Fórum dos leitores

CRISE ECONÔMICA

O Estado de S. Paulo

06 Junho 2016 | 03h00

Aqui chegamos!

Para comemorar dois anos do início do ciclo de contração da atividade econômica, o ministro Henrique Meirelles nos brinda com a seguinte constatação: os dados do PIB hoje confirmam “a mais intensa recessão de nossa história”. Parabéns, Dilma Rousseff! Parabéns a todos aqueles que teimaram em não enxergar os estragos que a presidente foi causando com o tempo em todos os setores de nossa sociedade. Quem ainda deseja ou luta pela sua volta não pode estar em juízo perfeito.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Atoleiro

Se estamos neste absurdo atoleiro econômico, precisamos dar meios para que o presidente em exercício possa, no pouco tempo que tem, buscar uma saída, que com certeza não é o retorno de quem nos afundou.

OSCAR ROLIM JÚNIOR

rolimadvogado@ibest.com.br

Itapeva

Copo vazio

Num país sofrendo o equivalente aos efeitos econômicos de uma guerra civil, é muito mais positivo ver a metade do copo cheia do que a outra metade. Mas a verdade é que a “outra metade” esconde um alçapão... Vejamos de forma muito breve: o único segmento que continua apresentando crescimento (de mais de 1%) e que corresponde a nada menos do que cerca de 40% do PIB foi o de gastos do governo. E a parcela destes gastos acima da arrecadação subiu mais de 10% do PIB. Essa curva de gastos deverá ser minimamente levada a zero ou, preferencialmente, ser reduzida num espaço de tempo relativamente curto. O problema contamina ainda mais o desempenho do setor privado brasileiro e mostra que ainda teremos muita destruição de sonhos, lares e riqueza até que a maior parte das ineficiências, das bobagens criadas pela bruxa má do oeste (ou seria de Minas) seja desfeita e o País volte a crescer de forma minimamente saudável.

OSCAR THOMPSON

oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

Reajuste dos servidores

Decepção total com o governo interino de Michel Temer, que deu aval para que a Câmara dos Deputados aprovasse aumentos de salários de funcionários públicos federais que impactarão as contas públicas em R$ 58 bilhões em quatro anos. Isso é uma vergonha, enquanto 11,4 milhões de brasileiros estão sem emprego e sem nenhuma esperança em dias melhores.

VALDIR SAYEG 

valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

Ingovernável

Como governar um país com 11,4 milhões de desempregados, quando os deputados federais aprovam um aumento salarial, concedido pelo desgoverno Dilma, para diversas carreiras públicas, inclusive para juízes que vivem num mundo nababesco, totalmente diferente da nossa realidade? Este país tem jeito?

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Do nosso bolso

Já fui funcionário público três vezes, uma por obrigação (Centro de Preparação de Oficiais da Reserva) e duas por concurso. O tempo do primeiro acabou e dos dois outros pedi demissão. Nas crises, que não foram poucas (1968 a 1993), nunca fui a favor da greve, principalmente quando se tratava de reivindicar aumento salarial. O servidor público tem segurança no emprego e salário cheio na aposentadoria. Os trabalhadores do setor privado não têm nada disso. Hoje temos mais de 11 milhões de desempregados no Brasil, sem salário e sem recolher impostos. De onde pensam que sairão os recursos para pagar o aumento de despesas que a Câmara aprovou? Do governo? Como, se este nada produz? Sairá de nós, os trabalhadores. Precisamos dar um basta nessas pretensões.

JAIR NISIO

jair@snartwood.com.br

Curitiba

Maquiavélico

Com relação a algumas medidas, especialmente o aumento do funcionalismo, parece que Michel Temer segue a cartilha do príncipe de Maquiavel: o mal deve ser feito rapidamente e todo de uma vez. Aliás, qual alternativa ele tinha?

ULYSSES FERNANDES NUNES JR.

Ulyssesfn@terra.com.br 

São Paulo 

Querem mais sangue

Enquanto o presidente interino prometia cortar 4 mil postos comissionados, a Câmara, na surdina, criava 14.419 cargos federais, embutidos que estavam no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa e foi aprovado em meio aos reajustes salariais coordenados pelo próprio Palácio do Planalto. Esses reajustes salariais trarão impacto de R$ 59 bilhões às contas públicas nos próximos anos. Estão brincando com a nossa cara e paciência. O contribuinte deverá se preparar para pagar mais impostos, que com certeza virão. Preparem o bolso, digo, a jugular: tem vampiro no pedaço.

HUMBERTO DE LUNA F. FILHO

hlffilho@gmail.com

São Paulo

Sapos

A aprovação do reajuste dos servidores faz parte do pacote necessário para consumar o afastamento definitivo da quadrilha que tomou o País. Ainda vamos engolir muitos sapos barbudos e levar cusparadas no rosto até se concluir o processo de impeachment. Paciência. Falta pouco.

