Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2016 | 03h00

Evolução de métodos

Praticamente toda a minha vida profissional transcorreu dentro das montadoras de veículos, quase toda ela no ABC. Muito antes de o PT vir a ser um sonho de sindicalistas, tive a oportunidade de acompanhar o surgimento de Lula como líder carismático e poderoso do também poderoso Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo. Vivenciei diversas greves comandadas por ele e em pelo menos duas delas fui testemunha de técnica infalível para aumentar a adesão ao movimento grevista, especialmente do pessoal mensalista de escritório, então mais resistente à pressão do movimento do que os horistas do chão de fábrica. A “corda de mer...” – na verdade, uma corda untada com graxa, apesar do estranho nome – era esticada por dois grevistas, um em cada ponta, e movida, numa altura pouco maior que a da cintura das pessoas, por toda a extensão dos escritórios. Os mensalistas paravam de trabalhar e saíam rapidamente das salas, muitos deles desconfiados de que a substância que untava as cordas correspondesse ao nome. É notável observar, neste governo que resultou daquele início sindicalista, o quanto evoluíram e se aperfeiçoaram determinados métodos, depois de todas estas décadas. É incrível, hoje, como cresce continuamente a quantidade de trabalhadores que param de trabalhar, atingidos que são pelo desemprego resultante da absurda incompetência deste governo do Partido dos Trabalhadores, que, aliás, há muito tempo deixou de fazer jus ao nome, se é que algum dia fez. Mesmo sem corda nenhuma, hoje o PT é muito mais eficiente em deixar milhões de trabalhadores e suas famílias na “graxa”.

LAZAR KRYM

lkrym@terra.com.br

São Paulo

Perspectiva sombria

Enquanto o Brasil empobrece, o PT enriquece. Lula arrota caviar e o brasileiro se pega caçando as últimas moedinhas. Será que já chegamos ao fundo do poço?

MARA MENDES

maraherdade@gmail.com

São Paulo

Desemprego só aumenta

Em breve estaremos no fundo do poço. O número de desempregados subiu 41,5% em um ano, conforme o IBGE, e já ultrapassa 9,1 milhões. A crise econômica, política e moral está se agravando. Renuncie, dona Dilma. Não suportamos mais! Já chamam o PT de partido dos trabalhadores sem emprego. Em breve poderão fazer justiça com as próprias mãos... Cuidado!

FERNANDO SILVA

lfd.dasilva@uol.com.br

São Paulo

A trágica herança de Dilma

O governo Dilma Rousseff/Nelson Barbosa assemelha-se, na economia, ao vazamento da represa da Samarco no Vale do Rio Doce: vai destruindo tudo, sem condições de reparação previsível. Os críticos estão fixados nas consequências desastrosas da economia apenas nos anos de 2016 a 2018. E até estão otimistas. Mas esses efeitos se estenderão por um período bem mais longo, sacrificando uma possível recuperação do País em horizonte de tempo próximo. Os índices econômicos têm sido sempre bem piores para o futuro do que os prognósticos de Dilma e Barbosa. A queda da economia este ano já está prevista em 2,9% e a previsão de inflação subiu para 7,5%. O pior não é isso. Mesmo que se consiga reverter esse quadro para uma melhora, o País demorará muito a se recuperar, e uma parte jamais se recuperará. Temos atualmente cerca de 10 milhões de desempregados. Quando a economia começar a melhorar, as empresas passarão a recontratar buscando, no entanto, pessoas mais jovens, com mais e melhores qualificações. Grande parte dos atuais desempregados, portanto, não conseguirá colocação, alguns por algum tempo e muitos para sempre. Outras especializações serão requeridas das pessoas, como também de empresas, que estarão tecnicamente defasadas, e algumas não sobreviverão. Assim, o desmoronamento da barragem da Samarco será reproduzido na sociedade com ainda elevado desemprego e empresas encerradas até futuro longínquo. Dessa forma, os resultados maléficos do governo atual, como os gastos muito acima do recomendável, perdurarão por algumas décadas à frente. Para 46% da população, o abastecimento de água e energia elétrica vai piorar. Esta tragédia brasileira deveria incentivar a sociedade a buscar, o mais rapidamente possível, um governo de melhor qualidade e com mais competência, já que nosso Congresso não tem a preocupação de melhorar o País.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Corte de R$ 25 bilhões

O Orçamento da União é uma peça de ficção digna de Spielberg. Precisamos saber quantos dos 130 mil cargos em comissão foram de fato cortados do aparelhamento da máquina estatal. Deveríamos ter, no máximo, 10 ministérios dos 39 existentes. Parece até com empresário falido que quer manter o avião, o iate, a casa na praia e a chácara (nada que ver com o Lulla), as viagens para o exterior, etc. e tal. E nós somos permanentemente os pagantes. 

JAIR NISIO

jair@smartwood.com.br

Curitiba

Sem direitos e garantias

O PT quebrou o País e as liberdades. Para tentar recompor as finanças públicas, dilapidadas pelo PT, tudo é válido; a disciplina jurídica das liberdades individuais e coletivas arde na fogueira da nossa destruição. Correto está o ministro Marco Aurélio Mello ao divergir da maioria que se forma no STF e defender o direito do cidadão ao seu sigilo bancário, salvo suspeição e decisão fundamentada do juiz competente. A presunção é de que todos os brasileiros, assaltados pelo lulopetismo, sejam um bando de salafrários.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Indiscrições de alcova

Mais uma do Franklin Martins. Lemos no blog do Antagonista a notícia: “A decisão da velha amante de Fernando Henrique Cardoso de falar com a imprensa nasceu em Lisboa, na Rua das Janelas Verdes, 1. É ali que mora Franklin Martins, junto com sua mulher, Monica. A velha amante de FHC disse que foi estimulada a falar sobre o caso depois de conversar longamente com Monica...”. Eu tinha a certeza de que havia petralha nessa trama tola. Se o FHC teve ou não amante, o problema é dele e de sua família. Se a tal Mirian tivesse recebido cartão corporativo, viajasse no avião presidencial às escondidas muita vezes, carregasse dólares ou euros em carro-forte em Portugal em nome do presidente, entre outras bandalheiras no cargo público, daí a coisa deveria ser levada à investigação e à Justiça. Essa passagem vai embora como veio. Os defensores do Lula não sabem mais como defendê-lo dos rolos em que ele se meteu, crente de que era um ser inatingível.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O DIA EM QUE O BRASIL ACORDOU VENEZUELA

Na quarta-feira, 17 de fevereiro, o Brasil acordou Venezuela. Desde a estranhíssima liminar concedida pelo conselheiro Valter Shuenquener de Araújo, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), suspendendo os depoimentos de Lula e Marisa Letícia ao Ministério Público de São Paulo (atendendo a um pedido de terceiros estranhos ao caso), até a baderna promovida pela CUT e a Juventude do PT na frente do Fórum Criminal da Barra Funda, no melhor estilo chavista, tudo nos recorda a Venezuela de Chávez e Maduro. Para a democracia, foi um dia triste. Para os espoliados pela Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), a justiça ficou mais distante. Para proteger Lula, ambos os protagonistas deixaram de lado as vítimas de um caso que se arrasta há anos e que, finalmente, talvez fosse solucionado agora. Pelo jeito, para o CNMP e para o PT, Lula é muito mais importante do que aquelas 6292 famílias brasileiras. 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com 

Florianópolis

*

CONFRONTO

Estarrecedor, para dizer o mínimo, o ocorrido na frente do Fórum Criminal da Barra Funda, onde ocorreria o depoimento do casal da Silva na quarta-feira: uma maioria de bandoleiros pagos para apoiar o "chefão" atacando a minoria de manifestantes contrários. Esta é a democracia apregoada e defendida pelo "Partido dos Trambiqueiros".

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 

São Caetano do Sul 

*

NO FÓRUM DA BARRA FUNDA

A "briga de torcidas" dura até a improvável manutenção dos respectivos "empregos"...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

INSTITUIÇÕES FUNCIONANDO?

