Fórum dos Leitores

SOB NOVA DIREÇÃO

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2016 | 03h06

Balanço do lulopetismo

Qual é o vocábulo correto, golpe ou rombo?!

JORGE MEMA BERNABA

jorgebernaba@gmail.com

Araçatuba

Pior que o esperado

Caro Wagner Moura, cara Fernanda Montenegro e outros artistas afins, não existe golpe nenhum, Dilma, a incompetente, cometeu crime de responsabilidade, quebrou o Brasil e deixou um rombo de R$ 170,5 bilhões. A propósito, sobre o fim do Ministério da Cultura (MinC), já foi tarde, acabou a mamata para artistas vagabundos que mamavam na teta do governo. Quem está triste com o fim do MinC procure o Ministério do Trabalho, faça alguma coisa de útil, vá trabalhar e ajudar o Brasil a se reerguer da M... que o PT fez.

RAFAEL LUIGGI VICENTE BOROCZ

rafael.luiggi@gmail.com

Curitiba

Enquanto Michel Temer e sua competente equipe trabalham arduamente para tentar consertar o desastre econômico feito pelo PT, Caetano Veloso e Erasmo Carlos fazem showzinho para tentar manter a teta do MinC que, com dinheiro público, patrocina atividades de milionários pretensos artistas.

ADALBERTO LEME

adaleme@uol.com.br

São Paulo

Artistas?

“O artista tem que estar onde o povo está”, diz a música de Milton Nascimento que virou verdadeiro mantra nas manifestações pelas Diretas-Já. Temos visto muitas manifestações de cantores e atores encampando a tese do suposto golpe, as quais afrontam a opinião da grande maioria da população brasileira, que apoia o impeachment. Portanto, os famosos não estão onde o povo está. De duas, uma: ou a frase da letra da canção é uma falácia ou os tais manifestantes, na verdade, são pseudoartistas, mais preocupados em manter as benesses e os favores legais que usufruíram nos últimos 13 anos. Parece-me que a conclusão mais razoável é óbvia.

JOSÉ ANTONIO BRAZ SOLA

jose.sola@globomail.com

São Paulo

Frouxidão

Michel Temer já cedeu ao fisiologismo na formação do Ministério e na escolha do seu líder na Câmara dos Deputados. Se voltar atrás no caso do Ministério da Cultura, estará perdido: vai virar mais uma marionete dos petralhas, confirmando não passar de mais do mesmo. Decepcionante. Aí, melhor devolver a cadeira, pedir perdão de joelhos à “chefa” e voltar pra casa. Para quem queria fazer História...

LENITA C. DOS SANTOS

São Paulo

Fique esperto

Presidente Temer, todo o cuidado é pouco, 180 dias parecem muito, mas não são, principalmente com as artimanhas, os entraves e conchavos arranjados pelo PT e seus asseclas.

FERNANDO PASTORE JUNIOR

fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

Palavras ao vento

Todas as vezes que ouço Dilma falar em “golpe” me vem à cabeça o velho ditado “os cães ladram e a caravana passa”.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

Gestão criminosa

A divulgação do déficit real é a prova cabal da administração criminosa e irresponsável do governo Dilma. O crime perpetrado por ela e comparsas deve ser punido com rigor e servir de exemplo para não termos jamais a possibilidade de repetir esse desastre nas contas públicas do País.

OSCAR SECKLER MULLER

oscarmuller2211@gmail.com

São Paulo

É grana paca!

R$ 170 bilhões de déficit são 170 bilhões de desmandos feitos nos governos lulodilmopetistas. Isso, sim, é uma herança maldita!

JOSE PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

Rombo de quase R$ 200 bilhões nas contas públicas é a mais maldita das heranças.

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

Duvido que seja só isso. Os petistas roubaram muito mais.

ANDRÉ COUTINHO

arcouti@uol.com.br

Campinas

O rombo maldito

Após cinco anos de desgovernar o Brasil com incompetência incomparável, sempre aplicando a política maquiavélica de que os meios (gastança desenfreada no que rende votos, conivência com os corruptos e a corrupção) justificavam os fins (permanência dela e do PT no poder), a dona Dilma deixou para nós um rombo de R$ 170,5 bilhões nas contas públicas. Essa quantia fica mais estratosférica se consideramos os R$ 135 bilhões que o governo gastou este ano para pagar os juros da dívida pública, e o rombo de R$ 15 bilhões nas contas da Eletrobrás. Nada menos que R$ 1.568 de dívida para cada brasileiro. Chega!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Pedalando

Dona Dilma que pegue a sua bicicleta e, por favor, vá pedalar na Bolívia, em Cuba, na Venezuela... Os brasileiros não cooptados agradecem.