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

Constrangedor

Um dia Temer prega o sacrifício para conter os gastos públicos. Os aposentados que recebem o salário mínimo seriam os grandes responsáveis pelo desequilíbrio dos gastos e urge desvincular seus “polpudos” rendimentos desse malfadado indicador. Além disso, claro, elevar a idade mínima das aposentadorias, não importando o tempo de contribuição. Não se toca nos aposentados servidores públicos, só os do Regime Geral. No outro dia, festeja a aprovação pelo Congresso do déficit fiscal de R$ 170 bilhões que pode realizar neste ano. Em seguida, mãos à obra, cumprimenta o Congresso por sacramentar um aumento surreal para os servidores, que pode pesar R$ 58 bilhões nas contas públicas. Para coroar a coerência temerária, cria 14 mil vagas no serviço público, quando havia se comprometido com o corte de vagas dias atrás. É a velha constatação: não há situação péssima que não possa piorar. O constrangedor é termos de ouvir que as coisas já começaram a melhorar na economia. Dificilmente, dr. Temer, dificilmente.

ADEMIR VALEZI

valezi@uol.com.br

São Paulo

A GRANDE FARSA

 

Ataca a dignidade da advocacia o sr. José Eduardo Cardoso  quando apoia as gravações clandestinas (já que não autorizadas  pela Justiça e, portanto ilícitas não podendo ser aceitas como prova perante os Tribunais) para tachar de "grande farsa" todo o processo legal do impeachment da presidente afastada, insistindo na tese estapafúrdia de "golpe contra a democracia". Ora, grande farsa representou, durante 13 anos, o governo do PT que, dizendo-se paladino da ética, fornecia ao povo mentiras e ilusões, enquanto se apossava da riqueza do Brasil de forma escabrosa, em conluio com grandes empreiteiras, até deixar o povo  em situação econômica beirando a calamidade. Grande farsa foi encobrir a responsabilidade de Dilma Rousseff no caso Pasadena. Farsa foi a "presidenta" tentar desesperadamente nomear Lula ministro da Casa Civil, quando a Lava Jato batia à sua porta, em ato claro de obstrução à Justiça. Farsa  incomparável foi a trama do mensalão e do petrolão para manter o Partido dos Trabalhadores no poder ad infinitum... Farsa é montar esse espetáculo deprimente da defesa perante o Congresso para provar o que não pode ser provado, isto é, que Dilma não transgrediu a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ou seja, em farsa os lulopetistas são mestres...

  

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos 

*

ABISMO

Parece que as mentiras de Dilma estão aparecendo. Suas afirmações de que não tinha participação nos desvios da Petrobrás estão vindo à tona. Ou ela é mentirosa (parece ser) ou de tão incompetente (provou ser) autorizou coisas sem um mínimo de noção. Não temos ideia do abismo onde ela nos colocou.

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

 A INÓCUA DEFESA DE DILMA

 

Nos autos do processo de impeachment, as gravações de Sérgio Machado seriam tão importantes quanto os áudios do ataque do lobo mau à vovozinha da Chapeuzinho Vermelho.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo 

*

BALÕES COM TOCHAS APAGADAS

As delações de Delcídio e de Cerveró, já homologadas pelo Supremo Tribunal Federal  (STF), e as de Marcelo Odebrecht em vias de tornarão as posições da Dilma e do Lula insustentáveis. São como balões com tochas apagadas! 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas 

*

LOUCURA OU CARA DE PAU?

Por favor, leiam isso: "Fica claro na gravação (de Sérgio Machado), que eles têm de impedir o meu governo para que a investigação (na Lava Jato) não chegue a eles, ao senhor Cunha e a todos que sustentam o governo Temer". Esse discurso foi feito pela dona Dilma na quinta-feira (2/6), em uma manifestação contra o impeachment. Das duas uma, ou essa mulher enlouqueceu de vez ou é realmente muito cara de pau. Quem fez tudo para parar a Lava Jato foi ela quando estava no poder na tentativa de impedir que as investigações chegassem a todos que sustentavam o "seu" governo.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo 

*

FIAT ALVA X CABELEIREIRO

Qual a diferença entre a compra de um Fiat Alba e as despesas com o  cabeleireiro da presidente afastada? 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

COLLOR CAIU POR MENOS

Fernando Collor de Mello caiu, entre outras coisas,  porque PC Farias pagava as contas de Rosane Collor de Mello.  "A madame está gastando muito (sic)". Agora surge que os operadores do esquema do petrolão pagaram as despesas pessoais de Dilma, em particular as viagens do cabeleireiro Celso Kamura a Brasília, para atender sua melhor cliente.

Se as pedaladas não bastam, o conjunto da obra excede em motivos.