Uma liminar do Conselho Nacional do Ministério Público suspendeu a audiência na qual Lula e sua esposa, Marisa, prestariam depoimento ao promotor de Justiça Cássio Conserino. Será que as instituições brasileiras estão realmente funcionando ou têm algumas pessoas que estão acima e à margem da lei? 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br  

Americana

*

DEU ERRADO

Um tríplex no Guarujá, na Praia das Astúrias, de frente para o mar, com elevador privativo para conforto maior de suas excelências, totalmente decorado ao gosto do "provável" proprietário, e tudo isso sem que ele colocasse a mão no bolso, tudo à custa de construtoras muito solícitas. Um sítio enorme em Atibaia, cuja escritura está em nome de Jonas Suassuna e de Fernando Bittar, que devem ser alérgicos aos ares do campo, pois disponibilizaram o uso (e o fruto) de sua propriedade à família Lula da Silva, que se empenhou em deixá-la o mais possível ao gosto do pobre operário, filho de mãe analfabeta: tudo de luxuoso, de mais caro, nos mínimos detalhes. E, curioso, nada disso saído de seu bolso, porque os donos das construtoras amam Lula demais. É uma pena que dona Marisa tenha desistido do tríplex que ela visitou inúmeras vezes, atenta aos mínimos detalhes de acabamento. Alegou que, depois de exposto pela mídia, já não teria a privacidade necessária ao descanso da família. É uma pena, também, que o mesmo tenha acontecido com o Sítio Santa Bárbara. O entorno todo do sítio, incluindo o território brasileiro, sabe que Lula poderia, com a fortuna amealhada, ter comprado estes e mais quantos imóveis quisesse, mas preferiu poupar seu bolso. Significa que tudo o que foi tão carinhosamente planejado pelo casal da Silva deu errado. Oh, que lástima! Perdeu! Perdeu!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriva@gmail.com

São Paulo

*

O PRESENTE

A telefônica Oi instalou uma antena de celular perto do enigmático sítio de Atibaia. Há um ditado popular que diz que "não existe almoço grátis". O Ministério Público de Portugal descobriu, pela Operação Marques, que em 2010 o então presidente Lula, juntamente com José Dirceu, convenceu o primeiro-ministro José Sócrates a autorizar a compra de 23% da Oi pela operadora de telefonia Portugal Telecomunicações. A transação financeira custou 3,7 bilhões de euros aos cofres públicos lusitanos. Vários políticos portugueses participaram da ilicitude, e atualmente Sócrates está preso por corrupção. Gostaria muito que o Ministério Público Federal brasileiro se pronunciasse sobre o fato.

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

CELULAR?

A assessoria do Instituto Lula afirmou que o ex-presidente não possui aparelho celular. Para dar mais credibilidade, só faltou acrescentar que ele não sabia da existência de uma torre de cobertura de celular praticamente exclusiva a menos de 150 metros do Sítio Santa Bárbara em Atibaia (SP).

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br 

Campinas

*

TERGIVERSANDO, COMO SEMPRE

É e será o Lula de sempre. Muito loquaz quando da sua conveniência, não aquenta mais falar do que não fala de jeito algum.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br 

São Paulo

*

TUDO PRONTO

No direito brasileiro quem tem a posse tem tudo. Daqui a alguns anos o posseiro do Sítio Santa Bárbara extrairá vantagens infinitas de todos esses proveitosos debates, pinçando o lado bom e prático de sua estratégia. É que o acervo probatório formatado de graça pelos jornais está em harmonia com a jurisprudência dos tribunais e tudo pronto a formalizar o exercício da posse mansa, pacífica e longeva da propriedade rural. Enfim, nosso guia preenche todos os requisitos a alcançar, de forma espetacular, o tão sonhado usucapião. Tudo pronto, deve agradecer à imprensa democrática, o que lhe poupará maiores gastos com editais, caríssima instrução probatória. E com tantas provas a configurar fato público e notório, resultará num julgamento rápido pela incidência do princípio da economia processual, em que seu domínio será deferido e a propriedade de veraneio das terras que formatam o Sítio Santa Bárbara, "ad eterno", se perpetuará (com a redundância que convém) em seu nome e/ou de sucessores, agregando outro tópico nas futuras declarações de bens, restando-lhe averbar a sentença à margem da matrícula respectiva na serventia imobiliária da comarca. Alguém tem dúvidas? Eventuais prejudicados, como a família Bittar, poderão ingressar com embargos de terceiros para questionar a posse, impedir o domínio, opinando pelo indeferimento. O Movimento dos Sem-Terra poderá ingressar como "amicus curiae" do requerente. Por fim, ouvido o Ministério Público, opinará favoravelmente; o rol de testemunhas a afastar dúvidas sobre o exercício da posse, mansa e pacífica, não é problema: os éditos jornalísticos já elencaram futuros depoentes, assim como as provas de tantas benfeitorias, úteis e voluptuárias, economizando na perícia que se desdobraria em quesitos para mostrar no bojo dos autos as já existentes e as erigidas por bondosos "prepostos". Outrora havia o risco de se deslocar o processo à Justiça Federal, caso o Ministério Público Federal ou a Advocacia-Geral da União (AGU) manifestassem interesse, se nas terras de Lula antigamente fossem ocupadas por aldeias indígenas. Tudo pronto. 

Arnaldo Cordeiro Montenegro ac.montenegro@uol.com.br 

São Paulo

*

REFÚGIO EM ATIBAIA

Dá para entender Lula ter um sítio aqui, onde moro? Ele e Dilma não venceram aqui, a última vez que o PT teve candidato a prefeito foi em 1988 e, dos atuais 17 vereadores, nenhum é deste partido que manda no Brasil há quatro mandatos seguidos. Em vez de Lula, que tal Mauricio Macri ou David Cameron, aqui, em Atibaia? Admiro os dois.

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com 

Atibaia

*

MELHOR ASSUMIR

Lula deveria de uma vez por todas deixar de forçar sua trupe a defendê-lo a qualquer custo de possíveis culpas. Partir de assumir seu apartamento tríplex no Guarujá e seu sítio em Atibaia e, ainda, quem sabe, tirar outras dúvidas dos seus angustiados eleitores sobre os possíveis bens imputados a ele: uma ilha em Angra dos Reis; uma fazenda na Argentina com grande número de cabeças de gado; contas bancárias no Uruguai e em Cayman Islands, entre outras, bem como participações na JBS. Nada é imoral, se adquirido com licitude.

Leila E. Leitão

São Paulo 

*

UM DIA É DA CAÇA...

 

Lula, que não moveu nenhuma palha a favor dos condenados petistas, agora pede e não consegue apoio dos mesmos nas falcatruas do tríplex e do sítio em Atibaia. O outro dia é do caçador...

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

EU ACREDITO

Lula, eu acredito que tem mão sua no caso da morte do prefeito Celso Daniel. Lula, eu acredito que você é o mandante e principal beneficiário de todos os esquemas de corrupção do Brasil, mensalão, petrolão, etc. Lula, eu acredito que você sabe onde está o dinheiro do caixa 2 do PT. Lula, eu acredito que, apesar de você ter implantado alguns programas sociais importantes, sua gestão foi um desastre e a sucessora que você colocou no seu lugar é uma desgraça para o País. Lula, eu acredito que o Brasil seria um lugar melhor sem você. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

EM DEFESA DE LULA

Em defesa de seu mentor, tutor e criador, Lula, a cada dia mais sitiado pelas impactantes revelações de envolvimento com inúmeros e nebulosos malfeitos, tanto na esfera pública quanto na privada, Dilma Rousseff disse, há pouco, que "o País, a América Latina e o mundo precisam de uma liderança com as características do presidente Lula". Diante de tal disparate, é de pensar se, em vez de impeachment, sua saída do governo não deveria ser por necessidade urgente de internação psiquiátrica, pois não?! Definitivamente, a mulher parece estar variando!

J. S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo

*

BRASILZUELA

Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil terá 2.º pior desempenho do mundo em 2016. Só a Venezuela deve ter resultado pior, segundo previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI). Finalmente, o Partido dos Trabalhadores (PT) atingiu o seu objetivo de levar o Brasil a ser uma Venezuela, com sua corrupção e incompetência exacerbadas. Eles, os "petralhas bolivarianos", milionários, e nós, brasileiros de todas as regiões, no fundo do poço do Brasil agora transformado em Brasilzuela. Reação imediata é necessária para devolver o Brasil aos brasileiros: manifestem-se nas ruas e em todas instâncias!