ARNALDO RAVACCI

arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

Sacrifícios x benesses

Sem maquiagem, o rombo nas contas públicas é de aproximadamente R$ 170,5 bilhões para este ano. Aí eu pergunto aos senadores: até quando Dilma, a responsável por esse rombo, ocupará o Palácio da Alvorada e terá direito a jatos da FAB, helicópteros presidenciais e à integralidade dos vencimentos? Até quando vamos ter de pagar a conta dessa incompetente? Será que é pedir demais que acabem com esse pesadelo e votem o impeachment o mais rápido possível?

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Todos os segmentos da sociedade brasileira vão ter de pagar a conta do estrago que o desastre do PT causou, e até estão dispostos a fazê-lo. Os deputados e senadores poderiam dar sua contribuição, por exemplo, abrindo mão da vergonha que são o auxílio-moradia, o 14.º e o 15.º salários. Serão capazes?

EMERSON LUIZ CURY

emersoncury@gmail.com

Itu

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

 

O 'MEA CULPA' DO PT

 

O Brasil não está precisando de "mea culpas", como o documento "Resolução sobre Conjuntura", divulgado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) na última semana. O PT, que causou o desmanche da economia e das bases republicanas de nossa nação, deveria reconhecer seus muitos erros e trabalhar pela união de todos em torno do projeto de salvação que nos tire do buraco que eles criaram. O Brasil sério, que trabalha, produz e paga impostos, quer um futuro melhor, com mais esperança e empregos.  "Mea culpa" e culpar Dilma Rousseff, enquanto continuam dividindo o Brasil entre "nós e eles", não resolve. Só dificulta o trabalho do novo governo.  Mas... será que é isso mesmo que eles querem?

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

'RESOLUÇÃO SOBRE CONJUNTURA'

 

Terá o Partido dos Trabalhadores (PT) aderido à delação premiada e não fiquei sabendo? Na sua "Resolução sobre Conjuntura", seja lá o que isso significa, além das cansativas ladainhas, mais uma vez assumir o papel de vítima ingênua enganada e traída, finalmente o partido assume sua culpa no petrolão e em todo esquema de corrupção montado conscientemente ao afirmar que foram, e não importam os motivos, "contaminados" e passaram a agir da maneira que sempre recriminaram e acusavam como crimes. E também, mais uma vez, fica claro o descaso que o partido tem para com a Nação, preocupado não com as consequências nefastas de seus atos criminosos, mas tão somente com sua "imagem".

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

A IDEOLOGIA PETISTA

 

O PT está aturdido. Não tenho nada contra os partidos de esquerda, desde que sejam coerentes com a sua ideologia e pregação, o que não é, positivamente, o caso do PT. Em primeiro lugar, para defender teses consideradas de esquerda, é necessário que haja intelectualidade dos líderes ideológicos. Não é o caso, por exemplo, do senhor Rui Falcão, um verdadeiro brucutu, e outros líderes marxistas que nunca leram Marx. Depois, há necessidade de lucidez e honradez na consecução de seus objetivos. A barafunda que o PT fez nestes 13 anos de poder, recebendo doações e propinas para alimentar o seu projeto de poder, com alguns dos seus líderes colocando-as no seu próprio bolso, é de uma incompetência e repugnância atrozes. Em seguida, a adoção de um discurso, na mesma linha do fascismo, repetindo deslavadas mentiras continuamente, tentando fixá-las como verdades. Isso é do século passado e é de uma estupidez colossal, numa época de internet e celulares que até já falam. O contingente dos mal informados vem caindo rapidamente e adotar essa linha como plataforma é totalmente bizarra. O que muitos têm alertado é que a tigrada, como bem define o "Estadão" em seus editoriais, está preocupada é com sua boquinha. Para quem conhece o meio, é só recordar como muitos dessa tigrada viviam de suor e parcos salários e hoje desfrutam de status e com farto crédito na praça. O PT busca reerguer-se, mas não será, certamente, com seus atuais dirigentes toscos, bisonhos e vesgos.

 

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br

São Paulo

 

*

A CAIXA PRETA DO PT

 

A caixa preta do PT está sendo aberta e seus intestinos, expostos à Nação.