Claudio Juchem  cjuchem@gmail.com

São Paulo  

*

DIFERENÇA ENTRE OS EUA E O BRASIL

O petrolão pagou R$ 5 mil a cabelereiro de Dillma! Enquanto nos EUA, o país mais rico do mundo, o presidente Barak Obama, além de se hospedar no exterior nas Embaixadas do país, desconta em seu holerite os gastos com lavanderia, jantar entre família e até sanduiche. Já aqui no Brasil, país economicamente na lona, provocado pela presidenta gerenta Dillma, além de ela se hospedar com seu séquito nos hotéis mais caros do mundo, pagamos por seu cabelereiro a bagatela de R$ 5 mil por visita à Alvorada. Imagina o que não pagamos com os Cartões Corporativos, cujos gastos são considerados "sigilosos"? Como comunista/socialista gosta de luxo quando pago pelo pobríssimo povo brasileiro, não?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo 

*

A MELHOR PUNIÇÃO

As penas dadas aos condenados do mensalão foram tão ridículas que tempos depois, mediante artifícios fora da curva, tornaram os condenados inocentes. Já o juiz Moro dentro da lei atribui penas decentes. Os crimes são os mesmos. Esta observação para mim é suficiente para afirmar que os membros do STF não têm condições técnicas para fazer julgamentos criminais. E muito menos morais, pois julgam culpados que em algum momento os colocaram nestas posições. No meu ponto de vista, deveriam se sentir impedidos de fazer tais julgamentos. Estes delitos não têm nada de constitucional. É bandidagem pura e simples.

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira  iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

POLÍTICOS LEMBRAM HIENAS

A politicalha que restou pós-impeachment  lembra uma matilha de hienas impaciente, que só espera  a saída  das feras que abateram a presa e devoraram os pedaços melhores,  para, com voracidade maior ainda, brigar pela  carniça que restou. 

Laércio Zanini  spettro@uol.com.br

Garça

*

OS 3 PODERES

Figuras como Michel Temer, Eduardo Cunha, Renan Calheiros e Gilmar Mendes simbolizam bem a que foram reduzidos os 3 Poderes da República. Não surpreende que o Brasil esteja se tornando cada vez mais o país da barbárie, do estupro coletivo, do linchamento, da corrupção, dos privilégios, do corporativismo, dos pastores enganadores, da ignorância, do oportunismo e da mediocridade. Os maus exemplos dados pelo andar de cima se refletem diretamente no andar de baixo e o resultado desastroso é esse que estamos vendo no País, com a barbárie vencendo a civilização de goleada. Precisamos reagir urgentemente e mudar o curso das coisas, antes que seja tarde demais!

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

PC FARIAS, MENSALÃO, PETROLÃO E CUNHA

A Justiça está finalmente percebendo que o petrolão é apenas a continuação do mensalão. Se olharem com mais atenção, verão que o mensalão e o  petrolão são esquemas idênticos aos de desvio de dinheiro público da época do finado PC Farias, que poderia muito bem ser chamado de Dilma do Collor. Até hoje ninguém sabe o que aconteceu com os bilhões desviados na época. A resposta virá da investigação de obscuras transações de venda de carne enlatada para a África. Só não vê quem não quer. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

LADRÃO PROFÍCUO

Como bem disse nosso libertador Roberto Jefferson, Cunha é meu bandido de estimação. 

José Carlos Saliba fogueira2@gmail.com

São Paulo

*

TEORI X LULA

Pelo andar da carruagem, se depender do probo Teori, Lula terá uma prisão póstuma. Rir para não chorar!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

ÁUDIO E IMPEACHMENT

É enervante ver aquele grupelho de petistas e comunistas defenderem o poste Dilma. Qualquer novidade serve para defender o indefensável. O áudio do outro picareta Machado, que compromete outros inúmeros picaretas iguais ou piores é caso de polícia e não de defesa da picareta Dilma. O relator está certo, duro é ver essa corja petista e comunista defender seus colegas picaretas.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

IMPEACHMENT JÁ!

"Dilma vai ao STF contra antecipação do impeachment". Não há nenhuma antecipação. O que está escrito na Constituição (art.º 86, § 2º) é que, "se decorrido o prazo de 180 dias, o julgamento não estiver concluído, cessará o afastamento do Presidente." Portanto, seis meses é o período máximo, e nada indica que o processo tenha de durar todo esse tempo. O que a ex-presidente e seus puxas estão tentando é tumultuar mais a vida dos brasileiros e evitar que o Brasil possa ter alguma esperança de recuperação do desastre que causaram. Fora, já!

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha 

 *

DILMA PODE VOLTAR?