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br 

São Paulo

*

DE MAL A PIOR

Se em 2015 o comportamento da nossa economia foi péssimo, tudo indica que em 2016, pelas projeções dos analistas, será pior. O desmoralizado governo Dilma, que conseguiu autorização do Congresso para apresentar um déficit inédito e humilhante de R$ 111,2 bilhões no ano passado, tampouco conseguirá o prometido e mísero superávit de 0,5% do PIB para este ano. Um dos pais das pedaladas fiscais, hoje ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, jogando a toalha, quer introduzir uma meta flexível para formação do superávit primário e, de quebra, uma nova autorização do nosso Parlamento, para entregar outro e vergonhoso déficit também em 2016, de 1% do PIB.  E como tudo o que este governo projeta não cumpre, é lógico que, por falta de competência, não vamos nos surpreender se o déficit deste ano alcançar 2% - que, aliado a uma queda prevista do PIB de até 4%, inflação em torno de 8% e provavelmente mais um triste contingente de 2,5 milhões de brasileiros desempregados neste ano, o que nos resta é rezar para que este governo, de forma urgente, mude de mãos.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

NO INFERNO

O artigo de Fernão Lara Mesquita no "Estadão" de 19/2 intitula-se "A última porta antes do inferno", um nome sugestivo, mas bonzinho diante da atual situação precária das contas públicas brasileiras. Porque, como ele disse, se o governo, só com as obrigações anuais indispensáveis, já cria déficit de 6% ao ano acima da inflação, nós "já estamos no inferno", e não na última porta antes dele. Este artigo deveria ser impresso como "Bíblia" e entregue aos nossos parlamentares, para que o decorem. Assim, quem sabe, ao aprovarem o Orçamento do próximo ano, tenham consciência do real papel deles naquela casa e a responsabilidade com o futuro do País. Não esquecendo que, acabando o Brasil, eles cairão junto. A "presidenta" Dilma fez o pacto com o diabo, mas insiste em nos levar ao inferno junto. 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

PROPOSTAS DE RAUL VELLOSO

Fernão Lara Mesquita, em seu artigo "A última porta antes do inferno" ("Estadão", 19/2, A2), cita seis medidas aconselhadas por Raul Velloso para a possibilidade de atenuar a situação calamitosa em que nos encontramos, fruto deste péssimo, incompetente, desastroso, corrupto e truculento governo, entre outras adjetivações. Gostaria de me ater à que propõe limitar as pensões de aposentadoria do morto a 70%. Vale lembrar os pífios valores de nossas aposentadorias após longos anos de trabalho. Com grande frequência, como médico, vejo os filhos custeando o valor dos planos de saúde destas viúvas (mães), para que possam ter um atendimento melhor. Estas já ultrapassaram a tal última porta antes do inferno. Imaginem, ainda, reduzir esses valores? Não é justo que até os mortos custeiem os espertos, larápios políticos e este "vivo" governo do PT. 

Claudio A. S. Baptista clabap45@gmail.com

São Paulo

*

ANTES DE ENTRAR

Como sempre, excelente o artigo de Fernão Lara Mesquita intitulado "A última porta antes do inferno" (19/2, A2). Para resumir nossa atual fase, só faltou fechar o artigo com a última frase da porta do Inferno de Dante: "Deixai toda esperança, vós que entrais".

Ivo de Almeida Prado Xavier ivoaprado@terra.com.br 

São Paulo

*

O BRASIL REBAIXADO

De tanto ser rebaixado pelas agências de classificação de risco, o Brasil está deixando de emergir para, provavelmente, ser rebaixado do Terceiro Mundo.

Walter Menezes wm-menezes@uol.com.br 

São Roque 

*

GRITO CONTRA A CRISE

Como brasileiro, sinto-me envergonhado perante o mundo com mais este rebaixamento de nosso rating. Somos um navio à deriva, uma nau sem rumo vagando sem saber para onde ir. Bem jovem ainda, lembro-me de que na revolução de 1964 um grande jornal paulista, não me lembro se "Folha" ou "Estadão", com o País na mesma situação, lançou um editorial de primeira página alertando sobre a situação e pedindo um rumo seguro para o País. Hoje, lamentavelmente, não temos uma liderança, um nome, um grande homem que possa fazer isso, mas com certeza ainda temos um grande jornal com responsabilidade, moral e autoridade para lançar este grito que está preso na garganta de milhões de brasileiros. Peço, menos em meu nome, que já vivi muito, e mais nos de meus netos, que ainda estarão por aqui por algum tempo, desesperadamente, que façam isso! 

Armando Cândido Borges acb32@uol.com.br 

Vinhedo

*

CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS

Economista e com mestrado e doutorado no exterior, é comum me reunir com os colegas pelo menos uma vez por ano. Então estou presente tanto aqui, no País, como lá fora. Quando o Brasil ganhou grau de investimento, em 2008, fui alvo de chacotas pelos colegas, porque eles não viam nos nossos fundamentos motivos para tanto. Não tinha como contestá-los, pois realmente nada era defensável. Aventaram até a possibilidade de as agências de risco terem recebido propina. E não deixa de fazer sentido, pois com o Brasil quebrado não temos de onde tirar para praticar tais atos, se é que existiram. Mas que faz sentido faz, porque estamos na mesma situação econômica do governo Sarney. Falta pouco para uma moratória. Pelo menos não sofro mais gozações.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

ADMINISTRAÇÃO PETISTA

Nos 13 anos de PT no governo, a única coisa que subiu foi a corrupção. O resto caiu. O PT está estudando para ver se o Viagra faz alguma coisa do seu governo subir.

Ronald Martins da Cunha ronaldcunha@Hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

NA CORDA BAMBA

O cidadão de qualquer classe social, que acompanha pari-passo a atual conjuntura política, administrativa, econômica e social do nosso país, por motivos óbvios, não consegue mais dormir o sono reparador dos justos. O que ainda está de pé já quase não se sustenta, a adversidade chegou às raias do absurdo. O cidadão acreditou na propaganda petista do crédito fácil e abundante, comprou seu automóvel, a casa própria e outros bens duráveis, aproveitou enquanto pôde, chegou a conta e foi demitido. O sonho de ter galgado alguns degraus nas classes sociais foi abortado, ele não tem mais condições de honrar seus compromissos, necessita devolvê-los ou calotear seus credores. O pequeno, o médio e o grande empresários também acreditaram e se ferraram. Os pedidos minguaram e as máquinas pararam, este é o triste espetáculo, no palco do circo dos horrores, que foi plantado nestes 13 anos de incompetência administrativa e corrupção periférica do lulopetismo. O que podemos esperar agora, com a maior taxa de juros do mundo, com 10% da massa trabalhadora desempregada, pequenas e médias empresas dando um tempo ou encerrando suas atividades, uma inflação já na casa dos dois dígitos, crescimento zero da economia e o fantasma do desemprego assustando outros milhares de brasileiros, que estão na corda bamba? O que será dos pobres mortais, que já não estão conseguindo honrar os mais básicos compromissos pessoais? Que Deus olhe pelo nosso sofrido país.

Aloisio A. De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br 

Limeira

*

SE...

Se todos os atos administrativos do Executivo, do Legislativo e do Judiciário fossem transparentes, voltados para o crescimento socioeconômico da Nação, se o erário fosse administrado corretamente, fazendo com que cada tostão tenha realmente o seu valor de face, se os investimento em educação, saúde e segurança, itens básicos necessários à formação digna do cidadão, fossem pauta indissolúvel das esferas publicas, não precisaríamos estar passando por tudo isso que estamos vivendo, numa pátria de mais de 200 milhões de pessoas onde o dia de amanhã tornou-se uma incógnita. Por essa e exclusiva razão é que todos os responsáveis deverão ser exemplarmente punidos, destituídos e impedidos até o fim de sua vida de ocuparem qualquer cargo em qualquer esfera que envolva administração pública, bem como as empresas privadas envolvidas na marginalização da administração.

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com 

Matão

*

PRIVATIZAÇÃO SEM MEDO

 

Para a grande maioria do povo brasileiro que paga impostos e não vive nas tetas do governo a solução para o Brasil é simples: basta privatizar a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, etc. Para que a "presidenta" entenda, privatizar significa vender apenas o controle acionário. Com essas empresas bem geridas e sem "malfeitos" para desviá-las dos seus objetivos, só com os dividendos provenientes das ações nas mãos do Estado (máximo de 49%) o governo poderia bancar programas sociais e ainda reduzir inúteis e inchados órgãos de controle. De resto, se beneficiariam os funcionários de carreira, os acionistas minoritários e o contribuinte brasileiro. Sem aumento de impostos!