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

 

*

TASSO 'INGÊNUO' JEREISSATI (PSDB-CE)

 

"Está na hora de o PT ter grandeza"? Só se transformando de jararaca em sucuri.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo e Minas (MG)

 

*

PACIFICAÇÃO

 

Acredito que, ao fim, apuradas as "pendências" escondidas pelo PT (gastos indevidos, desnecessários, corrupção, etc.), a parcela do povo que o apoia caia na realidade, deixando de travar a Nação deixando de fechar rodovias, avenidas, invadir propriedades, e deixe o novo governo trabalhar em paz na tentativa de colocar o País nos eixos.

 

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

GRATIDÃO

 

Obrigada, PT. Passei muitos anos da minha vida como alienada política. Mas, como nunca acreditei nesse partido e em seu principal representante, Luiz Inácio Lula da Silva, abri meus olhos e me mantive atenta. Francamente, pouco me lembrava das funções hierárquicas da República, e, graças ao PT, hoje sei quase tudo. Sei de cor e salteado o nome de todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Sei que o procurador-geral da República tem mandato de dois anos e é nomeado pelo presidente da República, o que francamente é inadmissível, porque eles ficam e presidentes passam. Sei para que serve a maioria dos ministérios, mas me lembro apenas daqueles mais significativos de que a própria "presidenta incompetenta" Dilma Rousseff também se lembra.  Sei ainda que um presidente da Câmara e o do Senado precisam estar preparados por causa dos ritos das leis que regem essas Casas. Pela ordem, ainda não consegui captar, mas acho que serve apenas para um cutucar o outro, porque na maioria das vezes citam o regimento interno com números e citações, que para o leigo seriam irrelevantes. O que importa é a assinatura no painel, se salva ou ferra o contribuinte. Entendo, hoje, da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que notoriamente todos nós sabemos no nosso dia a dia. Se gastarmos mais do que recebemos, ficaremos dependurados ou nos cartões de crédito ou cheque especial. Que para nosso bolso não dá, mas no macrocosmos também não. Principalmente porque quem gastou não fomos nós, mas a conta recai no nosso emprego, salário e inflação. Aprendi ainda a respeitar gente digna como o juiz Sérgio Moro. Porque ele ousou peitar uma máfia instalada confortavelmente no governo, que se julgava acima da lei. Não deve ter sido fácil e imagino as noites insones por que passaram ele e toda a equipe de jovens da Polícia Federal. Devem ter ficado isolados no deserto como Jesus, quando foi tentado pelo diabo. Não sou religiosa, mas imagino como é duro ser tentado pelo dinheiro fácil, que deve ter sido abanado à frente dos seus olhos. Digamos que o diabo de carne e osso tentou a todos para que deixassem ou sabotassem investigações, chegando a um labirinto sem saída e culpados. Sei ainda que CPI não serve para nada, quando são os próprios investigados que se investigam. Político sempre foi bom de lábia e sabe sair pela tangente sem deixar rastros. Por isso pode abolir as CPIs, porque só servem para gastar dinheiro dos contribuintes. CPI deveria ser prerrogativa apenas dos órgãos fiscalizadores da República. Mais uma vez, porque políticos passam, mas funcionários de carreira ficam. Enfim, obrigada, PT. Você contribuiu para que eu, assim como grande parte da população brasileira, hoje, saibamos e reconheçamos que suas excelências são nossos funcionários e serão demitidos no voto, caso não cumpram com suas promessas. Fora que aprendemos o caminho das ruas, onde estaremos em massa, quando não cumprirem com nossas exigências. O Brasil tem pressa de sair do "berço esplêndido".

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

VERDADES

 

Verdades a serem percebidas e articuladas: 1) os 3 milhões de cidadãos que se manifestaram pelo impeachment, bradando "fora PT" e "Lula na prisão", não são contra os pobres; 2) os deputados e senadores que votaram pelo impeachment também não; 3) empreendedores querem empregar e pagar salários; 4) não existe "direita" e muito menos "direita opressora"; 5) então, não houve golpe de direita; 6) o prazo para a avaliação e julgamento definitivo da presidente afastada é sábio. Proporcionará um melhor entendimento da infração contra a Constituição por despesas não aprovadas pelo Congresso. Configuraram atos despóticos, atentados à democracia. Ou seja: efetivos golpes. O impeachment impede a continuação de um golpe, e seguiu os trâmites previstos. Portanto, não é golpe. 7) A acusação de golpe é bravata populista e marqueteira.  A sua propagação no exterior é falta de pudor de aproveitadores; 8) o impeachment interrompe um processo subversivo - dissimulado - de converter a democracia com regime de mercado em socialismo com regime de direção central de mercado e benefício do PT. Essa frustração é o conteúdo do termo "golpe"; 9) essa interrupção era urgente, pois afasta uma já numerosa gangue de oportunistas e permitirá melhorar a eficiência dos poderes públicos. 10) Constitui crime contra a ordem pública e a democracia arregimentar contingentes pouco instruídos como bucha de canhão para exercer pressão física via demonstrações artificiais, invasões de propriedade, depredação de propriedade pública e privada. Os contingentes mais instruídos e responsáveis hão de defender a democracia e punir os crimes contra da Constituição, e não apenas a corrupção institucionalizada.