Sim, Dilma pode voltar! Infelizmente Temer está cercado por políticos bandidos e corruptos e o PT saberá explorar esse fato, a podridão é tão escrachada que qualquer idiota percebe a fragilidade deste governo transitório. Todos nós sabemos que o governo PT, principalmente no mandato Dilma, foi uma calamidade, mas não podemos esquecer que bastam 6 senadores para reverter o quadro atual e Dilma retornar glamorosa para afundar de vez o País .O que mais preocupa é que, se Dilma retornar, o "jararaca" voltará achando que é a última cobra do Brasil.

 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

RETROCESSO

 

Segundo o noticiário, há senadores que podem mudar a votação final do impeachment de Dilma Rousseff, onde se conclui que a e presidente já deve estar sonhado com sua volta. Se ela realmente permanecer no poder, o Brasil que já se encontra num atraso político/econômico/social de dar pena, certamente retrocederá mais uns 10 anos.  Só para dizer o mínimo!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

INDEPENDÊNCIA OU SUBMISSÃO?

Afinal, o Senado é um dos Três Poderes independentes ou não?

O STF ou seu presidente tem sempre que tutelar suas pseudo-demissões?

Ulysses F Nunes Jr ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo 

*

MUDAR PARA MELHOR

No Brasil e em vários outros países fica provado que o Estado é um péssimo gestor: Petrobrás, Caixa, BNDES, PACS e, agora,  até a Bolsa Família têm desvios, sem falar do rombo de R$170 bilhões - será só isso? E a permanência dos gestores, quanto mais longa, mais danosa aos cidadãos: Cuba, de Fidel, Venezuela, de Chávez, Coreia do Norte, dos Jong. Nos países mais avançados a administração pública é mais parecida com a empresarial. É só ver o sucesso das empresas cinematográficas, da Microsoft, do Google, da Apple, etc. Os dirigentes e altos funcionários são escolhidos por haver iniciado e  desenvolvido as empresas e os sucessores, por conhecimento comprovado no ramo. As propagandas são sobre as empresas e, não sobre os CEOS. Precisamos mudar o tipo de governo, de político para empresarial, para nos livrar dos políticos que elegemos, porque são todos farinha do mesmo saco.

Mário A. Dente  eticototal@gmail.com

São Paulo    

*

ZELOTES

Será que o advogado contratado para defender o presidente do Bradesco na operação Zelotes vai modificar o cenário do crime, para que a acusação perca força?

Manoel Mendes Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

*

MICHEL TEMER, O HOMEM QUE CALCULAVA 

 

Excelentíssimo senhor presidente Michel Temer, sua afirmação de que não haverá aumento inesperado de despesas públicas nem comprometimento do ajuste fiscal com o reajuste dos servidores, porque as despesas foram negociadas já no governo Dilma Rousseff, é um sofisma contábil, visto que o montante do malfadado reajuste está embutido no rombo de R$ 170 bilhões herdado da gestão anterior. Depois, há de se considerar os trabalhadores brasileiros e os aposentados, que receberão o caridoso reajuste de praxe, sem falar dos 12 milhões de brasileiros desempregados. Finalmente, presidente Temer, é bom lembrar que seu mandato está apenas começando e que sua missão exige esforço sobre-humano. Os brasileiros têm esperança. Portanto, força Temer!  

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

SÓ TROCARAM AS MOSCAS

Não será por falta de apoio e até de torcida de minha parte, e acredito que também da grande maioria da sociedade, que o novo governo não dará certo. Se não der certo é porque, ao que parece, só trocaram as moscas e não foi esse o pedido feito nas ruas. O País tem um déficit orçamentário de R$ 170 bilhões, com receitas em baixa, onze milhões e meio de desempregados, o serviço público apinhado de incompetentes, corruptos e ladrões, PIB negativo e ainda vem o presidente interino Michel Temer articular com o Congresso Nacional, aquela verdadeira fossa, a aprovação de aumento para várias categorias do serviço público federal, o que causará mais um impacto negativo de R$ 59 bilhões no já deficitário Orçamento. A essa altura, restam duas opções: deixar o País ou, se não for possível e tiver muita, mas muita fé mesmo, rezar.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo 

*

EBC PRA QUÊ?

Com zero de audiência, a única produção da EBC que tem chamado a atenção do público é a celeuma de usar o termo presidente ou presidenta, quando se referem à presidente afastada Dilma. Temer, economize muitos bilhões de reais e ainda ganhe popularidade instantânea. Acabe com a EBC e com a porcaria da Voz do Brasil! Fica a dica!

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

MAIS FICHA SUJA

A ex-deputada Fátima Pelaes, que foi nomeada para a Secretaria de Políticas para as Mulheres pelo presidente interino, é mais uma indicação que não tem o que  se pode chamar de "ficha-limpa". Segundo o Ministério Público Federal, ela fez parte de uma "articulação criminosa" que desviou verbas de uma ONG fantasma. Quanto tempo ela vai resistir, antes de ser afastada da função?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.