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

*

SUGESTÕES NÃO FALTAM

Em reunião convocada pelo Planalto no início do ano com líderes empresariais, ministros e outros, foi colocado o aceite a sugestões no sentido de substituir e evitar a recriação da famigerada CPMF. Ora, sugestões não faltam, como apontado pelo deputado Nelson Marchezan Jr., isto é, o corte das remunerações de servidores acima do teto estabelecido na Constituição; mais a eliminação dos milhares de cargos comissionados ocupados pela "cumpanheirada"; e, quem sabe, a cooperação dos congressistas em abdicarem das despesas com verbas de representação e cabides de empregos em seus gabinetes. Evidente que o problema geral somente com a aplicação dessas medidas não será solucionado, mas traria um certo alívio e agastaria a pretensão absurda da absurda validação da CPMF.

Geraldo C. Meirelles gmeirelles.adv@gmail.com 

São Paulo

*

VERGONHOSA CONCESSÃO

O trecho da rodovia BR163 no Estado de Mato Grosso compreendido entre as cidades de Cuiabá e Rondonópolis, com pouco menos de 300 km de extensão, é seguramente um dos mais esburacados do Brasil no que pese escoar a quase totalidade da produção de grãos produzidos no referido Estado. Nesse péssimo trecho rodoviário, a empresa que explora o referido trecho, ou melhor, tem a concessão de exploração, cobra pedágio por sua utilização. Simplesmente uma vergonha com a conivência das autoridades do setor, ou, melhor, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Mas não se trata só disso, não, a referida concessionária é a Odebrecht, aquela da Operação Lava Jato. Em qualquer lugar do planeta Terra, quando de uma concessão, primeiro, faz-se a obra e, depois da conclusão, sim, pode-se cobrar por sua utilização. Uma vergonha!

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

SOMOS ISSO...

As denúncias dos malfeitos praticados por poderosos da vida brasileira pouco indignam. Aqueles que deveriam gerir a Nação, comumente chamados no Primeiro Mundo de inteligentes, se acovardam e se calam de forma criminosa. Seria esse silêncio uma confissão do mea-culpa pelas pedras atiradas nos governos passados quando tínhamos lei, ordem, trabalho e progresso individual/familiar, mas que hoje posam de indignados, quando eles mesmos foram os maiores dignitários do bom viver sem esforço? Impossível ignorar os malfeitos praticados por muitos desses personagens nos anos 60/70 que transformaram o País nesta terra arrasada, nojenta, cínica, hipócrita. Pagamos o preço da irresponsabilidade dessa gente e o atual quadro não deveria surpreender. Somos um país sem face ou símbolos humanos, vejam nossa moeda... Sentem vergonha de nossa rica história. Povo de minoria culta e pensante, sabedor de sua impotência perante a situação e diante de uma maioria que reflete a ignorância, a esperteza, que optou pela permanência dos planos assistenciais, nos levaram a isso. Respeito às leis? Nem pensar. Se a liberdade é o direito de fazer tudo o que a lei permite, então se dane a lei, num retrato amargo e triste do comportamento exemplificado por graduados funcionários empenhados que, de forma patética, desqualificam inquéritos oriundos de investigação do próprio poder público, que eles representam. Agem como defensores de ilicitudes. Diante das provas provadas, nada acontece, absolutamente nada. Enquanto isso, seguiremos assistindo a milhares de vidas comprometidas pela tuberculose, pelo zika e pela dengue aqui reinstalados há mais de década e que julgávamos extirpados de nosso Brasil. Essa conta é de vocês, atuais e ex.

 

Adilson Mencarini adilsonmencarini@uol.com.br 

Guarulhos

*

VIRAR O JOGO

 

Sou do tempo que se falava que "o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil". Felizmente, criamos a Embrapa, dominamos a saúva e, sob todos os aspectos, sobressaímos na agropecuária. Hoje o entrave brasileiro é administrativo e político. Parafraseando, podemos dizer que "ou apeamos um determinado partido político do poder ou o tal partido político acaba com o Brasil". Está em nossas mãos, de nós, eleitores, e de forma democrática, virar o jogo. Quem sabe assim o Brasil aposta na educação para deslanchar honestamente e, com igual oportunidade a todos, adentrarmos no seleto grupo do Primeiro Mundo, como é o sonho da maioria dos brasileiros.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br  

Vila Velha (ES)

*

SEM RUMO

"Devagar se chega longe", diz o ditado antigo. Este, porém, não serve para o governo federal comandado pelo PT desde janeiro de 2003. Mais apropriado seria "devagar se vai a lugar nenhum". Pois estamos assistindo desde o começo do governo Dilma a um amontoado de pessoas dando cabeçadas, perdidas em relação a tudo o que as cerca no campo social, moral, político, jurídico e, principalmente, na economia. Assemelha-se ao período nefasto de Sarney e de Collor, com a desvantagem de que mesmo naqueles governos houve ao menos tentativas de acerto e melhoria em vários campos, algo que não ocorre neste inerte governo de Dilma.

    

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br 

Bauru

*

FINAL FELIZ

Diante do atual contexto do País, Dilma Rousseff declara: "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronta! Digam ao povo que eu saio".

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

DILMA ROUSSEFF E O TSE

A presidente Dilma Rousseff fez a sua defesa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e acusou: o PSDB faz "uso político" na Justiça. Em qual Justiça? A do PT? Se houvesse oposição, é o mínimo que devem fazer. Uma obrigação do político. Se assim fosse, não haveria tanta roubalheira e corrupção exercidas sem limites pelo "Partido dos Trambiqueiros", que usa e abusa do "mau uso político" do Brasil por 13 anos, afrontando a Ju$tiça e o povo brasileiro. Alguém duvida? Não há advogado que recuse defender os ilícitos da "petralhada", pelos elevados honorários que pagam com os desvios de recursos do erário e das estatais, podendo até fazer o uso de suborno para conseguirem o êxito do injustificável, em detrimento dos cidadãos brasileiros e do País. Por i$$o o rito do impeachment foi mudado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Já se esqueceram? Não perdem a vergonha mesmo!  

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br 

São Paulo

*

AJUDINHA DO STF

Antes que Delcídio Amaral abrisse a boca, eis que surge mais uma vez o Supremo Tribunal Federal (STF) para salvar a presidente Dilma Rousseff, soltando o senador, mesmo tendo ele sido pego em flagrante delito. Já a tinha ajudado antes, ao modificar todo o rito do impeachment no Congresso. É ou não é um Estado bolivariano, onde tudo está controlado pelo governo, inclusive a mais alta Corte do País? E ainda chamam isso de democracia.

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

Já que mandaram soltar (também) o senador Delcídio do Amaral, por que não libertam logo todo mundo e acabam com a Justiça?

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

*

ENFIM, O FIM

O País está quebrado; o zika vírus está matando e aleijando; as escolas estão sem dinheiro para consertar uma simples impressora; no Rio de Janeiro, forjaram uma cena em frente a uma borracharia para o presidente do Banco Central recolher um pneu (plantado) e jogá-lo numa caçamba, simulando o combate ao mosquito Aedes aegypti; assassinatos em Copacabana, em São Paulo, em Manaus, etc.; torre de celular, sítio e apartamento exclusivos para Lula; bilhões roubados - todos sabem quem foi, mas até agora "não foi ninguém"; e  os nossos ilustres representantes na Câmara dos Deputados e no Senado, governadores, presidentes e ex-presidentes discutem, agora, sobre as... amantes! Enfim, chegou mesmo o fim!