 

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

 

*

PRESIDENTE AFASTADA

 

Interessante: o lulopetismo quebrou o Brasil do ponto de vista econômico, ético e moral. Dilma Rousseff foi afastada temporariamente do poder pelos crimes de responsabilidade, em tese, que praticou e que estão sendo apurados com ampla defesa. Esteve quase seis anos como presidente e o que fez de útil e de bom para a Nação? Desemprego, inflação e juros em alta; cofres públicos arrebentados, crescimento negativo do PIB, saúde numa calamidade, educação idem e por aí vai. Afastada, tem o palácio com dezenas de servidores para cortejá-la, além dos salários e alimentação, etc. O que é pior, com direito a transporte por avião. Como, se ela não tem mais poder para administrar? Então, o avião é para quê? Quem está, como sempre, pagando a conta? Isso os petistas não veem? E os artistas? E o Ministério Público Federal (MPF) nada vê de ilegal nisso? Onde a legalidade e a moralidade desses seus atos? E os artigos 37, caput e 11 da Constituição e da Lei de Improbidade, respectivamente? E ela não se envergonha de continuar jogando dinheiro público fora, tendo tanta miséria para ser atendida e socorrida? Dilma Rousseff, tenha um momento de luz e se afaste logo e de vez, para o bem do Brasil!

 

Sebastião Vanderlei Pinheiro vanderlei106@terra.com.br

São Paulo

 

*

DEMOCRACIA

 

Democracia é pugnar lealmente para chegar ao poder. Ao atingir o poder, seja lá quem for, é vital a união de todos servir em benefício de um bem comum, de um só ideal, congregando todas as forças em prol do Brasil. Com todo respeito, não há vencido nem vencedor, o esforço tem um único objetivo: o engrandecimento do País, para que prospere propiciando igualdade de condições a todos para que, com o fruto do seu trabalho, sustentem dignamente suas famílias. Democracia é o respeito às instituições, às leis e ao próximo, com liberdade e responsabilidade, tendo em mente que a colheita é o resultado do que foi plantado. 

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 

*

O PT, DILMA E OS 54 MILHÕES DE VOTOS

 

A ex-presidente Dilma, valendo-se das lições de Joseph Goebbels, afirma que foi eleita com "54 milhões de votos", como se isso fosse grande coisa. Esquece-se de dizer que Aécio Neves teve mais de 51 milhões de votos. Ao contrário, ela deveria ter vergonha de anunciar esse número, o mais baixo das eleições da História. Explico. Foram 104.023.502 votos validos. O mínimo para se eleger seriam  52.771.137 votos (50% mais 1). Ela obteve apenas 1.729.982 a mais (54.501.118), e no primeiro turno 58,41% de eleitores disseram "não" ao projeto petista. As quatro vitórias do PT só ocorreram no segundo turno. FHC esmagou Lula em duas eleições, no primeiro turno. Com muita incomPTência e corrução, eles destruíram o Brasil e agora todos vamos pagar a conta.

 

Milton Córdova Junior milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires (DF)

 

*

PT SEM ALIANÇAS

 

A notícia de que o PT optará por limitar suas alianças nas eleições municipais de novembro soam como uma escolha estratégica do partido. Como tudo o que vem do PT, nada podia ser mais falso. A realidade é que a imagem do PT junto ao eleitorado está tão destruída que nenhum político com juízo que tenha interesse em prosperar politicamente vai querer associar sua imagem àquela do PT. 

