta com somente 7% de apoio popular; oposição, presumidamente a oficial, na verdade suspeita, que não permite que qualquer outra, autêntica, decole; o maior partido político, uma mixórdia, atuando na direção de onde vem o cheiro que lhe seja mais conveniente para as manobras de poder pragmático; presidentes das duas Casas legislativas e boa parte dos respectivos plenários envolvidos em processos na Justiça, que, aliás, não é confiável; juventude desalentada, lutando com mais ardor pelo bloco no qual vai desfilar no carnaval e pelo clube de futebol do coração do que contra as mazelas que ameaçam seu futuro. E a esperança? Ainda não aflorou no horizonte. 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

NÃO CONTEM CONOSCO

Está chegando a hora de prestar contas ao Leão. Lá vai o brasileiro deixar com a Receita Federal grande parte do que ganhou. De um cidadão que receba, por exemplo, R$ 4.800,00 por mês, a Receita Federal tira 27,5%, ou espantosos R$ 1.320,00, deixando-o com um saldo de R$ 3.480,00. Então, ele faz suas compras do mês no supermercado, paga a escola de um filho, a creche do outro, o plano de saúde, o dentista, as contas (absurdas) de luz, a água e o telefone, o aluguel ou a prestação da sua casa, separa o dinheiro para a gasolina do carro ou o transporte público de todos os membros da família, paga a prestação da geladeira e da televisão, compra os remédios necessários, recolhe o IPTU. Faz apenas o básico. Tudo isso com impostos generosos embutidos nos valores pagos. No fim, não vai sobrar nada para poupar ou para gastar. O governo diz que o País só vai crescer se este cidadão consumir, comprar. A pergunta é: como? Grande parte de sua renda foi entregue ao governo, antes mesmo que ele pusesse a mão nela. Não há como consumir nada. Portanto, sr. Nelson Barbosa e dona Dilma Rousseff, não contem conosco.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

ELA NÃO TOMA JEITO

Depois das contas de luz do Brasil subirem, em média, 50% no ano passado, dona Dilma vem com esta conversa mole de bandeirinhas coloridas de festa junina, para anunciar descontos ridículos a partir de março.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

LOROTA

Dilma Rousseff continua insistindo e defendendo nova cobrança da CPMF, alegando que é para o País voltar a crescer. Presidente, então são bravatas suas alegações de que a finalidade é a saúde pública? Ou seja, mais uma vez está mentindo, né não? Sabe aquela canção de Luiz Gonzaga chamada “Lorota Boa”? Eu complementaria: “Que mentira que lorota boa”.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

VAI FALTAR REPARTIÇÃO

Enquanto a presidente Dilma continua gritando pela CPMF até sob vaia e panelaços, se convocarem todos os funcionários públicos concursados ou não, vai faltar repartição. Melhor contar com uma boa gestão, porque a CPMF o povo grita que “NÃO”!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO RECLAMEM

Estão reclamando do quê? Brasileiro só se mobiliza e se reúne para rezar, pular carnaval e assistir ao futebol. Cada povo tem o governo que merece!

Euclides Souza euclidessn@icloud.com

São Paulo

*

EMERGÊNCIA NA SAÚDE

A nossa saúde pública, por meio do Ministério da Saúde, das Secretarias Estaduais e Municipais, sempre foi um fracasso, seja por gestão, corrupção e/ou por culpa de apadrinhados políticos. A chance de a dengue, a chikungunya ou o zika se transformarem em epidemia mundial é real, principalmente pelos inúmeros estrangeiros que virão ao Brasil tanto pelo carnaval quanto para a Olimpíada. Temos, ainda, a agravante de ser um país imenso, diferente no caso da epidemia de Ebola. Infelizmente, deveríamos avaliar estes eventos e cancelá-los.

Luiz Antônio Costa Donelli ldonelli@terra.com.br

São Paulo

*

EPIDEMIA DUPLA

Segundo as más línguas, a falência do sistema de saúde brasileiro se deve a duas pragas sequenciais: a primeira, o PT, e a segunda, o zika vírus e toda a sua base de sustentação política.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

GUERRA AO MOSQUITO

Espantei-me com os termos da declaração de guerra da presidente Dilma Rousseff ao Aedes aegypti: empregará as Forças Armadas, que iniciarão o combate em suas próprias trincheiras, quer dizer, os quartéis! Não tinha conhecimento de que os descuidados e irresponsáveis militares deixaram grassar nos seus quintais o insidioso inimigo. Omissão da mídia dominada pelas elites, que preferiu apontar infestação na Esplanada dos Ministérios e no Palácio da Alvorada. Que ninguém se assuste nem se surpreenda, é apenas o jeito Dilma de estimular e prestigiar a gente fardada. E de fornecer subsídios à continuação do Febeapá, obra inacabada e insuperável do saudoso Stanislaw Ponte Preta.

Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com

Salvador

*

ZIKA VÍRUS

A dona Zika do Planalto, como todo comunista e terrorista, já arrumou um inimigo para enganar o povo brasileiro. Os “petralhas” não cuidaram de combater os mosquitos nas cidades e são responsáveis por tudo o que agora acontece com relação à infestação de Aedes aegypti. O que foi? Mariana não deu certo? Saiam daí já, cambada de sem escrúpulos!

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

O DRAMA DA MICROCEFALIA

Eu penso, neste momento, nas pobres criancinhas que já nasceram com o destino traçado por uma doença que os limitará para o resto de sua vida, e penso nestes nossos embrutecidos e bem aquinhoados políticos que se abastecem com os nossos impostos, pagos com dinheiro, sangue, suor e lágrimas.

Mara Herdade maraherdade@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.