Edson Gomes edsoncontec@uol.com.br 

São Paulo

*

DESVIAR O FOCO, JOGO SUJO

Não podemos cair nesta artimanha criada de forma suspeita num momento de grande desgaste para o PT, muito "coincidentemente". O Brasil atravessa a pior crise em toda a sua história, com uma economia derretendo, PIB de -4,08% em 2015, rebaixamento mais uma vez de sua nota de risco num espaço de cinco meses, sem perspectivas de melhoras, indústrias parando, centenas de milhares de lojas fechando, inflação em alta e desemprego idem. O brasileiro está mais pobre, não se sabe aonde isso vai dar e quando vai parar. As perspectivas são péssimas. Por outro lado, o mito Lula igualmente derrete com a mal explicada existência de um tríplex no Guarujá, um sítio em Atibaia, uma torre de celular particular, tudo pago com dinheiro de empresas que desviavam recursos da Petrobrás, ou seja, com o nosso dinheiro, que ele alega não ser nada seu, mas tudo emprestado, até mesmo o celular. Então, emerge agora, do nada, um assunto com cheiro e aspecto de fofoca em relação à vida íntima do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que nem sequer governava à época, nem pai biológico é do filho da tal Miriam Dutra, jornalista que alega fatos um tanto esdrúxulos, um deles já desmentido pela Rede Globo. Enfim, não podemos de modo algum permitir desviar nossa atenção da gravidade da crise que vivemos nem da irresponsabilidade da presidente, que não tem ideia de como nos tirar dessa situação por ela mesma criada. Seria muita ingenuidade desviar nosso foco desses problemas todos que afetam nossa vida. Deixemos, pois, FHC terminar seus dias em paz, já que fez pelo País mais do que qualquer outro presidente na nossa história recente, legado que foi completamente destruído por este partido chamado PT e que se dizia detentor da ética e da bondade social. Sejamos prudentes e espertos, e não massa de manobra. É o que essa tigrada mais quer, colocar tudo numa mesma vala. Mas não vão conseguir, não desta vez.  

Eliana França Leme efleme@terra.com.br 

São Paulo

*

FIM DA LINHA

A coisa está feia para o PT. A única justificativa que sobrou é afirmar que o PSDB também rouba.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

A OPOSIÇÃO NÃO APRENDEU

A "oposição" aposta no desgaste de Lula. Foi o que fizeram na época do mensalão, e vejam o que aconteceu. Com uma oposição dessa, fica "melzinho na chupeta" ser governo. É claro que deve haver um bom motivo! Sabe de nada, inocente!

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br 

São Paulo

*

TRANSPARÊNCIA TOTAL

Para o bem do País, é necessário saber o que há por trás dos desmandos na Petrobrás; da possível e quase certa improbidade administrativa do ex-presidente Lula e são também necessárias investigação completa e punição de todos os envolvidos no hediondo crime do desvio de dinheiro da merenda escolar e cartel dos trens em São Paulo. Também cabe investigar qual o interesse de Geraldo Alckmin em adiar meio século a abertura sobre os dados da segurança, o que, para mim, que votei sempre nele, gera uma grande decepção e desconfiança. O Ministério Público tem de agir com urgência nesses casos.

  

Alberto Souza Daneu curtasuasaude@uol.com.br 

Osasco

 

*

DOAÇÕES DE CAMPANHA

Empresas investigadas no cartel do metrô bancaram 56% da última campanha de Alckmin. As empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato doaram para todos os partidos com quantias maiores para o PT e PSDB. Há alguma justificativa plausível para que só doações ao PT sejam investigadas?

Francisco Nascimento Xavier franciscoxavier1000@gmail.com 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

O DIA EM QUE O BRASIL ACORDOU VENEZUELA

 

Na quarta-feira, 17 de fevereiro, o Brasil acordou Venezuela. Desde a estranhíssima liminar concedida pelo conselheiro Valter Shuenquener de Araújo, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), suspendendo os depoimentos de Lula e Marisa Letícia ao Ministério Público de São Paulo (atendendo a um pedido de terceiros estranhos ao caso), até a baderna promovida pela CUT e a Juventude do PT na frente do Fórum Criminal da Barra Funda, no melhor estilo chavista, tudo nos recorda a Venezuela de Chávez e Maduro. Para a democracia, foi um dia triste. Para os espoliados pela Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), a justiça ficou mais distante. Para proteger Lula, ambos os protagonistas deixaram de lado as vítimas de um caso que se arrasta há anos e que, finalmente, talvez fosse solucionado agora. Pelo jeito, para o CNMP e para o PT, Lula é muito mais importante do que aquelas 6292 famílias brasileiras.

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

CONFRONTO

 

Estarrecedor, para dizer o mínimo, o ocorrido na frente do Fórum Criminal da Barra Funda, onde ocorreria o depoimento do casal da Silva na quarta-feira: uma maioria de bandoleiros pagos para apoiar o “chefão” atacando a minoria de manifestantes contrários. Esta é a democracia apregoada e defendida pelo “Partido dos Trambiqueiros”.

 

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

 

*

NO FÓRUM DA BARRA FUNDA

 

A “briga de torcidas” dura até a improvável manutenção dos respectivos “empregos”...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

INSTITUIÇÕES FUNCIONANDO?

 

Uma liminar do Conselho Nacional do Ministério Público suspendeu a audiência na qual Lula e sua esposa, Marisa, prestariam depoimento ao promotor de Justiça Cássio Conserino. Será que as instituições brasileiras estão realmente funcionando ou têm algumas pessoas que estão acima e à margem da lei?

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

 

*

DEU ERRADO

 

Um tríplex no Guarujá, na Praia das Astúrias, de frente para o mar, com elevador privativo para conforto maior de suas excelências, totalmente decorado ao gosto do “provável” proprietário, e tudo isso sem que ele colocasse a mão no bolso, tudo à custa de construtoras muito solícitas. Um sítio enorme em Atibaia, cuja escritura está em nome de Jonas Suassuna e de Fernando Bittar, que devem ser alérgicos aos ares do campo, pois disponibilizaram o uso (e o fruto) de sua propriedade à família Lula da Silva, que se empenhou em deixá-la o mais possível ao gosto do pobre operário, filho de mãe analfabeta: tudo de luxuoso, de mais caro, nos mínimos detalhes. E, curioso, nada disso saído de seu bolso, porque os donos das construtoras amam Lula demais. É uma pena que dona Marisa tenha desistido do tríplex que ela visitou inúmeras vezes, atenta aos mínimos detalhes de acabamento. Alegou que, depois de exposto pela mídia, já não teria a privacidade necessária ao descanso da família. É uma pena, também, que o mesmo tenha acontecido com o Sítio Santa Bárbara. O entorno todo do sítio, incluindo o território brasileiro, sabe que Lula poderia, com a fortuna amealhada, ter comprado estes e mais quantos imóveis quisesse, mas preferiu poupar seu bolso. Significa que tudo o que foi tão carinhosamente planejado pelo casal da Silva deu errado. Oh, que lástima! Perdeu! Perdeu!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriva@gmail.com

São Paulo

 

*

O PRESENTE

 

A telefônica Oi instalou uma antena de celular perto do enigmático sítio de Atibaia. Há um ditado popular que diz que “não existe almoço grátis”. O Ministério Público de Portugal descobriu, pela Operação Marques, que em 2010 o então presidente Lula, juntamente com José Dirceu, convenceu o primeiro-ministro José Sócrates a autorizar a compra de 23% da Oi pela operadora de telefonia Portugal Telecomunicações. A transação financeira custou 3,7 bilhões de euros aos cofres públicos lusitanos. Vários políticos portugueses participaram da ilicitude, e atualmente Sócrates está preso por corrupção. Gostaria muito que o Ministério Público Federal brasileiro se pronunciasse sobre o fato.

 

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

CELULAR?

 

A assessoria do Instituto Lula afirmou que o ex-presidente não possui aparelho celular. Para dar mais credibilidade, só faltou acrescentar que ele não sabia da existência de uma torre de cobertura de celular praticamente exclusiva a menos de 150 metros do Sítio Santa Bárbara em Atibaia (SP).