 

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

 

*

QUARENTENA

 

Os pedidos que os "petralhas" estão fazendo à Comissão de Ética da Presidência da República, para receber a tal da quarentena, que de quarentena nada tem, já que pedem salário integral por seis meses depois de dispensados, é uma excrescência! Mesmo que haja lei (12.813, de maio de 2013) que razoavelmente regule a matéria, até mesmo considerando que tais pessoas interessadas detenham informações tidas como sigilosas e ocuparam cargos importantes nos ministérios, secretarias, autarquias, ou o que seja, entendo que a Comissão de Ética deva negar todos esses tais pedidos, porquanto, essas pessoas são petistas absolutamente desinteressados do País, apenas preocupados consigo próprios e, como de resto, a quadrilha criminosa liderada por sr. Lula. Todos nos deixaram na absoluta penúria e, ainda, essas pessoas querem ganhar sem trabalhar por mais seis meses?! Não e não, mesmo! O governo interino do sr. Michel Temer deverá estar atento e intervir na Comissão de Ética da Presidência da República, visando à suspensão. Praticamente estamos em "estado de calamidade" para a não consecução, já que a president(a) deles deixou um rombo de mais de R$ 120 bilhões nas contas públicas! Portanto, não há dinheiro para essa farra! Chega de sermos espoliados!  Não, não e não a essa excrescência!

 

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com

Porto Feliz 

 

*

PROTESTOS

 

Alguns grupelhos altamente engajados com o passado esperneiam e tumultuam a vida dos que conseguiram com tenacidade sobreviver. Inconformados com a perda das vantagens e maracutaias, gritam palavras de ordem, dançam a moda tribal e obstruem ainda mais as já engarrafadas vias de acesso público. Não são capazes de perceber que os atrasos que geram na chegada à casa de quem trabalhou o dia inteiro só podem gerar raiva e mesmo desespero dos que têm que cumprir horário.

 

Geraldo de Paula e Silva geraldopaula2015@bol.com.br

Teresópolis (RJ)

 

*

ERVAS DANINHAS

 

Apesar de a presidente afastada e seus correligionários insistirem em que ela foi vítima de um golpe, tese defendida pelo ex-advogado-geral da União, afirmando que ela não cometeu crime algum, a verdade é que a presidente foi afastada por incompetência explícita para o cargo. A irresponsabilidade inédita na condução dos destinos da Nação, a deplorável situação da economia do País, com o parque industrial em franco declínio, entre outras mazelas, já provocou 11 milhões de trabalhadores desempregados, a gota d'água que motivou a sua queda. Ora, tendo em vista a grave situação nacional, não há mais espaço para a formação de um "centrão" na Câmara dos Deputados, composto pelos partidos nanicos e do denominado baixo clero, e perfazendo quase metade dos deputados federais. Decididamente, não foi para tal esparrela que a população saiu às ruas. A primeira iniciativa do tal "centrão" foi impor o deputado federal André Moura, do PSC-SE, como o líder do governo naquela Casa, e que foi aceito pelo presidente em exercício. O deputado federal por Sergipe, aliado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), só assumiu o cargo em fevereiro de 2015, depois de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovar a sua candidatura, que havia sido cassada pelo Tribunal Regional Estadual de Sergipe, pois ter sido condenado, em duas ocasiões, e por órgãos colegiados, em razão de processos judiciais, além de outro na área criminal. Sem entrar no mérito dessas decisões, creio que não seria o nome ideal para ocupar o cargo de líder de um governo, que tem muito pouco tempo para corrigir as mazelas feitas pelo governo petista. A população que se manifestou em decisiva campanha contra o Executivo, provavelmente, terá de voltar às ruas, agora contra a esculhambação que se instalou no Congresso Nacional. O eleitor de cada cidade, em cada Estado, poderá demonstrar a eles a nossa indignação, infringido a cada um deles derrotas acachapantes nas eleições municipais, já que muitos deles serão candidatos. Faz-se necessário extirpar as ervas daninhas do Poder Legislativo e sem demora.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

 

*

PARECE PIADA

 

Corre uma piada pelas redes sociais segundo a qual, se fossem escolher uma pessoa da Câmara federal absolutamente honesta para a presidência da Casa, a única alternativa seria a da moça do cafezinho. Com a escolha de André Moura para liderança do governo na Casa, acabo de concluir que não se trata de piada. É a mais absoluta verdade, e, pior, uma continuação da era petista, cujo líder, José Guimarães, tinha se envolvido no caso dos dólares na cueca. O atual escolhido parece ter as cuecas limpas, mas, em compensação, tem, entre outros processos, até um de tentativa de homicídio. Entendo que tudo se resume em acomodar essa salada de partidos e tendências (algumas sinistras), mas será que não tinha ninguém sem envolvimento com a Justiça?