 

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

*

TERGIVERSANDO, COMO SEMPRE

 

É e será o Lula de sempre. Muito loquaz quando da sua conveniência, não aquenta mais falar do que não fala de jeito algum.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

*

TUDO PRONTO

 

No direito brasileiro quem tem a posse tem tudo. Daqui a alguns anos o posseiro do Sítio Santa Bárbara extrairá vantagens infinitas de todos esses proveitosos debates, pinçando o lado bom e prático de sua estratégia. É que o acervo probatório formatado de graça pelos jornais está em harmonia com a jurisprudência dos tribunais e tudo pronto a formalizar o exercício da posse mansa, pacífica e longeva da propriedade rural. Enfim, nosso guia preenche todos os requisitos a alcançar, de forma espetacular, o tão sonhado usucapião. Tudo pronto, deve agradecer à imprensa democrática, o que lhe poupará maiores gastos com editais, caríssima instrução probatória. E com tantas provas a configurar fato público e notório, resultará num julgamento rápido pela incidência do princípio da economia processual, em que seu domínio será deferido e a propriedade de veraneio das terras que formatam o Sítio Santa Bárbara, “ad eterno”, se perpetuará (com a redundância que convém) em seu nome e/ou de sucessores, agregando outro tópico nas futuras declarações de bens, restando-lhe averbar a sentença à margem da matrícula respectiva na serventia imobiliária da comarca. Alguém tem dúvidas? Eventuais prejudicados, como a família Bittar, poderão ingressar com embargos de terceiros para questionar a posse, impedir o domínio, opinando pelo indeferimento. O Movimento dos Sem-Terra poderá ingressar como “amicus curiae” do requerente. Por fim, ouvido o Ministério Público, opinará favoravelmente; o rol de testemunhas a afastar dúvidas sobre o exercício da posse, mansa e pacífica, não é problema: os éditos jornalísticos já elencaram futuros depoentes, assim como as provas de tantas benfeitorias, úteis e voluptuárias, economizando na perícia que se desdobraria em quesitos para mostrar no bojo dos autos as já existentes e as erigidas por bondosos “prepostos”. Outrora havia o risco de se deslocar o processo à Justiça Federal, caso o Ministério Público Federal ou a Advocacia-Geral da União (AGU) manifestassem interesse, se nas terras de Lula antigamente fossem ocupadas por aldeias indígenas. Tudo pronto.

 

Arnaldo Cordeiro Montenegro ac.montenegro@uol.com.br

São Paulo

 

*

REFÚGIO EM ATIBAIA

 

Dá para entender Lula ter um sítio aqui, onde moro? Ele e Dilma não venceram aqui, a última vez que o PT teve candidato a prefeito foi em 1988 e, dos atuais 17 vereadores, nenhum é deste partido que manda no Brasil há quatro mandatos seguidos. Em vez de Lula, que tal Mauricio Macri ou David Cameron, aqui, em Atibaia? Admiro os dois.

 

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com

Atibaia

 

*

MELHOR ASSUMIR

 

Lula deveria de uma vez por todas deixar de forçar sua trupe a defendê-lo a qualquer custo de possíveis culpas. Partir de assumir seu apartamento tríplex no Guarujá e seu sítio em Atibaia e, ainda, quem sabe, tirar outras dúvidas dos seus angustiados eleitores sobre os possíveis bens imputados a ele: uma ilha em Angra dos Reis; uma fazenda na Argentina com grande número de cabeças de gado; contas bancárias no Uruguai e em Cayman Islands, entre outras, bem como participações na JBS. Nada é imoral, se adquirido com licitude.

 

Leila E. Leitão

São Paulo

 

*

UM DIA É DA CAÇA...

 

Lula, que não moveu nenhuma palha a favor dos condenados petistas, agora pede e não consegue apoio dos mesmos nas falcatruas do tríplex e do sítio em Atibaia. O outro dia é do caçador...

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

EU ACREDITO

 

Lula, eu acredito que tem mão sua no caso da morte do prefeito Celso Daniel. Lula, eu acredito que você é o mandante e principal beneficiário de todos os esquemas de corrupção do Brasil, mensalão, petrolão, etc. Lula, eu acredito que você sabe onde está o dinheiro do caixa 2 do PT. Lula, eu acredito que, apesar de você ter implantado alguns programas sociais importantes, sua gestão foi um desastre e a sucessora que você colocou no seu lugar é uma desgraça para o País. Lula, eu acredito que o Brasil seria um lugar melhor sem você.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

EM DEFESA DE LULA

 

Em defesa de seu mentor, tutor e criador, Lula, a cada dia mais sitiado pelas impactantes revelações de envolvimento com inúmeros e nebulosos malfeitos, tanto na esfera pública quanto na privada, Dilma Rousseff disse, há pouco, que “o País, a América Latina e o mundo precisam de uma liderança com as características do presidente Lula”. Diante de tal disparate, é de pensar se, em vez de impeachment, sua saída do governo não deveria ser por necessidade urgente de internação psiquiátrica, pois não?! Definitivamente, a mulher parece estar variando!

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

BRASILZUELA

 

Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil terá 2.º pior desempenho do mundo em 2016. Só a Venezuela deve ter resultado pior, segundo previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI). Finalmente, o Partido dos Trabalhadores (PT) atingiu o seu objetivo de levar o Brasil a ser uma Venezuela, com sua corrupção e incompetência exacerbadas. Eles, os “petralhas bolivarianos”, milionários, e nós, brasileiros de todas as regiões, no fundo do poço do Brasil agora transformado em Brasilzuela. Reação imediata é necessária para devolver o Brasil aos brasileiros: manifestem-se nas ruas e em todas instâncias!

 

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

 

*

DE MAL A PIOR

 

Se em 2015 o comportamento da nossa economia foi péssimo, tudo indica que em 2016, pelas projeções dos analistas, será pior. O desmoralizado governo Dilma, que conseguiu autorização do Congresso para apresentar um déficit inédito e humilhante de R$ 111,2 bilhões no ano passado, tampouco conseguirá o prometido e mísero superávit de 0,5% do PIB para este ano. Um dos pais das pedaladas fiscais, hoje ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, jogando a toalha, quer introduzir uma meta flexível para formação do superávit primário e, de quebra, uma nova autorização do nosso Parlamento, para entregar outro e vergonhoso déficit também em 2016, de 1% do PIB.  E como tudo o que este governo projeta não cumpre, é lógico que, por falta de competência, não vamos nos surpreender se o déficit deste ano alcançar 2% – que, aliado a uma queda prevista do PIB de até 4%, inflação em torno de 8% e provavelmente mais um triste contingente de 2,5 milhões de brasileiros desempregados neste ano, o que nos resta é rezar para que este governo, de forma urgente, mude de mãos.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

NO INFERNO

 

O artigo de Fernão Lara Mesquita no “Estadão” de 19/2 intitula-se “A última porta antes do inferno”, um nome sugestivo, mas bonzinho diante da atual situação precária das contas públicas brasileiras. Porque, como ele disse, se o governo, só com as obrigações anuais indispensáveis, já cria déficit de 6% ao ano acima da inflação, nós “já estamos no inferno”, e não na última porta antes dele. Este artigo deveria ser impresso como “Bíblia” e entregue aos nossos parlamentares, para que o decorem. Assim, quem sabe, ao aprovarem o Orçamento do próximo ano, tenham consciência do real papel deles naquela casa e a responsabilidade com o futuro do País. Não esquecendo que, acabando o Brasil, eles cairão junto. A “presidenta” Dilma fez o pacto com o diabo, mas insiste em nos levar ao inferno junto.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

PROPOSTAS DE RAUL VELLOSO

 

Fernão Lara Mesquita, em seu artigo “A última porta antes do inferno” (“Estadão”, 19/2, A2), cita seis medidas aconselhadas por Raul Velloso para a possibilidade de atenuar a situação calamitosa em que nos encontramos, fruto deste péssimo, incompetente, desastroso, corrupto e truculento governo, entre outras adjetivações. Gostaria de me ater à que propõe limitar as pensões de aposentadoria do morto a 70%. Vale lembrar os pífios valores de nossas aposentadorias após longos anos de trabalho. Com grande frequência, como médico, vejo os filhos custeando o valor dos planos de saúde destas viúvas (mães), para que possam ter um atendimento melhor. Estas já ultrapassaram a tal última porta antes do inferno. Imaginem, ainda, reduzir esses valores? Não é justo que até os mortos custeiem os espertos, larápios políticos e este “vivo” governo do PT.

 

Claudio A. S. Baptista clabap45@gmail.com

São Paulo

 

*

ANTES DE ENTRAR

 

Como sempre, excelente o artigo de Fernão Lara Mesquita intitulado “A última porta antes do inferno” (19/2, A2). Para resumir nossa atual fase, só faltou fechar o artigo com a última frase da porta do Inferno de Dante: “Deixai toda esperança, vós que entrais”.

 

Ivo de Almeida Prado Xavier ivoaprado@terra.com.br

São Paulo

 

*

O BRASIL REBAIXADO

 

De tanto ser rebaixado pelas agências de classificação de risco, o Brasil está deixando de emergir para, provavelmente, ser rebaixado do Terceiro Mundo.

 

Walter Menezes wm-menezes@uol.com.br

São Roque

 

*

GRITO CONTRA A CRISE

 

Como brasileiro, sinto-me envergonhado perante o mundo com mais este rebaixamento de nosso rating. Somos um navio à deriva, uma nau sem rumo vagando sem saber para onde ir. Bem jovem ainda, lembro-me de que na revolução de 1964 um grande jornal paulista, não me lembro se “Folha” ou “Estadão”, com o País na mesma situação, lançou um editorial de primeira página alertando sobre a situação e pedindo um rumo seguro para o País. Hoje, lamentavelmente, não temos uma liderança, um nome, um grande homem que possa fazer isso, mas com certeza ainda temos um grande jornal com responsabilidade, moral e autoridade para lançar este grito que está preso na garganta de milhões de brasileiros. Peço, menos em meu nome, que já vivi muito, e mais nos de meus netos, que ainda estarão por aqui por algum tempo, desesperadamente, que façam isso!

 

Armando Cândido Borges acb32@uol.com.br

Vinhedo

 

*

CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS

 

Economista e com mestrado e doutorado no exterior, é comum me reunir com os colegas pelo menos uma vez por ano. Então estou presente tanto aqui, no País, como lá fora. Quando o Brasil ganhou grau de investimento, em 2008, fui alvo de chacotas pelos colegas, porque eles não viam nos nossos fundamentos motivos para tanto. Não tinha como contestá-los, pois realmente nada era defensável. Aventaram até a possibilidade de as agências de risco terem recebido propina. E não deixa de fazer sentido, pois com o Brasil quebrado não temos de onde tirar para praticar tais atos, se é que existiram. Mas que faz sentido faz, porque estamos na mesma situação econômica do governo Sarney. Falta pouco para uma moratória. Pelo menos não sofro mais gozações.

 

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

ADMINISTRAÇÃO PETISTA

 

Nos 13 anos de PT no governo, a única coisa que subiu foi a corrupção. O resto caiu. O PT está estudando para ver se o Viagra faz alguma coisa do seu governo subir.

 

Ronald Martins da Cunha ronaldcunha@Hotmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

NA CORDA BAMBA

 

O cidadão de qualquer classe social, que acompanha pari-passo a atual conjuntura política, administrativa, econômica e social do nosso país, por motivos óbvios, não consegue mais dormir o sono reparador dos justos. O que ainda está de pé já quase não se sustenta, a adversidade chegou às raias do absurdo. O cidadão acreditou na propaganda petista do crédito fácil e abundante, comprou seu automóvel, a casa própria e outros bens duráveis, aproveitou enquanto pôde, chegou a conta e foi demitido. O sonho de ter galgado alguns degraus nas classes sociais foi abortado, ele não tem mais condições de honrar seus compromissos, necessita devolvê-los ou calotear seus credores. O pequeno, o médio e o grande empresários também acreditaram e se ferraram. Os pedidos minguaram e as máquinas pararam, este é o triste espetáculo, no palco do circo dos horrores, que foi plantado nestes 13 anos de incompetência administrativa e corrupção periférica do lulopetismo. O que podemos esperar agora, com a maior taxa de juros do mundo, com 10% da massa trabalhadora desempregada, pequenas e médias empresas dando um tempo ou encerrando suas atividades, uma inflação já na casa dos dois dígitos, crescimento zero da economia e o fantasma do desemprego assustando outros milhares de brasileiros, que estão na corda bamba? O que será dos pobres mortais, que já não estão conseguindo honrar os mais básicos compromissos pessoais? Que Deus olhe pelo nosso sofrido país.

 

Aloisio A. De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

 

*

SE...

 

Se todos os atos administrativos do Executivo, do Legislativo e do Judiciário fossem transparentes, voltados para o crescimento socioeconômico da Nação, se o erário fosse administrado corretamente, fazendo com que cada tostão tenha realmente o seu valor de face, se os investimento em educação, saúde e segurança, itens básicos necessários à formação digna do cidadão, fossem pauta indissolúvel das esferas publicas, não precisaríamos estar passando por tudo isso que estamos vivendo, numa pátria de mais de 200 milhões de pessoas onde o dia de amanhã tornou-se uma incógnita. Por essa e exclusiva razão é que todos os responsáveis deverão ser exemplarmente punidos, destituídos e impedidos até o fim de sua vida de ocuparem qualquer cargo em qualquer esfera que envolva administração pública, bem como as empresas privadas envolvidas na marginalização da administração.

 

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

Matão

 

*

PRIVATIZAÇÃO SEM MEDO

 

Para a grande maioria do povo brasileiro que paga impostos e não vive nas tetas do governo a solução para o Brasil é simples: basta privatizar a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, etc. Para que a “presidenta” entenda, privatizar significa vender apenas o controle acionário. Com essas empresas bem geridas e sem “malfeitos” para desviá-las dos seus objetivos, só com os dividendos provenientes das ações nas mãos do Estado (máximo de 49%) o governo poderia bancar programas sociais e ainda reduzir inúteis e inchados órgãos de controle. De resto, se beneficiariam os funcionários de carreira, os acionistas minoritários e o contribuinte brasileiro. Sem aumento de impostos!

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

 

*

SUGESTÕES NÃO FALTAM

 

Em reunião convocada pelo Planalto no início do ano com líderes empresariais, ministros e outros, foi colocado o aceite a sugestões no sentido de substituir e evitar a recriação da famigerada CPMF. Ora, sugestões não faltam, como apontado pelo deputado Nelson Marchezan Jr., isto é, o corte das remunerações de servidores acima do teto estabelecido na Constituição; mais a eliminação dos milhares de cargos comissionados ocupados pela “cumpanheirada”; e, quem sabe, a cooperação dos congressistas em abdicarem das despesas com verbas de representação e cabides de empregos em seus gabinetes. Evidente que o problema geral somente com a aplicação dessas medidas não será solucionado, mas traria um certo alívio e agastaria a pretensão absurda da absurda validação da CPMF.

 

Geraldo C. Meirelles gmeirelles.adv@gmail.com

São Paulo

 

*

VERGONHOSA CONCESSÃO

 

O trecho da rodovia BR163 no Estado de Mato Grosso compreendido entre as cidades de Cuiabá e Rondonópolis, com pouco menos de 300 km de extensão, é seguramente um dos mais esburacados do Brasil no que pese escoar a quase totalidade da produção de grãos produzidos no referido Estado. Nesse péssimo trecho rodoviário, a empresa que explora o referido trecho, ou melhor, tem a concessão de exploração, cobra pedágio por sua utilização. Simplesmente uma vergonha com a conivência das autoridades do setor, ou, melhor, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Mas não se trata só disso, não, a referida concessionária é a Odebrecht, aquela da Operação Lava Jato. Em qualquer lugar do planeta Terra, quando de uma concessão, primeiro, faz-se a obra e, depois da conclusão, sim, pode-se cobrar por sua utilização. Uma vergonha!

 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

 

*

SOMOS ISSO...

 

As denúncias dos malfeitos praticados por poderosos da vida brasileira pouco indignam. Aqueles que deveriam gerir a Nação, comumente chamados no Primeiro Mundo de inteligentes, se acovardam e se calam de forma criminosa. Seria esse silêncio uma confissão do mea-culpa pelas pedras atiradas nos governos passados quando tínhamos lei, ordem, trabalho e progresso individual/familiar, mas que hoje posam de indignados, quando eles mesmos foram os maiores dignitários do bom viver sem esforço? Impossível ignorar os malfeitos praticados por muitos desses personagens nos anos 60/70 que transformaram o País nesta terra arrasada, nojenta, cínica, hipócrita. Pagamos o preço da irresponsabilidade dessa gente e o atual quadro não deveria surpreender. Somos um país sem face ou símbolos humanos, vejam nossa moeda... Sentem vergonha de nossa rica história. Povo de minoria culta e pensante, sabedor de sua impotência perante a situação e diante de uma maioria que reflete a ignorância, a esperteza, que optou pela permanência dos planos assistenciais, nos levaram a isso. Respeito às leis? Nem pensar. Se a liberdade é o direito de fazer tudo o que a lei permite, então se dane a lei, num retrato amargo e triste do comportamento exemplificado por graduados funcionários empenhados que, de forma patética, desqualificam inquéritos oriundos de investigação do próprio poder público, que eles representam. Agem como defensores de ilicitudes. Diante das provas provadas, nada acontece, absolutamente nada. Enquanto isso, seguiremos assistindo a milhares de vidas comprometidas pela tuberculose, pelo zika e pela dengue aqui reinstalados há mais de década e que julgávamos extirpados de nosso Brasil. Essa conta é de vocês, atuais e ex.