 

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

 

*

O TRUST DE CUNHA

 

Já tivemos vários cínicos e caras de pau no nosso Congresso Nacional, mas o deputado Eduardo Cunha superou todas as expectativas, deixando literalmente no chinelo o folclórico senador Paulo Maluf. É incrível como, diante da maior crise política e moral da nossa República, a Câmara dos Deputados disponha de tanto tempo para que Cunha - no melhor estilo Rolando Lero, personagem inesquecível da Escolinha do Professor Raimundo - mude o status no seu trust milionário de usufrutuário para beneficiário, querendo provar aos pacientes deputados que seis é diferente de meia dúzia.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

 

*

O DINHEIRO FORA DO PAÍS

 

Sr. Eduardo Cunha, conforme sua declaração à Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, de que o dinheiro nas contas fora do País não é seu, eu acredito e me coloco à disposição para declarar que o dinheiro é meu e foi depositado em sua conta por engano. Para tanto, vou passar o número de minha conta para que o senhor possa depositar o valor de US$ 5 milhões. Com certeza irei usá-lo em viagens, bons restaurantes, vinhos, etc.

 

Boris Spighel borisspighel@uol.com.br

São Paulo

 

*

SUPREMO EM XEQUE

 

É inadmissível a postura omissa do Supremo Tribunal Federal com relação a Eduardo Cunha, apesar dos desafios e da soberba; a menos, é claro, que ele tenha um ás na manga, o mesmo ás  que ele ostenta contra os seus "parceiros" da Câmara.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

OS BISONHOS DESAFETOS DE CUNHA

 

O deputado Eduardo Cunha, com a fleuma de sempre, não deixou uma só pergunta sem resposta, no Conselho de Ética da Câmara. Mas os adversários insistiam enfadonhamente no discurso arcaico com o qual buscam identificar trust com conta bancária. São verdadeiros dinossauros. Jamais ouviram a palavra trust. Muitos menos entendem o que seja esse bicho. Foi melancólico. Boa parte de seus adversários é bisonha e votará pela sua cassação, não por quebra de decoro, mas como a única via de proteção da própria mediocridade.

 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmai.com

Brasília

 

 

*

CONGRESSO NACIONAL

 

No Brasil, a degeneração política chegou a tal ponto que as ditas sessões ordinárias agora são mesmo vagabundas.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

ESPORTISTAS POLÍTICOS

 

Enquanto Dilma Rousseff "pedalava", Eduardo Cunha "patinava". Todos bons esportistas.

 

Luíz Frid  luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

O IMPEACHMENT NO SENADO

 

Presidente Michel Temer, muito cuidado com o sr. Ricardo Lewandowski, coordenador do comitê do Senado, fique de olho nele, pois poderá ajudar o PT e Dilma a enrolar o processo de impedimento final da presidente afastada. O PT é bom em criar caso e picuinhas, e em conluio, poderá fazer o prazo de 180 dias vencer e a dita "ex" retornar. Coloque pessoas de gabarito e conhecedora do regulamento, não perca tempo, atue e esprema o cronograma ao máximo, trabalhe com a máxima folga possível. Falcatruas e artimanhas petistas não deverão minar esse processo legal de impedimento da ex-presidente Dilma.

 

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

 

*

CONSELHOS

 

Nesta hora, é bom lembrar ao governo Temer as frases de dois grandes estadistas que marcaram época: "Não conheço nenhuma fórmula infalível de governar. Mas conheço a fórmula infalível de fracassar: tentar agradar a todos" (John F. Kennedy) e "Um político é um homem que pensa nas próximas eleições; um estadista é um homem que pensa nas próximas gerações" (Winston Churchill).

 

Paulo Lahud Cury pcadvog@terra.com.br

Catanduva

 

*

NOVOS TEMPOS

 

Faz muito bem o governo Temer - que, mesmo sendo interino, pois pode durar somente 180 dias - já começa a discutir temas polêmicos e até impopulares, mas necessários, tais como reforma da Previdência, CPMF e privatizações. O governo em exercício deve mostrar que a partir de agora viveremos em novos tempos, não prometendo só bondades e após a efetivação, que tem tudo para acontecer, apresentar os remédios amargos necessários para tirar o País da UTI, como fez o governo afastado que prometeu o céu antes das eleições e nos mostrou o inferno depois.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

 

*

ESTÁGIO DE DEMOCRACIA

 

Recentemente, o governo Nicolás Maduro, que decretou estado de exceção na Venezuela e foi alvo de duras críticas de líderes da comunidade internacional que denunciaram uma iminente ruptura institucional naquele país, foi um dos primeiros a se manifestar, inclusive com ameaça de retirada do seu embaixador, contra o processo de afastamento de Dilma Rousseff, por qualificá-lo de golpe, apesar de conduzido pelo Congresso brasileiro, dentro de preceitos estabelecidos pela Corte máxima. Por outro lado, nunca se divulgou, no contexto de uma política externa míope, felizmente em fase de reformulação, uma só nota de reprovação do governo petista contra a deterioração lá vigente, há anos, das liberdades de manifestação. Afastada, Dilma se declara injustiçada e se apresenta como paladina da democracia. Tudo indica que, no entanto, ela nada entende dessa forma de governo ou a percebe de maneira hipócrita, o que é mais provável. Um estágio no ninho de Maduro certamente a ajudará a compreender. 

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

O IMPEACHMENT NA OEA

 

A declaração enfática  do representante americano (18/5) na Organização dos Estados Americanos (OEA), Michael Fitzpatrick, era tudo o que os brasileiros mais esclarecidos queriam ouvir no cenário internacional, para calar as baboseiras dos países chamados bolivarianos (Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua) sobre o "bota fora" da presidente Dilma: "O processo de impeachment da presidente Dilma ocorre em respeito às instituições e à Constituição brasileiras".  

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas 

 

*

O ITAMARATY E AS IDEOLOGIAS

 

Durante mais de 13 anos, no período lulopetista, o Itamaraty serviu como intermediário do Brasil com as ideologias de esquerda e populistas, prestigiando, inclusive, os interesses financeiros e econômicos de países como Cuba, Bolívia, Venezuela, Uruguai e outros. Agora, com os olhos voltados para a efetiva colaboração e intercâmbio comercial, o ministério passa a ter contatos, inclusive negociais, com os EUA, Europa, Japão e outros, demonstrando o Brasil que não deseja continuar ilhado ideologicamente, mesmo que em prejuízo da Nação. São os novos ventos.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

DE VOLTA ÀS ORIGENS

 

Assim também com muita competência ousou como ministro da Saúde de FHC, o senador José Serra, agora guindado ao Ministério das Relações Exteriores de Temer, quer recuperar o quanto antes a imagem do Itamaraty, deturpado que foi pelo PT. E na sua posse Serra disse a que veio, garantindo que "a diplomacia voltará a refletir os legítimos valores da sociedade brasileira, e não mais as preferências ideológicas de um partido político". Certamente, pela sua determinação, o ministro poderá reinserir o Brasil como parceiro das grandes potências mundiais e agilizar acordos comerciais abandonados nos quase 14 anos do PT de Lula no poder. É o Itamaraty voltando às suas origens. 

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

SEM SENTIDO

 

O ministro José Serra afirmou que o Itamaraty deve servir ao País, não ao partido. Acreditei, acreditei que o novo governo seria honesto e tentaria mudar para melhor. Todavia, a primeira ação do ministro foi outorgar um passaporte diplomático ao pastor Samuel Ferreira, da Assembleia de Deus, investigado na Lava Jato por lavar dinheiro para Eduardo Cunha. Ministro José Serra, o senhor poderia explicar por quê?

 

Silvia Stafforini silviainess@terra.com.br

São Carlos

 

*

REPÚDIO COMPREENSÍVEL

 

O repúdio e as críticas da União das Nações Sul-americanas (Unasul), dos governos da Bolívia, da Venezuela, de Cuba, do Equador e da Nicarágua são pertinentes. Afinal, perderam a "boquinha nas tetas" do governo. Agora, com a abertura da "caixa preta" do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), muita coisa será esclarecida, com a irresponsabilidade de Lula e de Dilma. 

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

RESPEITO À SOBERANIA

 

A reação do Itamaraty, sob a condução atual do novo ministro José Serra, é como deve ser, aliás, como sempre devia ter sido. Infelizmente, tanto Lula como Dilma, nesse período de 13 anos, ajoelharam-se diante de governantes grotescos como os de Evo Morales, Nicolás Maduro e outros bolivarianos. A ideologia é que ditava os procedimentos. O Ministério das Relações Exteriores, sob José Serra, deve recolocar o Brasil em sua verdadeira posição na América Latina, com respeito aos demais países, mas não permitir, em hipótese alguma, qualquer desrespeito à nossa soberania.

 

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

 

*

SOB NOVA DIREÇÃO

 

A ditadura cubana, a ditadura venezuelana e as demais ditaduras bolivarianas estão injuriadas com o fim da ditadura lulopetista. Quem também está muito contrariada com a nova direção do Itamaraty é Dilma. Quem?