 

Adilson Mencarini adilsonmencarini@uol.com.br

Guarulhos

 

*

VIRAR O JOGO

 

Sou do tempo que se falava que “o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil”. Felizmente, criamos a Embrapa, dominamos a saúva e, sob todos os aspectos, sobressaímos na agropecuária. Hoje o entrave brasileiro é administrativo e político. Parafraseando, podemos dizer que “ou apeamos um determinado partido político do poder ou o tal partido político acaba com o Brasil”. Está em nossas mãos, de nós, eleitores, e de forma democrática, virar o jogo. Quem sabe assim o Brasil aposta na educação para deslanchar honestamente e, com igual oportunidade a todos, adentrarmos no seleto grupo do Primeiro Mundo, como é o sonho da maioria dos brasileiros.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

 

*

SEM RUMO

 

“Devagar se chega longe”, diz o ditado antigo. Este, porém, não serve para o governo federal comandado pelo PT desde janeiro de 2003. Mais apropriado seria “devagar se vai a lugar nenhum”. Pois estamos assistindo desde o começo do governo Dilma a um amontoado de pessoas dando cabeçadas, perdidas em relação a tudo o que as cerca no campo social, moral, político, jurídico e, principalmente, na economia. Assemelha-se ao período nefasto de Sarney e de Collor, com a desvantagem de que mesmo naqueles governos houve ao menos tentativas de acerto e melhoria em vários campos, algo que não ocorre neste inerte governo de Dilma.

   

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

 

*

FINAL FELIZ

 

Diante do atual contexto do País, Dilma Rousseff declara: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronta! Digam ao povo que eu saio”.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

DILMA ROUSSEFF E O TSE

 

A presidente Dilma Rousseff fez a sua defesa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e acusou: o PSDB faz “uso político” na Justiça. Em qual Justiça? A do PT? Se houvesse oposição, é o mínimo que devem fazer. Uma obrigação do político. Se assim fosse, não haveria tanta roubalheira e corrupção exercidas sem limites pelo “Partido dos Trambiqueiros”, que usa e abusa do “mau uso político” do Brasil por 13 anos, afrontando a Ju$tiça e o povo brasileiro. Alguém duvida? Não há advogado que recuse defender os ilícitos da “petralhada”, pelos elevados honorários que pagam com os desvios de recursos do erário e das estatais, podendo até fazer o uso de suborno para conseguirem o êxito do injustificável, em detrimento dos cidadãos brasileiros e do País. Por i$$o o rito do impeachment foi mudado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Já se esqueceram? Não perdem a vergonha mesmo! 

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

*

AJUDINHA DO STF

 

Antes que Delcídio Amaral abrisse a boca, eis que surge mais uma vez o Supremo Tribunal Federal (STF) para salvar a presidente Dilma Rousseff, soltando o senador, mesmo tendo ele sido pego em flagrante delito. Já a tinha ajudado antes, ao modificar todo o rito do impeachment no Congresso. É ou não é um Estado bolivariano, onde tudo está controlado pelo governo, inclusive a mais alta Corte do País? E ainda chamam isso de democracia.

 

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

 

Já que mandaram soltar (também) o senador Delcídio do Amaral, por que não libertam logo todo mundo e acabam com a Justiça?

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

ENFIM, O FIM

 

O País está quebrado; o zika vírus está matando e aleijando; as escolas estão sem dinheiro para consertar uma simples impressora; no Rio de Janeiro, forjaram uma cena em frente a uma borracharia para o presidente do Banco Central recolher um pneu (plantado) e jogá-lo numa caçamba, simulando o combate ao mosquito Aedes aegypti; assassinatos em Copacabana, em São Paulo, em Manaus, etc.; torre de celular, sítio e apartamento exclusivos para Lula; bilhões roubados – todos sabem quem foi, mas até agora “não foi ninguém”; e  os nossos ilustres representantes na Câmara dos Deputados e no Senado, governadores, presidentes e ex-presidentes discutem, agora, sobre as... amantes! Enfim, chegou mesmo o fim!

 

Edson Gomes edsoncontec@uol.com.br

São Paulo

 

*

DESVIAR O FOCO, JOGO SUJO

 

Não podemos cair nesta artimanha criada de forma suspeita num momento de grande desgaste para o PT, muito “coincidentemente”. O Brasil atravessa a pior crise em toda a sua história, com uma economia derretendo, PIB de -4,08% em 2015, rebaixamento mais uma vez de sua nota de risco num espaço de cinco meses, sem perspectivas de melhoras, indústrias parando, centenas de milhares de lojas fechando, inflação em alta e desemprego idem. O brasileiro está mais pobre, não se sabe aonde isso vai dar e quando vai parar. As perspectivas são péssimas. Por outro lado, o mito Lula igualmente derrete com a mal explicada existência de um tríplex no Guarujá, um sítio em Atibaia, uma torre de celular particular, tudo pago com dinheiro de empresas que desviavam recursos da Petrobrás, ou seja, com o nosso dinheiro, que ele alega não ser nada seu, mas tudo emprestado, até mesmo o celular. Então, emerge agora, do nada, um assunto com cheiro e aspecto de fofoca em relação à vida íntima do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que nem sequer governava à época, nem pai biológico é do filho da tal Miriam Dutra, jornalista que alega fatos um tanto esdrúxulos, um deles já desmentido pela Rede Globo. Enfim, não podemos de modo algum permitir desviar nossa atenção da gravidade da crise que vivemos nem da irresponsabilidade da presidente, que não tem ideia de como nos tirar dessa situação por ela mesma criada. Seria muita ingenuidade desviar nosso foco desses problemas todos que afetam nossa vida. Deixemos, pois, FHC terminar seus dias em paz, já que fez pelo País mais do que qualquer outro presidente na nossa história recente, legado que foi completamente destruído por este partido chamado PT e que se dizia detentor da ética e da bondade social. Sejamos prudentes e espertos, e não massa de manobra. É o que essa tigrada mais quer, colocar tudo numa mesma vala. Mas não vão conseguir, não desta vez. 

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

 

*

FIM DA LINHA

 

A coisa está feia para o PT. A única justificativa que sobrou é afirmar que o PSDB também rouba.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

A OPOSIÇÃO NÃO APRENDEU

 

A “oposição” aposta no desgaste de Lula. Foi o que fizeram na época do mensalão, e vejam o que aconteceu. Com uma oposição dessa, fica “melzinho na chupeta” ser governo. É claro que deve haver um bom motivo! Sabe de nada, inocente!

 

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

TRANSPARÊNCIA TOTAL

 

Para o bem do País, é necessário saber o que há por trás dos desmandos na Petrobrás; da possível e quase certa improbidade administrativa do ex-presidente Lula e são também necessárias investigação completa e punição de todos os envolvidos no hediondo crime do desvio de dinheiro da merenda escolar e cartel dos trens em São Paulo. Também cabe investigar qual o interesse de Geraldo Alckmin em adiar meio século a abertura sobre os dados da segurança, o que, para mim, que votei sempre nele, gera uma grande decepção e desconfiança. O Ministério Público tem de agir com urgência nesses casos.

 

Alberto Souza Daneu curtasuasaude@uol.com.br

Osasco

 

*

DOAÇÕES DE CAMPANHA

 

Empresas investigadas no cartel do metrô bancaram 56% da última campanha de Alckmin. As empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato doaram para todos os partidos com quantias maiores para o PT e PSDB. Há alguma justificativa plausível para que só doações ao PT sejam investigadas?

 

Francisco Nascimento Xavier franciscoxavier1000@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.