 

Luiz G. Tressoldi Saraiva lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

 

Falta alguém na Operação Lava Jato. José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil de Luiz Inácio Lula da Silva, foi condenado pela segunda vez, agora a 23 anos e 3 meses de prisão por crimes descritos na sentença. Essa foi a decisão do juiz Sérgio Moro. Preso desde agosto de 2015, na 17.ª fase da operação, a Pixuleco, em que, segundo Moro, uma empresa de Dirceu teria recebido R$ 15 milhões por consultorias que jamais existiram. Na primeira sentença, em 2012, Dirceu já havia sido condenado a pena de 10 anos e 10 meses e a uma multa de R$ 676 mil. Você acredita na lenda do "corpo fechado"? Então por que até agora os pulsos do "capo de tutti capi" estão imunes às algemas do juiz Sérgio Moro? Parafraseando Shakespeare: "Há mais mistérios entre Brasília e Curitiba do que sonha a nossa vã filosofia". Enquanto isso, o sítio de Atibaia e o tríplex no Guarujá foram assuntos embaçados pelo impeachment de Dilma Rousseff.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

ABANDONADO

 

Pois é, Zé, os "cumpanheiros" te abandonaram, você terá de devolver o dinheiro. Fez tudo por ele, cumprirá prisão e ele continua livre, leve e solto, um fim de semana no sítio, outro no tríplex... E agora, José?

 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

 

*

NA MOSCA

 

Roberto Podval, advogado de José Dirceu, acertou na mosca ao classificar a pena dada pelo juiz Sérgio Moro, na última semana, a seu cliente como "uma condenação ao PT". Apenas esperamos a continuidade do processo aos demais petistas criminosos.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

 

*

ESTÁ NA HORA

 

Com mais uma condenação, agora pela Lava Jato, parece que José Dirceu está virando o bode expiatório de todo esse crime que foi, e ainda está sendo, a destruição do País pelo PT. A partir de agora começa a ser um outro crime, esse da Justiça, retardar o desfecho único possível e justo, com a prisão e condenação de Lula. Está na hora. A prisão de Lula será o sinal incontestável de que o País está reconquistando sua liberdade. Liberdade para crescer e para se colocar outra vez no rol dos países emergentes, e não dos submergentes, como nos últimos anos.

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

O JULGAMENTO DE LULA

 

O País aguarda ansiosamente pelo banquete que está sendo preparado pelo chef Sérgio Moro e que terá Lula frito como prato principal.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

DELAÇÃO PREMIADA

 

Após sua condenação a 23 anos de cadeia, Zé Dirceu, para seu próprio bem e do Brasil, deveria fazer delação premiada, tal como Delcídio Amaral. Não pague a conta sozinho.

 

Luiz Bianchi luizbianchi@uol.com.br

São Paulo

 

*

BANDIDAGEM

 

As penas dadas aos condenados do mensalão foram tão ridículas que tempos depois, mediante artifícios fora da curva, tornaram os condenados inocentes. Já o juiz Moro dentro da lei atribui penas decentes. Os crimes são os mesmos. Esta observação para mim é suficiente para afirmar que os membros do STF não têm condições técnicas para fazerem julgamentos criminais. E muito menos morais, pois julgam culpados que em algum momento os colocaram nestas posições. No meu ponto de vista, deveriam se sentir impedidos de fazer tais julgamentos. Estes delitos são bandidagem pura e simples.

 

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

RESTITUIÇÃO DE IR

 

Queria, por favor, que divulgassem algo que tenho notado na Receita Federal: barram restituição por uma pendência qualquer alegada na declaração e nunca te chamam para a revisão. Quando você tenta agendar uma antecipação da revisão no Portal E-Cac nos locais possíveis - na Rua Florêncio de Abreu, por exemplo -, nunca há datas disponíveis. Agora, por exemplo, não há nada antes de 30 de junho. Depois, nem aparece, pois eles não abrem a agenda toda. É cômodo para a Receita a morosidade em pagar as restituições, e, mesmo que estas sejam atualizadas monetariamente, não é justo para o contribuinte, pois é seu direito tê-la em prazo normal. Estou falando de restituição referente ao ano calendário 2014! Além disso, ficamos em situação irregular, muitas vezes sem motivo e sem oportunidade de regularizar. No caso de inquilinos, recebemos o aluguel descontado o Imposto de Renda, mas ele é que está encarregado de recolher esse valor à Receita. Se ele não recolhe, não é problema nosso, e temos de fazer a declaração com base no Demonstrativo Dirf que ele nos envia no fim do ano. A Receita deveria, então, deixar que o locador recolhesse, se depois vai cobrar dele.

 

Monica Abate Guglielmi nicabate@yahoo.com.br

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.